Você está na página 1de 12

Introdução ao Azure

Comece a usar o Azure criando e configurando sua primeira máquina virtual na nuvem.

Neste módulo, você irá:

 Saiba o que é o Microsoft Azure e como se relaciona com a computação em nuvem.


 Veja como é fácil iniciar sua primeira máquina virtual, adicionar um servidor da Web e
expandir seu servidor quando precisar de mais energia.
 Comece a construir as habilidades fundamentais necessárias para mudar o mundo ou
conquistar o emprego dos seus sonhos.
Introdução
Você já ouviu falar sobre a nuvem - escala , elasticidade , microsserviços . Talvez você já tenha
visto outras empresas serem bem-sucedidas com a nuvem e se perguntado como isso pode
ajudá-lo a superar seus desafios de negócios ou até mesmo aumentar sua carreira. Você sabia
que mais de 90% das empresas da Fortune 500 são executadas no Microsoft Cloud?

A nuvem ajuda a impulsionar sua vida diária e, geralmente, está presente de maneiras que
você nem percebe. Neste novo mundo conectado, acreditamos que a tecnologia cria
oportunidades. Para acompanhar o mundo digital de hoje em constante mudança, a
compreensão do que é tecnologia de nuvem pode ajudar a alinhar sua carreira com essa
incrível revolução.

Em menos tempo do que leva para fazer uma refeição, você criará sua primeira máquina
virtual no Azure e a configurará para executar um site básico, um bloco de construção
fundamental de tudo – da transformação digital à próxima nova empresa de sucesso.

Para iniciar sua jornada rumo à nuvem, você vai:

 Saber o que é o Microsoft Azure e como ele está relacionado à computação em


nuvem.
 Usar o Azure Cloud Shell para iniciar uma máquina virtual do Windows ou do Linux.
 Configurar sua máquina virtual para executar um servidor Web básico.
 Escalar o servidor verticalmente para dar-lhe mais poder de computação.

Vamos começar com uma breve visão da computação em nuvem no Azure.

O que é o Azure?
O Azure é a plataforma de computação em nuvem da Microsoft. O Azure está aqui para ajudá-
lo a enfrentar os desafios de negócios mais difíceis. Você traz seus requisitos, sua criatividade e
suas ferramentas de desenvolvimento de software favoritas. Nós trazemos uma ampla
infraestrutura global que está sempre disponível para que você possa criar aplicativos.

Como funciona o Azure?


Assisitir o video

O que é a computação em nuvem?

Computação em nuvem é a distribuição de serviços de computação pela Internet usando um


modelo de preço pago conforme o uso. Em outras palavras, é uma maneira de alugar poder de
computação e armazenamento do data center de outra empresa.

Em vez de manter as CPUs e o armazenamento em seu data center, você os aluga durante o
tempo necessário. O provedor em nuvem é responsável por manter a infraestrutura
subjacente para você.

Você pode tratar os recursos de nuvem como faria com os recursos em seu próprio data
center. Quando terminar de usá-los, bastará devolvê-los. Você será cobrado apenas pelo que
usar.

Embora tudo isso seja ótimo, o valor real da nuvem está em permitir que você resolva
rapidamente seus desafios empresariais mais difíceis e ofereça soluções de ponta para seus
usuários.

Por que devo mudar para a nuvem?

A nuvem ajuda você a avançar com mais rapidez e a inovar de maneiras que antes eram quase
impossíveis.

Em nosso mundo digital em constante mudança, surgem duas tendências:

 As equipes estão fornecendo novos recursos para seus usuários em tempo recorde.
 Os usuários finais esperam uma experiência cada vez mais sofisticada e envolvente
com seus dispositivos e o software.
Antes, os lançamentos de software eram agendados para ocorrerem em meses ou, até
mesmo, anos. Atualmente, as equipes liberam recursos em lotes menores. Agora, as versões
costumam ser agendadas para ocorrerem em dias ou semanas. Algumas equipes até mesmo
fornecem atualizações de software continuamente – às vezes, com várias versões no mesmo
dia.

Pense em todas as maneiras pelas quais você interage com os dispositivos que não podia
apenas a alguns anos atrás. Muitos dispositivos podem reconhecer sua face e responder a
comandos de voz. A realidade aumentada muda a forma como você interage com o mundo
físico. Até mesmo os aparelhos domésticos estão começando a funcionar de modo inteligente.
Esses são apenas alguns exemplos, muitos dos quais são ativados pela nuvem.

Para impulsionar seus serviços e fornecer experiências do usuário novas e inovadoras mais
rapidamente, a nuvem fornece acesso sob demanda a:

 Um pool quase ilimitado de componentes brutos de rede, armazenamento e


computação.
 Reconhecimento de fala e outros serviços cognitivos que ajudam a dar destaque ao
seu aplicativo em meio a tantos outros.
 Serviços de análise que permitem que você compreenda os dados telemétricos
recebidos do software e dos dispositivos.

Vamos ver como o Azure se encaixa na computação em nuvem.

O que posso fazer no Azure?

O Azure fornece mais de 100 serviços que permitem que você faça de tudo, da execução de
aplicativos existentes em máquinas virtuais à exploração de novos paradigmas de software,
como bots inteligentes e realidade misturada.

Muitas equipes começam a explorar a nuvem movendo seus aplicativos existentes para
máquinas virtuais executadas no Azure. Embora migrar seus aplicativos existentes para
máquinas virtuais seja um bom começo, a nuvem é mais do que simplesmente "um local
diferente para executar suas máquinas virtuais".
Por exemplo, o Azure fornece serviços de IA e de aprendizado de máquina que podem se
comunicar naturalmente com seus usuários por meio da visão, da audição e da fala. Ele
também fornece soluções de armazenamento que aumentam dinamicamente para acomodar
grandes quantidades de dados. Os serviços do Azure proporcionam soluções que
simplesmente não são viáveis sem o poder da nuvem.

Resumo

Dito de modo simples, a computação em nuvem permite que você alugue potência de
computação e armazenamento em vez de comprar ativos físicos, como CPUs e
armazenamento. O Azure, a plataforma de computação em nuvem da Microsoft, gerencia os
ativos físicos para você, de modo que você possa se concentrar menos na infraestrutura e mais
na criação de seu próximo grande aplicativo.

Mas o Azure é muito mais do que um data center distribuído. O Azure fornece vários tipos de
serviços que vão muito além do que você pode fazer com software e hardware de mercadoria.
Esses serviços vão da análise de Big Data à capacidade de se comunicar naturalmente com
seus usuários.

Com o acesso à infraestrutura e aos serviços do Azure, você oferece com rapidez recursos
novos e inovadores para seus usuários. Projetos que antes levavam meses agora podem ser
geralmente concluídos em semanas ou dias.
Criar uma máquina virtual
Esta unidade requer uma área restrita para ser concluída

A área restrita dará acesso gratuito aos recursos do Azure necessários para concluir esta
unidade. Não haverá cobranças na sua assinatura do Azure.

Escolha qual plataforma você deseja executar na nuvem

Como profissional de tecnologia, provavelmente você têm experiência em uma área específica.
Talvez você seja administrador de armazenamento ou especialista em virtualização ou talvez
esteja concentrado nas mais recentes práticas de segurança. Se você é aluno, talvez ainda
esteja explorando o que mais lhe interessa.

Independentemente da função, a maioria das pessoas começa a usar a nuvem criando uma
máquina virtual. Aqui você estabelecerá uma máquina virtual executando o Windows Server
2016.

Há muitas maneiras de criar uma máquina virtual no Azure. Aqui, você estabelecerá uma
máquina virtual do Windows ou Linux usando um terminal interativo chamado Cloud Shell. Se
você trabalha no terminal diariamente, sabe que essa geralmente é a maneira mais rápida de
fazer o trabalho.

Dica

Prefere o Linux ou deseja tentar algo novo? Selecione Linux na parte superior desta página
para executar uma máquina virtual do Linux.

Vamos analisar alguns termos básicos e colocar sua primeira máquina virtual em
funcionamento.
O que define uma máquina virtual no Azure?
Uma máquina virtual é definida por uma série de fatores, incluindo seu tamanho
e sua localização. Antes de você criar sua VM, vamos abordar rapidamente o
que está envolvido.

Size

Um tamanho de VM define a velocidade do processador, a quantidade de memória, a


quantidade inicial de armazenamento e a largura de banda da rede esperada. Alguns
tamanhos até mesmo incluem hardware especializado, como GPUs para renderização
gráfica pesada e edição de vídeo.

Region

O Azure é composto por data centers distribuídos em todo o mundo. Uma região é um
conjunto de data centers do Azure em uma localização geográfica nomeada. Todos os
recursos do Azure, incluindo máquinas virtuais, é atribuído a uma região. O Leste dos
EUA e a Europa Setentrional são exemplos de regiões.

Network

Uma rede virtual é uma rede isolada logicamente no Azure. Cada máquina virtual no
Azure está associada a uma rede virtual. O Azure fornece os firewalls no nível da
nuvem para suas redes virtuais chamados de grupos de segurança de rede.

Resource groups

As máquinas virtuais e outros recursos de nuvem são agrupados em contêineres lógicos


denominados grupos de recursos. Normalmente, os grupos são usados para organizar
conjuntos de recursos que são implantados juntos como parte de um aplicativo ou
serviço. O grupo de recursos é referenciado por seu nome.

O que é o Azure Cloud Shell?


O Azure Cloud Shell é uma experiência de linha de comando baseada em navegador para
gerenciamento e desenvolvimento de recursos do Azure. Pense no Cloud Shell como um
console interativo que é executado na nuvem.

O Cloud Shell fornece duas experiências para escolher: Bash e PowerShell. Ambos incluem
acesso à CLI do Azure, ou seja, à interface de linha de comando do Azure.
Você pode usar qualquer interface de gerenciamento do Azure, incluindo o portal do Azure, a
CLI do Azure e o Azure PowerShell, para gerenciar qualquer tipo de VM. Para fins de
aprendizado, aqui você usará a CLI do Azure para criar e gerenciar uma VM do Linux ou do
Windows.

Observação

Verifique se você ativou a área restrita antes de continuar com estas instruções.

Criando recursos no Azure


Normalmente, a primeira coisa a fazer é criar um grupo de recursos para
armazenar tudo o que precisamos criar. Isso nos permite administrar todas as
VMs, discos, adaptadores de rede e outros elementos que compõem a solução
como uma unidade. Podemos usar a CLI do Azure para criar um grupo de
recursos com o comando az group create. É necessário um --namepara
fornecer a ele um nome exclusivo em nossa assinatura, e um --location para
informar ao Azure em qual área do mundo desejamos que os recursos estejam
localizados por padrão.

Como estamos no ambiente gratuito da área restrita do Azure, você não precisa
realizar esta etapa. Neste caso, use o grupo de recursos pré-criado [Nome do
Grupo de Recursos].

Escolhendo uma localização


A área restrita gratuita permite que você crie recursos em um subconjunto de regiões globais
do Azure. Selecione uma região na lista a seguir ao criar algum recurso:

 westus2
 westcentralus
 southcentralus
 centralus
 eastus
 westeurope
 southeastasia
 japaneast
 brazilsouth
 australiasoutheast
 centralindia
Criar uma VM do Windows
Vamos colocar sua VM do Windows em funcionamento.

1. No Cloud Shell, no lado direito desta página, execute o comando az vm


create a seguir para criar a VM. O comando cria a VM no local "Leste dos
EUA", mas é possível alterar isso para um dos locais listados acima –
recomendamos que você selecione um próximo de você.

Azure CLI
az vm create \
--name myVM \
--resource-group [sandbox resource group name] \
--image Win2016Datacenter \
--size Standard_DS2_v2 \
--location eastus \
--admin-username azureuser

Embora você possa especificar a senha do administrador do Windows por meio do comando,
aqui você deverá inserir uma. Escolha uma senha que contenha, pelo menos, 12 caracteres
com uma combinação de maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. Não use uma senha
que você usa em outro lugar.

A VM levará de quatro a cinco minutos para ser exibida. Compare isso com o tempo necessário
para comprar, montar em colocar no rack e configurar um sistema em seu data center. É uma
grande diferença.

Enquanto você aguarda, vamos analisar o comando que acabou de ser executado.

 A VM é chamada myVM. Esse nome identifica a VM no Azure. Ele também se torna o


nome do host ou o nome do computador interno da VM.
 O grupo de recursos ou o contêiner lógico da VM é nomeado [nome do grupo de
recursos da área restrita].
 Win2016Datacenter especifica a imagem de VM do Windows Server 2016.
 Standard_DS2_v2 refere-se ao tamanho da VM. Esse tamanho tem duas CPUs virtuais
e 7 GB de memória.
 O nome de usuário e a senha permitem que você se conecte à VM mais tarde. Por
exemplo, você pode se conectar pela Área de Trabalho Remota ou o pelo WinRM para
configurar o sistema e trabalhar com ele.

Por padrão, o Azure atribui um endereço IP público à sua VM. Você pode configurar uma VM
para ser acessível pela Internet ou somente pela rede interna.

Você também pode assistir a este breve vídeo sobre algumas das opções para criar e gerenciar
VMs.

Quando a VM estiver pronta, você verá informações sobre ela. Aqui está um exemplo.

JSON
{
"fqdns": "",
"id": "/subscriptions/00000000-0000-0000-0000-
000000000000/resourceGroups/myResourceGroup/providers/Microsoft.Comput
e/virtualMachines/myVM",
"location": "eastus",
"macAddress": "00-0D-3A-1E-1B-3B",
"powerState": "VM running",
"privateIpAddress": "10.0.0.5",
"publicIpAddress": "104.211.9.245",
"resourceGroup": "myResourceGroup",
"zones": ""
}

Resumo

Com apenas alguns conceitos em mente, você é capaz de criar uma VM no Azure em apenas
alguns minutos. Muitos desses conceitos, como tamanho da VM e regras de firewall,
provavelmente já são familiares para você.

Em seguida, você instalará um servidor Web em sua VM e configurará seu servidor Web para
atender a um site básico.
Adicionar um servidor Web
Agora que sua VM está em funcionamento, vamos fazer algo com ela. Aqui, você instalará um
servidor Web e atenderá a uma página da Web básica que exibe o nome do host da VM.

Para configurar uma VM, há várias opções. Você pode se conectar diretamente e configurar o
sistema interativamente. Por exemplo, em sistemas Windows, você pode criar uma sessão da
Área de Trabalho Remota para conectar-se à interface do usuário do computador Windows
remoto como se você estivesse usando ele. Em sistemas Linux, você pode criar uma conexão
SSH para trabalhar de forma segura com o sistema Linux remoto por meio do terminal.

A configuração manual é um bom começo, mas conforme você adiciona sistemas, você pode
automatizar suas implantações. A automação envolve a execução de processos repetíveis,
como programas e scripts, que cuidam do trabalho pesado para você.

Aqui, você configurará o IIS remotamente por meio da sessão do Cloud Shell usando um
recurso das máquinas virtuais do Azure baseadas em Windows chamado de Extensão de Script
Personalizado.