Você está na página 1de 36

DIREITO CONSTITUCIONAL

(106-1). Em face da Reforma Administrativa recém promulgada, pode-se dizer que


a) não pode o pensionista receber subsídios ou vencimentos.
b) não pode o servidor acumular vencimentos com proventos.
c) as hipóteses de acumulação de cargos continuam as mesmas.
d) o teto constitucional da remuneração dos servidores impede a acumulação de cargos.

(106-2). A Reforma Administrativa determinou que a fixação do subsídio dos Ministros do Supremo
Tribunal Federal será realizada por lei de iniciativa conjunta dos Presidentes da República, da
Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Supremo Tribunal Federal. Não tendo esta lei sido
promulgada, pode-se entender que a inércia das autoridades responsáveis
a) não poderá ser suprida pelo mandado de injunção, visto tratar-se de edição de lei de iniciativa conjunta
com o Presidente do STF.
b) poderá ser suprida por mandado de injunção, medida hábil a instrumentar o exercício de direitos
decorrentes da ausência de norma reguladora.
c) poderá ser suprida por meio de ação direta de inconstitucionalidade por omissão, a ser proposta por
qualquer servidor público prejudicado pela ausência da lei.
d) poderá ser objeto de ação declaratória de constitucionalidade.

(106-3). Em função da submissão da Administração ao princípio da legalidade, pode-se dizer que


a) todo regulamento de Chefe do Executivo é ato inferior, subordinado, e depende de lei.
b) o Executivo não pode expedir normas que dêem operatividade a uma lei.
c) a competência regulamentar do Chefe do Poder Executivo aplica-se quando houver omissão da lei a
respeito de algum assunto.
d) seus regulamentos podem impor restrições à ordem privada, desde que medida provisória posterior
assim o determine.

(106-4). Quando da promulgação de uma nova Constituição, diz-se que a legislação ordinária
compatível perde o suporte de validade da constituição antiga, mas continua válida pela teoria
a) da repristinação.
b) da desconstitucionalização.
c) da recepção.
d) do poder constituinte subordinado.

(106-5). É competência privativa do Presidente da República, sem possibilidade de delegação:


a) nomear os diretores do Banco Central.
b) prover cargos públicos federais.
c) conceder indulto.
d) dispor sobre moeda e seus limites de emissão.

(106-6). Controle de constitucionalidade por via de exceção é o chamado


a) controle misto, adotado no Brasil, onde convivem harmonicamente os controles difuso e abstrato.
b) controle abstrato, que tem como característica a discussão da lei em tese e como objeto leis ou atos
normativos federais e estaduais.
c) controle difuso, que tem como características a existência de um caso concreto e a produção de efeitos
erga omnes.
d) controle difuso, que tem como características a existência de um caso concreto e a produção de efeitos
inter partes.

(106-7). A omissão inconstitucional pode ser atacada por meio de


a) representação de inconstitucionalidade.
b) ação direta de inconstitucionalidade em face de ato normativo.
c) ação declaratória de constitucionalidade.
d) mandado de injunção.

(106-8). Afirma-se que o Poder Legislativo brasileiro é do tipo bicameral-federativo, pois


a) é integrado exclusivamente por representantes dos Estados e do Distrito Federal, que são entes
federativos.
b) é integrado por duas Casas Legislativas, uma delas composta por representantes do povo brasileiro e a
outra por representantes dos Estados e do Distrito Federal.
c) é integrado pela Câmara dos Deputados, composta por representantes do povo brasileiro, e pelo
Senado Federal, composto por representantes dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal.
d) a União e os Estados têm Poderes Legislativos próprios.

(106-9). Em relação às garantias da magistratura, é correto afirmar que


a) a vitaliciedade é sempre adquirida pelos magistrados após dois anos de exercício no cargo.
b) a inamovibilidade pode ser afastada por motivo de interesse público.
c) a irredutibilidade de subsídio torna os juízes imunes à tributação por meio do imposto sobre a renda e
proventos de qualquer natureza.
d) a vitaliciedade impede definitivamente a perda do cargo pelos juízes.

(106-10). No exercício da competência legislativa concorrente,


a) a União edita normas gerais e específicas.
b) a União, os Estados e os Municípios legislam em sistema de cooperação.
d) os Estados poderão editar normas gerais e específicas, caso inexista lei da União fixando normas
gerais.
d) as normas gerais produzidas pelos Estados prevalecem sobre as normas gerais supervenientes da
União.

(108-1). A titularidade do serviço público de saneamento básico (água e esgoto)


a) é do Município, vista sob o prisma do interesse local, mas pode ser do Estado, quando se tratar de
regiões metropolitanas.
b) impede a descentralização da sua execução.
c) é da competência concorrente de todos os Municípios.
d) pode ser delegada a concessionários mediante licitação.

(108-2).O sistema brasileiro de controle de constitucionalidade


a) cuida apenas da inconstitucionalidade por ação.
b) apenas admite o controle concentrado.
c) atribui competência para processar apenas ao STF.
d) acolhe o critério de controle difuso por via de exceção.

(108-3). A competência exclusiva do Congresso Nacional para convocar plebiscito deverá ser
processada por
a) resoluções do Congresso.
b) decretos legislativos.
c) regimentos internos.
d) leis complementares.

(108-4). Uma Assembléia Legislativa, a pretexto de pôr termo a grave comprometimento da ordem
pública, impede que o Tribunal de Justiça do Estado exerça livremente sua atividade judiciária.
Nesta hipótese, poderá o Presidente da República expedir decreto de intervenção federal, desde que
a) o decreto de intervenção nomeie interventor próprio.
b) o decreto de intervenção seja apreciado previamente pelo Senado Federal.
c) haja requisição do STF.
d) haja solicitação do Tribunal de Justiça coacto.
(108-5). Se uma Emenda Constitucional diminuir a capacidade de auto-administração dos Estados-
membros, poderá ela sujeitar-se ao sistema de controle de constitucionalidade?
a) Sim, por caracterizar emenda tendente a abolir a forma federativa de Estado.
b) Sim, por caracterizar emenda tendente a abolir o sistema de separação de poderes.
c) Não, porque se trata de poder constituinte derivado.
d) Não, porque esta matéria não se inclui nos limites constitucionais ao poder de reforma.

(108-6). A Constituição Federal de 1988, ao estabelecer a competência legislativa concorrente entre


os diversos entes federativos,
a) reservou aos Municípios as competências que não lhe sejam vedadas pela Constituição.
b) permitiu que leis federais posteriores suspendam a eficácia de leis estaduais anteriores, ainda que
respeitantes a normas específicas.
c) permitiu que os Estados-membros exerçam a competência legislativa plena, inexistindo lei federal sobre
normas gerais.
d) limitou a competência dos Estados-membros a normas gerais.

(108-7). Diz-se que a CPI do Judiciário, ainda que sob o fundamento do interesse público, não
poderá colocar juízes em disponibilidade, porque
a) o magistrado tem a garantia de vitaliciedade.
b) a CPI não tem poderes de investigação próprios das autoridades judiciais.
c) o magistrado tem garantia de inamovibilidade, não podendo nunca ser removido.
d) o ato de disponibilidade de magistrado depende de decisão do respectivo tribunal.

(108-8). Poderá um estrangeiro, naturalizado brasileiro, candidatar-se ao Senado Federal?


a) Sim, desde que haja reciprocidade em favor de brasileiros, em seu país de origem.
b) Sim, não podendo apenas ser eleito presidente daquela casa.
c) Sim, desde que o Regimento Interno do Senado não o proíba.
d) Sim, desde que a Lei Eleitoral não faça distinção entre brasileiros natos e brasileiros naturalizados.

(108-9). Ilha fluvial que não se encontre em zona limítrofe com outro país, mas em rio que divide dois
Estados-membros, é
a) bem de propriedade privada.
b) considerada terra devoluta.
c) bem público de propriedade dos dois Estados-membros.
d) bem público de propriedade da União.

(108-10). A norma constitucional que garante a todos "o livre exercício de qualquer trabalho, ofício
ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer", é norma
a) de aplicabilidade plena e de eficácia redutível.
b) de eficácia limitada.
c) de eficácia plena.
d) programática.

(109-1). Artistas que participaram de uma telenovela que, após exibição no Brasil, será
reapresentada no exterior, encontram proteção à sua participação nos lucros, nas garantias
constitucionais
a) do direito adquirido.
b) de proteção à reprodução da imagem e voz.
c) da inviolabilidade das comunicações.
d) do direito à liberdade de expressão da atividade artística.

(109-2). Recentemente, um ex-prefeito de uma cidade paulista foi condenado pelo Tribunal de
Justiça à suspensão dos seus direitos políticos, por ter usado dinheiro público para enviar cartas
aos municípios, relatando obras que executou com o dinheiro arrecadado do IPTU. A decisão
fundou-se no princípio
a) constitucional que veda publicidade que caracterize promoção pessoal de autoridade.
b) legal da imoralidade.
c) constitucional da devida motivação dos atos administrativos.
d) da capacidade econômica do contribuinte.

(109-3). Determinado município, para obter financiamento do Banco Mundial (operação de crédito
externo), após aprovação da lei autorizadora, necessita de autorização do
a) Plenário da Câmara dos Vereadores.
b) Congresso Nacional.
c) Tribunal de Contas respectivo.
d) Senado Federal.

(109-4). Em procedimento disciplinar instaurado contra funcionário público em determinado órgão


do Poder Executivo, o advogado do funcionário, ao apresentar defesa, emitiu opinião desfavorável a
respeito da conduta do funcionário chefe do seu cliente. Sentindo-se ofendido em sua honra, o
funcionário-chefe iniciou ação penal por crime de injúria contra o advogado. "Habeas Corpus"
impetrado em favor do advogado trancou a ação penal, sob o fundamento
a) da liberdade de expressão, independentemente de censura.
b) da liberdade de manifestação do pensamento.
c) da inviolabilidade do advogado por manifestações no exercício da profissão.
d) da aplicação dos princípios da ampla defesa e do contraditório.

(109-5). A inobservância, pelo Congresso Nacional, do prazo constitucional de 30 (trinta) dias para
conversão de medida provisória em lei
a) ocasiona perda "ex tunc" da eficácia da medida provisória.
b) ocasiona perda "ex nunc" da eficácia da medida provisória.
c) não ocasiona perda da eficácia da medida provisória, a não ser que tenha havido explícita rejeição do
projeto de conversão.
d) ocasiona perda da eficácia da medida provisória, a não ser que outra medida provisória tenha sido
editada após 30 (trinta) dias da rejeição ou do prazo de 30 (trinta) dias para o Congresso se manifestar.

(109-6). Deputados federais paulistas, para obterem o cumprimento do artigo 45, § 1º, da
Constituição Federal (fixação do número de deputados por Estado),
a) não têm legitimidade para propor ação fundada em ausência de norma do Congresso Nacional.
b) devem impetrar Mandado de Segurança Coletivo.
c) só podem propor ação direta de inconstitucionalidade por omissão.
d) têm legitimidade para impetrar Mandado de Injunção.

(109-7). Uma pessoa jurídica teve um financiamento bancário negado pelo Banco do Brasil sob o
argumento de que seu nome estaria registrado no Serviço de Proteção ao Crédito, com empresa
devedora. Como se tratava de erro, a empresa deverá
a) ajuizar ação de reparação de danos contra o Serviço de Proteção ao Crédito, visto ser este uma pessoa
jurídica de direito privado e Habeas Data só pode ser impetrado contra pessoa jurídica de direito público.
b) impetrar apenas Mandado de Segurança, porque pessoa jurídica não tem legitimidade para ajuizar
Habeas Data.
c) apresentar requerimento de informações à entidade depositária do seu registro, pedir a retificação dos
dados inexatos e, se não obtiver êxito, ajuizar pedido de Habeas Data perante o Judi- ciário.
d) ajuizar Habeas Data contra o Banco do Brasil, visto ser este entidade estatal (sociedade de economia
mista).

(109-8). Lei estadual autoriza menor de 18 anos a usar e conduzir veículo automotor. Esta lei
a) é inconstitucional, porque nos termos do art. 23, XII, da Constituição Federal, União, Estados, Distrito
Federal e Municípios têm competência comum para estabelecerem e implantarem política de educação
para a segurança do trânsito.
b) é inconstitucional, porque a União tem competência privativa para legislar sobre trânsito e transporte.
c) é inconstitucional, porque cabe aos Municípios legislar sobre assunto de interesse local.
d) é inconstitucional, porque a competência da União para legislar sobre normas gerais exclui a
competência suplementar dos Estados.

(109-9). Parecer normativo da Consultoria Geral da República, aprovado pelo Presidente da


República,
a) pode ser objeto de impugnação mediante ação direta de inconstitucionalidade.
b) não pode ser objeto de ação direta de inconstitucionalidade, porque tem natureza administrativa.
c) só pode ser objeto de controle de legalidade, não de constitucionalidade.
d) só pode ser impugnado em controle difuso de constitucionalidade.

(109-10). Empregados de uma sociedade de economia mista podem ser demitidos como qualquer
empregado de empresa privada?
a) Não, a não ser mediante compensação indenizatória.
b) Sim, porque nos termos do art. 173 da Constitui-ção Federal, sociedades de economia mista sujeitam-
se ao regime próprio das empresas privadas, inclusive quanto às obrigações trabalhistas.
c) Sim, porque as sociedades de economia mista não precisam realizar concurso público para contratar
seus empregados.
d) Não, é preciso a instauração de um processo regular, com direito à defesa, para apuração da falta
cometida ou de sua inadequação às suas atividades.

(109-11). Projeto de iniciativa do Tribunal de Justiça estadual recebeu emenda parlamentar para
atribuir remuneração aos Juízes de Paz, matéria não contemplada no projeto original. A emenda
a) fundamenta-se na competência do Poder Legislativo para dispor sobre fixação de remuneração de
servidores.
b) viola a autonomia administrativa e financeira do Poder Judiciário.
c) terá que ser autorizada pelo Tribunal de Justiça.
d) tem fundamento constitucional, porque a justiça de paz não se insere no quadro da magistratura.

(110-81). Com relação à eficácia e aplicabilidade das normas constitucionais, o art. 7º, XXVII, da
Constituição Federal, que garante aos trabalhadores urbanos e rurais "proteção em face da
automação, na forma da lei", pode ser considerado norma de eficácia
a) limitada, porque a aplicação do dispositivo está restrita aos trabalhadores urbanos e rurais.
b) semi-limitada, porque, embora totalmente aplicável, seu conteúdo pode ser restringido por lei.
c) contida, porque, embora totalmente aplicável, seu conteúdo pode ser ampliado por lei.
d) limitada, porque a aplicação do dispositivo na sua totalidade depende de norma regulamentadora.

(110-82). Sobre a competência concorrente da União, dos Estados e do Distrito Federal, é correto
dizer que
a) a lei complementar fixará normas para a cooperação entre a União, os Estados e o Distrito Federal.
b) a superveniência de lei federal sobre normas gerais revoga a lei estadual, no que lhe for contrário.
c) a União, os Estados e o Distrito Federal estão autorizados a editar normas gerais e específicas para
atender suas respectivas peculiaridades.
d) na falta de lei federal sobre normas gerais, os Estados exercerão a competência legislativa plena, para
atender suas peculiaridades.

(110-83). A decisão proferida na Ação Direta de Inconstitu- cionalidade


a) declara nula a norma impugnada, produzindo efeitos entre as partes.
b) produz efeitos ex tunc.
c) produz efeitos vinculante e erga omnes.
d) produz efeitos vinculante e ex nunc.

(110-84). Para garantir a efetividade do direito de greve dos servidores públicos, previsto no art. 37,
VII, da CF, que estabelece que "o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos
em lei específica", o servidor público interessado poderá propor
a) somente Mandado de Injunção.
b) Ação Direita de Inconstitucionalidade por Omissão ou Mandado de Injunção.
c) somente Mandado de Segurança contra ato omissivo da Administração Pública.
d) somente Ação Direita de Inconstitucionalidade por Omissão.

(110-85). Ação Declaratória de Constitucionalidade visando declarar a constitucionalidade de


determinada Emenda à Constituição Federal não poderá ser proposta pelo Procurador-Geral da
República no dia seguinte à promulgação da referida lei porque
a) Emenda à Constituição Federal não pode ser objeto de Ação Declaratória de Constitucionalidade, uma
vez que é produzida pelo Poder Constituinte Reformador.
b) o Procurador-Geral da República não é parte legítima para propor Ação Declaratória de
Constitucionalidade, atuando no processo, apenas, como "fiscal da lei".
c) não existiria controvérsia judicial, requisito indispensável à propositura de Ação Declaratória de
Constitucionalidade.
d) somente atos infraconstitucionais podem ser objeto de Ação Declaratória de Constitucionalidade, deles
excluída, portanto, a Emenda à Constituição Federal.

(110-86). À Medida Provisória é vedado, expressamente, re-gulamentar


a) qualquer dispositivo da Constituição Federal, em respeito ao princípio da reserva legal.
b) a exploração, pelos Estados-Membros, dos serviços de gás canalizados; a exploração, pela União
Federal, dos serviços de telecomunicações; os artigos da Constituição Federal cuja redação tenha sido
alterada por meio de emenda promulgada a partir de 1995.
c) a exploração, pela União Federal, dos serviços de telecomunicações; a exploração, pela União, dos
serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros; os artigos da Constituição
Federal cuja redação tenha sido alterada por meio de emenda promulgada a partir de 1995.
d) a exploração, pela União Federal, dos serviços de telecomunicações; a exploração, pela União, dos
serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros; os dispositivos
constitucionais de natureza penal.

(110-87). A segunda reeleição é vedada ao


a) vice-governador de Estado.
b) cônjuge ou parente consangüíneo de prefeito.
c) substituto do governador do Distrito Federal que o tenha substituído nos últimos 6 meses antes da
eleição.
d) prefeito que tenha renunciado um ano antes do término do segundo mandato.

(110-88). A Constituição Federal não poderá ser emendada


a) se a proposta de emenda tiver obtido três quintos dos votos dos membros da Câmara e do Senado, em
dois turnos.
b) para abolir medidas provisórias.
c) se houver intervenção estadual em município.
d) na vigência de intervenção federal.

(110-89). Constitui monopólio da União


a) a refinação do petróleo estrangeiro.
b) a exploração, direta ou por concessão, dos serviços locais de gás canalizado.
c) o legislar sobre proteção do meio ambiente.
d) a fiscalização e controle do sistema único de saúde.
(110-90). A propriedade de empresa de televisão é exclusiva de
a) brasileiros natos ou naturalizados há mais de 5 anos.
b) brasileiros naturalizados há mais de 10 anos.
c) pessoa jurídica que detenha a responsabilidade pela sua orientação intelectual.
d) partido político que detenha até cinqüenta por cento do capital social da empresa de televisão.

(111-81). Pelo princípio da supremacia da Constituição, no ordenamento jurídico brasileiro,


a) somente as normas materialmente constitucionais devem integrar a Constituição e, assim, figurar no
ápice do ordenamento jurídico.
b) todas as normas jurídicas abaixo da Constituição são presumivelmente constitucionais.
c) as normas jurídicas infraconstitucionais podem ser consideradas formal e materialmente
inconstitucionais, caso sejam incompatíveis com a Constituição.
d) as normas constitucionais, por estarem no ápice do ordenamento jurídico, não admitem alteração.

(111-82). A lei complementar difere da lei ordinária no seguinte aspecto:


a) aprovação pelo maioria qualificada de 2/3 dos membros de cada Casa.
b) existência de campo material estabelecido pela Constituição Federal.
c) necessidade de discussão e votação em dois turnos, em cada uma das Casas.
d) não pode ser objeto de iniciativa popular.

(111-83). Havendo afronta aos direitos da pessoa humana pelo Governador, o respectivo Estado-
membro poderá sofrer intervenção federal mediante
a) Ação Direta de Inconstitucionalidade Interventiva, proposta pelo Procurador-Geral do Estado.
b) requisição do Tribunal de Justiça.
c) solicitação da Assembléia Legislativa.
d) Ação Direta de Inconstitucionalidade Interventiva, proposta pelo Procurador-Geral da República.

(111-84). A argüição de descumprimento de preceito fundamental, prevista no art. 102, § 1º, da


Constituição Federal, tem
a) como legitimados os mesmos da Ação Direta de Inconstitucionalidade.
b) como legitimados os mesmos da Ação Declaratória de Constitucionalidade.
c) por objetivo exclusivo reparar lesão a preceito fundamental resultante de lei ou ato normativo federal e
estadual.
d) por objetivo exclusivo evitar lesão a preceito fundamental resultante de ato da administração federal e
estadual.

(111-85). A decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal em Ação Direta de Inconstitucionalidade
que declarar a inconstitucionalidade de tratado internacional, devidamente ratificado e promulgado
pelo Estado brasileiro,
a) será nula, uma vez que tratados internacionais não podem ser objeto de Ação Direta de
Inconstitucionalidade.
b) produzirá apenas efeitos "ex tunc", uma vez que, pelo princípio da soberania, os Estados estrangeiros
não poderão ser vinculados ao cumprimento de tal decisão.
c) dependerá de posterior manifestação do Senado Federal para suspender a execução do tratado na
ordem jurídica interna.
d) produzirá efeitos "erga omnes" e vinculante, resultando na inaplicação do tratado na ordem jurídica
interna.

(111-86). As Comissões Parlamentares de Inquérito estão constitucionalmente autorizadas a


a) determinarem a prisão preventiva dos infratores, nos termos da lei processual penal, pois pos-suem os
mesmos poderes da autoridade judi-cial.
b) solicitarem o depoimento de qualquer autoridade ou cidadão, pois possuem os mesmos poderes
investigatórios da autoridade judicial.
c) determinarem a quebra de sigilo bancário, pois possuem os mesmos poderes investigatórios da
autoridade policial.
d) promoverem a responsabilização civil e criminal dos infratores.

(111-87). Em face da distribuição constitucional de competências, a lei estadual que, por ventura,
discipline a prática de atividades nucleares específicas no respectivo Estado, deve ser considerada
a) inconstitucional, visto ser competência da União legislar sobre "atividades nucleares de qualquer
natureza".
b) constitucional, por se tratar de matéria de competência legislativa concorrente.
c) inconstitucional, pois a exploração dos serviços e instalações nucleares é de competência exclusiva da
União.
d) constitucional, desde que o Estado tenha sido autorizado, por lei complementar da União, a legislar
sobre tal matéria.

(111-88). O Poder Legislativo Nacional é considerado do tipo bicameral-federativo porque é


composto por duas Casas Legislativas,
a) uma formada por representantes do povo brasileiro e a outra, por representantes dos Estados-membros
e do Distrito Federal.
b) uma Iniciadora e outra Revisora dos projetos de lei.
c) uma formada por representantes do povo brasileiro e a outra, por representantes dos Estados-
membros.
d) uma formada por representantes do povo brasileiro e a outra, por representantes dos Estados, do
Distrito Federal e dos Territórios, quando existirem.

(111-89). Por força da greve dos caminhoneiros, pode a União determinar que eles tenham
benefícios tarifários, isto é, os pedágios para os caminhoneiros seriam diminuídos em todas as
estradas brasileiras dadas em concessão, inclusive as estaduais?
a) Não, porque cabe aos Estados-membros alterar seus contratos administrativos.
b) Sim, porque os Estados-membros são obrigados a obedecer à lei federal de concessões.
c) Não, porque a União não tem competência para legislar sobre contratação administrativa.
d) Sim, porque a União é agente normativo e regulador da atividade econômica.

(111-90). Um cidadão, sabendo que o prefeito de sua cidade está cometendo irregularidades ou
ilegalidades na administração do dinheiro público,
a) deve fazer parte de uma associação ou sindicato para ter legitimidade para denunciá-lo perante o
Tribunal de Contas competente.
b) pode apenas denunciá-lo perante o Ministério Público.
c) pode denunciá-lo perante o Tribunal de Contas competente.
d) não terá legitimidade para denunciá-lo perante o Tribunal de Contas.

(112-81). No processo legislativo brasileiro, a iniciativa conjunta corresponde à competência


conferida
a) a qualquer membro ou Comissão da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso
Nacional, bem como ao Presidente da República para deflagrar o processo legislativo.
b) ao Presidente da República e ao Procurador-Geral da República para iniciar o processo legislativo sobre
lei que disponha sobre a organização do Ministério Público da União.
c) aos Presidentes da República, da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Supremo Tribunal
Federal para fixar o subsídio dos Ministros do Supremo Tribunal Federal.
d) ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores e aos Tribunais de Justiça para alterar o número
de membros dos tribunais inferiores.

(112-82) . A Ação Declaratória de Constitucionalidade, proposta pela Mesa do Senado e que tenha
por objeto Decreto do Presidente da República regulamentando lei federal, a priori,
a) deve ser julgada procedente, pois não apresenta nenhum vício de ordem processual.
b) deve ser julgada procedente, pois, mesmo diante de eventual afronta à Constituição Federal, o
julgamento improcedente implicaria declaração de inconstitucionalidade do ato, o que não é possível
nessa espécie de ação que tem por finalidade a declaração da constitucionalidade da norma.
c) não deve ser conhecida, pois o Presidente do Senado, e não a Mesa, é legitimado para propor a ação.
d) não deve ser conhecida, porquanto se está diante de questão de ilegalidade e não de
inconstitucionalidade.

(112-83). Poderá ser objeto de deliberação a proposta de emenda à Constituição que suprima
a) o poder de veto do Presidente da República no processo legislativo.
b) a justiça desportiva.
c) o direito de impenhorabilidade da pequena propriedade rural.
d) as competências legislativas do Distrito Federal.

(112-84). Sobre a lei complementar e a lei ordinária, vale dizer que são
a) distintas as matérias reservadas a cada uma delas, embora o quorum necessário para votação de
ambas seja o mesmo.
b) distintos os legitimados para apresentação dos respectivos projetos de lei.
c) idênticos o quorum necessário para votação e as matérias reservadas a cada uma delas.
d) distintas as matérias reservadas a cada uma delas, embora o quorum necessário para aprovação de
ambas seja o mesmo.

(112-85). Quanto à aplicabilidade e eficácia das normas constitucionais, o art. 5o, XV, da
Constituição da República, que prevê ser "livre a locomoção no território nacional em tempo de paz"
com a possibilidade de "qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair
com seus bens", pode ser considerado norma de eficácia
a) plena, não comportando nenhuma espécie de restrição.
b) contida, sendo de aplicação imediata, porém com possibilidade de restrição.
c) limitada, pois sua aplicação depende de regulamentação por lei.
d) limitada, por não ser auto-aplicável.

(112-86). Eventual proposta de emenda à Constituição Federal modificando os critérios de


aposentadoria do servidor público, que fosse rejeitada pelo Senado Federal, não poderia ser
reapresentada
a) pelos membros do Senado.
b) na ocorrência do estado de emergência.
c) devido à afronta à cláusula pétrea.
d)na mesma sessão legislativa.

(112-87). Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIn), proposta por Conselho Seccional da Ordem
dos Advogados do Brasil e encaminhada para julgamento ao plenário do Supremo Tribunal Federal,
com objetivo de controlar a constitucionalidade de dispositivos constantes de Emenda à
Constituição Federal e de lei estadual, não deverá ser conhecida porque
a) lei estadual não pode ser objeto de ADIn.
b) o plenário do Supremo Tribunal Federal não é o órgão competente para julgamento, mas, sim, uma das
Turmas da referida Corte.
c) o Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil não é legitimado para propor ADIn.
d) a Emenda à Constituição Federal não pode ser objeto de ADIn.

(112-88). A declaração de inconstitucionalidade de ato normativo que revoga outro ato normativo
tem como conseqüência lógica
a) o restabelecimento do ato normativo anterior.
b) a repristinação do ato normativo anterior.
c) a perda de eficácia de ambos os atos.
d) a impossibilidade de restabelecer o ato normativo anterior.
(112-89). Recentemente, foi promulgada lei criando a Agência Nacional de Água (ANA), assegurando
competência aos Estados-membros para legislar sobre o uso
a) das correntes de água que, dentro de seu território, servem de limite com território estrangeiro.
b) das bacias hidrográficas oriundas de rios que banham apenas seu território.
c) das praias marítimas dentro do seu território.
d) de todas as ilhas fluviais e lacustres, ainda que pertencentes à União.

(112-90). No âmbito da legislação concorrente,


a) têm os Estados-membros competência plena, dentro de seu território, para legislar sobre normas gerais,
desde que inexista lei federal a respeito.
b) cabe à União e aos Estados-membros legislar conjuntamente sobre normas gerais.
c) não podem os Estados-membros editar lei se não houver prévia legislação federal estabelecendo
normas gerais.
b) têm os Estados-membros apenas competência suplementar.

(113-81). O Município está constitucionalmente autorizado a criar guarda municipal com objetivo de
a) suplementar eventual omissão do Estado em matéria de segurança pública.
b) colaborar com a polícia civil na função de polícia judiciária.
c) proteger bens, serviços e instalações do Município.
d) auxiliar na preservação da ordem pública no âmbito de seu território.

(113-82). O Presidente da República expede Decreto com o fim de regulamentar determinada lei
federal. No entanto, o Decreto acaba por criar determinada obrigação não prevista na lei
regulamentada. Em tal hipótese, o Congresso Nacional
a) poderia revogar todo o Decreto, por meio de Resolução.
b) poderia revogar a parte do Decreto que criou a obrigação não prevista na lei, por meio de Resolução.
c) poderia sustar a parte do Decreto que criou a obrigação não prevista na lei, por meio de Decreto
Legislativo.
d) nada poderia fazer em relação ao Decreto, em respeito ao princípio da separação de poderes.

(113-83). Recentemente, o STF entendeu que, até que haja lei definindo o subsídio mensal a ser
pago a ministro do STF, não prevaleceria o teto único de remuneração para os três Poderes da
República, estabelecido pelo art. 37, XI da Constituição Federal. Esta decisão entendeu, portanto,
que a norma constitucional que estabeleceu o teto único de remuneração seria norma
a) de eficácia limitada e aplicação diferida.
b) de eficácia plena e aplicabilidade imediata.
c) de eficácia contida e aplicabilidade imediata.
d) auto-aplicável.

(113-84). O imposto sobre propriedade predial e territorial urbana, progressivo no tempo, é


constitucionalmente autorizado para os casos de
a) propriedade imobiliária que cumpra a sua função social.
b) solo urbano não edificado ou não utilizado.
c) propriedade rural que não utilize adequadamente os recursos naturais.
d) cessão de direitos reais sobre imóvel.

(113-85). Uma rádio comunitária ingressa em juízo com mandado de injunção, temendo ser lacrada
pelo órgão competente, eis que, nos termos da regulamentação existente, a mesma não teria
autorização para funcionar. O mandado de injunção deve
a) ser concedido, como sucedâneo de habeas data.
b) ser concedido, para assegurar o exercício de direitos e liberdades constitucionais inviabilizados pela
falta de ato de autorização.
c) ser negado, visto inexistir norma que regulamente tal tipo de serviço de radiodifusão.
d) ser negado, visto existir norma regulamentadora desse serviço de radiodifusão.

(113-86). Trabalhadores de um ente estatal em fase de privatização, pretendendo emendar a


Constituição Federal para proibir a alienação daquele ente, e não contando com o interesse do
Presidente da República, nem do Senado Federal para a iniciativa da proposta de Emenda, devem
conseguir, para tal objetivo, o apoio de, no mínimo, um terço
a) dos membros da Câmara dos Deputados.
b) das Assembléias Legislativas dos Estados-membros.
c) das Câmaras Municipais de um Estado-membro.
d) do Congresso Nacional.

(113-87). Quando se diz caber a todos os componentes do Poder Judiciário o exercício do controle
da compatibilidade vertical das normas da ordenação jurídica de um país, está se falando em
a) controle constitucional difuso, por via de ação.
b) jurisdição constitucional concentrada, por via de exceção.
c) jurisdição constitucional difusa, por via de exceção.
d) controle constitucional concentrado, por via de ação.

(113-88). Ao adquirir um produto via internet, um cidadão respondeu a um questionário eletrônico


sobre diversos dados pessoais, inclusive sobre suas preferências sexuais. A empresa vendedora
informava que os dados eram todos criptografados (sistema de segurança) e seriam utilizados
apenas por ela, como pesquisa de mercado. No entanto, algum tempo depois, o cidadão começou a
receber diversas mensagens eletrônicas ("e-mails") de pessoas estranhas, com comentários sobre
os dados pessoais que havia incluído naquele questionário. O proceder da empresa violou
a) o princípio da liberdade de manifestação do pensamento.
b) a proteção constitucional à reprodução da imagem humana.
c) o princípio da violabilidade das comunicações.
d) a garantia constitucional da inviolabilidade da intimidade.

(113-89). A norma que dispõe que "aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicação
e reprodução das suas obras, transmissíveis aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar" é norma
constitucional
a) de aplicabilidade plena, mas com eficácia redutível.
b) programática.
c) de eficácia limitada.
d) de aplicabilidade e eficácia plenas.

(113-90). O ordenamento jurídico brasileiro permite a promulgação de Emenda Constitucional para


tornar facultativo o voto para todos os cidadãos brasileiros e, posteriormente, a edição de Medida
Provisória para regulamentar o artigo da Constituição Federal alterado pela Emenda Constitucional?
a) Não, pois a Emenda Constitucional estará abolindo cláusula pétrea.
b) Sim. Pode ser promulgada a Emenda Constitucional, mas o artigo em questão não poderá ser
regulamentado por Medida Provisória.
c) Sim, tanto a Emenda Constitucional como a Medida Provisória têm amparo constitucional.
d) Em termos, porque basta a Medida Provisória para tornar facultativo o voto.

(114-1). São objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:


a) a garantia do desenvolvimento nacional, a prevalência dos direitos humanos e a construção de uma so-
ciedade livre, justa e solidária.
b) a prevalência dos direitos humanos, a erradicação da pobreza e a redução das desigualdades
regionais.
c) a garantia do desenvolvimento nacional, a construção de uma sociedade livre, justa e solidária e a
erradicação da pobreza.
d) a prevalência dos direitos humanos, a redução das desigualdades regionais e a garantia do
desenvolvimento nacional.

(114-2). Na responsabilização política do Presidente da República pela prática de atos atentatórios ao


cumprimento de decisões do Poder Judiciário,
a) impõe-se a prévia autorização do Senado Federal para o julgamento.
b) o julgamento será realizado pelo Supremo Tribunal Federal.
c) afastamento do Presidente da República de suas funções, pelo prazo de, no máximo, 180 dias.
d) a Câmara dos Deputados poderá determinar a perda do cargo e a inabilitação por 8 anos para o
exercício de função pública.

(114-3). O Decreto Legislativo


a) era, no sistema constitucional anterior, ato normativo de competência do Presidente da República,
semelhante à atual Medida Provisória.
b) é ato normativo destinado ao exercício de competências exclusivas do Congresso Nacional.
c) é ato normativo de hierarquia inferior à lei ordinária.
d) é ato normativo, de competência do Presidente da República, destinado a decretar intervenção federal.

(114-4). Diz-se que o conteúdo de uma norma jurídica positiva é completamente independente da sua
norma fundamental quando se está tratando do
a) Poder Constituinte Originário.
b) Poder Reformador.
c) Poder Constituinte Derivado.
d) Poder de Revisão.

(114-5). A norma da presunção de inocência – ninguém será considerado culpado até o trânsito em
julgado de sentença penal condenatória (art. 5o, inciso LVII da CF) – está diretamente vinculada ao
princípio constitucional da
a) ampla defesa.
b) moralidade administrativa.
c) inafastabilidade do processo judicial.
d) dignidade da pessoa humana.

(114-6). Ao estrangeiro, naturalizado brasileiro, é vedado


a) ser contratado como professor de universidade pública.
b) ser presidente do Senado Federal.
c) prestar concurso público para ingressar no serviço público federal.
d) filiar-se a partido político.

(114-7). Tendo em vista situação de extrema violência urbana no Município, o Prefeito decretou
estado de sítio, proibindo que bares funcionassem após as 22 horas. Esse decreto
a) é inconstitucional porque o Município não tem competência para zelar pela segurança pública.
b) é constitucional porque violência urbana é assunto de interesse local.
c) é constitucional porque, nos termos do art. 23, I, da Constituição Federal, a União, os Estados, o Distrito
Federal e os Municípios têm competência comum para zelar pelas instituições democráticas.
d) é inconstitucional porque só a União tem competência para decretar estado de sítio.

(114-8). O Senado Federal suspende a execução de lei declarada inconstitucional pelo Poder
Judiciário em
a) declaração direta de inconstitucionalidade, ocorrida em sessão a que estiveram presentes sete
Ministros.
b) declaração de inconstitucionalidade incidente.
c) declaração de inconstitucionalidade por omissão.
d) ação declaratória de inconstitucionalidade, julgada por maioria dos Ministros que se achavam presentes
no ato do julgamento.

(114-9). Com relação ao objeto de deliberação sobre emenda à Constituição, indique a variante
inexata.
a) A separação dos poderes e o voto direto, secreto, universal e periódico.
b) A forma federativa de Estado.
c) O sistema de governo presidencialista.
d) Os direitos e garantias individuais.

(114-10). Em função da submissão da Administração ao princípio da legalidade, pode-se dizer que


a) o Executivo não pode expedir normas que dêem operatividade a uma lei.
b) todo regulamento de Chefe do Executivo é ato inferior, subordinado e dependente.
c) a competência regulamentar do Chefe do Poder Executivo aplica-se quando houver omissão da lei a
respeito de algum assunto.
d) seus regulamentos podem impor restrições à ordem privada, desde que medida provisória posterior
assim o determine.

(115-81). Com relação às garantias dos juízes, é correto afirmar que


a) a vitaliciedade impede, de maneira definitiva, a perda do cargo.
b) o juiz poderá ser removido para outra jurisdição, por motivo de interesse público.
c) a irredutibilidade de subsídio torna o juiz imune à tributação por meio do imposto sobre a renda e
proventos de qualquer natureza.
d) a vitaliciedade é sempre adquirida pelo juiz após 2 anos de exercício no cargo.

(115-82). A decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo que, em Ação Direta de
Inconstitucionalidade, proposta pelo Procurador-Geral de Justiça, declarou inconstitucional a lei de
determinado Município,
a) poderá ser revista pelo STF, por meio de Recurso Extraordinário, desde que esteja em discussão a
afronta às normas constitucionais de repetição obrigatória pela Constituição do Estado.
b) nunca poderá ser revista pelo STF por meio de Recurso Extraordinário.
c) só poderá ser revista por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta junto ao STF.
d) será nula, uma vez que o Procurador-Geral de Justiça não é legitimado para propor tal ação.

(115-83). A finalidade do mandado de injunção é possibilitar a aplicação de


a) todas as normas constitucionais que dependam de norma regulamentadora.
b) normas constitucionais de eficácia plena.
c) normas constitucionais garantidoras de qualquer espécie de direito.
d) apenas, normas constitucionais garantidoras de direitos inerentes à nacionalidade, à soberania e à
cidadania.

(115-84). No processo de criação de lei ordinária, seu projeto


a) será sempre iniciado na Câmara dos Deputados.
b) poderá ser vetado pelo Presidente da República, no caso de relevância e urgência.
c) será aprovado por maioria simples, presente a totalidade dos membros de cada uma das Casas.
d) poderá ser emendado, salvo quando importar aumento de despesas em projetos de iniciativa exclusiva
do Presidente.

(115-85). A Federação Brasileira prevê, como instrumento de manutenção do pacto federativo,


a) a intervenção da União nos Estados-membros e Municípios.
b) o estado de sítio.
c) a intervenção da União nos Estados-membros.
d) o estado de defesa.

(115-86). Na celebração dos tratados internacionais pela República Federativa do Brasil,


a) o Presidente da República atua individualmente, sem a participação de qualquer outro órgão, por se
tratar de ato de sua competência exclusiva.
b) o Congresso Nacional deve ratificar o acordo através de decreto legislativo.
c) o Senado Federal deve resolver, definitivamente, sobre o acordo que acarretar encargos gravosos ao
patrimônio nacional.
d) o Presidente da República deve firmar o acordo, com autorização prévia da Câmara dos Deputados.

(115-87). As Comissões Parlamentares de Inquérito, no Congresso Nacional,


a) são órgãos do Poder Legislativo que exercem relevante papel na fiscalização e controle da
Administração, mas sempre dependem do Poder Judiciário para desenvolverem suas atividades de
investigação.
b) exigem, para sua criação, o requerimento de metade dos membros da Câmara dos Deputados ou do
Senado Federal.
c) devem apurar fato determinado, podendo, para tanto, ter sua duração prolongada sem fixação de prazo.
d) podem encaminhar suas conclusões, se for o caso, ao Ministério Público, para que promova a
responsabilidade civil e criminal dos infratores.

(115-88). Determinado Estado-membro, no exercício de competência concorrente e sabendo da


inexistência de lei federal a respeito, edita lei sobre direito penitenciário. Posteriormente, a União
Federal promulga lei contendo normas gerais sobre a referida matéria. Diante disso, é possível
estabelecer que
a) ambas as leis deverão coexistir, porém a lei federal suspenderá a eficácia da lei estadual, somente no
que lhe for contrário.
b) o Estado-membro usurpou competência legislativa da União, a quem competia legislar exclusivamente
sobre a matéria.
c) a lei produzida pelo Estado-membro foi revogada pela legislação posterior da União.
d) o Estado-membro não poderia ter legislado sem antes a União Federal editar lei contendo as normas
gerais a respeito da matéria.

(115-89). Estará legitimado a concorrer ao cargo de Deputado Federal


a) o religioso que se recusou a prestar obrigação alternativa, nos termos do art. 143, § 1o, da Constituição
Federal.
b) o conscrito, no período do serviço militar obrigatório.
c) o natural de Portugal, com residência permanente no País.
d) o brasileiro nato, maior de 21 anos, analfabeto.

(115-90). Um cidadão, acessando uma página da Receita Federal na Internet, de propriedade do


Governo Federal, descobre que os dados da sua última declaração encontram-se à disposição de
todos os internautas. Para que seus dados sejam retirados daquela página, pode esse cidadão
ingressar em juízo com
a) mandado de segurança.
b) habeas data.
c) mandado de injunção.
d) ação popular.

(116-01). O Poder Constituinte Originário, em tese,


a) deriva da Constituição Federal.
b) deve obedecer às cláusulas pétreas.
c) não pode ser exercido na vigência de estado de sítio.
d) poderá estabelecer pena de morte.

(116-02). Os Tribunais de Contas são órgãos relacionados ao


a) Poder Judiciário, responsáveis pela fiscalização contábil e financeira da Administração Direta e Indireta.
b) Poder Executivo, responsáveis pelo julgamento das contas dos administradores públicos.
c) Poder Judiciário, responsáveis pelo julgamento das contas dos administradores públicos.
d) Poder Legislativo, responsáveis pela fiscalização contábil e financeira da Administração Direta e Indireta.

(116-03). A Constituição Federal admite a restrição à inviolabilidade do domicílio


a) no caso de intervenção federal.
b) a qualquer tempo, desde que por determinação judicial.
c) no caso de decretação de estado de sítio.
d) se nele tiver ocorrido crime.

(116-04). Em face da Constituição da República, o direito adquirido está imune à incidência


a) de qualquer espécie normativa, inclusive emenda constitucional.
b) de qualquer espécie normativa, salvo emenda constitucional.
c) de qualquer lei, apenas.
d) de qualquer lei ou medida provisória, apenas.

(116-05). Quando o Município legisla sobre transporte coletivo municipal de passageiros, está
a) suplementando a legislação do Estado.
b) suplementando a legislação da União, no que couber.
c) expedindo norma fulcrada em sua própria autonomia.
d) expedindo normas de sua competência residual.

(116-06). O Estado pode atuar como empresário, no domínio econômico, quando se tratar de
a) imperativo de serviço público.
b) monopólio outorgado à União.
c) determinação da lei infraconstitucional.
d) defesa da função social da propriedade.

(116-07). Silenciando a Constituição Federal e a Estadual quanto ao limite de idade para a nomeação de
advogado para o cargo de Desembargador do Tribunal de Justiça (quinto constitucional), de um
determinado Estado, poder-se-á, por analogia, entender aplicável disposição da Constituição Federal que
estabelece o limite máximo de 65 anos para nomeação para o cargo de ministro do STF?
a) Sim, porque todas as normas da CF devem ser aplicadas analogicamente.
b) Não, porque, em se tratando de exceção ao princípio da não-discriminação em razão de idade, não se
admite interpretação extensiva.
c) Não, porque advogado nomeado pelo quinto constitucional não se aposenta compulsoriamente aos 70
anos de idade.
d) Sim, porque todos os juízes estão submissos ao princípio da vitaliciedade.

(116-08). A União, por decreto, interveio em Estado-Membro, em face do descumprimento de decisão


judicial (relativa ao pagamento de precatório). Posto isto,
a) o decreto de intervenção deve ser submetido ao Congresso Nacional, no prazo de 24 horas.
b) poderá o Congresso aprovar emenda constitucional para modificar o art. 100 da Constituição Federal
(ordem de pagamento dos precatórios).
c) deve a União submeter o decreto da intervenção ao Supremo Tribunal Federal.
d) o decreto de intervenção poderá limitar-se à suspensão da execução do ato impugnado.

(116-09). Na inexistência de normas gerais federais sobre um esporte novo, recém-introduzido no país,
a) pode um Estado-Membro, dentro de sua jurisdição, estabelecer normas gerais sobre a matéria, cuja
eficácia não será suspensa ainda que haja superveniência de normas gerais sobre a matéria,
estabelecidas por lei federal.
b) não pode um Estado-Membro legislar sobre a matéria enquanto não houver normas gerais estabelecidas
por lei federal, visto tratar-se de competência legislativa concorrente.
c) pode um Estado-Membro, dentro de seu território, legislar plenamente sobre a matéria, eis que se trata
de competência legislativa concorrente.
d) não pode o Estado-Membro legislar sobre a matéria, visto que se trata de competência privativa da
União e dos Municípios.

(116-10). Projeto de lei estadual, disciplinando as atribuições dos órgãos integrantes da Administração
Pública Estadual, é vetado pelo Governador do Estado por vício de iniciativa. A rejeição do veto
governamental pela Assembléia Legislativa
a) convalida eventual vício no processo legislativo.
b) usurpa a iniciativa legislativa exclusiva do Governador.
c) restaura a autonomia do Poder Legislativo.
d) traduz vício jurídico que impede a vigência do ato legislativo.
(117-01). Constituição rígida é a que
(A) não admite qualquer tipo de alteração.
(B) pode ser alterada por um processo legislativo mais solene e complexo que o exigido para a edição das
outras espécies normativas.
(C) possui regras que podem ser alteradas pelo processo legislativo ordinário e outras regras que apenas
podem ser modificadas através de processo legislativo especial.
(D) tem um núcleo imodificável e outro núcleo que pode ser alterado da mesma forma exigida para a
elaboraçãodas outras espécies normativas.

(117-02). É vedado aos Municípios


(A) instituir taxa em razão de prestação de serviços postos à disposição do contribuinte.
(B) cobrar contribuição de melhorias decorrente de obras públicas.
(C) instituir imposto sobre serviços de transporte intermunicipal.
(D) graduar seus impostos segundo a capacidade econômica do contribuinte.

(117-03). Pela teoria da recepção


(A) uma lei anterior à Constituição continua válida desde que com ela compatível.
(B) todas as leis promulgadas antes de uma lei constitucional só serão consideradas inválidas se não
ratificadas pelo Poder Constituinte originário.
(C) uma Emenda Constitucional poderá dar validade a leis consideradas anteriormente inconstitucionais.
(D) só as leis anteriores à Constituição, que forem repristinadas, terão validade.

(117-04). São julgadas pelo Tribunal de Contas da União as contas


(A) do governador do Distrito Federal.
(B) do Presidente da República.
(C) dos governadores de Estado.
(D) dos superintendentes de autarquias federais.

(117-05). São normas constitucionais de eficácia contida aquelas


(A) em que o legislador constituinte regulou suficiente os interesses relativos a determinada matéria, mas
deixou margem à atuação restritiva por parte do legislador infraconstitucional.
(B) que, desde a entrada em vigor da Constituição, produzem ou têm possibilidade de produzir todos os
seus efeitos.
(C) por meio das quais o legislador constituinte traça esquemas gerais de estruturação e atribuição de
órgãos, entidades ou institutos, para que o legislador ordinário os estruture, em definitivo, mediante lei.
(D) em que o constituinte, em vez de regular, direta e imediatamente determinados interesses, limita-se a
traçar-lhes os princípios para serem cumpridos pelos seus órgãos (legislativos, executivos e judiciais).

(117-06). A consagração do princípio da livre iniciativa na Constituição Federal


(A) impede a sua limitação, ainda que para tutelar direitos do consumidor.
(B) não impede a atividade regulativa do Estado sobre a economia.
(C) não coexiste com a atividade interventiva do Estado na ordem econômica.
(D) permite atividades monopolísticas do particular.

(117-07). As Medidas Provisórias editadas anteriormente à edição da Emenda Constitucional nº


32/2001
(A) deverão ser convalidadas em 60 dias, sob pena de suspensão do processo legislativo.
(B) têm validade pelo prazo de 60 dias, contado da edição da Emenda Constitucional.
(C) serão convertidas em lei, desde que reeditadas uma única vez.
(D) têm eficácia plena, independente de reedições, até sua revogação expressa pelo Executivo ou
deliberação definitiva do Legislativo.

(117-08). Diretor de sociedade de economia mista da qual o Município participa pratica ato lesivo ao
patrimônio da empresa.A anulação do ato pode ser pleiteada
(A) em ação popular proposta por qualquer pessoa residente no País.
(B) em ação popular proposta por qualquer cidadão.
(C) apenas pelos que foram prejudicados pelo ato.
(D) em mandado de segurança impetrado por qualquer pessoa residente no Município.

(117-09). Assinale a afirmativa correta.


(A) Todo eleito é cidadão, embora nem sempre possa exercer todos os direitos políticos.
(B) Os estrangeiros podem alistar-se como eleitores, desde que residentes no País há mais de dez anos.
(C) O alistamento eleitoral e voto são obrigatórios também para os analfabetos.
(D) É condição de elegibilidade para Governador do Estado, a idade mínima de 21 anos.

(117-10). Na proteção do meio ambiente, a Constituição Federal


I. condiciona a instalação de obra ou atividade potencialmente causadora de significativa degradação do
meio ambiente a estudo prévio de impacto ambiental;
II. veda a exploração, pelos particulares, dos recursos minerais;
III. dá ao meio ambiente a natureza de bem de uso comum do povo.
Pode-se dizer que
(A) apenas as afirmativas I e II são corretas.
(B) apenas as afirmativas II e III são corretas.
(C) apenas as afirmativas I e III são corretas.
(D) apenas uma ou todas as afirmativas são corretas.

(118-01). Em fevereiro de 2002, determinada matéria sobre meio ambiente é disciplinada em projeto
de lei que é aprovado pelo Congresso Nacional, mas que aguarda a sanção ou o veto do Chefe do
Executivo. Mesmo ciente de tal pendência, o Presidente da República, com base na relevância e
urgência, expede Medida Provisória dispondo sobre a mesma matéria constante do referido projeto
de lei. Em face das recentes alterações constitucionais, a Medida Provisória em questão deverá ser
considerada
(A) constitucional, pois atende a todos os requisitos previstos na Constituição Federal.
(B) inconstitucional, pois é vedada a adoção de Medida Provisória sobre matéria ambiental.
(C) inconstitucional, pois a "relevância" e a "urgência" não são mais pressupostos para adoção de Medida
Provisória.
(D) inconstitucional, pois é vedada a adoção de Medida Provisória que verse sobre matéria disciplinada em
projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional e pendente de sanção ou veto do Presidente da
República.

(118-02). Segundo a teoria do Poder Constituinte Originário, a Assembléia Constituinte, no exercício


de suas atribuições,
(A) estará subordinada a todas as normas constitucionais previstas em ordenamento jurídico preexistente.
(B) não estará subordinada a nenhuma espécie de norma constitucional preexistente.
(C) estará subordinada apenas ao princípio da separação de poderes previsto em ordenamento jurídico
preexistente.
(D) estará subordinada a todos os princípios constitucionais contidos em ordenamento jurídico preexistente.

(118-03). O Deputado Federal que, após sua diplomação, incorre na prática de homicídio qualificado
(A) poderá ser processado, desde que haja licença prévia concedida pela maioria dos membros da Câmara
dos Deputados.
(B) poderá ser processado, desde que haja licença prévia concedida pela maioria dos membros do
Congresso Nacional.
(C) não poderá ser processado, pois goza de imunidade material.
(D) poderá ser processado, independentemente de licença da Câmara dos Deputados.

(118-04). A medida provisória que verse sobre telecomunicações e que tenha sido rejeitada pelo
Congresso Nacional
(A) nunca poderá ser reeditada.
(B) poderá ser reeditada na legislatura subseqüente.
(C) poderá ser reeditada na sessão legislativa subseqüente.
(D) poderá ser prorrogada pelo prazo máximo de 60 dias.

(118-05). A cláusula de reserva de plenário, prevista no art. 97 da Constituição Federal, consiste na


obrigatoriedade
(A) de todos os tribunais declararem a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo apenas pelo voto da
maioria absoluta de seus membros ou dos membros do respectivo órgão especial, sob pena de nulidade do
julgamento.
(B) de toda demanda que envolva questão constitucional ser apreciada, em sessão plenária, pelo Supremo
Tribunal Federal, sob pena de nulidade do julgamento.
(C) de o Supremo Tribunal Federal declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo pelo voto da
maioria absoluta de seus membros, sob pena de nulidade do julgamento.
(D) de o Supremo Tribunal Federal declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo pelo voto da
maioria absoluta de seus membros, sem que a inobservância implique nulidade do julgamento.

(118-06). Em face da Emenda Constitucional n o 32, que alterou os prazos de vigência das novas
Medidas Provisórias, pode-se dizer que estas
(A) vigem por 60 (sessenta) dias, prorrogáveis por mais sessenta dias, quando perderão eficácia se não
forem convertidas em lei.
(B) perdem eficácia após 45 (quarenta e cinco) dias da publicação, quando entram em regime de urgência
no Congresso Nacional.
(C) vigem por prazo indeterminado, até deliberação definitiva do Congresso Nacional.
(D) continuam em vigor até que medida provisória ulterior as revogue explicitamente.

(118-07). Em relação à política de desenvolvimento urbano, a Constituição Federal prevê que


I. será executada pelo Poder Público Municipal;
II. o plano diretor será obrigatório para cidades com mais de vinte mil habitantes;
III. observados determinados requisitos, o solo urbano não edificado poderá ser desapropriado com
pagamento mediante títulos da dívida pública.
São corretas
(A) apenas as afirmativas I e II.
(B) apenas as afirmativas I e III.
(C) apenas as afirmativas II e III.
(D) todas as afirmativas.

(118-08). Assinale a alternativa correta.


(A) Segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, a declaração de inconstitucionalidade pode ter
efeito ex nunc ou ex tunc.
(B) A liminar concedida em sede de controle abstrato de normas há de ter sempre eficácia ex tunc.
(C) O Supremo Tribunal Federal costuma declarar, freqüentemente, a inconstitucionalidade de lei sem a
pronúncia da nulidade.
(D) A ação direta de inconstitucionalidade e a ação declaratória de constitucionalidade, no que se refere ao
direito federal, são instrumentos de caráter dúplice ou ambivalentes.

(118-09). Quanto à iniciativa de projeto de lei do Superior Tribunal de Justiça, pode-se afirmar que
(A) terá início na primeira sessão conjunta da Câmara e do Senado Federal, para aprovação em única
votação.
(B) terá início no Senado Federal.
(C) terá início na Câmara dos Deputados.
(D) o STJ não tem competência para iniciativa de lei.

(118-10). Ao Presidente da República compete, privativamente,


(A) nomear e exonerar os Ministros de Estado, ad referen-dum do Congresso Nacional.
(B) conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei,
podendo delegar tal atribuição ao Procurador-Geral da República.
(C) sancionar, promulgar e fazer publicar leis e emendas constitucionais, bem como expedir decretos e
regulamentos para sua fiel execução.
(D) manter relações com Estados Estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos, além de
celebrar tratados, convenções e atos internacionais, desde que previamente aprovados pelo Congresso
Nacional com antecedência mínima de 90 (noventa) dias.

(119-01).Medida provisória que altere a legislação que regulamenta a interceptação das


comunicações telefônicas e que não seja convertida em lei
(A) nã o p oder á ser reedit ada, p orqu e os direit os individu ais não po dem s er disciplina dos
p or medida pr ovisória.
(B) nu nca po der á ser reedit ada, por det erminaç ã o e xpr es s a do at u al regim e
c ons tit ucional das medidas pr ovisórias.
(C) som ent e po der á ser reedit ada na sess ão legislativ a s ub-s eqü ent e.
(D) pod er á ser reedit ad a n a m esm a ses são legislativ a, des de que nã o t enh a sido
rejeit ada expr essament e pelo Congr es s o Nacional.
(119-02). A Câmara Municipal que utilizar mais de 70% de sua receita com folha de pagamento dará
ensejo à
(A) intervenção do Estado-membro no Município.
(B) responsabilização do Presidente da Câmara Municipal pela prática de crime de responsabilidade.
(C) responsabilização dos Vereadores pela prática de improbidade administrativa.
(D) obstrução do repasse de receitas da União para o Município.

(119-03). A norma constitucional cuja aplicação dependa de regulamentação por norma


infraconstitucional é considerada de eficácia
(A) contida.
(B) limitada.
(C) plena.
(D) concorrente.

(119-04). Em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Presidente da República ou vacância dos


respectivos cargos, serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência:
(A) o Presidente do Senado Federal, o da Câmara dos Deputados e o Ministro-Chefe do Estado Maior das
Forças Armadas.
(B) o Presidente do Senado, o da Câmara e o do Supremo Tribunal Federal.
(C) o Presidente do Supremo, o do Senado e o da Câmara.
(D) o Presidente da Câmara, o do Senado e do STF.

(119-05). A Constituição Federal assegura expressamente, em seu artigo 5º:


I. o direito de herança;
II. a impenhorabilidade do bem de família;
III. ao preso, o direito à identificação dos responsáveis por sua prisão ou por seu interrogatório
policial.
Pode-se afirmar que estão corretos os itens
(A) I e II, apenas.
(B) I e III, apenas.
(C) II e III, apenas.
(D) I, II e III.

(119-06). Tem o Tribunal de Contas da União competência para punir particulares?


(A) Sim, em casos de prestação de contas em que venha a concorrer para a prática de atos danosos ao
erário.
(B) Não, porque a relação jurídica que se impõe entre a União e um particular é sempre de direito privado,
e não de direito público.
(C) Sim, desde que ajuíze ação civil indenizatória.
(D) Não, porque o TCU só tem tutela hierárquica sobre os servidores públicos.

(119-07). Caracteriza-se como controle difuso de constitucionalidade


(A) a ação direta de inconstitucionalidade.
(B) a argüição de descumprimento de preceito fundamental.
(C) a ação declaratória de constitucionalidade.
(D) o recurso extraordinário.

(119-08). Norma infraconstitucional produzida sob a égide de anterior Constituição, compatível com
nova ordem constitucional, é considerada válida
(A) pela teoria da recepção.
(B) pela teoria da repristinação.
(C) pela teoria da desconstitucionalização.
(D) por se tratar de norma de eficácia plena.

(119-09). Lei municipal que concede subvenção a determinada seita religiosa deve ser considerada
(A) inconstitucional, podendo ser impugnada por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade junto ao
Supremo Tribunal Federal.
(B) inconstitucional, podendo ser impugnada por via de Argüição de Descumprimento de Preceito
Fundamental junto ao Supremo Tribunal Federal, desde que observado o princípio da subsidiariedade.
(C) constitucional, podendo ser assim declarada, no caso de divergência jurisprudencial, em Ação
Declaratória de Constitucionalidade junto ao Supremo Tribunal Federal.
(D) constitucional, pois a Constituição Federal autoriza a concessão de subsídios a qualquer espécie de
culto religioso.
(119-10). A prestação de serviços públicos
(A) é monopólio do Estado.
(B) incumbe ao Poder Público, na forma da lei, diretamente ou sob o regime de concessão ou permissão,
dispensada a licitação.
(C) gera, para o Estado, para o concessionário ou para o permissionário, a responsabilidade objetiva.
(D) pressupõe atividade de empresa pública.

(120-01). O trabalhador urbano que pretender invocar a proteção contra a automação assegurada
pelo art. 7. o , XXVII, da Constituição Federal, pendente de norma regulamentadora, deverá fazer uso
de
(A) mandado de segurança individual.
(B) mandado de segurança coletivo.
(C) mandado de injunção.
(D) ação direta de inconstitucionalidade por omissão.

(120-02). Sabendo-se que o sistema financeiro deverá ser regulado por lei complementar, nos termos
do art. 192, da Constituição Federal, caso eventual lei ordinária venha a discipliná-lo, essa lei
padecerá de
(A) inconstitucionalidade formal, não podendo ser controlada pelo Judiciário, pelo fato de a aprovação
equivocada da lei ser matéria interna corporis do Poder Legislativo.
(B) inconstitucionalidade formal, podendo ser controlada pelo Judiciário, tanto pela via difusa, como pela
via concentrada.
(C) inconstitucionalidade material, podendo ser controlada pelo Judiciário, apenas pela via difusa.
(D) inconstitucionalidade material, podendo ser controlada pelo Judiciário, apenas pela via concentrada,
por ser norma de âmbito nacional.

(120-03). Emenda à Constituição Federal que transferisse quase a totalidade das competências
legislativas privativas da União (art. 22, da CF) aos Estados, poderia ser considerada
(A) inconstitucional, por ser atentatória ao pacto federativo.
(B) inconstitucional, por ser atentatória à separação de poderes.
(C) constitucional, pelo fato de a Emenda à Constituição ter poderes ilimitados para a alteração da
Constituição Federal.
(D) constitucional, pelo fato de o parágrafo único do art. 22 da Constituição Federal autorizar a delegação
de competências pela União aos Estados.

(120-04). A decisão do Supremo Tribunal Federal que, em Ação Direta de Inconstitucionalidade,


declara a inconstitucionalidade parcial sem redução de texto de determinado dispositivo de lei,
implica
(A) nulidade do dispositivo, não sendo mais permitida sua aplicação integral.
(B) nulidade de parte do texto do dispositivo, sendo permitida a aplicação da parte restante.
(C) manutenção integral do texto do dispositivo, não sendo mais permitida a aplicação da interpretação
incompatível com a Constituição Federal.
(D) manutenção parcial do texto do dispositivo, não sendo mais permitida a aplicação da interpretação
incompatível com a Constituição Federal.

(120-05). No Estado Brasileiro são considerados instrumentos da Democracia Direta


(A) ação popular e iniciativa popular das leis.
(B) mandado de segurança, habeas corpus e habeas data.
(C) mandado de segurança coletivo e ação civil pública.
(D) ação popular e mandado de segurança coletivo.

(120-06). A Constituição Federal autoriza o intérprete, de maneira expressa, a distinguir outros


direitos fundamentais, além daqueles por ela veiculados textualmente
(A) nos tratados internacionais.
(B) nos Decretos do Presidente da República.
(C) nos acordos coletivos de trabalho.
(D) nas decisões do Supremo Tribunal Federal, proferidas em Ação Direta de Inconstitucionalidade.

(120-07). No processo de impeachment, o Presidente da República poderá


(A) apenas perder o cargo, cabendo ao Senado Federal autorizar o processamento e, à Câmara dos
Deputados, o julgamento.
(B) apenas perder o cargo, cabendo à Câmara dos Deputados autorizar o processamento e, ao Senado
Federal, o julgamento.
(C) perder o cargo e ser inabilitado para o exercício da função pública por 8 anos, cabendo à Câmara dos
Deputados autorizar o processamento e, ao Senado Federal, o julgamento, que será presidido pelo
Presidente do Supremo Tribunal Federal.
(D) perder o cargo e ser inabilitado para o exercício da função pública por 8 anos, cabendo ao Senado
Federal autorizar o processamento e, à Câmara dos Deputados, o julgamento, que será presidido pelo
Presidente da Câmara dos Deputados.

(120-08). Ao tutelar o direito à vida, a Constituição Federal


(A) proibiu totalmente a pena de morte e a remoção de órgãos.
(B) permitiu excepcionalmente a pena de morte e a remoção de órgãos.
(C) proibiu totalmente a pena de morte e autorizou a remoção de órgãos.
(D) autorizou excepcionalmente a pena de morte e proibiu totalmente a remoção de órgãos.

(120-09). O veto do Presidente da República a projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional pode
ser
(A) oposto com base na relevância e na urgência da impugnação ao projeto de lei.
(B) derrubado por qualquer das Casas do Congresso.
(C) apresentado com base na inconstitucionalidade do projeto de lei.
(D) derrubado apenas pelo voto nominal de todos os parlamentares.

(120-10). Proposta da lei objetivando a extinção do Tribunal de Alçada de um Estado é de


competência privativa do
(A) Tribunal de Justiça daquele Estado.
(B) Supremo Tribunal Federal.
(C) Superior Tribunal de Justiça.
(D) Governador daquele Estado.

(121-01). Diz-se que a lei, em sentido material, vale para todas as ações a que se refere, para todos
os sujeitos a que se destina e vale para sempre (enquanto não revogada). Tais características são
denominadas, respectivamente,
(A) generalidade, impessoalidade e abstratividade.
(B) impessoalidade, especificidade e revogabilidade.
(C) generalidade, discricionariedade e estabilidade.
(D) abstratividade, impessoalidade e irrevogabilidade.

(121-02). É suscetível de desapropriação para fins de reforma agrária


(A) a grande propriedade rural produtiva.
(B) terra pública federal.
(C) terra pública federal incluída no Plano Nacional de Reforma Agrária.
(D) a pequena propriedade rural, desde que seu proprietário possua outras.

(121-03). O art. 62, § 1.º da CF não indica os direitos e garantias individuais como matéria vedada à
edição de medida provisória. Em face disso, pode Medida Provisória abolir direitos e garantias
individuais?
(A) Sim, porque a proibição da CF é apenas para deliberação em Emenda Constitucional.
(B) Não. A CF proíbe inclusive deliberação de proposta de Emenda Constitucional sobre tal matéria.
(C) Não, porque Medida Provisória tem validade por apenas 60 dias.
(D) Sim, desde que caracterizadas a relevância e a urgência.

(121-04). As normas de eficácia plena e contida têm em comum


(A) a possibilidade de serem aplicadas, independente de leis regulamentadoras, tal qual o art. 37, VII, da
Constituição Federal, que assegura aos servidores públicos o seguinte: "o direito de greve será exercido
nos termos e nos limites definidos em lei específica".
(B) a impossibilidade de serem aplicadas, pois dependem de leis regulamentadoras, tal qual o art. 5.º,
XXVI, da Constituição Federal, que dispõe: "a pequena propriedade rural, assim definida em lei, desde que
trabalhada pela família, não será objeto de penhora para pagamento de débitos decorrentes de sua
atividade produtiva, dispondo a lei sobre os meios de financiar o seu desenvolvimento".
(C) a possibilidade de serem parcialmente aplicadas, na medida em que as leis regulamentadoras
permitirem, tal qual o art. 7.º, XI, da Constituição Federal, que assegura aos trabalhadores urbanos e rurais
o seguinte: "participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração, e, excepcionalmente,
participação na gestão da empresa, conforme definido em lei".
(D) a possibilidade de serem aplicadas, independente de leis regulamentadoras, tal qual o art. 5.º, inciso
XIII, da Constituição Federal, que dispõe: "é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão,
atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer".

(121-05). O poder de auto-organização dos Municípios é primordialmente expresso


(A) pelo poder de instituir os seus próprios tributos.
(B) pela eleição do prefeito, vice-prefeito e vereadores.
(C) na elaboração da sua lei orgânica.
(D) pela sua soberania federativa.

(121-06). Na federação brasileira, não integra a autonomia do Município, a competência para


(A) fixar a remuneração dos Vereadores.
(B) criar autarquias pertencentes à Administração Indireta.
(C) produzir Leis Complementares.
(D) criar Tribunal de Contas.

(121-07). A Medida Provisória que amplia prazo para o réu deduzir contestação no processo civil
deve ser considerada
(A) constitucional, porque favorece o princípio do in dubio pro reo.
(B) constitucional, porque o Código de Processo Civil pode ser alterado por qualquer espécie normativa.
(C) inconstitucional, porque Medida Provisória não pode dispor sobre direito processual civil.
(D) inconstitucional, porque, sendo o Código de Processo Civil lei ordinária, somente poderá ser alterado
por lei ordinária.

(121-08). O dispositivo da Lei Orgânica do Município, que confere à Comissão Parlamentar de


Inquérito, criada pela Câmara Municipal, a possibilidade de decretação de prisão de pessoas
investigadas em seu território, poderá ser objeto de
(A) Ação Direta de Inconstitucionalidade, a ser processada perante o Supremo Tribunal Federal, porque a
decretação de prisão é competência exclusiva dos membros do Poder Judiciário.
(B) Ação Direta de Inconstitucionalidade, a ser processada perante o Tribunal de Justiça, se o dispositivo
estiver em desconformidade com a Constituição do respectivo Estado.
(C) Ação Declaratória de Constitucionalidade, a ser processada perante o Supremo Tribunal Federal,
porque a CPI possui os mesmos poderes da autoridade judicial, para fins de investigação.
(D) Argüição de Descumprimento de Preceito Fundamental, a ser processada perante o Tribunal de Justiça,
porque a decretação de prisão é competência exclusiva dos membros do Poder Judiciário.

(121-09). Compete ao Supremo Tribunal Federal processar e julgar, originariamente, ação direta de
inconstitucionalidade de ato normativo estadual proposta
(A) por Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil.
(B) por entidade de classe de âmbito nacional.
(C) por partido político com representação na Assembléia Legislativa.
(D) pelo Ministério Público de qualquer dos Estados.

(121-10). Considera-se eleito o Presidente da República, mediante sufrágio universal e voto direto e
secreto
(A) obtida maioria simples de votos, incluídos os votos em branco e os nulos.
(B) alcançada maioria absoluta de votos, considerados os votos em branco.
(C) presente maioria absoluta de votos, não-computados os votos em branco e nulos.
(D) alcançada maioria simples de votos, excluídos os votos nulos.

(122-01). São aquinhoados com o atributo da intangibilidade, compondo o chamado cerne fixo da
Constituição:
(A) o princípio da separação dos poderes e a forma federativa de Estado.
(B) os direitos individuais e o voto direto, secreto, obrigatório e periódico.
(C) o processo legislativo e as normas de participação social.
(D) a dignidade da pessoa humana e a prestação de serviço público.
(122-02). Na ausência de normas gerais federais sobre poluição ambiental causada por linhas de
transmissão de energia elétrica, pode um estado membro legislar a respeito, proibindo, por exemplo,
a construção de linhas de transmissão nas margens de rios estaduais?
(A) Sim, porque os estados têm competência plena dentro de seu território, para legislar sobre normas
gerais de proteção do meio ambiente, desde que inexista lei federal a respeito.
(B) Não, porque cabe à União, com exclusividade, zelar pelo meio ambiente.
(C) Não, porque compete privativamente à União legislar sobre energia elétrica, proteção do meio ambiente
e controle da poluição.
(D) Sim, e a legislação estadual não poderá ser suspensa ainda que lei federal posterior estabeleça
normas gerais permitindo a construção de linhas de transmissão nas margens de rios.

(122-03). A União Federal não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal, exceto para
(A) promover a execução de lei estadual, ordem ou decisão judicial.
(B) assegurar a observância do princípio constitucional da autonomia municipal.
(C) suspender o pagamento da dívida fundada por mais de dois anos consecutivos, mesmo nos casos de
força maior.
(D) não tiver sido aplicado o mínimo exigido da receita municipal na manutenção e desenvolvimento do
ensino e nas ações e serviços públicos de saúde.

(122-04). Dentre as matérias incluídas no processo legislativo, as resoluções são atos de


competência exclusiva
(A) do Congresso Nacional e não dependem de sanção presidencial.
(B) da Câmara dos Deputados e não dependem de sanção presidencial.
(C) do Congresso Nacional, ou do Senado, ou da Câmara, e não dependem de sanção presidencial.
(D) do Senado Federal e não dependem de sanção presidencial.

(122-05). A inamovibilidade assegurada aos juízes pela Constituição Federal consiste na


impossibilidade
(A) de transferência do magistrado de uma comarca para outra, salvo, unicamente, no caso de sua
anuência.
(B) de transferência do magistrado de uma comarca para outra, salvo nos casos de sua anuência ou de
ocorrência de interesse público, declarado por dois terços do Tribunal a que o magistrado estiver vinculado.
(C) de o magistrado ser exonerado, exceto por sentença judicial transitada em julgado.
(D) de o magistrado ser exonerado, exceto por autorização do Presidente do Tribunal a que o magistrado
estiver vinculado.

(122-06). Ao disciplinar o direito de nacionalidade, a Constituição Federal


(A) vedou o estabelecimento, por lei, de distinção entre brasileiro nato e naturalizado.
(B) permitiu a extradição de brasileiros natos e naturalizados.
(C) autorizou o provimento de cargos de carreira diplomática por brasileiros natos e naturalizados.
(D) reservou a propriedade de empresas jornalísticas, apenas aos brasileiros natos.

(122-07). A Constituição Federal intitula, como fundamentais, os seguintes direitos e garantias:


(A) a taxa de juros reais de 12% ao ano, a impenhorabilidade do bem de família e a inimputabilidade penal
dos menores de 18 anos.
(B) a gratuidade do registro de nascimento aos reconhecidamente pobres, a impenhorabilidade do bem de
família e o mandado de segurança.
(C) a impenhorabilidade do bem de família, a taxa de juros reais de 12% ao ano e a ação civil pública.
(D) o direito de herança, a indenização ao condenado por erro judiciário e o mandado de segurança
coletivo.

(122-08). Sobre a sucessão dos bens de estrangeiro situados no País, a Constituição Federal
(A) determina que a lei infraconstitucional discipline a matéria.
(B) assegura a aplicação da lei brasileira em benefício do cônjuge e dos filhos brasileiros, caso a lei do de
cujus não lhes seja mais favorável.
(C) assegura a aplicação, em qualquer circunstância, da lei brasileira em benefício do cônjuge e dos filhos
brasileiros.
(D) assegura o ajuizamento do processo sucessório perante o Supremo Tribunal Federal.

(122-09). A Constituição Federal não impõe, ao município, a obrigatoriedade de


(A) estabelecer Plano Diretor para a cidade com mais de vinte mil habitantes.
(B) promulgar a Lei Orgânica, observando-se os princípios contidos nas Constituições Federal e do
respectivo Estado.
(C) criar Defensoria Pública no âmbito municipal.
(D) limitar a despesa com pessoal da Câmara Municipal.

(122-10). A Medida Provisória assemelha-se à Lei Delegada no seguinte aspecto:


(A) é elaborada pelo Presidente da República.
(B) sua vigência é temporária.
(C) após a respectiva edição, deve ser apreciada pelo Congresso Nacional.
(D) não pode ser expedida durante a intervenção federal, o estado de sítio ou o estado de defesa.

(123-11). As Emendas Constitucionais de Revisão e as Emendas Constitucionais promulgadas até a


presente data guardam, entre si, a seguinte semelhança:
(A) são normas constitucionais produzidas a partir de certos limites estabelecidos pelo Poder Constituinte
Originário.
(B) foram aprovadas pelo quorum de 3/5 dos membros do Congresso Nacional, em dois turnos de votação.
(C) foram produzidas pelo Poder Constituinte Decorrente, responsável pela organização dos Estados-
membros.
(D) puderam ser elaboradas no momento imediatamente seguinte à promulgação da Constituição Federal.

(123-12). Não é considerado instrumento componente do sistema brasileiro de “freios e contra-


pesos” (checks and balances):
(A) o veto do Presidente da República a projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional.
(B) a sustação, pelo Congresso Nacional, de Decreto do Presidente da República que exceda o poder
regulamentar.
(C) o julgamento, pelo Congresso Nacional, das contas do Presidente da República.
(D) a elaboração, pelo Supremo Tribunal Federal, de seu Regimento interno.

(123-13). Projeto de lei que disponha sobre o aumento da remuneração dos servidores municipais
não poderá ser apresentado, por 5% do eleitorado do Município, à Câmara Municipal porque:
(A) inexiste iniciativa popular das leis na esfera municipal.
(B) para iniciativa popular das leis municipais exige-se o mínimo de 10% do eleitorado local.
(C) a matéria é de iniciativa privativa do Chefe do Poder Executivo.
(D) a Assembléia Legislativa é o órgão competente para aprovação da lei em questão.

(123-14). O art. 7.º, XXVII, da Constituição Federal, que assegura aos trabalhadores urbanos e rurais,
textualmente, “a proteção em face da automação, na forma da lei” é norma de eficácia
(A) contida, cujo saneamento da omissão pode ser tentado através de mandado de injunção e de ação
direta de inconstitucionalidade por omissão.
(B) limitada, cujo saneamento da omissão pode ser tentado através de mandado de injunção e de ação
direta de inconstitucionalidade por omissão.
(C) contida, cujo saneamento da omissão pode ser tentado somente pelo trabalhador, através de mandado
de injunção, por ser direito a ele conferido.
(D) limitada, cujo saneamento da omissão pode ser tentado somente pelo trabalhador, através de mandado
de injunção, por ser direito a ele conferido.

(123-15). A decisão do Supremo Tribunal Federal que declarasse a constitucionalidade de decreto


legislativo ratificador de tratado internacional, em Ação Direta de Inconstitucionalidade, proposta
pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil,
(A) seria incorreta, pois o decreto legislativo em questão não é passível de controle de constitucionalidade.
(B) poderia ter efeitos ex nunc, por razões de segurança jurídica ou de excepcional interesse social.
(C) seria incorreta, pois o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil não é parte legítima para a
propositura de ADIN.
(D) teria efeito vinculante em relação aos órgãos do Poder Judiciário e à Administração Pública federal,
estadual e municipal.

(123-16). O não pagamento de precatórios pelo Estado-membro, na forma exigida pela Constituição
Federal, enseja intervenção da União, que será decretada pelo
(A) Presidente da República, mediante requisição do Supremo Tribunal Federal.
(B) Presidente do Supremo Tribunal Federal, mediante representação do Procurador-Geral da República.
(C) Presidente do Congresso Nacional, após aprovação de ambas as Casas.
(D) Presidente do Supremo Tribunal Federal, mediante autorização do Congresso Nacional.

(123-17). O veto do Presidente da República, por motivo de inconstitucionalidade, à lei aprovada pelo
Congresso Nacional, é forma de
(A) controle preventivo da constitucionalidade, podendo, as razões, serem questionadas junto ao Poder
Judiciário.
(B) controle repressivo da constitucionalidade, podendo, as razões, serem questionadas junto ao Poder
Judiciário.
(C) controle preventivo da constitucionalidade, sendo vedado o questionamento de suas razões junto ao
Poder Judiciário.
(D) controle repressivo da constitucionalidade, sendo vedado o questionamento de suas razões junto ao
Poder Judiciário.

(123-18). É parte integrante da liberdade de associação, prevista na Constituição Federal,


(A) a criação irrestrita de qualquer associação.
(B) a proibição de obrigar o filiado a permanecer associado, salvo se o ato constitutivo da associação
dispuser o contrário.
(C) a legitimidade de as associações representarem extrajudicialmente seus filiados, independentemente
de qualquer autorização.
(D) a possibilidade de suspensão das atividades da associação, por decisão judicial.

(123-19). Segundo o sistema constitucional de distribuição de competências, é correto afirmar que o


Município, no exercício de suas atribuições legislativas,
(A) compartilha da competência concorrente dos Estadosmembros e do Distrito Federal.
(B) tem a possibilidade de suplementar as legislações federal e estadual, no que couber.
(C) tem a possibilidade de legislar, mediante autorização legal, sobre questões específicas relacionadas às
matérias de competência privativa da União.
(D) compartilha da competência material comum da União, dos Estados-membros e do Distrito Federal.

(123-20). Os documentos que organizam os Estados-membros, o Distrito Federal e os Municípios, a


partir das competências a eles conferidas pela Constituição Federal, são denominados,
respectivamente:
(A) Constituição do Estado, Lei Orgânica do Distrito Federal e Lei Orgânica Municipal.
(B) Lei Orgânica Estadual, Lei Orgânica do Distrito Federal e Lei Orgânica Municipal.
(C) Constituição Estadual, Constituição do Distrito Federal e Constituição Municipal.
(D) Constituição Estadual, Constituição do Distrito Federal e Lei Orgânica Municipal.

(124-01). A Ação Direta de Inconstitucionalidade Interventiva, processada junto ao Supremo Tribunal


Federal, tem por objetivos tutelar
(A) os princípios sensíveis, previstos no art. 34, VII, da Constituição da República, e dispor sobre a
intervenção da União nos Estados ou Distrito Federal.
(B) toda a Constituição Federal e declarar a inconstitucionalidade do ato impugnando.
(C) os princípios fundamentais, previstos no Título I, da Constituição da República, e declarar a
inconstitucionalidade do ato impugnando.
(D) os princípios da Ordem Econômica, previstos no art. 170, da Constituição da República, e declarar a
inconstitucionalidade do ato estatal que intervenha indevidamente na economia.

(124-02). O Distrito Federal


(A) iguala-se aos Territórios Federais por serem, ambos, entes federativos.
(B) abriga Brasília, a sede do Governo Federal, a qual pode ser transferida temporariamente.
(C) mesmo não sendo ente federativo, dispõe de 6 representantes no Senado Federal.
(D) é formado por um conjunto de Municípios, dentre os quais figura Brasília.

(124-03). “A”, canadense de origem, naturaliza-se brasileiro e passa a residir em país estrangeiro,
cuja lei o obrigou a adquirir a nacionalidade local, como condição de permanência no território. Em
face do que dispõe a Constituição Federal, “A” permanece apenas com
(A) a nacionalidade do país estrangeiro.
(B) a nacionalidade brasileira.
(C) a nacionalidade brasileira e a do país estrangeiro.
(D) a nacionalidade canadense e a brasileira.
(124-04). A inviolabilidade de domicílio, assegurada pelo art. 5º, XI, da Constituição Federal,
(A) pode ser suprimida por Emenda à Constituição.
(B) pode sofrer restrição na vigência do estado de defesa, que permite a busca e apreensão em domicílio,
sem autorização judicial.
(C) prevê a possibilidade de ingresso em domicílio, a qualquer tempo, mediante ordem judicial.
(D) prevê a possibilidade de ingresso em domicílio para prestação de socorro.

(124-05). A Câmara Municipal


(A) é composta por vereadores que gozam de imunidade por suas opiniões, palavras e votos, em todo o
território nacional.
(B) tem competência para legislar sobre assuntos de interesse local do Município e suplementar a
legislação
federal e a estadual no que couber.
(C) não pode gastar mais de 60% de sua receita com folha de pagamento.
(D) não pode instaurar comissões parlamentares de inquérito,com poderes de investigação próprios das
autoridades judiciais, sendo essa competência exclusiva das comissões do Congresso Nacional.

(124-06). O controle preventivo da constitucionalidade de projeto de lei ordinária estadual que


contrarie a Constituição do respectivo Estado pode ser efetuado
(A) pelo Supremo Tribunal Federal, por meio da via concentrada.
(B) pelo Tribunal de Justiça, por meio da via concentrada.
(C) pelo juiz de primeira instância, por meio da via direta.
(D) por Comissão da Assembléia Legislativa.

(124-07). O projeto de lei ordinária


(A) não deve dispor sobre matéria de competência exclusiva do Congresso Nacional.
(B) deve ser aprovado pelo Congresso Nacional, por quorum de maioria absoluta, e remetido ao Presidente
da República, para sanção ou veto.
(C) uma vez vetado pelo Presidente da República, retornará ao Congresso Nacional para arquivamento.
(D) pode ser apresentado por qualquer parlamentar, independentemente da matéria que disponha.

(124-08). Pelo sistema eleitoral majoritário, por maioria absoluta dos votos, são eleitos
(A) os senadores.
(B) os deputados federais e estaduais.
(C) o Presidente da República e os governadores dos Estados-membros.
(D) os prefeitos e vereadores.

(124-09). A decisão em Ação Direta de Inconstitucionalidade, processada perante o Supremo Tribunal


Federal, que declara inconstitucional a Lei “B”, revogadora da Lei “A”, produz efeito
(A) ex tunc, restaura a eficácia da Lei “A” e vincula os órgãos do Poder Judiciário e a Administração
Pública.
(B) ex nunc, mantém revogada a Lei “A” e vincula somente os órgãos do Poder Judiciário.
(C) ex nunc, restaura a eficácia da Lei “A” e vincula somente os órgãos do Poder Judiciário.
(D) ex tunc, mantém revogada a Lei “A” e vincula somente a Administração Pública.

(124-10). É premissa para realização do controle da constitucionalidade das leis, o princípio da


(A) soberania popular.
(B) razoabilidade das leis.
(C) legalidade.
(D) supremacia da constituição.

(125-01)- A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 pode ser considerada


a) rígida, por ser seu processo de alteração mais dificultoso que o de elaboração das demais espécies
normativas, e formal, por constar de documento escrito solenemente aprovado pelo Poder Constituinte.
b) rígida, por ser imutável, e outorgada, por ter sido elaborada com participação popular.
c) flexível, por ser passível de alteração, e formal, por prever forma específica para a sua modificação.
d) flexível, por ser passível de alteração, e outorgada, por ter sido elaborada sem a participação popular.

(125-02)- O Presidente da República está sujeito


a) às práticas de crime de responsabilidade e de crime comum, ambos julgados pelo Supremo Tribunal
Federal.
b) apenas à prática de crime de responsabilidade, julgado pelo Supremo Tribunal Federal.
c) às práticas de crime de responsabilidade e de crime comum, julgados, respectivamente, pelo Senado
Federal e pelo Supremo Tribunal Federal.
d) apenas à prática de crime de responsabilidade, julgado pela Câmara dos Deputados.

(125-03)- Na organização do Estado brasileiro, a substituição da União, dos Estados, do Distrito


Federal e dos Municípios por um único ente central.
a) não seria possível, devido à existência de disposição constitucional expressa vedando a alteração de
forma republicana de governo.
b) seria possível, por meio de Emenda á Constituição.
c) não seria possível, devido à clausula pétrea da separação dos Poderes.
d) seria possível somente pelo Poder Constituinte Originário.

(125-04)- O art. 7º inciso XXVII, da Constituição Federal, que assegura aos trabalhadores urbanos e
rurais “proteção em face da automação, na forma da lei”, pode ser considerada norma constitucional
de eficácia.
a) contida, por ter aplicabilidade imediata, não necessitando de norma regulamentadora.
b) limitada, por não ter aplicabilidade imediata, necessitando de norma regulamentadora.
c) plena, por ter aplicabilidade imediata, não necessitando de norma regulamentadora
d) plena, por ter aplicabilidade imediata, mas passível de restrição por norma regulamentadora.

(125-05)- O direito do indivíduo obter informações dos órgãos públicos, prescrito na Constituição
Federal, é
a) absoluto, porque, na condição de direito fundamental, não pode ser restringido, inclusive sob estado de
sítio.
b) relativo, porque só pode ser exercido para obtenção de informações de interesse pessoal.
c) absoluto, porque não sofre nenhuma ressalva expressa na Constituição da República.
d) relativo, porque não abrange as informações cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade.

(125-06)- o alistamento eleitoral é vedado aos


a) estrangeiros e analfabetos
b) analfabetos e menores de 16 anos
c) menores de 16 anos e conscritos, durante o período de serviço militar obrigatório
d) estrangeiros e militares

(125-07)- Projeto de lei subscrito por um por cento do eleitorado nacional, circunscrito somente no
Estado de São Paulo, que dispusesse sobre alterações no Código de Trânsito Brasileiro e que fosse
apresentado à Câmara dos Deputados, não estaria em conformidade com a Constituição Federal,
porque
a) o projeto de lei só poderia ser subscrito por, no mínimo, cinco por cento do eleitorado nacional.
b) o percentual dos subscritores deveria estar distribuído, pelo menos, em cinco Estados, com não menos
de três décimos por cento dos eleitores de cada um deles.
c) “trânsito” é matéria de iniciativa privada do Presidente da República para apresentação de projetos de
leis.
d) o projeto de lei deveria ser apresentado ao Senado Federal.

(125-08)- A imunidade material do Deputado Federal


a) difere da imunidade material do Vereador, porque a responsabilização dos Vereadores por suas
opiniões, palavras e votos, restringe-se à circunscrição do respectivo município.
b) é idêntica à imunidade material do Vereador, não permitindo que sejam responsabilizados, civil e
penalmente, por suas opiniões, palavras e votos, em todo território nacional.
c) difere da imunidade do Vereador, porque a licença para processamento é assegurada somente aos
Vereadores de Municípios com mais de 200 mil habitantes.
d) é idêntica à imunidade material do Vereador, não permitindo que sejam processados sem a licença
prévia das respectivas Casas.

(125-09)- A fiscalização do Município deve ser exercida mediante


a) controle externo, pela Assembléia Legislativo e Tribunal de Contas do Estado.
b) controle externo, pela Câmara Municipal e Tribunal de Contas da União.
c) controle externo, pelos Tribunais de Contas da União, Estado e do Município.
d) controle interno, pelo Poder Executivo, e controle externo, pela Câmara Municipal, auxiliada pelo
Tribunal de Contas do Estado ou do Conselho ou Tribunal de Contas do Município, onde houver.

(125-10)- A decisão do Supremo Tribunal Federal, proferida em argüição de descumprimento de


preceito fundamental,
a) em regra, não é retroativa
b) vincula os órgão do Poder Público
c) vincula somente o Poder Judiciário
d) produz efeito somente entre as partes.

(126-01). Em face da Reforma Administrativa r ecém promulgada, pode-se diz er que


a) nã o p ode o pensionist a receber subsídios ou v enc iment os .
b) n ão po de o servidor acum ular venc iment os c om pr ov ent os .
c) as hipót eses de acum ulação de car gos continuam as mesm as.
d) o t et o constitucional da remuner ação d os servidor es impede a ac um ulaç ão de car gos .

(126-02). A Reforma Administr ativa det erminou que a fixação do subsídio dos Ministros
do Supr emo Tribunal Feder al ser á r ealiz ada por lei de iniciativa conjunt a dos
Pr esidentes da República, da Câm ar a dos Deput ados, do S enado Feder al e do
Supr emo Tribunal Feder al. Não tendo esta lei sido promulgada, pode-se ent ender que
a inér ci a das autoridades r esponsáveis
a) nã o p oder á ser suprida p elo mandad o de injunç ão, vist o trat ar-se d e e diç ão d e lei de
iniciativa conju nt a com o Pr esident e d o ST F.
b) p od erá ser suprida p or m and ad o d e injunç ão, medida há bil a instrum ent ar o e xercício
d e direit os decorrent es d a a usê ncia de norma regulador a.
c) po der á ser suprida por meio de ação dir et a d e inc onst it ucion alidade por omissão, a ser
pr opost a por qu alqu er servidor p úblico pr ejudic ad o p ela aus ência d a lei.
d) p od erá ser o bjet o d e ação declar at ória de c ons tit ucionalidad e.

(126-03). Em função da submissão da Administr ação ao princípio da legalidade, pode-


se dizer que
a) t odo regulam ent o de Che f e do Executiv o é at o in f erior, subor dinado, e de pen de de lei.
b) o Executivo não po de exp edir normas que dê em oper atividad e a um a lei.
c) a com pet ê ncia regulam ent ar d o Che f e do Pod er Ex ec ut iv o aplic a-s e qu an do houv er
omissão d a lei a respeit o de algum ass unt o.
d) seus regulam ent os pod em im por restrições à or dem priv ad a, des de que medida
pr ovis ória p ost erior assim o d et ermine.

(126-04). Quando da promulgação de uma nova Constituição, diz-se que a legislação


ordinária compatível perde o suporte de validade da constituição antiga, mas
continua válida pela teoria
a) da repristinaç ão.
b) d a d esconstitucionalização.
c) da recepção.
d) d o p od er constit uint e subor dinado.

(126-05). É compet ência privativa do Pr esidente da República, sem possibilidade de


del egação:
a) nom ear os dir et or es do Ba nco Centr al.
b) pr over cargos pú blicos f e der ais.
c) c onced er indult o.
d) dis por sobre moeda e seus limites de emiss ão.

(126-06). Controle de constitucionalidade por via de exc eção é o cham ado


a) c ontr ole misto, adot ad o n o Br asil, ond e conviv em harmonic am ent e os controles dif us o
e abstr at o.
b) c ontrole abstrat o, q ue tem com o caract erístic a a dis c us são da lei em t es e e c om o
o bjet o leis ou at os n orm at ivos f e der ais e est ad uais .
c) c ontr ole dif uso, que t em como caract erístic as a exist ência de um c as o concret o e a
pr odução de e f eit os er ga omn es .
d) c ontrole di f uso, qu e t em com o car ac t erísticas a e xist ênc ia de um cas o c oncr et o e a
pr odução de e f eit os int er p art es .

(126-07). A omissão inconstitucional pode ser at acada por meio de


a) represent ação de inconstit ucionalidad e.
b) ação dir et a de inconstit ucionalidad e em f ac e de at o norm ativ o.
c) aç ão declarat ória de constit ucionalida de.
d) m and ad o d e injunção.

(126-08). Afirma-se que o Poder Legislativo br asileiro é do tipo bicam er al-feder ativo,
pois
a) é int egrad o exclusivam ent e por repres ent ant es d os Es t ados e do Distrit o Feder al, qu e
s ão e nt es f e derativos.
b) é int egr ado por du as Casas Le gislat iv as , um a d elas c ompost a por repr es ent ant es do
p ov o br asileir o e a outr a por repr esent ant es dos Est ad os e do Distrito Feder al.
c) é int egrad o p ela Câm ara dos Dep ut a dos, c ompost a por repres ent ant es do pov o
br asileiro, e pelo S en ado Feder al, compos t o por repres ent a nt es dos Est ad os , dos
Municípios e do Distrit o Feder al.
d) a União e os Est ad os t êm P od eres Le gislativos pr óprios.

(126-09). Em r elação às gar antias da magistr atur a, é cor r eto afirmar que
a) a vitalicieda de é sem pre ad quirida pelos magistrados a pós dois an os de exercício no
c argo.
b) a inamovibilida de po de ser a f ast a da por motiv o d e int er es se público.
c) a irredutibilidade de subsídio t orna os juízes im unes à tribut aç ão por meio do impost o
s obr e a rend a e pr ovent os de qualqu er n at ur ez a.
d) a vit aliciedad e im pede de f initivam ent e a per da d o c argo pelos juízes.

(126-1 0). No exer cí cio da compet ência legislativa concorr ente,


a) a União edit a normas g er ais e específ ic as.
b) a União, os Est ados e os Municípios legislam em sist ema de coo per aç ão.
d) os Est ados po der ão edit ar norm as ger ais e es pecífic as , c as o inexis t a lei d a União
f i xan do normas ger ais.
d) as normas g er ais pr oduzidas pelos Es t ados pr ev alec em sobr e as norm as ger ais
s upervenient es d a União.

(127-0 1). Por meio de aç ão dir et a de inconstitucionalidade e de aç ão declar atória de


constitucionalidade, processadas junto ao Supr emo Tribunal Feder al, poder ão ser
questionadas
(A) as Em endas à Constit uição Feder al e as leis f e derais, est ad uais e m unicipais.
(B) as leis f e der ais, est ad uais e municipais .
(C) as leis f e derais e est aduais.
(D) as leis f e derais.

(127-0 2). A lei complem ent ar deve ser apr ovada por quorum de maioria
(A) absolut a, com o a lei or dinária.
(B) sim ples, com o a lei or dinária.
(C) absolut a, dif er ent e d a lei or dinária.
(D) sim ples, dif er ent e d a Emen da à Constituiç ão.

(127-0 3). Lei ordinária feder al, dispondo sobr e o aumento da remuner ação dos
servidor es públicos da União, cujo proj eto de lei tenha sido apr esentado por
S enador, e que tenha sido promulgada pelo Congr esso Nacional,
(A) cont ém vício f ormal d e inconstit uc ion alidade, p ode nd o s er qu es tiona do via controle
dif us o.
(B) cont ém vício mat erial d e inconstit uc ion alidade, p ode nd o s er qu es tiona do via controle
dif us o.
(C) cont ém vício m at erial d e inconst it ucion alida de, po de ndo s er qu es tiona do via c ontrole
c onc e ntr ado.
(D) não cont ém vício de inconstit ucionalidad e.
(127-0 4). A Constituição da República assegur a aos membros do Poder Judi ciário, no
primeiro gr au:
(A) vit alicied ade, a dquirida ap ós três a nos de ex ercício, de pe nde nd o a per da do car go,
n es s e período, d e sent e nça judicial tr ansitad a em julgad o.
(B) inam ovibilida de, salvo p or d et erminaç ão do Pr eside nt e do res pec tiv o Tribun al.
(C) f or o privilegiado, junt o ao Su prem o Tribunal Feder al.
(D) irr edut ibilidad e d e subsídio.

(127-0 5). As comissões parlam ent ar es de inquérito da Câm ar a dos Deputados e do


S enado Feder al
(A) po dem pr omover a responsabilidad e civil e p en al d os inf r at or es .
(B) possuem p oder es de investigação pr óprios das a ut oridad es judiciais.
(C) pod em ser criadas p or pr azo ind et ermina do.
(D) possuem po der es d e investigação pr óprios das aut oridad es p oliciais.

(127-0 6) Os membros do Congr esso Nacional


(A) possuem imunidade, mas p odem s er pr es os, des de a exp ediç ão do diploma, no cas o
d e f l agr ant e d e crime ina f iançável.
(B) possuem imunidade, n ão pod en do ser pr es os , em q ualq uer hip ót es e.
(C) possuem imunida de, mas po dem s er pr es os, des de qu e n ão es t ejam no exercício d e
s uas f unçõ es.
(D) não possuem imunidad e.

(127-0 7). Em c aso de impedimento do Pr esidente e do Vice-Pr esidente da República


ser á primeir ament e chamado ao e xer cí cio da Pr esidênci a o
(A) Pr eside nt e do Se nad o Feder al.
(B) Pr eside nt e da Câm ar a dos Dep ut a dos.
(C) President e do Supr em o Tribunal Fed er al.
(D) Ministr o das Relações E xt erior es.

(127-0 8). NÃO integr a o princípio da separ ação de Poder es, na esfera do Municí pio, a
seguinte competênci a:
(A) pr estação anu al d e cont as p elo Pr ef eit o à Câmar a Municipal.
(B) nom eação, pelo Pr e f eit o, d e mem br o do Po der Judic iário loc al.
(C) vet o do Pr ef eit o a pr ojet o d e lei apr ov ado pela Câmar a.
(D) cassação d o mand at o do Pr ef eit o p ela Câm ar a Municipal.

(127-0 9). Dentr e as gar antias constitucionais, o indivíduo, par a assegurar o


conhecimento de informações relativas à sua pessoa, const ant es de bancos de
dados de entidades gover nam ent ais, poder á val er-se de
(A) Mandad o d e S egur ança Coletivo.
(B) Mandad o d e Injunçã o.
(C) Hab eas Dat a.
(D) Ação Po pular.

(127-1 0). As "cláusulas pétr eas" são limites ao poder de


(A) decret ação de int ervençã o d a União nos Municípios, pelo Pr esident e d a Repú blic a.
(B) ela bor ação da Constit uição, p elo Po der Const it uint e Originário.
(C) decret ação de est ado de sítio, pelo Pr esident e d a Repú blic a.
(D) alt eração d a Constit uição, pelo Po der Re f ormador.

(128-0 1). Eventuais distinções de tratamento entre brasileiros natos e natur aliz ados,
segundo a Constituição Feder al,
(A) nã o p odem ser criadas em qualqu er hipót es e.
(B) só pod em ser criadas p ela própria Constituiç ão Fed eral.
(C) pod em ser criadas p or lei or dinária.
(D) pod em ser criadas p or Decr et o Regulam ent ar do Pr eside nt e da Rep úblic a.

(128-0 2). O S enado Feder al compõe-se de repr esentant es


(A) dos Est ad os e do Distrito Feder al, com mandat o d e oit o a nos, renov ado de qu atr o em
q uatro a nos, alt er nadam ent e, por um e dois t erços.
(B) do povo, com mandat o d e q uatro a nos, renov a do, int egr alm ent e, de qu atr o em quatr o
a nos.
(C) ape nas dos Est ad os, com mandat o d e oit o anos , renov ad o, int egr alm ent e, d e oit o em
oit o a nos.
(D) do povo, com m and at o de oit o a nos, renov a do, int egr alm ent e, de oit o em oit o an os .

(128-0 3). No regime democr ático br asileiro atual, a elei ção indireta
(A) nã o é admitida em qu alqu er hipót es e.
(B) é a dmitida, par a a escolha dos Deput ad os d o Dis trit o Fed er al, pelo Congr ess o
Nac ion al.
(C) é a dmitida, par a a escolha dos Pr ef eit os e Vic e-Pr ef eit os Municipais, pela Ass em bléia
L egislativa, n o caso de cassação d os m and at os .
(D) é a dmitida p ar a escolha do Pr eside nt e e do Vic e-Pr esident e d a Repú blic a, pelo
Congr esso Nacion al, n o caso de vacância d os c ar gos n os últ im os dois a nos do período
pr esidencial.

(128-0 4). O projeto de lei, apr ovado pelo Congr esso Nacional, que autoriz e a União a
subsidiar cultos r eligiosos
(A) nã o p oder á ser vet ad o p elo Pr eside nt e da Rep úblic a, por que já f oi apr ov ad o p elo
Congr esso Nacion al.
(B) nã o p oder á ser vet ad o p elo Pr eside nt e da Rep úblic a, por que nã o a pres ent a q ualq uer
inc onst it ucion alida de.
(C) pod er á ser vet ado pelo Pr esident e d a Repú blic a, c omo f orma d e c ontr ole pr ev ent iv o
d a c onstit ucionalidad e.
(D) pod er á ser vet ado pelo Pr esident e d a Repú blic a, c omo f orma d e c ontr ole repr es siv o
d a c onstit ucionalidad e.

(128-0 5) A Constituição Feder al NÃO assegura gratuidade par a a obt enção de


(A) registr o civil d e n asciment o, a os rec onhec idament e pobr es.
(B) certidão de óbit o, aos reconh ecidam ent e po br es .
(C) assist ência judiciária, aos qu e compr ov ar em ins u f ic iênc ia de rec ursos.
(D) assist ência religiosa, aos qu e compr ov ar em ins u f ic iênc ia de rec ursos.

(128-0 6). Os direitos fundamentais, segundo o texto da Constituição Feder al,


(A) têm aplicação imediat a, mas, alguns deles , po dem ser sus pens os dur ant e a
int ervençã o f e der al.
(B) têm aplicação imediat a, mas, alguns deles , po dem ser sus pens os dur ant e o es t ado de
sítio.
(C) têm aplicação imediat a e nu nca po dem s er sus pens os.
(D) não t êm aplicação im ediat a.

(128-0 7). NÃO é função institucional do Ministério Público


(A) a pr op osit ura d e ação po pular.
(B) o controle ext er no da at ividad e p olicial.
(C) a pr oposit ura d e ação de inconstit ucionalidad e p ar a f ins d e int erv enç ã o f e der al.
(D) a d e f esa judicial d os dir eit os d as pop ulaç ões indígen as .

(128-0 8). A decisão proferida em Ação Diret a de Inconstitucionalidade por Omissão


proposta par a suprir eventual falta de lei r egulam ent ador a do direito de gr eve dos
servidor es públicos (art. 37, VII, da Constituição Feder al):
(A) nã o p ermitirá o exercício e f etivo do dir eit o, por que a Aç ão Dir et a d e
Inconstitucionalida de por Omissão não vis a a tor nar e f etiva a n orm a cons tit uc ion al.
(B) permitir á o exercício e f etivo d o direit o, p orqu e o brigará o Congr ess o Nacion al a
pr oduzir a lei em 3 0 (trint a) dias.
(C) não permitirá o e xercício e f etivo do dir eit o, p or que ape nas dar á ciência a o Congr ess o
Nac ion al sobr e a necessidad e d e se pr oduzir a lei.
(D) permitir á o exercício e f et ivo d o direit o, por qu e d e f inir á com o e qua nd o o dir eit o s er á
ex ercido.
(128-0 9). Medida Pr ovisória que alter asse o procedimento sumário previsto no Código
de Processo Civil e que fosse prorrogada por mais 60 (sessent a) dias, durante a
vigência de intervenção feder al,
(A) nã o d everia ser convertida em lei, p or que a pr orrogaç ã o s ó é admitida por mais 30
(trint a) dias.
(B) nã o d everia ser convertida em lei, p or que não po de dis por s obr e dir eito proc es s ual
civil.
(C) não deveria ser convertida em lei, p orqu e n ão po deria s er pr orr oga da sob a vigê nc ia
d e int ervençã o f e der al.
(D) deveria ser convertida em lei, por que f oi pr oduz ida nos t erm os da Cons tit uição
Feder al.

(128-1 0). A razoável duraç ão do processo judici al


(A) nã o é dir eit o consagr ado na Constit uição Feder al.
(B) é direit o consa grad o n a Constituiç ão Fed eral, mas po de ser s uprimido por Em enda à
Constit uição.
(C) é direit o consagr ad o n a Constit uiç ão Feder al, mas pod e s er s uprimido p or trat ado
int er nacional, desde qu e a provado, em c ada Cas a do Congr es s o Nacional, em dois
t urnos, p or três q uint os d os vot os d os respec tiv os mem br os .
(D) é direit o consagr ad o n a Constit uiç ão Feder al e nã o p od e s er s uprimido p or Em en da à
Constit uição.

(129-0 1). Ao rec eber proj eto de lei aprovado pelo Congr esso Nacional, é vedado, ao
Pr esidente da República, vetá-lo
(A) por ileg alida de.
(B) por contr arieda de ao int eresse pú blic o.
(C) por inconstit ucionalidad e.
(D) tot alm ent e.

(129-0 2). O instrumento cl ássico de manutenção da unidade do pacto feder ativo é


(A) o est ado de sítio.
(B) a int ervenção f ed er al.
(C) o est ad o d e d e f esa.
(D) o est ad o d e g uerra.

(129-0 3). A decisão proferida por juízo singular estadual, em mandado de segurança
individual, que decl ar a a inconstitucionalidade de det erminada lei da União,
(A) é n ula, por qu e o juízo est adu al só p ode dec lar ar a inc ons tit ucionalidad e d e leis
est ad uais.
(B) é n ula, por qu e o juízo sing ular nã o p ode dec lar ar a inc ons tit ucionalidad e d as leis,
c abe ndo, a declar ação, soment e a os Tribun ais.
(C) é válida e pr od uz a pe nas e f eit os e ntr e as part es d o pr oc es s o.
(D) é válida e pr od uz e f eit os er ga om nes.

(129-0 4). A def esa de direitos fr ente aos Poder es Públicos poder á ser promovida,
e xtr aj udicialment e, por meio
(A) de reclamação, par a pr eservar a aut oridad e d a d ec is ão d o S upr em o Tribunal Fed eral
e de ha beas d at a.
(B) de ha beas d at a e d o direit o de pet iç ão.
(C) de reclamação, par a pr eservar a aut oridade da dec is ão d o S upr emo Tribun al Feder al,
e do dir eit o d e certidão.
(D) dos dir eit os de petição e d e certidão.

(129-0 5). Com a vigênci a da Emenda Constitucional n. º 45/ 20 04, as súmulas do


Supr emo Tribunal Feder al, at é ent ão aprovadas,
(A) passar am a ter e f eit o vinculant e, som ent e em relaç ão aos d em ais ór gãos do Po der
J udiciário.
(B) passar am a ter e f eit o vinculant e, em relaç ão aos dem ais órgã os do Pod er J udiciário e
à administração p ública diret a e indir et a, nas es f er as f e deral, es t adu al e municipal.
(C) passar am a ter e f eit o vinculant e, em relaç ão a os dem ais ór gã os d o P od er J udiciário,
à administração p ública diret a e indir et a, nas es f er as f e deral, es t adu al e municipal e ao
Congr esso Nacion al.
(D) não passaram a t er e f eit o vinculant e.

(129-0 6). Segundo a Constituição Feder al, ao Poder Reformador é permitido extinguir
(A) a impen hor abilidad e d a p equ en a pr oprieda de rur al.
(B) as com pet ê ncias exclusivas do Con gress o Nacional.
(C) o mono pólio da União sobr e a ref inaç ão de petróleo.
(D) o vot o secr et o, par a escolha d o Pr esident e d a Repú blic a pelos cida dãos .

(129-0 7). O “quinto constitucional” cor r esponde


(A) ao qu orum de um quint o dos membr os do Su prem o Tribunal Feder al, p ara a
d ec laração d e inconst it ucion alida de das leis.
(B) à com posição d e um q uint o d os Tribun ais d e J ustiç a d os Es t ados e os Tribunais
Regio nais Fed er ais, p or mem br os d o Minist ério Pú blic o e a dv o ga dos.
(C) ao quor um de um q uint o d os mem bros do Con gress o Nacional par a apr ov aç ão de
Em en da à Constit uição Feder al.
(D) ao tr anscurso d o p eríodo d e um quint o da s es são legislativ a, par a reapr es ent aç ã o d e
n ov o pr ojet o de lei ar quivad o p or inconst it ucion alida de.

(129-0 8). O Tribunal de Cont as da União é órgão auxiliar


(A) do Con gr esso Nacional, na f iscalizaç ão c ont á bil e f i nanc eir a da União, cujas d ec is ões
p os s uem nat ureza a dministr ativa.
(B) do Po der Judiciário Fed er al, na ap ur aç ão de im pr obid ades a dminis tr ativ as, cujas
d ec isões possuem nat ur eza jurisdicion al.
(C) da Presidênc ia da Rep ública, n a f is c alizaç ão cont ábil e f ina nc eira d a União, d os
Est ad os e d os Municípios, cujas decisões p os s uem nat urez a a dminis tr ativ a.
(D) do Minist ério P úblico d a União, na f isc aliz aç ão d e ilícit os p enais ligados à
a dministr ação pública, cujas d ecisões poss uem nat ur ez a juris dicion al.

(129-0 9). O sistema br asileiro de controle da constitucionalidade permite


(A) a impug nação de lei m unicipal, em f ac e d a Constituiç ão da Rep úblic a, p or m eio de
Aç ão Dir et a d e Inconstitucionalida de Fed eral.
(B) a verif icação d e inconstit ucion alidade dur ant e o pr oc ess o d e elab oraç ão da lei.
(C) o sane am ent o da omissão inconstit ucional, obriga ndo- se o P oder c ompet ent e a ad ot ar
as pr ovidê ncias n ecessárias.
(D) a pr oposit ura d e Ação Declarat ória d e Constitucionalida de Fed eral pelo Cons elho
S ec cional da Or dem d os A dvo ga dos do Br asil.

(129-1 0). A Constituição Feder al é considerada rígida porque


(A) nã o p ode ser modi ficada.
(B) nã o p ode ser modi ficada, excet o n os c as os de est ad o d e sítio e de es t ado de de f es a.
(C) não po de ser modi ficada, excet o qu an do declar ada inc ons tit uc ion al p elo Su prem o
Tribun al Feder al.
(D) pod e ser modif icad a p or m eio de proc es s o mais c omplexo e dif ic ult os o qu e o
pr oc esso de elab or ação das leis in fr ac ons tit ucionais .

(130-0 1). A ação direta de inconstitucionalidade por omissão e o mandado de


injunção
(A) devem ser sem pre pr opost os junt o ao Supr em o Tribunal Fed er al.
(B) possuem os mesm os legitim ados at iv os .
(C) controlam as omissões norm ativas.
(D) são instrum ent os de contr ole pr ev ent iv o da c ons tit ucionalidad e.

(130-0 2). A decr et ação de est ado de sítio permite a


(A) dissolução do Con gresso Nacional.
(B) suspensão de dir eitos f un dam ent ais .
(C) destituição do President e da Rep úblic a.
(D) em enda da Constit uição Feder al.
(130-0 3). A ação direta de inconstitucionalidade estadual
(A) po de ser pr op ost a per ant e o Tribunal de Justiça par a c ontr olar as omis sões d a
Constit uição Feder al q ue a f et em o Est ado- membr o res pec tiv o.
(B) po de ser pr op ost a per ant e o Tribunal de Justiça par a impugn ar lei est ad ual ou
municipal contrárias à Constituição Es t adu al.
(C) pod e ser pr opost a per ant e o Su prem o Tribunal Feder al par a impug nar lei es t adual
c ontr ária à Constit uição Feder al.
(D) não existe no sist ema br asileiro d e c ontrole da const it ucion alida de.

(130-0 4). Somente os br asileiros natos


(A) nã o p oder ão ser extr adit ados, n o c as o de com prov ado env olviment o em trá fic o ilícit o
d e e nt or pecent es.
(B) po der ão ser pr opriet ários d e em pr es as jor nalístic as .
(C) pod er ão realizar a p esq uisa e a lavra d e recurs os miner ais.
(D) pod er ão ocup ar o car go d e Ministr o do Sup erior Tribunal de Justiç a.

(130-0 5). O Poder Legislativo municipal


(A) é com post o por veread or es, em igual n úm ero p ar a tod os os m unicípios.
(B) est á limit ado ao gast o de cinq üe nt a por cent o de sua rec eita com f olha de pag am ent o.
(C) é compet ent e par a cassar o mand at o do Pr ef eit o Municipal, n o c as o de crime de
res po nsa bilida de.
(D) é or ganizad o p or L ei Orgâ nica, apr ov ada pela Ass em bléia Le gislativa do res pec tiv o
Est ad o-mem br o.

(130-0 6). A decisão judi cial que contr ari ar súmula vincul ant e, apr ovada pelo Supremo
Tribunal Feder al, poder á ser c assada por meio de
(A) reclamação.
(B) ha beas d at a.
(C) recurso e xtr aordinário.
(D) açã o diret a de inconstit ucionalidad e.

(130-0 7). O voto secr eto est á previsto na Constituição Feder al, ex ceto par a
(A) o e xercício, p elo cida dã o, d a sober ania p opular.
(B) a rejeição, pelo Congr esso Nacional, d e v et o do President e da Rep úblic a a pr ojet o de
lei.
(C) a cassação do mandat o d e Deput ad o Feder al q ue ten ha pr oc edido de f orma
inc om patível com o decoro parlament ar.
(D) a a provaçã o, p elo Se nad o Feder al, dos Ministr os d e Est ad o.

(130-0 8). O Ato das Disposições Constitucionais Tr ansitórias da Constituição Feder al


de 19 88
(A) nã o p ossui cont e údo norm ativo, tal q ual o pr eâm bulo d a Cons tit uiç ão Feder al.
(B) cont ém normas de aplicação t empor ária.
(C) não po de ser alt erado por Em end a à Cons tit uiç ão.
(D) cont ém ape nas os princípios f un dam ent ais da Cons tit uiç ão Feder al.

(130-0 9). No sistema presidencialista br asileiro pr escrito na Constituição Feder al, o


Pr esidente da República
(A) exer ce as f u nções d e Che f e d e G ov erno, e o Vic e-Pr eside nt e, as de Che f e de Est ad o.
(B) po de ser substituído p elo Ministr o da Justiça, no cas o d e impediment o.
(C) é eleit o pelo sist em a de maioria relativ a o u simples .
(D) est á sujeit o à p er da d o cargo, cas o s e a us e nt e do País por mais de quinz e dias, s em
a ut orização d o Congr esso Nacion al.

(130-1 0). É de compet ência do Congr esso Nacional a expedição de


(A) decret o legislativo.
(B) decret o regulam ent ar.
(C) decret o int ervent ivo.
(D) decret o-lei.
(131-11). Após a promulgação da Constituição de 19 88,
(A) o eleit orad o t eve a o port unidad e d e esc olher, m ediant e plebiscit o, a f orm a
republican a d e g over no, caract erizad a p ela eleiç ão e p eriodicidade dos mand at os dos
g ov er nant es.
(B) o eleit orad o t eve a o port unidad e d e esc olher, m ediant e re f er end o, a f orm a f ed er ativ a
d e est ad o, car acterizada pela e xist ênc ia de or dens jurídic as parciais a ut ô nom as, com o
Est ad os-m em bros e Municípios.
(C) o eleit orado t eve a op ort unid ade de esc olher, mediant e ref er endo, o sist ema
pr esidencialist a de gover no, car acteriz ado pelo e xercício d as f u nç ões d e Che f e d e
G ov erno e d e Che f e d e Est ado por pess oas distint as .
(D) a f orm a e o sist em a de gover no e a f orma d e es t ado originalm ent e ad ot a dos
t ornar am-se de f init ivos, sem a possibilidad e d e s erem es c olhidos p elo eleit or ado.

(131-1 2). A Constituição Feder al pode ser alter ada


(A) por iniciat iva da Mesa do Se nad o Feder al.
(B) pela a provaçã o d e três q uint os d os mem bros da Câm ara d os Dep ut a dos e d o S en ado
Feder al, em um t urno de vot ação.
(C) na vigê ncia de est ado de gu err a, des de qu e n ão declar ado es t ado de sítio.
(D) mediant e pr om ulgação da Mesa do Con gress o Nacional.

(131-1 3). É consider ado norma de eficáci a contida o seguinte dispositivo da


Constituição Feder al:
(A) o ar t. 5. º, XIII: “é livre o e xercício d e q ualq uer tr abalh o, o f ício ou pr of iss ão, at endidas
as qu alif icações pr of issionais q ue a lei es t abelec er”.
(B) o ar t. 3 7, VII: “o dir eit o d e gr eve ser á ex ercido n os t ermos e nos limit es de f inidos em
lei esp ecíf ica”.
(C) o art . 8 4, I: “com pet e privativament e ao President e da Rep úblic a n om ear e exo ner ar
os Ministros d e Est ado”.
(D) o art . 1 8, § 1.º: “Br asília é a Capit al Feder al”.

(131-1 4). A medida cautelar concedida pelo Supremo Tribunal Feder al em Ação Diret a
de Inconstitucionalidade
(A) pr oduz e f eit os contr a t odos e, em regr a, ex tunc .
(B) pr oduz e f eit os ex nu nc, salvo se o Tribun al e nt e nd er q ue dev a c onc e der-lhe e f eit o ex
t unc .
(C) prod uz e f eit os entr e as p art es e ex nunc .
(D) em regr a, nã o t or na aplicável a legislaç ão a nt erior ac as o exis t ent e.

(131-1 5). Pr oduz ef eitos erga omnes e vincul ant e a decisão de mérito prof erida pelo
Supr emo Tribunal Feder al
(A) em Recurso Extr aor dinário, sempr e qu e e nv olv er mat éria c onstitucional.
(B) som ent e em Açã o Diret a de Inconstit ucionalidad e e Aç ã o Dec lar at ória de
Constit ucionalidad e.
(C) em Ação Dir et a d e Inconstitucionalida de, Aç ã o Dec lar at ória de Cons tit ucionalidad e e
Ar güição de Descum prim ent o d e Pr ec eito Fun dam ent al.
(D) em t odas as ações qu e e nvolvam mat éria c onstitucional.

(131-1 6). Segundo as atuais r egr as de imunidade parl amentar, não poder á ser pr eso,
(A) desde a e xpe dição d o diplom a, o S ena dor, salv o em f l agr ant e de crime inaf ia nç áv el.
(B) desde a p osse, o Deput ado Feder al, s alvo em f lagr ant e d elit o.
(C) desde a expe dição d o diplom a, o Deput ado Est ad ual, salv o em f l agr ant e delito.
(D) desde a p os se, o Ver ead or, salvo em f lagr ant e d elit o pr at ic ado na circ uns crição d o
res pect ivo Município.

(131-1 7). A iniciativa popular das leis, conforme pr evê a Constituição Feder al,
(A) est á pr evist a soment e na es f er a f ed er al, p od end o s er ex ercida m ediant e s ubs criç ão
d e, n o mínim o, um por cent o d o eleit orad o n ac ional, distribuído p elo menos p or cinc o
Est ad os, com nã o menos de cinco d éc imos p or c ent o d os eleit ores de cad a um deles .
(B) est á pr evist a soment e nas es f er as f e deral e est ad ual, po de ndo s er exer cida, n o
âm bit o f e der al, mediant e subscrição de, no mínimo, cinc o por cent o do eleit or ado
n ac ional,
dis tribuído pelo menos por cinco Est ad os , com nã o menos de cinc o d éc imos p or c ent o
d os eleit ores de cad a um deles.
(C) est á pr evist a soment e n as es f er as f e der al e est ad ual, po den do ser exercida, no
âm bit o est ad ual, mediant e m anif est aç ão d e, pelo menos, cinc o p or c ent o d o eleit orado
est ad ual.
(D) est á pr evist a nas esf er as f ed er al, est ad ual e m unicipal, po den do ser exercida, no
âm bit o municipal, m ediant e manif est aç ão de, p elo menos , cinc o por c ent o do eleit or ado
em pr ojet os d e lei de int eresse específic o do Município, da cida de ou de bairr os.

(131-1 8). A Constituição Feder al NÃO veda ao Juiz


(A) o e xercício, aind a q ue em dispo nibilidad e, de outro c argo ou f unç ã o, salv o um a d e
magist ério.
(B) o e xercício d a a dvocacia no juízo ou tribunal do qu al s e a f ast ou, a nt es de dec orridos
três a nos do a f ast am ent o do car go p or a pos ent ad oria ou exo ner aç ão.
(C) a d edicaçã o à at ividad e p olítico-partidária.
(D) a remoção, a p edid o, a o utr a com arc a, s egun do crit érios d e a nt igüid ade e
mereciment o.

(131-1 9). O Ministério Público, no sistem a constitucional vigente,


(A) é com post o pelo Ministério Pú blico Feder al, q ue com pree nde, d entre o utr os , o
Minist ério Pú blico do Trabalho, e pelo Minist ério Pú blic o Es t adu al.
(B) tem por che f e, n a esf er a d a União, o Pr oc ur ador-G er al da Rep úblic a, que é nom ead o
p elo President e da Rep ública d entre int egr ant es d a c arreir a, a pós a a pr ov aç ão d e s eu
n om e pela maioria absolut a d os mem bros do Sen ad o Feder al, p or v ot o secret o.
(C) tem com o f u nções instit ucionais a repr es ent aç ão judicial e a c ons ult oria jurídica de
e nt idades p úblic as.
(D) dispõe de aut onomia administr at iva e f ina nc eira, cujo contr ole est á a c argo do
Conselho Nacional de Justiça, qu e é o órgã o s uperior d e f is c alizaç ão do Minist ério
P úblico.

(131-2 0). Os tratados internacionais sobr e direitos humanos, na or dem interna,


(A) po dem eq uiv aler à Em end a à Constit uição.
(B) eq uivalem sem pre à lei or dinária.
(C) não necessitam de ref er endo do Congr es s o Nacional, d es d e q ue celebrad os pelo
Pr esident e d o pr óprio Congr esso Nacional.
(D) não po dem s er declar ados inconstit ucionais .