Você está na página 1de 2

RESUMO DAS AULAS 09 E 10

Caminhamos para o fim de mais uma disciplina. Nestes estudos você viu o perfil e o modo
como os evangelistas abordam a vida de Jesus, em termos ministeriais.

Ainda que outros escritos do Novo Testamento tenham se antecipado aos evangelhos, a
verdade é eles são as fontes primárias do NT sobre nosso Senhor.

Todo Evangelho possui suas peculiaridades, por exemplo, Mateus é o único que usa a
palavra IGREJA, Escrito cerca de dez anos depois da conclusão dos sinóticos o Evangelho
de João mostra a maturidade da consciência cristã, ausente nos primórdios da Igreja. Ele
também possui características que lhe são comuns, o que veremos a seguir:

A caminho do Horto das Oliveiras, Jesus e seus discípulos atravessa o Vale do Cedron,
neste vale, segundo alguns estudiosos corria o sangue dos cordeiros que eram santificados
no Altar do Tempo, no tempo da crucificão.

O Senhor então foi preso no Jardim, um lugar que era familiar tanto a ele como a seus
discípulos, tanto que Judas quando o traiu levou a coorte munida com lanternas, armas e
archotes.

E mesmo que estivesse armados, o Senhor bradou “Sou Eu!”, com autoridade, sem
qualquer temor por Ele.

Depois de enfrentar a ‘justiça’ dos judeus, Cristo foi levado a Pilatos, que apesar de uma
autoridade, era ele um homem de moral débil.

Quanto a crucificação, João é o que menos fala, apesar de ser, entre os evangelistas, o
único que presenciou os eventos.

Quanto a morte, simbolicamente, a água e o sangue que verteram de Jesus quando foi
lancetado representa a água, purificação e santificação, e o sangue, propiciação e
justificação.

Quanto aos fatos da ressureição, João foi quem primeiro entrou no túmulo e viu os lençóis,
bem como o lenço que tinha estado sobre a cabeça de Jesus.

Ainda, sobre os fatos da ressureição, um dos momentos mais importantes foi quando o
Senhor apareceu a Tomé, Cristo consentiu em submeter-se a prova, porém sem deixar de
admoesta-lo.

Além de Tomé, outro discípulo que o Senhor tratou de modo individual foi Pedro, quando
Cristo tratou de Pedro, na famosa pergunta: “Simão, tú me amas?” estava o Senhor
implicando ali o amor ágape, a mais sublime e pura forma de amor.

O propósito do Evangelho é a regeneração espiritual através da aceitação do Filho de


Deus.

II
Estamos falando dos Evangelhos Sinóticos e do Evangelho de João mais especialmente. A
a palavra Evangelho significa boas novas e aparece 75 no Novo Testamento, falando da Boa
Notícia da Salvação.

O Evangelho de João, em sua peculiaridade, é o que apresenta a promessa que diz: “Não
vos deixarei órfãos, voltarei para vós”.

João também enfatiza bastante a forma da manifestação divina, em carne através do Verbo.

Conhecer as peculiaridades da escrita de um Evangelista é fundamental para saber sobre os


propósitos da escrita. Acreditamos que a avaliação dá conta de saber o que o aluno notou
sobre o tópico.