XXIV Encontro Nac. de Eng.

de Produção - Florianópolis, SC, Brasil, 03 a 05 de nov de 2004

Análise dos Impactos Ambientais causados pelos Postos de distribuição de combustíveis: uma visão integrada
Sandra Patrícia Bezerra Rocha (UFPE) sandrarocha29@ig.com.br Gisele Cristina Sena da Silva (UFPE) gsena@ufpe.br Denise Dumke de Medeiros (UFPE) ddm@ufpe.br

Resumo O presente trabalho trata da análise dos principais impactos ambientais causados pelas atividades dos postos de distribuição de combustíveis de forma integrada contribuindo para uma visão do todo, ou seja, serão análisados os impactos causados no solo e seus efeitos, alguns tipos da contaminação humana, os resíduos gerados e destinação e os riscos de incêndio e as formas de minimizá-los. Será apresentada uma breve revisão bibliográfica da questão ambiental e dos impactos ambientais e uma breve descrição do setor de Petróleo e Gás e dos Postos de Distribuição de Combustível e análise dos seus principais impactos ambientais e importância para certificação ISO 14001. Palavras chaves: Impactos Ambientais, Meio Ambiente, Postos de combustíveis

1 Introdução Com o crescimento econômico ocorrido com a industrialização, alguns problemas começaram a sugir: o aquecimento da terra, a destruição da camada de ozônio, a utilização demasiada dos recursos não-renováveis, a contaminação e exploração dos oceanos entre outros, o que culminou com o despertar de uma consciência ecológica. Segundo Viterbo (1998), pode-se dividir a evolução da consciência ambiental em quatro fases distintas: A primeira fase chamada de conscientização foi marcada com a preocupação sobre os recursos hídricos e o saneamento básico. Em Estocolmo em junho de 1972 ocorreu a primeira Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, que tratou basicamente do controle da poluição do ar e da água, e dessa forma, colocou a questão ambiental nas agendas oficiais internacionais, marcando a segunda fase da evolução da consciência ecológica sendo chamada de controle da poluição, e foi também nesta fase que surgiram os primeiros organismos oficiais de controle ambiental. Aos poucos, na década de 1980, foi se observando que a solução da poluição não era frear o desenvolvimento e sim orientar o desenvolvimento para preservar o meio ambiente e os recursos não-renováveis, e com esse pensamento, inicia-se a fase de planejamento ambiental. Esta fase foi marcada por grandes desastres ecológicos como o acidente da Union Carbide (em 1984, na Índia), a explosão de uma usina nuclear em Tchérnobil em 1986 e o grande derramamento de óleo provocado pelo navio Exxon Valdez (no Alasca, em 1989) e pela identificação da degradação da camada de ozônio (VITERBO, 1998). Ainda nesta fase os estudos sobre os impactos ambientais (EIA), passaram a ser uma exigência legal na implementação de unidades industriais e de outros empreendimentos, ainda na fase de projeto e de verificação da viabilidade do mesmo, a partir da Resolução 001 do CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente), em 28 de fevereiro de 1986. Ainda no final da fase de controle da poluição, começaram a surgir as ONG´s (Organizações Não Governamentais) e os partidos verdes, que “levantaram a bandeira ecológica”

ENEGEP 2004

ABEPRO

5130

permitindo a Certificação dos Sistemas de Gestão Ambiental. será apresentada uma proporta para analisar os impactos ambientais causados pelas atividades dos postos de distribuição de combustíveis. SC. De acordo com o Manual de Diretrizes para Avaliação de Impactos Ambientais da Companhia Pernambucana do Meio Ambiente (CPRH). Em 1993. é de grande importância a conscientização e um maior conhecimento de todos os agentes envolvidos na degradação do meio ambiente causadas pelas suas respectivas atividades de forma a propiciar ações de mitigação dos impactos garantido a verdadeira aplicação do desenvolvimento sustentável. de Produção . de 23 de janeiro de 1986. a biota. contaminação humana através do contato com os combustíveis e aspiração dos gases emitidos pelos veículos automotivos e do próprio combustível. prestadores de serviços e assim como a população. normas e resoluções na área ambiental. químicas e biológicas do meio ambiente. 001.XXIV Encontro Nac. Neste trabalho.). os orgãos governamentais e a sociedade como um todo estão cada vez mais exigindo atitudes mais conscientes no que se refere ao meio ambiente por parte das indústrias. as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente. de Eng. Em junho de 1992 houve no Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio 92) e as questões ambientais passaram a ser assunto constante nas discussões econômicas e estratégicas. a qualidade dos recursos ambientais (Resolução CONAMA n. Baseados nas leis. comércio. de forma a minimizar e/ou eliminar os impactos ambientais causados pelas diversas atividades da empresas. Brasil. No Brasil. Juntamente com o pensamento de gerenciamento ambiental vieram a globalização da economia e a universalização dos conceitos relativos ao meio ambiente. como por exemplo: as atividades desenvolvidas pelo postos de distribuição de combustíveis que causam alguns tipos de impactos ambientais tais como: contaminação do solo e arquíferos por hidrocarbonetos.Florianópolis. são usadas na avaliação de Impactos ENEGEP 2004 ABEPRO 5131 . a segurança e o bem-estar da população. Diante de um cenário de desenvolvimento e de mudanças na consciência ecológica. foi editada a primeira norma sobre gestão ambiental de origem Britânica : a BS-7750 que teve como objetivo ordenar os procedimentos de gestão ambiental já existentes. e iniciando a próxima fase da evolução da consciência ecológica: gerenciamento ambiental em 1990. objetivos e alvos. 1°. para em seguida detalhar a metodologia para análise dos impactos ambientais. as atividades sociais e econômicas. orientando no constante esforço de fazer cumprir a legislação ambiental. direta ou indiretamente. Inicialmente serão descritos os principais conceitos que norteiam a fundamentação teórica da metodologia proposta bem com alguns dados que caracterizam a atividade estudada. as empresas começaram a firmar seu acordo com os princípios do compromisso em 1992 e com os princípios de Atuação Responsável trazidos do Canadá e editados pela ABIQUIM (Associação Brasileira da Indústria Química). art. representando o consenso mundial sobre gestão ambiental. 2 Impactos Ambientais . 03 a 05 de nov de 2004 demonstrando ao mundo que o controle da poluição e o planejamento ambiental não são suficientes para evitar os impactos ambientais. Portanto. afetam: a saúde.Conceito: impacto Ambiental é qualquer alteração das propriedades físicas. causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que. baseada na norma BS-7750 surge o Sistema Europeu de Ecogestão e Auditorias EMAS (Environment Management Audit Scheme) e finalmente em 1996 foi editada a série de normas ISO 14000 que focalizam o estabelecimento de um sistema para alcançar internamente o estabelecimento de políticas. os órgãos ambientais estão fiscalizando. Posteriormente.

já o RIMA é a parte mais visível (ou compreensível) do procedimento. deu inicio a uma nova era na indústria de Petróleo no Brasil. de forma que o mesmo traga vantagens para o país. detalhado. No ranking mundial dos produtores de petróleo. imediatos e em longo prazo.478. no ano de 2000 foi verificado um crescimento de 3.3% na produção de petróleo e em 2002 também foi registrada uma redução de 0. SC. o estudo de impacto ambiental deve contemplar pelo menos as seguintes atividades: diagnóstico ambiental da área de influência do projeto. Segundo o Anuário Estatístico Brasileiro do Petróleo e do Gás Natural do ano de 2003. de maneira a identificar a magnitude. o estudo é de maior abrangência que o relatório e o engloba. leis federais. biológicos e socioeconômicos e os ecossistemas naturais. abrangendo os meios físicos. melhoria na qualidade dos produtos derivados do Petróleo e uma política de preços que reflita o comportamento do mercado internacional.6% na produção de petróleo mundial. e principalmente para os consumidores. da distribuição dos ônus e benefícios sociais. da definição das medidas mitigadoras dos impactos negativos e da elaboração do programa de acompanhamento e monitoramento dos impactos positivos e negativos. temporários e permanentes. Estudo de Impacto Ambiental compreende o levantamento da literatura científica e legal pertinente. chamada Lei do Petróleo. de grau de reversibilidade. Foi criada a Agência Nacional do Petróleo e com ela o fim de um monopólio: Petrobrás. a aprovação da Lei 9. Brasil. A produção total. Ab´Saber & Muller-Plantenberg (1994) apud Benjamin anotam: o EIA é o todo. de Eng. o volume total de petróleo produzido no mundo em 2002 foi de 73. No ano de 2001 foi registrada uma redução de 0. indicando os fatores e parâmetros a serem considerados. Os impactos ambientais devem ser classificados quanto aos aspectos: positivos e negativos. análises de laboratório e a própria redação do relatório (Direito Ambiental Brasileiro. de Produção .Dados Gerais do Setor de Petróleo e Gás: de acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP). trabalhos de campo. em 06 de agosto de 1997. dados e apresentação incompreensíveis para o leigo.001/1986. porém na verdade. Já o Relatório de Impacto Ambiental.7 milhões de barris. decretos federais. verdadeiro instrumento de comunicação do EIA ao administrador e ao público.9 milhões b/d. refletirá as conclusões do EIA. pensa-se em palavras sinônimas. complexo. ENEGEP 2004 ABEPRO 5132 . apud Machado. A ANP tem a finalidade de estabelecer regras gerando um ambiente competitivo.Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (RIMA): quando se fala de EIA e RIMA. importância dos prováveis impactos relevantes.Critérios para Estudos de Impacto Ambiental: de acordo com a resolução do CONAMA n. 03 a 05 de nov de 2004 ambientais: constituições federal e estadual. para que se englobe as possíveis ações mitigadoras de forma a reduzir e/ou eliminar os prováveis impactos ambientais relevantes. diretos e indiretos. representam entidades distintas. . na linguagem popular. Segundo Ab´saber & Muller-Plantenberg (1994). ou seja. daí a importância de ser realizado na fase de projeto do empreendimento. resoluções do CONAMA e legislações estadual. p.Florianópolis. de propriedades cumulativas e sinérgicas.7% na produção de petróleo no mundo que significou uma recuperação do setor neste ano. 128). .XXIV Encontro Nac. destina-se especificamente ao esclarecimento das vantagens e conseqüências ambientais do empreendimento. o Brasil passou da 18ª colocação em 2001 para a 16ª colocação em 2002 e a Arábia Saudita permaneceu sendo o maior produtor de petróleo do mundo com uma produção diária em média de 8. muitas vezes com linguagem. 3 Setor de Petróleo e Gás .

9% na região Sudeste. junho/2003). 2003). propõe-se analisar de forma integrada os potenciais e reais impactos ambientais causados pelas atividades dos postos de distribuição de combustíveis. são o caso da gasolina e do óleo diesel. cicloparafinas.8% na região Nordeste.8% em relação ao número de postos recadastrados no ano de 2001. . naftênicos e olefinas. inibidores de corrosão e de espuma. aromáticos. Diante deste recadastramento. pequenas quantidades de outras substâncias: nitrogênio. pois devido ENEGEP 2004 ABEPRO 5133 . nos quais compostos aromáticos policíclicos. no qual a maioria deles é formado por Carbono e Hidrogênio. C. 32 a 52% (m/m) de saturados e < 1. foi concluído o recadastramento dos postos revendedores que possuíam a autorização da ANP para funcionamento. Também pode conter um ou mais dos seguintes aditivos: anti-oxidante. com número de carbono predominantemente na faixa de C4 a C12. desemulsificador e aumentador de cetano.804 postos revendedores no Brasil. contendo tipicamente de 29 a 39% (m/m) de aromáticos. oxigênio e alguns metais (DUARTE. . que são os chamados Hidrocarbonetos. que são menos densos que a água. conforme o Manual de Operações de HSSE para Postos de Serviços (Shell Brasil Ltda. SC.Óleo Diesel automotivo tipos B.0% (m/m) de benzeno. . com teor e especificação conforme a legislação em vigor. 5 Composição Química do Petróleo e seus derivados A composição do Petróleo no seu estado natural é composta de uma mistura complexa de diversos compostos diferentes. enxofre. aromáticos e asfálticos.9% na região Norte. Brasil. como número de carbono predominantemente na faixa de C9 a C22. detergente. O processo de produção da gasolina é feito nas refinarias com o petróleo no seu estado natural através da separação do mesmo por processos de destilação em diferentes frações de compostos alifáticos. Contém enxofre e pode conter compostos de nitrogênio e oxigênio.1% na região Centro-Oeste e 4.DNAPL (dense nonaqueous-phase liquids ou líquidos densos de fase não aquosa). são os hidrocarbonetos clorados.Florianópolis.Gasolina comum tipo “C” (sem chumbo) Natureza Química: mistura completa de hidrocarbonetos. 6 Impactos Ambientais causados pelas atividades dos Postos de Distribuição de Combustíveis Neste trabalho. de Produção .XXIV Encontro Nac. de Eng..3% na região Sul. 9. Pode conter óleos craqueados cataliticamente.804 postos de distribuição de combustíveis estão distribuídos da seguinte forma: 47. 21. Os 29. que são os hidrocarbonetos mais densos que a água. 19 a 32% (m/m) de olefinas. Encontram-se ainda. Segundo Duarte (2003) apud Means et al (1980). Contém também álcool etílico anidro. D e marítimo Natureza química: É um produto preparado composto de uma mistura complexa de hidrocarbonetos contendo parafinas. 16. desta maneira foi registrada a existência de 29. foram revogados os registros dos estabelecimentos que não atendiam às Leis e regulamentos que regem as atividades dos postos de serviços. A seguir será apresentado a composição química dos principais produtos comercializados dos postos de distribuição de combustível. principalmente das espécies de 3 anéis e alguns de 4 a 6 anéis estão presentes. os hidrocarbonetos podem ser classificados de acordo com a comparação da sua densidade com a densidade da água e são eles: . 03 a 05 de nov de 2004 4 Postos de Distribuição de Combustíveis Em 2002.LNANPL (light nonaqueous-phase liquids ou líquidos leves de fase não aquosa). o que significa uma queda de 8.

de Eng. de Produção . os aspectos legais e as principais ações de mitigação. ou seja.Incêndio: um dos impactos ambientais causados pelas atividades dos postos de distribuição de combustíveis são os efeitos causados pelos incêndios. De acordo com Gomes (1981) e Mello (1991) os funcionários de postos de serviços que trabalham em contato com os combustíveis. que dependendo da gravidade e da característica do solo podem atingir os lençois freáticos ocassionando a contaminação da vizinhaça através dos poços. Diante destes perigos. clientes. Os órgãos ambientais estaduais através da resolução 273 do CONAMA que trata das exigências ambientais para a operação dos postos de combustível e legislação própria. Portanto. ou seja. via respiratória e via oral. SC. madeira. o terceiro tipo são os impactos causados quando da ocorrência de um incêndio que podem causar danos graves às pessoas e ao meio ambiente pois jogam na atmosfera gases prejudiciais e tóxicos e por fim o quarto tipo de impacto são os causados pelos resíduos perigosos gerados pelos postos de serviços. É baseado nesta afirmação que surgiram os diferentes métodos de extinção de incêndio. As ações de mitigação destes impactos são: comunicação ao órgão ambiental local para inspeção. formam um grupo de risco devido a algumas características dos produtos. oxigênio (geralmente do ar) e uma fonte de energia para fornecer a ignição e juntos estes três elementos formam o triângulo do incêndio. entre outras medidas. que quando ocorrem são bastante prejudiciais aos funcionários. visando evitar incêndios e riscos às pessoas. contratação de empresa especializada para a descontaminação das águas subterrâneas quando as mesmas apresentam índices altos de contaminação por hidrocarbonetos e na maioria das vezes pagamentos de multas devido ao impacto ambiental causado. Geologia. alguns cuidados devem ser tomados no manuseio dos produtos de petróleo. é de fundamental importância que os proprietários dos postos de distribuição de combustíveis sigam as normas ambientais. estão suceptíveis a adiquirir doenças na pele (dermatites) e conforme a natureza de alguns componentes serem classificados como carcinogênicos podem causar modificações citogenéticas e levá-los a câncer e leucemia. para que ocorra um incêndio é necessário que se tenha: material combustível (gasolina. A análise integrada será composta pela classificação dos impactos em quatro tipos: o primeiro é o impacto causado pela contaminação humana por hidrocarbonetos através do contato com o combustível e pela aspiração dos gases dos próprios combustíveis e os emitidos pelos veículos automotivos. . procedimentos emergenciais quando da ocorrência de vazamentos. . fazem uma série de exigências quanto aos documentos necessários para o funcionamentos. Brasil. 03 a 05 de nov de 2004 às diferentes áreas de estudos envolvidas (Saúde. proprietários. visto que. Este tipo de análise permite se ter uma visão geral dos impactos ambientais causados pelas atividades dos postos de distribuição de combustívieis. os impactos causados são extremamente nocivos ao meio ambiente e a população como um todo e também os custos associados com a remediação são altos podendo até fechar estabelecimentos. etc). os impactos são tratados separadamente. o segundo é a contaminação dos solos por hidrocarbonetos provocados na maioria das vezes por vazamentos. os métodos se baseiam na eliminação de um dos elementos do triângulo do fogo e ENEGEP 2004 ABEPRO 5134 .Florianópolis. licenças abientais e entre outras com a finalidade de evitar potenciais impactos ambientais. que na maioria das vezes são usados como fonte da abastecimento de água das pessoas. equipamentos específicos usados.Contaminação humana: a contaminação humana pode ocorrer pela via dermal. e vizinhança e podem causar vítimas fatais. . De acordo com com Friedman (1993).Contaminação do solo e da águas subterrâneas: os impactos ambientais que as atividades dos postos de serviços podem ocasiornar é a contaminação do solo através de derramamentos de combustíveis e mais grave quando ocorrem vazamentos dos tanques de armazenamento de combustivel enterrados no solo.XXIV Encontro Nac. Engenharia e outras).

de Eng. ou seja. riscos de incêndios e poluição do meio ambiente. mantas e cordões absorventes. Para o armazenamento é recomendado o uso e EPI´s (Equipamentos de proteção individual). 2003). areia contaminada com combustível. No posto deve haver uma área específica para armazenagem e com algumas exigências: o piso deve ser cimentado. para maioria das empresas o não enquadramento nesta nova cultura poderia significar sua “morte” e principalmente para àquelas que a agressão ao meio ambiente está diretamente ligada às suas respectivas atividades. visto que. quando não ocorrem as intoxicações devido aos gases liberados na combustão e à atmosfera que envolve a população os incêndios emitem gases poluentes e tóxicos provenientes da combustão incompleta de combustíveis que são os monóxidos de carbono (CO) (TÁVORA. não poderão apresentar furos ou qualquer possibilidades de vazamentos. procedimentos especídicos para postos de distribuição de combustíveis são necessários. como é o caso dos postos de distribuição de combustíveis. entre outros. Os incêndios derivados das atividades dos postos de combustível são classificados de acordo com a norma regulamentadora 23 (NR-23) com classe B e tem como método de extinção mais indicado o abafamento e agente extintor: pó químico seco e dióxido de carbono. para o manuseio de resíduos e calçado com solado de borracha.Florianópolis. vasilhame de óleo usado e estopas usadas. ao redor dos recipientes deve ter uma mureta de forma a conter qualquer vazamento que possa ocorrer. o proprietário do posto deve seguir as recomendações do órgão competente do Estado. Filtros de óleo lubrificantes. tais como: luvas de PVC. Os postos de distribuição de combustíveis devem seguir as normas ambientais federais e locais quanto a correta destinação dos seus resíduos perigosos. Brasil. Portanto os impactos causados ao meio ambiente quando da ocorrência de um incêndio em um posto de distribuição de combustíveis são: aos funcionários e clientes (o fator humano). acesso exclusivos de pessoas autorizadas. instalações elétricas específicas a prova de explosão. resíduos diferentes não podem ser misturados e entre outros. Borra e combustível proveniente da caixa separadora de água e óleo. de combustíveis de veículos e de ar. Empresas cadastradas e licenciadas em órgãos ambientais devem enviar estes resíduos para locais específicos de incineração de alguns resíduos e rerrefino dos óleos combustíveis usados. sem a presença de pregos ou partes metálicas e quanto aos recipientes para armazenamentos devem ser tomados alguns cuidados como: os recipientes deverão ser metálicos e com tampas e permanecer sempre tampados. Portanto.XXIV Encontro Nac. 7 Importância da avaliação dos impactos ambientais para certificação ISO 14001 nos Postos de Distribuição de Combustíveis A questão ambiental nas organizações foi conseqüência direta da evolução da consciência ecológica no mundo. Os principais tipos de resíduos perigosos gerados são: óleo usado. As ações de mitigação neste caso são principalmente preventivas. os resíduos dos postos de serviços são definido como classe I que são os resíduos perigosos e portanto necessitam de cuidados especiais quanto ao seu armazenamento e destinação de forma a evitar potenciais impactos ambientais. De acordo com a NBR 10004/1987. a busca pela certificação ISO 14001 passou a ser uma realidade na rotina de alguns postos de serviços e para isso é de fundamental importância a avaliação dos impactos ambientais causados pelas atividades dos postos de distribuição de ENEGEP 2004 ABEPRO 5135 . SC. De acordo com o Manual de Operações Shell.Resíduos: os impactos ambientais que envolvem os resíduos gerados pelas atividades dos postos de combustível são praticamente os mesmos que os próprios combustíveis: contaminação humana e dos solos. como pode ser observado a seguir. . de Produção . 03 a 05 de nov de 2004 conforme o tipo de material combustível define-se o tipo do método de extinção mais adequado. os impactos causados na maioria das vezes são irreversíveis quando de queimaduras ou até mesmo a morte.

ABNT.gov. Brasil.anp. visto que. Associação Brasileira de Normas Técnicas – http://www. as ações de mitigação para redução e/ou eliminação destes impactos. Oeste e Sul. junto a ele estar em jogo a sobrevivência humana. visto que. foi apresentada apenas algumas informaçoes importantes dos principais impactos ambientais dos postos e sem muito aprofundamento. A análise é de forma generalisada. Um modelo de processo de implementação e controle do sistema de gestão ambiental. verifica-se que é de fundamental importância um estudo mais aprofundado das questões ambientais do setor dos postos de distribuição de combustíveis.gov. CONAMA.gov. É importante também que os órgãos ambientais fiscalizem e atuem com mais severidade não só os postos de serviços mas todas as organizações cujas atividades geram impactos ambientais.gov. A série de normas ISO 14000 é um conjunto de normas que trata da questão ambiental (MAIMON. 1994. Referências AB´SABER. Dissertação de Mestrado apresentada à Universidade Federal de Pernambuco.br/conama CPRH. Experiência no Brasil. Clarita. Previsão de Impactos: O Estudo de Impacto Ambiental no Leste. entre outros.br BARBOSA. os apectos legais. poderá seguir os requisitos do SGA desenvolvendo sua política ambiental. A análise dos impactos ambientais reais ou potenciais das atividades dos postos de serviços é de fundametal importância. 8 Considerações Finais O presente trabalho teve como objetivo apresentar uma análise dos impactos ambientais poetenciais e reais que as atividades dos postos de distribuição de combustíveis podem causar de forma integrada. ou seja. análise crítica pela administração e melhoria continua. suas atividades geram impactos bastante nocivos ao meio ambiente e à população como o todo. SC. Planejamento.Florianópolis. Crescimento econômico não é sinônimo de degradação ambiental.pe.cprh. A implementação do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) pode ser feita em etapas: Política ambiental. De uma maneira geral. a tecnologia desenvolvida para dar suporte as ações de mitigação. 14011 e 14012 que trata sobre Auditorias Ambientais.mma. Recife. traçar seus objetivos. Aziz Nacib. Implementação e operação. de Eng. Companhia Pernambucana do Meio Ambiente e Recursos Hídricos– http://www.br ENEGEP 2004 ABEPRO 5136 . Após sedimentação destes conhecimentos a alta administração do posto poderá dar início a implementação dos requisitos da norma ISO 14001. pois pode-se crescer preservando a natureza basta desenvolver de forma sustentável. MULLER-PLANTENBERG.abnt. Conselho Nacional do Meio Ambiente – http://www.São Paulo: Universidade de São Paulo. 1999). de Produção . 03 a 05 de nov de 2004 combustíveis.XXIV Encontro Nac. Verificação e ação corretiva. 1999. A norma ISO 14000 foi publicada em outubro de 1996 e a princípio foram publicadas as cinco primeiras normas da série ISO e apenas em dezembro daquele mesmo ano a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnica) adotou integralmente essas normas que são: a ISO 14001 e ISO 14004 que trata sobre Sistemas de Gestão Ambiental e as normas ISO 14010.br ANP. metas. Ceres Zenaide. pois através dela o proprietário do posto terá conhecimento suficiente sobre os impactos que suas atividades e operações causam. Departamento de Engenharia de Produção. enfim iniciar o importante caminho na busca pela certificação da ISO 14001. pois as áreas que estes impactos envolvem são bastante diversificadas. ações de melhoria continua. na Rússia e na Alemanha . Associação Nacional do Petróleo – http://www. pois não é só o meio ambiente que estar se degradando e aos poucos morrendo.

1998.DF. Dália. ENEGEP 2004 ABEPRO 5137 .Recife: CPRH/GTZ. Trabalho apresentado no II Congresso da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (ANAMT). . de Produção . 1992. Berenice. 2ª ed. Brasília. SHELL BRASIL LTDA. 03 a 05 de nov de 2004 DUARTE. MAIMON. 1981. Kátia da Silva Avaliação do Risco Relacionado à Contaminação dos Solos por Hidrocarbonetos no Distrito Federal Tese de Doutorado. Brasil.atual. DF. Edgard Raoul .Florianópolis. TÁVORA JR. Gestão Ambiental. Renato Santos & CAVALCANTE. 2003. Cytogenetic studies on gas station attendants – Universidade de Brasília. a partir de um sistema baseado na norma ISO 9000. GOMES. ISO 14001: passo a passo da implantação nas pequenas e médias empresas – Rio de Janeiro: Qualitymark. Apostila para Mestrado Acadêmico – Recife. 2003 VITERBO JUNIOR. Manual de operações de HSSE para Postos de Serviços. Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Brasília . Junho de 2003. 1999 Manual de Diretrizes para Avaliação de Impactos Ambientais. Ênio. Brasília . Sistema integrado de gestão ambiental: como implementar um sistema de gestão que atenda à norma ISO 14001. Departamento de Ecologia. SC. Ver. José Lamartine. 1998 MELLO. de Eng. – Belo Horizonte. – São Paulo: Aquariana.XXIV Encontro Nac.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful