Você está na página 1de 3

28/12/2018 https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?

sgldis=DCV0128&verdis=1&print=true

Informações da Disciplina

Júpiter - Sistema de Graduação

Faculdade de Direito

Direito Civil

Disciplina: DCV0128 - História do Direito I


History of Law I

Créditos Aula: 4
Créditos Trabalho: 0
Carga Horária Total: 60 h
Tipo: Semestral
Ativação: 01/01/2018 Desativação:

Objetivos
Estudar a formação e evolução dos principais sistemas jurídicos do mundo ocidental (romano-germânico e anglo-saxão) e suas
interações. Abordar aspectos fundamentais do direito luso-brasileiro. Facilitar aos alunos o contato com as fontes histórico-
jurídicas, aproveitando o rico acervo da FDUSP. Desenvolver o sentido crítico e a perspectiva histórica na análise dos fenômenos
e dos problemas jurídicos modernos.

Docente(s) Responsável(eis)
2863302 - Eduardo Tomasevicius Filho
969748 - Helcio Maciel França Madeira
94191 - Ignacio Maria Poveda Velasco
1275600 - Maria Cristina da Silva Carmignani

Programa Resumido
O curso apresenta um panorama inicial sobre a história do direito e a divisão dos grandes sistemas jurídicos do mundo
ocidental: o sistema romano-germânico-canônico e o common law. No estudo do sistema romano-germânico-canônico, estuda-
se o direito na Grécia e em Roma, os direitos germânicos, o direito canônico e a escolástica, assim como a redescoberta do
direito romano na Idade Média. Nas aulas relativas à Idade Moderna, apresenta-se o jusnaturalismo racionalista e a formação do
direito português. Na parte do curso relativo ao direito contemporâneo, estudam-se as codificações na Europa e no Brasil, e
analisam-se determinados temas relevantes à história do direito brasileiro. Por fim, faz-se análise do common law.

Programa
I. INTRODUÇÃO 1. A História do Direito: conceito; divisões; metodologia; fontes; interdisciplinaridade. 2. Os grandes sistemas
jurídicos do mundo ocidental: Sistema romano-germanico-canônico e Common Law. II. SISTEMA ROMANO-GÊRMANICO-
CANÔNICO 2.1. O DIREITO NA ANTIGUIDADE 2.1.1. O direito na Grécia: fontes; direito público; processo. 2..1.2. O direito em
Roma: fontes; processo; ensino do Direito; codificação de Justiniano. 2.1.3. Direito, Jurisprudência e Justiça no pensamento
clássico (greco-romano) 2.2. O DIREITO NA IDADE MÉDIA 2.2.1. O direito germânico: características; fontes; compilações;
direito visigótico. 2.2.2. O direito canônico: características; fontes; compilações; legado. 2.2.3. A recepção do direito romano
nas universidades e a formação do ius commune: glosadores e comentadores. 2.3. O DIREITO NA IDADE MODERNA 2.3.1. A
formação do Direito Nacional Português – As Ordenações do Reino e a Lei da Boa Razão. 2.3.2. O Humanismo e a Escola do
Jusnaturalismo racionalista. 2.4. O DIREITO NA IDADE CONTEMPORANEA 2.4.1. . O movimento codificador na Europa
Continental. 2.4.2. A formação do arcabouço jurídico brasileiro 2.4.2.1. A Constituinte de 1823 e a Carta Constitucional de 1824.
2.4.2.2. Os Cursos Jurídicos. 2.4.2.3. As Codificações no Brasil Império. III. COMMON LAW 3.1. Common Law – formação
histórica – características. 3.2. Análise comparativa entre o Sistema romano-germanico-canônico e o Common Law.

Avaliação
Método
Aulas teóricas e seminários.
Critério
A avaliação do rendimento escolar do aluno será feita em função de seu aproveitamento e por meio de provas, trabalhos e
participação em atividades de seminários.
Norma de Recuperação
Para alunos que obtiveram média final compreendida entre 3,0 e 4,9 e frequência mínima de 70% será exigida prova
escrita cuja nota para aprovação deverá ser igual ou superior a 5,0.

https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?sgldis=DCV0128&verdis=1&print=true 1/3
28/12/2018 https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?sgldis=DCV0128&verdis=1&print=true

Bibliografia
Bibliografia Básica: AZEVEDO, Luiz Carlos de. Introdução à História do Direito. São Paulo, RT, 2007 COSTA, Mário Júlio de
Almeida. História do direito português. Coimbra, Almedina, 1996. GILISSEN, John. Introdução histórica ao direito. Lisboa,
Gulbenkian, 1988. LOPES, José Reinaldo de Lima. O direito na história – lições introdutórias. 3ª. Ed., São Paulo, Revista
dos Tribunais, 2008 Bibliografia Complementar ALVES, José Carlos Moreira. Direito Romano. 14ª. Edição revista, corrigida e
aumentada. Rio: Forense, 2007. AZEVEDO, Luiz Carlos de; TUCCI, José Rogério Cruz e. Lições de História do Processo Civil
Romano. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1996. ________. Lições de processo civil canônico: história e direito vigente.
São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 2001. BÖTTCHER, Carlos Alexandre. História da Magistratura. O pretor no direito
romano. São Paulo: LCTE, 2011. BUENO, José Antonio Pimenta. Direito Público Brasileiro e Analise da Constituição do
Império. Rio de Janeiro : Imprensa Nacional, 1958. CABRAL, Gustavo César Machado. Os decisionistas portugueses entre o
direito comum e o direito pátrio. São Paulo. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito. São Paulo.
2013. CAETANO, Marcello José das Neves Alves. História do direito português (Fontes-direito público: 1140- 1495), 3 ed.
Lisboa, Ed. Verbo, 1992. CARMIGNANI, Maria Cristina da Silva. A origem romana da tutela antecipada. São Paulo: LTR,
2001. ____________ “A aequitas e a aplicação do direito em Roma”. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de
São Paulo. V. 104., p. 115-129. Jan/dez 2009. ____________”A recepção do direito romano nas universidades medievais:
glosadores e comentadores”. História do Direito Brasileiro – organizador Eduardo C. B. Bittar - p. 99-105. 3ª. Ed. São
Paulo, Atlas, 2012. ____________”A jurisprudência romana”. Estudos e Ensaios em Homenagem a Luiz Carlos de Azevedo
– organizadores Anna Candida da Cunha Ferras e Débora Gozzo – p. 20-35. 1ª. Ed. São Paulo, Target Editora, 2014.
CASTRO, Flavia Lages de. História do Direito Geral e do Brasil. 12ª edição. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.
CHRISTOFOLETTI JUNIOR, Valter. A transformação do conceito de equidade no direito ocidental e seus reflexos no direito
civil e processual civil brasileiro. São Paulo. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito. São
Paulo. 2014. CÓDIGO PHILIPPINO OU ORDENAÇÕES E LEIS DO REINO DE PORTUGAL Recopiladas por Mandado d’El Rey D.
Phillipe I. 4 v. [Ed. Fac-Similar da 14ª ed. De 1870, com introdução e comentários de Cândido Mendes de Almeida].
Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2004. DAVID, René. Os grandes sistemas do direito contemporâneo (direito
comparado), 2.ed. Lisboa, Meridiano,1978. DOUVERNY, Felipe Epprecht. Madeira, Helcio. Agere, cavere, respondere: a
atividade consultiva dos juristas romanos como fonte do direito. São Paulo. Dissertação (Mestrado). Universidade de São
Paulo. Faculdade de Direito. São Paulo. 2013. FREITAS, Augusto Teixeira de. Consolidação das Leis Civis (2 volumes). Ed.
Fac-Similar. Prefácio de Ruy Rosado de Aguiar. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2003. GOMES, Patrícia Regina
Mendes Mattos Corrêa. Pensamento e ação de Joaquim Felício dos Santos: um projeto de Código Civil Oitocentista. São
Paulo. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito. São Paulo. 2014. GONZAGA, João
Bernardino. A inquisição em seu mundo. 2ª edição. São Paulo: Saraiva, 1993. HESPANHA, António Manuel. A história do
direito na historia social. [Lisboa], Livros Horizante, [1978] ______. Cultura jurídica europeia : síntese de um milénio.
Coimbra, Almedina, 2012. ______. O direito dos letrados no império português. Florianópolis, Fundação Boiteux, 2006.
KLABIN, Aracy Augusta Leme. História Geral do Direito. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004. KOSCHAKER, Paul. Europa
y el derecho romano, trad. esp. do original alemão por José Santa Cruz Tejeiro, Madrid, Ed. Rev. de Derecho Privado, 1955.
LOPES, José Reinaldo de Lima. Naturismo jurídico no pensamento brasileiro. São Paulo: Saraiva, 2014. ______. Supremo
Tribunal de Justiça do Império (Português). São Paulo: Saraiva, 2012. MADEIRA, Helcio Maciel França. “A Latinidade e o
Humanismo de Lafayette Rodrigues Pereira”. Revista dos Tribunais (São Paulo), v. 873, p. 31-54, 2008. ______. Digesto de
Justiniano. Liber Primus. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009. NEVES, Edson Alvisi. O Tribunal do Comércio.
Magistrados e comerciantes na Corte do Império do Brasil. Rio de Janeiro: Jurídica do Rio de Janeiro: FAPERJ, 2008.
POUSADA, Estevan Lo Ré. Preservação da tradição jurídica luso-brasileira: Teixeira de Freitas e a introdução à consolidação
das leis civis. São Paulo. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito. São Paulo. 2006.
POVEDA VELASCO, Ignácio. A boa fé na formação dos contratos (Direito Romano). Revista de Direito Civil, Imobiliário,
Agrário e Empresarial, São Paulo, v. 61, p. 35-42, 1992 ______. A proteção do comprador no direito romano, São Paulo,
Cultural Paulista, 2002. __________ A execução do devedor no direito romano, São Paulo, Livraria Paulista, 2002. ______.
Actio iniuriarum e direito de autor. Revista de Direito Civil, Imobiliário, Agrário e Empresarial, São Paulo, v. 63, p. 109-114,
1993 ______. . Algumas considerações a respeito do beneficium competentiae. Revista da Faculdade de Direito da Usp,
São Paulo, v. 91, p. 45-59, 1996 ______. Breves considerações a respeito do pensamento romanista brasileiro anterior à
codificação em matéria de pessoas. Revista de Direito Civil, Imobiliário, Agrário e Empresarial, São Paulo, v. 52, p. 139-
142, 1990 ______. Clóvis Beviláqua e a condição jurídica do escravo: influência das idéias romanísticas. São Paulo,
Aderaldo & Rothschild, Hucitec, 2008. p. 288-295. In: Dal Ri, Luciene (*) ; Dal Ri Junior, Arno (*), Orgs. A Latinidade da
América-Latina : enfoques histórico-jurídicos, São Paulo : Aderaldo & Rothschild ; Hucitec, 2008 ______. Da lei injusta.
Revista de Direito Civil, Imobiliário, Agrário e Empresarial, São Paulo, v. 44, p. 125-143, 1988 __________ “Direito,
jurisprudência e justiça no pensamento clássico (greco-romano)”. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São
Paulo. V. 101., p. 21-32. Jan/dez. 2006 ______. História externa e interna do Direito Romano. Revista de Direito Civil,
Imobiliário, Agrário e Empresarial, São Paulo, v. 49, p. 74-89, 1989 ______; TOMASEVICIUS FILHO, Eduardo. “O código
criminal do império do Brasil de 1830 e sua real originalidade”. In: SILVEIRA, Renato de Mello Jorge; GOMES, Mariângela
Gama de Magalhães. (Org.). Estudos em homenagem a Ivette Senise Ferreira. São Paulo: LiberArs, 2015. ______.
Ordenações do Reino de Portugal. Revista da Faculdade de Direito da Usp, São Paulo, v. 89, p. 11-67, 1994. ______. Os
esponsais no direito luso-brasileiro. São Paulo: Quartier Latin, 2006. ROBERTO, Giordano Bruno Soares. História do Direito
Civil brasileiro. Ensino e produção bibliográfica nas Academias Jurídicas do Império. Belo Horizonte: Arraes, 2016.
SCHWARTZ, Stuart. B. Burocracia e sociedade no Brasil colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. SOARES, Guido
Fernando Silva. Common law. Introdução ao direito dos EUA. 2ª edição. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2000.
STEINWASCHER NETO, Helmut. Madeira. A procriação e o interesse da res publica: uma análise das leis matrimoniais de
Augusto. São Paulo. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito. São Paulo. 2012. TANCREDI,
Matheus Pires de Campos Borges. Honra no direito ático. São Paulo. Dissertação (Mestrado). Universidade de São Paulo.
Faculdade de Direito. São Paulo. 2013. TOMASEVICIUS FILHO, Eduardo. “A Nueva Coronica y Buen Gobierno, do inca
Guamán Poma de Ayala: uma proposta de ordenação colonial nativa?”. Anuario Mexicano de Historia del Derecho, v. XXV,
p. 67-87, 2012. ______. “Breves Notas às Cartas de José de Anchieta”. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de
São Paulo, São Paulo, v. 99, p. 557-569, 2004. ______. Entre a memória coletiva e a história de "cola e tesoura" : as
intrigas e os malogros nos relatos sobre a fábrica de ferro de São João de Ipanema. São Paulo. Dissertação (Mestrado).
Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo. 2012. ______. “O Conceito de
Liberdade segundo Santo Agostinho”. Revista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, v. 101, p. 1079-1091,
2006. ______. “O emprego de mão-de-obra escrava em atividades industriais no Brasil - Século XIX”. Revista de Economia
Política e História Econômica, v. 26, p. 45-61, 2011. ______. “O legado do Código Civil de 1916”. Revista da Faculdade de
Direito da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 111, 2016 ______. “O livro didático no ensino do direito”. Revista da
Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, v. 108, p. 45-62, 2013 VENANCIO FILHO, Alberto. Das Arcadas ao
Bachrelismo. 2ª edição. São Paulo: Perspectiva, 2011. WEHLING, Arno; WEHLING, Maria José. Direito e justiça no Brasil

https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?sgldis=DCV0128&verdis=1&print=true 2/3
28/12/2018 https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?sgldis=DCV0128&verdis=1&print=true
Colonial. O Tribunal da Relação do Rio de Janeiro (1751-1808). Rio de Janeiro: Renovar, 2004. WIEACKER, Franz. História
do direito privado moderno, 2.ed., Lisboa, Gulbenkian, 1980. WOLKMER, Antonio Carlos. História do direito no Brasil. 5ª
edição. Rio de Janeiro: Forense, 2010. ______. Síntese de uma história das ideias jurídicas da Antiguidade Clássica à
Modernidade. 2ª edição. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2008.

Clique para consultar os requisitos para DCV0128

Clique para consultar o oferecimento para DCV0128

Créditos | Fale conosco


© 1999 - 2018 - Superintendência de Tecnologia da Informação/USP

https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?sgldis=DCV0128&verdis=1&print=true 3/3