Você está na página 1de 17

CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS.

MÉDIO 1ª CHAMADA 01 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
1ª QUESTÃO (05 escores)

MÚLTIPLA ESCOLHA

ESCOLHA A ÚNICA RESPOSTA CERTA, ASSINALANDO-A COM UM “X” NOS PARÊNTESES À ESQUERDA.

Observe a capa da Revista National Geographic Brasil (FIGURA 01) e leia o texto I, com
comentários acerca da reportagem de capa, para responder ao item 01.

FIGURA 01

(Disponível em: <http://viajeaqui.abril.com.br/materias/national-geographic-outubro-de-2016-edicao-199>. Acesso em: 04 out.


2016).
TEXTO I
RESPEITAR E CONVIVER
A história das imigrações confunde-se com a história brasileira e americana. Aqui, somos todos
frutos de uma grande mistura, do sangue dos povos autóctones com o de europeus, árabes, africanos e
asiáticos. Nossa identidade foi forjada nessa salada multiétnica, ainda que cinco séculos não sejam
capazes de conciliar muitas diferenças.
A Europa é diferente. O Velho Continente ora despacha emigrantes, ora atrai outras gentes, num
fluxo mais dinâmico e menos previsível, ao sabor das condições econômicas, da paz ou das guerras, da
dança sinuosa de fronteiras remarcadas ali ou acolá. Mais de 01 milhão de refugiados desembarcaram
em 2015 – muitos a bordo de cruzeiros suicidas em barcos lotados que tentam atravessar o Mar
Mediterrâneo –, fugindo da pobreza na África ou dos conflitos na Síria, no Afeganistão e no Iraque. A
Alemanha, onde ainda habitam fantasmas da Segunda Guerra Mundial, tem sido um destino
preferencial desses estrangeiros. O desafio é acolher a todos, garantir direitos básicos e, aos poucos,
aceitar as diferenças culturais – passo elementar para a convivência inicial. Na reportagem de capa, o
escritor Robert Kunzig, um americano criado na Europa, conta a saga dos imigrantes da perspectiva
alemã. “Há três quartos de século”, escreve ele, “os alemães estavam despachando trens lotados de

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 02 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
judeus para os campos de concentração. Conseguirão se desvencilhar desse passado tenebroso e se
tornar uma willkommenskultur – uma cultura receptiva ao outro?”.
Lições imediatas que vierem de lá podem ser úteis a dois gigantes do hemisfério ocidental, em que
pipocam perigosamente episódios de xenofobia, ódio e intolerância. Pois, nos Estados Unidos, às
vésperas do pleito presidencial, a imigração está no centro do debate eleitoral. No Brasil, o tumultuado
cenário político aponta para uma polarização radical, para visões de mundo e posições ideológicas
irreconciliáveis no curto prazo. Em ambos os casos, as duas sociedades moldadas por imigrantes estão
diante de um impasse.
(Disponível em: < http://viajeaqui.abril.com.br/materias/refugiados-respeitar-e-conviver>. Acesso em: 04 out. 2016).

01. (UEPA/2014 – Modificado) A partir da análise do Texto I e da compreensão de como a globalização


tem gerado transformações econômicas, políticas, sociais e culturais que alteram a dinâmica espacial
das diferentes regiões do mundo contemporâneo, pode-se afirmar que

( A ) o sucesso moral quanto à ajuda aos judeus e a outros grupos étnicos e religiosos, que já fugiam
da perseguição nazista antes da Segunda Guerra, e a necessidade de lidar com as muitas
pessoas deslocadas, sem ter para onde retornar, após a Guerra, explicam a expansão dos
campos de refugiados no atual contexto de globalização mundial.
( B ) a Convenção das Nações Unidas sobre o Estatuto dos Refugiados classifica a situação desse
grupo como responsabilidade dos governos locais, daí as organizações dos direitos humanos
serem desfavoráveis à determinação de políticas internacionais para resolver os problemas
gerados pelos refugiados.
( C ) no contexto da globalização, refugiados são todas as pessoas que vivem em áreas
periféricas de seus países e temem serem perseguidas por motivos étnicos, religiosos,
de nacionalidade, de grupos sociais ou opiniões políticas e, por isso, temem valer-se
da proteção de seu país de origem, necessitando da ajuda das organizações
internacionais.
( D ) a quantidade e a magnitude das crises de refugiados em todo o mundo – assim como a
expectativa por ajuda – geralmente são menores do que a capacidade da comunidade
internacional em auxiliar, o que explica o crescente número de refugiados concentrados em
diversos locais do espaço geográfico mundial.
( E ) sempre que as populações correm risco, existem aqueles que tentam fugir para países mais
seguros, porém os problemas relativos às respostas adequadas quanto à proteção dos direitos
dos refugiados, tais como lugares seguros para viver e o fornecimento de ajuda em momentos
de grande desordem mundial, são sempre garantidos.

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 03 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
Observe a charge e analise o fragmento de texto para responder ao item 02.

FIGURA 02

(Disponível em: <http://formulageo.blogspot.com.br/2012/06/charges-sobre-imigracao.html>. Acesso em 04 out. 2016).

TEXTO II

UMA ANTIGA TÉCNICA DEFENSIVA PARA CONTER UM FENÔMENO GLOBAL DO SÉCULO 21

Como se fosse um castelo medieval, cercado por hordas de bárbaros, a Grécia acaba de completar o
primeiro trecho (14,5 km) de um fosso que blindará sua fronteira terrestre com a Turquia, na região
da Trácia. [...] Quando estiver terminado, terá 120 km de comprimento - quase em paralelo ao rio
Evros, que serpenteia entre os dois países - por 30m de largura e 7m de profundidade. O buraco será
semeado de arame farpado, câmeras térmicas e sensores de movimento.

(Disponível em: < http://noticias.uol.com.br/midiaglobal/elpais/2011/08/06/grecia-constroi-uma-trincheira-para-frear-a-imigracao-


da-turquia.jhtm>. Acesso em 04 out. 2016).

02. (FGV-SP/2013) Sobre o “fosso” mencionado na reportagem acima, a alternativa correta é:

( A ) Foi idealizado pela Frontex, a agência que gerencia o controle das fronteiras externas da União
Europeia.
( B ) Visa a estancar o crescente fluxo de imigrantes ilegais que entram na União Europeia
pela fronteira turco-grega.
( C ) Trata-se de uma iniciativa conjunta dos governos de Atenas e de Ancara, com vistas a
minimizar os fluxos migratórios controlados por grupos organizados.
( D ) É parte de um amplo programa de legalização da entrada de imigrantes, que já tornou a
Grécia o país europeu que mais concede o estatuto de refugiado.
( E ) Tem como objetivo estender para as fronteiras terrestres gregas o rígido sistema de segurança
que esvaziou os campos de refugiados situados nas ilhas do Mar Egeu.

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 04 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

Leia a letra da canção Pela Internet (Texto III), de Gilberto Gil, e responda ao item 03.

TEXTO III

PELA INTERNET

Criar meu web site


Fazer minha home-page
Com quantos gigabytes
Se faz uma jangada
Um barco que veleje.

Que veleje nesse infomar


Que aproveite a vazante da infomaré
Que leve um oriki do meu velho orixá
Ao porto de um disquete de um micro em Taipe.

Um barco que veleje nesse infomar


Que aproveite a vazante da infomaré
Que leve meu e-mail até Calcutá
Depois de um hot-link
Num site de Helsinque
Para abastecer.

Eu quero entrar na rede


Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tietes de Connecticut.

De Connecticut acessar
O chefe da milícia de Milão
Um hacker mafioso acaba de soltar
Um vírus pra atacar programas no Japão.

Eu quero entrar na rede pra contactar


Os lares do Nepal, os bares do Gabão
Que o chefe da polícia carioca avisa pelo celular
Que lá na praça Onze tem um videopôquer para se jogar.

(GILBERTO GIL. Disco Quanta. Warner Music, 1997).


(Disponível em: < https://www.vagalume.com.br/gilberto-gil/pela-internet.html>. Acesso em: 04 out. 2016).

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 05 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

03. (UEMA/2013 – Adaptado) A relação entre a exclusão socioeconômica e a digital está apresentada
na seguinte assertiva:

( A ) A digital desencadeia a socioeconômica, pela relação direta entre a existência de ampla


tecnologia da informação e comunicação e a realidade dos países subdesenvolvidos.
( B ) A socioeconômica desencadeia a digital, por existir maior investimento dos países
subdesenvolvidos no acesso à tecnologia de informação e comunicação, portanto, maior
inclusão.
( C ) A socioeconômica desencadeia a digital, pois há relação igualitária entre países desenvolvidos e
subdesenvolvidos quanto ao acesso à tecnologia de informação e comunicação, e à inclusão.
( D ) A digital desencadeia a socioeconômica, à medida que o acesso às tecnologias de informação e
comunicação se dá de forma mais estruturada nos países subdesenvolvidos.
( E ) A socioeconômica desencadeia a digital, por haver uma relação desfavorável quanto
ao menor acesso dos países subdesenvolvidos à tecnologia de informação e
comunicação.

Analise o fragmento jornalístico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) para


responder ao item 04.

TEXTO IV

CHINA RESPONDE POR 38,56% DO FATURAMENTO DE MATO GROSSO DO SUL COM


EXPORTAÇÕES

A China continua a ser o principal parceiro comercial de Mato Grosso do Sul (MS). No acumulado
de janeiro a maio de 2015, o país asiático foi o responsável por 38,56% do faturamento total do estado
com as exportações, o que representou US$ 707,084 milhões de um total de US$ 1,833 bilhão em
produtos vendidos pelas empresas sul-mato-grossenses no mercado internacional.
Os dados são do Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior via Web (Aliceweb), do
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que apontam, ainda que, apesar
da importância da China para as exportações de Mato Grosso do Sul, o país vende para os asiáticos
apenas 13 produtos.
Os dois principais itens da pauta de exportações sul-mato-grossenses para a China são a soja e a
celulose. Da oleaginosa “Made in MS”, os chineses compraram 1,272 milhão de toneladas nos cinco
meses de 2015, resultando em uma receita de US$ 495,681 milhões. O valor corresponde a 70,10% de
todo o faturamento do estado com as vendas para o país. Quando analisada a importância das compras
chinesas diante do total de soja exportado pelo estado, a representatividade é ainda maior. Das 1,486
milhão de toneladas embarcadas por Mato Grosso do Sul entre janeiro e maio de 2015, 85,58% foram
para a China.
(Disponível em: < http://www.cnabrasil.org.br/noticias/china-responde-por-3856-do-faturamento-de-mato-grosso-do-sul-com-
exportacoes>. Acesso em: 04 out. 2016).

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 06 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
04. A leitura do texto permite concluir que:

( A ) Nos últimos anos, o Brasil vem aumentando exponencialmente a sua participação no comércio
de produtos de alta e média intensidade tecnológica.
( B ) O câmbio valorizado foi um dos fatores que contribuíram para o aumento das vendas externas,
tanto de commodities como de manufaturados.
( C ) O aumento da exportação brasileira de commodities, sobretudo no MS, mencionado
na reportagem, está fortemente baseado no crescimento da demanda chinesa e
asiática como um todo.
( D ) Apesar do aumento da participação das commodities na pauta de exportações, o Brasil
apresenta superávit na balança comercial dos produtos manufaturados.
( E ) A reportagem denota explicitamente que, tanto no estado do Mato Grosso do Sul, como para o
Brasil, houve maior diversificação do setor produtivo brasileiro, o que implicou em maior
participação na exportação de bens manufaturados para o período considerado.

Analise a tabela comparativa dos BRICS para responder ao item 05.

FIGURA 03

(1) em paridade de poder de compra. Posição no ranking* do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), da ONU, que mede o
desempenho de 187 países em expectativa de vida, escolaridade e renda. Fonte: FMI (estimativas para 2011), IBGE, ONU.

(Disponível em: < http://www.geografiaparatodos.com.br/img/infograficos/retrato_dos_bricsh.jpg>. Acesso em: 04 out. 2016).

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 07 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

05. A alternativa que melhor interpreta a tabela acima é:

( A ) Brasil e China, mesmo sendo os mais populosos dos BRICS, apresentam índices de
crescimento econômico elevados e, portanto, estão bem qualificados no quadro do Índice de
Desenvolvimento Humano – IDH.
( B ) O termo BRIC foi criado em 2001, pelo economista inglês Jim O'Neill, para fazer referência a
todos os países em desenvolvimento do planeta, exceto os já incorporados ao mundo
desenvolvido como Brasil, China e Rússia.
( C ) Com exceção da África do Sul, todos os demais são considerados grandes potências
econômicas em razão de terem conseguido, nos últimos 10 anos, eliminar completamente a
pobreza de seus territórios.
( D ) Esses países emergentes possuem características comuns como, por exemplo, o bom
crescimento econômico. Especialistas indicam que, em breve, a Rússia, herdeira política e
econômica da antiga União Soviética, ultrapassará facilmente o PIB da China e será a segunda
economia mundial.
( E ) Ao contrário do que algumas pessoas deduzem, esses países não compõem um bloco
econômico, apenas compartilham de uma situação econômica com índices de
desenvolvimento e situações econômicas parecidas. Eles formam uma espécie de
aliança que busca ganhar força no cenário político e econômico internacional, diante
da defesa de interesses comuns.

2ª QUESTÃO (08 escores)

VERDADEIRO OU FALSO

COLOQUE UM “X” NO RETÂNGULO COM V, QUANDO A SENTENÇA FOR DE SENTIDO


VERDADEIRO, OU NO RETÂNGULO COM F, QUANDO A SENTENÇA FOR DE SENTIDO FALSO.

Observe a Figura 04, leia o Texto V e, em seguida, julgue as assertivas do item 06.
FIGURA 04

Serra e Temer com o presidente chinês, Xi Jinping - IWASAKI MINORU / AFP

TEXTO V
PRESIDENTE TENTARÁ NEGOCIAR VENDA DE AVIÕES DA EMBRAER À ARÁBIA SAUDITA
Temer dirá que ingresso da Arábia Saudita no BRICS é visto com bons olhos

BRASÍLIA – Além de tentar fechar o máximo possível de negócios com os chineses, o presidente
Michel Temer usará a reunião do G20 para fazer negociações paralelas. O principal interesse é atrair
investimentos para a área de infraestrutura, mas outros assuntos estarão em pauta como a venda de
aviões brasileiros, a relação com a Venezuela e até uma possível nova formatação do Brics (sigla do
grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). De acordo com fontes ouvidas pelo

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 08 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
GLOBO, a Arábia Saudita quer o apoio do Brasil para entrar no bloco, o que é visto com “bons olhos”
pelos membros do grupo.
Temer conversará sobre o assunto com o vice-primeiro ministro do país, o príncipe Mohammad bin
Salman Al Saud. Agradecerá o apoio da Arábia Saudita à reforma das estruturas de governança global,
em especial do Conselho de Segurança das Nações Unidas. E tentará negociar com o príncipe aviões da
Embraer. O Brasil tem interesse em vender para os sauditas aeronaves de transporte militar e
reabastecimento KC-390.
Esse será o primeiro encontro de um chefe de Estado brasileiro com uma alta autoridade saudita
desde a visita oficial do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Riade em 2009. A Arábia Saudita é o
principal parceiro comercial do Brasil no Oriente Médio e é aliada dos Estados Unidos, país que já
declarou apoio ao novo governo brasileiro.
Temer agradecerá o apoio da Arábia Saudita na suspensão, em novembro do ano passado, do
embargo às exportações de carne bovina brasileira, medida que favoreceu o comércio bilateral.
O presidente tentará negociar as aeronaves militares da Embraer. Em reunião com o primeiro
ministro italiano, Matteo Renzi, Temer aproveitará o interesse italiano na aquisição das aeronaves. A
Itália já manifestou o interesse em comprar os aviões. As entregas devem começar no ano que vem.
Esse é um dos itens da pauta cheia com o italiano.
Ele também pedirá o apoio da Itália à negociação de acordo de livre comércio entre o Mercosul e a
União Europeia. E ainda tentará atrair investimentos italianos para a área de infraestrutura no Brasil.
Com a Itália, a relação bilateral anda boa. Há dois meses, foi fechado até um acordo para o
comércio de pequenas e microempresas e cooperação de smart-ups. No entanto, Temer terá de fazer
uma reaproximação com outros países.
É o caso da Espanha. Com Mariano Rajoy, presidente em exercício, Michel Temer terá uma agenda
mais simples e genérica. Segundo fontes ouvidas pelo O GLOBO, o presidente pedirá apoio para o acordo
dos europeus com o Mercosul e investimentos.
A última vez que chefes de Estado dos dois países se reuniram foi em 2012. O governo brasileiro
considera que essa é uma boa oportunidade para retomar contatos bilaterais de alto nível. Ele convidará
o Rei Felipe a visitar o Brasil no ano que vem. Temer quer dobrar o comércio com a Espanha até 2025.
Com o espanhol, o presidente ainda falará sobre a situação da Venezuela. Defenderá o referendo
para a manutenção ou não do presidente Nicolás Maduro no poder e dirá que a prosperidade daquele
país _ que amarga a maior retração do mundo _ é importante para o Brasil. No entanto, lembrará que as
relações estão suspensas e que o governo venezuelano sequer aceitou as doações de remédios que o
Brasil ofereceu.
Já com o primeiro ministro japonês, o interesse é a venda de carne “in natura” e frutas e
investimentos em infraestrutura. Temer dirá que quer visitar o país o mais breve possível.
(Disponível em: < http://oglobo.globo.com/economia/negocios/presidente-tentara-negociar-venda-de-avioes-embraer-arabia-
saudita-20038738>. Acesso em: 04 out. 2016).
06. De acordo com as informações abordadas no texto jornalístico, analise as assertivas que seguem.

O Presidente Michel Temer tem buscado estabelecer relações comerciais precipuamente


V F
com os países emergentes, tendo em vista que os países desenvolvidos não se
interessam por produtos brasileiros e, acima de tudo, consideram nossos produtos
ultrapassados e defasados tecnologicamente.

A EMBRAER, sediada em São José dos Campos/SP, investe massivamente no


V F desenvolvimento e implementação de bens de tecnologia de ponta, o que reflete
diretamente no incremento da participação das exportações brasileiras em aviões
comerciais e militares a diversos países do mundo, inclusive para a China.

As reuniões e encontros internacionais são de extrema importância no contexto da


V F
globalização, tanto nos aspectos comerciais, quanto políticos, pois explicitam os
interesses nacionais e destacam o posicionamento do Brasil no cenário internacional.

V F A reunião do G-20, realizada este ano na China, reforçou a posição brasileira em


permanecer com forte dependência das exportações de produtos primários, em
detrimento do setor secundário e terciário, pouco relevantes à composição do PIB
nacional.

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 09 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

Observe a Figura 05, leia o texto VI e, em seguida, julgue as assertivas do item 07.

Figura 05

(Disponível em: < http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/09/india-e-destaque-entre-brics-com-crise-no-brasil-e-


desaceleracao-da-china.html>. Acesso em: 04 out. 2016).

TEXTO VI

ÍNDIA É DESTAQUE ENTRE BRICS, COM CRISE NO BRASIL E DESACELERAÇÃO DA CHINA

País cresceu mais que a China em 2015, pela primeira vez, desde 1999. Previsão do FMI é
que a Índia continue crescendo mais que outros países.

O PIB brasileiro voltou a registrar queda no segundo trimestre de 2016, segundo mostram os dados
divulgados nesta quarta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o
Brasil e a Rússia em crise, a África do Sul registrando atividade econômica fraca e a desaceleração
chinesa, a economia indiana é destaque de expansão entre os BRICS (grupo formado por esses países).
A economia da Índia cresceu mais que a da China em 2015, pela primeira vez, desde 1999, e a
previsão do Fundo Monetário Internacional é que essa seja uma tendência pelos próximos anos.

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 10 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
No segundo trimestre de 2016, o PIB da Índia cresceu 7,1% contra o mesmo período de 2015. Na
mesma base de comparação, a economia da China teve expansão de 7%, e a do Brasil, recuo de
3,8%.
Em um ranking dos 34 países que representam 79% do PIB Mundial e que publicaram seus
resultados até o momento, a Índia lidera como o maior crescimento do PIB no segundo trimestre
(repetindo a posição do trimestre anterior). A China ocupa a terceira posição (atrás das Filipinas), e o
Brasil, a última. O levantamento é da Austin Rating.
(Disponível em: < http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/09/india-e-destaque-entre-brics-com-crise-no-brasil-e-
desaceleracao-da-china.html>. Acesso em: 04 out. 2016).

07. Sobre as principais características indianas e sua liderança no ranking de crescimento dos BRICS,
analise os enunciados a seguir, conforme dados do Texto VI.

O fato de a Índia ainda ser um país muito pobre e com forte base na agropecuária fez
V F
com que o ganho de importância da indústria e, sobretudo, do setor de serviços elevasse
a produtividade pela transferência do trabalho da agropecuária para os dois últimos
setores.

V F O esforço do governo em qualificar os trabalhadores é auxiliado pelo fato de grande


número de indianos falarem bem o francês como vantagem competitiva de mercado,
reflexo do passado colonial em que a Índia foi administrada pela França até 1947.

V F A questão cultural não pesa na economia. Os párias, que compõem o terço da população
miserável do país, mesmo sendo analfabetos, entram nas estatísticas e são considerados
como essenciais ao incremento da produtividade e do consumo indianos.

V F A Índia tem hoje uma elite de profissionais altamente qualificados em segmentos de


tecnologia, como desenvolvimento de softwares e hardwares, tendo se notabilizado na
produção de bens de alto valor. Há ainda uma política industrial com oferta de cursos de
engenharia, com estímulo ao investimento na formação de mão de obra qualificada.

3ª QUESTÃO (04 escores)

CERTO OU ERRADO

COLOQUE UM “C” OU “E” NOS PARÊNTESES À ESQUERDA, CONFORME OS CONCEITOS SEJAM


CONSIDERADOS CERTOS OU ERRADOS. NO CASO DE ERRADOS, UTILIZE A LINHA ABAIXO PARA
SUBSTITUIR A(S) PALAVRA(S) SUBLINHADA(S) PELA(S) QUE OS TORNEM CERTOS.
Analise o texto VII abaixo para, em seguida, fazer ao que se pede nos itens 08 a 12.
TEXTO VII
O surgimento dos blocos econômicos coincide com a mudança exercida pelo Estado. Em um
primeiro momento, a ideia dos blocos econômicos era diminuir a influência do Estado na economia e
comércio mundiais. Mas, a formação dessas organizações supranacionais fez com que o estado passasse
a garantir a paz e o crescimento em períodos de grave crise econômica. Assim, a iniciativa de maior
sucesso até hoje foi a experiência vivida pelos europeus. […] A busca pela ampliação desses blocos
econômicos mostra que o jogo de poder exercido pelas nações tenta garantir as áreas de influência das
mesmas, controlando mercados e estabelecendo parcerias com nações que despertem o interesse dos
blocos econômicos. Além disso, o jogo de poder também está presente internamente nos blocos, ou
seja, existem países líderes dentro do bloco, que acabam submetendo os outros países do acordo aos
seus interesses. Assim, nem sempre a constituição de um bloco econômico é benéfica a todos os
membros.
(Disponível em: < http://educacao.globo.com/artigo/globalizacao-comercio-mundial-formacao-de-blocos-economicos.html>. Acesso
em: 04 out. 2016).

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 11 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

Tendo por base o Texto VII e os aspectos inerentes ao processo de integração nas diferentes fases
de formação de um bloco econômico, analise as afirmações que seguem.

08. ( C ) A Zona de Livre Comércio corresponde à fase em que as tarifas alfandegárias são
reduzidas, ou, mesmo eliminadas. As mercadorias produzidas no âmbito dos países que
compõem esta Zona circulam livremente de um país para outro.

09. ( E ) Na fase da União Aduaneira, além das mercadorias produzidas no âmbito do bloco
circularem livremente de um país para outro, é estabelecida uma tarifa externa comum
(TEC), para o comércio com os países que não formam o bloco. Essa fase é caracterizada,
também, pela livre circulação de pessoas.
Mercado Comum. √

10. ( C ) No Mercado Comum, além do livre comércio de mercadorias entre os países-membros do


bloco e da existência de uma TEC para o comércio com países de fora do bloco, ocorre a
existência, no bloco, da livre circulação de pessoas, de serviços e de capitais.

11. ( C ) Na fase da União Econômica e Monetária, o bloco tem características da fase de Mercado
Comum, somando-se a estas uma unificação institucional do controle do fluxo monetário,
sendo estabelecida uma moeda única.

4ª QUESTÃO (08 escores)

CORRESPONDÊNCIA

EXISTEM A SEGUIR VÁRIOS CONCEITOS EM COLUNAS. COLOQUE NOS PARÊNTESES DA


COLUNA DA DIREITA O NÚMERO QUE JULGAR CORRESPONDER AO CONCEITO DA COLUNA DA
ESQUERDA. CASO NÃO HAJA CORRESPONDÊNCIA, DÊ UM TRAÇO. LEVE EM CONTA QUE PODERÁ
HAVER REPETIÇÃO DE NÚMEROS.

12. A Geografia dos Conflitos do mundo atual ainda convive com inúmeras áreas de tensão espalhadas
pelo globo. As causas principais são rivalidades étnicas, religiosas e nacionalistas e ainda os casos em
que o conflito envolve disputa entre estados ou mudanças de fronteiras. Outro exemplo de conflito é
aquele que ocorre dentro de um país (guerra civil – guerrilha), onde grupos armados objetivam a
tomada do poder, como ocorreu na Colômbia por longos 50 anos e que passa por recente cessar-fogo,
após histórico acordo entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC’s) em
entregarem as armas e aumentar a participação de partidos políticos outrora impedidos de ocuparem
espaço no Legislativo colombiano.

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 12 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

PAÍSES: CARACTERÍSTICAS:
1. Israel. (5) País do Oriente Médio, em grande parte coberto por desertos.
Banhado pelo Mar Mediterrâneo, tem fronteiras com a Turquia,
o Iraque, a Jordânia, Israel e Líbano. Recaem acusações dos
EUA de ajudar grupos terroristas, com destaque para o
palestino Hamas e o libanês Hezbollah. Encontra-se em grave
guerra civil desde 2011.

2. Palestina. (-) Disputa a região da Caxemira com o Paquistão desde a


independência da Inglaterra em 1947. O conflito é agravado,
pois as ambas nações possuem artefatos militares atômicos. Os
muçulmanos são maioria na região e lutam pelo separatismo.
Área de nascente do Rio Ganges e Indo, além de outras razões.

3. Irã. (7) País de origem da religião islâmica, em que milhões de


seguidores dirigem-se todos os anos a Medina e Meca,
consideradas cidades sagradas. Destaca-se pela produção de
petróleo, sendo responsável pela maior produção dentre os
membros da OPEP. Forte aliado estadunidense no Oriente
Médio.
4. Iraque. (1) O mais alto padrão de vida do Oriente Médio. Exército forte e
atuante, especialmente no controle de suas fronteiras. Criado
pela ONU após a 2ª Guerra Mundial, produziu como
consequência um dos maiores e mais longos conflitos da região,
que perdura até os dias atuais sem resolução.

5. Síria. (3) Economia vinculada à produção e exportação de petróleo,


sendo importante membro da OPEP. Antigo reino persa, travou
conflitos extrarregionais nas décadas de 1980 e 90 com o
Iraque. Possui bomba atômica, sendo duramente criticado pela
opinião internacional.

6. Turquia. (2) O que existia como país até 1948 hoje é dividido em três
partes: Israel, Cisjordânia e Faixa de Gaza. De maioria árabe,
disputa territórios com judeus. O conflito é de cunho religioso,
cultural, histórico, natural e territorial, além de envolver a
cidade de Jerusalém.

7. Arábia Saudita. (4) Comandado por anos pelo ditador Saddan Hussein, passou por
várias intervenções militares, comandadas pelos EUA,
conhecidas como Guerras do Golfo. Atualmente luta pela
sustentação da democracia em seu território, disputando o
controle com curdos e contra o Estado Islâmico.

(6) Possui territórios na Ásia e Europa. Foi candidata a ingressar na


União Europeia em sucessivas ocasiões, e mantida fora do bloco
pelo temor de se tornar um eixo de imigração do Oriente para
países desenvolvidos europeus, além de austeridades
econômicas que não foram implementadas.

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 13 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

5ª QUESTÃO (25 escores)

DÊ O QUE SE PEDE

13. (UFRJ – Modificado) A imagem e o texto VIII indicam aspectos de uma região conhecida como
Oriente Médio. Analise-os e responda aos subitens a) e b).

Figura 06

(Disponível em:<http://www.geografiaparatodos.com.br/index.php?pag=capitulo_2_conflitos_etnico_nacionalistas_e_separatismo>.
Acesso em: 04 out. 2016).

TEXTO VIII

“O Oriente Médio é uma região à qual a imprensa sempre se refere como uma área conturbada,
espécie de barril de pólvora com o estopim aceso, prestes a explodir. Essa imagem explica-se em
função de ser essa região do mundo o lugar onde talvez ocorram os conflitos mais intensos.”
(OLIC, Nelson B. Oriente Médio. São Paulo: Moderna. 1991. Adaptado).

a) Apresente 05 (cinco) fatores que contribuem para a deflagração dos conflitos entre países do
Oriente Médio. (05 escores)

Possíveis respostas: Entre os fatores geradores desses conflitos, encontram-se: o


petróleo ; o território ; a água ; as religiões e as facções religiosas ._____ ______

b) No que tange ao conflito árabe-israelense (Israel/Palestina), aponte 03 (três) elementos


fundamentais que deram início à discórdia e sustentam a rivalidade entre as nações citadas até
os dias atuais. (03 escores).

Possíveis respostas: O conflito entre Israel e Palestina teve origem com a criação do
Estado de Israel pela ONU, com o apoio dos EUA, logo após a Segunda Guerra Mundial
(1947), no que antes correspondia ao território da Palestina . Há intensa disputa por
locais com água e adequados à agricultura, além da questão da diversidade religiosa
que, apesar de serem constituídas por religiões monoteístas (cristianismo, islamismo
e judaísmo), possuem na cidade de Jerusalém um centro espiritual comum. Ainda,
podemos citar a influência e apoio norte-americanos a fim de garantirem a presença e
postura política e militar no Oriente Médio ._______ __________________________

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 14 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
14. (UERJ – Modificado) Analise e compare os gráficos e a tabela abaixo com os gastos militares dos
Estados Unidos da América (EUA) e do Brasil, no período considerado, para responder ao que se pede
nos subitens a), b) e c).

Figura 07 – Gastos Militares do Brasil (em bilhões de dólares)

(Disponível em: < http://www.defesa.gov.br/orcamento>. Acesso em: 07 out. 2016).

FIGURA 08 - Gastos Militares dos EUA (em bilhões de dólares)

(Almanaque Abril. Editora Abril, 2008. Adaptado).

FIGURA 09 - Gastos Militares dos EUA em 2014 (em bilhões de dólares)

(Disponível em: <http://exame.abril.com.br//mundo/noticias/os-15-paises-com-os-maiores-gastos-militares--2/lista>. Acesso em:


07 out. 2016).

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 15 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

a) Compare os gastos militares do Brasil em relação ao seu PIB (figura 07) e identifique o motivo
pelo qual houve maior investimento em defesa nacional para o período considerado.
(02 escores)

Resposta: Pela análise e observação do gráfico (figura 07), é possível constatar que,
apesar do aumento nos valores investidos para a defesa nacional do Brasil, no período
entre 2003 a 2014, o percentual do PIB aplicado recuou . Assim, o aumento verificado
no gráfico dos recursos investidos pelo Ministério da Defesa decorrem do crescimento
da economia brasileira (PIB) , e não na expansão das atividades militares no Brasil
para as três esferas das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica).__________

b) Os dados presentes na figura 08 podem ser interpretados, considerando-se o contexto


geopolítico mundial. Nesse sentido, explique os motivos da redução (1989) e/ou aumento (1991,
2001 e 2003) dos gastos militares dos EUA, relacionando-os à política externa desse país para o
período considerado (1988 – 2006). (04 escores)

Resposta: 1989 – queda do Muro de Berlim – fim da Guerra Fria ; 1991 – EUA entram
na Guerra do Golfo ; 2001 – atentados de 11 de setembro e consequente ação militar
no Afeganistão ; 2003 – início da Guerra no Iraque e “caçada” a Saddam Hussein .___

c) Com apoio da tabela (figura 09), compare o percentual investido em despesas militares do PIB
norte-americano e do PIB brasileiro para o ano de 2014. Destaque, ainda, o motivo pelo qual o
governo estadunidense dedica tantos recursos à área militar, no âmbito de sua política externa
geopolítica e postura internacional, sobretudo para o Oriente Médio. (03 escores)

Resposta: Pela análise e observação da tabela (figura 09), fica evidente que tanto o
percentual do PIB quanto os valores absolutos gastos pelos EUA em 2014 são maiores
que os gastos militares brasileiros . Isso se deve ao fato de os norte-americanos terem
uma postura ofensiva perante diversos países, agentes e instituições, assim como
grupos terroristas e organizações paramilitares pelo mundo , a exemplo do Oriente
Médio, especialmente após os atentados de 11 de setembro de 2001, em que se iniciou
a perseguição a Osama Bin Laden e ao grupo Talebã no Afeganistão, a Saddam Hussein
desde 2003 no Iraque, ao apoio ao Estado de Israel contra a Palestina, ao reforço ao
governo colombiano contra narcotraficantes e as FARC , dentre outros exemplos._____

15. Analise o fragmento jornalístico (texto IX) e observe as imagens 10 e 11 para responder ao que se
pede nos subitens a), b) e c).

Figura 10

(Disponível em: <https://www.google.com.br/search?q=bebe+sirio+morto>. Acesso em: 07 out. 2016).


Figura 11

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 16 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos

(Disponível em: <http://blogsobralcultural.blogspot.com.br/2015/09/ilustracoes-homenageiam-menino-sirio.html>. Acesso em: 07


out. 2016).
Texto IX

A GUERRA NA SÍRIA É UM PROBLEMA NO MUNDO

Só em 2015 mais de 400 mil cidadãos cruzaram o Mediterrâneo buscando espaço em outro país

Com mais de 130 mil mortos desde que começou em 2011, a guerra civil que assola a Síria
ganhou um novo capítulo recentemente. A foto de uma criança de 3 anos morta em uma praia da
Turquia virou ícone da crise migratória que atinge os países europeus. Cidadãos Sírios arriscam a vida
tentando fugir das perseguições do Estado Islâmico e da pobreza que toma conta do país.
A Organização Internacional para as Migrações (OIM) estima que até o mês de setembro de 2015
mais de 430 mil refugiados cruzaram o Mediterrâneo para a Europa. A triste realidade é que as
embarcações, sem segurança, acabam naufragando e matando milhares de imigrantes. Segundo
cálculos da OIM, mais de 2,7 mil pessoas morreram em naufrágios neste ano.
Países como Grécia, Itália e Hungria estudam a criação de centros de recepção em massas para
suportar o grande fluxo de refugiados que chegam aos países. No caso específico dos cidadãos sírios, os
Estados Unidos estudam receber no próximo ano 10 mil expatriados, a fim de amenizar o impacto
gerado nos países europeus.
[...]
Apesar de estar longe geograficamente da Síria, por exemplo, o Brasil já recebeu, desde o início
da guerra civil naquele país, mais de 2 mil refugiados sírios. Segundo o Comitê Nacional para
Refugiados, o governo está facilitando a emissão de vistos a imigrantes sírios para reduzir a entrada
clandestina no país.

(Disponível em: <http://vestibular.brasilescola.uol.com.br/blog/a-guerra-na-siria-um-problema-no-mundo.htm>. Acesso em: 07


out. 2016).

a) Cite 03 (três) elementos que contribuíram para a eclosão da guerra civil na Síria em 2011.
(03 escores)
Possíveis respostas: A Guerra Civil Síria é um conflito que teve início após uma sucessão
de grandes protestos da população a partir do mês de janeiro de 2011. Um mês depois, o
tom das manifestações ficou mais agressivo e elas se tornaram rebeliões armadas
influenciadas pelas diversas revoltas que ocorriam ao mesmo tempo no Oriente Médio: a
Primavera Árabe√.___________________________________ __
Os grupos de oposição, ao se manifestarem de forma incisiva, têm o objetivo de derrubar
Bashar al-Assad, presidente do país, para iniciar um processo de renovação política e criar
uma nova configuração à democracia da Síria√. Porém, a situação acredita que as ações do
Exército Sírio Oficial, que pratica ações violentas contra os manifestantes, são formas de

SSAA / STE / CMCG 2016


CMCG AE3/2016 – GEOGRAFIA 3º ANO DO ENS. MÉDIO 1ª CHAMADA 17 Visto:

GABARITO
Assinado por
Ten Oliveira
Santos
combate aos terroristas que pretendem desestabilizar a nação. Devido a isso, teve início
uma mobilização envolvendo os veículos de comunicação e a sociedade, que exigiram mais
transparência dos políticos√, liberdade de expressão√ e promulgação de um novo
conjunto de leis√._ ___ _ _____
Voltando ao ano de 1962, pode-se fazer uma análise da situação da Síria e descobrir o
porquê do tom emergencial dos protestos. Naquele ano, foram suspendidas as medidas de
proteção aos cidadãos do país, que estavam previstas na constituição anterior√.
Considerado um ditador, Hafez al-Assad manteve-se no poder da nação durante três
décadas, passando o posto para o seu filho Bashar al-Assad, que se mantém no poder com
mão de ferro desde 2000√.______ _______________ ___

b) Apresente 03 (três) possíveis soluções para o contingente de refugiados sírios pela comunidade
internacional. (03 escores)

Possíveis respostas: Algumas propostas de países da União Europeia sugerem que seja
implementada uma política de cotas para que as pessoas que chegam ao continente sejam
distribuídas entre os países europeus√. É pensada também a criação de meios para que os
cidadãos deixem seu país na condição de refugiados de maneira ilegal; assim, diminuiria
consideravelmente o número de mortos em embarcações irregulares√.___ ___

No entanto, é impossível discutir a imigração como um problema apenas do país que


recebe essas pessoas. A questão que precisa ser revista é que, se sírios ou não, há um
problema na nação de origem desses indivíduos e que não basta somente regular ou frear
esse movimento migratório√._____________ _______ ________ ______

Apesar das medidas tomadas para facilitar a vida do imigrante, até mesmo em parceria
com as Nações Unidas (ONU), a ferida é muito mais profunda. Não basta apenas esvaziar a
Síria ou os países acometidos por guerra ou miséria, faz-se necessário intensos esforços
para aliviar o sofrimento desses povos, a fim de que permaneçam em suas pátrias√.__ _

c) Comente sobre a atuação russa no conflito da Síria, bem como sobre a inserção e participação do
Estado Islâmico na guerra civil. (02 escores)

Resposta esperada: O que começou como um levante da Primavera Árabe contra um líder
ditatorial, foi se transformando em uma guerra brutal, envolvendo potências regionais e
globais. Irã e Rússia dão sustentação ao governo Assad. O início dos bombardeios russos
sobre a Síria, a partir de outubro de 2015, complicou ainda mais o tabuleiro dessa guerra
pelo poder √._________ ____________________ _______
Capitalizando no caos da região, o "EI" assumiu o controle de grandes zonas no norte e no
leste da Síria. Seus combatentes agora estão envolvidos em uma "guerra entre guerras",
lutando contra os rebeldes, com os jihadistas da Al-Qaeda afiliados à Frente Nusra, que
rejeitam as táticas do "EI", contra os curdos e contra as forças do governo √.______ ____

FIM DA PROVA

SSAA / STE / CMCG 2016