Você está na página 1de 25

JUÍZO : 1 a.

VARA DA FAMÍLIA VILA


PRUDENTE
FEITO Nº : 7184/02, CONTR. 2323

Meritíssimo Juiz:

Requeiro a citação do devedor dos


termos da execução para pagamento ou justificativa da impossibilidade
em relação aos alimentos em atraso, sob pena de decretação da
prisão civil do devedor, por inadimplemento da obrigação alimentar (art.
5o., LXVII, da Constituição Federal e art. 733, do Código de Processo
Civil).

São Paulo, 11/junho/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 8777/02,CONTR.2879/02

Meritíssimo Juiz:

Requeiro a remessa ao contador


para o cálculo e posterior citação do devedor dos termos da execução
para pagamento ou justificativa da impossibilidade em relação aos
alimentos em atraso, sob pena de decretação da prisão civil do
devedor, por inadimplemento da obrigação alimentar (art. 5 o., LXVII, da
Constituição Federal e art. 733, do Código de Processo Civil).

São Paulo,15/Julho/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 8822/02, CONTR. 2880/02

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa em


relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código de Processo Civil).
Requeiro a designação de audiência
de conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.
Requeiro mais ofício à empregadora
para desconto dos alimentos daqui por diante e pagamento à
representante legal do menor.

São Paulo, 11/setembro/2.002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 4176/01, CONTR. 1385

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa da


impossibilidade em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código
de Processo Civil). Alegou preliminares.
As preliminares merecem fácil rejeição. A
falha de representação foi sanada. A prescrição não corre contra
filhos menores (arts. 168, II, e 169, I, Código Civil). Há interesse de
agir flagrante na execução de alimentos não pagos pelo pai. A ausência
de exigência anterior do credor não é causa remissiva nem inibe a
cobrança, remanescendo a obrigação do devedor.
Requeiro a designação de audiência
de conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.
São Paulo, 02/agosto/2.002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 4859/02, CONTR. 1431

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa da


impossibilidade em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código
de Processo Civil). Alegou preliminares.
As preliminares merecem fácil rejeição.
A alegada falha de representação não inibe o prosseguimento da ação,
tendo em vista que o filho é credor mas a obrigação deve ser paga à
mãe (art. 934, Código Civil), também com legitimidade e interesse em
figurar no pólo ativo da relação processual. A prescrição não corre contra
filhos menores (arts. 168, II, e 169, I, CC). Há interesse de agir flagrante
na execução de alimentos não pagos pelo pai. A ausência de exigência
anterior do credor não é causa remissiva nem inibe a cobrança,
remanescendo a obrigação do devedor.
Requeiro a designação de audiência de
conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.
São Paulo, 26/agosto/2.002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 12640/00

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa da


impossibilidade em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código
de Processo Civil). Alegou remissão.
Não há nenhuma situação que
caracterize remissão no presente caso, envolvendo a cobrança de
alimentos. Se a credora dificultava o recebimento incumbia ao devedor
efetuar a comunicação ao Juízo do processo ou efetuar depósito
bancário, inclusive previsto no acordo. A ausência de exigência anterior
da credora não é causa remissiva. Remanesce a obrigação do devedor.
Requeiro a designação de audiência de
conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.
São Paulo, 05/abril/2.002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 6658/01, CONTR. 2308

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa da


impossibilidade em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código
de Processo Civil). Apresentou comprovantes de pagamentos parciais.
Requeiro a designação de audiência de
conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.
São Paulo, 03/outubro/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 8779/02, CONTR. 2882

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa da


impossibilidade em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código
de Processo Civil). Propôs parcelamento do débito.
A proposta de parcelamento é
adequada e compatível com as condições financeiras do devedor.
Atende em parte aos interesses do credor.
Requeiro a concessão do
parcelamento proposto pelo devedor, o qual deve iniciar o cumprimento
dos pagamentos desde logo.
São Paulo, 12/setembro/2.002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 5063/01

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu justificativa da


impossibilidade em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código
de Processo Civil). Propôs parcelamento do débito.
A proposta de parcelamento é
adequada e compatível com as condições financeiras do devedor.
Atende em parte aos interesses do credor.
Requeiro a concessão do
parcelamento proposto pelo devedor, o qual deve iniciar o cumprimento
dos pagamentos desde logo.
Requeiro mais ofício à empregadora
para desconto dos alimentos daqui por diante e pagamento à
representante legal do menor.
São Paulo, 12/setembro/2.001.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 4608/02, CONTR. 1446

Meritíssimo Juiz:

O devedor ofereceu pessoalmente


justificativa em relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código de
Processo Civil), alegando falta de condições de cumprir a obrigação.
Em resposta, o credor alegou falta de
capacidade postulatória do devedor e que o desemprego não é óbice
ao pagamento.
A capacidade postulatória nas causas
de alimentos é simplificada, podendo a defesa ser feita por advogado
ou pelo próprio devedor, nos termos do art. 2o. e seguintes, da Lei 5.478,
por analogia. São aplicáveis os princípios constitucionais da isonomia,
autodefesa, amplo acesso à justiça, ampla defesa, contraditório e devido
processo legal, especialmente pelo risco iminente de restrição ao direito
de liberdade, que expressam as garantias constitucionais do cidadão (art.
5o., da CF). Ademais, o Estado tem obrigação constitucional de
fornecer assistência judiciária integral aos necessitados (art. 5º,
LXXIV, CF), serviço que não é fornecido de forma ampla e satisfatória à
população, provavelmente por dificuldades estruturais da PAJ e não
instalação da Defensoria Pública, apesar dos esforços e dedicação dos
profissionais que atuam na área. Isso é notório! Por rejeição da restrição
feita pelo credor, com a manutenção nos autos e consideração da defesa
feita pelo próprio devedor.
O desemprego e as demais alegações
de falta de cumprimento da obrigação necessitam de prova.
Requeiro a designação de audiência de
conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias. Também a nomeação
de defensor dativo ao devedor.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.

São Paulo, 04/setembro/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 12261/00, CONTR. 4287

MM. Juiz:

O devedor ofereceu justificativa em


relação aos alimentos em atraso (art. 733, do Código de Processo Civil).
Requeiro a designação de audiência
de conciliação, instrução e julgamento da justificação, com produção de
provas documental, testemunhal, depoimentos pessoais das partes e
outras provas permitidas em direito e necessárias.
O devedor deve efetuar proposta de
parcelamento adequada e iniciar o cumprimento dos pagamentos desde
logo até a audiência, sob pena de prisão.
Requeiro mais a realização de estudo
social, por precatória, para verificação das condições sociais,
financeiras e econômicas do devedor, inclusive com informações sobre os
seus ganhos, despesas e condições de custear os alimentos vigentes.
São Paulo, 15/agosto/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 5307/02, CONTR. 1682

MM. Juiz:

O devedor ofereceu justificativa e


anexou comprovantes de pagamentos dos alimentos em atraso.

Requeiro a remessa dos autos ao


Contador, para conferência e esclarecimentos se os recibos quitam o
débito, total ou parcialmente, indicando eventual saldo devedor. Após,
requeiro a manifestação das partes.

São Paulo, 12/setembro/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 2253/02, CONTR. 661

Meritíssimo Juiz:

O devedor comprovou o pagamento


dos alimentos em atraso, cumprindo a obrigação, conforme os
documentos dos autos.

Dessa forma, requeiro a extinção da


obrigação alimentar e do processo, pelo pagamento, com a remessa
dos autos ao arquivo.

São Paulo, 26/agosto/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 09.01.006316-0, CONTR. 2164
DEVEDOR : *

Meritíssimo Juiz:

Citado para pagamento ou justificativa


da impossibilidade em relação aos alimentos em atraso, o devedor não
se preocupou em quitar o débito nem demonstrar por qualquer meio
cabível a falta de condições de custear a subsistência da descendência.
Não apresentou justificativa.

Dessa forma, requeiro a decretação da


prisão civil do devedor, por inadimplemento da obrigação alimentar (art.
5o., LXVII, da Constituição Federal e art. 733, do Código de Processo
Civil).

São Paulo, 03/outubro/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 007844/00
DEVEDOR : *

Meritíssimo Juiz:

Citado para pagamento ou justificativa


da impossibilidade em relação aos alimentos em atraso, o devedor não
se preocupou em quitar o débito nem demonstrar por qualquer meio
cabível a falta de condições de custear a subsistência da descendência.
Apresentou justificativa, mas não demonstrou as suas alegações.

Dessa forma, requeiro a decretação da


prisão civil do devedor, por inadimplemento da obrigação alimentar (art.
5o., LXVII, da Constituição Federal e art. 733, do Código de Processo
Civil).

São Paulo, 08/junho/2.001.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 14532/00, CONTR. 5096
DEVEDOR : *

Meritíssimo Juiz:

Citado para pagamento ou justificativa


da impossibilidade em relação aos alimentos em atraso, o devedor não
se preocupou em quitar o débito nem demonstrar por qualquer meio
cabível a falta de condições de custear a subsistência da descendência.
Apresentou justificativa, mas não demonstrou as suas alegações.
Ele propôs parcelamento, sem comprovar ou quitar as parcelas da
proposta até o momento, sinal de desinteresse pela sorte da prole.

Dessa forma, requeiro a decretação da


prisão civil do devedor, por inadimplemento da obrigação alimentar (art.
5o., LXVII, da Constituição Federal e art. 733, do Código de Processo
Civil).

São Paulo, 09/setembro/2002.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 3743/99 - EMBARGOS
EMBARGANTE : *
EMBARGADOS : *

Meritíssimo Juiz:

Em virtude de execução de alimentos movida


pelo filho, o pai-devedor interpôs embargos à execução, argüindo prescrição,
excesso de execução, impenhorabilidade do imóvel e inconstitucionalidade da
exceção à regra geral da Lei 8.009/90. No mérito, pediu a procedência dos
embargos.
Os embargados-exequentes impugnaram os
embargos.
A prescrição não corre contra filhos
menores (arts. 168, II, e 169, I, Código Civil).
Há interesse de agir flagrante na execução
de alimentos não pagos pelo pai. A ausência de exigência anterior do credor
não é causa remissiva nem inibe a cobrança, remanescendo a obrigação do
devedor.
O título executivo judicial é hábil,
decorrente de despacho de arbitramento e sentença condenatória, com os
requisitos da liquidez, certeza e exigibilidade.
Não há impenhorabilidade do imóvel, tendo
em vista que a Lei 9.009 prevê expressamente a exceção para o caso de
cobrança de alimentos (art. 3o., III). A norma não é inconstitucional. O valor
mais relevante é o princípio da paternidade responsável com objetivo de
proteção da prole, inclusive com a possibilidade de prisão civil por
inadimplemento de obrigação alimentar, tanto que afeta o sagrado direito de
liberdade do devedor.
No mérito, as diferenças das pensões
dependem de prova sobre os rendimentos do pai, durante o período, se seriam
apenas de aposentadoria ou outra atividade.
De qualquer modo, seria conveniente a
designação de audiência de instrução e julgamento, sem prejuízo de
determinação de realização de cálculo das diferenças oportunamente.
São Paulo, 12/setembro/2002.

Promotor de Justiça
JUÍZO : 1 a. VARA DA FAMÍLIA VILA
PRUDENTE
FEITO Nº : 2.391/98 - EMBARGOS

Meritíssimo Juiz:

Em virtude de execução de alimentos movida


por * e os seus filhos * contra o marido e pai, *, o devedor interpôs em apenso
embargos à execução, argüindo preliminares para apreciação de exceção
de pré-executividade, cumulação indevida de execuções, ilegitimidade de
parte ativa de x, inexigibilidade de título de crédito, revogação da justiça
gratuita, obrigatoriedade de caução pelos embargados, irregularidade da
carta de sentença, ilegitimidade de parte ativa dos embargados para a
cobrança da verba honorária. No mérito, pediu fosse “declarada a
improcedência das quantias cobradas neste momento processual”, por se
cuidar de execução provisória (fls. 2/18).
Os embargados-exequentes impugnaram os
embargos. Pediram a rejeição liminar dos embargos por extemporaneidade e
das preliminares do devedor, por não ser caso de caução, não há vício na carta
de sentença, x, além de autora, age em nome dos seus filhos menores, o título
executivo judicial é hábil, a Justiça Gratuita foi deferido na inicial e na sentença,
a execução deriva de uma única sentença e as citações são duas, a execução
de pré-executividade é matéria ultrapassada, a partir da penhora e dos
embargos, as diferenças das pensões são devidas a partir da sentença.
Requereram a improcedência dos embargos (fls. 124/126).
Inicialmente, os embargos são
extemporâneos, sendo caso de rejeição liminar. A penhora foi formalizada em
15 de setembro de 2000, contendo a assinatura do embargante-devedor e do
seu patrono, inclusive para interposição dos embargos em 10 dias (fls. 113),
termo juntado em 18.09.00 (fls. 112vo.). A petição inicial dos embargos
somente foi protocolada em 20.10.2000 (fls. 2 dos embargos). O pedido de fls.
114 e o despacho de fls. 116 são totalmente descabidos e não têm o condão de
prorrogar o prazo. O processo somente foi com vista ao Ministério Público em
22.09.00 e retornou ao cartório em 26.09 (fls. 115), sem atrapalhar a atividade
da defesa. O devedor já tinha sido citado muito antes, já interpusera exceção
de pré-executividade e para a sua defesa não era necessária a posse dos
autos, porque a única alteração foi a formalização do termo de penhora e
assinatura do depositário (fls. 113). Observo que por ocasião do despacho de
fls. 116 (28.09.00) o prazo para embargos já havia se escoado.
As preliminares dos embargos merecem
rejeição.
Para a execução provisória não há
necessidade de caução, apenas para a realização do leilão.
Não há vício na carta de sentença, que
contém os documentos necessários (despacho inicial de arbitramento e
sentença condenatória).
A ilegitimidade de parte de x deve ser
rejeitada, porque além de autora de alimentos (devidos até a sentença) ela
tem direito de cobrar os alimentos devidos aos filhos menores, porque é a
representante legal deles, detém a sua guarda e a pessoa a quem devem
ser pagos os alimentos (arts. 934 e 936, do Código Civil), agindo em nome e
benefício dos seus filhos menores, mesmo porque seria mera irregularidade
formal, de fácil correção. Também seria mera irregularidade formal a omissão
do nome do advogado beneficiado pela sucumbência de verba honorária no
polo ativo da execução é ele próprio quem propôs a execução como causídico
e assinou a memória de cálculo, o que pode ser retificado com a inclusão
formal do seu nome como exeqüente e embargado.
O título executivo judicial é hábil,
decorrente de despacho de arbitramento e sentença condenatória, com os
requisitos da liquidez, certeza e exigibilidade.
A Justiça Gratuita é concedida
automaticamente por simples afirmação da parte (art. 1o., par. 2o., da Lei
5.478/68) e a impugnação deveria ser processada em autos apartados (par.
4o.). O embargante não agiu em exceção, mas nos embargos, não devendo ser
conhecida a impugnação. De qualquer modo, os exequentes-embargados
seriam merecedores do benefício para cobrar os alimentos do pai e
embargante. Não é óbice à execução, tanto que não suspende o processo de
alimentos (art. 1o., par. 4o.) e também não a execução de alimentos.
A execução deriva de uma única sentença,
mesmo que por verbas (alimentos e honorários advocatícios) e partes diversas
(autores, advogado e réu), sem qualquer vício ou incompatibilidade da sua
cumulação, por harmonia procedimental.
A exceção de pré-executividade é matéria
discutível nos autos da execução e foram repetidas nos embargos, sendo
matéria ultrapassada, a partir da penhora e dos embargos. Dependendo da
situação destes embargos em tese poderia ser discutida a matéria da referida
exceção nos autos da execução, porque ainda não há decisão a respeito.
No mérito, as diferenças das pensões são
devidas a partir da sentença, observando que em grau recursal o E. Tribunal
confirmou a decisão de primeira instância sobre os alimentos (TJSP, AC
170.038-4/00, 5a. Câm. Dir. Priv., Rel. Boris Kauffmann, v.u., fls.132/137 da
execução provisória). De qualquer modo, seria conveniente a designação de
instrução e julgamento, com a determinação de realização de cálculo das
diferenças.
Assim, requeiro a rejeição liminar dos
embargos por intempestividade, a rejeição das preliminares dos embargos
por sua inadequação e no mérito, a designação de audiência de instrução e
julgamento, com a prévia realização de cálculo das diferenças, ou desde já a
improcedência dos embargos, por devidas as diferenças cobradas e não
demonstrado o pagamento ou a incorreção dos valores cobrados.
São Paulo, 14/maio/2001.

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça
EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAMÍLIA E DAS
SUCESSÕES DO FORUM DE VILA PRUDENTE

x e y, brasileiros, menores, nascidos em 18


12.93 e 01.03.95, representados por sua mãe, z, RG.., brasileira, solteira,
maior, do lar, residente e domiciliada nesta cidade, na Rua ..., assistida pelo
representante do Ministério Público, vem propor contra o réu a, RG. SP.,
brasileiro, solteiro, maior, chefe de produção, residente e domiciliado na Rua ...,
em ..., Cep. 35171-052, a presente ação de EXECUÇÃO DE ALIMENTOS,
expondo e requerendo o seguinte:

1. O réu é pai dos autores e está obrigado a


pagar alimentos mensalmente, por decisão judicial no valor de R$ 270,00.

2. Ele não paga os alimentos desde janeiro de


2001, no valor total de R$825,29, obrigando a busca da prestação jurisdicional.
Tendo em vista tais fatos, requer a
Vossa Excelência:
a) a citação do devedor dos termos da
execução, para pagamento do valor de R$825,29, acrescido de juros e
correção monetária, ou justificativa da impossibilidade em relação aos
alimentos em atraso, sob pena de decretação da prisão civil do devedor, por
inadimplemento da obrigação alimentar (art. 5 o., LXVII, da Constituição Federal
e art. 733, do Código de Processo Civil).

b) os benefícios da assistência judiciária, pois


a representante da autora declara-se pobre, sob as penas da lei, exercendo as
funções de dona de casa.

Dá-se à causa o valor de R$ 825,00, para


efeitos fiscais.

São Paulo, 25 de abril de 2001

VALTER FOLETO SANTIN


Promotor de Justiça