Você está na página 1de 18

MINI-MULT

.r. Passar o questionário, pedindo à pessoa que responda verdadeiro ou falso

a cada uma das afirmações enunciadas, marcando uma cruz sobre a opção

escolhida.

010 Depois de completo o questionário, assinalar na folha de resposta os F e V

obtidos, obedecendo à seguinte regra: apenas se assinala a letra a que

corresponde a resposta (F para FALSO e V para VERDADEIRO). Por exemplo,


.:
se na questão n? 1 foi respondido FALSO, assinalam-se todos os F que se

encontram na linha correspondente a essa guestão; se foi respondido

"VERDADEIRO nada há a assinalar. No caso - da questão n" 5, se foi


respondido VERDADEIRO assinalam-se apenas os V dessa linha, ignorando

o F.

.r. Depois de assinalar correctamente todos os F e V de todas as linhas da _

folha de resposta, coloca-se na pe.núltima linha (Nota Bruta) o somatório

individual de cada coluna .

.~. Deverá então p.assar-se à transformação desta Nota Bruta em Nota T,

sendo necessário para tal consultar a tabela de conversão. Assim, se foi

obtida uma Nota Bruta de 1 na escala L, o seu valor em Nota T será 4, tal

como se o valor bruto de F tiver sido 5, a Nota T correspondente será 14.

Procede-se, assim para todas as escalas.

~ Depois de obtidas todas as Notas T passa-se à elaboraçã-o do gráfico,

colocando-se por baixo de cada escala os respectivos valores (em Nota T).

Ter em atencão se o observado ê do sexo masculino ou feminino, já que o


quadro não é o mesmo (o do lado esquerdo é para o sexo masculino e o

do lado direito para o sexo feminino).

-- ------- ~ _.-.
J

~ Em seguida é necessário acrescentar a 5 escalas (Hs, Pd, Pt, Sc e Ma)

determinados valores que vão depender da Nota T obtida na escala K.

Entre os dois quadros, destinados à elaboração do perfil para homens e

mulheres, encontra-se uma pequena grelha com os valores de K que irão

ser acrescentados. Na la coluna desta grelha estão os possíveis valores da

nota K, estando nas outras três as respectivas fracções de K: .5K, .4K., .2K.

Exemplificando, consideremos que a nota K foi igual a 13 - iremos

procurar nessa la coluna o valor 13. Em seguida,- acrescentamos à escala

Hs a fracção de .5K, que neste caso será 7. Relativamente à escala Pd, cuja

fracção é .4K, o valor a acrescentar será 5. Às escalas Pt e Sc adiciona-se o

valor de 1K, ou seja, o valor inteiro da nota K, que neste exemplo é 13. À

\ escala Ma soma-se o valor de .2K, neste caso 3.

Se por exemplo tivéssemos os seguintes valores e uma nota K igual a 13

teríamos:

Hs C+.5K) Pd C+.4K) IPtC+IK) Ise C+IK) Ma C+.2K)

Nota T '12 23 16 26 20
--

Valor de K a 1 5 U U 3.
acrescentar
Resultado 19 28 29 39 TI
final

~ Depois, marcando no quadro os valores obtidos para cada escala, elaborá-

se o gráfico referente ao perfil do observado, tendo em conta que os

valores normativos estão entre T70 e T50 (na régua à esquerda e direita

do quadro).

2
M.M.P.I. - VALIDADE

INDICADORES DA VALIDADE DO PERFIL

1. A CONSISTENCIA DE RESPOSTA:

* ÍNDICE TESTE - RETESTE (T.R)

* ESCALA DE NEGLIGÊNCIA (Carelessness)

2. ESCALAS DE VALIDADE DO PERFIL:

• P

• L

• F

• K
3. ÍNDICES DE VALIDADE:

• ÍNDICE DE GOUGH F - K

( Diferenças positivas entre as notas brutas> 12 indica tt de

Falsificação no sentido desfavorável

Diferenças negativas < -18, indica tt de falsificação no sentido

Favorável ).

• ESCALA DE DISSIMULAÇÃO DE GOUGH

• ESCALA DE HIPOCONDRIA

• TRAÇADO DO PERFIL CLÍNICO

• ITENS OBVIOS E SUBTIS


ESCALAS DE VALIDADE

Escala P

O resultado - nOtotal de itens sem resposta - não depende de uma atitude de

Falsificação, mas:

• NEGLIGÊNCIA, FALTA DE COOPERAÇÃO

• PREOCUPAÇÃO EM NÃO SE COMPROMETER, DESCONFIANÇA ...

• IMPOSSIBILIDADE DE TOMAR UMA DECISÃO

Resultado bruto elevado> 30 levará à invalidação do per-fil:

Resultado bruto elevado> 10 aconselham a CORRECÇÃO do perfil

e significará sempre:

** Excessiva cautela em não revelar informação significativa acerca do próprio.


ESCALA L (LIE)

INTEGRA 15 ITENS QUE REFEREM SITUAÇÕES SOCIALMENTE DESEJÁVEIS

MAS RARAMENTE VERDADEIRAS.

A média de L é 4, mas há que ATENDER

aoS níveis INTELECTUAL, CULTURAL e grau de SOFISTICAÇÃO.

Quanto MAIOR for o valor de L, menor será a elevação nas escalas clínicas, e

INDICARÁ, em princípio, TENTATIVA DE FALSIFICAÇÃO no sentido

FAVORÁVEL.

/'> (Excepção para indivíduos muito conscienciosos, rígidos, exigentes e intolerantes

no respeito pelas 'regras- e valores ).

MAIOR FREQUÊNCIA NO ÂMBITO DA PATOLOGIA, acontece:

• na HISTERIA

• na PARANÓIA e PSICOPATIA

• na HIPOMANIA
ESCALA F (inFREQUENCY)

INTEGRA 64 ITENS DE BAIXA FREQUÊNCIA DE RESPOSTA - ( 10'7'0- no

GRUPO NORMAL).

ASSIM,

PERMITE IDENTIFICAR, numa vasta área de conteúdos, comportamentos,

Experiências e pensamentos A TÍPICOS.

RESULTADOS ELEVADOS podem ocorrer em indivíduos pouco conformistas ou

Convencionais, maS -

RESULTADOS SUPERIORES a T70, são devidos a:

• INCOMPREENSÃO DOS ITENS

• RESPOSTA AO ACASO

• FALSIFICAÇÃO DELIBERADA no sentido DESFAVORÁVEL

• PERTURBAÇÃO PSICOLÓGICA GRAVE


ESCAlA K

INTEG<.J. 30 ITENS SELECCIONADOS F'/ IDENTIFICAR

ATITUDE DEFENSIVA VS HIPERCRÍTICA

FACE /5 DIFICULDADES E SINTOMAS !)SICOLÓGICOS

Esta AlTUDE implíro uma distorção NÃO DELIBERADA, no sentido FAVORÁVEL

ou DES=AVORÁVEL, na avaliação dos itens de algumas escalas clínicas.

Os velo-as de K relacionam - Se com níveis tNTELECTUAL, CULTURAL e

SOCIO - ECONÓMICO, encontrando - se,

nos níveis mais ELEVADOS valorizS de K entre T55 e T70

nos níveis mais BAIXOS valores de Kentre T40 e T60.

SIGNIFICADO DOS VALORES DE K

K ELEVADO:
nos SUJEITOS COM PATOLOl;IA, indica atitude defensiva, negando
a patologia e apresentado imagem favorável nos indivíduos NORMAIS,
resultados RELATIVAMENTE ELEVADOS podem identificar uma
personalidade bem adaptada e irltegrada.

K BAIXO:
Indicará tendência exagerada P(wa a autocrítica, para admitir o mínimo
Sintoma ou falha psicológica, pa"Qapresentar uma imagem '
desfavorável.
ESCALAS CLÍNICAS - Significado

• O mais importante na análise é o PERFIL GLOBAL.

Cada ESCALA não tem um valor absoluto, o RESULTADO pode ter significados

diferentes consoante OSresultados de outraS escalas .

•• ATENDER AOS VALORES DE NOTAS T

'--T70 - zona fronteiriça, _ entre a normalidade e a pato~IIOglO ')

T >80 - sugerem pslcopctoloqic séria, sintomas e características de


personalidade semelhantes ás dos indivíduos do grupo patológico que
permitiram a validação da respectiva escale.

T <45 - existe uma informação limitada relativa ao significado de notas baixas;


de um modo geral considera - se que eles representam adaptação e ~ .D ?""\? t. tte.
ausência de atologia. - ~I I t

No entanto, nem sempre isto é assim, e em algumas escclos, resultados


muito baixos identificam características patológicas im~ortantes .

•• NA INTERPRETAÇÃO DE CADA ESCALA, ATENDER:

À elevação relativa, face ao perfil

Ás escalas de vai idade

A variáveis demográficas -pertinentes

Contexto em que é usado o instrumento


ESCALAS CLÍNICAS

1 - ESCALA DE HIPOCONDRIA - HS

• SINDROME caracterizada por PREOCUPAÇÃO excessiva com o CORPO e com a


SAÚDE, acompanhada por MEDOS de DOENÇA orgânica e EXAGERO das
sensações cinestésicas normais que são vividas desagradavelmente. Surgem
QUEIXAS físicas PERSISTENTES ou RECORRENTES, de natureza e
localização INSTÁVEIS e difuscs e para as quais NÃO SE ENCONTRA
CAUSA ORGÂNICA.

•• Os resultados nesta escala são uma medid,Çlda preocupação do indivíduo com o


funcionamento somático: a elevação dos resultados não tem diagnóstico
unívoco e sinaliza caraçie~ísticas de personalidade relctízcmente estáveis e
resistentes à mudança .

•• RESULTADOS ELEVADOS:

Indica a tendência a queixas e inquietações exagerada como corpo,


acompanhada, geralmente, de pessimismo, derrotismo ( v. 2 ), sentimentos de
infelicidade, inadequação e ineficácia pessoal. Normalmente surge uma certa
passividade, e dificuldade em lidar com emoções negativas. __

--...
.~ULTADOS BAIXOS:~)~
------ -
~Indica uma não preocupação com o funcionamento somático (ou até denegação
de queixas hipocondríacas) e, em princípio, assinala interesse e capacidade
para interagir com os outros de forma mais eficiente e gratificante.
2 - ESCALA DE DEPRESSÃO - D

• Integra 60 itens relativos à sintomatologia depressiva, CARACTERIZADA por


HUMOR DEPRESSIVO, DESMORALIZAÇÃO, TRISTEZA, PERDA da AUTO -
ESTIMA, INSATISFAÇÃO GERAL e falta de ESPERANÇA.
Esta escala é um bom INDICADOR do grau de DESCONFORTO e
INSA TISF AÇÃO PSICOLÓGICA do sujeito em relação a si próprio e ao meio em
que vive.

•• Escala de depressão sobretudo sintomática e muito sensível à ansiedade -


estado.

••• Os resultados têm significados específicos no conjunto do perfil, de acordo


com a idade e condição actual do sujeito.
_ A sintomatologia depressiva pode estar presente em numerosos quadros clínicos,
pelo que:

RESULTADOS ELEVADOS indicam "apenas":

desmoralização, ansiedade, sentimentos de inutilidade,


incapacidade p/ considerar o futuro com optimismo e insatisfação consigo próprio
e com OS outros. Características associadas à falta de confiança em si, limitação de
interesses, introversão, sentimentos de culpa e isolamento.

~ RESULTADOS BAIXOS são mais frequentes em:

pessoas activas, orientadas e integradas socialmente e


eficientes num conjunto de tarefas: pode associar - se a grande nível de actividade
e assertividade.
3 - ESCALA DE HIPOCONDRIA - HY

Escala validade para a HISTERIA DE CONVERSÃO e compreende itens relativos:

- ao CARÁCTER HISTÉRICO
- a sintomaS de CONVERSÃO SOMÁ TICA

• Na população normal, estes dois grupos de características são relativamente


independentes, mas não nos grupos patológicos.
A elevação nesta escala assinala a presença de características dos dois tipos e
pode ocorrer em pessoas que geralmente mantêm uma fachada de ajustamento
superior e só em situações de stress manifestam vulnerabilidade e desenvolvem
sintomas de conversão.

•• RESULTADOS ELEVADOS nidicam, > T80, a condição patológica


caracterizada pela sintomatologia histérica clássica: níveis moderados indicarão a
presença de um conjunto de características consistentes com a perturbação
histérico. mas não incluem sintomas conversivos. Indicam quase sempre:

IMATURIDADE AFECTIVA, dificuldade de análise e compreensão


psicológica, REIVINDICAÇÃO AFECTIVA e exploração do meio
circundante, TENDÊNCIA e sedução e SUPERFICIALIDADE nas
relações interpessoais.

•• RESULTADOS MUITO BAIXOS, podem indicar CONFORMISMO,


ISOLAMENTO SOCIAL, DESCONFIANÇA em sujeitos pouco amistosos.
4 - ESCALA DE PSICOPATIA - Pd

Escala desenvolvida para identificar a PERSONALIDADE PSICOPA TICA,


caracterizada por:

AUSÊNCIA de RESPOSTAS EMOCIONAIS PROFUNDAS,


DIFICULDADE em APRENDER com a EXPERIÊNCI, EGOCENTRISMO, DESPREZO
pelas NORMAS e COSTUMES SOCIAIS, podendo atingir COMPORTAMENTOS
ANTI - SOCIAIS (roubo, mentira, delitos sexuais ou alcoolismo e toxicomania).

• ESCALA SENSíVEL e DIFICILMENTE FALSIFICÁVEL e de grande utilidade


clínica. Pode elevar - se em indivíduos que NUNCA apresentaram comp:
patológicos, mas as características subjacentes podem revelar - se em
situações de falha dos mecanismos inibidores .

•• RESULTADOS ELEVADOS testemunham a presença de:

~
carácter NARCISICO, IMATURIDADE, IMPULSIVIDADE, PROCURA de
satisfações e objectos IMEDIATOS, de grandes RESSENTIMENTOS-e
HOSTILIDADE, EXIBICIONISMO, FALTA de CONVENCIONALIDADE e
CONFLITOS com figuras de AUTORIDADE.

( Casos particulares de elevações associadas ás escalas 6 e 9 ).


••...•.•. r T

5 - MASCULINIDADE - FEMINILIDADE ( Mf )

ESCALA DE ATITUDES E INTERESSES SEXUAIS, ÚTIL COMBINADA COM AS


ESCALAS CLÍNICAS.

RESULTA DA COMPARAÇÃO ENTREHETEROSSEXUAIS E HOMOSSEXUAIS


MASCULINOS E ENTRE OS SEXOS MASCULINO E FEMININO.

NOTAS ELEVADAS INDICAM:

INTERESSES E ATITUDESSEXUAIS PRÓPRIAS DO SEXO OP_OSTO;


Mas NUNCA permite identificar homossexualidade para qualquer dos sexos.

.NOTAS BAIXAS INDICAM:

CONFORMIDADE EXA-GERADA com os ESTERIOTIPOS SEXUAIS


correspondentes
Comunsno caso da HISTERIA

RESULTADOS RELACCIONADOS COM NÍVEL INTELECTUAL, SOCIAL E


CULTURAL - Sobretudo no sexo masculino

FALTA DE DADOS EXPERIMENTAIS no sexo feminino


,
6 - PARANOIA ( Pa )

ESCALA DESENVOLVIDA PARA DETECTAR SINTOMAS PARANÓIES (


IDEIAS DE REFERÊNCIA, SENTIMENTOS DE PERSEGUIÇÃO, CONCEITO DE
SELF GRANDIOSO, HIPERSENSIBILIDADE INTERPESSOAL E RIGIDEZ
PSICOLÓGICA )
E PERMITE DETECTAR TENDÊNCIAS PARANÓICAS ( mesmo em indivíduos
sem manifestações patológicas) EM DOIS TIPOS DE PERTURBAÇÃO:

• PERTURBAÇÃO CARACTERIAL - C. PARANÓICO

• PERTURBAÇÃO GRAVE da personalidade PSICOSE PARANÓICA OU DELIRIO


PARANÓICO.

RESULTADOS ELEVADOS

ENCONTRAM - SE EM AMBAS AS PERTURBAÇÕES. MAS OS MAIS ELEVADOS


CORRESPONDEM GERALMENTE A PSICOSES ..

Indicam:

• DESCONFIANÇA, INTERPRETATIVIDADE, HOSTILIDADE,


EGOCENTRICIDADE E GRANDES DIFICULDADES INTERPESSOAIS;

• DELIRIO SISTEMATIZADO, DE MECANISMO INTERPRETATIVO: escala


muito sensível à intensidade do delírio.

NOTAS BAIXAS ( < T35 ) TAMBÉM PODEM ASSINALAR A PERTURBAÇÃO

_ ~
..
7 - PSICASTENIA ( Pt )

ESCALA VALIDADE COM INDIVÍDUOS CARACTERIZADOS POR:

GRANDE FADIGA FÍSICA E INTELECTUAL, DÚVIDAS SISTEMÁTICAS E


EXCESSIVAS, INDECISÃO, MEDOS INJUSTIFICADOS ( FOBIAS ),
OBCESSÕES E COMPULSÕES, GRANDES NÍVEIS DE ANSIEDADE.

RESULTADOS ELEVADOS INDICAM:

PARA ALÉM DAS CARACTERÍSTICAS RELATIVAS À PSICASTENIA:

• SENTIMENTOS DE INSEGURANÇA, AUTO - DESVALORIZALÇÃO E CULPA


ASSOCIADAS A CARACTERÍSTICAS DEPRESSIVAS.

• DIFICULDADES DE CONCENTRAÇÃO E QUEIXAS FÍSICAS.

• PROBLEMAS GERAIS DE ADAPTAÇÃO E AJUSTAMENTO, ANSIEDADE E


INCAPACIDADE PARA~RESISTIR ÁS EXIGÊNCIAS CORRENTES.

ESCALA MUITO SENS' VEL, SOBRETUDO À ANSIEDADE.

ELEVA - SE FREQUENTEMENTE EM QUADROS DE: NEUROSE GRAVE


ESQUIZOFRENIA
DEPRESSÃO
8 - ESQUIZOFRENIA ( Se )

,
ESCALA VALIDAE COM GRUPOS DE SUJEITOS muito HETEROGENEO que
apresentavam em comum CARACTERÍSTICAS PSICÓTICAS, designadamente:

PERTURBAÇÕESdo PENSAMENTO, da PERCEPÇÃO,do AFECTO


Dificuldades de CONTROLO dos IMPULSOS e alterações da
SOCIABILIDADE. -

ESTUDOS DE VALIDADE MOSTRAM QUE A ESCALA DETECTA 60% DOS Sc E


NÃO DETECTA CERTOS TIPOS DE ESQUIZOFRENIAS (p. ex. SC Paranóides ).

NOS CASOS DE ESQUIZOFRENIA, A E,-=-EVAÇÃONESTA ESCALA NÃO É


PROPORCIONAL à GRAVIDADE OU CRONICIDADE DO QUADRO.

ELEVA - SE RELATIVAMENTE EM CASOS DE NEUROSES GRAVES, DIF. DE


ADAPTAÇÃO SOCIAL E NA ADOLESCÊNCIA.

ESCALA MUITO RELACIONADA COM Pt-7 - COMPARAÇÃO DE RESULTADOS


PI DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS.

EM SUJEITOS NORMAIS, UMA RELATIVA ELEVAÇÃO SURGE,


EM
PERSONALIDADES MUITO CRIATIVAS E IMAGINATIVAS; TAMBEM EM
SUJEITOS MUITO IN-DTIlIDUALISIAS, IMATUROS, COM INTERESSES
ESPECÍFICOS PUCO DESENVOLVIDOS, DIFICULDADES SEXUAJ:S,
PROBLEMAS DE IDENTIDADE E DIFICULDADES DE PENSAMENTO E
COMUNICAÇÃO.
9 - HIPOMANIA ( Ma )

ESCALA DESENVOLVIDA PI IDENTIFICAR SINTOMAS HIPOMANÍACOS AOS


QUAIS ESTÁ SUBJACENTE UMA HIPERACTIVIDADE DO PENSAMENTO E DA
ACÇÃO.

ESTE QUADRO - HIPOMANÍACâ - CARACTERIZA - SE POR:

INSTABILIDADE E LABILIDADE DO HUMOR, EUFORIA, EXCITAÇÃO


PSICOMOTORA, AUTO - CONCEITO GRANDIOSO, EGOCENTRICIDADE,
IMPULSIVIDADE, FACILIDADE DE PASSAGEM AO ACTO.

OS RESULTADOS NESTA ESCALA RELACIONAM - SE COM A IDADE E A


RAÇA.

RESULTADOS ELEVADOS INICAM A PRESENÇA DE CARACTERÍSTICAS


ATRIBUÍDAS À HIPOMANIA E PODEM ENCONTRAR - SE EM DIVERSOS
QUADROS PATOLÓGICOS:

PSICOSES, PSICOPATIA E ORGANICIDADE CEREBRAL

• Esta escala indica o NÍVEL DE EN-ERGIA DO SUJEITO, se ele for elevado


PODE ACTIVAR as QUALIDADES identificados pela elevação de outras ESCALAS
CLÍNICAS.

RESULTADOS muito BAIXOS podem indicar níveiS de ENERGIA REDUZIDOS,


FADIGA CRÓNICA, DEPRESSÃO ACOMPANHADA POR TENSÃO E
ANSIEDADE ..
.••.••.• ..l ...J

o- INTROVERSÃO SOCIAL ( Si )

• ESCALA NÃO CLÍNICA E NÃO DIRECTAMENTE RELACIONADA COM


PSICOPATOLOGIA.

• INTERPRETAÇÕES ESPECÍFICAS DOS RESULTADOS DEPENDEM DA


SITUAÇÃO DO SUJÉITO E DO PERFIL CLÍNICO.

AVALIA A DIMENSÃO INTROVERSÃO - EXTROVERSÃO:; A TENDÊNCIA PARA


O AFASTAMENTO DE CONTACTOS E EVITAMENTO DE
RESPONSABILIDADES SOCIAIS OU PARA A PROCURA DA INTERACÇÃO
SOCIAL.

o A ESCALA REFLETE TANTO A TENDÊNCIA PARA O ISOLAMENTO COMO


SINTOMAS DE DEPRESSÃO, pelo que ambos podem contribuir para a elevação
dos resultados.

• FORTE RELAÇÃO COM ANSIEDADE E FOBIA EM SITUAÇÕES SOCIAIS.

RESULTADOS ELEVADOS INDICAM INTROVERSÃO SOCIAL e são mais


frequentes em:

INDIVIDUOS TÍMIDOS, RESERVADOS E ISOLADOS, DESCRITOS COMO


FRIOS, DISTANTES E COM DIF. EM EXPRESSAR SENTIMENTOS.

RESULTADOS BAIXOS OCORREM EM INDIVÍDUOS GREGÁRIOS, SOCIÁVEIS


E VERSÁTEIS NO CONTACTO COM Os OUTROS. INDIVIDUOS
AUTOCONFIANTES, EXPRESSIVOS E VIGOROSOS ou q~e, por vezes, têm um
ESTILO EXIBICIONISTA E DE OSTENTAÇÃO NOS CONTACTOS SOCIAIS.