Você está na página 1de 17

EDIÇÃO #01

1
No longo prazo, estaremos todos mortos...?
Começo esta carta com uma frase que foi escrita em 1923 por um dos economistas
mais influentes do século passado: John Maynard Keynes.

Escolhi começar a carta com essa frase porque ela define, como nenhuma outra, o mo-
dus operandi do brasileiro.

Para a maior parte da nossa população, pensar no longo prazo é uma idiotice.

“Para que vou pensar em investir para 10 anos se


eu não sei se eu vou estar vivo amanhã?“

“Para que vou investir a longo prazo, se quando


eu for velho eu não vou usufruir do dinheiro?”

Olhe para a bolsa de valores, por exemplo. Ela está lotada de pessoas que investem
em ações achando que vão ficar ricas da noite para o dia, achando que é na bolsa que
existe a possibilidade de ficarmos ricos em pouco tempo. E a realidade é cruel. Elas não
vão demorar muito para perder tudo.

Muito provavelmente você conhece algum amigo ou membro da sua família que
pensa assim. Eu mesmo já fui assim, e demorei 7 dias para perder meu dinheiro.
e aprender o que não fazer.
Inclusive existe a chance de você, nesse momento, ter essa mesma conclusão sobre o
longo prazo.

Por isso, a carta do Primo de hoje não é somente uma carta, é um aviso:
Se você realmente quer ter algum tipo de sucesso, principalmente nos investimentos,
você tem que abraçar a ideia de que ele acontece no longo prazo.

ser
te cer + rápido, ma s não se provou no tempo e pode
Pode acon e ela pode não acontecer 2x.
ia de sorte po ntua l,
apenas consequênc
ejo qu e os gananciosos entrem na
Aliás, eu des nd er. Quem começa
, pa ra apre
bolsa perdendo e.
nh an d o, at rib ui seu sucesso a sort
ga
2
O SUCESSO
É LONGO PRAZO

3
A bolsa de valores é uma faca de dois gumes
Ela pode ser uma grande potencializadora de resultados, mas também pode ser uma
grande potencializadora de fracassos. Eu já passei por isso. Acredite, é doloroso
mas construtivo. Perdi tudo!

E quando falamos de bolsa de valores e ações, podemos seguir por duas linhas dife-
rentes de filosofias:
No longo prazo é + importante acertar a empresa do que o preço.
• A filosofia de longo prazo, pautada em investir em boas empresas para
prazos maiores (5, 10, 20 anos);

• A filosofia de curto prazo, pautada em aproveitar as oscilações de curto


prazo nos preços das ações para auferir ganhos (trading). Existe tb um híbrido.
Pendsar no longo prazo sem neglicenciar o preço do curto prazo.
Como eu já demonstrei claramente antes, eu acredito na força do investimento a lon-
go prazo. Apesar de sermos bombardeados pelos filmes de mercado financeiro mos-
trando o trading como uma máquina de ganhar dinheiro com apenas alguns “clicks”,
as coisas na realidade não funcionam assim.

Ser trader não apenas requer muito tempo, como requer muito preparo psicológico e
dedicação. A pirâmide abaixo mostra a taxa de sobrevivência dos traders profissionais
no mercado americano:

fonte: www.tradecity.com

4
Apenas 1% consegue lucros reais.
A maioria acaba pulando fora do mercado uma hora ou outra – seja porque quebrou,
seja porque passou a vender curso.

Por isso, não é que viver de trading e de “lucros rápidos” seja impossível.
É possível, mas improvável. = Probabilidade
Possibilidade /
Então, se é improvável que fiquemos ricos para sempre com trading, nos sobra a out-
ra filosofia: a filosofia do longo prazo.

Como Warren Buffett, o investidor mais rico e bem-sucedido do mundo, já disse:


s

s
“Se você não deseja ter uma ação por 10 anos,
nem pense em tê-la nem por 10 minutos”
Concordo muito!!!
TEM UMA LÓGICA PARA ISSO

A grande maioria das empresas americanas que viraram “100 Baggers”, ou seja, que
multiplicaram 100 vezes o seu preço inicial, demoraram entre 16 a 30 anos para atin-
girem esse patamar:

fonte: 100 Baggers, by Christopher W. Mayer

5
E a realidade de longo prazo não é exclusiva dos Estados Unidos:

A tabela acima diz respeito ao retorno (valorização + proventos) de algumas ações da


nossa bolsa de valores ao longo de 1 ano e ao longo de 10 anos.

Quem teve a possibilidade de investir em alguma dessas empresas no ano de 2009 e


continuou com o investimento até hoje, fez um ótimo negócio.

Com um detalhe interessante: quem investiu em Ambev esse ano teve prejuízo, mas
quem fez isso em 2009 ainda conseguiu, mesmo se saindo mal esse ano, um retorno
de 1.305,34% em cima do valor investido.

A realidade é que investir a longo prazo tem sido uma filosofia capaz de dar ótimos
resultados, tanto no Brasil como fora dele.

Os fatos só comprovam isso.

LONGO PRAZO X CURTO PRAZO

6
A CARTEIRA
DO PRIMO

7
CARTEIRA ATUAL
07/FEV

PRINCIPAIS MOVIMENTAÇOES

8
Índice sharpe

9
proventos por mês

Carteira

JAN | 19
Saldo bruto: R$ 1.063.948,08
1250k
Valor aplicado: R$ 892.285

1000k

750k

500k

250k

0
fev | 18 mar | 18a br | 18m ai | 18j un | 18j ul | 18 ago | 18 set | 18 out | 18 nov | 18 dez | 18 jan | 18

10
INSIGHT DO MÊS: DISB34
The Walt Disney Company

11
Fora ser fã de tudo que fazem ?!

O QUE ME FEZ COMPRAR A DISNEY?


Além da estabilidade que ela apresenta, são três características principais da empresa
que me fizeram tomar esta decisão.

1: A capacidade dela participar de cada fase da vida dos seus clientes


A Disney tem uma vantagem única de ter produtos para todas as fases da nossa vida.
Eu assisti Aladin umas 100 mil vezes!
Para crianças, temos os desenhos animados. Para jovens, temos os filmes, principal-
mente os de super-heróis. Para os adultos, filmes de época (como Star Wars) e, claro,
os conteúdos fora do espaço cinematográfico, como o canal de notícias ABC e o canal
de esportes ESPN.

Com essa vantagem, a Disney não apenas consegue influenciar uma geração a con-
sumir suas produções, como também influencia dentro de todo o seu ecossistema. Os
parques da Disney, por exemplo, têm uma taxa de retorno de 70% das suas visitas.
Eu já fui
2: A sua futura entrada no mercado de streaming 5x, por exemplo.

Acredito que isso é uma estratégia boa pelos seguintes motivos:

A- Com a fusão com a Fox, a Disney passou a ter mais de 1 terço do Market Share de
filmes de Estúdio, sendo quase o dobro da sua principal concorrente no meio, a Warn-
er Brothers. (33,8% Disney vs 18,4% Warner Brothers)

Isso permite com que a Disney possa ter exclusividade de diversas grandes produções
(como os filmes da Marvel, o filme do Avatar, Star Wars, etc.) dentro da sua plataforma
de streaming, o que atrai clientes e sufoca a concorrência.

Disney Market cap:

Incluindo Avatar ( A atração do parque inspirada no filme é demais!)


Vale lembrar que hoje 7 filmes dos 10 filmes de maior bilheteria na história estão nas
mãos da Disney. Produzir mais conteúdos com esses sucessos tende a trazer maior
interesse do público para a Disney, tanto no seu serviço de streaming como fora dele.

12
b- A Netflix, que hoje é apenas um serviço de streaming, tem praticamente o mesmo
tamanho em Market cap que a Disney. Se a entrada da Disney nos serviços de stream-
ing for bem-sucedida, a Disney pode disparar no médio/longo prazo

Considerando o seu Market share em filmes de estúdio, o seu portfólio de sucessos


(7 dos 10 filmes de maior bilheteria na história são agora da Disney), e consideran-
do já toda sua expertise em manutenção de novos sucessos, a possibilidade de um
sucesso no serviço de streaming da Disney é, com certeza, algo a ser olhado com
carinho.
Eu consumo muito Netflix, Now, etc...
Como usuário eu quero estar onde o melhor conteúdo estiver!

Netflix Market cap:

Prisce Earnings/Preço/Lucro
E com um P/E de 13,28 (comparado com um de 121,02 da Netflix e um de 18,49 da
Century Fox), a empresa se torna muito atrativa.

13
3: Empresa sólida, consistente no longo prazo
A Disney já é uma empresa consolidada que, apesar de não crescer de forma tão ab-
surda, ela ainda consegue manter uma lucratividade ao longo do tempo.

Uma boa forma de olharmos essa característica na Disney é ao olhar o ROE (retorno
sob o patrimônio liquido) ao longo do tempo, comparando com concorrentes:

14
Pergunta do mês
Pergunta enviado por um primo no Instagram:

“Boa noite, Thiago!

Eu sou estudante de economia e trabalho 8 horas por dias, mas percebi que para conse-
guir ser rico e servir de inspiração para as pessoas próximas de mim, eu preciso deixar o
trabalho para me dedicar mais a investimentos. Preciso de pelo menos 300 reais por sema-
na de retorno com investimentos para me manter e dar tempo de estudar.

É possível ter esse retorno? ”

Primo, é possível sim ter esse retorno!


Depende muito de qual tipo de investimento estamos falando e do valor que você vai
investir.

Por exemplo, com um rendimento mensal de 0,43% ao mês, você precisaria investir
aproximadamente 70 mil reais para chegar a esses 300 por mês.

Por isso, se você está começando, meu conselho é: procure ganhar esses 300 por mês
com trabalho e capacitação profissional, e não pelos investimentos.
(e creio que seja o seu caso, já que aparentemente é jovem e ainda faz faculdade)

No começo da nossa jornada, mais vale trabalhar o pilar de ganhar mais dinheiro do
que o de investir. Se você procurar por renda extra, ou procurar ainda investir na sua
capacitação profissional, os frutos disso permitirão você chegar a esses 300 reais de-
sejados num prazo mais curto, e, em especial no caso de investir em si mesmo, você
ainda criará caminho pra você consistentemente ir aumentando o seu salário ao lon-
go do tempo.

Abraços!!!

15
Chegamos ao fim da primeira carta do primo.
O intuito dessa carta foi te mostrar que sim, nós devemos nos preocupar com o longo
prazo – até porque é nele onde nós temos maiores chances de sucesso.

Hoje talvez seja difícil imaginar o longo prazo. Muitas vezes parece que ele está dis-
tante e que vai demorar muito, mas muito tempo.

Talvez essa percepção esteja correta, mas a grande verdade é que, apesar do longo
prazo parecer distante, ele chega uma hora.
SEMPRE CHEGA!!!
Por isso, primos, não sejam impacientes. Ganância, medo e impaciência sempre nos
geram prejuízos.

Mantenham a cabeça e o pulso firmes e pensem num horizonte maior de tempo.


Acredite: o seu “eu” do futuro ainda vai te agradecer por isso.

E para conteúdos diários e semanais, não esqueça de seguir o primo no instagram e


também no youtube.

Até a próxima carta, primos!

Abs,
Thiago Nigro

Thiago Nigro Hugo Gonçalves LV


Fundador do O Redator O Designer
O Primo Rico!

16
EDIÇÃO #01

OBRIGADO!

17