Você está na página 1de 22

Prefeitura Municipal da Estância Balneária de Praia Grande do Estado de São Paulo

PRAIA GRANDE-SP
Orientador Social
Edital de Abertura de Concurso Público - Nº 001/2018

MR089-2018
DADOS DA OBRA

Título da obra: Prefeitura Municipal da Estância Balneária de Praia Grande do Estado de São Paulo

Cargo: Orientador Social

(Baseado no Edital de Abertura de Concurso Público - Nº 001/2018)

• Língua Portuguesa
• Conhecimentos de Políticas Públicas de Saúde
• Conhecimentos Específicos
• Conhecimentos básicos de informática

Gestão de Conteúdos
Emanuela Amaral de Souza

Diagramação / Editoração Eletrônica


Elaine Cristina
Igor de Oliveira
Camila Lopes
Thais Regis

Produção Editoral
Suelen Domenica Pereira
Julia Antoneli

Capa
Joel Ferreira dos Santos
SUMÁRIO

Língua Portuguesa

Questões que possibilitem avaliar a capacidade de Interpretação de texto, conhecimento da norma culta na modalida-
de escrita do idioma e aplicação da Ortografia oficial; ............................................................................................................................ 01
Acentuação gráfica; ................................................................................................................................................................................................ 14
Pontuação; .................................................................................................................................................................................................................. 18
Classes gramaticais;................................................................................................................................................................................................. 21
Concordância verbal e nominal;......................................................................................................................................................................... 57
Pronomes: emprego e colocação e Regência nominal e verbal............................................................................................................ 62

Conhecimentos de Políticas Públicas de Saúde

Diretrizes e bases da implantação do SUS. ................................................................................................................................................... 01


Organização da Atenção Básica no Sistema Único de Saúde. ............................................................................................................... 04
Programa Saúde da Família. ................................................................................................................................................................................ 05
Lei 8080/90 ................................................................................................................................................................................................................ 18
Lei 8142/90. ............................................................................................................................................................................................................... 28
Decreto Federal nº 7.508, de 28/06/2011. ..................................................................................................................................................... 29
Portaria nº 399/GM/MS, de 22/02/2006......................................................................................................................................................... 33
Pacto pela Saúde...................................................................................................................................................................................................... 55

Conhecimentos Específicos

Noções fundamentais sobre Direitos Humanos;.......................................................................................................................................... 01


Constituição Federal de 1988 e alterações subsequentes (Dos Direitos e Garantias Fundamentais: artigos 5º a 17º; Da
Ordem Social: artigos 193 a 232);...................................................................................................................................................................... 03
Código Civil Brasileiro (Livro I – Título I – Das Pessoas Naturais);......................................................................................................... 21
Estatuto da Criança e do Adolescente;............................................................................................................................................................ 22
Estatuto do Idoso;.................................................................................................................................................................................................... 65
Conhecimentos sobre a Política Nacional de Assistência Social e do Sistema Nacional de Atendimento Sócio-Educati-
vo;................................................................................................................................................................................................................................... 75
Relações humanas no trabalho;.......................................................................................................................................................................... 88
Ética do exercício profissional;............................................................................................................................................................................. 90
Programas, projetos, serviços e benefícios sócio assistenciais............................................................................................................... 92
CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social..................................................................................................... 93

Conhecimentos básicos de informática

Conhecimentos sobre princípios básicos de informática: Microsoft Windows, MS Office Word e Excel e Internet Explorer.
Versão 2007 e/ou versão atualizada................................................................................................................................................................. 01
PORTUGUÊS

Questões que possibilitem avaliar a capacidade de Interpretação de texto, conhecimento da norma culta na modalidade
escrita do idioma e aplicação da Ortografia oficial; .................................................................................................................................. 01
Acentuação gráfica; ................................................................................................................................................................................................ 14
Pontuação; .................................................................................................................................................................................................................. 18
Classes gramaticais;................................................................................................................................................................................................. 21
Concordância verbal e nominal;......................................................................................................................................................................... 57
Pronomes: emprego e colocação e Regência nominal e verbal............................................................................................................ 62
PORTUGUÊS

Condições básicas para interpretar


QUESTÕES QUE POSSIBILITEM AVALIAR
A CAPACIDADE DE INTERPRETAÇÃO DE Fazem-se necessários:
TEXTO, CONHECIMENTO DA NORMA CULTA - Conhecimento histórico–literário (escolas e gêneros
literários, estrutura do texto), leitura e prática;
NA MODALIDADE ESCRITA DO IDIOMA E
- Conhecimento gramatical, estilístico (qualidades do
APLICAÇÃO DA ORTOGRAFIA OFICIAL; texto) e semântico;
Observação – na semântica (significado das palavras)
incluem--se: homônimos e parônimos, denotação e cono-
tação, sinonímia e antonímia, polissemia, figuras de lingua-
gem, entre outros.
É muito comum, entre os candidatos a um cargo públi- - Capacidade de observação e de síntese e
co, a preocupação com a interpretação de textos. Por isso, - Capacidade de raciocínio.
vão aqui alguns detalhes que poderão ajudar no momento
de responder às questões relacionadas a textos. Interpretar X compreender

Texto – é um conjunto de ideias organizadas e relacio- Interpretar significa


nadas entre si, formando um todo significativo capaz de - Explicar, comentar, julgar, tirar conclusões, deduzir.
produzir interação comunicativa (capacidade de codificar - Através do texto, infere-se que...
e decodificar ). - É possível deduzir que...
- O autor permite concluir que...
Contexto – um texto é constituído por diversas frases. - Qual é a intenção do autor ao afirmar que...
Em cada uma delas, há uma certa informação que a faz
ligar-se com a anterior e/ou com a posterior, criando con- Compreender significa
dições para a estruturação do conteúdo a ser transmitido. - intelecção, entendimento, atenção ao que realmente
A essa interligação dá-se o nome de contexto. Nota-se que está escrito.
o relacionamento entre as frases é tão grande que, se uma - o texto diz que...
frase for retirada de seu contexto original e analisada se- - é sugerido pelo autor que...
paradamente, poderá ter um significado diferente daquele - de acordo com o texto, é correta ou errada a afirma-
inicial. ção...
- o narrador afirma...
Intertexto - comumente, os textos apresentam refe-
rências diretas ou indiretas a outros autores através de ci- Erros de interpretação
tações. Esse tipo de recurso denomina-se intertexto.
É muito comum, mais do que se imagina, a ocorrência
Interpretação de texto - o primeiro objetivo de uma de erros de interpretação. Os mais frequentes são:
interpretação de um texto é a identificação de sua ideia - Extrapolação (viagem): Ocorre quando se sai do con-
principal. A partir daí, localizam-se as ideias secundárias, texto, acrescentado ideias que não estão no texto, quer por
ou fundamentações, as argumentações, ou explicações, conhecimento prévio do tema quer pela imaginação.
que levem ao esclarecimento das questões apresentadas
na prova. - Redução: É o oposto da extrapolação. Dá-se atenção
apenas a um aspecto, esquecendo que um texto é um con-
Normalmente, numa prova, o candidato é convidado a: junto de ideias, o que pode ser insuficiente para o total do
entendimento do tema desenvolvido.
- Identificar – é reconhecer os elementos fundamen-
tais de uma argumentação, de um processo, de uma época - Contradição: Não raro, o texto apresenta ideias con-
(neste caso, procuram-se os verbos e os advérbios, os quais trárias às do candidato, fazendo-o tirar conclusões equivo-
definem o tempo). cadas e, consequentemente, errando a questão.
- Comparar – é descobrir as relações de semelhança Observação - Muitos pensam que há a ótica do es-
ou de diferenças entre as situações do texto. critor e a ótica do leitor. Pode ser que existam, mas numa
- Comentar - é relacionar o conteúdo apresentado prova de concurso, o que deve ser levado em consideração
com uma realidade, opinando a respeito. é o que o autor diz e nada mais.
- Resumir – é concentrar as ideias centrais e/ou secun-
dárias em um só parágrafo. Coesão - é o emprego de mecanismo de sintaxe que
- Parafrasear – é reescrever o texto com outras pala- relaciona palavras, orações, frases e/ou parágrafos entre si.
vras. Em outras palavras, a coesão dá-se quando, através de um
pronome relativo, uma conjunção (NEXOS), ou um prono-
me oblíquo átono, há uma relação correta entre o que se
vai dizer e o que já foi dito.

1
PORTUGUÊS

OBSERVAÇÃO – São muitos os erros de coesão no Observa as ranhuras entre uma pedra e outra. Há, den-
dia-a-dia e, entre eles, está o mau uso do pronome relativo tro de cada uma delas, um diminuto caminho de terra, com
e do pronome oblíquo átono. Este depende da regência do pedrinhas e tufos minúsculos de musgos, formando peque-
verbo; aquele do seu antecedente. Não se pode esquecer nas plantas, ínfimos bonsais só visíveis aos olhos de quem é
também de que os pronomes relativos têm, cada um, valor capaz de parar de viver para, apenas, ver. Quando se tem a
semântico, por isso a necessidade de adequação ao ante- marca da solidão na alma, o mundo cabe numa fresta.
cedente. (SEIXAS, Heloísa. Contos mais que mínimos. Rio de Ja-
Os pronomes relativos são muito importantes na in- neiro: Tinta negra bazar, 2010. p. 47)
terpretação de texto, pois seu uso incorreto traz erros de No texto, o substantivo usado para ressaltar o universo
coesão. Assim sendo, deve-se levar em consideração que reduzido no qual o menino detém sua atenção é
existe um pronome relativo adequado a cada circunstância, (A) fresta.
a saber: (B) marca.
(C) alma.
- que (neutro) - relaciona-se com qualquer anteceden- (D) solidão.
te, mas depende das condições da frase. (E) penumbra.
- qual (neutro) idem ao anterior.
- quem (pessoa) 2-) (ANCINE – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – CES-
- cujo (posse) - antes dele aparece o possuidor e depois PE/2012)
o objeto possuído. O riso é tão universal como a seriedade; ele abarca a
- como (modo) totalidade do universo, toda a sociedade, a história, a con-
- onde (lugar) cepção de mundo. É uma verdade que se diz sobre o mundo,
quando (tempo) que se estende a todas as coisas e à qual nada escapa. É,
quanto (montante) de alguma maneira, o aspecto festivo do mundo inteiro, em
todos os seus níveis, uma espécie de segunda revelação do
Exemplo: mundo.
Falou tudo QUANTO queria (correto) Mikhail Bakhtin. A cultura popular na Idade Média e o
Falou tudo QUE queria (errado - antes do QUE, deveria Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo:
aparecer o demonstrativo O ).
Hucitec, 1987, p. 73 (com adaptações).
Dicas para melhorar a interpretação de textos
Na linha 1, o elemento “ele” tem como referente tex-
tual “O riso”.
- Ler todo o texto, procurando ter uma visão geral do
( ) CERTO ( ) ERRADO
assunto;
- Se encontrar palavras desconhecidas, não interrompa
a leitura; 3-) (ANEEL – TÉCNICO ADMINISTRATIVO – CESPE/2010)
- Ler, ler bem, ler profundamente, ou seja, ler o texto Só agora, quase cinco meses depois do apagão que atin-
pelo menos duas vezes; giu pelo menos 1.800 cidades em 18 estados do país, surge
- Inferir; uma explicação oficial satisfatória para o corte abrupto e
- Voltar ao texto quantas vezes precisar; generalizado de energia no final de 2009.
- Não permitir que prevaleçam suas ideias sobre as do Segundo relatório da Agência Nacional de Energia Elé-
autor; trica (ANEEL), a responsabilidade recai sobre a empresa es-
- Fragmentar o texto (parágrafos, partes) para melhor tatal Furnas, cujas linhas de transmissão cruzam os mais de
compreensão; 900 km que separam Itaipu de São Paulo.
- Verificar, com atenção e cuidado, o enunciado de Equipamentos obsoletos, falta de manutenção e de in-
cada questão; vestimentos e também erros operacionais conspiraram para
- O autor defende ideias e você deve percebê-las. produzir a mais séria falha do sistema de geração e distri-
buição de energia do país desde o traumático racionamento
Fonte: de 2001.
http://www.tudosobreconcursos.com/materiais/portu- Folha de S.Paulo, Editorial, 30/3/2010 (com adapta-
gues/como-interpretar-textos ções).
Considerando os sentidos e as estruturas linguísticas
QUESTÕES do texto acima apresentado, julgue os próximos itens.
A oração “que atingiu pelo menos 1.800 cidades em 18
1-) (SABESP/SP – ATENDENTE A CLIENTES 01 – estados do país” tem, nesse contexto, valor restritivo.
FCC/2014 - ADAPTADA) Atenção: Para responder à ques- ( ) CERTO ( ) ERRADO
tão, considere o texto abaixo.
A marca da solidão 4-) (CORREIOS – CARTEIRO – CESPE/2011)
Deitado de bruços, sobre as pedras quentes do chão de Um carteiro chega ao portão do hospício e grita:
paralelepípedos, o menino espia. Tem os braços dobrados e a — Carta para o 9.326!!!
testa pousada sobre eles, seu rosto formando uma tenda de Um louco pega o envelope, abre-o e vê que a carta está
penumbra na tarde quente. em branco, e um outro pergunta:

2
POLITICAS PUBLICAS DE SAÚDE

Diretrizes e bases da implantação do SUS. ................................................................................................................................................... 01


Organização da Atenção Básica no Sistema Único de Saúde. ............................................................................................................... 04
Programa Saúde da Família. ................................................................................................................................................................................ 05
Lei 8080/90 ................................................................................................................................................................................................................ 18
Lei 8142/90. ............................................................................................................................................................................................................... 28
Decreto Federal nº 7.508, de 28/06/2011. ..................................................................................................................................................... 29
Portaria nº 399/GM/MS, de 22/02/2006......................................................................................................................................................... 33
Pacto pela Saúde...................................................................................................................................................................................................... 55
POLITICAS PUBLICAS DE SAÚDE

Lei n.º 8.142/1990: Dispõe sobre o papel e a participação


das comunidades na gestão do SUS, sobre as transferências
DIRETRIZES E BASES DA IMPLANTAÇÃO DO
de recursos financeiros entre União, estados, Distrito Federal e
SUS. municípios na área da saúde e dá outras providências. Institui
as instâncias colegiadas e os instrumentos de participação
social em cada esfera de governo.
Princípios do SUS: São conceitos que orientam o SUS,
previstos no artigo 198 da Constituição Federal de 1988 e no Responsabilização Sanitária
artigo 7º do Capítulo II da Lei n.º 8.080/1990. Os principais são:
Desenvolver responsabilização sanitária é estabelecer
Universalidade: significa que o SUS deve atender a claramente as atribuições de cada uma das esferas de gestão
todos, sem distinções ou restrições, oferecendo toda a atenção da saúde pública, assim como dos serviços e das equipes
necessária, sem qualquer custo; que compõem o SUS, possibilitando melhor planejamento,
Integralidade: o SUS deve oferecer a atenção necessária acompanhamento e complementaridade das ações e dos
à saúde da população, promovendo ações contínuas de serviços. Os prefeitos, ao assumir suas responsabilidades,
prevenção e tratamento aos indivíduos e às comunidades, em devem estimular a responsabilização junto aos gerentes e
quaisquer níveis de complexidade; equipes, no âmbito municipal, e participar do processo de
Equidade: o SUS deve disponibilizar recursos e serviços pactuação, no âmbito regional.
com justiça, de acordo com as necessidades de cada um,
canalizando maior atenção aos que mais necessitam; Responsabilização Macro sanitária
Participação social: é um direito e um dever da sociedade
participar das gestões públicas em geral e da saúde pública O gestor municipal, para assegurar o direito à saúde
em particular; é dever do Poder Público garantir as condições de seus munícipes, deve assumir a responsabilidade pelos
para essa participação, assegurando a gestão comunitária do resultados, buscando reduzir os riscos, a mortalidade e as
SUS; e doenças evitáveis, a exemplo da mortalidade materna e
Descentralização: é o processo de transferência de infantil, da hanseníase e da tuberculose. Para isso, tem de se
responsabilidades de gestão para os municípios, atendendo às responsabilizar pela oferta de ações e serviços que promovam
determinações constitucionais e legais que embasam o SUS, e protejam a saúde das pessoas, previnam as doenças e
definidor de atribuições comuns e competências específicas à os agravos e recuperem os doentes. A atenção básica à
União, aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios. saúde, por reunir esses três componentes, coloca-se como
responsabilidade primeira e intransferível a todos os gestores.
Principais leis O cumprimento dessas responsabilidades exige que assumam
as atribuições de gestão, incluindo:
- execução dos serviços públicos de responsabilidade
Constituição Federal de 1988: Estabelece que “a saúde é
municipal;
direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas
- destinação de recursos do orçamento municipal e
sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença
utilização do conjunto de recursos da saúde, com base em
e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações
prioridades definidas no Plano Municipal de Saúde;
e aos serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.
- planejamento, organização, coordenação, controle
Determina ao Poder Público sua “regulamentação, fiscalização
e avaliação das ações e dos serviços de saúde sob gestão
e controle”, que as ações e os serviços da saúde “integram municipal; e
uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um - participação no processo de integração ao SUS, em âmbito
sistema único”; define suas diretrizes, atribuições, fontes de regional e estadual, para assegurar a seus cidadãos o acesso a
financiamento e, ainda, como deve se dar a participação da serviços de maior complexidade, não disponíveis no município.
iniciativa privada.
Responsabilização Micro sanitária
Lei Orgânica da Saúde (LOS), Lei n.º 8.080/1990:
Regulamenta, em todo o território nacional, as ações do É determinante que cada serviço de saúde conheça o
SUS, estabelece as diretrizes para seu gerenciamento território sob sua responsabilidade. Para isso, as unidades da
e descentralização e detalha as competências de cada rede básica devem estabelecer uma relação de compromisso
esfera governamental. Enfatiza a descentralização político- com a população a ela adstrita e cada equipe de referência
administrativa, por meio da municipalização dos serviços e das deve ter sólidos vínculos terapêuticos com os pacientes e
ações de saúde, com redistribuição de poder, competências seus familiares, proporcionando-lhes abordagem integral e
e recursos, em direção aos municípios. Determina como mobilização dos recursos e apoios necessários à recuperação
competência do SUS a definição de critérios, valores e de cada pessoa. A alta só deve ocorrer quando da transferência
qualidade dos serviços. Trata da gestão financeira; define do paciente a outra equipe (da rede básica ou de outra área
o Plano Municipal de Saúde como base das atividades e da especializada) e o tempo de espera para essa transferência não
programação de cada nível de direção do SUS e garante pode representar uma interrupção do atendimento: a equipe
a gratuidade das ações e dos serviços nos atendimentos de referência deve prosseguir com o projeto terapêutico,
públicos e privados contratados e conveniados. interferindo, inclusive, nos critérios de acesso.

1
POLITICAS PUBLICAS DE SAÚDE

Instâncias de Pactuação são frequentes os intercâmbios de serviços entre cidades


próximas, mas de estados diferentes. Por isso mesmo, a
São espaços intergovernamentais, políticos e construção de consensos e estratégias regionais é uma
técnicos onde ocorrem o planejamento, a negociação e a solução fundamental, que permitirá ao SUS superar
implementação das políticas de saúde pública. As decisões as restrições de acesso, ampliando a capacidade de
se dão por consenso (e não por votação), estimulando o atendimento e o processo de descentralização.
debate e a negociação entre as partes. O Sistema Hierarquizado e Descentralizado: As
ações e serviços de saúde de menor grau de complexidade
Comissão Intergestores Tripartite (CIT): Atua na são colocadas à disposição do usuário em unidades de
direção nacional do SUS, formada por composição paritária saúde localizadas próximas de seu domicílio. As ações
de 15 membros, sendo cinco indicados pelo Ministério especializadas ou de maior grau de complexidade são
da Saúde, cinco pelo Conselho Nacional de Secretários alcançadas por meio de mecanismos de referência,
Estaduais de Saúde (Conass) e cinco pelo Conselho organizados pelos gestores nas três esferas de governo. Por
Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems). exemplo: O usuário é atendido de forma descentralizada, no
A representação de estados e municípios nessa Comissão âmbito do município ou bairro em que reside. Na hipótese
é, portanto regional: um representante para cada uma das de precisar ser atendido com um problema de saúde mais
cinco regiões existentes no País. complexo, ele é referenciado, isto é, encaminhado para
o atendimento em uma instância do SUS mais elevada,
Comissões Intergestores Bipartites (CIB): São especializada. Quando o problema é mais simples, o
constituídas paritariamente por representantes do governo cidadão pode ser contra referenciado, isto é, conduzido
estadual, indicados pelo Secretário de Estado da Saúde, e para um atendimento em um nível mais primário.
dos secretários municipais de saúde, indicados pelo órgão
de representação do conjunto dos municípios do Estado, Plano de saúde fixa diretriz e metas à saúde
em geral denominado Conselho de Secretários Municipais municipal
de Saúde (Cosems). Os secretários municipais de Saúde
costumam debater entre si os temas estratégicos antes de É responsabilidade do gestor municipal desenvolver
apresentarem suas posições na CIB. Os Cosems são também o processo de planejamento, programação e avaliação
instâncias de articulação política entre gestores municipais da saúde local, de modo a atender as necessidades da
de saúde, sendo de extrema importância a participação dos população de seu município com eficiência e efetividade.
gestores locais nesse espaço. O Plano Municipal de Saúde (PMS) deve orientar as ações
na área, incluindo o orçamento para a sua execução. Um
Espaços regionais: A implementação de espaços instrumento fundamental para nortear a elaboração do PMS
regionais de pactuação, envolvendo os gestores municipais é o Plano Nacional de Saúde. Cabe ao Conselho Municipal
e estaduais, é uma necessidade para o aperfeiçoamento de Saúde estabelecer as diretrizes para a formulação do
do SUS. Os espaços regionais devem-se organizar a partir PMS, em função da análise da realidade e dos problemas
das necessidades e das afinidades específicas em saúde de saúde locais, assim como dos recursos disponíveis.
existentes nas regiões. No PMS, devem ser descritos os principais problemas da
saúde pública local, suas causas, consequências e pontos
Descentralização críticos. Além disso, devem ser definidos os objetivos e
metas a serem atingidos, as atividades a serem executadas,
O princípio de descentralização que norteia o SUS se os cronogramas, as sistemáticas de acompanhamento e de
dá, especialmente, pela transferência de responsabilidades avaliação dos resultados.
e recursos para a esfera municipal, estimulando novas
competências e capacidades político-institucionais dos Sistemas de informações ajudam a planejar a
gestores locais, além de meios adequados à gestão de redes saúde: O SUS opera e/ou disponibiliza um conjunto de
assistenciais de caráter regional e macro regional, permitindo sistemas de informações estratégicas para que os gestores
o acesso, a integralidade da atenção e a racionalização de avaliem e fundamentem o planejamento e a tomada de
recursos. Os estados e a União devem contribuir para a decisões, abrangendo: indicadores de saúde; informações
descentralização do SUS, fornecendo cooperação técnica e de assistência à saúde no SUS (internações hospitalares,
financeira para o processo de municipalização. produção ambulatorial, imunização e atenção básica); rede
assistencial (hospitalar e ambulatorial); morbidade por
Regionalização: consensos e estratégias - As ações e local de internação e residência dos atendidos pelo SUS;
os serviços de saúde não podem ser estruturados apenas estatísticas vitais (mortalidade e nascidos vivos); recursos
na escala dos municípios. Existem no Brasil milhares de financeiros, informações demográficas, epidemiológicas
pequenas municipalidades que não possuem em seus e socioeconômicas. Caminha-se rumo à integração dos
territórios condições de oferecer serviços de alta e média diversos sistemas informatizados de base nacional, que
complexidade; por outro lado, existem municípios que podem ser acessados no site do Datasus. Nesse processo, a
apresentam serviços de referência, tornando-se polos implantação do Cartão Nacional de Saúde tem papel central.
regionais que garantem o atendimento da sua população e Cabe aos prefeitos conhecer e monitorar esse conjunto de
de municípios vizinhos. Em áreas de divisas interestaduais, informações essenciais à gestão da saúde do seu município.

2
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Orientador Social

Noções fundamentais sobre Direitos Humanos;.......................................................................................................................................... 01


Constituição Federal de 1988 e alterações subsequentes (Dos Direitos e Garantias Fundamentais: artigos 5º a 17º; Da
Ordem Social: artigos 193 a 232);...................................................................................................................................................................... 03
Código Civil Brasileiro (Livro I – Título I – Das Pessoas Naturais);......................................................................................................... 21
Estatuto da Criança e do Adolescente;............................................................................................................................................................ 22
Estatuto do Idoso;.................................................................................................................................................................................................... 65
Conhecimentos sobre a Política Nacional de Assistência Social e do Sistema Nacional de Atendimento Sócio-Educati-
vo;................................................................................................................................................................................................................................... 75
Relações humanas no trabalho;.......................................................................................................................................................................... 88
Ética do exercício profissional;............................................................................................................................................................................. 90
Programas, projetos, serviços e benefícios sócio assistenciais............................................................................................................... 92
CREAS – Centro de Referência Especializado de Assistência Social..................................................................................................... 93
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Orientador Social

O direito natural, na sua formulação clássica, não é um


conjunto de normas paralelas e semelhantes às do direito
NOÇÕES FUNDAMENTAIS SOBRE DIREITOS
positivo, e sim o fundamento deste direito positivo, sendo
HUMANOS;
formado por normas que servem de justificativa a este, por
exemplo: “deve se fazer o bem”, “dar a cada um o que lhe é
devido”, “a vida social deve ser conservada”, “os contratos
devem ser observados” etc.3
Teoria geral dos direitos humanos é o estudo dos Em literatura, destaca-se a obra do filósofo Sófocles4
direitos humanos, desde os seus elementos básicos como intitulada Antígona, na qual a personagem se vê em conflito
conceito, características, fundamentação e finalidade, entre seguir o que é justo pela lei dos homens em detrimento
passando pela análise histórica e chegando à compreensão do que é justo por natureza quando o rei Creonte impõe
de sua estrutura normativa. que o corpo de seu irmão não seja enterrado porque havia
Na atualidade, a primeira noção que vem à mente lutado contra o país. Neste sentido, a personagem Antígona
quando se fala em direitos humanos é a dos documentos defende, ao ser questionada sobre o descumprimento da
internacionais que os consagram, aliada ao processo de ordem do rei: “sim, pois não foi decisão de Zeus; e a Justiça,
transposição para as Constituições Federais dos países a deusa que habita com as divindades subterrâneas, jamais
democráticos. Contudo, é possível aprofundar esta noção estabeleceu tal decreto entre os humanos; tampouco
se tomadas as raízes históricas e filosóficas dos direitos acredito que tua proclamação tenha legitimidade para
humanos, as quais serão abordadas mais detalhadamente conferir a um mortal o poder de infringir as leis divinas,
adiante, acrescentando-se que existem direitos inatos nunca escritas, porém irrevogáveis; não existem a partir de
ao homem independentemente de previsão expressa ontem, ou de hoje; são eternas, sim! E ninguém pode dizer
por serem elementos essenciais na construção de sua desde quando vigoram! Decretos como o que proclamaste,
dignidade. eu, que não temo o poder de homem algum, posso violar
Logo, um conceito preliminar de direitos humanos pode sem merecer a punição dos deuses! [...]”.
ser estabelecido: direitos humanos são aqueles inerentes O desrespeito às normas de direito natural - e porque
ao homem enquanto condição para sua dignidade que não dizer de direitos humanos - leva à invalidade da norma
usualmente são de que assim o preveja (Ex: autorizar a tortura para fins de
investigação penal e processual penal não é simplesmente
Escritos em documentos internacionais para que sejam inconstitucional, é mais que isso, por ser inválida perante
mais seguramente garantidos. A conquista de direitos da a ordem internacional de garantia de direitos naturais/
pessoa humana é, na verdade, uma busca da dignidade da humanos uma norma que contrarie a dignidade inerente
pessoa humana. ao homem sob o aspecto da preservação de sua vida e
O direito natural se contrapõe ao direito positivo, integridade física e moral).
Enfim, quando questões inerentes ao direito natural
localizado no tempo e no espaço: tem como pressuposto a
passam a ser colocadas em textos expressos tem-se a
ideia de imutabilidade de certos princípios, que escapam à
formação de um conceito contemporâneo de direitos
história, e a universalidade destes princípios transcendem
humanos. Entre outros documentos a partir dos quais
a geografia. A estes princípios, que são dados e não postos
tal concepção começou a ganhar forma, destacam-se:
por convenção, os homens têm acesso através da razão
Magna Carta de 1215, Bill of Rights ao final do século XVII e
comum a todos (todo homem é racional), e são estes Constituições da Revolução Francesa de 1789 e Americana
princípios que permitem qualificar as condutas humanas de 1787. No entanto, o documento que constitui o marco
como boas ou más, qualificação esta que promove uma mais significativo para a formação de uma concepção
contínua vinculação entre norma e valor e, portanto, entre contemporânea de direitos humanos é a Declaração
Direito e Moral.1 Universal de Direitos Humanos de 1948. Após ela, muitos
As premissas dos direitos humanos se encontram no outros documentos relevantes surgiram, como o Pacto
conceito de lei natural. Lei natural é aquela inerente à Internacional de Direitos Civis e Políticos e Pacto Internacional
humanidade, independentemente da norma imposta, e de Direitos Humanos, Sociais e Culturais, ambos de 1966,
que deve ser respeitada acima de tudo. O conceito de lei além da Convenção Interamericana de Direitos Humanos
natural foi fundamental para a estruturação dos direitos (Pacto de São José da Costa Rica) de 1969, entre outros.
dos homens, ficando reconhecido que a pessoa humana A finalidade primordial dos direitos humanos é garantir
possui direitos inalienáveis e imprescritíveis, válidos em que a dignidade do homem não seja violada, estabelecendo
qualquer tempo e lugar, que devem ser respeitados por um rol de bens jurídicos fundamentais que merecem
todos os Estados e membros da sociedade. O direito proteção inerentes, basicamente, aos direitos civis (vida,
natural é, então, comum a todos e, ligado à própria origem segurança, propriedade e liberdade), políticos (participação
da humanidade, representa um padrão geral, funcionando direta e indireta nas decisões políticas), econômicos
como instrumento de validação das ordens positivas2.
3 MONTORO, André Franco. Introdução à ciência do Direito.
1 LAFER, Celso. A reconstrução dos direitos humanos: um diálogo com o 26. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.
pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Cia. das Letras, 2009.
2 LAFER, Celso. A reconstrução dos direitos humanos: um 4 SÓFOCLES. Édipo rei / Antígona. Tradução Jean Melville.
diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Cia. das Letras, São Paulo: Martin Claret, 2003.
2009.

1
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
Orientador Social

(trabalho), sociais (igualdade material, educação, saúde ser procurado na esfera sobrenatural da revelação religiosa,
e bem-estar), culturais (participação na vida cultural) e nem tampouco numa abstração metafísica - a natureza -
ambientais (meio ambiente saudável, sustentabilidade para como essência imutável de todos os entes no mundo. Se o
as futuras gerações). Percebe-se uma proximidade entre os direito é uma criação humana, o seu valor deriva, justamente,
direitos humanos e os direitos fundamentais do homem, o daquele que o criou. O que significa que esse fundamento
que ocorre porque o valor da pessoa humana na qualidade não é outro, senão o próprio homem, considerado em
de valor-fonte da ordem de vida em sociedade fica expresso sua dignidade substancial de pessoa, diante da qual as
juridicamente nestes direitos fundamentais do homem. especificações individuais e grupais são sempre secundárias”.
As normas de direitos humanos e direitos fundamentais, A dignidade da pessoa humana é o valor-base de
por sua própria natureza, possuem baixa densidade normativa. interpretação de qualquer sistema jurídico, internacional ou
Isso significa que elas abrem alta margem para interpretação nacional, que possa se considerar compatível com os valores
e geralmente adotam a forma de princípios, não de regras. éticos, notadamente da moral, da justiça e da democracia.
Neste sentido, toma-se a divisão clássica de Alexy5, Pensar em dignidade da pessoa humana significa, acima
segundo o qual a distinção entre regras e princípios é uma de tudo, colocar a pessoa humana como centro e norte
distinção entre dois tipos de normas, fornecendo juízos para qualquer processo de interpretação jurídico, seja na
concretos para o dever ser. A diferença essencial é que elaboração da norma, seja na sua aplicação.
princípios são normas de otimização, ao passo que regras A menção constante da dignidade no que pode ser
são normas que são sempre satisfeitas ou não. Se as regras considerado o principal instrumento de declaração de direitos
se conflitam, uma será válida e outra não. Se princípios humanos universais, qual seja a Declaração Universal de
colidem, um deles deve ceder, embora não perca sua validade 1948, desde o seu início a coloca não só como principal norte
e nem exista fundamento em uma cláusula de exceção, ou de interpretação das normas de direitos humanos como um
seja, haverá razões suficientes para que em um juízo de todo, mas como a justificativa principal para a criação de um
sopesamento (ponderação) um princípio prevaleça. Enquanto sistema internacional com tal natureza de proteção.
adepto da adoção de tal critério de equiparação normativa Comparato7 aponta outros fundamentos de direitos
entre regras e princípios, o jurista alemão Robert Alexy é humanos associados à dignidade da pessoa humana:
colocado entre os nomes do pós-positivismo. a) Auto consciência: “Contrariamente aos outros
Ainda assim, é possível verificar, com relação a animais, o homem não tem apenas memória de fatos
estas normas específicas, princípios ou tendências mais exteriores, incorporada ao mecanismo de seus instintos, mas
abrangentes, que envolvem um grupo de diretrizes ou então possui a consciência de sua própria subjetividade, no tempo
indiretamente compõem todas elas. Em outras palavras, e no espaço; sobretudo, consciência de sua condição de ser
existem determinados fundamentos que pairam sobre todos vivente e mortal”.
os princípios e regras de direitos humanos e fundamentais, b) Sociabilidade: “[...] o indivíduo humano somente
como o caso da dignidade da pessoa humana, da democracia desenvolve as suas virtualidades de pessoa, isto é, de
e da razoabilidade proporcionalidade, ou referem-se homem capaz de cultura e auto aperfeiçoamento, quando
especificamente a um grupo deles, a exemplo da liberdade, vive em sociedade. É preciso não esquecer que as qualidades
da igualdade e da fraternidade. eminentes e próprias do ser humano - a razão, a capacidade de
Por isso, embora a nomenclatura princípio seja usual criação estética, o amor - são essencialmente comunicativas”.
em doutrina e jurisprudência quanto a estes elementos c) Historicidade: “A substância da natureza humana
que serão estudados neste capítulo, opta-se, para fins de é histórica, isto é, vive em perpétua transformação, pela
distinção dos demais princípios específicos, a adoção do memória do passado e o projeto do futuro”.
vocábulo fundamento. Logo, pretende-se deixar evidente d) Unicidade existencial: “outra característica essencial
que a existência de normas específicas de baixa densidade da condição humana é o fato de que cada um de nós se
normativa, adotando a forma de princípio jurídico, não exclui apresenta como um ente único e rigorosamente insubstituível
normas ainda mais abrangentes, também tomando a forma no mundo”.
de princípio, com baixíssima densidade normativa, a ponto Outro fundamento de direitos humanos é a democracia.
de poderem ser consideradas fundamentos base de todo o A adoção da forma democrática de Estado aparece como
sistema de direitos humanos e fundamentais. fundamento dos direitos humanos por ser um pressuposto
O principal fundamento de direitos humanos, sem sombra para que eles possam ser adequadamente exercidos. Em
de dúvidas, é a dignidade da pessoa humana. A exemplo do outras palavras, fora de um Estado democrático, não há
que expõe Comparato6: “Uma das tendências marcantes possibilidade de exercício pleno de nenhuma das dimensões
do pensamento moderno é a convicção generalizada de de direito: a liberdade fica tolhida pela censura, os direitos
que o verdadeiro fundamento de validade - do direito em políticos pelo impedimento da participação popular, os
geral e dos direitos humanos em particular - já não deve direitos econômicos, sociais e culturais pela manipulação de
recursos ao que é conveniente ao governo antidemocrático
5 ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. Tradução e não ao interesse coletivo, os direitos de solidariedade
Virgílio Afonso da Silva. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2011.
pela impossibilidade de criação de consciência coletiva
6 COMPARATO, Fábio Konder. Fundamento dos Direitos 7 COMPARATO, Fábio Konder. Fundamento dos Direitos
Humanos. Instituto de Estudos Avançados da USP, 1997. Disponível em: Humanos. Instituto de Estudos Avançados da USP, 1997. Disponível em:
<http://www.iea.usp.br/publicacoes/textos/comparatodireitoshumanos. <http://www.iea.usp.br/publicacoes/textos/comparatodireitoshumanos.
pdf>. Acesso em: 02 jul. 2013. pdf>. Acesso em: 02 jul. 2013.

2
NOÇÕES DE INFORMÁTICA

Conhecimentos sobre princípios básicos de informática: Microsoft Windows, MS Office Word e Excel e Internet Explorer.
Versão 2007 e/ou versão atualizada................................................................................................................................................................. 01
NOÇÕES DE INFORMÁTICA

Mesmo assim, devido ao fato de ainda ser um sistema


CONHECIMENTOS SOBRE PRINCÍPIOS operacional em desenvolvimento, nem todos os recursos
BÁSICOS DE INFORMÁTICA: MICROSOFT podem ser definitivamente considerados excluídos. Fixar
WINDOWS, MS OFFICE WORD E EXCEL E navegador de internet e cliente de e-mail padrão no menu
INTERNET EXPLORER. VERSÃO 2007 E/OU Iniciar e na área de trabalho (programas podem ser fixados
manualmente).
VERSÃO ATUALIZADA
Windows Photo Gallery, Windows Movie Maker, Win-
dows Mail e Windows
WINDOWS 7 Calendar foram substituídos pelas suas respectivas
contrapartes do Windows Live, com a perda de algumas
O Windows 7 foi lançado para empresas no dia 22 de funcionalidades. O Windows 7, assim como o Windows Vis-
julho de 2009, e começou a ser vendido livremente para ta, estará disponível em cinco diferentes edições, porém
usuários comuns dia 22 de outubro de 2009. apenas o Home Premium, Professional e Ultimate serão
Diferente do Windows Vista, que introduziu muitas no- vendidos na maioria dos países, restando outras duas edi-
vidades, o Windows 7 é uma atualização mais modesta e ções que se concentram em outros mercados, como mer-
direcionada para a linha Windows, tem a intenção de tor- cados de empresas ou só para países em desenvolvimento.
ná-lo totalmente compatível com aplicações e hardwares Cada edição inclui recursos e limitações, sendo que só o
com os quais o Windows Vista já era compatível. Ultimate não tem limitações de uso. Segundo a Microsoft,
Apresentações dadas pela companhia no começo de os recursos para todas as edições do Windows 7 são arma-
2008 mostraram que o Windows 7 apresenta algumas va- zenadas no computador.
riações como uma barra de tarefas diferente, um sistema Um dos principais objetivos da Microsoft com este
de “network” chamada de “HomeGroup”, e aumento na novo Windows é proporcionar uma melhor interação e in-
performance. tegração do sistema com o usuário, tendo uma maior oti-
· Interface gráfica aprimorada, com nova barra de tare- mização dos recursos do Windows 7, como maior autono-
fas e suporte para telas touch screen e multi-táctil (multi- mia e menor consumo de energia, voltado a profissionais
touch) ou usuários de internet que precisam interagir com clientes
· Internet Explorer 8; e familiares com facilidade, sincronizando e compartilhan-
· Novo menu Iniciar; do facilmente arquivos e diretórios.
· Nova barra de ferramentas totalmente reformulada;
· Comando de voz (inglês); Recursos
· Gadgets sobre o desktop; Segundo o site da própria Microsoft, os recursos en-
· Novos papéis de parede, ícones, temas etc.; contrados no Windows 7 são fruto das novas necessidades
· Conceito de Bibliotecas (Libraries), como no Windows encontradas pelos usuários. Muitos vêm de seu antecessor,
Media Player, integrado ao Windows Explorer; Windows Vista, mas existem novas funcionalidades exclusi-
· Arquitetura modular, como no Windows Server 2008; vas, feitas para facilitar a utilização e melhorar o desempe-
· Faixas (ribbons) nos programas incluídos com o Win- nho do SO (Sistema Operacional) no computador.
dows (Paint e WordPad, por exemplo), como no Office Vale notar que, se você tem conhecimentos em outras
2007; versões do Windows, não terá que jogar todo o conheci-
· Aceleradores no Internet Explorer 8; mento fora. Apenas vai se adaptar aos novos caminhos e
· Aperfeiçoamento no uso da placa de vídeo e memória aprender “novos truques” enquanto isso.
RAM;
· Home Groups; Tarefas Cotidianas
· Melhor desempenho; Já faz tempo que utilizar um computador no dia a dia
· Windows Media Player 12; se tornou comum. Não precisamos mais estar em alguma
· Nova versão do Windows Media Center; empresa enorme para precisar sempre de um computador
· Gerenciador de Credenciais; perto de nós. O Windows 7 vem com ferramentas e fun-
· Instalação do sistema em VHDs; ções para te ajudar em tarefas comuns do cotidiano.
· Nova Calculadora, com interface aprimorada e com Grupo Doméstico
mais funções; Ao invés de um, digamos que você tenha dois ou mais
· Reedição de antigos jogos, como Espadas Internet, computadores em sua casa. Permitir a comunicação entre
Gamão Internet e Internet Damas; várias estações vai te poupar de ter que ir fisicamente aon-
· Windows XP Mode; de a outra máquina está para recuperar uma foto digital
· Aero Shake; armazenada apenas nele.
Com o Grupo Doméstico, a troca de arquivos fica sim-
Apesar do Windows 7 conter muitos novos recursos plificada e segura. Você decide o que compartilhar e qual
o número de capacidades e certos programas que faziam os privilégios que os outros terão ao acessar a informação,
parte do Windows Vista não estão mais presentes ou mu- se é apenas de visualização, de edição e etc.
daram, resultando na remoção de certas funcionalidades.

1
NOÇÕES DE INFORMÁTICA

Tela sensível ao toque Pode, inclusive, fixar conteúdo que você considere im-
O Windows 7 está preparado para a tecnologia sensível ao portante. Se a edição de um determinado documento é
toque com opção a multitoque, recurso difundido pelo iPhone. constante, vale a pena deixá-lo entre os “favoritos”, visto
O recurso multitoque percebe o toque em diversos que a lista de recentes se modifica conforme você abre e
pontos da tela ao mesmo tempo, assim tornando possí- fecha novos documentos.
vel dimensionar uma imagem arrastando simultaneamente
duas pontas da imagem na tela. O Touch Pack para Win- Snap
dows 7 é um conjunto de aplicativos e jogos para telas
sensíveis ao toque. O Surface Collage é um aplicativo para Ao se utilizar o Windows por muito tempo, é comum
organizar e redimensionar fotos. Nele é possível montar ver várias janelas abertas pelo seu monitor. Com o recur-
slide show de fotos e criar papeis de parede personaliza- so de Snap, você pode posicioná-las de um jeito prático e
dos. Essas funções não são novidades, mas por serem feitas divertido. Basta apenas clicar e arrastá-las pelas bordas da
para usar uma tela sensível a múltiplos toques as tornam tela para obter diferentes posicionamentos.
novidades. O Snap é útil tanto para a distribuição como para a
comparação de janelas. Por exemplo, jogue uma para a es-
querda e a outra na direita. Ambas ficaram abertas e divi-
dindo igualmente o espaço pela tela, permitindo que você
as veja ao mesmo tempo.

Windows Search
O sistema de buscas no Windows 7 está refinado e es-
tendido. Podemos fazer buscas mais simples e específicas
diretamente do menu iniciar, mas foi mantida e melhorada
a busca enquanto você navega pelas pastas.

Menu iniciar
Microsoft Surface Collage, desenvolvido para usar tela
sensível ao toque. As pesquisas agora podem ser feitas diretamente do
menu iniciar. É útil quando você necessita procurar, por
Lista de Atalhos exemplo, pelo atalho de inicialização de algum programa
Novidade desta nova versão, agora você pode abrir di-
ou arquivo de modo rápido.
retamente um arquivo recente, sem nem ao menos abrir
“Diferente de buscas com as tecnologias anteriores do
o programa que você utilizou. Digamos que você estava
Windows Search, a pesquisa do menu início não olha ape-
editando um relatório em seu editor de texto e precisou fe-
nas aos nomes de pastas e arquivos.
chá-lo por algum motivo. Quando quiser voltar a trabalhar
Considera-se o conteúdo do arquivo, tags e proprieda-
nele, basta clicar com o botão direito sob o ícone do editor
des também” (Jim Boyce; Windows 7 Bible, pg 770).
e o arquivo estará entre os recentes.
Os resultados são mostrados enquanto você digita e
Ao invés de ter que abrir o editor e somente depois se
preocupar em procurar o arquivo, você pula uma etapa e são divididos em categorias, para facilitar sua visualização.
vai diretamente para a informação, ganhando tempo.
Abaixo as categorias nas quais o resultado de sua bus-
ca pode ser dividido.

· Programas
· Painel de Controle
· Documentos
· Música
· Arquivos

Exemplo de arquivos recentes no Paint.