Você está na página 1de 3

Como a Bíblia pode ajudar jovens e adolescentes suicidas

A Bíblia nos traz muitas palavras que podem ajudar a quem pensa em suicídio,
mais a princípio é o cristão que precisa ajudar, sendo um bom amigo, ouvindo, levando
uma palavra de apoio, compreensão, como podemos ver nas palavras de Rick1 e Kay
Warren, que em 2013, perderam um filho pelo suicídio e mudaram a maneira de
pensar de sua igreja.

"A Igreja Saddleback sempre foi uma congregação acolhedora e convidativa


para quem precisa, mas tornou-se um lugar ainda mais compassivo à medida que
expandimos nossas conversas em torno da doença mental. Ouvimos as histórias
daqueles que viviam com problemas assim e aprendemos o que podemos fazer
para apoiar mais plenamente indivíduos e famílias em uma crise de saúde mental",
escreveu Kay Warren em uma publicação anterior do Facebook, que foi
compartilhada por seu marido.
"Como sobreviventes de uma perda para o suicídio, Rick e eu conhecemos
em primeira mão a agonia quase insuportável que acompanha o suicídio de alguém
que você ama. Nós sofremos por aqueles em nossa congregação que estão
passando por momentos de desespero. Esses amigos, irmãos e irmãs em Cristo,
precisam saber que sua igreja é um lugar seguro para compartilhar o tormento
interior de sua dor e que sua dor será vista com profunda compaixão e aceitação".

Nosso papel como igreja é muito importante para ajudar um jovem propenso
ao suicídio não tratando isso como tabu ou falta de fé, todos passamos por problemas
e precisamos estar prontos a ajudar àquele que precisa, pois mesmos líderes passam
por dificuldades e por isso devemos nos unir, orar uns pelos outros e buscar
conhecimento pois todos temos limites e seguir as palavras de Karen Bomilcar2:

Precisamos de abertura às parcerias e encaminhamentos, agregando todos


os recursos que Deus nos doou e disponibilizou nas diferentes áreas de
conhecimento e atuação, para que o cuidado seja integral. Somos seres bio-psico-
sociais-espirituais e precisamos cuidar de todos estes aspectos que compõe o todo.
Sejam líderes, membros da comunidade, psicólogos, psiquiatras, terapeutas
ocupacionais, etc, todos contribuindo para que este cuidado seja mais amplo e
eficaz.

Marcos quaresma também nos apresenta algumas dicas muito importantes


para lidar com essas pessoas e em seu artigo3 ele cita algumas coisas que podem
ajudar no tratamento destas pessoas:

1 WARREN, Rick. Rick Warren ensina como ajudar um suicida: “Devemos oferecer uma

palavra de apoio”. Disponível em: <https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/rick-warren-ensina-


como-ajudar-um-suicida-devemos-oferecer-uma-palavra-de-apoio.html>. Acesso em 02 jun 2018.
2 Psicóloga clínica hospitalar, mestre em Teologia e Estudos Interdisciplinares pelo Regent

College (Canadá). Atualmente reside em São Paulo (SP) onde serve no discipulado e cuidado
pastoral de pessoas de diversas comunidades cristãs.
3 http://sepal.org.br/blog-sepal/suicidio-de-pastores-e-lideres-uma-reflexao-necessaria/ acesso

em : 02/06/18 as 18:36.
 Fazer algo que traga alegria, prazer: ver filmes, pescar, caminhar, nadar,
dançar, viajar. Atividades que o façam se sentir mais humano;
 Encontrar um amigo que o aceite como é, com suas bobagens e
defeitos, com quem se possa jogar conversa fora e não se saiba explicar
o porquê da amizade. Ela apenas existe, nada mais, sendo inclusive
possível fora de sua igreja local;
 Encontrar um conselheiro ou terapeuta de confiança para abrir a alma.
Pessoas de confiança, “Titos” e “Marcos” são imprescindíveis nas horas
difíceis, diante das lutas da vida que parecem invencíveis.

Vivemos em uma época em que todos estão conectados, porém ao mesmo


tempo em que temos muitos “amigos” estamos distantes uns dos outros como nunca,
esse distanciamento causa uma solidão que leva a diversos problemas que podem
levar jovens e adolescentes ao suicídio, porém temos na Palavra de Deus muitos
ensinos que podem ser de muito auxilio para lidar com estas pessoas como podemos
ver abaixo:

1) A Bíblia não contém um mandamento explícito que proíba o suicídio


porque subentende-se que Deus criou o homem, que Ele é o sustentador, o doador
da vida, e que deseja proteger e abençoar a vida humana (Gn.1.27, 28; Êx.20.13;
Dt.5.17; Jo.10.10).
2) O suicídio sempre é errado porque é o assassinato de um ser humano
feito à imagem de Deus (Gn.1.17, 18; Êx.20.13; Dt.5.17). É paradoxal concluir-se que
a melhor coisa que alguém pode fazer para si é destruir a si mesmo. Como pode o
melhor para si ser o ato final contra si?
3) O suicídio é errado porque a Bíblia ensina que devemos amar uns aos
outros como a nós mesmos (Mt.22.39; Ef.5.29).
4) O cristão que se mata por desespero ou por descontrole emocional ou
mental peca porque não crê numa intervenção de Deus, mas, mesmo assim, não se
separa do amor do Criador (Rm.8.38,39; 14.7-9).
5) O suicídio é errado porque a pessoa julga não ter mais nenhum outro
recurso para resolver seu problema, enquanto a Bíblia nos convida a confessar
nossos pecados e a lançar nossa ansiedade sobre Cristo (1 Jo.1.7; 1. Pe.5.7).
6) A solução para os candidatos ao suicídio é acabar com as práticas
malignas do espiritismo (1 Sm.31.4); com a vida mentirosa e enganosa (Judas em
Mateus 27.5); confessar os pecados (1 Jo.1.7); valorizar a si mesmo (Mt.22.39);
conviver positivamente com as tensões e angústias (Jo.14.17, 27; 16.33); aprender a
confiar em Cristo em todo momento da vida; lançar os problemas sobre Jesus; crer
na suprema providência e graça divina; e aceitar o fato de que Cristo veio ao mundo
para oferecer vida eterna e abundante (Jo.10.5). Cristo valoriza e direciona a vida. Ele
dá à vida seu valor real (Jo.10.10). Ele é a vida (Jo.11.25; 14.6) e dá Sua vida
(Jo.10.18).

“O suicídio é um gesto de solidão, os últimos e decisivos motivos quase sempre


permanecem ocultos. ” Só o Senhor pode dar graça e perdão para que as pessoas,
independentemente dos problemas que estão passando, não pensem que a solução
de seus problemas está em dar cabo da própria vida.4

A igreja precisa estar atenta a essas situações, pois mesmo entre seus
membros há jovens e adolescentes que já pensaram ou pensam em tirar a própria
vida e através da palavra de Deus podemos trazer este apoio que é necessário para
evitar um suicídio, não podemos nos calar diante dos índices que vem aumentando a
cada ano, nós temos a Verdade e devemos transmitir essa Verdade para salvar vidas.

4 REIFLER, Hans Ulrich. A Ética dos Dez Mandamentos: Um Modelo de Ética para os Nossos

Dias. São Paulo: Vida Nova, 1992, p. 123, 124.

Interesses relacionados