Você está na página 1de 45

EBOOK

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE

BLOCO K DO SPED FISCAL


ÍNDICE

Atualizado em Fevereiro/2018
01
ENTENDENDO
O PROJETO
SPED
IRPJ
• LALUR
LIVROS CONTÁBEIS CSLL
• Diário • Apuração de CSLL
• Razão

OUTROS ICMS
• DIF - Papel Imune • Apuração ICMS
• DIPJ • GIA
• DIRF
• DCPMF

LIVROS FISCAIS IPI

• Entradas • Apuração do IPI


• Saídas PIS/COFINS • DIPJ
• Inventário • DNF
• Damon • DIF - Cigarros
• DIF - Bebidas
• DCP
• Saldos de controle
O QUE É SPED?
SPED é a sigla para Sistema Público de Escrituração
Digital e consiste na modernização do cumprimento
das obrigações transmitidas pelos contribuintes as
administrações tributárias e aos órgãos fiscalizadores.

O SPED é composto por cinco grandes subprojetos:

NF-e – nota fiscal eletrônica;


CT-e – conhecimento de transporte eletrônico;
EFD – escrituração fiscal digital;
ECD – escrituração contábil digital;
NFS-e – nota fiscal de serviços eletrônica.
O QUE É A EFD?
É a Escrituração Fiscal Digital, uma das obrigações do
projeto do SPED que é composta por um conjunto de
blocos de informações, um deles é o BLOCO K.

A escrituração fiscal do ICMS, IPI, Pis e Cofins


sempre foi obrigatória, mas a partir do projeto
SPED a Receita Federal passou a exigir que a
sua entrega seja feita de forma eletrônica
através de arquivos XML.
BLOCOS QUE Os arquivos EFD seguem um layout

COMPÕE O definido pela Receita Federal e são


agrupados em blocos de informações com

ARQUIVO diferentes datas de obrigatoriedade,


conforme segue:

EFD
Bloco C – documentos fiscais I – mercadorias (ICMS/IPI),
obrigatório desde janeiro de 2012;
Bloco D – documentos fiscais II – serviços (ICMS), obrigatório
desde janeiro de 2012;
Bloco E – apuração do ICMS e do IPI, obrigatório desde janeiro
de 2012;
Bloco G – controle de crédito de ICMS do ativo permanente
(CIAP), obrigatório desde janeiro de 2011;
Bloco H – inventário físico, obrigatório desde janeiro de 2012
em SP;
Bloco K – livro de registro de controle da produção e do
estoque, obrigatório a partir de janeiro de 2017 (veja detalhes
dos prazos de entrega);
Com que frequência a Receita
Federal exige a transmissão da
EFD?
A frequência de apresentação é mensal e o prazo de
entrega da EFD-ICMS/IPI é definido pelas Administrações
Tributárias Estaduais. No futuro, o processo continuará
sendo digital, mas a apresentação deverá ser em tempo
real.
02
O TAL DO
BLOCO K
ENTENDA DE UMA POR VEZ POR TODAS O QUE É O BLOCO K
O BLOCO K É O LIVRO DE
REGISTRO DE CONTROLE DE
PRODUÇÃO E ESTOQUE, EM
VERSÃO DIGITAL
As indústrias já eram obrigadas a entregar estas
informações, porém agora esta entrega será de forma
eletrônica através de um arquivo XML.
Como ja falamos, este arquivo é organizado em vários
blocos e um destes bloco é o Bloco K onde entram as
informações de controles de produção e estoque.
Quem será obrigado a enviar
o Bloco K do EFD do SPED?
Indústrias ou empresas equiparadas à indústrias e
atacadistas. No início da obrigatoriedade todas as
empresas optantes pelo Simples Nacional ou do MEI não
serão obrigadas.

Mais a frente vamos falar com mas detalhes dos prazos


em que a obrigatoriedade começa a valer para cada
empresa.
Qual é o objetivo desse
projeto?
A Receita Federal quer acabar com a sonegação, e as
indústrias que têm intenção de burlar o fisco fazem isso
através dos controles de produção e estoques.
Porém este projeto afeta também as indústrias idôneas
mas que não possuem um controle preciso de produção e
estoques.
Todas as variações de consumo e diferenças de
inventários irão atrair fiscalizações que podem gerar
multas e outras sanções.
Qual é o prazo para entrega
do Bloco K?
Prazos para Indústrias de Bebidas e Produtos do Fumo
Ficam obrigados à escrituração do Livro de Registro de Controle da Produção e do Estoque integrante da
Escrituração Fiscal Digital – EFD ICMS-IPI, referente aos fatos ocorridos a partir de 1º de dezembro de
2016:
I. Os estabelecimentos industriais fabricantes de bebidas (Divisão CNAE 11), excetuando-se aqueles que
fabricam exclusivamente águas envasadas (Classe CNAE 1121-6); e
II. Os estabelecimentos industriais fabricantes de produtos do fumo (Grupo CNAE 122).
Ficam dispensadas da escrituração referida as microempresas e empresas de pequeno porte classificadas
de acordo com o art. 3º da. Lei complementar 123/2006.
Informações de Saldo de Estoques de 2016 a 2018: Para fins de cumprimento da obrigação relativa à
escrituração do Livro Registro de Controle da Produção e do Estoque (Bloco K), pelos estabelecimentos
industriais fabricantes de bebidas e dos fabricantes de produtos do fumo, serão observados os seguintes
critérios:
I. Para fatos ocorridos entre 1º de dezembro de 2016 e 31 de dezembro de 2018, a escrituração do Bloco
K da EFD fica restrita à informação dos saldos de estoques escriturados nos Registros K200 e K280; e
II. Para fatos ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2019, a escrituração do Bloco K da EFD deverá ser
completa.
A obrigação de informar os estoques independe de faixa de faturamento do contribuinte.
Qual é o prazo para entrega
do Bloco K?
Escalonamento dos prazos para demais indústrias
Publicado no DOU de 15/12/2016 , o Ajuste Sinief nº 25/2016 altera o Ajuste Sinief 02/2009, e escalonou os prazos
de obrigatoriedade do registro de controle da produção e do estoque (Bloco K):
I. para os estabelecimentos industriais pertencentes a empresa com faturamento anual igual ou superior a R$
300.000.000,00:
a. 1º de janeiro de 2017, restrita à informação dos saldos de estoques escriturados nos Registros K200 e K280,
para os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da Classificação Nacional de
Atividades Econômicas (CNAE);
b. 1º de janeiro de 2019, correspondente à escrituração completa do Bloco K, para os estabelecimentos
industriais classificados nas divisões 11, 12 e nos grupos 291, 292 e 293 da CNAE;
c. 1º de janeiro de 2020, correspondente à escrituração completa do Bloco K, para os estabelecimentos
industriais classificados nas divisões 27 e 30 da CNAE;
d. 1º de janeiro de 2021, correspondente à escrituração completa do Bloco K, para os estabelecimentos
industriais classificados na divisão 23 e nos grupos 294 e 295 da CNAE;
e. 1º de janeiro de 2022, correspondente à escrituração completa do Bloco K, para os estabelecimentos
industriais classificados nas divisões 10, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 24, 25, 26, 28, 31 e 32 da
CNAE.
II. 1º de janeiro de 2018, restrita à informação dos saldos de estoques escriturados nos Registros K200 e K280, para
os estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32 da CNAE pertencentes a empresa com
faturamento anual igual ou superior a R$ 78.000.000,00, com escrituração completa conforme escalonamento a
ser definido;
III. 1º de janeiro de 2019, restrita à informação dos saldos de estoques escriturados nos Registros K200 e K280,
para os demais estabelecimentos industriais classificados nas divisões 10 a 32; os estabelecimentos atacadistas
classificados nos grupos 462 a 469 da CNAE e os estabelecimentos equiparados a industrial, com escrituração
completa conforme escalonamento a ser definido.
O que acontece se a minha empresa não transmitir o
Bloco K, ou transmitir com erros?

Sua empresa poderá ser multada ou ter suspensos os


serviços disponibilizados pela Receita Federal, como por
exemplo, a emissão de notas fiscais eletrônicas.
INDÚSTRIA
CONTADOR
03
CADASTROS E
PROCESSOS PARA
ATENDER O BLOCO
K
Os blocos do Bloco K

0200 - Tabela De Identificação Dos Itens


0210 - Consumo Específico Padronizado
K200 - Estoque Escriturado
K210 - Desmontagem de Mercadoria - Item De Origem
K215 - Desmontagem de Mercadoria - Item De Destino
K220 - Outras Movimentações Internas
K230 - Itens Produzidos
K235 - Insumos Consumidos Novos Blocos a partir de 2019
K250 - Industrialização Efetuada Por Terceiros (Itens Produzidos) K290 - Produção Conjunta - Ordem de Produção
K255 - Industrialização Em Terceiros ( Insumos Consumidos) K291 - Produção Conjunta - Itens Produzidos
K292 - Produção Conjunta - Itens Consumidos
K260 - Reprocessamento/Reparo de Produto/Insumo K300 - Produção Conjunta – Industrialização Efetuada
K265 - Reprocessamento/Reparo - Mercadorias Consumidas e/ou Retornadas Por Terceiros
K270 - Correção de Apontamento dos Registros K210. K220, K230, K250 e K260 K301 - Produção Conjunta – Industrialização Efetuada
Por Terceiros – Itens
K275 - Correção de Apontamento e Retorno de Insumo dos Registros K215, K220,
Produzidos
K235, K235, K255, K265 K302 - Produção Conjunta – Industrialização Efetuada
K280 - Correção de Apontamento - Estoque Escriturado Por Terceiros – Insumos
Consumidos
Os processos industriais
correspondentes a cada bloco

Cadastro Cadastro
Gera Ordem de Alimenta Atualiza
Produtos E Estrutura Dos
Produção Produção Estoque
Componentes Produtos
(K235) (K200)
(0200) (0210)

Envia Material Apontamento


Operação Produção E Desmontagem
Externa Refugo (K210.K215)
(K250, K255) (K230.K235)

Fornecedor
(Estoque Em Retrabalho
Terceiro) (K260.K265)
Áreas envolvidas nos
processos
FATURAMENTO
ENGENHARIA RECEBIMENTO PCP QUALIDADE

ENVOLVIDAS
ÁREAS
FISCAL

0200 K200 K230


K210 / K215
Identificação Estoque Itens
do produto Escriturado produzidos Desmontagem
de Mercadoria

0210 K235 K260 / K265


K250/ K255
Consumo Insumos Retrabalho
específico Ind. Terceiros conduzidos
REGISTROS

padronizado

K220 K260/265

Outras Retrabalhos
movimentações
internas

K220
Outras
movimentaçõe
s internas
cadastros e processos
operacionais
1. Cadastro de Produto
Registro 0200

O cadastro de produto é a espinha dorsal de qualquer controle de estoque, e no Bloco K não é diferente.
Todas as outras informações que serão enviadas no SPED dependerão do cadastro de produto, por isso
é preciso muita atenção nesta etapa.

Se você já utiliza um sistema, basta fazer uma revisão. Se estiver implantando agora deve prestar
atenção aos seguintes pontos:

• Cada item cadastrado deve estar dentro de uma das 12 classificações de tipo de material, de acordo
com a tabela padrão da SEFAZ;
• Cadastros duplicados, ou seja, mesmo produto com códigos diferentes, podem gerar conflitos no
sistema e falhas no controle de estoque.
2. Cadastro de Estrutura de Produto
Registro 0210

O consumo específico e padronizado nada mais é do que a lista de materiais padrão de todos os
produtos acabados e semiacabados da empresa, ou seja, a estrutura dos produtos (Bill of Material).

Neste cadastro além de informar quais materiais você utiliza para produzir determinado item, é preciso
dizer também quanto utiliza de cada material, e qual o percentual médio de perda. Este cadastro precisa
ser o mais próximo possível da realidade, já que as perdas padrões do processo também precisarão ser
informada, portanto uma grande discrepância pode ser caracterizada como sonegação.
3. Controle de Estoque
Registro K200

O controle de estoque é algo que toda empresa deve ter, mas ter um controle de estoque apurado ainda
é uma grande desafio para muitas indústrias.

Este registro do Bloco K exige que seja apresentado o saldo em estoque no final do período de
apuração, que equivale ao último dia do mês. Este estoque deve ser por produto, mas separando:

• os itens que são de propriedade da empresa em seu poder (Estoque Próprio)


• os itens de propriedade da empresa que estão em poder de terceiros (Estoque em Terceiro)
• os itens de propriedade de terceiros que estão em poder da sua empresa (Estoque de Terceiro)
Mas para garantir que o controle de
estoque esteja correto, todos os
processos que envolvem
movimentações de material precisam
ser muito bem controlados, isso quer
dizer, esqueça os ajustes de estoque
manuais.
4. Controle das Entradas
e Saídas de Material

Depois dos cadastros corretos, os procedimentos de recebimento e expedição de material são os mais
importantes, já que é através deles que serão atualizados os saldos de estoque, que serão informados
no registro K200 de saldos de estoque.

Por isso é fundamental ter um procedimento bem claro de recebimento das notas fiscais de entrada,
que é onde normalmente acontecem muitos erros de conversão de unidade de medida que impactam
no controle de estoque. Assim como, um bom controle das saídas de material, vinculando a emissão de
nota fiscal com todo o controle de estoque da empresa.
5. Desmontagem de Mercadoria
Registro K210 e K215

Nestes bloco deverão ser informados os registros de desmontagem dos produtos tipo: 00 – Mercadoria
para revenda; 01 – Matéria-Prima; 02 – Embalagem; 03 – Produtos em Processo; 04 – Produto
Acabado; 05 – Subproduto 10 – Outros Insumos.

A desmontagem se caracteriza pela produção de um conjunto com alguns componentes que precisa
ser desmontado quando a área de qualidade identifica algum defeito ou não conformidade. Os
componentes deste conjunto desmontado podem voltar para o estoque para serem reaproveitados, e
esta movimentação deve ser registrada e informada neste bloco.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Código de identificação da ordem de serviço de desmontagem;


● Data de início e fim da ordem de serviço;
● Código do item de origem
● Quantidade do item
6. Controle das Movimentações Internas
Registro K220

Neste bloco deverão ser informadas as movimentações internas entre mercadorias que não se
enquadram nos outros registros de produção:
● movimentações de produção efetuada pela empresa (K230),
● movimentações de consumo de material na produção efetuada pela empresa (K235),
● movimentações de produção efetuada por terceiros (K250),
● movimentações de consumo de material na produção efetuada por terceiros (K255).

Exemplo de outras movimentações internas:


Reclassificação de um produto em outro código em função do cliente a que se destina: o contribuinte
aponta a quantidade produzida de determinado produto, por exemplo, código 1. Este produto, quando
destinado a determinado cliente recebe uma outra codificação, código 2. Neste caso há a
necessidade de controle do estoque por cliente. Assim o contribuinte deverá fazer um registro K220
dando saída no estoque do produto 1 e entrada no estoque do produto 2.

Se o seu sistema de gestão já faz a conversão automática entre códigos internos e códigos de cliente,
você não precisa se preocupar em criar um controle para atender este bloco.
7. Controle das Ordens de Produção e Apontamentos de Produção
Registro K230 - Itens Produzidos

Neste bloco deverão ser informados os registros de toda produção acabada de produto em processo e
produto acabado e produto industrializado para terceiro por encomenda. Exceto produção conjunta.
● Ordens de Produção iniciadas e concluídas no período de apuração (K100);
● Ordens de Produção iniciadas e não concluídas no período de apuração (OP em que a produção ficou
em elaboração), em que haja informação de produção e/ou consumo de insumos (K235);
● Ordens de Produção iniciadas em período anterior e concluídas no período de apuração;
● Ordens de Produção iniciadas em período anterior e não concluídas no período de apuração, em que
haja informação de produção e/ou consumo de insumos (K235).

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Código de identificação da Ordem de Produção


● Data de início e conclusão da OP
● Código do produto
● Quantidade de produção acabada
8. Controle das Requisições de Material
Registro K235 - Insumos Consumidos

Neste bloco deverão ser informados os registros de todos os insumos utilizado durante o processo
produtivo para a fabricação dos itens produzidos informados no registro K230. Na industrialização
efetuada para terceiro por encomenda, devem ser considerados os insumos recebidos do
encomendante e os insumos próprios do industrializador.

Este registro é obrigatório quando existir o registro pai K230 e:


● a informação da quantidade produzida (K230) for por período de apuração(K100); ou
● a ordem de produção (K230) se iniciar e concluir no período de apuração (K100); ou
● a ordem de produção (K230) se iniciar no período de apuração (K100) e não for concluída no mesmo
período.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Código de identificação do item consumido


● Data de saída do estoque
● Quantidade consumida do insumo
9. Controle das Remessas para Industrialização
Registro K250 - Industrialização efetuada por terceiros – itens produzidos

Neste bloco deverão ser informados os registros de toda a produção efetuada por terceiros no período,
incluindo a informação do produto final e quantidade produzida.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Data do reconhecimento da produção ocorrida no terceiro


● Código do item produzido
● Quantidade produzida
10. Controle das Remessas para Industrialização
Registro K255 - Industrialização efetuada por terceiros – insumos consumidos

Neste bloco deverão ser informados os registros de todos os insumos consumidos para a fabricação
dos itens produzidos informados no K250, incluindo a quantidade consumida de cada material.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Data do reconhecimento do consumo do insumo referente ao produto produzido


● Código do insumo
● Quantidade consumida do insumo
● Código do insumo que foi substituído, quando se aplica
11. Reprocessamento e Reparo de Produto
Registro K260

Neste bloco deverão ser informados os registros de todo retrabalho efetuado pela empresa no período,
onde o produto/insumo reprocessado/reparado permaneça com o mesmo código do produto/insumo a
ser reprocessado/reparado no próprio estabelecimento.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Código de identificação da ordem de retrabalho


● Código do item a ser retrabalhado
● Data de saída do estoque
● Quantidade de saída do estoque
● Data de retorno ao estoque
● Quantidade de retorno ao estoque
12. Reprocessamento e Reparo - Mercadoria Consumido ou Retornada
Registro K265

Neste bloco deverão ser informados os registros de todos os insumos/componentes utilizados nas
ordens de retrabalho informados no registro K260, ou o retorno de mercadoria ao estoque.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Código do item
● Quantidade consumida - saída de estoque
● Quantidade retornada - entrada em estoque
13. Correção de Apontamento
Registro K270. K275, K280

A correção de apontamento tem que ocorrer, obrigatoriamente, entre o levantamento de 02 inventários


(Campo 02 do Registro H005) , uma vez que, com a contagem do estoque, se terá conhecimento de
uma eventual necessidade de correção de apontamento.

As informações de produção que precisam ser controladas para atender este bloco são:

● Data inicial do período de apuração em que ocorreu o apontamento que está sendo corrigido
● Data final do período de apuração em que ocorreu o apontamento que está sendo corrigido
● Código de identificação da ordem de produção ou da ordem de serviço que está sendo corrigida
● Código da mercadoria que está sendo corrigido
● Quantidade de correção positiva de apontamento ocorrido em período de apuração anterior
● Quantidade de correção negativa de apontamento ocorrido em período de apuração anterior
● Origem:
1 - correção de apontamento de produção e/ou consumo relativo aos Registros K230/K235;
2 - correção de apontamento de produção e/ou consumo relativo aos Registros K250/K255;
3 - correção de apontamento de desmontagem e/ou consumo relativo aos Registros K210/K215;
4 - correção de apontamento de reprocessamento/reparo e/ou consumo relativo aos Registros K260/K265;
5 - correção de apontamento de movimentação interna relativo ao Registro K220.
6 – correção de apontamento de produção relativo ao Registro K291;
7 – correção de apontamento de consumo relativo ao Registro K292;
8 – correção de apontamento de produção relativo ao Registro K301;
9 – correção de apontamento de consumo relativo ao Registro K302
Novos bloco que entrarão em vigor em 2019
Registro K290, 291, 292, 300, 301, 302

Estes blocos deverão apresentar as mesmas informações dos bloco citados anterioremnte, porém
referentes ao registros de produção conjunta, que é a produção de mais de um produto resultante a
partir do consumo de um ou mais insumos em um mesmo processo.

K290: Os registros das ordem de produção conjunta


K291 - Os registros dos itens produzidos
K292 - Os registro dos itens consumidos na produção
K300 - Os registros de Industrialização efetuada por terceiros
K301 -Os registros de industrialização efetuada por terceiros – Itens Produzidos
K302 - Os registros dos insumos consumidos na industrialização efetuada por terceiros
COM A IMPLANTAÇÃO DO BLOCO K, o Fisco terá
controle total sobre a apuração do estoque da
minha empresa?
Sim, para o Fisco, com a implantação do Bloco K, a cada
mês, e para cada produto da sua empresa, a equação
abaixo deve ser validada:

Estoque final = (Estoque inicial) + (Entradas por


Documentos Fiscais) + (Produção Própria K230) +
(Produção em Terceiros K250) + (Movimentação interna
K220) – (Saídas por Documentos Fiscais) – (Consumo na
Produção Própria K235) – (Consumo na Produção em
Terceiros K255) – (Movimentação interna K220).
Todas as informações previstas na equação fazem
parte do SPED Fiscal ICMS/IPI. Portanto, se
fisicamente a sua empresa fizer qualquer
movimentação de estoque, e essa movimentação de
estoque não for escriturada no SPED Fiscal ICMS/IPI, o
estoque físico do seu produto não estará alinhado com
o estoque informado para o Fisco no SPED Fiscal
ICMS/IPI. Por essa razão, com a implantação do Bloco
K, será fundamental que todas as indústrias controlem
seus estoques com excelência.
04 E AGORA, O QUE A
MINHA INDÚSTRIA
DEVE FAZER?
Primeiramente, é necessário analisar e planejar
detalhadamente a adequação dos seus processos de gestão
da produção às exigências do fisco, seguindo os passos À
SEGUIR:
01 02 03

Estudar todos os requisitos Mapear cada detalhe dos Avaliar se o seu software
do Bloco K processos de atende à todas às exigências
industrialização, terceirização do fisco
e estocagem

04 05 06

Revisar e validar os Qualificar a equipe de Fazer testes para confirmar


processos de trabalho e as operação para que os se as informações coletadas
ferramentas escolhidas registros de informações no sistema correspondem à
(Sistema de Gestão ERP) sejam feitos corretamente realidade

07

Validar com seu consultor


Fiscal/Contábil se o arquivo
gerado está conforme
05
RESPONSABILIDADES
PELA GERAÇÃO E
ENTREGA DO BLOCO K
INDÚSTRIA x CONTADOR
QUEM É RESPONSÁVEL
PELA ENTREGA DO
BLOCO K?
Até hoje muita empresas ainda enviam para seus contadores
todo o mês as Nfe´s emitidas e recebidas para que ele gere os
arquivos SPED. Porém o Bloco K exige informações que são
geradas diretamente no chão de fábrica, isso faz com que a
empresa seja responsável por passar essas informações para a
contabilidade. O contador não conseguirá mais fazer tudo
sozinho.
SERÁ QUE A MINHA
INDÚSTRIA ESTÁ PREPARADA
PARA ENTREGAR O BLOCO K?
Levantamos algumas questões, sobre os principais processos
que precisam ser revisados e ajustados tanto nos
procedimentos de trabalho, quanto na parametrização de seu
sistema de gestão ERP, para que o Bloco K seja gerado
corretamente e preparamos uma diagnóstico.
Se você quiser saber se a sua indústria está preparada,
RESPONDA O QUESTIONÁRIO NESTE LINK e veja em que fase
você se encontra.
A QS é uma empresa de tecnologia
que tem por objetivo ajudar as
empresas a trabalhar melhor,
organizando, simplificando e
integrando seus processos de
negócio através de software de
gestão e consultoria especializada.
Ao longo destes 20 anos de
experiência, trabalhando em parceria
com nossos clientes, adquirimos
conhecimento que compartilhamos SIGA A QS NAS REDES SOCIAIS E FIQUE POR
através de materiais educativos DENTRO DAS NOVIDADES.

disponibilizados em forma de posts


no nosso blog, ebooks e Webinars.

WWW.QSCONSULTORIA.COM.BR