Você está na página 1de 6

Os óvulos dos vertebrados e invertebrados são classificados segundo a quantidade e

distribuição de material nutritivo (vitelo) no seu citoplasma. São classificados em cinco tipos:
1) isolécitos ou oligolécitos: Possui pouco vitelo distribuído homogeneamente pelo
citoplasma. Ocorrência: Espongiários (esponjas), Cnidários (Medusa e anêmonas),
Equinodermos (Estrela-do-mar), cefalocordados (Anfioxo).
2) alécitos: óvulo que praticamente não tem vitelo. Ocorre nos mamíferos placentários.
3) heterolécitos ou mediolécito: Muito vitelo, porém deslocado para um pólo da célula
denominado pólo vegetativo. Ocorrência: Platelmintos (Planária), nematelmintos, Anelídeos
(Minhoca), Moluscos menos os cefalópodes, Anfíbios (sapo) e peixes ósseos.
4) telolécito ou megalécito ou telolécito completo: Muito vitelo concentrado em toda
região da célula menos no pólo animal onde se encontra o núcleo da célula-cicatrícula.
Ocorrência: Nos Peixes cartilaginosos (tubarão), Répteis (lagarto), Aves e Mamíferos
monotrematos (ornitorrinco)
5) Centrolécito: Muito vitelo concentrado em torno da região central da célula. Ocorrência:
Nos artrópodes: Insetos, crustáceos e aracnídeos.

Fecundação ou Fertilização

É a penetração do gameta masculino no gameta feminino.

1
Após a fusão da membrana do espermatozóide com a membrana do ovócito II e
posterior passagem do núcleo haplóide do espermatozóide (pronúcleo masculino), ocorre à
união com o núcleo haplóide do gameta feminino (Pronúcleo feminino) e conseqüentemente
formação do núcleo diplóide chamado zigoto. O processo de fusão dos núcleos e chamado
anfimixia.

O estudo do desenvolvimento embrionário, especialmente o humano é um dos


aspectos mais importantes para o estudo da evolução e desenvolvimento dos órgãos assim
bem como para as prováveis causas das más formações congênitas.
A maioria das espécies animais apresenta particularidades específicas durante o
desenvolvimento embrionário. Porém todas apresentam uma sequência básica que são
bastante semelhantes - segmentações ou clivagens, gastrulação, neurulação e
organogênese.

FASES DO DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO

a) segmentação ou clivagem:
Após a fecundação do zigoto, inicia-se o processo de segmentação, isto é a divisão da
célula ovo por mitoses até a formação de células chamadas blastômeros. Na espécie
humana, por volta do quarto dia após a fecundação, surge a mórula, um maciço celular que
contém de doze a dezesseis blastômeros.

a.1) A segmentação pode ser:


 Holoblástica igual (total igual): toda celula-ovo sofre segmentação e os blastômeros
possuem o mesmo tamanho.
Ocorrência: Ovos Oligolécitos e alécito.

 Holoblástica desigual (total desigual): toda celula-ovo sofre segmentação e os


blastômeros possuem tamanhos diferentes.
Ocorrência: Ovos Heterolécitos

2
 Meroblástica discoidal (Parcial discoidal): não ocorre segmentação na região onde há
vitelo, apenas na região da cicatrícula.
Ocorrência: Ovos Telolécitos completos

 Meroblástica superficial (Parcial superficial): ocorre divisão nuclear e posterior


migração para a periferia da célula onde é envolvido pela membrana formando células.
Ocorrência: Ovos Centrolécitos.

b) mórula (maciço celular)

Corresponde a um aglomerado de células resultantes da clivagem da célula-ovo.

c) blástula

As células que compõe a mórula passam a apresentar um liquido em seu interior o que
resulta na formação de uma cavidade cheia de líquido – blastocele. Nos mamíferos no
interior do blastocele a um aglomerado de células chamado embrioblasto.
A blástula é delimitada por uma camada de células chamada de trofoblasto ou
trofectoderma.
O blastocisto, nos mamíferos, sofre o processo de nidação, ou seja, se fixa na parede
do endométrio que a partir de então iniciara a nova fase do desenvolvimento embrionário –
gastrulação.

d) gastrulação

3
É um processo em que as células embrionárias sofrem uma nova arrumação,
originando uma estrutura chamada de Gástrula.

Obs1. Dependendo do tipo de animal a gastrulação pode formar dois (Ectoderma e


Endoderma) ou três folhetos ou tecidos embrionários (Ectoderma, Mesoderma e
Endoderma), a partir destes folhetos serão formados todos os órgãos do ser vivo.

Obs2. Durante a gastrulação forma-se também o intestino primitivo (arquêntero) e o orifício


que comunica o arquêntero com o meio exterior, chamado blastóporo. O blastóporo pode
evoluir para a boca (animais protostômios) ou para ânus (animais deuterostômios).

No desenvolvimento humano, o desenvolvimento do embrião ocorre simultaneamente


ao processo de nidação. O trofoblasto se diferencia em sinciciotrofoblasto e citotrofoblasto,
que são responsáveis por invadir à mucosa do endométrio. No sinciciotrofoblasto surgem
lacunas que entram em contato com vasos sangüineos maternos, iniciando a futura
circulação entre o útero e a placenta. O citotrofoblasto permite a formação de um espaço
entre as células chamado de celoma extra- embrionário. Esse espaço permite o dobramento
do embrião.

O embrioblasto se diferencia, inicialmente, em duas laminas celular, o epiblasto


(ectoderma primitivo) e o hipoblasto (endoderme primitivo). O ectoderma origina uma
cavidade chamada de cavidade amniótica e o endoderma se diferencia em uma outra
cavidade, o saco vitelínico.

Observando a região dorsal do embrião observa-se o aparecimento de uma depressão


chamada linha primitiva. A linha primitiva consiste em células ectodérmicas que se invaginam
e formam, entre os outros dois folhetos germinativos, o mesoderma. Após a formação do
mesoderma a linha primitiva desaparece.

4
Obs. O mesoderma permite a formação de cavidade chamada celoma. O celoma é utilizado
para a deposição de órgãos e armazém de excretas do embrião.

e) Organogênese

É o período de formação dos órgãos, que pendura na gestação humana, até o final do
terceiro mês.
 Ectoderma: Origina a epiderme e anexos: pêlos, unhas e glândulas (sudoríparas e
Sebáceas); glândulas mamárias; glândulas salivares; mucosa nasal, anal e bucal; sistema
nervoso central e periférico; hipófise; medula da supra-renal; esmalte dos dentes; Córnea;
cristalino; retina e ouvido interno.

 Mesoderma: Origina a derme; Músculos; cartilagem; ossos; Tecido adiposo; Medula


óssea; sangue; tecidos linfáticos; Órgãos do sistema genital; sistema urinário; Baço;
Músculos estriados; Pleura e peritônio e Pericárdio; Sistema circulatório; Sangue; Linfa;
córtex da supra-renal.

 Endoderma: Origina revestimento interno do(a): Sistema respiratório, digestório, Bexiga e


Uretra; Fígado; Pâncreas; Vesícula biliar; Tireóide e paratireóides; Alvéolos pulmonares.
ANEXOS EMBRIONÁRIOS
São estruturas que surgem a partir dos folhetos germinativos durante o período
embrionário e auxiliam o embrião em seu desenvolvimento. Os anexos embrionários são
representados por: Vesícula ou Saco vitelínico, Âmnio, Córion e Alantóide.

1) Vesícula vitelínica: Uma bolsa que abriga o vitelo e participa do processo de nutrição do
embrião. Presente em peixes, répteis aves e mamíferos.

OBS: Nos mamíferos essa bolsa se encontra reduzida e possui a função de


produção de células do sangue – função hematopoiética.

5
2) Âmnio: Membrana que envolve completamente o embrião, delimitando uma cavidade
denominada amniótica. É nessa cavidade que está o líquido amniótico que protege o
embrião contra choques mecânicos e desidratação e ainda regula a temperatura do embrião.
Presente em répteis, aves e mamíferos.

Obs. O âmnio foi uma importante adaptação ao ambiente terrestre e que surgiu
primeiramente com os répteis.

3) Córion: Uma membrana que envolve o embrião e todos os demais anexos embrionários.
Presente em répteis, aves e mamíferos. Nos mamíferos surge a partir do sinciciotrofoblasto e
citotrofoblasto.

4) Alantóide: Uma estrutura em forma de saco, cuja principal função é armazenar excretas
nitrogenadas e juntamente com o córion participa das trocas gasosas. Em aves e répteis,
essa bolsa possui ainda a função de transporte de cálcio da casca do ovo para o embrião.
Presente em répteis, aves e mamíferos (reduzido).

Placenta

Nos mamíferos o córion participa da formação da placenta, responsável pela troca de


substâncias entre o sangue materno e fetal. Sendo assim é atribuída a placenta às funções
de: nutrição, respiração, imunização e transmissão de anticorpos. Presente nos mamíferos.

OBS1: A placenta secreta hormônios – como estrógeno e a progesterona que mantêm


a integridade do endométrio durante a gravidez.
OBS2: O cordão umbilical é considerado como uma especialização do alantóide dos
mamíferos. No interior do cordão, existem duas artérias e uma veia que possibilita a
circulação do sangue do feto até a placenta.