Você está na página 1de 6

Entregue em _____/______/______

Agrupamento GIL VICENTE


Ano Letivo de 2014/2015
Ficha de Avaliação Sumativa n.º 2

Nome: ____________________________________________________________________________________N.º: ________T.ª: ______

 Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta.


 Não é permitida a consulta de dicionário.
 Responde a todas as questões na folha de resposta.
 Não é permitido o uso de corretor. Deves riscar aquilo que pretendes que não seja
classificado.

GRUPO I - LEITURA

Lê atentamente o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado.

Sem limites

1 A geóloga1 Daniela Teixeira subiu duas montanhas na Índia: Ekdant, por um itinerário2
novo, e Kartik, nunca antes escalada. Aventura em perfeita comunhão com a natureza, que a
fez questionar tudo aquilo de supérfluo que a rodeia.
Daniela Teixeira escapou a avalanches, tempestades elétricas e outros fenómenos da
5 natureza. Mas conseguiu. Em maio e junho deste ano, esta geóloga de 35 anos abriu duas
vias de alpinismo na grande cordilheira dos Himalaias na Índia, por itinerários
absolutamente inovadores – zonas de montanha virgem que, ao que se pensa, nunca
foram pisadas por algum humano. Fê-lo na companhia de Paulo Roxo, seu parceiro
também de vida, e de uma «estrela da sorte» que a protegeu até chegar aos cumes de
10 Ekdant (6 100 m) e Kartik (5 115 m).
O que é que mais a emocionou durante as cinco semanas de expedição?
«A consciência de que ambas as ascensões dependeram integralmente da nossa
imaginação, do nosso sentido tanto de planeamento como de improviso, do nosso esforço
físico e mental, e, especialmente, do nosso companheirismo», diz Daniela. «Ultrapassámos
15 os nossos próprios limites e capacidades».
Logo nas primeiras noites, por exemplo, foi apanhada por uma tempestade elétrica
e teve de regressar ao campo base. Andou perdida com o companheiro durante mais
de hora e meia em plena noite, mas não podia arriscar dormir numa tenda montada
junto a uma aresta – zonas perigosas por onde os raios passam frequentemente. Mais
20 tarde, nessa expedição, também se deparou com neve. Recuou. E por pouco não foi
apanhada por uma avalanche, que Paulo Roxo, na altura um pouco mais atrás, viu
passar literalmente ao lado. A adrenalina faz parte do jogo, assim como o bom senso,
«embora por vezes arrisquemos demais», admite. Mas, sobretudo, algo maior: o estado
de perfeita comunhão com a natureza. «A beleza envolvente supera-nos».
25 Daniela pensa em desbravar, nos próximos tempos, outras montanhas virgens, na Índia.
Onde o seu sorriso brotará não da compra do último modelo de telemóvel, mas do
sentimento de confiança e companheirismo que partilha com Paulo Roxo e da beleza
esmagadora da paisagem.
Sara Raquel Silva, Gingko, n.o 23, setembro de 2010 (texto adaptado)

VOCABULÁRIO

1 geóloga – especialista que estuda a origem e a constituição da Terra.


2 itenerário – percurso, caminho.

Ficha de avaliação sumativa n.º 2 de Português 7.º ano - Página 1 de 6


Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

1. Indica o nome da revista de onde foi retirado este texto.

2. Ordena as frases de (1) a (7), de acordo com a sequência pela qual as informações são
apresentadas no texto da revista. Repara que a última frase da sequência já está
numerada.
Transcreve para a folha de resposta como no exemplo (c – 7).
______ a) Nas primeiras noites de caminhada, a protagonista foi surpreendida por uma
tempestade elétrica.
______ b) Ao regressar a Portugal, Daniela Teixeira afirmou ter voltado uma pessoa mais
rica e humilde.
___7__ c) A montanhista pensa escalar, proximamente, outras montanhas virgens na Índia.
______ d) Em maio e junho de 2010, a geóloga subiu a duas montanhas da cordilheira dos
Himalaias.
______ e) Na sociedade atual, vive-se com mais de 90% dos bens indispensáveis.
______ f) Daniela Teixeira e Paulo Roxo estiveram perdidos em plena noite.
______ g) Durante a expedição, a geóloga enfrentou neve, tendo de recuar.

3. Relê a frase.
«Fê-lo na companhia de Paulo Roxo, seu parceiro também de vida, e de uma "estrela da sorte"
que a protegeu até chegar aos cumes de Ekdant...» (linhas 8-10)
Indica a que se refere o pronome «que».

4. Seleciona, em cada item, a alternativa que permite obter a afirmação adequada ao sentido do
texto. Escolhe a opção correta, transcrevendo apenas ao número da pergunta e a alínea
selecionada.
4.1. A expressão «supérfluo» (linha 3) pode ser substituída por
a) desnecessário.
b) essencial.
c) importante.
d) inadequado.
4.2. A palavra destacada na frase: «A consciência de que ambas as ascensões dependeram
integralmente da nossa imaginação» deve ser entendida como
a) em parte.
b) muitas vezes.
c) totalmente.
d) frequentemente.
4.3. Do ponto de vista de Daniela Teixeira, a aventura relatada no artigo foi
a) muito enriquecedora, mas a não repetir.
b) única mas dececionante.
c) inesquecível e uma entre várias a realizar no futuro.
d) diferente mas traumatizante.

Ficha de avaliação sumativa n.º 2 de Português 7.º ano - Página 2 de 6


GRUPO II – EDUCAÇÃO LITERÁRIA

Lê o excerto de O Cavaleiro da Dinamarca de Sophia de Mello Breyner Andresen.

1 Todas as portas se abriram, e os homens da floresta reconheceram o Cavaleiro que


rodearam com grandes saudações.
Este penetrou na cabana maior e sentou-se ao pé do lume enquanto os moradores lhe
serviram pão com mel e leite quente.
5 – Já pensávamos que não voltasses mais – disse um velho de grandes barbas –.
– Demorei mais do que queria – respondeu o peregrino –. Mas graças a Deus cheguei a
tempo. Hoje antes da meia-noite estarei em minha casa.
– É tarde - disse o velho – o dia já escureceu, vai nevar e de noite não poderás caminhar.
– Nasci na floresta – respondeu o peregrino – conheço bem todos os seus atalhos.
10 Seguindo ao longo do rio não me posso perder.
– A floresta é grande e na escuridão ninguém a conhece. Fica connosco e dorme esta
noite na minha cabana. Amanhã, ao romper do dia, seguirás o teu caminho.
– Não posso – tornou o Cavaleiro – prometi que estaria hoje em minha casa.
– A floresta está cheia de lobos esfomeados. Que farás tu, se uma matilha te assaltar?
15 Mas o Cavaleiro sorriu e respondeu:
– Não sabes que na noite de Natal as feras não atacam o homem?
E tendo dito isto levantou-se, despediu-se dos lenhadores, montou a cavalo e seguiu o
seu caminho. Dirigiu-se para a esquerda procurando o curso gelado do rio. Mas mal se
afastou um pouco da aldeia a neve começou a cair tão espessa e tão cerrada que o
20 Cavaleiro mal via.
– Depressa – pensava ele –, tenho de chegar depressa ao pé do rio.
[…]
Mas o rio não aparecia, e a noite começou a avançar.
O homem parou e escutou.
25 – Era mais prudente voltar para trás – pensou ele –. Mas se eu não chegar hoje, a minha
mulher, os meus filhos e os meus criados pensarão que morri ou me perdi nas terras
estrangeiras. Passarão um Natal de tristeza e aflição. É preciso que eu chegue hoje.
E continuou para a frente.
Agora nenhum ramo estalava e não se ouvia o menor rumor. Os esquilos, as raposas e
30 os veados já estavam recolhidos nas suas tocas. O cair da neve parecia multiplicar o
silêncio.
E o rio parecia ter-se sumido.
– Talvez me tenha enganado no caminho – pensou o Cavaleiro –, vou mudar de direção.
[…]
35 Por mais que se enrolasse no seu capote, o ar arrefecia-o até aos ossos e as suas mãos
começavam a gelar. Já não sabia há quanto tempo caminhava, e a floresta era como um
labirinto sem fim onde os caminhos andavam à roda e se cruzavam e desapareciam.
– Estou perdido – murmurou ele baixinho –.
Então a treva encheu-se de pequenos pontos brilhantes, avermelhados e vivos.
40 Eram os olhos dos lobos.
O Cavaleiro ouvia-os moverem-se em leves passos sobre a neve, sentia a sua respiração
ardente e ansiosa, adivinhava o branco cruel dos seus dentes agudos.
Em voz alta disse:
– Hoje é noite de trégua, noite de Natal. E ao som destas palavras os olhos recuaram e
45 desapareceram.
Mais adiante ouviu-se o ronco dum urso. O Cavaleiro estacou a sua montada e a fera
Ficha de avaliação sumativa n.º 2 de Português 7.º ano - Página 3 de 6
aproximou-se. Vinha de pé e pousou as patas de frente no pescoço do cavalo.
O homem ouviu-o respirar, sentiu o seu pelo tocar-lhe a mão e viu a um palmo de si o
brilho dos pequenos olhos ferozes.
50 E em voz alta disse:
– Hoje é noite de trégua, noite de Natal.
Então o bicho recuou pesadamente e grunhindo desapareceu.
E o Cavaleiro entre silêncio e treva continuou a caminhar para a frente.

Sophia de Mello Breyner Andresen, O Cavaleiro da Dinamarca, Figueirinhas, (texto com supressões)

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas.

5. O texto relata o regresso do Cavaleiro da Dinamarca ao seu país natal, após uma longa
viagem. Caracteriza, através de um adjetivo, a forma como o Cavaleiro foi recebido pelos
lenhadores.

6. O Cavaleiro quer chegar a sua casa naquela mesma noite, contudo o velho lenhador
aconselha-o a ficar. Apresenta dois argumentos utilizados para convencer o Cavaleiro.

7. Refere dois contra-argumentos apresentados pelo Cavaleiro para fundamentar a


necessidade de partir.

8. Transcreve uma expressão que permita localizar a ação no tempo.

9. Uma editora está a organizar duas antologias de textos narrativos com os títulos seguintes:

Contos e lendas portuguesas Narrativas de autores portugueses

 Seleciona a antologia onde incluirias o texto que acabaste de ler, justificando a tua
resposta, com pelo menos dois argumentos.

 Dá um exemplo de um texto, que leste ou não na aula, que possas incluir na antologia
que não selecionaste para incluir a obra O Cavaleiro da Dinamarca.

O teu texto deve incluir uma parte introdutória, uma parte de desenvolvimento e uma parte de
conclusão.

Ficha de avaliação sumativa n.º 2 de Português 7.º ano - Página 4 de 6


GRUPO III - GRAMÁTICA

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações dadas.

10. Identifica os advérbios presentes no seguinte excerto e indica qual o seu valor semântico
« – Hoje é noite de trégua, noite de Natal.
Então o bicho recuou pesadamente e grunhindo desapareceu.»

11. Indica a função sintática dos constituintes sublinhados nas frases.


a) O cavaleiro chegou à floresta.
b) Os olhos do lobo eram vermelhos.
c) Chovia torrencialmente.
d) Amanhã, a família do cavaleiro aguardá-lo-á em casa.

12. Completa os espaços seguintes, usando as preposições e contrações presentes no quadro.


Transcreve a alínea e a preposição correta para a tua folha de resposta.

sem • de • até • à • para • do

O Cavaleiro avançava e _____a)_____ sua frente a escuridão aumentava. _____b)_____


parar _____c)_____ andar caminhava _____d)_____ junto _____e)_____ rio e seguiria
_____f)_____ encontrar a sua casa na floresta.

13. Identifica o processo de formação de cada um das palavras.


a) Ferozmente;
b) Amanhecer;
c) Regresso (regressar – verbo > regresso – nome)
d) Indisposto;

Ficha de avaliação sumativa n.º 2 de Português 7.º ano - Página 5 de 6


GRUPO IV- ESCRITA

14. Agora, vais escrever um texto de 160 a 220 palavras.

O Cavaleiro encontra um velho amigo que veio à sua procura, na tentativa de


conduzi-lo à sua casa. No entanto, ao encontrarem-se, ambos concluem que estão
perdidos. Perante tal facto, o Cavaleiro considera que deverão continuar a viajar
naquela noite, mas o amigo tenta convencê-lo de que será melhor dormirem na
floresta e retomar o percurso quando o dia nascer.

 Escreve a continuação da história, incluindo um diálogo entre estas duas


personagens, onde cada uma apresente os argumentos utilizados para defender os
seus pontos de vista.
 Introduz, pelo menos, uma sequência descritiva da floresta durante a noite.

I-Leitura II-Educação Literária III-Gramática IV- Escrita


1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10 11 12 13 14.
2 7 3 8 4 6 6 4 10 5 5 5 5 30

Revê a tua ficha antes de entregares.


Ficha de avaliação sumativa n.º 2 de Português 7.º ano - Página 6 de 6

Interesses relacionados