CRECHE E ORFANATO VINDE A MIM AS CRIANCINHAS DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO

Rua Otto Júlio Malina, 1306 - Bairro Ipiranga PATRIMÔNIO SOCIAL
CEP: 88111-500 - São José - SC AJUSTE DE SUPERÁVIT /
PATRIMÔNIO
CNPJ: 83.813.139/0001/81 EVENTOS AVALIAÇÃO DÉFICIT TOTAL
SOCIAL
Fone / Fax (48) 3357-9400 PATRIMONIAL ACUMULADOS
Saldo em 31 de dezembro de 2015 1.873.585,64 194.423,64 (24.958,08) 2.043.051,20
Email: cvm@floripa.com.br - Home Page: www.cvm.org.br
Patrimônio social (24.958,08) 24.958,08

Crédito de PIS de Exercícios anteriores
BALANÇO PATRIMONIAL EM cobrados indevidamente através do
31 DE DEZEMBRO DE 2017 certificado CNAS Nº 5017782-
58.2014.4.04.9388 97.158,17 97.158,17
ATIVO
Déficit do Exercício (32.430,30) (32.430,30)
31/12/2017 31/12/2016
Saldo em 31 de dezembro de 2016 1.945.785,73 194.423,64 (32.430,30) 2.107.779,07
Patrimônio social (32.430,30) 32.430,30
CIRCULANTE 1.390.346,73 873.510,16
Superavit do exercício 619.451,01 619.451,01

DISPONIBILIDADES 1.310.296,73 808.789,94 Ajuste de exercícios anteriores (8.369,17) (8.369,17)

DIREITOS Saldo em 31 de dezembro de 2017 1.904.986,26 194.423,64 619.451,01 2.718.860,91
78.514,08 62.155,16 Mutações do período (40.799,47) 651.881,31 611.081,84
REALIZÁVEIS
Adiantamentos a
78.514,08 61.619,34
funcionários
Outros créditos 0,00 535,82 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO
01/01/2017 A 01/01/2016 A 01/01/2017 A 01/01/2016 A
DESPESAS 31/12/2017 31/12/2016 31/12/2017 31/12/2016
1.535,92 2.565,06
ANTECIPADAS ATIVIDADES RECEITA
OPERACIONAIS
582.398,98 110.239,47
Seguros a apropriar 1.535,92 2.565,06 OPERACIONAL 3.168.998,18 2.342.986,77
BRUTA
Superávit(Déficit) do 619.451,01 (32.430,30)
NÃO CIRCULANTE 1.562.000,30 1.574.615,41 exercício Doações Recebidas 836.929,20 572.303,58
Depreciação 109.863,88 91.663,17 Auxílios e Subvenções 1.961.615,68 1.661.773,85
REALIZÁVEL A Ajuste de exercícios Outras receitas 370.453.30 108.909,34
335.011,44 318.654,86 anteriores
(8.369,17) 0,00
LONGO PRAZO
Depósitos Judiciais 335.011,44 318.654,86 Redução (Aumento) de DEDUÇÕES COM
Adiant. funcionários
(16.894,74) (9.448,75) (2.852.774,00) (2.575.157,14)
GRATUIDADE
Redução (Aumento) de Gastos com Pessoal e
INVESTIMENTOS 4.162,68 4.100,63 535,82 97.158,17 (2.209.187,11) (2.073.963,32)
Créditos Tributários Encargos Sociais
Direito de uso de Despesas gerais e
4.162,68 4.100,63 (639.729,13) (500.426,93)
telefone Redução (Aumento) das administrativas
Despesas antecipadas
1.029,14 (422,19)
Outras Despesas (3.857,76) (766,89)
IMOBILIZADO 1.222.621,54 1.248.460,08 Redução (Aumento) dos
Depósitos Judiciais
(16.356,58) (57.005,72) OUTRAS RECEITAS 261.556,60 146.000,00
INTANGÍVEL 204,64 3.399,84 Aumento (Redução) de RECEITA
11.594,40 3.061,73 41.670,23 53.740,07
Fornecedores FINANCEIRA
Aumento (Redução) de SUPERÁVIT DO
TOTAL DO ATIVO 2.952.347,03 2.448.125,57 Obrigações fiscais, (2.414,62) 9.991,24 619.451,01 (32.430,30)
sociais e trabalhistas EXERCÍCIO
Aumento (Redução) de
28.812,51 23.092,26
PASSIVO Provisão de Férias FERNANDO DA COSTA
31/12/2017 31/12/2016 PRESIDENTE
Aumento (Redução) de
Convênios a realizar
- (16.741,87)
LUCIANO LEITE KOWALSKI
CIRCULANTE 222.632,41 186.046,13 Aumento (Redução) de CONTADOR CRC1SC023576/O-4
Outros débitos
(1.406,01) 1.321,73
Fornecedores 16.834,40 5.240,00
Obrigações Aumento(Redução) de PARECER DO CONSELHO FISCAL
23.329,10 25.743,72 Provisão para (143.446,66) 0,00
trabalhistas
Provisão de férias e contingência
Nós abaixo firmado, membros do Conselho Fiscal da
180.891,47 152.078,96
encargos CRECHE E ORFANATO VINDE A MIM AS
ATIVIDADES DE
Outros Débitos 1.577,44 2.983,45 INVESTIMENTOS
(80.892,19) (68.670,06) CRIANCINHAS, examinamos o Balanço Patrimonial e a
Demonstração do Resultado do Exercício, encerrado em
(Aumento) de (62,05) 0,00 31 de dezembro de 2017 e os documentos apresentados
NÃO CIRCULANTE 10.853,71 154.300,37
investimentos conferem com o exercício.
Provisão para Declaramos ter encontrado tudo em perfeita ordem e
10.853,71 154.300,37 (Aumento) do
contingências imobilizado
(84.025,34) (68.670,06) concordância, razão pela qual lavramos o presente
parecer.
PATRIMÔNIO Redução do intangível 3.195,20 0,00 São José/SC, 03 de SETEMBRO de 2018.
2.718.860,91 2.107.779,07
SOCIAL
Patrimônio VARIAÇÃO EM CAIXA BRUNO PACHECO
institucional 1.904.986,26 1.945.785,73 E EQUIVALENTES EM 501.506,79 41.569,41 CONSELHO FISCAL
Ajuste de avaliação CAIXA
patrimonial 194.423,64 194.423,64 Disponibilidades no início DILMA DE CARVALHO ZAIA
Superávit (Déficit) do do exercício
808.789,94 767.220.53 CONSELHO FISCAL
exercício 619.451,01 ( 32.430,30) Disponibilidades no final
do exercício
1.310,296,73 808.789,94 SANDRA REGINA KRAMER SANTOS MARTINS
TOTAL DO CONSELHO FISCAL
2.952.347,03 2.448.125,57
PASSIVO
RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Responsabilidades do auditor pela auditoria das eventos de maneira compatível com o objetivo de
SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS demonstrações contábeis apresentação adequada.

Aos Diretores e Conselheiros da CRECHE E ORFANATO Nossos objetivos são obter segurança razoável de que as Comunicamo-nos com os responsáveis pela
VINDE A MIM AS CRIANCINHAS demonstrações contábeis, tomadas em conjunto, estão administraçãoa respeito,entre outros aspectos, do alcance
livres de distorção relevante, independentemente se planejado, da época da auditoria e das constatações
Opinião causada por fraude ou erro, e emitir relatório de auditoria significativas de auditoria, inclusive as eventuais
contendo nossa opinião. Segurança razoável é um alto deficiências significativas nos controles internos que
Examinamos as demonstrações contábeis da CRECHE E nível de segurança, mas, não, uma garantia de que a identificamos durante nossos trabalhos.
ORFANATO VINDE A MIM AS CRIANCINHAS, que auditoria realizada de acordo com as normas brasileiras e
compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro internacionais de auditoria sempre detectam as eventuais Fornecemos também aos responsáveis pela administração
de 2017 e as respectivas demonstrações do resultado, das distorções relevantes existentes. As distorções podem ser declaração de que cumprimos com as exigências éticas
mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa para decorrentes de fraude ou erro e são consideradas relevantes, incluindo os requisitos aplicáveis de
o exercício findo nessa data, bem como as relevantes quando, individualmente ou em conjunto, independência, e comunicamos todos os eventuais
correspondentes notas explicativas, incluindo o resumo possam influenciar, dentro de uma perspectiva razoável, as relacionamentos ou assuntos que poderiam afetar,
das principais políticas contábeis. decisões econômicas dos usuários tomadas com base nas consideravelmente, nossa independência, incluindo,
referidas demonstrações contábeis. quando aplicável, as respectivas salvaguardas.
Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima Como parte da auditoria realizada de acordo com as Criciúma, 3 de setembro de 2018.
referidas apresentam adequadamente, em todos os normas brasileiras e internacionais de auditoria, exercemos
aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da julgamento profissional e mantemos ceticismo profissional MÜLLEREYNG AUDITORES INDEPENDENTES S/S - EPP
CRECHE E ORFANATO VINDE A MIM AS CRIANCINHAS ao longo da auditoria. Além disso: CRC/SC-006351/O
em 31 de dezembro de 2017, o desempenho de suas
operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo • Identificamos e avaliamos os riscos de distorção JOSÉ HENRIQUE EYNG
nessa data, de acordo com as práticas contábeis adotadas relevante nas demonstrações contábeis, CONTADOR CRC-SC Nº 17.329/O-8
no Brasil. independentemente se causada por fraude ou erro, CNAI Nº 638
planejamos e executamos procedimentos de auditoria
Base para opinião em resposta a tais riscos, bem como obtemos
evidência de auditoria apropriada e suficiente para NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES
Nossa auditoria foi conduzida de acordo com as normas fundamentar nossa opinião. O risco de não detecção CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM
brasileiras e internacionais de auditoria. Nossas de distorção relevante resultante de fraude é maior do 31 DE DEZEMBRO DE 2017
responsabilidades, em conformidade com tais normas, que o proveniente de erro, já que a fraude pode
estão descritas na seção a seguir, intitulada envolver o ato de burlar os controles internos, conluio, NOTA 01 - CONTEXTO OPERACIONAL
“Responsabilidades do auditor pela auditoria das falsificação, omissão ou representações falsas A CRECHE E ORFANATO VINDE A MIM AS
demonstrações contábeis”. Somos independentes em intencionais. CRIANCINHAS – CVM é uma entidade sem fins lucrativos,
relação à Entidade, de acordo com os princípios éticos com finalidade assistencial e objetivos filantrópicos,
relevantes previstos no Código de Ética Profissional do • Obtemos entendimento dos controles internos cristãos evangélicos, educacionais e assistenciais, que tem
Contador e nas normas profissionais emitidas pelo relevantes para a auditoria para planejarmos por finalidade: Assistência a pessoas necessitadas
Conselho Federal de Contabilidade, e cumprimos com as procedimentos de auditoria apropriados às materialmente; assistência médica, odontológica,
demais responsabilidades éticas de acordo com essas circunstâncias, mas, não, com o objetivo de psicológica e farmacêutica; assistência social; ensino de
normas. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é expressarmos opinião sobre a eficácia dos controles educação infantil, fundamental e segundo grau; ensino
suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. internos da Entidade. profissionalizante; alfabetização de jovens e adultos, além
de cursos de capacitação; educação especial; recuperação
Responsabilidades da administração pelas • Avaliamos a adequação das políticas contábeis e prevenção de toxicômanos e alcoolistas.
demonstrações contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis e A emissão das demonstrações contábeis foi aprovada pela
respectivas divulgações feitas pela administração. Administração da entidade em 03 de setembro de 2018.
A administração é responsável pela elaboração e
adequada apresentação das demonstrações contábeis de • Concluímos sobre a adequação do uso, pela NOTA 02 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES
acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e administração, da base contábil de continuidade CONTÁBEIS
pelos controles internos que ela determinou como operacional e, com base nas evidências de auditoria A) BASE DE PREPARAÇÃO
necessários para permitir a elaboração de demonstrações obtidas, se existe incerteza relevante em relação a As demonstrações contábeis estão sendo apresentadas de
contábeis livres de distorção relevante, independentemente eventos ou condições que possamlevantar dúvida acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e
se causada por fraude ou erro. significativa em relação à capacidade de continuidade normas da Comissão de Valores Mobiliários, observando
operacional da Entidade. Nossas conclusões estão as diretrizes contábeis emanadas da legislação societária
Na elaboração das demonstrações contábeis, a fundamentadas nas evidências de auditoria obtidas até a (Lei nº 6.404/1976) que incluem os dispositivos
administração é responsável pela avaliação da capacidade data de nosso relatório. Todavia, eventos ou condições introduzidos pela Lei nº 11.638/2007 e Lei nº 11.941/2009,
de a Entidade continuar operando, divulgando, quando futuras podem levar a Entidade a não mais se manter em assim como a ITG 2002 (R1) – Entidade sem Finalidade de
aplicável, os assuntos relacionados com a sua continuidade operacional. Lucros, juntamente com a NBC TG 1000 (R1) –
continuidade operacional e o uso dessa base contábil na Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas. Tais
elaboração das demonstrações contábeis, a não ser que a • Avaliamos a apresentação geral, a estrutura e o dispositivos tiveram como principal objetivo atualizar a
administração pretenda liquidar a Instituição ou cessar conteúdo das demonstrações contábeis, inclusive as legislação societária brasileira para possibilitar o processo
suas operações, ou não tenha nenhuma alternativa realista divulgações e se as demonstrações contábeis de convergência das práticas adotadas no Brasil com
para evitar o encerramento das operações. representam as correspondentes transações e os aquelas constantes nas normas internacionais de
contabilidade que são emitidas pelo Internacional entidade se torna uma das partes das disposições G) DEMAIS ATIVOS E PASSIVOS CIRCULANTES E NÃO
Accouting Standard Board – IASB. contratuais do instrumento. CIRCULANTES
A entidadedesreconhece um ativo financeiro quando os Demonstrados por valores de realização e obrigação,
B) BASE DE MENSURAÇÃO direitos contratuais aos fluxos de caixa do ativo expiram, ou conhecidos ou calculáveis, incluindo quando aplicáveis os
As demonstrações contábeis foram preparadas com base quando a entidade transfere os direitos ao recebimento dos rendimentos auferidos, os encargos e as variações
no custo histórico de acordo com as normas descritas na fluxos de caixa contratuais sobre um ativo financeiro em monetárias, incorridos até a data do balanço.
Seção 2 da NBC TG 1000 (R1). uma transação no qual essencialmente todos os riscos e
benefícios da titularidade do ativo financeiro são H) RECEITA DE AUXÍLIOS E SUBVENÇÕES
C) MOEDA FUNCIONAL transferidos. Passivos financeiros são baixados quando as Referem-se a auxílios e subvenções recebidas através de
A administração da Entidade definiu que sua moeda suas obrigações contratuais são liquidadas. recursos para custeio ou acréscimo patrimonial a serem
funcional é o Real de acordo com as normas descritas na Os ativos e passivos financeiros são compensados e o reconhecidas como receita ao longo do período, em bases
Seção 30 da NBC TG 1000 (R1). valor líquido é apresentado no balanço patrimonial sistemáticas, como estabelece a Resolução CFC nº
Transações em moeda estrangeira, isto é, todas aquelas somente quando a entidade tenha o direito legal de 1.305/2010.
que não realizadas na moeda funcional, são convertidas compensar os valores e tenha a intenção de liquidar em Os auxílios e subvenções para custeio são realizados
pela taxa de câmbio das datas de cada transação. Ativos e uma base líquida ou realizar o ativo e liquidar o passivo como receita a medida da geração das despesas a que se
passivos monetários em moeda estrangeira são simultaneamente. destinam, enquanto as subvenções patrimoniais são
convertidos para moeda funcional pela taxa de câmbio da A entidade possui os seguintes ativos e passivos contabilizadas a medida da depreciação dos bens.
data do fechamento. Os ganhos e as perdas de variações financeiros não derivativos:
nas taxas de câmbio sobre os ativos e passivos monetários CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA: abrangem saldos de caixa I) APURAÇÃO DO SUPERÁVIT/DÉFICIT
são reconhecidos na demonstração do resultado. e depósitos à vista, assim como aplicações financeiras de O superávit/déficit é apurado pelo regime de competência
Ativos e passivos não monetários adquiridos ou liquidez imediata, demonstradas pelo custo de aplicação, para a apropriação de receitas, custos e ou despesas
contratados em moeda estrangeira são convertidos com acrescidas dos rendimentos correspondentes, apropriados correspondentes.
bases nas taxas de câmbio das datas das transações ou até a data do balanço. Os recursos da entidade foram aplicados em suas
nas datas de avaliação ao valor justo quando este é EXIGÍVEIS: abrangem o saldo a pagar pelas aquisições de finalidades institucionais, de conformidade com seu
utilizado. bens ou serviços, reconhecidos inicialmente pelo valor Estatuto Social, demonstrados por suas Despesas e
justo acrescido de quaisquer custos de transação Investimentos Patrimoniais.
D) ESTIMATIVAS CONTÁBEIS atribuíveis e subsequentemente, quando aplicável,
A elaboração das demonstrações contábeis de acordo com mensurados pelo custo amortizado com o uso de taxa de NOTA 04 - CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA
as práticas adotadas no Brasil requer que a Administração juros efetiva, atualizados pelos encargos correspondentes Saldo representado pela seguinte composição:
use de julgamento na determinação e registro de após o reconhecimento inicial.
estimativas contábeis. Ativos e passivos significativos A entidade não operou com instrumentos financeiros Descrição 2017 2016
sujeitos a essas estimativas e premissas incluem o valor derivativos no decorrer do exercício. Bancos conta movimento 88.809,59 25.768,99
residual de investimentos,imobilizado, intangível, provisão Aplicações financeiras ¹ 1.221.487,14 783.020,95
de férias e encargos, provisão para contingências B) DEPÓSITOS JUDICIAIS Total 1.310.296,73 808.789,94
edepósitos judiciais. A liquidação das transações Saldos depositados em juízo relativos a processo movido
envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores contra concessionária de serviço público de telefonia fixa, a
¹ As aplicações financeiras são classificadas como caixa e
diferentes dos estimados, devido a imprecisões inerentes qual é responsável pela arrecadação de doações via conta
equivalente de caixa por se tratarem de aplicações
ao processo de sua determinação. A administração da de telefone, em razão de aumento na tarifa de controle e
consideradas conservadoras e sem risco de redução de
Entidade revisa essas estimativas e premissas pelo menos repasse de doações. Os saldos são mantidos pelos seus
valor ou de liquidez. Também não existe prazo
anualmente. valores nominais depositados.
compromissado para estas aplicações estando disponíveis
para utilização na data exata em a entidade decidir utilizar
E) AJUSTE A VALOR PRESENTE C) IMOBILIZADO
o valor ou trocar de aplicação. O saldo de aplicações
Quando aplicável, os valores sujeitos a tal ajuste, são Estão demonstrados pelo custo de aquisição, acrescidos
financeiras de liquidez é composto:
convertidos ao valor presente, em contrapartida do de correção monetária até 31/dez./95, atualizados por
resultado do exercício, obedecendo ao disposto na Seção avaliação patrimonial eajustadospor depreciações
Descrição 2017 2016
2 da NBC TG 1000 (R1). acumuladas, calculadas pelo método linear às taxas
Certificado de Depósitos
estabelecidas em função do tempo de vida útil. 91.500,00 72.000,00
Bancários - CDB
F) SUBVENÇÃO E ASSISTÊNCIA GOVERNAMENTAIS Caderneta de Poupança 1.129.987,14 711.020,95
Registram os valores recebidos por subvenções e ou D) FORNECEDORES E OUTRAS OBRIGAÇÕES A PAGAR Total 1.221.487,14 783.020,95
doações, transitando pela Demonstração do Resultado do Obrigações nominais contraídas com fornecedores de
Período, conforme determinação das Leis nº 11.638/2007 e bens e serviços no mercado interno reconhecidas pelo NOTA 05 - IMOBILIZADO
11.941/2009, bem como orientações da Seção 24 da NBC valor justo. Os saldos do Imobilizado apresentam a seguinte
TG 1000 (R1). composição:
E) OBRIGAÇÕES FISCAIS, SOCIAIS E TRABALHISTAS
NOTA 03 - PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS Estão demonstrados pelos valores das obrigações com
Dentre os principais procedimentos adotados para a salários de funcionários, encargos trabalhistas e tributários,
elaboração das demonstrações contábeis, destacam-se: devidos até a data do balanço.

A) INSTRUMENTOS FINANCEIROS NÃO DERIVATIVOS F) PROVISÃO DE FÉRIAS E ENCARGOS
A entidade reconhece os empréstimos e recebíveis Foi constituída para cobertura das férias vencidas e
inicialmente na data em que foram originadosnegociados. proporcionais, acrescida dos respectivos encargos sociais
Todos os outros ativos e passivos financeiros são até a data do balanço, em atendimento a legislação
reconhecidos inicialmente na data da negociação na qual a trabalhista e previdenciária.
Taxa 2017 2016 NOTA 09 - GRATUIDADES CONCEDIDAS
Imobilizado
Anual Bens Depreciação Bens Depreciação Em acolhimento ao que determina o artigo 18 da Lei nº
Biblioteca 10% 17.014,75 (8.684,43) 17.014,75 (6.982,95) 12.101, de 27 de novembro de 2009, a entidade aplicou em
Obras em andamento - - - 812.149,17 - gratuidades no exercício de 2017 o seguinte montante:
Edificação 4% 812.149,17 (32.485,96) - - Descrição 2017 2016
Imóveis 4% 289.620,82 (216.224,82) 289.620,82 (187.262,74) Receitas auferidas 3.168.998,18 2.342.986,77
Máquinas e equipamentos 10% 212.459,43 (185.389,74) 204.669,52 (165.356,93) Gratuidades concedidas 2.852,774,00 2.575.157,14
Móveis e utensílios 10% 318.731,09 (121.936,29) 300.029,99 (106.797,68) % Aplicado em
90,02% 109,91%
Computadores e periféricos 20% 84.799,27 (56.157,57) 63.751,27 (67.901,21) gratuidades
Veículos 20% 84.878,60 (40.537,68) 82.948,60 (21.001,95)
Benfeitorias em instalações 10% 72.813,00 (8.428,10) 38.256,67 (4.677,25) NOTA 10 - ISENÇÕES USUFRUIDAS

Total 1.892.466,13 (669.844,59) 1.808.440,79 (559.980,71) No exercício de 2017, a entidade usufruiu dos seguintes
valores de isenções:
Movimentação do Imobilizado no exercício de 2017: Descrição 2016 2016

Cota Patronal do INSS + 488.463,50 453.797,82
Saldo Transferências Transferências Saldo
Imobilizado Aquisições Baixas SAT + Terceiros
31/dez./2016 (+) (-) 31/dez./2017
Biblioteca 17.014,75 - - - - 17.014,75
Cofins sobre Receitas 95.333,48 70.289,60
Obras em Andamento 812.149,17 - - - (812.149,17) - Operacionais
Edifícios - - - 812.149,17 - 812.149,17 19.155,43 17.710,22
Pis sobre a Folha
Imóveis 289.620,82 - - - - 289.620,82
Total 602.952,41 541.797,64
Máquinas e equipamentos 204.669,52 7.789,91 - - - 212.459,43
Móveis e utensílios 300.029,99 18.806,50 (105,50) - - 318.731,09
NOTA 11 - PATRIMÔNIO SOCIAL
Computadores e
63.751,27 21.048,00 - - - 84.799,27
periféricos O Patrimônio Social no valor de R$ 1.904.986,26 (um
Veículos 82.948,60 8.029,04 (6.099,94) - - 84.878,60 milhão, novecentos e quatro mil, novecentos e oitenta e
Benfeitorias em seis reais, vinte e seis centavos) é o resultado do fundo
38.256,67 34.556,33 - - - 72.813,00
instalações
institucional, somado aossuperávits acumuladosde
Total 1.808.440,78 90.230,78 (6.205,44) 812.149,17 (812.149,17) 1.892.466,13
exercícios anteriores e superávit do exercício.

Saldo Transferências Transferências Saldo
Depreciação Acumulada 31/dez./2016
Aquisições Baixas
(+) (-) 31/dez./2017 NOTA 13 - SEGUROS
Biblioteca (6.982,95) (1.701,48) - - - (8.684,43) A entidade mantém contratados seguros sobre seus bens
Edifícios - (32.485,96) - - - (32.485,96) móveis, por valores julgados suficientes para cobertura de
Imóveis (187.262,74) (28.962,08) - - - (216.224,82) eventuais sinistros.
Máquinas e equipamentos (165.356,93) (10.540,42) 3.832,23 - (13.324,62) (185.389,74)
Móveis e utensílios (106.797,68) (15.687,68) 549,07 - - (121.936,29) Modalidade Cobertura R$
Computadores e Predial 2.900.000,00
(67.901,21) (1.580,98) - 13.324,62 - (56.157,57)
periféricos Veículos 460.000,00
Veículos (21.001,95) (23.635,67) 4.099,94 - - (40.537,68) Motorista 85.000,00
Benfeitorias em
(4.677,25) (3.863,72) 112,87 - - (8.428,10) Soma 3.445.000,00
instalações
Soma (559.980,71) (118.457,99) 8.594,11 13.324,62 (13.324,62) (669.844,59)

NOTA 06 - PROVISÃO DE FÉRIAS E ENCARGOS (a) os auxílios recebidos por intermédio de convênio com o MÜLLEREYNG AUDITORES INDEPENDENTES S/S
Saldo contábil apresenta a seguinte composição: poder judiciário passaram a ser reconhecidas na rubrica
“Outras receitas operacionais”.
Descrição 2017 2016
Provisão de férias 167.492,35 140.814,11
NOTA 08 - AUXÍLIOS E SUBVENÇÕES
Provisão de encargos sobre
13.399,12 11.264,85 A entidade recebeu no exercício de 2017 os seguintes
férias
Total 180.891,47 152.078,96 auxílios e subvenções:
Descrição 2017 2016
Provisão de férias e encargos são constituídos para
cobertura das férias vencidas e proporcionais, acrescidas
Parceria SE Saúde – 18.100,00 -
dos respectivos encargos sociais até a data do balanço. Com. Terapêutica
Convênio PM São José – 1.734.967,68 1.539.972,00
NOTA 07 - DOAÇÕES RECEBIDAS SME Educação Infantil
Os valores recebidos por meio de doações foram os Convênio PM São José - 86.028,00 75.600,00
seguintes: SME Merenda Escolar
Descrição 2017 2016 Convênio PM São José –
SMAS Serviço 105.840,00 46.201,85
Pessoas físicas 730.186,75 519.841,12
Convivência
Pessoas jurídicas 50.491,22 52.462,46
Convenio PM São José – 16.680,00 -
Auxílio judiciário (a) 56.251,23 -
FUNESJ Esc. Futsal
Total 836.929,20 572.303,58 Total 1.961.615,68 1.661.773,85