Você está na página 1de 32

CONCURSO PÚBLICO

Edital 004/2017

COPASA
Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais

C A D E R N O D E P R O V A S
CADERNO CARGO/ESPECIALIDADE:


2 AGENTE DE SANEAMENTO:
OPERADOR DE SISTEMAS

 LÍNGUA PORTUGUESA
PROVAS:  MATEMÁTICA

Leia, atentamente, as instruções gerais que se encontram


no verso desta capa.
2

INSTRUÇÕES GERAIS:

1. Este caderno de provas contém um total de 50 (cinquenta) questões ob-


jetivas, sendo 25 de Língua Portuguesa e 25 de Matemática. Confira-o.
2. As provas terão duração de, no mínimo, 1 (uma) hora e, no máximo, de 4
(quatro) horas, incluído o tempo destinado à transcrição de suas respos-
tas no gabarito oficial.
3. Respondidas as questões, você deverá passar o gabarito para a sua fo-
lha de respostas, usando caneta esferográfica azul ou preta.
4. Em nenhuma hipótese haverá substituição da Folha de Respostas por
erro do candidato.
5. Este caderno deverá ser devolvido ao fiscal, juntamente, com a folha de
respostas, devidamente preenchidos e assinados.
6. Os candidatos só poderão se ausentar do recinto de realização das pro-
vas decorrida 1 (uma) hora do início de aplicação das mesmas, por moti-
vo de segurança.
7. Você pode transcrever suas respostas na última folha deste caderno e a
mesma poderá ser destacada.
8. As questões e os gabaritos oficiais das Provas Objetivas serão divulga-
dos nos endereços eletrônicos www.copanor.com.br e
www.fumarc.com.br e publicados nos demais veículos de comunicação
previstos no Edital, no 2º (segundo) dia útil subsequente à realização das
provas.
9. A comissão organizadora da FUMARC Concursos lhe deseja uma boa
prova.
3

Prezado(a) candidato(a):

Coloque seu número de inscrição e nome no quadro abaixo:

Nº de Inscrição Nome

ASSINALE A RESPOSTA CORRETA.

PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA

O meu avô

Mário Prata

Bem pequeno aprendi a enumerar a caudalosa linhagem de Mários da


minha família: "Tenho tataravô Mário, bisavô Mário, avô Mário, pai Mário, tio Má-
rio e primo Mário". Se me perguntavam "Por que tanto Mário?" eu não sabia bem
o que responder, era só uma dessas gracinhas que criança decora pra fazer os
adultos rirem: "Sei lá, acho que eles gostam de Mário".
O Mário de quem eu mais gostava, depois do meu pai, era o meu avô.
Vovô Mário era engenheiro mecânico e nos seus tempos áureos projetava loco-
motivas. Trens de muitas toneladas cruzando o país abarrotados de minério de
ferro, soja, cimento e carvão foram sua segunda maior contribuição à humanida-
de. A primeira contribuição, a que fez de mim o morador mais importante da rua
Briaxis, a vila em que morávamos, com vizinhos tocando a campainha de manhã,
de tarde e de noite, trazendo amigos, primos e, invariavelmente, uma bola em-
baixo do braço, era a trave de madeira que meu avô fez e me deu no meu ani-
versário de oito anos.
4
A trave ficava no fundo da nossa garagem e era leve o suficiente para ser
carregada por dois meninos até o meio da rua. Sobre o carpete agreste de para-
lelepípedos travávamos peladas épicas que só não entravam pela madrugada
porque as mães apareciam nas portas das casas e, uma a uma, inclementes,
iam nos convocando para o jantar. Minha mãe, jornalista, estava sempre presa
em fechamentos e não poucas vezes eu era o último felizardo a sair. Ficava ali,
batendo faltas contra um gol vazio, me achando o Rivelino: no ângulo, no canti-
nho, rasteira, de bico, de peito, de trivela. Eu tinha oito anos e uma trave de gol,
toda minha: duvido que a vida me permita experimentar, novamente, tal plenitu-
de.
Mais tarde, lá pelos onze, entrei numas de aquário e meu avô não me
deixou na mão. Num sábado de manhã fomos juntos a uma vidraçaria na rua
Tabapuã, onde vi o funcionário cortar o vidro com um bastãozinho de metal e
ouvi, boquiaberto, vovô Mário explicar que, na ponta do bastão, havia um pedaço
de diamante: "o material mais duro da Terra: indestrutível". Depois fomos a um
serralheiro e, sem que eu entendesse por que, compramos metros de cantonei-
ras de alumínio. Bem, delicadeza não era o forte daquele engenheiro nascido
antes do crash de 1929; as cantoneiras foram usadas para reforçar todas as
juntas, além da borda superior do aquário, que, com sua "torreifélica" estrutura,
ganhou em resistência o que perdeu em visibilidade. Mas quem se importa em
ver peixinhos dourados quando se pode contar pros amigos, ao passar pela sala,
como quem não quer nada: "fui eu que fiz, junto com o meu avô"?
Aos treze comecei a andar de skate e a rampa só não ficou pronta, pois
foi embargada por minha mãe – até hoje não a perdoo por, na calada da noite,
de forma antidemocrática, ter salvo a minha vida, ou, pelo menos, alguns ossos.
Ontem, quando a minha lista de "Mários" ficou ligeiramente (imensamen-
te) menor, pensei na sorte que tive. Meu avô era um sujeito duro que entrou no
século 21 sem jamais ter abandonado o 19, um pai severo e, no entanto, foi ca-
paz de me dar tanto carinho. Não me refiro a beijos, abraços, cafunés – acho que
ele nunca me pegou no colo –, mas a esse carinho antigo, pré baby-boomers,
Beatles e Caetano, carinho de homem feito com serras, martelos, pregos, para-
fusos, madeira e cantoneiras de alumínio. Queria poder ter retribuído à altura,
mas infelizmente não soube, tão bem quanto ele, usar minhas ferramentas.

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/antonioprata/2017/07/1897748-o-meu-avo.shtml


Acesso em: 12 jul. 2017.
5
QUESTÃO 01

O objetivo do texto é

(A) contar as travessuras vividas pelo locutor do texto.


(B) narrar as aventuras dos vários Mários de uma família.
(C) prestar uma homenagem ao Mário, avô do locutor do texto.
(D) relembrar a infância do locutor do texto.

QUESTÃO 02

Todos os sentimentos abaixo estão presentes no texto, EXCETO:

(A) ironia.
(B) orgulho.
(C) satisfação.
(D) veracidade.

QUESTÃO 03

São características do avô, EXCETO:

(A) carinhoso.
(B) companheiro.
(C) indelicado.
(D) severo.
6
QUESTÃO 04

“Meu avô era um sujeito duro que entrou no século 21 sem jamais ter aban-
donado o 19, um pai severo e, no entanto, foi capaz de me dar tanto carinho.”
A MELHOR interpretação para o trecho é:

(A) A dureza de comportamento do avô era semelhante à de seus antepassa-


dos, o que o atrapalhava no século 21.
(B) Mesmo estando no século 21, o avô insistia em pensar no século 19, ten-
tando reviver o que não volta mais.
(C) Mesmo os anos tendo passado, o avô permaneceu com a cabeça voltada
para o passado, sem evoluir.
(D) Os anos passaram, mas o avô não evoluiu, permaneceu com os mesmos
ideais aprendidos nos anos anteriores.

QUESTÃO 05

O que fez do locutor do texto o morador mais importante da rua Briaxis foi

(A) a amizade com os vizinhos que o procuravam todos os dias.


(B) a mãe sempre ser a última a buscá-lo nas peladas.
(C) a necessidade de jogar bola com os amigos.
(D) a trave de madeira que o avô havia feito para ele.

QUESTÃO 06

Todas as constatações abaixo podem ser feitas em relação ao texto, EXCETO:

(A) As lembranças do avô foram reavivadas quando um dos membros da família


veio a falecer.
(B) As melhores diversões eram construídas em dupla, entre neto e avô, e usa-
das para brincadeiras na rua.
(C) Nem toda manifestação de carinho é feita de beijos e abraços. Há outras
maneiras de se demonstrar afeto.
(D) Nem todos os brinquedos feitos pelo avô ficaram perfeitos, o aquário não
dava para ver claramente os peixes, mas o neto não se incomodava.
7
QUESTÃO 07
Todas as palavras em destaque estão corretamente interpretadas entre parênte-
ses, EXCETO em:

(A) “Aos treze comecei a andar de skate e a rampa só não ficou pronta, pois foi
embargada por minha mãe [...]”. (contida)
(B) “Bem pequeno aprendi a enumerar a caudalosa linhagem de Mários da
minha família [...]”. (farta)
(C) “Sobre o carpete agreste de paralelepípedos travávamos peladas épicas
que só não entravam pela madrugada [...]”. (selvagem)
(D) “Trens de muitas toneladas cruzando o país abarrotados de minério de
ferro, soja, cimento e carvão [...]”. (cheios)

QUESTÃO 08

Há linguagem figurada em:

(A) “[...] até hoje não a perdoo por, na calada da noite, de forma antidemocráti-
ca, ter salvo a minha vida, ou, pelo menos, alguns ossos.”
(B) “A trave ficava no fundo da nossa garagem e era leve o suficiente para ser
carregada por dois meninos até o meio da rua”.
(C) “Bem, delicadeza não era o forte daquele engenheiro nascido antes do
crash de 1929 [...]”.
(D) “Ficava ali, batendo faltas contra um gol vazio, me achando o Rivelino: no
ângulo, no cantinho, rasteira, de bico, de peito, de trivela”.
8
QUESTÃO 09

Há traços de oralidade em:

(A) “Eu tinha oito anos e uma trave de gol, toda minha: duvido que a vida me
permita experimentar, novamente, tal plenitude”.
(B) “Mas quem se importa em ver peixinhos dourados quando se pode contar
pros amigos, ao passar pela sala, como quem não quer nada [...]”.
(C) “Ontem, quando a minha lista de "Mários" ficou ligeiramente (imensamente)
menor, pensei na sorte que tive”.
(D) “Queria poder ter retribuído à altura, mas infelizmente não soube, tão bem
quanto ele, usar minhas ferramentas”.

QUESTÃO 10

O tempo dos verbos destacados está corretamente identificado entre parênteses,


EXCETO em:

(A) “A trave ficava no fundo da nossa garagem e era leve o suficiente para ser
carregada por dois meninos até o meio da rua [...]”. (pretérito imperfeito do
indicativo)
(B) “Depois fomos a um serralheiro e, sem que eu entendesse por que, com-
pramos metros de cantoneiras de alumínio”. (pretérito imperfeito do subjunti-
vo)
(C) “Mas quem se importa em ver peixinhos dourados quando se pode contar
pros amigos [...]”. (presente do indicativo)
(D) “O Mário de quem eu mais gostava, depois do meu pai, era o meu avô”.
(pretérito perfeito do indicativo)
9
QUESTÃO 11

As palavras destacadas são substantivos, EXCETO em:

(A) “[...] as cantoneiras foram usadas para reforçar todas as juntas [...]”.
(B) “Ficava ali, batendo faltas contra um gol vazio [...]”.
(C) “Mais tarde, lá pelos onze, entrei numas de aquário [...]”.
(D) “Meu avô era um sujeito duro [...]”.

QUESTÃO 12

Há ERRO na grafia da palavra em:

(A) ansioso
(B) quiser
(C) revelação
(D) surpreza

INSTRUÇÃO: Leia a tirinha para responder à questão 13:


10
QUESTÃO 13

Armandinho faz uso do porquê para tentar ensinar como usá-lo.


A partir disso, complete as lacunas usando os porquês adequados:

Não sei ____________ ele não veio mais cedo. Talvez um dos ____________
seja o congestionamento na saída do show. Voltamos mais rápido __________
estávamos com saudades.

A alternativa que completa corretamente as lacunas é:

(A) por quê – por que – por quê


(B) por que – porquês – porque
(C) porquê – por quês – porquê
(D) porque – porques – por que

INSTRUÇÃO: Leia o texto a seguir para responder às questões 14 a 18.

O incrível poder da gentileza

Iana Faini

Atitudes cotidianas de carinho, respeito e atenção fazem muita diferença.


As pessoas gentis são admiradas por todos. Imagine como a vida seria mais fácil
se os pequenos transtornos cotidianos fossem contornados com gentileza? Mas
a gentileza não só nos aproxima dos outros, como nos ajuda a sermos mais feli-
zes e saudáveis.
A gentileza é tão poderosa que algumas teorias até a relacionam com o
desenvolvimento das sociedades: “Os altruístas cooperam e contribuem para o
bem-estar dos outros integrantes da comunidade”, diz o professor Sam Bowles
do Instituto Santa Fé nos Estados Unidos. Assim, a disposição para ajudar o
próximo teria contribuído até mesmo com o desenvolvimento da humanidade.
11
Além disso, outras pesquisas apontam que as pequenas atitudes aumen-
tam os níveis de satisfação pessoais, ou seja, a felicidade de forma geral. Não
fazendo muita diferença se o bom ato é dedicado a uma pessoa próxima ou a um
desconhecido.
Outros estudos constataram que as pessoas que ajudam regularmente
os outros têm menos probabilidade de desenvolver doenças crônicas e seu sis-
tema imunológico tende a ser mais resistente: “Existe uma relação direta entre
bem-estar, felicidade e saúde nas pessoas gentis”, diz o professor e autor
Stephen Post. A gentileza nos faz reagir com mais empatia aos erros dos outros
e, assim, lidarmos com os contratempos com mais calma e tolerância, diminuindo
os níveis de estresse. Assim, a paz interior causada pela solidariedade leva a
mais saúde.
Ser gentil é reconhecer no desconhecido um outro semelhante a si mes-
mo, que talvez também esteja enfrentando suas próprias lutas particulares e
precise de ajuda. Quem nunca passou pela situação de estar enfrentando um dia
ruim e se sentiu mais animado depois de um elogio gentil inesperado, por exem-
plo?
A gentileza é, portanto, apenas uma questão de opção: é uma atitude
que adotamos e que pode fazer pequena mudança positiva na vida dos outros e
ser também uma grande diferença na nossa.

Disponível em: http://blog.selecoes.com.br/o-incrivel-poder-da-gentileza/ Acesso em: 13 jul. 2017.

QUESTÃO 14

O assunto do texto é:

(A) a gentileza e a mudança na vida das pessoas.


(B) a importância da gentileza para o nosso bem-estar.
(C) os estudos feitos com pessoas que têm menos possibilidade de adoecer.
(D) os estudos que provam a importância da gentileza.
12
QUESTÃO 15

Todas as informações abaixo podem ser confirmadas no texto, EXCETO:

(A) Não importa com quem se pratica o ato bom, as pequenas atitudes nos tor-
nam mais felizes e nos dão mais satisfação.
(B) Não importam os erros dos outros, a gentileza nos faz lidar com estes com
mais calma e tolerância.
(C) Quando temos atitudes gentis, podemos provocar mudanças positivas na
vida dos outros.
(D) Quem ajuda os outros frequentemente não desenvolve doenças crônicas e
tem o sistema imunológico mais resistente.

QUESTÃO 16

De acordo com o professor Sam Bowles, do Instituto Santa Fé, nos Estados Uni-
dos,

(A) a disposição para ajudar o próximo teria contribuído até mesmo com o de-
senvolvimento da humanidade.
(B) a gentileza é tão poderosa que até colaborou com o desenvolvimento das
sociedades.
(C) as pequenas atitudes de gentileza aumentam os níveis de satisfação pesso-
al.
(D) as pessoas solidárias, que buscam ajudar o próximo, contribuem para o
bem-estar da humanidade.

QUESTÃO 17

Em: “Imagine como a vida seria mais fácil se os pequenos transtornos cotidia-
nos fossem contornados com gentileza?”, o MELHOR sinônimo para a palavra
destacada é

(A) alterações.
(B) contratempos.
(C) distúrbios.
(D) prejuízos.
13
QUESTÃO 18

As palavras destacadas são adjetivos, EXCETO em:

(A) Não fazendo muita diferença se o bom ato é dedicado a uma pessoa próxi-
ma ou a um desconhecido.
(B) Atitudes cotidianas de carinho, respeito e atenção fazem muita diferença.
(C) Assim, a paz interior causada pela solidariedade leva a mais saúde.
(D) As pessoas gentis são admiradas por todos.

QUESTÃO 19

A divisão silábica está correta, EXCETO em:

(A) Solidariedade – so-li-da-rie-da-de


(B) Relacionam – re-la-ci-o-nam
(C) Estresse – es-tres-se
(D) Altruístas – al-tru-ís-tas

QUESTÃO 20

Os antônimos das palavras destacadas estão corretamente identificados entre


parênteses, EXCETO em:

(A) “Outros estudos constataram que as pessoas que ajudam regularmente os


outros têm menos probabilidade de desenvolver doenças crônicas [...]”.
(possibilidade)
(B) “Os altruístas cooperam e contribuem para o bem estar dos outros integran-
tes da comunidade”. (egoístas)
(C) “Não fazendo muita diferença se o bom ato é dedicado a uma pessoa pró-
xima ou a um desconhecido”. (distante)
(D) “A gentileza é, portanto, apenas uma questão de opção: é uma atitude que
adotamos [...]”. (abandonamos)
14
QUESTÃO 21

A acentuação das palavras está CORRETA em:

(A) ágil – orfão


(B) através – jibóia
(C) júri – juíz
(D) raiz – juízo

QUESTÃO 22

O verbo foi empregado no modo imperativo em:

(A) “A gentileza nos faz reagir com mais empatia [...]”.


(B) “Existe uma relação direta entre bem-estar, felicidade e saúde [...]”.
(C) “Imagine como a vida seria mais fácil [...]”.
(D) “Não fazendo muita diferença se o bom ato [...]”.

QUESTÃO 23

O termo destacado exerce a função de sujeito, EXCETO em:

(A) “[...] o bom ato é dedicado a uma pessoa próxima ou a um desconhecido”.


(B) “Os altruístas cooperam e contribuem para o bem-estar dos outros inte-
grantes da comunidade [...]”.
(C) “Quem nunca passou pela situação de estar enfrentando um dia ruim [...]”.
(D) A gentileza nos faz reagir com mais empatia aos erros dos outros [...]”.
15
QUESTÃO 24

Em: “A gentileza é, portanto, apenas uma questão de opção [...]”, as palavras


destacadas, no plural, flexionam-se da mesma maneira: questões e opções.
A palavra que, no plural, se flexiona da mesma maneira é:

(A) legião
(B) cidadão
(C) capitão
(D) bênção

QUESTÃO 25

Em: “[...] outros têm menos probabilidade de desenvolver doenças crônicas [...]”,
o verbo ter está acentuado, pois está na 3ª pessoa do plural. O verbo que tam-
bém segue a mesma regra é

(A) Ver
(B) Vir
(C) Ler
(D) Dar
16

PROVA DE MATEMÁTICA

QUESTÃO 26

Segundo o IBGE, as capitais brasileiras apresentam diferentes níveis de polui-


ção. Observe os conjuntos indicados para resolver as questões.

Conjunto Universo = Todas as capitais brasileiras


Conjunto A = Capitais brasileiras mais poluídas.
Conjunto B = Capitais Brasileiras menos poluídas.

U = Conjunto Universo

A ● Rio de Janeiro

● São Paulo
B
● Curitiba
● Natal
● Belo Horizonte

Qual a capital brasileira que apresenta menor nível de poluição?

(A) Belo Horizonte


(B) Curitiba
(C) Natal
(D) Rio de Janeiro
17
QUESTÃO 27

Ainda segundo o IBGE, a maior parte dos municípios de Minas Gerais não possui
o Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).

A Cidades mineiras com o PMSB pronto ou sendo implementado =


{Uberlândia, Juiz de Fora, Belo Horizonte, Betim, Contagem}
B Cidades mineiras sem PMSB =
{Ubá, Montes Claros, Ribeirão das Neves, Governador Valadares e ou-
tras}

Identifique a resposta CORRETA para a relação indicada.

AUB

(A) Cidades mineiras com e sem PMSB.


(B) Cidades mineiras com PMSB
(C) Cidades mineiras sem PMSB.
(D) Cidades não mineiras.

QUESTÃO 28

No Brasil, existe uma grande concentração de habitantes nas regiões metropoli-


tanas das capitais estaduais. Numa escala nacional, Belo Horizonte ocupa o
sexto lugar com dois milhões, quinhentos e treze mil, quatrocentos e cinquenta e
um habitantes. Como se escreve este número em algarismos?

(A) 2.153.541 habitantes.


(B) 2.315.451 habitantes.
(C) 2.513.451 habitantes.
(D) 25.134.501 habitantes.
18
QUESTÃO 29

A capital mais populosa do Brasil é São Paulo, com 12.038.170 habitantes.


Como se escreve este número em palavras?

(A) Dois milhões, cento e trinta e oito mil e cento e setenta habitantes.
(B) Doze mil, trezentos e oitenta milhões e cento e setenta habitantes.
(C) Doze milhões, trinta e oito mil, cento e setenta habitantes.
(D) Vinte e um, trezentos e oitenta mil, cento e setenta habitantes.

QUESTÃO 30

Qual a diferença entre a população de São Paulo, 12.038.170, e de Belo Hori-


zonte, 2.513.451 habitantes?

(A) 2.475.281 habitantes.


(B) 9.524.719 habitantes.
(C) 10.475.281 habitantes.
(D) 14.551.621 habitantes.

QUESTÃO 31

Em uma rua do município de “Sempre Viva” existem dez casas. Cinco casas em
cada lado. A primeira casa do lado direito tem o número 34.
Qual será o número da última casa do lado esquerdo se, de um lado, os núme-
ros são pares e, do outro, ímpares.

(A) 36
(B) 41
(C) 42
(D) 43
19
QUESTÃO 32

Neste município de “Sempre Viva”, existe uma fábrica de sapatos que produziu
duzentos e cinquenta pares por semana, durante um mês, para atender a uma
encomenda recebida. Estes sapatos foram despachados em oito malotes.
Quantos pares de sapatos foram colocados em cada malote?

(A) 125 pares de sapatos.


(B) 200 pares de sapatos.
(C) 250 pares de sapatos.
(D) 400 pares de sapatos.

QUESTÃO 33

Em dois setores do estacionamento do Estádio de Futebol foram guardados car-


ros da seguinte forma:

a. No Setor Amarelo, havia 12 linhas com 13 carros em cada uma;


b. No Setor Vermelho, havia 13 linhas com 15 carros em cada uma.

Quantos carros foram guardados neste estacionamento?

(A) 195 carros.


(B) 245 carros.
(C) 351 carros.
(D) 435 carros.
20
QUESTÃO 34

Numa loja de tecidos, há duas peças de seda, uma com 20 m e a outra com
12 m. O dono da loja quer dividir as duas peças em cortes do mesmo tamanho,
de modo a não sobrar tecido.
Quantos metros deve ter cada corte e quantos cortes ele obterá ao todo?

(A) Cada corte deve ter 5 metros. O total de cortes será 6.


(B) Cada corte deve ter 4 metros. O total de cortes será 8.
(C) Cada corte deve ter 3 metros. O total de cortes será 11.
(D) Cada corte deve ter 2 metros. O total de cortes será 16.

QUESTÃO 35

Numa serraria do município de “Sempre Viva”, estão sendo cortadas as toras


para um serviço da prefeitura. Existem 4 grandes árvores com as seguintes me-
didas: 6 metros, 12 metros, 9 metros e 15 metros.
Qual deve ser o tamanho de cada parte e quantas partes poderão ser cortadas
ao todo?

(A) Cada parte terá o tamanho de 2 metros. Serão cortadas 12 partes.


(B) Cada parte terá o tamanho de 3 metros. Serão cortadas 14 partes.
(C) Cada parte terá o tamanho de 4 metros. Serão cortadas 11 partes.
(D) Cada parte terá o tamanho de 5 metros. Serão cortadas 8 partes.
21
QUESTÃO 36

Nas cidades históricas de Minas Gerais, existem muitas igrejas. Na Semana San-
ta, escutam-se os sinos de três igrejas: um a cada 15 minutos. Outro, a cada
meia hora, e o terceiro, a cada hora. Se os 3 sinos tocaram juntos agora, daqui a
quanto tempo eles voltarão a tocar juntos?

(A) Daqui a 30 minutos.


(B) Daqui a 45 minutos.
(C) Daqui a 75 minutos.
(D) Daqui a uma hora.

QUESTÃO 37

A prefeitura da cidade de Itabela vai construir uma quadra em uma escola para
aulas de Educação Física. Para isto, um professor mediu o comprimento da qua-
dra e encontrou 18 passos e 2 pés. O tamanho do pé do professor é de 32 cm e
o passo é de 65 cm. Qual o comprimento da quadra?

(A) 10 metros 50 centímetros.


(B) 12 metros e 34 centímetros.
(C) 15 metros e 64centímetros.
(D) 16 metros.
22
QUESTÃO 38

No município de “Vale Sereno”, existem 15 ruas. São 7 ruas asfaltadas, 5 ruas


calçadas com pedras e 3 ruas na terra. No município de “Itabela”, existe o mes-
mo número de ruas, mas que apresentam uma situação diferente, pois o número
de ruas asfaltadas corresponde ao de ruas na terra. Quais as frações que re-
presentam as ruas asfaltadas em “Itabela” e em “Vale Sereno”?

(A) Em “Vale Sereno”, 7/15. Em “Itabela”, 3/15 ou 1/5.


(B) Em “Vale Sereno”, 3/15 ou 1/5. Em “Itabela”, também.
(C) Em “Vale Sereno”, 5/15 ou 1/3. Em “Itabela”, 7/15.
(D) Em “Vale Sereno”, 2/15. Em “Itabela”, 7/15.

QUESTÃO 39

Em Minas Gerais, são realizadas várias festas populares de acordo com as pro-
duções de cada município. Em Patos de Minas, na festa do milho, em maio, Do-
na Vicentina, famosa quituteira local, preparou 600 pamonhas para vender. Ela
gasta 6 espigas para fazer 4 pamonhas.
Quantas espigas ela usou para a festa?

(A) 400 espigas de milho.


(B) 900 espigas de milho.
(C) 1.000 espigas de milho.
(D) 1.200 espigas de milho.
23
QUESTÃO 40

Se 600 pamonhas correspondem a 2 décimos do total consumido durante a fes-


ta, quantas pamonhas foram consumidas?

(A) 2.400 unidades.


(B) 3.000 unidades.
(C) 3.600 unidades.
(D) 3.900 unidades.

QUESTÃO 41

Para ir à festa, o pai de Liliane passou no posto e comprou 38 litros de gasolina a


R$ 3,75 para encher o tanque. Ele pagou com R$ 200,00.
Recebeu troco? Quanto?

(A) Não recebeu troco. Faltaram R$ 50,00.


(B) Sim, recebeu R$ 12,50 de troco.
(C) Sim, recebeu R$ 35,70 de troco.
(D) Sim, recebeu R$ 57,50 de troco.
24
QUESTÃO 42

Uma saca de milho custa R$ 26,30. Um agricultor vendeu 2.500 sacas e vai
comprar um trator por R$ 140.000,00 dando o valor das sacas de milho como
entrada. O restante será pago em 10 prestações.
De quanto será cada prestação?

(A) R$ 5.225,00.
(B) R$ 6.125,00.
(C) R$ 7.250,00.
(D) R$ 7.425,00.

QUESTÃO 43

Durante a festa, em um circo que estava na cidade, 3 elefantes já tomaram ba-


nho e foram gastos 30 litros de água. Isto equivale a um terço dos animais do
circo. Quantos elefantes tem esse circo e quantos litros de água gastam durante
o banho?

(A) O circo tem 9 elefantes e são gastos 90 litros de água em cada banho.
(B) O circo tem 6 elefantes e são gastos 60 litros de água em cada banho.
(C) O circo tem 12 elefantes e são gastos 45 L de água em cada banho.
(D) O circo tem 10 elefantes e são gastos 50 L de água em cada banho.
25
QUESTÃO 44

Participando de um concurso, Pedro, José, Antônio e Renata conseguiram boas


notas na prova de matemática. Pedro tirou 7,5; José tirou 8,9; Renata tirou 9,2 e
Antônio tirou 7,8. Coloque esses candidatos em ordem crescente de lugar,
considerando a nota de matemática.

(A) Antônio, Pedro, José e Renata.


(B) José, Renata, Pedro e Antônio.
(C) Pedro, Antônio, José e Renata.
(D) Renata, José, Antônio e Pedro.

QUESTÃO 45

De acordo com o censo de 2010, aproximadamente dois quintos das moradias


da periferia de uma grande capital do Brasil estão em áreas de risco.
Esse número é maior ou menor que a metade das moradias?

(A) Dois quintos é a metade.


(B) Dois quintos é maior que a metade.
(C) Dois quintos é menor que a metade.
(D) Dois quintos é o mesmo que a metade mais um.

QUESTÃO 46

Uma piscina tem a capacidade de 18.000 litros e são usadas duas fontes para
enchê-la. Uma fonte derrama 28 litros por minuto e a outra, 34 litros. Quantos
litros ainda faltam para encher a piscina, se as duas fontes estão ligadas há 3
horas?

(A) 3.840 litros.


(B) 5.684 litros.
(C) 6.840 litros.
(D) 8.640 litros.
26
QUESTÃO 47

Uma empresa tem 20 empregados. Hoje, compareceram ao trabalho três quartos


pela manhã e ontem, dois quintos. Quantos empregados compareceram em cada
dia?

(A) Hoje, 15 empregados. Ontem, 8 empregados.


(B) Hoje, 16 empregados. Ontem, 12 empregados.
(C) Hoje, 18 empregados. Ontem,10 empregados.
(D) Hoje, 5 empregados. Ontem, 4 empregados.

QUESTÃO 48

Quais as idades de André e de Gabriel, sabendo-se que Gabriel tem o dobro da


idade de André e este tem o triplo da idade de Letícia, que tem 8 anos?

(A) André tem 32 anos e Gabriel, 54.


(B) André tem 24 anos e Gabriel, 48.
(C) André tem 18 anos e Gabriel, 27.
(D) André tem 16 anos e Gabriel, 36.
27
QUESTÃO 49

Uma peça de pano encolheu 2/15 de seu comprimento, depois de molhada, fi-
cando com 39 metros. Quantos metros tinha a peça antes de encolher?

(A) A peça tinha 65 metros de comprimento.


(B) A peça tinha 60 metros de comprimento.
(C) A peça tinha 75 metros de comprimento.
(D) A peça tinha 35 metros de comprimento.

QUESTÃO 50

Pensei em um número. Adicionei 7, multipliquei o resultado por 3 e, finalmente,


subtraí 38. Obtive 58 como resultado. Em que número pensei?

(A) 67
(B) 17
(C) 14
(D) 25
28
29
30
31

CONCURSO PÚBLICO
COPANOR

COPASA
Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais
S/A
EDITAL 004/2017

PARA VOCÊ DESTACAR E CONFERIR O SEU GABARITO.

01 11 21 31 41

02 12 22 32 42

03 13 23 33 43

04 14 24 34 44

05 15 25 35 45

06 16 26 36 46

07 17 27 37 47

08 18 28 38 48

09 19 29 39 49

10 20 30 40 50
32

Interesses relacionados