Você está na página 1de 75

AULA 1 - Apresentação

✓ Data: 03/05 a 12/07 4 créditos


✓ Atividades: 04/05/11/05,18/05, 01/06,08/06,29/06
✓ Provas: 24/05,14/06,05/07 e recuperação 12/07
AULA 1 - Apresentação
Ementa:
Diodos de quatro-camadas. Transistores de potência. Circuitos de
disparo (redes defasores, integrados dedicados). Triac.
Retificadores controlados. Circuitos de controle de potência.
Circuitos optoacopladores.
Objetivo:
Identificar as características e leituras dos dados técnicos dos
principais diodos e transistores de potência;
Diferenciação e principais funcionalidades dos retificadores
controlados e dos circuitos de acionamento;
Exemplificar a aplicabilidade dos componentes na prática;
Desenvolver o senso crítico para a análise, interpretação e
resolução de problemas.
AULA 1 - Diodo

A junção de um material semicondutor


tipo N com um material tipo P é
denominada junção PN, estrutura básica
para muitos componentes eletrônicos
como o diodo retificador.
AULA 1 - Diodo

Skr
AULA 1 – Diodo Polarização

Skr
AULA 1 – Diodo Polarização

Id(i) = corrente direta de condução


Ir = corrente reversa de bloqueio
Vd(v) = tensão direta de condução
Vr(-Vzk) = tensão reversa de bloqueio

Skr
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Diodo Polarização

O diodo possui características elétricas que devem ser


observadas quando da sua aplicação:

Corrente direta nominal - If (Intensity forward) Essa


característica representa o valor máximo de corrente que o
diodo suporta, quando polarizado diretamente.

Tensão reversa máxima - Vr (Voltage reverse) É a tensão


máxima
que o diodo suporta quando polarizado reversamente.

Essas características variam para cada tipo de diodo e são


fornecidas pelo fabricante. Esses valores, quando superados,
causam danos irreversíveis ao componente como a queima ou
o rompimento da junção por efeito joule.
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Tipos de Diodo
AULA 1 – Exercícios

Valor do resistor limitador para os seguintes Vcc:

3,5,7,10,12
AULA 1 – Exercícios
AULA 1 – Exercícios
AULA 1 – Exercícios
Para o Circuito abaixo verificar o ponto quiescente calcular a
potência dissipada pelo diodo
AULA 1 - Introdução
A demanda para controle da energia elétrica e sistemas de
acionamento de máquinas e controles industriais existe a muito
tempo, a eletrônica de potência esta ligada justamente no controle
destas potências para conversão de energia e para o controle dos
acionamentos das máquinas elétricas.

Potência Eletrônica Controle

A eletrônica de potência é baseada no chaveamento dos dispositivos


semicondutores de potência
AULA 1 - Introdução

Relação da eletrônica de
potência com a energia e o
controle dos equipamentos
AULA 1 - Introdução

Algumas aplicações
AULA 2 - RETIFICADORES
• Material de apoio: Bibliografia
• https://www.electronica-pt.com/diodos-rectificadores
• http://www.ebah.com.br/content/ABAAAgF8UAF/eletronica-diodos-
retificadores?part=2

• Principais diferenças ente meia onda e onda completa


• Tensão média na carga
• Corrente média na carga
• Retificar em ponte
AULA 2 – RETIFICADORES – atividade 1
Exercício 1) Calcular a tensão e a corrente média na carga?
AULA 2 – RETIFICADORES – atividade 1
Exercício 2) Calcular a tensão e a corrente média na carga?
Considerar VCA menor que 10 V
AULA 3 – Reguladores de tensão, Zenner, integrado

•Atividade 2
•Levantar o principais tipos, características e
aplicações
AULA 3 – Reguladores de tensão, Zenner, integrado
•Atividade 2
AULA 3 – Reguladores de tensão, Zenner, integrado
•Atividade 2
AULA 3 – Reguladores de tensão, Zenner, integrado
•Atividade 2
Calcular o valor do resistor limitador Rs, de um regulador com
diodo zener, para as seguintes condições.
AULA 4 - Tiristores
AULA 4 - Tiristores

No controle de dispositivos de alta potência alimentados pela rede de energia


ou a partir de corrente alternada de inversores são usados dispositivos
semicondutores especiais.
Esses dispositivos, formados basicamente por estruturas de quatro camadas
pertencem à família dos tiristores.
AULA 4 - Tiristores

Os tiristores são, portanto, dispositivos capazes de conduzir correntes muito


intensas, podem ser disparados com facilidade e rapidez e além disso
admitem uma polarização inversa com tensões muito altas. Estas
características o tornam ideal para controlar cargas em circuitos de corrente
alternada.
AULA 4 - Tiristores

E um dispositivo semelhante ao diodo, mas onde pode se controlar o instante inicial de


conducao, atraves de aplicacao de corrente ao terminal de gatilho (disparo). O disparo do
Tiristor somente ocorre se VAK > 0 (o tiristor deve estar diretamente polarizado).
Quando a corrente principal (anodo-catodo) se anula ou se torna negativa, o dispositivo
bloqueia.
AULA 4 - SCRs

➢ Diodo controlado de Silício;


➢ Quatro camadas de junção;
➢ Dois transitores
AULA 4 - SCRs

✓ O pulso na base B coloca os dois em


condução;
✓ Para desligar a alimentação tem qe
desligar ou que o ânodo seja curto
circuitado com cátodo
✓ Condução direta em AC=1/2 onda
AULA 4 - SCRs
Principais especificações:
✓ Onda completa

➢ Corrente Máxima entre ânodo e


cátodo

➢ Tensão inversa máxima

➢ Tensão de disparo
AULA 4 - SCRs Formulários:
AULA 4 - SCRs Formulários:
AULA 4 - SCRs Exercícios:

Um SCR é usado num circuito para controlar uma


carga DC de 5 A. Qual é a potência dissipada por
este componente, dada a tensão de saturação de
2.0 V.
AULA 4 - SCRs Exercícios:

Qual a corrente de disparo?

O ganho dos transistor =50


Corrente de fuga= 100uA
AULA 4 - SCRs Exercícios:
Identifique as 3 regiões de operação do Tiristor
AULA 4 - SCRs Exercícios:
Para o circuito abaixo:
considerando que a tensão da fonte seja de 12 V.
O resistores são: R1 = 10 kΩ, R2 = 4,7 kΩ e R3 =
15 Ω. O LED é de potência, com tensão direta de
2 V e corrente direta de 600 mA. As informações
do tiristor TIC106 são fornecidas na folha de
dados, a ser consultada pela internet.
• A corrente do circuito;
• A potência dissipada pelo tiristor;
• A perda no resistor R3;
• A potência fornecida pela fonte;
• O rendimento do circuito.
AULA 4 - TRIACs
Dois SCRs ligados em oposição

Ao ser disparado vai conduzir nos


dois semi-ciclos. Utilizado para
chaveamento em AC
AULA 4 - TRIACs
AULA 4 - TRIACs
AULA 4 - TRIACs
Dispositivos bidirecionais com correntes intensas em ambos os sentidos
AULA 4 - TRIACs
Principais Características:

✓ Tensão máxima entre terminais ( MT1


e MT2). Temsão máxima quando off
✓ Corrente Máxima: corrente máxima
que consegue controlar;
✓ Tensão de disparo: tensão mínima
aplicada ao gate para disparar;
✓ Corrente de disparo: corrente mínima
no gate para entrar em coondução
Velocidade de dispario di/dt
AULA 4 - TRIACs
CIRCUITOS PRÁTICOS PARA DISPARO DE TRIACs:

Como vimos anteriormente existem muitas possibilidades


de se realizar na prática o disparo de um TRIAC. Pode-se então
escolher o modo mais adequado para isso, dependendo do tipo
de aplicação.
De qualquer forma, a realização do disparo resume-se em
duas variantes fundamentais:
Disparo com corrente contínua
Disparo com corrente alternada
AULA 4 - TRIACs Exercícios

Circuito 1 – explique funcionamento do circuito abaixo:


AULA 4 - TRIACs Exercícios

Circuito 2 – explique funcionamento do circuito abaixo:


AULA 4 - TRIACs Exercícios

Circuito 3 – explique funcionamento do circuito abaixo:


AULA 4 - TRIACs
CIRCUITO PRÁTICO: DIMMER
AULA 4 - TRIACs
Exercícios
Controlando Fase de
uma carga resistiva
AULA 4 - TRIACs
Exercícios

Disparo com Divisor


de tensão
AULA 5 – Transistores de junção

Atividade 3
✓ Estrutura, simbologia e funcionamento
✓ Correntes, Ganho e polarização;
✓ Gráfico ponto Quiescente;
✓ Polarização por corrente de base;
✓ Polarização por divisor de tensão;
AULA 5 – Transistores de junção
Atividade 3
Corrente de Base:

Vce=?
Imáx= ?
VRB=?
RB=?
AULA 5 – Transistores de junção
Atividade 3

Divisor de tensão:

Rc=?
Re= ?
RB1=?
RB2=?
AULA 6 – Avaliação 1
GREVE SEM AULA.
AULA 7 – SBS,PUT,SIDAC, opto-disparadores, Quadrac

Atividade 4:

Levantar as principais características e


aplicações de cada tipo de TRIAC : –
SBS,PUT,SIDAC, opto-disparadores, Quadrac
AULA 8 – Exemplo prático

Atividade 5

✓ Levantar um exemplo prático na indústria de


utilização dos tiristores
AULA 9 – Avaliação 1
AULA 10 – Aplicação na indústria dos circuito de
disparo
Atividade 6

✓ Levantar aos principais circuitos utilizados na


indústria como circuito de disparo e suas
características
Aula 11 – Ciclo de palestras FEEVALE
AULA 12–Controle dos circuitos de
potência
Atividade 7
✓ Quais são as principais características dos circuito
de controle?
✓ Cite 3 exemplos práticos destes circuitos e sua
funcionalidads
AULA 13 – Avaliação II
AULA 13 – Circuitos de disparo
Os tiristores aparecem hoje numa infinidade de aplicações
industriais que vão desde o controle direto das máquinas até de
elementos
secundários como os que fazem seu abastecimento,que
controlam o movimento das peças manuseadas e muito mais.
Esses componentes, entretanto, não operam sozinhos. Além dos
próprios circuitos de controle, existem elementos que fazem o
seu disparo, o que é fundamental para o interfaceamento
entre eles.
AULA 13 – Circuitos de disparo – Osciladores de
Relaxação
AULA 13 – Circuitos de disparo – Osciladores de
Relaxação
AULA 13 – Circuitos de disparo – controle de fase

A potência na carga
esta diretamente ligada
ao ângulo de disparo
do tiristor.
AULA 13 – Circuitos de disparo – controle de fase
AULA 13 – Circuitos de disparo – controle de fase
Desvantagens:

Não chagamos a 100% da


potência aplicada a carga;
Rendimento menor que 100%,
em torno de 96%
A comutação muito rápida
pode causar problemas em
cargas indutivas