Você está na página 1de 39

Rodada #13

Língua Portuguesa
Professor Albert Iglésia

Assunto(s) da Rodada

1 Compreensão e interpretação de textos de gêneros variados. 2


Reconhecimento de tipos e gêneros textuais. 3 Domínio da ortografia oficial. 4
Domínio dos mecanismos de coesão textual. 4.1 Emprego de elementos de
referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de
sequenciação textual. 4.2 Emprego de tempos e modos verbais. 5 Domínio da
estrutura morfossintática do período. 5.1 Emprego das classes de palavras. 5.2
Relações de coordenação entre orações e entre termos da oração. 5.3 Relações
de subordinação entre orações e entre termos da oração. 5.4 Emprego dos
sinais de pontuação. 5.5 Concordância verbal e nominal. 5.6 Regência verbal e
nominal. 5.7 Emprego do sinal indicativo de crase. 5.8 Colocação dos pronomes
átonos. 6 Reescrita de frases e parágrafos do texto. 6.1 Significação das
palavras. 6.2 Substituição de palavras ou de trechos de texto. 6.3
Reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto. 6.4 Reescrita de
textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade. 7 Correspondência
oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República). 7.1
Aspectos gerais da redação oficial. 7.2 Finalidade dos expedientes
oficiais. 7.3 Adequação da linguagem ao tipo de documento. 7.4
Adequação do formato do texto ao gênero.
LÍNGUA PORTUGUESA

a. Modelos de documentos oficiais

Nesta rodada, que é uma continuação do assunto abordado na rodada


anterior, apresentarei a você exemplos de documentos oficiais. Espero que isso
o ajude a assimilar os conteúdos teóricos vistos até aqui.

Além disso, esta rodada traz mais algumas questões de provas anteriores,
para que você continue se exercitando. Eles surgem na sequência dos
documentos apresentados como modelos, os quais aparecem a partir da próxima
página.

2
LÍNGUA PORTUGUESA

3cm
cmc
m

1,5 cm

3
LÍNGUA PORTUGUESA

4
LÍNGUA PORTUGUESA

TIMBRE

5
LÍNGUA PORTUGUESA

TIMBRE

Memorando nº 118/1991/DJ

Em 12 de abril de 1991.

Ao Sr. Chefe do Departamento de Administração

Assunto: Instalação de microcomputadores

1. Nos termos do Plano Geral de informatização, solicito a Vossa


Senhoria verificar a possibilidade de que sejam instalados três
microcomputadores neste Departamento.
2 Sem descer a maiores detalhes técnicos, acrescento, apenas, que o
ideal seria que o equipamento fosse dotado de disco rígido e de monitor padrão
EGA. Quanto a programas, haveria necessidade de dois tipos: um processador de
textos, e outro gerenciador de banco de dados.
3. O treinamento de pessoal para operação dos micros poderia ficar a
cargo da Seção de Treinamento do Departamento de Modernização, cuja chefia já
manifestou seu acordo a respeito.
4. Devo mencionar, por fim, que a informatização dos trabalhos deste
Departamento ensejará racional distribuição de tarefas entre os servidores e,
sobretudo, uma melhoria na qualidade dos serviços prestados.

Atenciosamente,

[NOME do signatário]
[Cargo do signatário]

6
LÍNGUA PORTUGUESA

TIMBRE

Carta no 13/2009/SPC

Brasília, 1º de fevereiro de 2009.

A Sua Senhoria o Senhor


FULANO DE TAL
Diretor Financeiro
Junco Agronegócios LTDA
Rua Oligário Nunes, 125 – São José
39.470-000 – Itacarambi–MG

Assunto: Inauguração do edifício-sede

Senhor Diretor,

Convido Vossa Senhoria para participar da solenidade de


inauguração do edifício-sede da Promotoria de Defesa do Consumidor do Ministério
Público do Distrito Federal e Territórios, localizado na Praça dos Três Poderes, lote
171, Eixo Monumental, no dia 29 de fevereiro de 2009, às 12 horas.

Atenciosamente,

ROLANDO LERO
Procurador-Geral da Justiça

7
LÍNGUA PORTUGUESA

Vocativo + cargo + órgão (Magnífico Reitor da Universidade de Brasília),

NOME DO REQUERENTE, demais dados de qualificação, requer


(objetivo e fundamento legal).

Nesses termos, pede deferimento.

Local, data por extenso.

NOME DO REQUERENTE
Cargo ou função, se for servidor público

8
LÍNGUA PORTUGUESA

RELATÓRIO (ou RELATÓRIO DE...)

Senhor Diretor-Geral,

Tendo sido designado para apurar a denúncia de irregularidades na


licitação pública nº 123, que visa a renovar a frota de veículos deste órgão, de acordo
com a portaria nº 2020, de 31 de janeiro de 2006, submeto à apreciação de Vossa
Senhoria o relatório das diligências que efetuei.
Em 10 de setembro de 2005, dirigi-me à chefe da seção de Compras,
senhora FULANA DE TAL, para inquirir os funcionários BELTRANO e SICRANO,
acusados de fraudar o processo de licitação mencionado no parágrafo acima em
favor da empresa ROBAUTO VEÍCULOS LTDA, que venceu a concorrência, embora
tenha cotado o preço dos automóveis com um ágio de trinta por cento em relação
ao valor de mercado.
No inquérito a que se procedeu, ressalta-se a culpabilidade do
servidor BELTRANO, sobre quem recaem evidências de ter fraudado o processo
licitatório, já que foi ele a pessoa encarregada de abrir os envelopes das empresas
perdedoras.
Conforme se apurou também, o senhor SICRANO tem sua parcela de
responsabilidade no caso, tendo em vista que se omitiu, sendo negligente no
exercício de suas funções. Como membro da Comissão de Lcitações, devia estar
presente na hora da abertura dos envelopes, o que não ocorreu.
Do que foi exposto, conclui-se que se instaure imediatamente um
processo administrativo.
É o relatório.

Brasília, 13 de junho de 2009.

NOME DO RELATOR
Cargo ou função

9
LÍNGUA PORTUGUESA

b. Revisão 1 (questões)

QUESTÃO 1 (Cespe/Ancine/Técnico Administrativo/2012)

No memorando em apreço, deveria ter sido empregada como fecho a expressão


Atenciosamente, por se tratar de documento dirigido a autoridade de mesma
hierarquia do signatário.

QUESTÃO 2 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

O referido manual estabelece o emprego de dois fechos para comunicações


oficiais: Respeitosamente, para autoridades superiores; e Atenciosamente,
para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior. Tal regra, no
entanto, não é aplicável a comunicações dirigidas a autoridades estrangeiras.

10
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 3 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

As comunicações oficiais emitidas pelo presidente da República, por chefes de


poderes e por ministros de Estado devem apresentar ao final, além do nome da
pessoa que as expede, o cargo ocupado por ela.

QUESTÃO 4 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

A menos que o expediente seja de mero encaminhamento de documentos, o texto


de comunicações como aviso, ofício e memorando, que seguem o padrão ofício,
deve conter três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.

QUESTÃO 5 (Cespe/TRE-RJ/Técnico Judiciário/2012)

Como a finalidade precípua da redação oficial é servir de instrumento de


comunicação à administração pública, de maneira impessoal e objetiva e com
máxima clareza, o uso de gírias e clichês deve ser evitado na linguagem
empregada nesse tipo de comunicação.

Considerando que, de acordo com o Manual de Redação da Presidência da


República, os documentos oficiais devem caracterizar-se pela impessoalidade,
pelo uso do padrão culto de linguagem, pela clareza, pela concisão, pela
formalidade e pela uniformidade, cada um dos itens a seguir apresenta um
fragmento de texto que deve ser julgado certo se atender ao citado requisito, ou
errado, em caso negativo.

QUESTÃO 6 (Cespe/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2012)

Senhor Deputado,

O relator da comissão, de cujo parecer depende o andamento do processo,


deverá manifestar-se em até dois dias, razão por que solicitamos a Vossa
Excelência que aguarde seu pronunciamento para encaminhamento da votação.

11
LÍNGUA PORTUGUESA

Atenciosamente,

Maria da Silva

deputada federal

QUESTÃO 7 (Cespe/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2012)

Caro Senhor Deputado,

Visando auxiliar a execução da proposta apresentada em seção por V. Ex.ª


encaminhamos anexo os relatórios das despesas verificadas no último triênio.

Julgue os fragmentos contidos nos itens a seguir quanto à sua correção


gramatical e à sua adequação para compor um documento oficial, que, de acordo
com o Manual de Redação da Presidência da República, deve caracterizar-
se pela impessoalidade, pelo emprego do padrão culto de linguagem, pela
clareza, pela concisão, pela formalidade e pela uniformidade.

QUESTÃO 8 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

O departamento que planejará o treinamento de pessoal para a execução de


investigações e de operações policiais, sob cuja responsabilidade está também a
escolha do local do evento, não se manifestou até o momento.

QUESTÃO 9 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Senhor Delegado,

Segue para divulgação os relatórios das investigações

realizadas no órgão, a fim de fazer cumprir a lei vigente.

12
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 10 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Solicito a Vossa Senhoria a indicação de cinco agentes de polícia aptos a ministrar


aulas de direção no curso de formação de agentes. O início do curso, que será
realizado na capital federal, está previsto para o segundo semestre deste ano.

QUESTÃO 11 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Cumpre destacar a necessidade de aumento do contingente policial e que é


imperioso a ação desses indivíduos em âmbito nacional, pelo que a realização de
concurso público para provimento de vagas no Departamento de Polícia Federal
consiste em benefício a toda a sociedade.

QUESTÃO 12 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Caro Senhor Perito Criminal,

Convidamos Vossa Senhoria a participar do evento “Destaques do ano”, em que


será homenageado pelo belo e admirável trabalho realizado na Polícia Federal.
Por gentileza, confirme sua presença a fim de que possamos providenciar as
honrarias de praxe.

QUESTÃO 13 (Cespe/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2012)

Como em qualquer outro expediente oficial, o texto de uma mensagem por


correio eletrônico deve seguir a estruturação padrão de um texto oficial, que deve
conter cabeçalho, invocação do destinatário, introdução, desenvolvimento,
conclusão, fecho e identificação do signatário.

13
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 14 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

A estrutura do telegrama e da mensagem por correio eletrônico de caráter oficial


é flexível.

QUESTÃO 15 (Cespe/Ancine/Técnico Administrativo/2012)

Em memorando para o encaminhamento de informações ou para a solicitação de


providências, como no caso do memorando em apreço, o destinatário deve ser
identificado apenas pelo cargo que ocupa; caso se trate de memorando que
contenha documento anexo, o destinatário deve ser identificado pelo nome e pelo
cargo que ocupa.

14
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 16 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

A fim de obedecer aos preceitos do MRPR, o pronome de tratamento no terceiro


parágrafo do texto — “Sua Excelência” — deveria ser substituído por Vossa
Excelência.

QUESTÃO 17 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

O fecho da comunicação manter-se-ia adequado ao padrão preconizado pelo


MRPR caso fosse substituído por Atenciosamente.

QUESTÃO 18 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

15
LÍNGUA PORTUGUESA

Infere-se do remetente e do destinatário constantes no texto que o documento


hipotético em questão é um memorando.

QUESTÃO 19 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

O vocativo do expediente hipotético em apreço — “Senhor Ministro” — estaria em


desacordo com a norma preconizada pelo MRPR caso fosse substituído pelo
seguinte: Excelentíssimo Senhor Ministro.

QUESTÃO 20 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

O uso da primeira pessoa do plural no último parágrafo do documento em questão


fere o princípio da impessoalidade, necessário nas comunicações oficiais.

16
LÍNGUA PORTUGUESA

c. Revisão 2 (questões)

Solicitamos a liberação para a exportação dos seguintes produtos biológicos humanos


para análise no exterior: substâncias para diagnósticos e substâncias infecciosas.

Considerando que o trecho de texto apresentado anteriormente seja parte de um


documento oficial hipotético (Xx/2016) enviado à ANVISA pela empresa particular,
também hipotética, Biodiagnósticos Ltda. (BDL), julgue os itens a seguir à luz do
disposto no Manual de Redação da Presidência da República (MRPR) sobre a
redação oficial.

QUESTÃO 21 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O seguinte trecho seria adequado, quanto a concisão, clareza e correção, para


constar em documento de resposta à solicitação feita pela empresa BDL.

Segue anexo o documento de liberação da exportação dos produtos mencionados no


documento Xx/2016 enviado a esta Agência.

QUESTÃO 22 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O local e a data de emissão do documento de resposta à solicitação da BDL deverão


ser alinhados à esquerda, podendo ter o seguinte formato: BsB, 30/10/2016.

QUESTÃO 23 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Informações como o nome do órgão ou setor expedidor e o endereço postal devem


constar no cabeçalho ou no rodapé do documento de resposta ao documento da BDL,
sendo insuficiente sua menção apenas no envelope de endereçamento.

17
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 24 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

No fecho do documento que for utilizado pela ANVISA para responder ao expediente
da BDL, deve-se empregar o termo Respeitosamente.

QUESTÃO 25 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Situação hipotética: A BDL enviou seu documento a autoridade incompetente para


apreciar a solicitação nele constante e, por isso, a pessoa que o recebeu deve
encaminhá-lo ao setor competente para as devidas providências. Assertiva: Nessa
situação, o encaminhamento deverá ser feito por meio de ofício de encaminhamento
entre os setores da ANVISA.

QUESTÃO 26 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O seguinte parágrafo de conclusão para o documento a ser enviado à BDL não


atenderá às recomendações constantes no MRPR quanto à concordância do pronome
possessivo.

5. Colocamo-nos à vossa disposição para o esclarecimento de eventuais


dúvidas.

QUESTÃO 27 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Situação hipotética: O responsável pelo atendimento da demanda da BDL deve


reportar-se ao diretor-presidente da ANVISA, em documento interno, para dirimir
dúvidas antes de responder definitivamente à solicitação da empresa. Assertiva:
Nessa situação, deve ser empregado, nesse documento interno, o vocativo
Excelentíssimo Senhor Diretor-presidente, uma vez que tal comunicação dirige-se ao
ocupante do cargo de maior hierarquia na agência.

18
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 28 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Ao final do documento a ser enviado em resposta à BDL, deverão constar a


assinatura, o nome e o cargo do emissor do documento.

QUESTÃO 29 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O documento enviado pela BDL é um memorando.

QUESTÃO 30 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Sabendo-se que redação oficial é a maneira pela qual o poder público redige atos
normativos e comunicações e que o MRPR dispõe sobre o padrão de documentos
adotado por órgãos do Poder Executivo, é correto inferir que a BDL pode adotar
padrão próprio para suas comunicações com a ANVISA.

19
LÍNGUA PORTUGUESA

d. Revisão 3 (mapa mental)

20
LÍNGUA PORTUGUESA

e. Gabarito

1 2 3 4 5

C C E C C

6 7 8 9 10

C E C E C

11 12 13 14 15

E E E C E

16 17 18 19 20

C E E C E

21 22 23 24 25

C E C E E

26 27 28 29 30

C E C E C

21
LÍNGUA PORTUGUESA

f. Breves comentários às questões

QUESTÃO 1 (Cespe/Ancine/Técnico Administrativo/2012)

No memorando em apreço, deveria ter sido empregada como fecho a expressão


Atenciosamente, por se tratar de documento dirigido a autoridade de mesma
hierarquia do signatário.

Comentário

Sim. Tanto o destinatário quanto o remetente ocupam cargos de mesma


hierarquia. Portanto o fecho adequado é Atenciosamente. Caso o documento
fosse dirigido a autoridade de hierarquia maior do que a do signatário, o fecho
seria respeitosamente.

22
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 2 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

O referido manual estabelece o emprego de dois fechos para comunicações


oficiais: Respeitosamente, para autoridades superiores; e Atenciosamente,
para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior. Tal regra, no
entanto, não é aplicável a comunicações dirigidas a autoridades estrangeiras.

Comentário

O fecho das comunicações dirigidas a autoridades estrangeiras é estabelecido no


manual do Ministério das Relações Exteriores.

QUESTÃO 3 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

As comunicações oficiais emitidas pelo presidente da República, por chefes de


poderes e por ministros de Estado devem apresentar ao final, além do nome da
pessoa que as expede, o cargo ocupado por ela.

Comentário

A identificação do signatário não vale para as comunicações emitidas pelo


presidente da República, embora ele assine o documento.

QUESTÃO 4 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

A menos que o expediente seja de mero encaminhamento de documentos, o texto


de comunicações como aviso, ofício e memorando, que seguem o padrão ofício,
deve conter três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Comentário

Nos casos em que não for de mero encaminhamento de documentos, o


expediente deve conter a seguinte estrutura:

– introdução, que se confunde com o parágrafo de abertura, na qual é


apresentado o assunto que motiva a comunicação. Evite o uso das formas:

23
LÍNGUA PORTUGUESA

“Tenho a honra de”, “Tenho o prazer de”, “Cumpre-me informar que”, empregue
a forma direta;

– desenvolvimento, no qual o assunto é detalhado; se o texto contiver mais


de uma ideia sobre o assunto, elas devem ser tratadas em parágrafos distintos,
o que confere maior clareza à exposição;

– conclusão, em que é reafirmada ou simplesmente reapresentada a posição


recomendada sobre o assunto.

Já quando se tratar de mero encaminhamento de documentos a estrutura é a


seguinte:

– introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o


encaminhamento. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada, deve
iniciar com a informação do motivo da comunicação, que é encaminhar, indicando
a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo, data, origem ou
signatário, e assunto de que trata), e a razão pela qual está sendo encaminhado:

“Em resposta ao Aviso nº 12, de 1º de fevereiro de 1991, encaminho, anexa,


cópia do Ofício nº 34, de 3 de abril de 1990, do Departamento Geral de
Administração, que trata da requisição do servidor Fulano de Tal.”

ou

“Encaminho, para exame e pronunciamento, a anexa cópia do telegrama nº 12,


de 1º de fevereiro de 1991, do Presidente da Confederação Nacional de
Agricultura, a respeito de projeto de modernização de técnicas agrícolas na região
Nordeste.”

– desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário


a respeito do documento que encaminha, poderá acrescentar parágrafos de
desenvolvimento; em caso contrário, não há parágrafos de desenvolvimento em
aviso ou ofício de mero encaminhamento.

24
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 5 (Cespe/TRE-RJ/Técnico Judiciário/2012)

Como a finalidade precípua da redação oficial é servir de instrumento de


comunicação à administração pública, de maneira impessoal e objetiva e com
máxima clareza, o uso de gírias e clichês deve ser evitado na linguagem
empregada nesse tipo de comunicação.

Comentário

A inteligibilidade do texto oficial diz respeito à clareza e à objetividade da


linguagem usada. A necessidade de empregar determinado nível de linguagem
nos atos e expedientes oficiais decorre, de um lado, do próprio caráter público
desses atos e comunicações; de outro, de sua finalidade. Os atos oficiais, aqui
entendidos como atos de caráter normativo, ou estabelecem regras para a
conduta dos cidadãos, ou regulam o funcionamento dos órgãos públicos, o que
só é alcançado se, em sua elaboração, for empregada a linguagem adequada. O
mesmo se dá com os expedientes oficiais, cuja finalidade precípua é a de informar
com clareza e objetividade.

As comunicações que partem dos órgãos públicos devem ser compreendidas por
todo e qualquer cidadão brasileiro. Para atingir esse objetivo, há que evitar o uso
de uma linguagem restrita a determinados grupos. Não há dúvida de que um
texto marcado por expressões de circulação restrita, como a gíria, os
regionalismos vocabulares ou o jargão técnico, tem sua compreensão dificultada.

Ressalte-se que há necessariamente uma distância entre a língua falada e a


escrita. Aquela é extremamente dinâmica, reflete de forma imediata qualquer
alteração de costumes, e pode eventualmente contar com outros elementos que
auxiliem a sua compreensão, como os gestos, a entoação, etc., para mencionar
apenas alguns dos fatores responsáveis por essa distância. Já a língua escrita
incorpora mais lentamente as transformações, tem maior vocação para a
permanência, e vale-se apenas de si mesma para comunicar.

25
LÍNGUA PORTUGUESA

A língua escrita, como a falada, compreende diferentes níveis, de acordo com o


uso que dela se faça. Por exemplo, em uma carta a um amigo, podemos nos valer
de determinado padrão de linguagem que incorpore expressões extremamente
pessoais ou coloquiais; em um parecer jurídico, não se há de estranhar a
presença do vocabulário técnico correspondente. Nos dois casos, há um padrão
de linguagem que atende ao uso que se faz da língua, a finalidade com que a
empregamos.

O mesmo ocorre com os textos oficiais: por seu caráter impessoal, por sua
finalidade de informar com o máximo de clareza e concisão, eles requerem o uso
do padrão culto da língua. Há consenso de que o padrão culto é aquele em que

a) se observam as regras da gramática formal, e

b) se emprega um vocabulário comum ao conjunto dos usuários do idioma.

É importante ressaltar que a obrigatoriedade do uso do padrão culto na redação


oficial decorre do fato de que ele está acima das diferenças lexicais, morfológicas
ou sintáticas regionais, dos modismos vocabulares, permitindo, por essa razão,
que se atinja a pretendida compreensão por todos os cidadãos.

Lembre-se de que o padrão culto nada tem contra a simplicidade de expressão,


desde que não seja confundida com pobreza de expressão. De nenhuma forma o
uso do padrão culto implica emprego de linguagem rebuscada, nem dos
contorcionismos sintáticos e figuras de linguagem próprios da língua literária.

Pode-se concluir, então, que não existe propriamente um “padrão oficial de


linguagem”; o que há é o uso do padrão culto nos atos e comunicações oficiais.
É claro que haverá preferência pelo uso de determinadas expressões, ou será
obedecida certa tradição no emprego das formas sintáticas, mas isso não implica,
necessariamente, que se consagre a utilização de uma forma de linguagem
burocrática. O jargão burocrático, como todo jargão, deve ser evitado, pois terá
sempre sua compreensão limitada.

26
LÍNGUA PORTUGUESA

A linguagem técnica deve ser empregada apenas em situações que a exijam,


sendo de evitar o seu uso indiscriminado. Certos rebuscamentos acadêmicos, e
mesmo o vocabulário próprio a determinada área, são de difícil entendimento por
quem não esteja com eles familiarizado. Deve-se ter o cuidado, portanto, de
explicitá-los em comunicações encaminhadas a outros órgãos da administração
e em expedientes dirigidos aos cidadãos.

Considerando que, de acordo com o Manual de Redação da Presidência da


República, os documentos oficiais devem caracterizar-se pela impessoalidade,
pelo uso do padrão culto de linguagem, pela clareza, pela concisão, pela
formalidade e pela uniformidade, cada um dos itens a seguir apresenta um
fragmento de texto que deve ser julgado certo se atender ao citado requisito, ou
errado, em caso negativo.

QUESTÃO 6 (Cespe/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2012)

Senhor Deputado,

O relator da comissão, de cujo parecer depende o andamento do processo,


deverá manifestar-se em até dois dias, razão por que solicitamos a Vossa
Excelência que aguarde seu pronunciamento para encaminhamento da votação.

Atenciosamente,

Maria da Silva

deputada federal

Comentário

Não se percebe infração ao que foi dito no enunciado da questão.

QUESTÃO 7 (Cespe/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2012)

27
LÍNGUA PORTUGUESA

Caro Senhor Deputado,

Visando auxiliar a execução da proposta apresentada em seção por V. Ex.ª


encaminhamos anexo os relatórios das despesas verificadas no último triênio.

Comentário

O adjetivo “Caro” (querido, estimado), usado no vocativo, fere a impessoalidade


exigida no texto oficial. A palavra “seção” significa porção, parte, divisão de um
todo; divisão ou subdivisão de estabelecimento, repartição pública etc., com
objetivos de organização administrativa, comercial etc. No contexto, a palavra
apropriada é sessão: tempo em que uma assembleia se mantém em reunião.
Falta uma vírgula depois do pronome de tratamento, para indicar a antecipação
de segmento oracional de caráter adverbial. A palavra “anexo” deve se flexionar
no plural (anexos) para concordar com o substantivo “relatórios”.

Julgue os fragmentos contidos nos itens a seguir quanto à sua correção


gramatical e à sua adequação para compor um documento oficial, que, de acordo
com o Manual de Redação da Presidência da República, deve caracterizar-
se pela impessoalidade, pelo emprego do padrão culto de linguagem, pela
clareza, pela concisão, pela formalidade e pela uniformidade.

QUESTÃO 8 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

O departamento que planejará o treinamento de pessoal para a execução de


investigações e de operações policiais, sob cuja responsabilidade está também a
escolha do local do evento, não se manifestou até o momento.

Comentário

Não há nada que prejudique o padrão culto de linguagem, a clareza, a concisão,


a formalidade e a uniformidade – características essenciais do texto oficial.
Chamo sua atenção para o emprego das duas vírgulas, que isolam oração
subordinada adjetiva explicativa. As ideias estão bem concatenadas, de modo

28
LÍNGUA PORTUGUESA

que não há margem para ambiguidade ou qualquer distorção de sentido. Também


se percebe a ausência de impressões do emissor do documento, que prima pela
impessoalidade.

QUESTÃO 9 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Senhor Delegado,

Segue para divulgação os relatórios das investigações

realizadas no órgão, a fim de fazer cumprir a lei vigente.

Comentário

A correção gramatical foi afetada. A forma verbal “Segue” deveria ser flexionada
na terceira pessoa do plural para concordar com “relatórios, núcleo do sujeito:
“Seguem para divulgação os relatórios...”.

QUESTÃO 10 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Solicito a Vossa Senhoria a indicação de cinco agentes de polícia aptos a ministrar


aulas de direção no curso de formação de agentes. O início do curso, que será
realizado na capital federal, está previsto para o segundo semestre deste ano.

Comentário

Tudo certo aqui também. Nada prejudica o padrão culto de linguagem, a clareza,
a concisão, a formalidade e a uniformidade da correspondência oficial. Chamo
sua tenção mais uma vez para as vírgulas que isolam a oração subordinada
adjetiva explicativa “que será realizado na capital federal”. Também é digno de
nota o emprego do adjetivo “aptos” concordando com o substantivo “agentes”.

29
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 11 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Cumpre destacar a necessidade de aumento do contingente policial e que é


imperioso a ação desses indivíduos em âmbito nacional, pelo que a realização de
concurso público para provimento de vagas no Departamento de Polícia Federal
consiste em benefício a toda a sociedade.

Comentário

O primeiro problema está na falta de concordância entre o adjetivo “imperioso”


e o substantivo “ação”. Veja como deveria ser: ...é imperiosa a ação... O
segundo constitui-se na falta de paralelismo sintático entre os dois complementos
do verbo “destacar”. Um tem base nominal (“a necessidade de aumento do
contingente policial”; o outro, oracional (“e que é imperioso a ação desses
indivíduos em âmbito nacional”). Eis uma sugestão, com os dois complementos
de base nominal: Cumpre destacar a necessidade de aumento do
contingente policial e a imperiosa ação desses indivíduos em âmbito
nacional...

QUESTÃO 12 (Cespe/PF/Papiloscopista/2012)

Caro Senhor Perito Criminal,

Convidamos Vossa Senhoria a participar do evento “Destaques do ano”, em que


será homenageado pelo belo e admirável trabalho realizado na Polícia Federal.
Por gentileza, confirme sua presença a fim de que possamos providenciar as
honrarias de praxe.

Comentário

O texto contém expressões subjetivas, informais e pessoais: “Caro”, “belo”,


“admirável”, “de praxe”. Isso tudo descaracteriza o texto administrativo.

30
LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 13 (Cespe/Câmara dos Deputados/Analista Legislativo/2012)

Como em qualquer outro expediente oficial, o texto de uma mensagem por


correio eletrônico deve seguir a estruturação padrão de um texto oficial, que deve
conter cabeçalho, invocação do destinatário, introdução, desenvolvimento,
conclusão, fecho e identificação do signatário.

Comentário

Sobre o correio eletrônico, saiba que, nos termos da legislação em vigor, para
que a mensagem de correio eletrônico tenha valor documental e para que possa
ser aceita como documento original, é necessário existir certificação digital que
ateste a identidade do remetente, na forma estabelecida em lei.

O campo assunto do formulário de correio eletrônico deve ser preenchido de


modo a facilitar a organização documental tanto do destinatário quanto do
remetente.

A mensagem que encaminha algum arquivo deve trazer informações mínimas


sobre seu conteúdo.

Sempre que disponível, deve-se utilizar recurso de confirmação de leitura. Caso


não seja disponível, deve constar da mensagem pedido de confirmação de
recebimento.

Não há estrutura definida para e-mail, entretanto, deve-se evitar o uso de


linguagem incompatível com uma comunicação oficial.

QUESTÃO 14 (Cespe/MJ-DPF/Agente/2012)

A estrutura do telegrama e da mensagem por correio eletrônico de caráter oficial


é flexível.

Comentário

31
LÍNGUA PORTUGUESA

Quanto ao telegrama, não há padrão rígido. Escrevi no


quadro-resumo que sua forma e estrutura seguem os formulários disponíveis nas
agências dos Correios e em seu sítio na Internet.

Quanto ao correio eletrônico, não interessa definir forma rígida para sua
estrutura. Entretanto duas observações são importantes: 1) deve-se evitar o uso
de linguagem incompatível com uma comunicação oficial; 2) o campo “assunto”
deve ser preenchido de modo a facilitar a organização documental tanto do
destinatário quanto do remetente.

QUESTÃO 15 (Cespe/Ancine/Técnico Administrativo/2012)

Em memorando para o encaminhamento de informações ou para a solicitação de


providências, como no caso do memorando em apreço, o destinatário deve ser

32
LÍNGUA PORTUGUESA

identificado apenas pelo cargo que ocupa; caso se trate de memorando que
contenha documento anexo, o destinatário deve ser identificado pelo nome e pelo
cargo que ocupa.

Comentário

Em um memorando, o destinatário é sempre mencionado apenas pelo cargo


que ocupa, independentemente de ter ou não um anexo.

QUESTÃO 16 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

A fim de obedecer aos preceitos do MRPR, o pronome de tratamento no terceiro


parágrafo do texto — “Sua Excelência” — deveria ser substituído por Vossa
Excelência.

33
LÍNGUA PORTUGUESA

Comentário

Ao nos dirigirmos diretamente ao nosso interlocutor, usamos – conforme o caso


– “Vossa Excelência”. Separamos a expressão “Sua” para os casos em que
falamos com nosso interlocutor sobre a tal pessoa referida. Item correto.

QUESTÃO 17 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

O fecho da comunicação manter-se-ia adequado ao padrão preconizado pelo


MRPR caso fosse substituído por Atenciosamente.

Comentário

Em uma escala hierárquica, o remetente da comunicação está numa posição


inferior à posição do ministro da Educação. Sendo assim, o fecho adequado é
“Respeitosamente”. Se o documento partisse do ministro para o reitor, o fecho
deveria ser “Atenciosamente”. Item errado.

QUESTÃO 18 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

Infere-se do remetente e do destinatário constantes no texto que o documento


hipotético em questão é um memorando.

Comentário

O remetente e o destinatário pertencem a órgãos distintos. O primeiro está em


uma universidade; o segundo, em um ministério. A comunicação extrapolou os
limites da universidade. Na verdade, ela tem características de ofício.
Memorando é a modalidade de comunicação entre unidades administrativas de
um mesmo órgão. Item errado.

QUESTÃO 19 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

34
LÍNGUA PORTUGUESA

O vocativo do expediente hipotético em apreço — “Senhor Ministro” — estaria em


desacordo com a norma preconizada pelo MRPR caso fosse substituído pelo
seguinte: Excelentíssimo Senhor Ministro.

Comentário

A forma Excelentíssimo Senhor é empregada apenas para os chefes dos três


poderes da República: presidente da República (Executivo); presidente do
Congresso Nacional (Legislativo) e presidente do Supremo Tribunal Federal
(Judiciário). Nos demais casos, basta a expressão “Senhor + Cargo”. Item certo.

QUESTÃO 20 (Cespe/2017/SEDF/Tecnologia da Informação)

O uso da primeira pessoa do plural no último parágrafo do documento em questão


fere o princípio da impessoalidade, necessário nas comunicações oficiais.

Comentário

A primeira pessoa do plural representa, aqui, um plural de modéstia ou uma


expressão que inclui toda a universidade representada pelo remetente da
comunicação. A impessoalidade é caracterizada pelo(a):

a) ausência de impressões individuais de quem comunica: embora se trate, por


exemplo, de um expediente assinado por Chefe de determinada Seção, é sempre
em nome do Serviço Público que é feita a comunicação. Obtém-se, assim, uma
desejável padronização, que permite que comunicações elaboradas em diferentes
setores da Administração guardem entre si certa uniformidade;

b) impessoalidade de quem recebe a comunicação, com duas possibilidades: ela


pode ser dirigida a um cidadão, sempre concebido como público, ou a outro órgão
público. Nos dois casos, temos um destinatário concebido de forma homogênea
e impessoal;

35
LÍNGUA PORTUGUESA

c) caráter impessoal do próprio assunto tratado: se o universo temático das


comunicações oficiais se restringe a questões que dizem respeito ao interesse
público, é natural que não cabe qualquer tom particular ou pessoal.

Item errado.

Solicitamos a liberação para a exportação dos seguintes produtos biológicos humanos


para análise no exterior: substâncias para diagnósticos e substâncias infecciosas.

Considerando que o trecho de texto apresentado anteriormente seja parte de um


documento oficial hipotético (Xx/2016) enviado à ANVISA pela empresa particular,
também hipotética, Biodiagnósticos Ltda. (BDL), julgue os itens a seguir à luz do
disposto no Manual de Redação da Presidência da República (MRPR) sobre a
redação oficial.

QUESTÃO 21 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O seguinte trecho seria adequado, quanto a concisão, clareza e correção, para


constar em documento de resposta à solicitação feita pela empresa BDL.

Segue anexo o documento de liberação da exportação dos produtos mencionados no


documento Xx/2016 enviado a esta Agência.

Comentário

Realmente não há o que corrigir, pois o texto está muito bem redigido. Item certo.

QUESTÃO 22 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O local e a data de emissão do documento de resposta à solicitação da BDL deverão


ser alinhados à esquerda, podendo ter o seguinte formato: BsB, 30/10/2016.

Comentário

36
LÍNGUA PORTUGUESA

O local e a data são alinhados à direita. O nome da cidade é escrito por extenso. A
data é indicada da seguinte forma: “30 de outubro de 2016”. Item errado.

QUESTÃO 23 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Informações como o nome do órgão ou setor expedidor e o endereço postal devem


constar no cabeçalho ou no rodapé do documento de resposta ao documento da BDL,
sendo insuficiente sua menção apenas no envelope de endereçamento.

Comentário

Sim, é isso mesmo. Já deu para perceber que o documento de resposta a essa
empresa particular é um ofício. Nele, as informações mencionadas no enunciado
devem constar no cabeçalho ou no rodapé do documento. Item certo.

QUESTÃO 24 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

No fecho do documento que for utilizado pela ANVISA para responder ao expediente
da BDL, deve-se empregar o termo Respeitosamente.

Comentário

O termo adequado é “Atenciosamente”, pois não se caracteriza uma superioridade


hierárquica do destinatário que representa a BDL em relação ao emissor que
representa a Anvisa. Item errado.

QUESTÃO 25 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Situação hipotética: A BDL enviou seu documento a autoridade incompetente para


apreciar a solicitação nele constante e, por isso, a pessoa que o recebeu deve
encaminhá-lo ao setor competente para as devidas providências. Assertiva: Nessa

37
LÍNGUA PORTUGUESA

situação, o encaminhamento deverá ser feito por meio de ofício de encaminhamento


entre os setores da ANVISA.

Comentário

Lembre-se de que ofício é documento de caráter externo. O memorando é que tem


caráter interno. Item errado.

QUESTÃO 26 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O seguinte parágrafo de conclusão para o documento a ser enviado à BDL não


atenderá às recomendações constantes no MRPR quanto à concordância do pronome
possessivo.

5. Colocamo-nos à vossa disposição para o esclarecimento de eventuais


dúvidas.

Comentário

O pronome possessivo “vossa” é usado em referência à segunda pessoa do plural, o


que não se configura na situação hipotética. Item certo.

QUESTÃO 27 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Situação hipotética: O responsável pelo atendimento da demanda da BDL deve


reportar-se ao diretor-presidente da ANVISA, em documento interno, para dirimir
dúvidas antes de responder definitivamente à solicitação da empresa. Assertiva:
Nessa situação, deve ser empregado, nesse documento interno, o vocativo
Excelentíssimo Senhor Diretor-presidente, uma vez que tal comunicação dirige-se ao
ocupante do cargo de maior hierarquia na agência.

Comentário

38
LÍNGUA PORTUGUESA

O documento interno é o memorando; ele não tem vocativo, ao contrário do ofício e


do aviso. Item errado.

QUESTÃO 28 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Ao final do documento a ser enviado em resposta à BDL, deverão constar a


assinatura, o nome e o cargo do emissor do documento.

Comentário

O enunciado está de acordo com o manual da Presidência. Item certo.

QUESTÃO 29 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

O documento enviado pela BDL é um memorando.

Comentário

De acordo com o MRPR, memorando é documento interno, o qual circula entre


setores do mesmo órgão. A BDL é uma empresa particular, distinta da Anvisa. Item
errado.

QUESTÃO 30 (CESPE/2016/ANVISA/TÉCNICO)

Sabendo-se que redação oficial é a maneira pela qual o poder público redige atos
normativos e comunicações e que o MRPR dispõe sobre o padrão de documentos
adotado por órgãos do Poder Executivo, é correto inferir que a BDL pode adotar
padrão próprio para suas comunicações com a ANVISA.

Comentário

O MRPR não regulamenta as comunicações de entidades particulares, o propósito


dele é outro. Item certo.

39