Você está na página 1de 242

ÍNDICE

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS


LITERATURA, GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO 5

CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS


HISTÓRIA
HISTÓRIA 21
GEOGRAFIA
GEOGRAFIA 47

CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS


BIOLOGIA
BIOLOGIA 87
FÍSICA
FÍSICA 125
QUÍMICA
QUÍMICA 179

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS


MATEMÁTICA 211
L&C
“ENTRE TEXTOS”
UERJ - Literatura, Gramática
e Interpretação de Texto
Interpretação de Textos, 55%
Literatura, 21%
Gramática, 11%
Estilística, 10%
Redação, 2%
Outros, 1%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULAS 1 E 2

PRESCRIÇÃO: O vestibular da UERJ trabalha suas questões de interpretação de textos


e gramática partindo, frequentemente, de gêneros literários variados, dando preferência
a textos literários em prosa ou verso, quadrinhos, e também textos jornalísticos e cien-
tíficos.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 5 QUESTÕES.

Nosso pensamento, como toda entidade viva, nasce para se vestir de fronteiras. Essa invenção é
uma espécie de vício de arquitetura, pois não há infinito sem linha do horizonte. A verdade é que
a vida tem fome de fronteiras. Porque essas fronteiras da natureza não servem apenas para fechar.
Todas as membranas orgânicas são entidades vivas e permeáveis. 1São fronteiras feitas para, ao
mesmo tempo, delimitar e negociar: o “dentro” e o “fora” trocam-se por turnos.
Um dos casos mais notáveis na construção de fronteiras acontece no mundo das aves. É o caso do
nosso tucano, o tucano africano, que fabrica o ninho a partir do oco de uma árvore. 2Nesse vão, a
fêmea se empareda literalmente, erguendo, ela e o macho, um tapume de barro. 3Essa parede tem
apenas um pequeno orifício, ele é a única janela aberta sobre o mundo. Naquele cárcere escuro, a
fêmea arranca as próprias penas para preparar o ninho das futuras crias. 4Se quisesse desistir da
empreitada, ela morreria, sem possibilidade de voar. 5Mesmo neste caso de consentida clausura, a
divisória foi inventada para ser negada.
6
Mas o que aqueles pássaros construíram não foi uma parede: foi um buraco. Erguemos paredes in-
teiras como se fôssemos tucanos cegos. De um e do outro lado há sempre algo que morre, truncado
do seu lado gêmeo. Aprendemos a demarcarmo-nos do Outro e do Estranho como se fossem ame-
aças à nossa integridade. Temos medo da mudança, medo da desordem, medo da complexidade.
7
Precisamos de modelos para entender o universo (que é, afinal, um pluriverso ou um multiverso),
que foi construído em permanente mudança, no meio do caos e do imprevisível.
A própria palavra “fronteira” nasceu como um conceito militar, era o modo como se designava a
frente de batalha. 8Nesse mesmo berço aconteceu um fato curioso: um oficial do exército francês
inventou um código de gravação de mensagens em alto-relevo. Esse código servia para que, nas
noites de combate, os soldados pudessem se comunicar em silêncio e no escuro. Foi a partir des-
se código que se inventou o sistema de leitura Braille. No mesmo lugar em que nasceu a palavra
“fronteira” sucedeu um episódio que negava o sentido limitador da palavra.
A fronteira concebida como vedação estanque tem a ver com o modo como pensamos e vivemos
a nossa própria identidade. 9Somos um pouco como a tucana que se despluma dentro do escuro:
temos a ilusão de que a nossa proteção vem da espessura da parede. Mas seriam as asas e a capaci-
dade de voar que nos devolveriam a segurança de ter o mundo inteiro como a nossa casa.
MIA COUTO Adaptado de fronteiras.com, 10/08/2014.

1. (UERJ 2017) No penúltimo parágrafo, a menção ao surgimento do sistema de leitura Braile serve
de exemplo à argumentação do autor.
Esse exemplo, no contexto, assume o seguinte objetivo:
a) rever o caráter restritivo das experiências pessoais
b) contradizer os usos correntes da linguagem técnica
c) ressaltar a fragilidade humana nos contextos de guerra
d) demonstrar apropriação nova no emprego de uma ideia

2. (UERJ 2017) A exposição do autor confere um caráter universal ao tema das fronteiras.
No primeiro parágrafo, a marca linguística que melhor evidencia esse caráter conferido ao tema é:
a) predomínio dos verbos no presente do indicativo
b) emprego das aspas como índice de formalidade
c) destaque de estruturas explicativas diversas
d) uso de elementos de negação categórica

5
3. (UERJ 2017) Precisamos de modelos para entender o universo (que é, afinal, um pluriverso ou um
multiverso), (ref. 7)
Nesse trecho, o conteúdo entre parênteses propõe uma reformulação da palavra universo, em fun-
ção da argumentação feita pelo autor.
Essa reformulação explora o seguinte recurso:
a) contraste de morfemas de sentidos distintos
b) citação de neologismos de valor polissêmico
c) comparação de conceitos relacionados ao tema
d) enumeração de sinônimos possíveis no contexto

4. (UERJ 2017) Os dois-pontos podem delimitar uma relação entre uma expressão e a especificação
de seu sentido.
Observa-se esse uso dos dois-pontos no trecho apresentado em:
a) São fronteiras feitas para, ao mesmo tempo, delimitar e negociar: o “dentro” e o “fora” trocam-se por
turnos. (ref. 1)
b) Mas o que aqueles pássaros construíram não foi uma parede: foi um buraco. (ref. 6)
c) Nesse mesmo berço aconteceu um fato curioso: um oficial do exército francês inventou um código de
gravação de mensagens em alto-relevo. (ref. 8)
d) Somos um pouco como a tucana que se despluma dentro do escuro: temos a ilusão de que a nossa
proteção vem da espessura da parede. (ref. 9)

5. (UERJ 2017) No segundo parágrafo, ao descrever a construção do ninho do tucano africano, o au-
tor expressa seu ponto de vista acerca da relatividade do papel das fronteiras.
Esse ponto de vista está enunciado em:
a) Nesse vão, a fêmea se empareda literalmente, erguendo, ela e o macho, um tapume de barro. (ref. 2)
b) Essa parede tem apenas um pequeno orifício, ele é a única janela aberta sobre o mundo. (ref. 3)
c) Se quisesse desistir da empreitada, ela morreria, sem possibilidade de voar. (ref. 4)
d) Mesmo neste caso de consentida clausura, a divisória foi inventada para ser negada. (ref. 5)

Raio X
1.
Está correta a alternativa [D], uma vez que o autor compara o contexto de surgimento do sistema
de leitura Braile com o da palavra “fronteira”. Embora as duas ideias tenham como origem um
contexto militar, ambas foram apropriadas e são utilizadas em novas formas.
2.
O uso de verbos no presente do indicativo – sobretudo o verbo “ser” (em forma de afirmação “é”
ou “são”) – confere ao tema um caráter perene, dando ao que é descrito um aspecto de imutabili-
dade. As fronteiras, assim, apesar de em si serem transitórias, como temática presente na natureza
são universais. Portanto, está correta a alternativa [A].
3.
O contraste é entre os elementos de composição “uni”, “pluri” e “multi”, que possuem sentidos
distintos, respectivamente, “único”, “vários”, “muitos”. Na argumentação do autor, a reformula-
ção funciona para problematizar o termo “universo”, que em vez de uma dimensão “única” pode
ser pensado como plural e variado.
4.
A alternativa [C] é a única que apresenta uma expressão e a especificação de seu sentido delimi-
tada pelo uso de dois-pontos.
Analisando as demais alternativas:
[A] a relação determinada pelo emprego de dois-pontos é o de reiteração;
[B] a relação é de retificação;
[D] a relação marcada é de explicação.
5.
O ponto de vista do autor é de que as fronteiras são construções necessárias para a criação de uma
demarcação e de uma relação. Ao edificar uma “consentida clausura”, a ave também constrói uma
relação familiar, separando suas crias de tudo o que está do lado de fora. Desse modo, a alternativa
[D] apresenta o trecho que condiz com o pensamento do autor.

Gabarito
1. D 2. A 3. A 4. C 5. D

6
Prática dos conhecimentos - E.O.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 5 QUESTÕES.

DICIONÁRIO FEITO POR CRIANÇAS REVELA UM MUNDO QUE OS ADULTOS NÃO ENXERGAM MAIS
Em abril, aconteceu a Feira do Livro de Bogotá, e um dos maiores sucessos foi um livro chamado
Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças. Nele, há um dicionário com mais de 500 de-
finições para 133 palavras, de A a Z, feitas por crianças.
1
O curioso deste “dicionário infantil” é como as crianças definem o mundo através daquilo que os
adultos já não conseguem perceber. O autor do livro é o professor Javier Naranjo, que compilou
informações ao longo de dez anos durante as aulas. Ele conta que a ideia surgiu quando ele pediu
aos seus alunos para definirem a palavra “criança”, e uma das respostas que lhe chamou atenção
foi: 2“uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não toma rum e vai dormir cedo”.
Veja outros verbetes do livro e as idades das crianças que os definiram:
- 3Adulto: pessoa que, em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma. (Andrés, 8 anos)
- Água: transparência que se pode tomar. (Tatiana, 7 anos)
- 4Branco: o branco é uma cor que não pinta. (Jonathan, 11 anos)
- 5Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro, somente seus filhos. (Luis, 8 anos)
- 6Céu: de onde sai o dia. (Duván, 8 anos)
- Dinheiro: coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos.
(Ana María, 12 anos)
- 7Escuridão: é como o frescor da noite. (Ana Cristina, 8 anos)
- 8Guerra: gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz. (Juan Carlos, 11 anos)
- Inveja: atirar pedras nos amigos. (Alejandro, 7 anos)
- 9Mãe: mãe entende e depois vai dormir. (Juan, 6 anos)
- 10Paz: quando a pessoa se perdoa. (Juan Camilo, 8 anos)
- Solidão: tristeza que dá na pessoa às vezes. (Iván, 10 anos)
- Tempo: coisa que passa para lembrar. (Jorge, 8 anos)
- 11Universo: casa das estrelas. (Carlos, 12 anos)
André Fantin Adaptado de repertoriocriativo.com.br, 22/05/2013.

1. (UERJ 2016) Escuridão: é como o frescor da noite. (ref. 7)


O verbete citado apresenta uma definição poética para o termo “escuridão”.
Essa afirmativa pode ser justificada pelo fato de a autora do verbete ter optado por:
a) priorizar as crenças antes de se pautar pela racionalidade
b) construir uma figuração particular sem se ater ao fenômeno físico
c) expressar seu medo da noite no lugar de descrevê-la minuciosamente
d) apoiar-se na linguagem denotativa ao invés de elaborar um argumento conotativo

2. (UERJ 2016) O curioso deste “dicionário infantil” é como as crianças definem o mundo através
daquilo que os adultos já não conseguem perceber. (ref. 1)
Adultos e crianças, embora usando a mesma linguagem, não veem e não descrevem o mundo da
mesma maneira.
Com base no conteúdo desse fragmento, pode-se concluir que qualquer descrição da realidade
apresenta a seguinte característica:
a) requer alguém que a realize sem receio
b) necessita de que se faça formulação detalhada
c) depende da perspectiva daquele que observa
d) mostra-se precisa para os que já amadureceram

3. (UERJ 2016) “uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não toma rum e vai dormir
cedo”. (ref. 2)
Na definição acima, o trecho sublinhado contém duas comparações implícitas, que têm como refe-
rência o mundo dos adultos.
Essas comparações são feitas por meio do seguinte recurso:
a) oposição
b) gradação
c) classificação
d) reformulação

7
4. (UERJ 2016) Por meio da generalização, pode-se atribuir um determinado conjunto de traços que
não se relacionam apenas com o que está sendo nomeado.
O melhor exemplo desse procedimento de generalização está presente em:
a) Branco: o branco é uma cor que não pinta. (ref. 4)
b) Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro, somente seus filhos. (ref. 5)
c) Céu: de onde sai o dia. (ref. 6)
d) Universo: casa das estrelas. (ref. 11)

5. (UERJ 2016) Uma afirmação paradoxal contém alguma contradição interna.


Um exemplo de afirmação paradoxal é identificado em:
a) Adulto: pessoa que, em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma. (ref. 3)
b) Guerra: gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz. (ref. 8)
c) Mãe: mãe entende e depois vai dormir. (ref. 9)
d) Paz: quando a pessoa se perdoa. (ref. 10)

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES.

6. (UERJ 2016) As ausências da moldura e da imagem são recursos gráficos que contribuem para o
sentido do texto.
A relação entre esses recursos gráficos e a mensagem contida no terceiro quadrinho possui um
sentido de:
a) ironia
b) reforço
c) negação
d) contradição

7. (UERJ 2016) No último quadrinho, formula-se uma analogia moral, quando se sugere que não é
possível ver tudo o que acontece à frente dos olhos.
A partir dessa analogia, pode-se chegar à seguinte conclusão:
a) a verdade absoluta não existe
b) a existência não tem explicação
c) o homem não é o centro do mundo
d) o curso da vida não pode ser mudado

8. (UERJ 2016) O personagem presente no último quadrinho é um ácaro, um ser microscópico. Suas
falas têm relação direta com seu tamanho. No contexto, é possível compreender a imagem do per-
sonagem como uma metonímia.
Essa metonímia representa algo que se define como:
a) invisível
b) expressivo
c) inexistente
d) contraditório

8
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 4 QUESTÕES.

A ARTE DE ENGANAR

Em seu livro Pernas pro ar, Eduardo Galeano recorda que, na era vitoriana, era proibido mencionar
“calças” na presença de uma jovem. Hoje em dia, diz ele, não cai bem utilizar certas expressões
perante a opinião pública: “O capitalismo exibe o nome artístico de economia de mercado; im-
perialismo se chama globalização; suas vítimas se chamam países em via de desenvolvimento;
oportunismo se chama pragmatismo; 1despedir sem indenização nem explicação se chama flexibi-
lização laboral” etc.
A lista é longa. Acrescento os inúmeros preconceitos que carregamos: ladrão é sonegador; lobista
é consultor; 2fracasso é crise; especulação é derivativo; latifúndio é agronegócio; desmatamento é
investimento rural; lavanderia de dinheiro escuso é paraíso fiscal; 3acumulação privada de riqueza
é democracia; socialização de bens é ditadura; governar a favor da maioria é populismo; tortura é
constrangimento ilegal; invasão é intervenção; 4peste é pandemia; 5magricela é anoréxica.
Eufemismo é a arte de dizer uma coisa e acreditar que o público escuta ou lê outra. É um jeitinho
de escamotear significados. De tentar encobrir verdades e realidades.
Posso admitir que pertenço à terceira idade, embora esteja na cara: sou velho. 6Ora, poderia dizer
que sou seminovo! Como carros em revendedoras de veículos. Todos velhos! Mas o adjetivo semi-
novo os torna mais vendáveis.
Coitadas das palavras! Elas 7são distorcidas para que a realidade, escamoteada, permaneça como
está. Não conseguem, contudo, escapar da luta de classes: pobre é ladrão, 8rico é corrupto.
Pobre é viciado, rico é dependente químico.
Em suma, eufemismo é um truque semântico para tentar amenizar os fatos.
Frei Betto. Adaptado de O Dia, 21/03/2015.

9. (UERJ 2016) Frei Betto inicia seu texto com uma citação do escritor uruguaio Eduardo Galeano,
recorrendo a recurso comum de argumentação.
Esse recurso constitui um argumento de:
a) comparação
b) causalidade
c) contestação
d) autoridade

1
0. (UERJ 2016) No segundo parágrafo, o emprego de certa estrutura encaminha a reflexão do leitor
para os disfarces que a linguagem permite.
Essa estrutura é caracterizada principalmente por:
a) modalização
b) pressuposição
c) exemplificação
d) particularização

1
1. (UERJ 2016) Em sua origem grega, o termo “eufemismo” significa “palavra de bom agouro” ou
“palavra que deseja o bem”. Como figura de linguagem, indica um recurso que suaviza alguma
ideia ou expressão mais chocante.
Na crônica, o autor enfatiza o aspecto negativo dos eufemismos, que serviriam para distorcer a
realidade.
De acordo com o autor, o eufemismo camufla a desigualdade social no seguinte exemplo:
a) fracasso é crise (ref. 2)
b) peste é pandemia (ref. 4)
c) magricela é anoréxica (ref. 5)
d) rico é corrupto (ref. 8)

1
2. (UERJ 2016) Na produção do humor, traço típico da crônica, o autor combina eufemismos com
outros recursos ou figuras de linguagem.
O exemplo em que o humor é produzido por meio da superposição entre um eufemismo e uma
comparação entre elementos distintos é:
a) despedir sem indenização nem explicação se chama flexibilização laboral (ref. 1)
b) acumulação privada de riqueza é democracia; (ref. 3)
c) Ora, poderia dizer que sou seminovo! (ref. 6)
d) são distorcidas para que a realidade, escamoteada, permaneça como está. (ref. 7)

9
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES:

1
3. (UERJ 2017) O uso de palavras que se referem a termos já enunciados, sem que seja necessário
repeti-los, faz parte dos processos de coesão da linguagem.
Na pergunta feita no segundo quadrinho, uma palavra empregada com esse objetivo é:
a) nós
b) aqui
c) nossa
d) porque

1
4. (UERJ 2017) No primeiro quadrinho, a declaração feita pela personagem indica um pressuposto
acerca do universo escolar.
Esse pressuposto pode ser associado, na escola, à seguinte prática:
a) negação do patriotismo
b) intolerância à diversidade
c) desestímulo às indagações
d) reprovação de brincadeiras

1
5. (UERJ 2017) Todo o raciocínio da personagem pode ser expresso na fórmula dedutiva “se A, então B”.
Para que essa fórmula esteja de acordo com o raciocínio da personagem, ela deve ser redigida da
seguinte maneira:
a) Se escolhemos onde nascer, então amar a pátria não é uma obrigação.
b) Se não escolhemos onde nascer, então amar a pátria é uma conveniência.
c) Se a professora se zanga com perguntas, então eu não devo fazer uma redação só com perguntas.
d) Se a professora não se zanga com perguntas, então eu posso fazer uma redação só com perguntas.

Gabarito
1. B 2. C 3. A 4. B 5. B

6. B 7. C 8. A 9. D 10. C

11. D 12. C 13. B 14. C 15. B

10
AULAS 3 E 4

PRESCRIÇÃO: O vestibular da UERJ trabalha suas questões de interpretação de textos e


gramática partindo, frequentemente, de gêneros literários variados, dando preferência a textos
literários em prosa ou verso, quadrinhos, e também textos jornalísticos e científicos. Já em
literatura, as abordagens são bem variadas, apresentando questões que discutem do barroco à
literatura contemporânea, além de explorar com frequência as vanguardas europeias.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2016) Sobretudo compreendam os críticos a missão dos poetas, escritores e artistas, neste
período especial e ambíguo da formação de uma nacionalidade. São estes os operários incumbidos
de polir o talhe e as feições da individualidade que se vai esboçando no viver do povo.
O povo que chupa o caju, a manga, o cambucá e a jabuticaba pode falar com igual pronúncia e o
mesmo espírito do povo que sorve o figo, a pera, o damasco e a nêspera?
José de Alencar, prefácio a Sonhos d’ouro, 1872. Adaptado de ebooksbrasil.org.

De acordo com José de Alencar, a caracterização da identidade nacional brasileira, no século XIX,
estava vinculada ao processo de:
a) promoção da cultura letrada
b) integração do mundo lusófono
c) valorização da miscigenação étnica
d) particularização da língua portuguesa

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES.

O passado anda atrás de nós


como os detetives os cobradores os ladrões
o futuro anda na frente
como as crianças os guias de montanha
os maratonistas melhores
do que nós
salvo engano o futuro não se imprime
|pense em como do lodo primeiro surgiu esta poltrona este livro
este besouro este vulcão este despenhadeiro
à frente de nós à frente deles
corre o cão
ANA MARTINS MARQUES O livro das semelhanças. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

2. (UERJ 2017) "aos cães domesticados se ensina a andar sempre atrás do dono mas os cães o passado
só aparentemente nos pertencem" (v. 12-14)
Nesses versos, sugere-se uma ideia a respeito da relação entre cães e seres humanos.
Essa ideia, no verso destacado, recebe da poeta a seguinte avaliação:
a) adesão
b) negação
c) proibição
d) permissão

3. (UERJ 2017) No poema, há marcas de linguagem que remetem tanto à poeta quanto a seus leito-
res. Uma dessas marcas, referindo-se unicamente ao leitor, está presente no seguinte verso:
a) como o passado nas pedras nos móveis no rosto (v. 8)
b) das pessoas que conhecemos (v. 9)
c) pense em como do lodo primeiro surgiu esta poltrona este livro (v. 15)
d) à frente de nós à frente deles (v. 17)

11
4. (UERJ 2017) Nos versos de 1 a 6, a poeta vale-se de um recurso para caracterizar tanto o passado
quanto o futuro.
Esse recurso consiste na construção de:
a) índices de ironia
b) escala de gradações
c) relações de comparação
d) sequência de personificações

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

A PRESSA DE ACABAR

Evidentemente nós sofremos agora em todo o mundo de uma dolorosa moléstia: a pressa de aca-
bar. Os nossos avós nunca tinham pressa. Ao contrário. Adiar, aumentar, era para eles a suprema
delícia. Como os relógios, nesses tempos remotos, não eram maravilhas de precisão, os 1homens
mediam os dias com todo o cuidado da atenção.
Sim! Em tudo, 2essa estranha pressa de acabar se ostenta como a marca do século. Não há mais li-
vros definitivos, quadros destinados a não morrer, ideias imortais. Trabalha-se muito mais, pensa-
-se muito mais, ama-se mesmo muito mais, apenas sem fazer a digestão e sem ter tempo de a
fazer.
Antigamente as horas eram entidades que os homens conheciam imperfeitamente. Calcular a pas-
sagem das horas era tão complicado como calcular a passagem dos dias. 3Inventavam-se relógios
de todos os moldes e formas.
4
Hoje, nós somos escravos das horas, dessas senhoras inexoráveis* que não cedem nunca e cor-
tam o dia da gente numa triste migalharia de minutos e segundos. Cada hora é para nós distinta,
pessoal, característica, porque cada hora representa para nós o acúmulo de várias coisas que nós
temos pressa de acabar. O relógio era um objeto de luxo. Hoje até os mendigos usam um marcador
de horas, porque têm pressa, pressa de acabar.
O homem mesmo será classificado, afirmo eu já com pressa, como o Homus cinematographicus.
5
Nós somos uma delirante sucessão de fitas cinematográficas. Em meia hora de sessão tem-se um
espetáculo multiforme e assustador cujo título geral é: Precisamos acabar depressa.
6
O homem de agora é como a multidão: ativo e imediato. Não pensa, faz; não pergunta, obra; não
reflete, julga.
7
O homem cinematográfico resolveu a suprema insanidade: encher o tempo, atopetar o tempo,
abarrotar o tempo, paralisar o tempo para chegar antes dele. Todos os dias (dias em que ele não
vê a beleza do sol ou do céu e a doçura das árvores porque não tem tempo, diariamente, nesse nú-
mero de horas retalhadas em minutos e segundos que uma população de relógios marca, registra e
desfia), o pobre diabo 8sua, labuta, desespera com os olhos fitos nesse hipotético poste de chegada
que é a miragem da ilusão.
Uns acabam pensando que encheram o tempo, que o mataram de vez. Outros desesperados vão para
o hospício ou para os cemitérios. A corrida continua. E o Tempo também, o Tempo insensível e in-
comensurável, o Tempo infinito para o qual todo o esforço é inútil, o Tempo que não acaba nunca!
É satanicamente doloroso. Mas que fazer?
RIO, João do. Adaptado de Cinematógrafo: crônicas cariocas. Rio de Janeiro: ABL, 2009. * inexoráveis − que não cedem, implacáveis

5. (UERJ 2016) "essa estranha pressa de acabar se ostenta como a marca do século." (ref. 2)
O trecho acima contém o eixo temático da crônica escrita por João do Rio em 1909.
Na construção da opinião presente nesse trecho, é possível identificar um procedimento de:
a) negação
b) dedução
c) gradação
d) generalização

Raio X
1.
No Brasil, o Romantismo da primeira fase adquiriu características especiais, defendendo os mo-
tivos e temas brasileiros, mais próximos da fala e da realidade popular brasileira. A interrogação
de natureza retórica que finaliza o excerto expõe a preocupação de José de Alencar em adaptar a
língua portuguesa às circunstâncias locais, valorizando tradições, costumes, história e natureza
de um país em construção. Na prosa alencariana, são frequentes tupinismos e brasileirismos,
assim como infrações intencionais as regras da gramática normativa de colocação pronominal ou

12
concordância verbal para que os escritos se moldassem às características da linguagem local, visan-
do à afirmação de uma identidade nacional brasileira. Assim, é correta a opção [D].
2.
A ideia sugerida a respeito da relação entre cães e seres humanos é a de posse. Essa ideia é ne-
gada no verso 14, tendo em vista o uso do advérbio “aparentemente”: “mas os cães o passado só
aparentemente nos pertencem”. Depreende-se assim que, apesar da aparência, os cães não nos
pertencem, como o passado também não.
3.
No verso “pense em como do lodo primeiro surgiu esta poltrona este livro” (v. 15), a poeta faz uso
do verbo na segunda pessoa, “pense”, criando uma marca de diálogo com seu interlocutor: o leitor.
4.
Nos primeiros versos, a poeta tece uma série de comparações para caracterizar o passado (“como
os detetives os cobradores os ladrões”) e o futuro (“como as crianças os guias de montanha”).
5.
O trecho citado expande o conceito enunciado no parágrafo anterior, remetendo ao próprio título,
síntese do assunto tratado ao longo da crônica: a velocidade como característica dos tempos atu-
ais. Assim, é correta a opção [D], pois o autor adota um procedimento de generalização, ou seja,
apresenta uma opinião genérica com base no conhecimento de certo número de dados singulares
expostos ao longo da argumentação.

Gabarito
1. D 2. B 3. C 4. C 5. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 4 QUESTÕES.

MEDO E VERGONHA
3
O medo é um evento poderoso que toma o nosso corpo, nos põe em xeque, paralisa alguns e atiça
a criatividade de outros. Uma pessoa em estado de pavor é dona de uma energia extra capaz de
feitos incríveis.
Um amigo nosso, quando era adolescente, aproveitou a viagem dos pais da namorada para ficar na
casa dela. Os pais voltaram mais cedo e, pego em flagrante, nosso Romeu teve a brilhante ideia de
pular, pelado, do segundo andar. Está vivo. Tem hoje essa incrível história pra contar, mas deve se
lembrar muito bem da vergonha.
4
Me lembrei dessa história por conta de outra completamente diferente, mas na qual também vi
meu medo me deixar em maus lençóis.
Estava caminhando pelo bairro quando resolvi explorar umas ruas mais desertas. 5De repente, vejo
um menino encostado num muro. Parecia um menino de rua, tinha seus 15, 16 anos e, quando
me viu, fixou o olhar e apertou o passo na minha direção. Não pestanejei. Saí correndo. Correndo
mesmo, na mais alta performance de minhas pernas.
No meio da corrida, comecei a pensar se ele iria mesmo me assaltar. Uma onda de vergonha foi me
invadindo. O rapaz estava me vendo correr. E se eu tivesse me enganado? E se ele não fosse fazer
nada? Mesmo que fosse. Ter sido flagrada no meu medo e preconceito daquela forma já me deixava
numa desvantagem fulminante.
Não sou uma pessoa medrosa por excelência, mas, naquele dia, o olhar, o gesto, alguma coisa no
rapaz acionou imediatamente o motor de minhas pernas e, quando me dei conta, já estava em
disparada.
Fui chegando ofegante a uma esquina, os motoristas de um ponto de táxi me perguntaram o que
tinha acontecido e eu, um tanto constrangida, disse que tinha ficado com medo. Me contaram que
ele vivia por ali, tomando conta dos carros. Fervi de vergonha.
O menino passou do outro lado da rua e, percebendo que eu olhava, imitou minha corridinha, fa-
zendo um gesto de desprezo. Tive vontade de sentar na 1guia e chorar. Ele só tinha me olhado, e o
resto tinha sido produto legítimo do meu preconceito.
Fui atrás dele. Não consegui carregar tamanha 2bigorna pra casa. “Ei!” Ele demorou a virar. Se
eu pensava que ele assaltava, 6ele também não podia imaginar que eu pedisse desculpas. Insisti:
“Desculpa!” Ele virou. 7Seu olhar agora não era mais de ladrão, e sim de professor. Me perdoou
com um sinal de positivo ainda cheio de desprezo. Fui pra casa pelada, igual ao Romeu suicida.
Denise Fraga folha.uol.com.br, 08/01/2013

1
guia − meio-fio da calçada
2
bigorna − bloco de ferro para confecção de instrumentos

13
1. (UERJ 2015) No primeiro parágrafo, apresentam-se algumas características do medo, quase todas
positivas, mas se omite uma de suas características negativas, tematizada no decorrer do texto.
Esta característica negativa do medo é a de:
a) basear-se em fatos
b) ter vergonha do sentimento
c) reforçar um constrangimento
d) ser motivado por preconceito

2. (UERJ 2015) "Seu olhar agora não era mais de ladrão, e sim de professor." (ref. 7)
A frase deixa subentendida a ideia de que o menino foi capaz de ensinar, pelo exemplo, algo à
autora.
Esse ensinamento dado pelo menino está ligado à capacidade de:
a) perdoar
b) desprezar
c) desculpar-se
d) arrepender-se

3. (UERJ 2015) A crônica é um gênero textual que frequentemente usa uma linguagem mais informal
e próxima da oralidade, pouco preocupada com a rigidez da chamada norma culta.
Um exemplo claro dessa linguagem informal, presente no texto, está em:
a) O medo é um evento poderoso que toma o nosso corpo, (ref. 3)
b) Me lembrei dessa história por conta de outra completamente diferente, (ref. 4)
c) De repente, vejo um menino encostado num muro. (ref. 5)
d) ele também não podia imaginar que eu pedisse desculpas. (ref. 6)

4. (UERJ 2015) Na última frase da crônica, a autora correlaciona dois episódios. Em ambos, aparece
o atributo “pelado(a)”. No entanto, esse atributo tem significado diferente em cada um dos episó-
dios.
No texto, o significado de cada termo se caracteriza por ser, respectivamente:
a) literal e figurado
b) geral e particular
c) descritivo e irônico
d) ambíguo e polissêmico

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES.

É MENINA
É menina, que coisa mais fofa, parece com o pai, parece com a mãe, parece um joelho, upa, upa,
não chora, isso é choro de fome, isso é choro de sono, isso é choro de chata, choro de menina,
igualzinha à mãe, achou, sumiu, achou, não faz pirraça, coitada, tem que deixar chorar, vocês fa-
zem tudo o que ela quer, 2isso vai crescer mimada, eu queria essa vida pra mim, dormir e mamar,
aproveita enquanto ela ainda não engatinha, 3isso daí quando começa a andar é um inferno, daqui
a pouco começa a falar, daí não para mais, ela precisa é de um irmão, foi só falar, olha só quem vai
ganhar um irmãozinho, tomara que seja menino pra formar um casal, ela tá até mais quieta de-
pois que ele nasceu, parece que ela cuida dele, esses dois vão ser inseparáveis, ela deve morrer de
ciúmes, ele já nasceu falante, menino é outra coisa, desde que ele nasceu parece que ela cresceu,
já tá uma menina, quando é que vai pra creche, ela não larga dessa boneca por nada, já podia ser
mãe, já sabe escrever o nomezinho, quantos dedos têm aqui, qual é a sua princesa da Disney pre-
ferida, quem você prefere, o papai ou a mamãe, quem é o seu namoradinho, quem é o seu príncipe
da Disney preferido, já se maquia nessa idade, é apaixonada pelo pai, cadê o Ken, daqui a pouco
vira mocinha, eu te peguei no colo, só falta ficar mais alta que eu, finalmente largou a boneca,
já tava na hora, agora deve tá pensando besteira, soube que virou mocinha, ganhou corpo, tenho
uma dieta boa pra você, a dieta do ovo, a dieta do tipo sanguíneo, a dieta da água gelada, essa
barriga só resolve com cinta, que corpão, essa menina é um perigo, 1vai ter que voltar antes de
meia-noite, o seu irmão é diferente, menino é outra coisa, vai pela sombra, não sorri pro porteiro,
não sorri pro pedreiro, quem é esse menino, se o seu pai descobrir, ele te mata, esse menino é
filho de quem, cuidado que homem não presta, não pode dar confiança, não vai pra casa dele, ho-
mem gosta é de mulher difícil, tem que se dar valor, homem é tudo igual, segura esse homem, não
fuxica, não mexe nas coisas dele, tem coisa que é melhor a gente não saber, não pergunta demais
que ele te abandona, o que os olhos não veem o coração não sente, quando é que vão casar, ele tá

14
te enrolando, morar junto é casar, quando é que vão ter filho, ele tá te enrolando, barriga pontuda
deve ser menina, é menina.
DUVIVIER, Gregorio. Folha de São Paulo, 16/09/2013.

5. (UERJ 2015) A crônica de Gregorio Duvivier é construída em um único parágrafo com uma única
frase. Essa frase começa e termina pela mesma expressão: "é menina".
Em termos denotativos, a menina, referida no final do texto, pode ser compreendida como:
a) filha da primeira
b) ideal de pureza
c) mulher na infância
d) sinal de transformação

6. (UERJ 2015) "vai ter que voltar antes de meia-noite, o seu irmão é diferente, menino é outra coi-
sa," (ref. 1)
O fragmento reproduz falas que apontam uma diferença entre meninos e meninas.
Essa diferença se verifica em relação ao seguinte aspecto:
a) beleza
b) esperteza
c) inteligência
d) comportamento

7. (UERJ 2015) O uso da expressão “é menina”, tanto para começar quanto para finalizar o texto,
adquire também um valor simbólico, pelo significado que assume no contexto.
No contexto, esse recurso provoca um entendimento de:
a) alteração previsível de juízos morais
b) reprodução indefinida de preconceitos sociais
c) rejeição possível de comportamentos familiares
d) esperança vaga de novas atitudes das mulheres

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 4 QUESTÕES.

SEPARAÇÃO
Voltou-se e mirou-a como se fosse pela última vez, como quem repete um gesto imemorialmente
irremediável. 1No íntimo, preferia não tê-lo feito; mas ao chegar à porta 2sentiu que 14nada pode-
ria evitar a reincidência daquela cena tantas vezes contada na história do amor, que é a história
do mundo. 10Ela o olhava com um olhar intenso, onde existia uma incompreensão e um anelo1,
15
como a pedir-lhe, ao mesmo tempo, que não fosse e que não deixasse de ir, por isso que era tudo
impossível entre eles.
(...)
Seus olhares 4fulguraram por um instante um contra o outro, depois se 5acariciaram ternamente e,
finalmente, se disseram que não havia nada a fazer. 6Disse-lhe adeus com doçura, virou-se e cer-
rou, de golpe, a porta sobre si mesmo numa tentativa de secionar2 aqueles dois mundos que eram
ele e ela. Mas 16o brusco movimento de fechar prendera-lhe entre as folhas de madeira o espesso
tecido da vida, e ele ficou retido, sem se poder mover do lugar, 11sentindo o pranto formar-se mui-
to longe em seu íntimo e subir em busca de espaço, como um rio que nasce.
17
Fechou os olhos, tentando adiantar-se à agonia do momento, mas o fato de sabê-la ali ao lado, e
dele separada por imperativos categóricos3 de suas vidas, 12não lhe dava forças para desprender-se
dela. 8Sabia que era aquela a sua amada, por quem esperara desde sempre e que por muitos anos
buscara em cada mulher, na mais terrível e dolorosa busca. Sabia, também, que o primeiro passo
que desse colocaria em movimento sua máquina de viver e ele teria, mesmo como um autômato,
de sair, andar, fazer coisas, 9distanciar-se dela cada vez mais, cada vez mais. 18E no entanto ali
estava, a poucos passos, sua forma feminina que não era nenhuma outra forma feminina, mas a
dela, a mulher amada, aquela que ele 7abençoara com os seus beijos e agasalhara nos instantes do
amor de seus corpos. Tentou 3imaginá-la em sua dolorosa mudez, já envolta em seu espaço próprio,
perdida em suas cogitações próprias − um ser desligado dele pelo limite existente entre todas as
coisas criadas.
13
De súbito, sentindo que ia explodir em lágrimas, correu para a rua e pôs-se a andar sem saber
para onde...
MORAIS, Vinícius de. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1986.

15
8. (UERJ 2015) A hipérbole é uma figura empregada na crônica de Vinícius de Morais para caracte-
rizar o estado de ânimo do personagem.
Essa figura está exemplificada em:
a) Ela o olhava com um olhar intenso, (ref. 10)
b) sentindo o pranto formar-se muito longe em seu íntimo (ref. 11)
c) não lhe dava forças para desprender-se dela. (ref. 12)
d) De súbito, sentindo que ia explodir em lágrimas, (ref. 13)

9. (UERJ 2015) Uma metáfora pode ser construída pela combinação entre elementos abstratos e con-
cretos.
No texto, um exemplo de metáfora que se constrói por esse tipo de combinação é:
a) como a pedir-lhe, ao mesmo tempo, que não fosse e que não deixasse de ir, (ref. 15)
b) o brusco movimento de fechar prendera-lhe entre as folhas de madeira o espesso tecido da vida, (ref. 16)
c) Fechou os olhos, tentando adiantar-se à agonia do momento, (ref. 17)
d) E no entanto ali estava, a poucos passos, (ref. 18)

1
0. (UERJ 2015) "nada poderia evitar a reincidência daquela cena tantas vezes contada na história do
amor, que é a história do mundo." (ref. 14)
O trecho sublinhado reformula uma expressão anterior.
Essa reformulação explicita a seguinte relação de sentido:
a) enumeração
b) generalização
c) exemplificação
d) particularização

1
1. (UERJ 2015) "Sabia que era aquela a sua amada, por quem esperara desde sempre e que por mui-
tos anos buscara em cada mulher, na mais terrível e dolorosa busca."(ref. 8)
Neste trecho, existe um contraste que busca acentuar o seguinte traço relativo à mulher amada:
a) distância
b) intimidade
c) indiferença
d) singularidade

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

POR QUE LER?


Certas coisas não basta anunciar, como uma verdade que deve ser aceita por si só. Precisamos di-
zer o porquê. Se queremos fazer os brasileiros lerem mais de um livro por ano, essa trágica média
nacional, precisamos de fato conquistar o seu interesse.
Listo os três benefícios fundamentais que a leitura pode trazer.
O primeiro: 1ler nos faz mais felizes. É um caminho para o autoconhecimento, e o exercício cons-
tante de autoconhecimento é um caminho para a felicidade. 2A vida, também no plano individual,
é mais intensa na busca. Os personagens de um livro de ficção, os fatos de um livro-reportagem,
as ideias de um livro científico, interagem com os nossos sentimentos, ora refletindo-os, ora
agredindo-os, e, portanto, servindo de parâmetro para sabermos quem somos, seja por identidade
ou oposição.
O segundo benefício: ler nos torna amantes melhores. Treina nossa sensibilidade para o contato
com o outro. Amores românticos, amores carnais, amores perigosos, amores casuais, amores culpa-
dos, todos estão nos livros. A sensibilidade do leitor encontra seu caminho. E quanto mais o nosso
imaginário estiver arejado pelas infinitas opções que as histórias escritas nos oferecem, sejam
elas factuais ou ficcionais, com mais delícia aproveitamos os bons momentos do amor, e com mais
calma enfrentamos os maus.
Por fim: ler nos torna cidadãos melhores. 3Os livros propiciam ao leitor um ponto de vista privi-
legiado, de onde observa conflitos de interesses. No processo, sua consciência é estimulada a se
posicionar com equilíbrio. 4Tendem a ganhar forma, então, princípios de “honestidade”, “honra”,
“justiça” e “generosidade”. Guiado por estes valores, o leitor pode enfim ultrapassar as fronteiras
sociais, e ver a humanidade presente em todos os tipos, em todas as classes.
Teríamos menos escândalos de corrupção, se lêssemos mais; 5construiríamos uma sociedade menos
injusta, se educássemos melhor os nossos espíritos; eu acredito nisso.
Rodrigo Lacerda. Adaptado de rodrigolacerda.com.br.

16
1
2. (UERJ 2014) O texto do escritor Rodrigo Lacerda sugere que, por meio da literatura, o leitor pode
acompanhar perspectivas diferentes da própria.
O trecho que explicita o contato do leitor com perspectivas distintas é:
a) A vida, também no plano individual, é mais intensa na busca. (ref. 2)
b) Os livros propiciam ao leitor um ponto de vista privilegiado, de onde observa conflitos de interesses. (ref. 3)
c) Tendem a ganhar forma, então, princípios de “honestidade”, “honra”, “justiça” e “generosidade”. (ref. 4)
d) construiríamos uma sociedade menos injusta, se educássemos melhor os nossos espíritos; (ref. 5)

1
3. (UERJ 2014) Os três benefícios fundamentais da leitura apresentados no texto são listados numa
determinada ordem.
Essa ordem mostra uma organização na seguinte direção:
a) racional para emocional
b) abstrato para concreto
c) factual para ficcional
d) individual para social
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

1
4. (UERJ 2012) O quadro produz um estranhamento em relação ao que se poderia esperar de um
pintor que observa um modelo para sua obra. Esse estranhamento contribui para a reflexão prin-
cipalmente sobre o seguinte aspecto da criação artística:
a) perfeição da obra
b) precisão da forma
c) representação do real
d) importância da técnica

1
5. (UERJ 2014) Policarpo Quaresma, cidadão brasileiro, certo de que a língua portuguesa é em-
prestada ao Brasil; certo também de que, por esse fato, o falar e o escrever, em geral, se veem na
humilhante contingência de sofrer continuamente censuras ásperas dos proprietários da língua;
usando do direito que lhe confere a Constituição, vem pedir que o Congresso Nacional decrete o
tupi-guarani como língua oficial e nacional do povo brasileiro. Senhores Congressistas, o tupi-
-guarani, língua aglutinante, é a única capaz de traduzir as nossas belezas, de pôr-nos em relação
com a nossa natureza e adaptar-se perfeitamente aos nossos órgãos vocais e cerebrais, por ser
criação de povos que aqui viveram e ainda vivem.
Lima Barreto. Adaptado de Triste fim de Policarpo Quaresma (1915). Rio de Janeiro: MEDIAfashion, 2008.

A história narrada em Triste fim de Policarpo Quaresma se passa no momento de implantação do


regime republicano no Brasil. Seu personagem principal, o Major Quaresma, defende alguns proje-
tos de reforma, um deles relatado no trecho citado.
A justificativa do personagem para a adoção do tupi-guarani como língua oficial brasileira baseia-
-se na associação entre nacionalidade e a ideia de:
a) valorização da cultura local
b) defesa da diversidade racial
c) preservação da identidade territorial
d) independência da população autóctone

17
Gabarito
1. D 2. A 3. B 4. A 5. A

6. D 7. B 8. D 9. B 10. B

11. D 12. B 13. D 14. C 15. A

18
CH
HISTÓRIA

CIÊNCIAS HUMANAS
e suas tecnologias
UERJ - História Geral
Mundo Contemporâneno, 56%
Mundo moderno, 18%
Atualidades, 25%

UERJ - História do Brasil


Primeiro Reinado, 2%
Crise do Sistema Colonial, 4%
República Liberal (46-64), 13%
República Oligárquica, 13%
Era Vargas, 13%
Sistema Colonial, 13%
República Militar (64-85), 16%
Segundo Reinado, 24%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULA 1

PRESCRIÇÃO: Analise atentamente as imagens e textos apresentados e os relacio-


ne com seus respectivos contextos históricos. Revise a segunda metade do século
XIX e início do século XX.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2014)

A restituição da passagem
As famílias chegadas a Santos com passagens de 3ª classe, tendo pelo menos 3 pessoas de 12 a 45
anos, sendo agricultores e destinando-se à lavoura do estado de São Paulo, como colonos nas fa-
zendas ou estabelecendo-se por conta própria em terras adquiridas ou arrendadas de particulares
ou do governo, fora dos subúrbios da cidade, podem obter a restituição da quantia que tiverem
pago por suas passagens.
Adaptado de O immigrante, nº 1, janeiro de 1908

A publicação da revista O immigrante fazia parte das ações do governo de São Paulo que tinham
como objetivo estimular, no final do século XIX e início do XX, a ida de imigrantes para o estado.
Para isso, ofereciam-se inclusive subsídios, como indica o texto.
Essa diretriz paulista era parte integrante da política nacional da época que visava à garantia da:
a) oferta de mão de obra para a cafeicultura
b) ampliação dos núcleos urbanos no interior
c) continuidade do processo de reforma agrária
d) expansão dos limites territoriais da federação

2. (UERJ 2013)

O romance Iracema, de José de Alencar, publicado em 1865, influenciou artistas, como José Maria
de Medeiros, que nele encontraram inspiração para representar imagens do Brasil e do povo brasi-
leiro no período imperial (1822-1889).

21
Na construção da identidade nacional durante o Império do Brasil, identifica-se a valorização dos
seguintes aspectos:
a) clima ameno / índole guerreira dos ameríndios
b) grandeza territorial / integração racial das etnias
c) extensão litorânea / sincretismo religioso do povo
d) natureza tropical / herança cultural dos grupos nativos

3. (UERJ 2015) A um grito de “Fora o vintém!”, os manifestantes começaram a espancar condutores,


esfaquear mulas, virar bondes e arrancar trilhos ao longo da rua Uruguaiana. Dois pelotões do Exér-
cito ocuparam o Largo de São Francisco, postando-se parte da tropa em frente à Escola Politécnica,
atual prédio do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ. A multidão dispersou-se e, salvo
pequenos distúrbios nos três dias seguintes, estava findo o motim do vintém. A cobrança da taxa
passou a ser quase aleatória. As próprias companhias de bondes pediam ao governo que a revogasse.
Desmoralizado, o ministério caiu a 28 de março. O novo ministério revogou o desastrado tributo.
Adaptado de CARVALHO, José Murilo de. A Guerra do Vintém. Revista de História, setembro/2007.

Ocorrida entre o final de 1879 e o início de 1880, a Revolta do Vintém representou a manifestação
de segmentos populares descontentes com a decisão do governo de aumentar os preços das passa-
gens dos bondes puxados a burro, que trafegavam na então capital do Império.
Um dos principais efeitos dessa revolta naquele momento foi:
a) politização dos oficiais militares
b) privatização dos serviços públicos
c) modernização dos meios de transporte
d) enfraquecimento das instituições monárquicas

4. (UERJ 2016) Sobretudo compreendam os críticos a missão dos poetas, escritores e artistas, neste
período especial e ambíguo da formação de uma nacionalidade. São estes os operários incumbidos
de polir o talhe e as feições da individualidade que se vai esboçando no viver do povo.
O povo que chupa o caju, a manga, o cambucá e a jabuticaba pode falar com igual pronúncia e o
mesmo espírito do povo que sorve o figo, a pera, o damasco e a nêspera?
José de Alencar, prefácio a Sonhos d’ouro, 1872.
Adaptado de ebooksbrasil.org.

De acordo com José de Alencar, a caracterização da identidade nacional brasileira, no século XIX,
estava vinculada ao processo de:
a) promoção da cultura letrada
b) integração do mundo lusófono
c) valorização da miscigenação étnica
d) particularização da língua portuguesa

5. (UERJ 2015)

A pintura histórica alcançou no século XIX importante lugar no projeto político do Segundo Rei-
nado. Esse gênero artístico mantinha intenso diálogo com a produção do Instituto Histórico e Ge-
ográfico Brasileiro. Por meio da pintura histórica, forjou-se um passado épico e monumental, em

22
que toda a população pudesse se sentir representada nos eventos gloriosos da história nacional.
O trabalho de Araújo Porto-Alegre como crítico de arte e diretor da Academia Imperial de Belas
Artes possibilitou a visibilidade da pintura histórica com seus pintores oficiais, Pedro Américo e
Victor Meirelles.
CASTRO, Isis Pimentel de. Adaptado de periodicos.ufsc.br.

Considerando as imagens das telas e as informações do texto, as pinturas históricas para o governo
do Segundo Reinado tinham a função essencial de:
a) consolidar o poder militar
b) difundir o pensamento liberal
c) garantir a pluralidade política
d) fortalecer a identidade nacional

6. (UERJ 2017)

Os monumentos históricos promovem o destaque de acontecimentos, personagens, feitos e valores


a serem reverenciados por uma sociedade. Exemplos desses monumentos são as estátuas de João
Cândido, líder da Revolta da Chibata no início do século XX, e do Barão de Mauá, empresário e
empreendedor no século XIX.
As estátuas desses personagens indicam, respectivamente, o enaltecimento das seguintes ideias:
a) revisão das hierarquias militares – progresso financeiro
b) defesa dos direitos trabalhistas – dinamização comercial
c) redimensionamento do preconceito racial – integração nacional
d) diversidade das contribuições étnicas – modernização econômica

Raio X
1.
A cafeicultura era o carro-chefe da economia do Segundo Reinado brasileiro e, por isso, tinha total
atenção do governo. Devido à pressão inglesa pelo fim da escravidão e à consequente assinatura da
Lei Eusébio de Queiroz, o governo brasileiro passou a incentivar a vinda de imigrantes europeus
para suprir a falta dos escravos nas nossas lavouras.
2.
A ideia de “identidade cultural” formou-se durante o Império, com a preocupação de valorizar os
elementos típicos do Brasil, buscando certo distanciamento dos valores tradicionais portugueses.
Nesse sentido o elemento indígena e a natureza são ressaltados e valorizados. Vale lembrar que o
destaque dado ao índio não significa que ele foi valorizado e a cultura europeia desprezada, ape-
nas que alguns aspectos da cultura indígena, como a bondade e simplicidade são mais valorizados.

23
A Revolta do Vintém enquadra-se no quadro de crise do Segundo Reinado, deflagrada, principal-
3.
mente, após a Guerra do Paraguai. Esse quadro de crise incluía o fortalecimento do Exército e a
ampliação dos movimentos Republicano e abolicionista. Nesse contexto, a opinião pública e a
população em geral passaram a defender mudanças de cunho político, econômico e social do país.
Quando o governo da capital decidiu cobrar um imposto sobre o preço da passagem de bonde, a
população, já insatisfeita com os rumos do país, revoltou-se, o que serviu para abalar ainda mais
o já conturbado ambiente da Monarquia brasileira em fins da década de 1870.
4.
O texto do escritor José de Alencar está vinculado ao Segundo Reinado, 1840-1889. José de Alen-
car, 1829-1877, é considerado um precursor do Romantismo no Brasil. Em suas obras procurou va-
lorizar a língua falada no Brasil no cotidiano das pessoas, as particularidades da língua portugue-
sa. Daí o autor afirma que “o povo que chupa o caju, a manga, o cambucá e a jabuticaba pode falar
com igual pronúncia e o mesmo espírito do povo que sorve o figo, a pera, o damasco e a nêspera?”.
Como o texto deixa claro, “por meio da pintura histórica, forjou-se um passado épico e monumen-
5.
tal, em que toda a população pudesse se sentir representada”. Logo, as pinturas eram usadas para
fortalecer a identidade nacional.
6.
O presente e suas demandas estão sempre revisitando o passado, a memória, para enaltecer alguns
personagens, valores ou feitos históricos. O passado é interpretado à luz do presente. As referidas
estátuas buscam enaltecer valores importantes para a contemporaneidade. A estátua inaugurada
em 2008 de João Cândido, líder negro da revolta da Chibata em 1910, pode ser lembrada no senti-
do de mostrar a diversidade étnica no processo histórico brasileiro. Da mesma forma, Irineu Evan-
gelista de Souza, conhecido como Barão de Mauá, foi um grande empresário durante o Segundo
Reinado, 1840-1889, que investiu em diversas regiões do Brasil e, em 1910, ganhou uma estátua
como referência a modernização econômica.

Gabarito
1. A 2. D 3. D 4. D 5. D

6. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2016)

O cartão-postal é o melhor veículo de propaganda e reclame de que podem dispor os homens, as


empresas, a indústria, o comércio e as nações.
Olavo Bilac
A cartophilia, 15/06/1904.

A frase de Olavo Bilac assinala a ampliação da produção de cartões-postais no início do século XX,
que animou colecionadores e o trabalho de editores, fotógrafos e gravuristas.
As imagens dos cartões do Rio de Janeiro, capital brasileira naquele momento, associaram-se à
propaganda das ações governamentais indicadas em
a) modernização e progresso material de espaços públicos
b) planejamento e racionalização do crescimento urbano
c) valorização e preservação dos monumentos arquitetônicos
d) remodelamento e expansão das vias de transportes coletivos

24
2. (UERJ 2015) O professor Alcino Salazar, secretário de justiça da Guanabara, declarou a O Globo
que a extensão do voto ao analfabeto é perigosa concessão aos inimigos do regime democrático,
fundado na verdade e na pureza do princípio da representação.
Adaptado de O Globo, 21/02/1964.

Em sua mensagem ao Congresso Nacional em 15 de março de 1964, o presidente João Goulart


escreveu: “Outra discriminação inaceitável atinge milhões de cidadãos que, embora investidos de
todas as responsabilidades (...) e integrados à força de trabalho, com seu contingente mais nume-
roso, são impedidos de votar por serem analfabetos”.
ALEIXO, J. C. B; KRAMER, Paulo. Os analfabetos e o voto: da conquista da alistabilidade
ao desafio da elegibilidade. Senatus, Brasília, outubro/2000.

As declarações do professor Alcino Salazar e do presidente João Goulart foram feitas em um mo-
mento de polarização na sociedade brasileira, que culminou na instauração do regime autoritário
em 31 de março de 1964.
Ambas as declarações expressavam, naquele momento, visões antagônicas relacionadas à seguinte
dimensão da cidadania:
a) direitos políticos
b) reparações étnicas
c) benefícios sociais
d) oportunidades econômicas

3. (UERJ 2016) Dirijo-me a todos os brasileiros, não apenas aos que conseguiram adquirir instrução
nas escolas, mas também aos milhões de irmãos nossos que dão ao Brasil mais do que recebem,
que pagam em sofrimento, em miséria, em privações, o direito de ser brasileiro e de trabalhar sol
a sol para a grandeza deste país. Aqui estão os meus amigos trabalhadores, na presença das mais
significativas organizações operárias e lideranças populares deste país. Àqueles que reclamam do
Presidente da República uma palavra tranquilizadora para a Nação, o que posso dizer-lhes é que só
conquistaremos a paz social pela justiça social. A maioria dos brasileiros já não se conforma com
uma ordem social imperfeita, injusta e desumana.
João Goulart, em comício no Rio de Janeiro, 13/03/1964.
Adaptado de jornalggn.com.br.

No evento conhecido como Comício da Central do Brasil, o Presidente João Goulart proferiu dis-
curso em que reafirmava algumas das propostas de seu governo, atendendo a demandas de orga-
nizações sindicais.
A proposta desse governo mais diretamente associada à promoção da justiça social foi:
a) realização da reforma agrária
b) gratuidade do ensino público
c) concessão do voto aos analfabetos
d) introdução dos direitos trabalhistas

4. (UERJ 2017)

A capital da República não pode continuar a ser apontada como sede de vida difícil, quando tem
fartos elementos para constituir o mais notável centro de atração de braços, de atividade e de
capitais nesta parte do mundo.
RODRIGUES ALVES, presidente da República, 1902-1906.
Adaptado de FIDÉLIS, C.; FALLEIROS, I. (Org.).
Na corda bamba de sombrinha: a saúde no fio da história.
Rio de Janeiro: Fiocruz/COC; Fiocruz/EPSJV, 2010.

25
No início do século XX, enquanto a charge ironizava um dos graves problemas que afetava a popu-
lação da cidade do Rio de Janeiro, o pronunciamento do então presidente Rodrigues Alves enfa-
tizava a preocupação com o que poderia comprometer o desenvolvimento da capital da República.
Naquele contexto, uma ação governamental para promover tal desenvolvimento e um resultado
obtido, foram, respectivamente:
a) reforma urbana – qualificação da mão de obra
b) combate à insalubridade – incremento da imigração
c) ampliação da rede hospitalar – controle da natalidade
d) expansão do saneamento básico – erradicação da pobreza

5. (UERJ 2016) O passado sempre fez parte do cotidiano de diversas sociedades contemporâneas.
Esse não foi o caso do Brasil. O peso material e simbólico das formas urbanas herdadas de tempos
anteriores foi aí muito menos paralisante do que na Europa. O projeto modernizador do século
XIX fundamentou-se na esperança de um futuro melhor e na rejeição do passado, na abolição dos
seus vestígios, na sua superação. Essa fé no “país do futuro” tornou-se uma ideologia avassaladora
a partir da República, e isto explica por que foram tão bem-sucedidas, no século XX, as reformas
urbanísticas radicais que tanto transformaram a face de diversas cidades brasileiras.
Adaptado de ABREU, M. Sobre a memória da cidade. In: Fridman, F.; Haesbaert, R. (orgs.).
Escritos sobre espaço e história. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

Uma intervenção específica do poder público no espaço da cidade do Rio de Janeiro, que ilustra de
modo exemplar a perspectiva descrita no texto, foi responsável pela:
a) ocupação da Barra da Tijuca
b) construção da Avenida Brasil
c) derrubada do Morro do Castelo
d) urbanização do Aterro do Flamengo

6. (UERJ 2015)

Nascida em Capivari, no interior do estado de São Paulo, Tarsila do Amaral (1886-1973) cumpriu
um papel fundamental na arte brasileira. A boa posição financeira herdada da família permitiu a
ela viajar para a Europa várias vezes para estudar. A influência marcou sua produção. Operários foi
pintada em 1933 e exibe a força do estilo de Tarsila ao retratar a população paulistana e, ao fundo,
chaminés e fábricas em formas geométricas.
Adaptado de vejasp.abril.com.br, 21/01/2011.

A década de 1930, quando a tela Operários foi pintada, caracterizou-se pela deflagração do proces-
so de industrialização na sociedade brasileira.
Nessa tela, por meio da representação proposta pela artista, pode-se observar o seguinte aspecto
do operariado nacional na época:
a) defasagem salarial
b) diversidade cultural
c) associativismo sindical
d) disparidade educacional

26
7. (UERJ 2015) A vontade de mudar o nome do antigo Colégio Estadual Presidente Emílio Garrastazu
Médici, em Salvador, não aconteceu por conta da efeméride dos 50 anos do golpe militar. Segundo
a diretora Aldair Almeida Dantas, essa era uma insatisfação antiga da comunidade. “A novidade
foi a convergência de intenções e a coincidência com esse período de resgate histórico”, disse a
diretora do, agora, Colégio Estadual do Stiep Carlos Marighella. Um colegiado escolar, formado
pelos funcionários, professores, pais de alunos e pela comunidade, entendeu que o lançamento
de muitos candidatos ao novo nome criaria confusão. Por isso surgiu a ideia de encontrar apenas
dois que fossem baianos e representassem o combate ao regime militar. Os nomes do guerrilheiro
Carlos Marighella e do geógrafo Milton Santos foram os escolhidos. “Ambos são da Bahia. Cada um
tentou lutar contra a imposição do regime”, analisa Aldair.
Adaptado de educacao.uol.com.br, 15/04/2014.

A escolha de nomes de logradouros e de edificações pode representar uma homenagem em de-


terminada época, assim como a mudança desses nomes pode indicar transformações históricas,
simbolizando novas demandas da sociedade.
A situação apresentada na reportagem exemplifica, para a sociedade brasileira atual, um contexto
político associado a:
a) crítica da opinião pública às heranças autoritárias
b) revalorização da memória dos governos ditatoriais
c) reforço da gestão democrática de empresas estatais
d) renovação de critérios de escolha de heróis nacionais

8. (UERJ 2012)

27
O cangaço representou uma manifestação popular favorecida, basicamente, pela seguinte caracte-
rística da conjuntura social e política da época:
a) cidadania restringida pelo voto censitário
b) analfabetismo predominante nas áreas rurais
c) criminalidade oriunda das taxas de desemprego
d) hierarquização derivada da concentração fundiária

9. (UERJ) Veja você, meu amigo, te resta apenas um meio para não ser explorado, nem oprimido:
demonstrar coragem. Se os trabalhadores que são tão numerosos se opuserem com todas as suas
forças aos patrões e a quaisquer formas de governo, estaremos bem próximos dos homens verda-
deiramente livres.
Fala da peça Uma comédia social, representada por operários de São Paulo nos anos de 1910.
Adaptado de Nosso Século (1910-1930). São Paulo: Abril Cultural, 1981.

Durante a Primeira República (1889-1930), em cidades como o Rio de Janeiro e São Paulo, o mo-
vimento operário tornou-se um dos principais críticos às exclusões da sociedade brasileira. Con-
siderando as propostas defendidas na fala citada do personagem, uma das ideologias que se fez
presente no movimento operário brasileiro, naquele momento, foi:
a) socialismo
b) anarquismo
c) liberalismo
d) cooperativismo

1
0. (UERJ) O personagem Jeca Tatu, criado por Monteiro Lobato, tornou-se mais conhecido na década
de 1930, por meio de anúncios publicitários, como o ilustrado abaixo:

Esse anúncio retratava aspectos da sociedade brasileira da época, expressando críticas principal-
mente às condições de:
a) acesso à escolarização
b) assistência médico-hospitalar
c) salubridade nas áreas rurais
d) integração econômica regional

Gabarito
1. A 2. A 3. A 4. B 5. C

6. B 7. A 8. D 9. B 10. C

28
AULA 2

PRESCRIÇÃO: Atente-se aos textos e às imagens. Interpretação de texto e sen-


sibilidade artística são necessárias para responder às questões sobre a República
Oligárquica, Era Vargas e República Liberal.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ) É certo que a capa de um livro é a marca de um produto que quer atrair o leitor. A associa-
ção seria mais certeira se esse leitor a relacionasse ao contexto histórico dos anos 1920, em que se
traçava o projeto modernista empenhado na construção de uma consciência do país, num processo
de conhecimento da realidade brasileira. Os modernistas queriam mesmo “descobrir o Brasil”.
RENATO CORDEIRO GOMES. Adaptado de www.revistadehistoria.com.br.

Por meio de manifestos, livros e exposições, os modernistas refletiram sobre a sociedade brasilei-
ra, avaliando suas principais características e propondo a revisão da identidade nacional.
Essa revisão está baseada na proposta de:
a) crítica da valorização romântica da natureza tropical
b) desqualificação das heranças coloniais luso-africanas
c) negação da cooperação cultural de artistas estrangeiros
d) reformulação da composição multiétnica da população nativa

2. (UERJ) A CARTEIRA PROFISSIONAL

Por menos que pareça e por mais trabalho que dê ao interessado, a carteira profissional é um do-
cumento indispensável à proteção do trabalhador.
Elemento de qualificação civil e de habilitação profissional, a carteira representa também título
originário para a colocação, para a inscrição sindical e, ainda, um instrumento prático do contrato
individual de trabalho.
A carteira, pelos lançamentos que recebe, configura a história de uma vida. Quem a examina logo
verá se o portador é um temperamento aquietado ou versátil; se ama a profissão escolhida ou ainda
não encontrou a própria vocação; se andou de fábrica em fábrica, como uma abelha, ou permane-
ceu no mesmo estabelecimento, subindo a escala profissional. Pode ser um padrão de honra. Pode
ser uma advertência.
ALEXANDRE MARCONDES FILHO
Texto impresso nas Carteiras de Trabalho e Previdência Social.

Alexandre Marcondes Filho foi ministro do trabalho do governo de Getúlio Vargas, entre 1941 e
1945. Seu texto, impresso nas carteiras de trabalho, reflete as políticas públicas referentes à legis-
lação social que vinha sendo implementada naquela época.

29
Duas características dessa legislação estão indicadas em:
a) garantia da estabilidade de emprego / liberdade de associação
b) previsão de assistência médica / intensificação do controle sindical
c) proibição do trabalho infantil / regulamentação do direito de greve
d) concessão de férias remuneradas / qualificação do trabalhador rural

3. (UERJ)

Nas décadas de 1930 e 1940, período de expansão do crescimento industrial, o cotidiano dos brasi-
leiros residentes em grandes centros urbanos foi afetado por mudanças nos meios de comunicação,
como ilustram as fotografias.
A multiplicação de meios de comunicação contribuiu principalmente para a crescente uniformi-
zação de:
a) práticas religiosas
b) demandas políticas
c) hábitos de consumo
d) padrões tecnológicos

4. (UERJ 2016)

A charge, de 1975, ironiza um momento de alterações nas disputas partidárias durante os gover-
nos militares de 1964 a 1985.

30
A organização partidária implantada por esses governos e a mudança nas disputas partidárias
contextualizada na charge estão identificadas, respectivamente, em:
a) apartidarismo – controle da propaganda televisiva
b) bipartidarismo – crescimento dos grupos de oposição
c) unipartidarismo – diminuição da participação eleitoral
d) pluripartidarismo – censura dos meios de comunicação

5. (UERJ 2017) Antecipando-nos à derrocada das forças subversivas, acionadas por dispositivos go-
vernamentais, que visavam à destruição do primado da democracia e à implantação de um regime
totalitário, tivemos a lucidez e o patriotismo de alertar os poderes constituídos da República para
a defesa da ordem jurídica e da Constituição, tão seriamente ameaçadas. Podemos hoje, erradicado
o mal das conjuras comuno-sindicalistas, proclamar que a sobrevivência da Nação Brasileira se
processou sob a égide intocável do Estado de Direito.
Adaptado de Ata da Reunião Ordinária do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, 07/04/1964.

O apoio da Ordem dos Advogados do Brasil à deposição do presidente João Goulart (1961-1964),
como indicado no texto, insere-se no contexto de intensas polarizações de opiniões entre partidos
e associações.
Essas polarizações expressavam posicionamentos distintos acerca da seguinte proposta do governo
João Goulart:
a) implementação das reformas de base
b) política de desvalorização monetária
c) cerceamento da liberdade de imprensa
d) controle orçamentário dos poderes estaduais

6. (UERJ) Entre a posse do presidente João Goulart, em 1961, e a abertura política, iniciada em
1979-1980, a economia brasileira enfrentou conjunturas de crise e de prosperidade, perceptíveis
nas variações dos índices econômicos apresentados na tabela a seguir.

As particularidades do período conhecido como “Milagre Econômico” foram caracterizadas por:


a) redução das taxas de inflação e crescimento do PIB
b) incremento da dívida externa e retração das importações
c) estagnação das exportações e manutenção das taxas de inflação
d) estabilização da balança comercial e diminuição da dívida externa

Raio X
1.
Apesar de valorizarem os elementos nacionais em detrimento dos modelos e cópias do estrangeiro,
os modernistas se utilizaram de elevado senso crítico, marcado pelo realismo e, dessa forma, re-
jeitaram a visão romântica sobre o índio e a natureza, idolatrados de forma superficial, sem a real
compreensão de seu significado.
2.
Durante o Estado Novo, a política varguista preservou as características populistas, marcadas pelo
assistencialismo e pelo controle sobre os sindicatos. Esse modelo de relação entre o Estado e os
trabalhadores foi denominado populismo. A Carteira de Trabalho foi instituída em 1932 apenas
para os trabalhadores urbanos e reforçou a ideia de que o governo protegia os trabalhadores e lhes
dava garantias mínimas.
3.
A expansão dos meios de comunicação foi fundamental para a criação de modelos e padronização
de comportamentos nas cidades, destacando-se São Paulo e Rio de Janeiro – até então capital do
país. Ainda não é possível falar de uma cultura de massa, nem de sociedade de consumo, mas po-
dem ser identificadas suas raízes.

31
4.
A questão remete ao bipartidarismo implantado no Brasil em 1965 no contexto da Ditadura Militar.
Havia a ARENA, Aliança Renovadora Nacional, partido que apoiava o governo e o MDB, Movimento
Democrático Brasileiro, que era a oposição consentida ou de “mentirinha”. A partir de 1974, a
economia brasileira começou a se esgotar, era crise do conhecido “Milagre Brasileiro”. Desta forma,
o MDB passou a fazer oposição de verdade contra os militares. Nas eleições legislativas de 1974, o
MDB venceu a ARENA nas grandes cidades.
5.
A questão aponta para uma característica da nossa história, uma forte polarização ideológica em
determinados contextos como ocorreu em 1964 quando Jango anunciou sua proposta denominada
de “Reformas de Base” que defendia uma ampla reforma no país no campo da educação, reforma
agrária, urbana, tributária, etc. Nesta conjuntura histórica, a Guerra Fria estava tensa devido a
Guerra do Vietnã, Revolução Cubana e o assassinato de Kennedy, presidente dos EUA.
6.
“Milagre econômico” foi uma expressão criada para designar o período entre 1969 e 1973, apogeu
da ditadura militar, durante o governo Médici, que criou uma ideia de prosperidade econômica
devido à redução da inflação, elevação dos níveis de emprego, aumento do consumo por meio de
crédito a longo prazo e juros baixos. Foi a época de grande ingresso de empresas e capitais estran-
geiros, com acentuado aumento da dívida externa.

Gabarito
1. A 2. B 3. C 4. B 5. A

6. A

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ)

A expansão do consumo de eletrodomésticos, como o televisor, foi uma das características do pro-
cesso de modernização da sociedade brasileira nas décadas de 1960 e 1970. Havia, no entanto,
contradições relacionadas ao exercício dos direitos políticos.
Uma dessas contradições estava associada ao seguinte aspecto:
a) restrição do voto feminino
b) supressão do poder legislativo
c) proibição das associações sindicais
d) cerceamento da representação partidária

32
2. (UERJ 2014) Em junho de 2013, várias manifestações mobilizaram a população das capitais bra-
sileiras. A fotografia mostra a ocupação da área externa do Congresso Nacional por manifestantes:

É inevitável a comparação com as grandes manifestações ocorridas anteriormente, como a Passe-


ata dos Cem Mil, no Rio de Janeiro, em 1968. Se, nesta, a extensão e o tipo de repressão policial
aumentaram o custo da participação e restringiram o escopo da manifestação a um grupo mais
restrito e específico de manifestantes, na de agora, 45 anos depois, o uso de meios não letais de
repressão baixou o risco de danos e aumentou, por consequência, a presença de uma gama mais
ampla de setores da sociedade. Uma coisa é bala de chumbo e o grito de “abaixo a ditadura”; outra
é bala de borracha e o aviso de que o “pote de mágoa vazou”.
Marly Motta. Adaptado de noticias.uol.com.br.

Uma diferença entre as manifestações populares na sociedade brasileira datadas do ano de 1968 e
as ocorridas em junho de 2013 está associada hoje à vigência de:
a) restrição ao voto
b) estado de direito
c) soberania do legislativo
d) supremacia do executivo

3. (UERJ) A assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, reuniu uma multidão em frente ao
Paço Imperial, no Rio de Janeiro.

33
Essa ideia de que as pessoas saíram correndo e comemorando, isso é lenda. Depois do 13 de maio,
meu bisavô e a maioria dos escravos continuaram vivendo onde trabalhavam. Registros históricos
mostram que alguns receberam um pedaço de terra para plantar. Mas poucos passaram a ganhar
ordenado, e houve quem recebesse uma porcentagem do café que plantava e colhia − conta o his-
toriador Robson Luís Machado Martins, que pesquisa a história de sua família, e a do Brasil, desde
a década de 1990.
Adaptado de O Globo, 12/05/2013.

A fotografia e a reportagem registram aspectos particulares sobre os significados da abolição, os


quais podem ser associados aos seguintes fatores do contexto da época:
a) crise monárquica − exclusão social
b) estagnação política − ruptura econômica
c) expansão republicana − reforma fundiária
d) transição democrática − discriminação profissional

4. (UERJ 2014)

Os governos de Getúlio Vargas e de Juscelino Kubitschek foram momentos marcantes da história


econômica brasileira, especialmente no que se refere ao desenvolvimento industrial do país.
Uma semelhança entre o processo de industrialização brasileiro verificado no governo de Vargas e
no de JK está apontada em:
a) expansão do mercado interno
b) flexibilização do monetarismo
c) regulação da política ambiental
d) autonomia do progresso tecnológico

5. (UERJ) A despeito da diversidade e das distâncias regionais, um fenômeno é sempre mencionado


quando se trata do Brasil: uma única língua oficial, o português, é reconhecida em todo país. Mas
não é a única falada. Estima-se que, antes da colonização pelos europeus, falavam-se cerca de
1.200 línguas indígenas no país. Hoje, restam 181 línguas faladas por povos indígenas.
ARYON DALL’IGNA RODRIGUES
Adaptado de BOMENY, Helena e outros. Tempos modernos, tempos de sociologia. São Paulo: Ed. do Brasil, 2010.

A realidade sociolinguística no Brasil atual resultou de um conjunto variado de experiências histó-


ricas. No contexto das heranças da colonização portuguesa, a situação atual das línguas indígenas,
apresentada no texto, decorre diretamente do seguinte fator:
a) extensão territorial
b) miscigenação racial
c) assimilação cultural
d) dispersão populacional

6. (UERJ) O alemão Franz Boaz foi o primeiro a ressaltar a importância do estudo das diversas cul-
turas em seu próprio contexto, a partir das suas peculiaridades. Boaz ressaltava não haver cultura
superior ou inferior. Para ele, deveriam ser considerados os fatores históricos, naturais e linguís-
ticos que influenciavam o desenvolvimento de cada cultura em particular.
Adaptado de LUCCI, Elian A. e outros. Território e sociedade no mundo globalizado:
geografia geral e do brasil. São Paulo: Saraiva, 2010.

34
A abordagem apresentada no texto foi desenvolvida a partir do início do século XX e originou
uma nova perspectiva das ciências sociais em relação ao estudo das culturas. Essa perspectiva é
denominada:
a) relativismo
b) materialismo
c) evolucionismo
d) etnocentrismo

7. (UERJ)

No governo Vargas, foi criado o Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia
− S.E.M.T.A., uma medida direcionada para a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial
(1939-1945).
Com base no cartaz, as ações programadas por esse serviço tiveram como principal objetivo:
a) ocupação militar relacionada à redefinição das fronteiras nacionais
b) proteção dos trabalhadores rurais em resposta à depressão econômica
c) estímulo à migração para exploração de recursos naturais estratégicos
d) demarcação de reservas florestais associada à política de defesa ambiental

8. (UERJ) Cheio de apreensões e receios despontou o dia de ontem, 14 de novembro de 1904. Muito
cedo tiveram início os tumultos e depredações. Foi grande o tiroteio que se travou. Estavam forma-
das em toda a rua do Regente, estreita e cheia de casas velhas, grandes e fortes barricadas feitas
de montões de pedras, sacos de areia, bondes virados, postes e pedaços de madeira arrancados às
casas e às obras da avenida Passos.
Jornal do Comércio, 15/11/1904
Adaptado de Nosso Século (1900-1910). São Paulo: Abril Cultural, 1980.

O progresso envaidecera a cidade vestida de novo, principalmente inundada de claridade, com


jornais nervosos que a convenciam de ser a mais bela do mundo. Era a transição da cidade
doente para a maravilhosa.
PEDRO CALMON (historiador / 1902-1985)
Adaptado de Nosso Século (1900-1910). São Paulo: Abril Cultural, 1980.

Os textos referem-se aos efeitos da gestão do prefeito Pereira Passos (1902-1906), momento em
que a cidade do Rio de Janeiro passou por uma de suas mais importantes reformas urbanas. Uma
intervenção de destaque foi a abertura da avenida Central, hoje avenida Rio Branco, provocando
não só elogios, como também conflitos sociais. A principal motivação para esses conflitos esteve
relacionada à:
a) restrição ao comércio popular
b) devastação de áreas florestais
c) demolição de moradias coletivas
d) elevação das tarifas de transporte

35
9. (UERJ) O presidente Roosevelt, que governou os E.U.A. entre 1933 e 1945, solicitou a inclusão de Walt
Disney na lista de visitas de celebridades hollywoodianas aos países sul-americanos. Após a visita,
Disney retornou aos Estados Unidos e produziu os desenhos animados “Alô, amigos” (1942) e “Os
três cavaleiros” (1945), mais conhecido no Brasil como “Você já foi à Bahia?”. Essas criações de
Disney pretendiam resumir, no plano simbólico, os laços de afeto e de cooperação que uniam os
E.U.A. ao Brasil.

As artes são frequentemente utilizadas como instrumento de propaganda política e ideológica. Os


desenhos da Disney, por exemplo, foram peça importante para a estratégia geopolítica dos E.U.A.
para a América Latina, como se observa no texto acima.
Essa estratégia geopolítica norte-americana foi concretizada na década de 1940 por meio de um
conjunto de ações que fiou conhecido como:
a) Aliança para o Progresso
b) Política da Boa Vizinhança
c) América para os Americanos
d) Doutrina do Destino Manifesto

1
0. (UERJ)

Um slogan busca divulgar uma ideia importante de forma simples e direta, além de traduzir valo-
res e intenções, sobretudo se utilizado para fins de propaganda política.
As propostas do governo Médici e do governo Lula relacionadas aos slogans acima estão identifica-
das, respectivamente, na seguinte alternativa:
a) defesa da segurança nacional − integração sociocultural
b) distribuição equilibrada de renda − socialização da riqueza
c) diminuição das desigualdades jurídicas − democracia racial
d) qualificação da mão de obra fabril − desenvolvimentismo econômico

Gabarito
1. D 2. B 3. A 4. A 5. C

6. A 7. C 8. C 9. B 10. A

36
AULA 3

PRESCRIÇÃO: Para responder às questões abaixo, concentre-se em um dos perí-


odos mais conturbados da política mundial (1870-1945). Questões como imperia-
lismo, neocolonialismo e industrialização são as mais importantes.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ)

Na década de 1930, foi publicada a primeira edição da história em quadrinhos em que o persona-
gem Tintim, um jovem repórter belga, faz uma expedição ao Congo, colônia do seu país na época.
Com base nas imagens e nos diálogos apresentados, nota-se que Tintim simbolizava as práticas de
colonização europeia na África, associadas à política de:
a) integração étnica
b) ação civilizadora
c) cooperação militar
d) proteção ambiental

2. (UERJ 2015) O patriotismo é o amor pelos seus; o nacionalismo é o ódio pelos outros.
GARY, Romain (1914-1980). Citado por Henri Deleersnijder. O Globo, 28/07/2014

A frase do escritor francês Romain Gary ajuda a compreender como reivindicações de autonomia
de povos e sociedades variadas acabam por ocasionar disputas territoriais e políticas.
Um exemplo dessa situação é a eclosão da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), para a qual con-
tribuiu o seguinte fator:
a) difusão do domínio soviético
b) expansão do ideal pangermânico
c) agravamento das crises balcânicas
d) crescimento das ações antissemitas

37
3. (UERJ 2017) Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a ação do Partido Nazista na Ale-
manha ampliou a propaganda contra os que foram considerados os inimigos internos da nação
germânica. O cartaz abaixo é um exemplo dessa política.

Um aspecto da ideologia nazista observado nesse cartaz é:


a) antissemitismo
b) anticapitalismo
c) anticomunismo
d) antiamericanismo

4. (UERJ 2016)

Em 2007, na Espanha, aprovou-se uma lei que possibilitou indenizar vítimas da Guerra Civil
(1936-1939) e do governo de Francisco Franco (1939-1975). A ação retratada na fotografia tam-
bém é decorrente dessa lei.
No contexto das denúncias e apurações acerca dos crimes cometidos pelo governo franquista, a
retirada da estátua equestre está associada à seguinte proposta:
a) rejeição da história política
b) reforço da identidade nacional
c) redistribuição do patrimônio cultural
d) redimensionamento da memória social

38
5. (UERJ 2017) “Já passaram 71 anos desde aquele dia. Era uma manhã luminosa e sem nuvens. A
morte caiu do céu e o mundo mudou”, declarou Obama, ao começar seu discurso durante sua visita
à cidade japonesa arrasada por uma bomba atômica em 6 de agosto de 1945. O presidente ameri-
cano, que se tornou o primeiro no exercício do cargo a visitar Hiroshima, afirmou que a memória
das vítimas da bomba “nunca deve desaparecer”, já que representa uma “esperança para o futuro”
e “alimenta uma mudança”.
Adaptado de g1.globo.com, maio/2016.

Em 2016, a visita do presidente norte-americano Barack Obama à cidade de Hiroshima indica uma
perspectiva de mudança nas políticas armamentistas mundiais na atualidade.
Comparada às circunstâncias internacionais de 1945, tal mudança está associada à seguinte ini-
ciativa diplomática:
a) redistribuição de equipamentos bélicos
b) equanimidade de cooperação tecnológica
c) restrição da produção de artefatos nucleares
d) falência da implantação de sistemas defensivos

6. (UERJ 2015)

Meu romance, 1984, foi concebido como uma mostra das perversões que regimes políticos já reali-
zaram parcialmente ou podem realizar.
George Orwell. Adaptado de pt.wikipedia.org.

O romance 1984, de George Orwell, publicado em 1948, apresenta um mundo de impérios em con-
flito e uma sociedade em que todos são observados pelo poder central − o Big Brother.
No contexto internacional da época dessa publicação, o escritor britânico direcionou uma crítica
ao seguinte sistema:
a) socialismo
b) capitalismo
c) anarquismo
d) totalitarismo

39
Raio X
1.
Desde o século XIX, quando se iniciou o processo denominado “neocolonialismo”, predominou na
cultura europeia a ideia de “missão civilizatória”, baseada em uma interpretação da teoria darwi-
nista de superioridade do homem branco e na ideia de que, sem ajuda, os povos africanos, ainda
selvagens, não conseguiriam se desenvolver.
2.
As questões envolvendo a região dos Bálcãs (território próximo à Grécia), que se desenrolavam
desde a desintegração do Império Turco Otomano, envolvendo conflitos nacionalistas entre sér-
vios, croatas e bósnios, foram fatores fundamentais para o início do conflito, uma vez que a guerra
começa por conta do assassinato do príncipe do Império Austro-Húngaro por um grupo terrorista
sérvio.
3.
A questão remete a Segunda Guerra Mundial, 1939-1945, quando a Alemanha nazista liderada
por Hitler divulgava propagandas antissemitas, contra judeus. Os meios de comunicação de massa
divulgavam a ideologia totalitária segundo Hannah Arendt. Desta forma, filmes, cartazes e men-
sagens eram veiculados contra comunistas, judeus, negros, homoafetivos, ciganos, entre outros e
reforçavam a ideia do Arianismo.
4.
As denúncias e apurações dos crimes do governo franquista, as indenizações às vítimas da ditadu-
ra e a retirada das estátuas de Franco demonstram uma clara tentativa de mudança na memória
social espanhola, apagando todas as recordações da Ditadura Franquista.
5.
Somente a proposição [C] está correta. A questão menciona a viagem histórica do presidente
dos EUA Barack Obama à cidade de Hiroshima no Japão e seu discurso enfatiza a necessidade de
mudança da política armamentista mundial em relação a 1945 quando foram lançadas as bombas
atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki. Sua proposta é a redução de armas nucleares.
A caracterização do Big Brother, aquele que tudo vê, tudo ouve e tudo controla, encaixa-se na defi-
6.
nição de um governo totalitário que, em sua essência, controla a vida dos cidadãos em prol do bem
do Estado maior.

Gabarito
1. B 2. C 3. A 4. D 5. C

6. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2015) Os mapas constituem uma representação da realidade. Observe, na imagem abaixo,
dois mapas presentes na reportagem intitulada Um estudo sobre impérios, publicada em 1940.

40
O uso da cartografia nessa reportagem evidencia uma interpretação acerca da Segunda Guerra
Mundial.
Naquele contexto é possível reconhecer que essa representação cartográfica tinha como finalidade:
a) criticar o nacionalismo alemão
b) justificar o expansionismo alemão
c) enfraquecer o colonialismo britânico
d) destacar o multiculturalismo britânico

2. (UERJ) Guerra das Malvinas ainda divide Argentina e Inglaterra após 30 anos

No dia 2 de abril de 2012, o início da guerra pelo controle das Ilhas Malvinas completou 30 anos.
O conflito, que durou dois meses e meio, marcou uma geração de argentinos e britânicos. Para os
britânicos, elas são Falkland Islands; para os argentinos, Ilhas Malvinas. No mapa, a distância para
o continente sul-americano é pequena. Mas, na prática, a viagem é longa. É um voo por semana,
que parte do Chile. Assim, quem sai da Argentina tem que seguir primeiro para Santiago. Quase
oito horas depois, chega-se ao destino. A catedral é anglicana. O pastor prega em inglês, a língua
oficial, apesar de o espanhol constar do currículo escolar. Os jovens entre 16 e 17 anos podem ir
para a Inglaterra cursar uma faculdade. Tudo por conta do governo britânico. São 3 mil habitantes,
62 nacionalidades, mas só 29 argentinos.
Adaptado de http://g1.globo.com.

Ocupadas pelos britânicos a partir da década de 1830, ainda hoje, como mostra a reportagem, as
ilhas mencionadas são alvo de disputas entre Reino Unido e Argentina. A polêmica sobre o contro-
le dessas ilhas é acentuada, na atualidade, pela seguinte característica da sociedade local:
a) persistência das rivalidades entre as etnias latinas e europeias
b) isolamento da economia em contexto de globalização capitalista
c) vigência de costumes em oposição aos ideais pan-americanistas
d) valorização do nacionalismo por meio da defesa da identidade cultural

3. (UERJ)

Na Inglaterra, um horário ferroviário uniforme foi adotado em meados do século XIX. Baseava-
-se na hora do Tempo Médio de Greenwich, isto é, a hora do meridiano do Observatório Real de
Greenwich, geralmente indicada pelas letras GMT (Greenwich Mean Time). No final da década de
1840, Sir George Airy, astrônomo real, insistiu para que o Big Ben, novo relógio a ser construído,
fosse regulado pela hora de Greenwich. Airy expandiu muito o serviço público baseado na GMT,
fazendo com que essa hora fosse transmitida por todo o país por cabos que corriam ao longo das
linhas férreas. Em 1853, escreveu: “Não posso sentir senão satisfação ao pensar que o Observató-
rio Real está assim contribuindo para a pontualidade dos negócios por toda uma grande extensão
deste país”.
Adaptado de WHITROW, G. J. O tempo na história: concepções do tempo da pré-história aos nossos dias. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

41
As sociedades industriais modernas desenvolveram formas de medir o tempo associadas ao uso do
relógio e à padronização dos horários em escala nacional, como no caso da Inglaterra, no decorrer
do século XIX.
Um dos efeitos dessas medidas padronizadoras do tempo se manifestou basicamente na regulação
dos:
a) ritmos do trabalho
b) sistemas de plantio
c) níveis de escolaridade
d) fluxos de investimentos

4. (UERJ 2017) O Canal do Panamá é uma obra de engenharia das mais grandiosas. Tem quilômetros
de extensão e liga o oceano Atlântico ao Pacífico. Suas eclusas, que são uma espécie de elevador,
levantam as embarcações até o lago Gatún, de onde se pode ir para um ou outro lado do continente.
A construção dessa passagem que encurtaria as viagens, evitando as rotas mortíferas que passavam
pelo cabo Horn ou pelo estreito de Magalhães, começou em 1881, mas os trabalhadores morriam
como moscas por conta das febres tropicais, houve problemas de engenharia, e o projeto foi aban-
donado. Os Estados Unidos resolveram retomar o trabalho em 1904 e em dez anos terminaram as
obras. O Canal foi inaugurado em 15 de agosto de 1914.
Adaptado de sindprevs-sc.org.br.

Passados mais de cem anos, o Canal do Panamá ainda impressiona os que observam seu funciona-
mento.
No contexto de sua inauguração, essa obra possuía o seguinte caráter estratégico:
a) desenvolvimento da indústria naval
b) globalização das economias nacionais
c) monopólio das vias mundiais de transportes
d) integração capitalista do comércio internacional

5. (UERJ)

A fita branca, que venceu o Festival de Cinema de Cannes em 2009, conta a história de uma co-
munidade rural na Alemanha, entre 1913 e 1914, onde estranhos e violentos incidentes começam
a ocorrer. O diretor do filme comentou: “Não ficaria feliz se o filme fosse visto apenas como um
filme sobre um problema alemão. Ele significa mais que isso. É um filme sobre as raízes do mal. É
sobre um grupo de crianças que são doutrinadas com alguns ideais e se tornam juízes dos outros
– justamente daqueles que empurraram aquela ideologia goela abaixo delas.”
Maurício Stycer. Adaptado de colunistas.ig.com.br, 24/10/2009.

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) provocou transformações nas vidas de crianças e jovens
europeus. Uma dessas transformações é apresentada no filme A fita branca e está associada ao que
o diretor denominou de “raízes do mal”.

42
Nas décadas de 1920 e 1930, os efeitos dessas raízes do mal se manifestaram no seguinte processo
histórico:
a) expansão do comunismo
b) difusão do etnocentrismo
c) ascensão do totalitarismo
d) renascimento do liberalismo

6. (UERJ 2015) Big Science (Grande Ciência) é um tipo de pesquisa científica realizado por grupos
numerosos de cientistas e técnicos, com instrumentos e insumos em larga escala, financiados por
fundos governamentais e por agências internacionais. No momento de seu surgimento, durante a
Segunda Guerra Mundial e nos anos da Guerra Fria, a Big Science integrou esforços econômicos e
políticos do governo dos E.U.A. visando à segurança nacional.
Adaptado de global.britannica.com.

O apoio a projetos de Big Science pelo governo dos E.U.A., no contexto da Guerra Fria, esteve dire-
tamente relacionado ao desenvolvimento do seguinte aspecto:
a) globalização dos mercados financeiros e de trabalho
b) cooperação tecnológica entre países periféricos e centrais
c) integração entre conhecimentos científicos e mudanças demográficas
d) modernização dos sistemas de informação e comunicação aeroespacial

7. (UERJ 2016) CAMPOS DE “REEDUCAÇÃO PELO TRABALHO” NA CHINA: A MUDANÇA DE UM SISTEMA


DE OPRESSÃO POR OUTRO

A extinção do sistema chinês de campos de “reeducação pelo trabalho” (RTL) arrisca não ser mais
do que uma mudança cosmética. “Abolir o sistema de RTL é um passo na direção certa. Mas há
agora indicadores de que isto é apenas para desviar as atenções públicas dos abusos cometidos
naqueles campos, onde a tortura é uma prática sistemática. É claro que as políticas subjacentes de
castigar pessoas pelas suas atividades políticas ou pelas suas crenças religiosas não mudaram. Os
abusos e a tortura continuam na China, apenas assumiram uma expressão diferente”, sustenta a
perita Corinna Barbara Francis, da Anistia Internacional.
Adaptado de amnistia-internacional.pt, 17/12/2013.

Nas últimas quatro décadas, o sistema político chinês vem evoluindo de forma muito lenta, se
comparado às grandes mudanças econômicas observadas no país.
A prática mencionada no texto foi intensamente utilizada no momento da história chinesa deno-
minado:
a) Longa Marcha
b) Guerra do Ópio
c) Revolução Cultural
d) Levante dos Boxers

8. (UERJ) Belfast em revolta por causa de uma bandeira

Domingo, pela quarta noite consecutiva, grupos insatisfeitos atiraram pedras e garrafas contra a
polícia e incendiaram carros na zona leste de Belfast, na Irlanda do Norte. Nesse dia, os verea-
dores da cidade haviam decidido que a bandeira britânica deixaria de ser hasteada todos os dias
no edifício da câmara. A proposta inicial pretendia retirar em definitivo da prefeitura a bandeira
do Reino Unido, símbolo, para uns, da ocupação britânica; sinal, para outros, do pertencimento à
Coroa. Mas o partido da Aliança negociou um consenso, prevendo que a bandeira seja hasteada 17
dias por ano.
Adaptado de O público, 08/01/2013.

A Irlanda do Norte vem construindo um delicado processo de paz nos últimos quinze anos, após
décadas de conflitos internos envolvendo as relações com o Reino Unido. O episódio relatado na
reportagem remete a um aspecto essencial desses conflitos.
Esse aspecto está relacionado à existência de:
a) grupos étnicos rivais
b) segmentos sociais elitizados
c) sistemas religiosos antagônicos
d) identidades nacionais divergentes

43
9. (UERJ) Eu e minha mulher somos de gerações que viveram cada minuto da Guerra do Vietnã
(1959-1975), uma das mais sangrentas de todos os tempos. Por isso, nossa visita a esse país teve
um sentido muito especial.
O país hoje é um formigueiro em atividade, onde todos correm para recuperar o tempo perdido. A
renda per capita ainda é muito baixa: US$ 700 por ano. O salário mínimo também é baixo: US$ 30.
Embora todos os preços sejam baixos, esses valores dão uma ideia do tipo de vida, ainda austera,
que levam os vietnamitas.
A guerra consumiu gerações inteiras. A maioria esmagadora da população hoje é de jovens, o que
talvez explique o predomínio da motocicleta como meio de transporte. Quase não há transporte
coletivo, e são poucos os carros. Enxames de motos dominam as ruas. A moto mais barata vem da
China e custa US$ 300. Equivale a dez meses de salário mínimo. Em Cidade de Ho Chi Minh, há 4
milhões de motos para 2 milhões de famílias.
Bernardo Kucinski. Adaptado de redebrasilatual.com.br, julho de 2010.

No relato de sua visita ao Vietnã, o autor faz referência a algumas das características atuais da-
quela sociedade.
Essas características se relacionam com a seguinte mudança recente na história do país:
a) fim do partido comunista
b) liberalização do fluxo migratório
c) flexibilização da moeda nacional
d) implantação do socialismo de mercado

1
0. (UERJ 2017) Se há apenas cinco ou dez anos dissessem a alguém em Cuba que um presidente
norte-americano visitaria a Ilha, a resposta seria um sorriso irônico; mas se fosse mencionada a
possibilidade de ver os Rolling Stones tocando em Havana, a reação teria sido uma gargalhada –
ou um grito, se a pessoa assim informada tivesse seus 60 ou 70 anos de vida. Porque aqueles que
fomos jovens em Cuba na década de 1960 dificilmente esqueceremos as críticas políticas quando
confessávamos ouvir os Beatles ou os Stones. Quem poderia ter previsto? Definitivamente, os tem-
pos estão mudando.
LEONARDO PADURA
Adaptado de Folha de S. Paulo, 12/03/2016.

As considerações do escritor sobre a sociedade cubana indicam que, na década de 1960 e no mo-
mento atual, as diferenças entre as condições de vida são contextualizadas, respectivamente, pelos
seguintes aspectos das relações internacionais:
a) expansão mundial de regimes totalitários – supremacia das concepções neoliberais
b) crescimento da influência global soviética – afirmação da hegemonia norte-americana
c) bipolaridade entre capitalismo e socialismo – multipolaridade da ordem econômica
d) política externa independente na América Latina – integração das nações subdesenvolvidas

Gabarito
1. B 2. D 3. A 4. D 5. C

6. D 7. C 8. D 9. D 10. C

44
CH
GEOGRAFIA

CIÊNCIAS HUMANAS
e suas tecnologias
UERJ - Geografia Geral
Econômica, 33%
Geopolítica, 31%
Humana, 19%
Física, 10%
Questões Ambientais, 5%
Temática, 2%

UERJ - Geografia do Brasil


Humana, 45%
Economia, 22%
Regional, 16%
Física, 7%
Questões Ambientais, 5%
Geopolítica, 4%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULA 1

PRESCRIÇÃO: O vestibular da UERJ aborda os temas de urbanização e população com bastante


frequência nos últimos anos. Faz menções sobre conceitos de urbanização do Brasil e outros países,
muitas vezes numa mesma questão, comparando-os. Segue o mesmo para os temas demográficos.
Uma boa leitura de gráficos, bem como a análise de tabelas e textos são de vital importância para a
compreensão das questões.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ) Depois de aguardar por uma década, o Rio de Janeiro se tornou a primeira cidade do
mundo a receber o título de Patrimônio Mundial como paisagem cultural concedido pela UNESCO.
O conceito de paisagem cultural passou a ser utilizado a partir de 1992 e se aplica a locais onde
a interação humana com o meio ambiente ocorre de forma harmônica. Até o momento, as regiões
reconhecidas mundialmente nessa categoria relacionaram-se a áreas rurais, sistemas agrícolas
tradicionais, jardins históricos e outros locais de cunho simbólico, religioso e afetivo.
Adaptado de O Globo 02/07/2012.

Os processos de patrimonialização acentuaram-se ao longo dos últimos trinta anos, incorporando


inclusive novas categorias, como a de “paisagem cultural”.
Para o caso do Rio de Janeiro, a manutenção da harmonia entre ocupação humana e meio ambiente
no espaço urbano deve ser garantida, principalmente, por meio de:
a) flexibilização da legislação das regiões sujeitas a proteção ambiental
b) desapropriação das áreas de encostas existentes na região metropolitana
c) preservação dos conjuntos de logradouros dotados de atrativos naturais
d) reordenamento das áreas litorâneas marcadas pela expansão imobiliária

2. (UERJ) O MOVIMENTO E A AVENIDA

Em vista da importância do Exército para as classes dominantes, não é de admirar que o tráfego
militar fosse o fator determinante do planejamento das cidades, exemplificado pelo traçado das
avenidas de Paris, proposto pelo prefeito Haussmann entre 1853 e 1870.
Adaptado de MUNFORD, Lewis. A cidade na história: suas origens, transformações e perspectivas.
São Paulo: Martins Fontes, 1991. Topografia da Maré facilita ocupação pelo Exército

TOPOGRAFIA DA MARÉ FACILITA OCUPAÇÃO PELO EXÉRCITO

Ao adotar no Complexo da Maré estratégia semelhante à utilizada para ocupar os Complexos do


Alemão e da Penha, o Exército vai encontrar mais vantagens do que desvantagens, apesar de a
nova região ser maior e mais populosa. A topografia da área a ser pacificada é plana, e as ruas são
mais largas, fatores que acabam facilitando a distribuição do efetivo e as manobras dos veículos
militares.
Adaptado de extra.globo.com, 02/04/2014.

Apesar das muitas diferenças existentes entre Paris no século XIX e Rio de Janeiro no século XXI,
os textos apontam para manifestações do exercício do poder militar em ambas as cidades.
Nos dois contextos, é reconhecível a seguinte relação estratégica entre o espaço da cidade e a ação
do Estado:
a) sítio urbano e polarização política
b) morfologia urbana e controle social
c) hierarquia urbana e segurança pública
d) centro urbano e marginalização econômica

3. (UERJ 2016) No início do século XXI, as favelas da cidade do Rio de Janeiro não são apenas dis-
tintas daquelas existentes há cinquenta anos, como também apresentam diferenças internas que
foram constituídas ao longo do tempo e de sua expansão espacial. No entanto, a visão homogenei-
zante, que considera “iguais” todas as favelas, ainda está presente no senso comum – e também

47
nas práticas de alguns agentes do setor público. Trata-se de uma visão que não dá conta da com-
plexa dinâmica socioespacial das favelas cariocas e deve, portanto, ser revista.
Gerônimo Leitão
Adaptado de observatoriodefavelas.org.br.

Uma característica socioespacial presente no conjunto das favelas cariocas e que contribui para
o tipo de visão a que o autor do texto faz referência é:
a) densidade elevada de habitações
b) valorização semelhante dos imóveis
c) sociabilidade reduzida de moradores
d) topografia acidentada dos assentamentos

4. (UERJ)

A despeito das taxas de fecundidade apresentadas, a estabilidade demográfica, projetada para vá-
rios países desenvolvidos em 2050, baseia-se em fenômenos atuais, com destaque para:
a) redução da natalidade, estabelecida pela maior expectativa de vida
b) expansão da mortalidade, provocada pelo envelhecimento dos grupos etários
c) deslocamento populacional, condicionado pelas disparidades socioeconômicas
d) demanda por mão de obra qualificada, favorecida por políticas governamentais

5. (UERJ) O exame da distribuição de renda da população auxilia na avaliação do grau de justiça so-
cial, da qualidade da ação previdenciária do Estado e da eficácia das políticas públicas de combate
à pobreza.
Observe o gráfico que indica a razão entre a renda anual dos 10% mais ricos e a renda anual dos
40% mais pobres, no Brasil, nos anos de 2001 a 2008.

Considerando os dados apresentados, é possível afirmar que a principal ação governamental que
contribuiu para a mudança verificada na distribuição da renda na sociedade brasileira durante o
período indicado foi:
a) elevação do valor real do salário mínimo
b) redução da carga tributária do setor produtivo
c) diminuição da taxa básica de juros ao consumidor
d) ampliação do investimento público em infraestrutura

48
6. (UERJ 2015)

Com base na análise dos mapas e dos dados, o fluxo de jogadores identifica-se com a ocorrência do
seguinte tipo de deslocamento populacional:
a) tráfico de pessoas
b) migração de retorno
c) transferência de refugiados
d) movimento de transumância

Raio X
1.
a) INCORRETO. Caso haja flexibilização das leis ambientais, haverá maior impacto sobre o meio
natural.
b) INCORRETO. A instituição do patrimônio via “paisagem cultural” não é determinada pela deso-
cupação das encostas.
c) CORRETO. A harmonia da ocupação humana e do meio ambiente deve ser mantida pela preser-
vação das áreas que definiram a patrimonialização, como o Pão de Açúcar e o Corcovado.
d) INCORRETO. Embora a expansão imobiliária cause impacto sobre os biomas litorâneos, a preser-
vação da paisagem cultural se define pelas áreas em que houve a produção da sociedade.
2.
Como mencionado corretamente na alternativa [B], os textos indicam em momentos diferentes
da história, a mesma estratégia sobre o controle social nas cidades utilizando como referência
morfologia ou o traçado do relevo do sítio urbano. Estão incorretas as alternativas; [A], porque
o objetivo das ações não é a polarização política, mas o controle de segmentos da sociedade; [C],
porque o conceito de hierarquia urbana diz respeito à questão da rede urbana e não à organização
dos segmentos sociais na cidade; [D], porque o conceito de centro urbano não corresponde à ação
do Estado mencionado a partir dos elementos do sítio urbano como a morfologia.
3.
A elevada densidade de habitações nos bolsões de favelamento contribui para construir a imagem
estereotipada das favelas. Estão incorretas as alternativas: [B], porque não há padronização de va-
lor no mercado imobiliário das habitações nas favelas; [C], porque a imagem estereotipada aponta
para forte sociabilidade; [D], porque o terreno acidentado das favelas é atribuído particularmente
ao Rio de Janeiro.
4.
Em razão da taxa de fecundidade dos países apresentados estarem abaixo da taxa de reposição, o
único mecanismo que pode conferir estabilidade demográfica, como mencionado corretamente na
alternativa [C], é a imigração da população dos países subdesenvolvidos, que além de servir como
reposição da PEA (população economicamente ativa), caracteriza-se por taxas de fecundidade
mais elevadas. Estão incorretas as alternativas: [A], porque a redução da natalidade contribui para
acentuar o desequilíbrio na composição da população; [B], porque o aumento da mortalidade acen-
tua o desequilíbrio populacional; [D], porque a mão de obra imigrante não está associada à elevada
qualificação e, embora seja necessário, os países desenvolvidos tem adotado políticas restritivas à
imigração.

49
5.
a) CORRETO. A elevação do valor real do salário mínimo acima da inflação, nos últimos anos,
constitui-se como a causa da redução da diferença entre a porcentagem dos 10% mais ricos e
os 40% mais pobres.
b) INCORRETO. A redução da carga tributária na legislação trabalhista ocorreu somente no final do
ano de 2012 e foi adotada como uma forma de aumentar a produção industrial e a empregabi-
lidade do setor.
c) INCORRETO. A diminuição da taxa de juros para o consumidor é um mecanismo utilizado para
compor ou consolidar o mercado de consumo interno.
d) INCORRETO. A ampliação dos investimentos em infraestrutura busca aumentar a produção in-
dustrial do país.
6.
Os mapas mostram o fluxo de jogadores de futebol em direção à Espanha e o fluxo de jogadores que
retornaram. Portanto, trata-se do fenômeno da migração de retorno entre países com motivação
econômica.

Gabarito
1. C 2. B 3. A 4. C 5. A

6. B

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) PERIMETRAL

O viaduto da Perimetral liga o bairro do Caju até a região da Praça XV, no Centro do Rio de Janeiro.
A obra foi iniciada no final dos anos 1950, no governo do prefeito Negrão de Lima. O trânsito de
veículos na cidade aumentava a cada dia, e a construção do elevado aliviaria as ruas do Centro. É
uma das mais importantes vias da cidade, permitindo o acesso à Avenida Brasil, à ponte Rio-Nite-
rói e ao aeroporto Santos Dumont. Estima-se que mais de 40 mil veículos passem pela Perimetral
todos os dias.
Adaptado de www.historiadorio.com.br.

PORTO MARAVILHA

Porto Maravilha é um projeto da Prefeitura do Rio de Janeiro, com apoio dos governos estadual e
federal. As obras da primeira fase incluem a construção de novas redes de água, esgoto e drenagem
nas avenidas Barão de Tefé e Venezuela, além da urbanização do Morro da Conceição e da restaura-
ção do Jardim Suspenso do Valongo. Outras mudanças programadas: demolição parcial do viaduto
da Perimetral, transformação da Avenida Rodrigues Alves em via expressa, criação de uma nova
rota, chamada provisoriamente de Binário do Porto, e reurbanização de 70 km de vias.
Adaptado de portomaravilha.com.br.

Os textos referem-se a duas transformações na cidade do Rio de Janeiro nos últimos sessenta
anos: a construção do viaduto da Perimetral, na década de 1950, e, na atualidade, sua demolição
parcial, prevista nas obras do projeto Porto Maravilha. Esses dois momentos evidenciam a seguinte
mudança nas políticas de planejamento urbano:
a) interação entre ocupação fabril e modernização dos serviços
b) integração entre equilíbrio ambiental e ampliação dos espaços públicos
c) compatibilização entre controle da poluição e redução das estruturas viárias
d) equiparação entre desenvolvimento do setor de serviços e expansão das áreas de lazer

2. (UERJ) Artigo 25, parágrafo 3º - Os Estados poderão, mediante lei complementar, instituir regiões
metropolitanas, aglomerações urbanas e microrregiões, constituídas por agrupamentos de municí-
pios limítrofes, para integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de
interesse comum.
Constituição da República Federativa do Brasil
www.planalto.gov.br

50
O Brasil possui atualmente três Regiões Integradas de Desenvolvimento − RIDE, um tipo especial
de região metropolitana que só pode ser instituída por legislação federal. Esta característica é
explicada pelo fato de a integração decorrente das RIDE estar associada a:
a) unidades estaduais diferentes
b) áreas de fronteira internacional
c) espaços de preservação ambiental
d) complexos industriais estratégicos

3. (UERJ) Nota intitulada “Urbano ou rural?” foi destaque na coluna Radar, na revista Veja. Ela
apresenta o caso extremo de União da Serra (RS), município de 1900 habitantes, dos quais 286 são
considerados urbanos. A reportagem da revista apontou as seguintes evidências: a) a totalidade
dos moradores sobrevive de rendimentos associados à agropecuária; b) a “população” de galinhas
e bois é 200 vezes maior que a de pessoas; c) nenhuma residência é atendida por rede de esgoto;
d) não há agência bancária.
JOSÉ ELI DA VEIGA
Adaptado de www.zeeli.pro.br.

A situação descrita no texto ocorre porque, no Brasil, a classificação oficial de uma aglomeração
urbana se dá exclusivamente a partir do seguinte critério:
a) hierárquico-funcional
b) econômico-financeiro
c) político-administrativo
d) demográfico-quantitativo

4. (UERJ 2015)

O problema habitacional na cidade do Rio de Janeiro é antigo, com alguns de seus efeitos manten-
do-se há mais de um século, como o tipo de moradia popular retratado nas imagens.
Uma causa econômica e um resultado socioespacial, associados diretamente à expansão desse tipo
de moradia ao longo do século XX, são:
a) mercantilização do solo urbano − segregação
b) fortalecimento do comércio informal − verticalização
c) crescimento do trabalho assalariado − suburbanização
d) redução do financiamento habitacional − periferização

5. (UERJ)
Criação de municípios no estado do Rio de Janeiro desde 1991
Município criado Município de origem
1. Aperibé Santo Antônio de Pádua
2. Areal Três Rios
3. Belford Roxo Nova Iguaçu
4. Comendador Levy Gasparian Três Rios
5. Cardoso Moreira Campos Campos
6. Guapimirim Magé

51
Município criado Município de origem
7. Japeri Nova Iguaçu
8. Quatis Barra Mansa
9. Queimados Nova Iguaçu
10. Rio das Ostras Casimiro de Abreu
11. Varre e Sai Natividade
12. Armação de Búzios Cabo Frio
13. Carapebus Macaé
14. Iguaba Grande São Pedro da Aldeia
15. Macuco Cordeiro
16. Pinheiral Piraí
17. Porto Real Resende
18. São Francisco de Itabapoana São João da Barra
19. São José de Ubá Cambuci
20. Seropédica Itaguaí
21. Tanguá Itaboraí
22. Mesquita Nova Iguaçu
Adaptado de ROCHA, Helenice A. B. e outros. História e patrimônio: Guapimirim. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

O mapa político do estado do Rio de Janeiro foi substancialmente alterado no início da década de
1990, em função da criação de novos municípios, como indicam os dados acima.
Duas causas para as diversas municipalizações ocorridas nesse período são:
a) expansão da fronteira agrícola − agravamento de disputas fundiárias
b) crise das finanças estaduais − crescimento de polos industriais regionais
c) revisão da legislação tributária − incremento de interações urbano-rurais
d) promulgação da atual constituição brasileira − realização de plebiscitos locais

6. (UERJ 2014)

A Zona Portuária do Rio de Janeiro vem recebendo muitos investimentos públicos e privados com
o objetivo de promover sua renovação física e funcional.
Considerando a charge, a nova dinâmica espacial pode ter a seguinte consequência sobre o proces-
so de urbanização nessa região da metrópole carioca:
a) mudança do perfil social
b) degradação do setor comercial
c) aumento da atividade industrial
d) redução da acessibilidade viária

52
7. (UERJ 2016)

No mapa, são informados tanto a intensidade dos fluxos de passageiros por via aérea quanto o
correspondente movimento de passageiros em cada cidade, no ano de 2010.
De acordo com as informações, a rede de cidades do Brasil é caracterizada pelo seguinte aspecto:
a) prevalência de centro primaz
b) ocorrência de hierarquia urbana
c) constituição de áreas conurbadas
d) periferização de regiões metropolitanas

8. (UERJ 2015) Observe nas imagens a área urbanizada em quatro metrópoles nos anos de 1990 e de
2000.

No período 1990-2000, o processo de periferização ocorreu de forma mais intensa na área metro-
politana de:
a) Varsóvia
b) Chengdu
c) Bangalore
d) Sacramento

53
9. (UERJ 2016) Em Nova York, habitação social vive o “boom” das rendas mistas

"50-30-20" é um termo quente na cidade norte-americana de Nova York hoje em dia. É também
o apelido dos imóveis financiados pela prefeitura que miram a integração das rendas mistas na
habitação. Nesse modelo de empreendimento, 50% do total de unidades de cada prédio são ocu-
padas por famílias de classe média, 30% por moradores de classe média-baixa, e 20% destinam-se
à baixa renda. O presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional de Nova York, Marc
Jahr, afirma que a instituição já financiou e construiu quase 8 mil apartamentos nesse modelo:
“Acreditamos que prédios com rendas mistas e bairros com economias diversas são pilares de co-
munidades estáveis”.
Adaptado de prefeitura.sp.gov.br.

O Estado é um agente fundamental na produção do espaço, pois suas ações interferem de forma
acentuada sobre a dinâmica e a organização das cidades.
A principal finalidade de uma política pública como a relatada no texto é:
a) reduzir a segregação espacial
b) elevar a arrecadação municipal
c) favorecer a atividade comercial
d) desconcentrar a população urbana

1
0. (UERJ 2012)

A proporção de homens e mulheres nesta pirâmide etária é explicada pelo comportamento do in-
dicador demográfico denominado:
a) taxa de migração
b) expectativa de vida
c) crescimento vegetativo
d) sobre mortalidade feminina

54
1
1. (UERJ 2012) A análise das pirâmides etárias possibilita perceber algumas tendências da dinâmica
demográfica de uma sociedade.
Observe a estrutura etária da população dos estados brasileiros em 2000:

A macrorregião brasileira que deverá demorar mais para concluir seu processo de transição demo-
gráfica é a:
a) Centro-Oeste
b) Nordeste
c) Sudeste
d) Norte

1
2. (UERJ) A proporção entre a população e a superfície territorial é um dos elementos que define a
relação entre sociedade e espaço. Observe os dados informados abaixo:

País População absoluta (habitantes em 2008) Superfície (km2)


China 1.313.000.000 9.572.900
França 61.000.000 543.965
Holanda 16.300.000 41.528
Argentina 38.700.000 2.780.403
SIMIELLI, Maria Elena. Geoatlas. São Paulo: Ática, 2009.

De acordo com a tabela, o país mais povoado é a:


a) China
b) França
c) Holanda
d) Argentina

55
1
3. (UERJ 2017)

Com base nas informações do gráfico, a pirâmide etária que representa a população mundial no
ano de 2016 é:
a) d)

b)

c)

56
14. (UERJ) A taxa de dependência total corresponde ao percentual do conjunto da população jovem
(menores de 15 anos) e idosa (com 60 anos ou mais) em relação à população total. Ela expressa a
proporção da população sustentada pela população economicamente ativa.

A manutenção da tendência apresentada no gráfico pode favorecer o seguinte impacto sobre as


despesas governamentais nas próximas duas décadas:
a) redução do deficit da previdência social
b) diminuição das verbas para a rede de saúde
c) elevação dos investimentos na educação infantil
d) ampliação dos recursos com seguro-desemprego

1
5. (UERJ)

A taxa de mortalidade infantil é um dos indicadores demográficos que permite avaliar as condi-
ções de vida das populações.
Um dos principais fatores que explicam os diferentes níveis das taxas de mortalidade infantil ob-
servados no gráfico está relacionado à:
a) primazia da atividade agrícola
b) predominância do analfabetismo
c) permanência da concentração de renda
d) recorrência de problemas geoclimáticos

1
6. (UERJ 2011)

57
Nas duas últimas décadas, o governo federal vem propondo ações no sentido de oferecer uma res-
posta às transformações na composição etária da população brasileira.
Essas ações têm seguido uma tendência que se manifesta mais diretamente na seguinte iniciativa:
a) revisão das bases da legislação sindical
b) alteração das regras da previdência social
c) expansão das verbas para o ensino fundamental
d) ampliação dos programas de prevenção sanitária

1
7. (UERJ) Na imagem, visualiza-se a região da Baixada Santista, com as diversas cidades que com-
põem esse espaço do litoral paulista.

A análise da imagem permite reconhecer a ocorrência do seguinte processo socioespacial comum


em cidades de áreas metropolitanas:
a) favelização
b) conurbação
c) gentrificação
d) verticalização

1
8. (UERJ) Hoje, a interação espacial entre “comunidades”, no que tange ao deslocamento de pessoas
moradoras em uma delas para visitarem amigos ou parentes ou estabelecerem contatos associati-
vos com pessoas residentes em outras, tornou-se um tanto difícil, devido aos mecanismos de con-
trole impostos pelos traficantes e à rivalidade e aos choques entre quadrilhas baseadas em favelas
diferentes (...).
SOUZA, Marcelo Lopes de. O desafio metropolitano: um estudo sobre a problemática sócio-
espacial nas metrópoles brasileiras. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

O fenômeno descrito no texto, que vem ocorrendo nas últimas décadas, corresponde mais direta-
mente ao seguinte processo socioespacial:
a) hierarquização
b) regionalização
c) metropolização
d) territorialização

Gabarito
1. B 2. A 3. C 4. A 5. D

6. A 7. B 8. B 9. A 10. A

11. D 12. C 13. A 14. A 15. C

16. B 17. B 18. D

58
AULA 2

PRESCRIÇÃO: Para ter resultados positivos nas questões dessa aula, o aluno necessita compreen-
der que temas como globalização, indústria, política econômica e geografia agrária, estão intimamente
ligados, ou seja, a prova da UERJ traz dois ou mais temas como esses numa mesma questão, exigindo
do estudante um conhecimento amplo e atualizado. Imagens e charges, principalmente relacionadas
com o processo de globalização fazem parte das questões.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2015)
Edições da Copa do Mundo de Futebol

País Ano

Uruguai 1930
Itália 1934
França 1938
Brasil 1950
Suíça 1954
Suécia 1958
Chile 1962
Inglaterra 1966
México 1970
Alemanha Ocidental 1974
Argentina 1978
Espanha 1982
México 1986
Itália 1990
Estados Unidos 1994
França 1998
Coreia do Sul / Japão 2002
Alemanha 2006
África do Sul 2010
Brasil 2014
Rússia (previsão) 2018
Catar (previsão) 2022
Adaptado de quadrodemedalhas.com.

A escolha de países que sediam a copa de futebol baseia-se em fatores variáveis. A partir de 2002,
observa-se, na tabela, a diversificação geográfica dos países-sede. Duas motivações para a escolha
desses países, a partir de 2002, estão explicitadas em:
a) valorização dos campeonatos desportivos − apoio à democratização política
b) inclusão de áreas periféricas − ampliação do número de seleções participantes
c) mundialização do esporte coletivo − multipolaridade das relações internacionais
d) quebra da hegemonia europeia − expansão econômica de áreas subdesenvolvidas

59
2. (UERJ)

As mesmas forças produtivas engajadas no desenvolvimento extensivo e intensivo do capitalismo


produzem tanto a integração como a fragmentação. As muitas variações de formas sociais de vida e
de trabalho, compreendendo grupos e classes, etnias e minorias, nações e nacionalidades, religiões
e línguas, são frequentemente recriadas.

Octavio Ianni

Adaptado de Sociedade global. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1999.

A ilustração e o texto expressam diferentes pontos de vista acerca do processo de globalização.


Essa diferença se manifesta pela contradição entre:
a) polarização e dispersão econômica
b) elitização e popularização financeira
c) homogeneização e diversidade cultural
d) especialização e flexibilidade profissional

3. (UERJ) 3ª do plural (Engenheiros do Hawaii)

Corrida pra vender cigarro


Cigarro pra vender remédio
Remédio pra curar a tosse
Tossir, cuspir, jogar pra fora
Corrida pra vender os carros
Pneu, cerveja e gasolina
Cabeça pra usar boné
E professar a fé de quem patrocina
Querem te matar a sede, eles querem te sedar
Eles querem te vender, eles querem te comprar
(...)

60
Corrida contra o relógio
Silicone contra a gravidade
Dedo no gatilho, velocidade
Quem mente antes diz a verdade
Satisfação garantida
Obsolescência programada
Eles ganham a corrida antes mesmo da largada
(...)

Os diferentes modelos produtivos de cada momento do sistema capitalista sempre foram o resul-
tado da busca por caminhos para manter o crescimento da produção e do consumo. A crítica ao
sistema econômico presente na letra da canção está relacionada à seguinte estratégia própria do
atual modelo produtivo toyotista:
a) aceleração do ciclo de renovação dos produtos
b) imposição do tempo de realização das tarefas fabris
c) restrição do crédito rápido para o consumo de mercadorias
d) padronização da produção dos bens industriais de alta tecnologia

4. (UERJ 2015)

As diferenças observadas entre a fábrica fordista e a fábrica pós-fordista são explicadas, principal-
mente, pela introdução da estratégia de organização produtiva denominada:
a) regulação
b) terceirização
c) padronização
d) hierarquização

5. (UERJ)

61
Pela leitura do gráfico, podem-se inferir as seguintes características do momento atual do capita-
lismo:
a) livre-concorrência e fragmentação do setor bancário
b) concentração econômica e formação de oligopólios financeiros
c) nacionalização da economia e associação dos capitais industrial e bancário
d) desregulamentação do mercado financeiro e predomínio dos bancos globais

6. (UERJ) A partir de 2007, quando se anunciou a descoberta de grandes reservas do chamado “pré-
-sal”, o governo brasileiro passou a defender novas regras para a exploração de petróleo no país.
O pré-sal corresponde à camada de rocha que contém petróleo e que está localizada abaixo de uma
espessa camada de sal. A Petrobras estima que no pré-sal brasileiro haja reservas em torno de 70
bilhões a 100 bilhões de barris de petróleo. Em agosto de 2009, o ex-presidente Lula apresentou
projetos para mudanças no setor petrolífero, sendo um deles a redistribuição dos royalties. No ano
de 2011, por exemplo, os royalties somaram R$ 25,6 bilhões.
Adaptado de bbc.co.uk, dezembro de 2012.

A disputa pela redistribuição dos royalties do petróleo entre estados e municípios brasileiros se
acirrou no final de 2012, em função de novas regras para o setor votadas no Congresso Nacional.
Essa disputa decorre diretamente da característica político-econômica do país indicada em:
a) controle da União sobre a regulação do acesso às riquezas hidrominerais
b) dependência de capitais estrangeiros no fornecimento de matérias-primas
c) monopólio da legislação federal sobre os insumos para a indústria de base
d) adequação dos padrões tecnológicos na preservação dos recursos ambientais

7. (UERJ) A agricultura familiar, apesar das críticas quanto à sua viabilidade econômica, mantém-
-se como um segmento produtivo importante do setor primário brasileiro. Observe nos gráficos as
proporções percentuais do número de estabelecimentos da agricultura familiar e da área ocupada
por eles por macrorregião em relação ao total do país.

O tamanho médio das propriedades familiares é maior nas seguintes regiões brasileiras:
a) Sul e Nordeste
b) Nordeste e Norte
c) Centro-Oeste e Sul
d) Norte e Centro-Oeste

Raio X
1.
A partir de 2002, em pleno processo de globalização, ocorre também uma expansão dos mercados
no setor de esportes como o futebol. Observa-se que ocorre um revezamento regional nas sedes da
copa do mundo: Ásia, Europa, África, América do Sul, Europa e Oriente Médio. Em parte, a diver-
sificação está relacionada ao crescimento dos países emergentes como foi o caso da Coreia do Sul,
Brasil, Rússia e Catar.
2.
Como mencionado corretamente na alternativa [C], a ilustração remete ao conceito de homoge-
neização dada à padronização observada, ao passo que o texto remete ao conceito de diversidade
cultural, no qual o autor cita as variações das formas sociais de vida e trabalho.
3.
O texto faz referência ao consumo desenfreado da sociedade, fato que pode ser associado, como
mencionado corretamente na alternativa [A], ao sistema de produção denominado toyotismo, haja

62
vista que este se caracteriza, dentre outros, pela mecanização flexível, respondendo à demanda do
mercado e, ao mesmo tempo, renovando o mercado consumidor ao injetar tecnologia e substituir
rapidamente os produtos (obsolência programada e obsolência perceptiva). Estão incorretas as
alternativas [B], [C], e [D] porque não correspondem ao tema abordado no texto.
4.
As fotos e informações da legenda indicam a redução do espaço produtivo e territorial das fábricas
do momento fordista para o pós-fordista e, portanto, como mencionado corretamente na alter-
nativa [B], a comparação indica a adoção da terceirização, ou seja, a decomposição do processo
produtivo enxugando o sistema produtivo central. Estão incorretas as alternativas seguintes por
não corresponderem ao conceito gerado pela análise das informações da figura.
5.
O sistema bancário brasileiro atual é moderno e dinâmico. Conta com capital nacional e externo.
Mas, o gráfico expressa o momento econômico do Brasil, país atrelado a um sistema financeiro
mundializado e acaba mostrando a mesma tendência desse sistema, ou seja a concentração econô-
mica e a oligopolização financeira.
6.
Como mencionado corretamente na alternativa [A], a redistribuição dos royalties no Brasil está
associada à ação da União que busca nova regulação sobre as riquezas do subsolo. Estão incorretas
as alternativas: [B], [C] e [D], porque a redistribuição dos royalties não está associada aos inves-
timentos estrangeiros; ao monopólio da legislação federal ou à questão ambiental.
7.
Como observado no gráfico, 10% dos estabelecimentos correspondem a 21% da área ocupada na
região norte e, 5% dos estabelecimentos correspondem a 12% da área ocupada na região centro-
-oeste e, portanto, como mencionado corretamente na alternativa [D], são as duas regiões cujo
tamanho médio das propriedades familiares é maior.

Gabarito
1. C 2. C 3. A 4. B 5. B

6. A 7. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ)

A crítica feita nos quadrinhos se relaciona com uma contradição do capitalismo globalizado, o qual
se caracteriza simultaneamente por:
a) elitização do acesso digital – popularização das mídias alternativas
b) requinte dos sistemas produtivos – declínio dos regimes democráticos
c) manipulação dos padrões técnicos – simplificação dos métodos de gestão
d) consumo de produtos sofisticados – exploração da força de trabalho fabril

2. (UERJ) Quando os auditores do Ministério do Trabalho entraram na casa de paredes descascadas


num bairro residencial da capital paulista, parecia improvável que dali sairiam peças costuradas
para uma das maiores redes de varejo do país. Não fossem as etiquetas da loja coladas aos casacos,
seria difícil acreditar que, através de uma empresa terceirizada, a rede pagava 20 centavos por
peça a imigrantes bolivianos que costuravam das 8 da manhã às 10 da noite.
Os 16 trabalhadores suavam em dois cômodos sem janelas de 6 metros quadrados cada um. Costu-
rando casacos da marca da rede, havia dois menores de idade e dois jovens que completaram 18
anos na oficina.
Adaptado de Época, 04/04/2011.

A comparação entre modelos produtivos permite compreender a organização do modo de produção


capitalista a cada momento de sua história. Contudo, é comum verificar a coexistência de caracte-
rísticas de modelos produtivos de épocas diferentes.

63
Na situação descrita na reportagem, identifica-se o seguinte par de características de modelos
distintos do capitalismo:
a) organização fabril do taylorismo – legislação social fordista
b) nível de tecnologia do neofordismo – perfil artesanal manchesteriano
c) estratégia empresarial do toyotismo – relação de trabalho pré-fordista
d) regulação estatal do pós-fordismo – padrão técnico sistêmico-flexível

3. (UERJ) O capitalismo já conta com mais de dois séculos de história e, de acordo com alguns es-
tudiosos, vive-se hoje um modelo pós-fordista ou toyotista desse sistema econômico. Observe o
anúncio publicitário:

Uma estratégia própria do capitalismo pós-fordista presente neste anúncio é:


a) concentração de capital, viabilizando a automação fabril
b) terceirização da produção, massificando o consumo de bens
c) flexibilização da indústria, permitindo a produção por demanda
d) formação de estoque, aumentando a lucratividade das empresas

4. (UERJ)

64
Os Investimentos Estrangeiros Diretos nos países incluem todo tipo de capital investido, à exceção
daqueles para fins especulativos no setor financeiro. No atual momento do capitalismo, a posição
ocupada pelos países emergentes indicados no gráfico reflete, principalmente, a seguinte caracte-
rística de suas economias:
a) crescimento potencial do mercado consumidor
b) perspectiva de produção agrícola de exportação
c) industrialização tardia baseada em energia limpa
d) desenvolvimento expressivo de bens de alta tecnologia

5. (UERJ)

Importantes invenções dos séculos XIX e XX

Invenções Ano Inventores

Alexander Graham Bell


Telefone 1876
(escocês, residente no Canadá e nos EUA)

Carro 1886 Gottlieb Daimler (alemão)

Rádio 1896 Guglielmo Marconi (italiano)

1903 Irmãos Wright (norte-americanos): “Flyer 1”


Avião
1906 Alberto Santos Dumont (brasileiro): “14 bis”
Marinha dos EUA e Universidade de Harvard:
Computador 1945
“Harvard Mark 1”

Satélite 1957 Comunidade científica da URSS: “Sputinik”

Internet 1969 Comunidade científica dos EUA: “Arpanet”

Adaptado de BOMENY, Helena e outros. Tempos modernos, tempos de sociologia. São Paulo: Editora do Brasil, 2010.

As invenções apresentadas no quadro afetaram o mundo contemporâneo, em especial, no que se


refere à circulação de ideias, pessoas e mercadorias.
Em conjunto, essas invenções tiveram efeito principalmente sobre a ampliação da:
a) intervenção estatal
b) integração territorial
c) distribuição da riqueza
d) mobilidade ocupacional

6. (UERJ) ASSOCIAÇÃO CHINESA PEDE BOICOTE A MINERADORAS

O presidente da Associação de Ferro e Aço da China pediu ontem que os importadores licenciados
do país boicotem as três grandes empresas de minério de ferro nos próximos dois meses. O pedido
é uma clara referência à brasileira Vale e às anglo-australianas BHP Billiton e Rio Tinto, que vêm
impondo mudanças nos acordos de compra e venda do minério, determinando preços mais eleva-
dos.
Adaptado de O Globo, 03/04/2010

O comportamento adotado pelas três empresas mineradoras, caso seja comprovado, configuraria a
seguinte prática econômica:
a) cartel
b) holding
c) dumping
d) incorporação

65
7. (UERJ)

Um mercado avassalador dito global é apresentado como capaz de homogeneizar o planeta quando,
na verdade, as diferenças locais são aprofundadas. Há uma busca de uniformidade, ao serviço dos
atores hegemônicos, mas o mundo se torna menos unido, tornando mais distante o sonho de uma
cidadania verdadeiramente universal.
MILTON SANTOS. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2000.

Com base nos quadrinhos e no fragmento de texto, dois elementos contraditórios do processo de
globalização capitalista estão identificados em:
a) integração econômica e polarização social
b) liberalização do mercado e ampliação da participação política
c) acesso ao consumo e redução relativa das distâncias espaciais
d) formação de blocos econômicos e diminuição da renda média

8. (UERJ 2015)

66
Um consultor canadense, Michael Markieta, desenvolveu um sistema de visualização das rotas de
tráfego aéreo ao redor do globo que recria o mapa-múndi, como mostra a imagem. Atualmente, há
58 mil rotas aéreas cruzando os céus nos cinco continentes. Na imagem revelada por Markieta, não
causa surpresa o fato de que os pontos mais densos aparecem em áreas onde muitas rotas seguem
o mesmo trajeto e têm como destino as maiores cidades do mundo.
Adaptado de vegakosmonaut.blogspot.com.br, 11/06/2013

Nessa representação das rotas do transporte aéreo comercial, o mapa ilustra a seguinte mudança
na geopolítica internacional contemporânea:
a) aculturação de áreas periféricas
b) metropolização de regiões rurais
c) globalização de países desenvolvidos
d) conurbação de aglomerações populacionais

9. (UERJ) Os fluxos comerciais de mercadorias viabilizam a efetiva inserção de um país no espaço


econômico mundial. No caso do Brasil, as exportações de produtos agropecuários constituem uma
parte relevante da pauta de exportações.
Observe os gráficos:

Pela análise dos dados, pode-se inferir a seguinte mudança no perfil do comércio exterior do agro-
negócio brasileiro:
a) expansão do intercâmbio com os países ocidentais
b) priorização das vendas para os países do hemisfério sul
c) diminuição do volume de compras feitas por países emergentes
d) redução da dependência do mercado dos países desenvolvidos

1
0. (UERJ) Os fatores locacionais da indústria passaram por grandes modificações, desde o século
XVIII, alterando as decisões estratégicas das empresas acerca da escolha do local mais rentável
para seu empreendimento.

67
O esquema abaixo apresenta alguns modelos de localização da siderurgia, considerando os fatores
locacionais mais importantes para esse tipo de indústria: minério de ferro, carvão mineral, mer-
cado e sucata.

No caso dos modelos C e D, as mudanças socioeconômicas que justificam as escolhas de novos locais
para instalação de usinas siderúrgicas nas últimas décadas são, respectivamente:
a) dispersão dos mercados consumidores – revalorização das economias de aglomeração
b) eliminação dos encargos com a mão de obra – generalização das redes de telecomunicação
c) diminuição dos preços das matérias-primas – substituição de fontes de energia tradicionais
d) redução dos custos com transporte – ampliação das práticas de sustentabilidade ambiental

1
1. (UERJ 2016)

Os contêineres são grandes caixas metálicas utilizadas para o transporte de mercadorias. O fluxo
de contêineres dos portos mais movimentados do mundo, observado no mapa, é explicado por uma
tendência da economia mundial nas últimas décadas.
Essa tendência está apresentada em:
a) ampliação da rede de telecomunicações
b) redução do comércio de matérias-primas
c) concentração do consumo de mercadorias
d) terceirização da produção de bens industriais

68
1
2. (UERJ 2017)

A partir da análise dos mapas, identifica-se que a diminuição da pobreza, entre 1990 e 1999, foi
mais acentuada em determinada região do mundo.
Um processo socioeconômico que explica o desempenho alcançado por essa região é:
a) tecnificação agrícola
b) redistribuição fundiária
c) industrialização periférica
d) reformulação previdenciária

69
1
3. (UERJ)

Nos gráficos, estão indicadas mudanças que afetaram a sociedade brasileira em um período que
inclui os Governos Militares (1964-1985) e o restabelecimento do regime democrático de 1985 aos
dias de hoje.
Analisando o primeiro e o segundo gráficos, conclui-se que os Governos Militares favoreceram,
respectivamente, a ocorrência de:
a) redução da pobreza e estabilização do deficit público
b) diminuição do poder aquisitivo e incremento da dívida externa
c) crescimento da riqueza nacional e elevação da concentração de renda
d) expansão do desenvolvimento econômico e elevação da remuneração salarial

1
4. (UERJ 2015)

As taxas de desemprego são um dos indicadores das condições do crescimento socioeconômico de


países e de regiões, em especial quando afetam contingentes populacionais mais jovens.
De acordo com o mapa, a região que apresenta o maior potencial para crescimento da força de
trabalho é:
a) Ásia Oriental
b) Oriente Médio
c) Norte da África
d) Sudeste Asiático

70
1
5. (UERJ) Uma das questões mais polêmicas da agricultura mundial diz respeito às centenas de bi-
lhões de dólares investidos todos os anos para dar apoio financeiro aos agricultores, principalmen-
te no mundo desenvolvido. Essa ajuda aumenta de modo artificial a competitividade, prejudicando
as vendas dos agricultores das nações pobres.
Análise o gráfico abaixo, que apresenta a estimativa de apoio estatal ao produtor rural em percen-
tual do PIB agrícola no ano de 2009:

Os cinco países com maior estimativa de dependência de subsídios para a agricultura apresentam
em comum as seguintes características:
a) propriedades com área reduzida – elevado custo de produção
b) atividades de caráter extensivo – baixa produtividade do setor primário
c) insumos oriundos da importação – grande percentual de terras devolutas
d) latifúndios voltados para a exportação – pequena população ativa no campo

1
6. (UERJ)

O REMEMBRAMENTO

O remembramento é a operação que permitiu reagrupar as propriedades rurais na França. As


paisagens rurais foram transformadas: os campos são cada vez mais abertos, as sebes (cercas de
arbustos) são menos numerosas.
Adaptado de Géographie - à monde ouvert. Paris: Hachette, 1996.

Com base na interpretação do gráfico e do texto, a transformação observável nesse país e sua cor-
respondente causa podem ser identificadas como:
a) coletivização rural - elevado incentivo governamental à agricultura comercial.
b) concentração fundiária - pouca competitividade das pequenas fazendas.
c) especialização produtiva - progressiva substituição da agricultura pela pecuária.
d) urbanização do campo - acentuado dinamismo das atividades de comércio e serviços

71
1
7. (UERJ)

A ampliação da oferta de alimentos é um dos maiores desafios da humanidade para as próximas


décadas.
Com base na disponibilidade do recurso natural representada no gráfico, o país com maior poten-
cial para expansão do seu setor agropecuário é:
a) Índia
b) China
c) Brasil
d) Estados Unidos

1
8. (UERJ)

Com base no mapa, é possível associar a macrorregião brasileira com maior proporção de migrantes
à presença da seguinte dinâmica socioespacial:
a) criação de área turística
b) formação de distrito industrial
c) ampliação de reserva ambiental
d) expansão da fronteira agropecuária

72
1
9. (UERJ) Os conflitos relacionados à propriedade fundiária no Brasil possuem raízes históricas pro-
fundas e uma multiplicidade de agentes sociais envolvidos.

Na situação referida nos quadrinhos, um desses agentes sociais, o grileiro, é mais especificamente
definido por:
a) apoderar-se de terras de forma ilegal.
b) promover a segurança pessoal dos latifundiários.
c) pressionar os pequenos fazendeiros para a venda dos imóveis.
d) ocupar uma pequena área desprovida de título de propriedade.

Gabarito
1. D 2. C 3. C 4. A 5. B

6. A 7. A 8. C 9. D 10. D

11. D 12. C 13. C 14. A 15. A

16. B 17. C 18. D 19. A

73
AULA 3

PRESCRIÇÃO: Embora com menor frequência, se comparado geografia humana, os temas de


geografia física, como clima, por exemplo, costumam aparecer vez por outra nas avaliações, abordando
principalmente astronomia. Meio ambiente e fontes de energia, devido a importância dos temas na
atualidade, são mais comuns. É importante que o aluno tenha conhecimento sobre questões hídricas,
fontes de energia renováveis e sua disponibilidade no mundo.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ)

O Índice de Pobreza em Água é um indicador criado com a finalidade de estabelecer relações entre
o acesso à água potável e as características do meio natural e de cada sociedade.
Com base no mapa, a maior presença de países em situação crítica quanto ao acesso à água potável
está no subcontinente denominado:
a) Oriente Médio
b) Ásia Meridional
c) América Andina
d) África Subsaariana

2. (UERJ) Vermelho, azul e branco deveriam ter a companhia do cinza na bandeira francesa. Se os
desmandos da aristocracia francesa, sem dúvida, alimentaram o rancor popular que resultou na re-
volução de 1789, o vulcão Laki, localizado na Islândia, também contribuiu para a causa. A erupção
iniciada em agosto de 1783 durou oito meses e teve efeitos catastróficos na Islândia e na Europa.
Entre eles, uma alteração nos padrões climáticos que arrasou a agricultura francesa.
A escala da erupção de 1783 foi grandiosa. Formou-se uma imensa nuvem de fumaça cinza que
esfriou o planeta por pelo menos quatro anos.
A Islândia está atolada numa dívida externa de mais de US$ 600 milhões desde a eclosão da crise
global de 2008. Apesar da reprovação do resto da Europa pelos caos – o econômico e o aéreo –, para
muitos dos 320 mil habitantes da ilha, a força subterrânea da natureza veio para retirar o país de
uma catarse coletiva. A erupção do Eyjafjallajoekull ajudou a restaurar um senso de solidariedade
após uma infinita busca de responsáveis desde a crise.
Adaptado de O Globo, 24/04/2010

Os impactos de fenômenos geológicos e climáticos podem variar na história, como ilustram as


reportagens sobre as erupções vulcânicas na Islândia, em 1783 e 2010.

74
Nos dois casos apresentados, o fator natural contribuiu para reforçar a relação de interdependên-
cia entre:
a) contextos políticos - atendimento das demandas sociais
b) decisões econômicas - resolução dos problemas ambientais
c) avanços tecnológicos - diminuição das insatisfações populares
d) progressos científicos - redimensionamento das catástrofes naturais

3. (UERJ)

Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil

O Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil é uma iniciativa do governo
através do Ministério do Meio Ambiente, em parceria com a comunidade internacional. Tem como
finalidade o desenvolvimento de estratégias inovadoras para promover, simultaneamente, a pro-
teção e o uso da Floresta Amazônica e da Mata Atlântica, associadas a melhorias na qualidade de
vida das populações locais.
Um dos objetivos do programa é demonstrar a viabilidade da harmonização dos objetivos ambien-
tais e econômicos nas florestas tropicais.
Adaptado de http://www.mma.gov.br

A comparação entre os textos acima indica uma mudança na gestão do espaço amazônico.
A concepção que movia o governo brasileiro em relação à Amazônia na década de 1970 e a que ser-
ve de base para as ações propostas pelo atual Ministério do Meio Ambiente estão respectivamente
apresentadas em:
a) território estratégico – preservação dos ambientes rurais
b) região problema – desenvolvimento ecológico equilibrado
c) espaço da vida selvagem – proteção integral do ambiente
d) fronteira de recursos – crescimento econômico sustentável

4. (UERJ)

75
A ampliação do uso de fontes de energia renováveis e não poluentes representa uma das principais
esperanças para a redução dos impactos ambientais sobre o planeta.
Considerando os gráficos, a distribuição espacial da produção instalada das energias eólica e foto-
voltaica é explicada, sobretudo pela seguinte característica dos países que mais as utilizam:
a) matriz elétrica limpa
b) perfil climático favorável
c) densidade demográfica reduzida
d) desenvolvimento tecnológico avançado

5. (UERJ)

Na tirinha, Calvin e o tigre Haroldo usam um globo terrestre para orientar sua viagem da Cali-
fórnia, Estados Unidos, para o território do Yukon, no extremo norte do Canadá. Considerando as
áreas de origem e destino da viagem pretendida, nota-se que o tigre comete um erro de interpre-
tação no último quadrinho.
Esse erro mostra que Haroldo não sabe que o globo terrestre é elaborado com base no seguinte
elemento da linguagem cartográfica:
a) escala pequena
b) projeção azimutal
c) técnica de anamorfose
d) convenção equidistante

6. (UERJ 2015)

O lixo gerado especialmente nas cidades mais populosas se tornou, no último século, um dos fato-
res causadores de impactos ambientais nem sempre reversíveis a curto prazo.
Um dos problemas e uma das soluções relativos ao acúmulo do lixo em áreas urbanas estão apre-
sentados em:
a) poluição de ecossistemas fluviais − coleta seletiva
b) aumento da emissão de gases − remodelação de áreas de risco
c) destruição de reservas florestais − reciclagem de resíduos tóxicos
d) diminuição dos reservatórios de água − redistribuição de núcleos populacionais

76
Raio X
1.
Como mencionado corretamente na alternativa [D], a análise da figura permite que se conclua que a
região com maior pobreza em água é África Subsaariana.
2.
Catástrofes de grande magnitude costumam atuar nos países que as sofrem de maneiras muito varia-
das. São movimentos naturais onde as populações pouco podem fazer para evitá-los. Afetam a eco-
nomia, às vezes, por muitos anos. Por outro lado, podem despertar sentimentos de solidariedade es-
quecidos ou mesmo desconhecidos. Afetam também as lideranças políticas retirando-as de processos
inerciais para, no conjunto da sociedade, buscar saídas, soluções e ações para diminuir o sofrimento de
seus concidadãos e tentar evitar novas tragédias sociais através de planos de mitigação mais eficientes.
A alternativa [B] é falsa, muitos desses problemas ambientais não podem ser resolvidos, mas equacio-
nados em busca de medidas de mitigação.
A alternativa [C] é falsa, avanços tecnológicos ajudam a prevenir catástrofes e não a evitá-las.
A alternativa [D] é falsa, catástrofes naturais não podem ser redimensionadas e sim analisadas para se
tentar tirar delas lições que possam melhorar a eficiência dos sistemas de prevenção e alerta.
3.
Na década de 1970 a política nacional de cunho desenvolvimentista previa ações planejadas de ocupa-
ção econômica das fronteiras pioneiras com base em projetos econômicos como agropecuária, mine-
ração, obras civis, entre outros, muito vinculados a migrações dirigidas em direção ao Norte e Centro-
-Oeste. A década de 1970 marca também o início da conscientização ecológica nos diversos níveis da
sociedade. Atualmente, devido a discussões nacionais e mundiais sobre a economia e seus efeitos sobre
o meio ambiente e a sociedade que nele vivem, fazem com que o pensamento e as ações planejadas
para a região consideram formas sustentáveis de aproveitamento.
A alternativa [A] é falsa, a questão se refere à Amazônia Brasileira e atualmente os ambientes rurais
devem ser sustentáveis na contemplação de investimentos no setor.
A alternativa [B] é falsa, na década de 1970 (e ainda hoje também) a região problema do Brasil é o
Nordeste.
A alternativa [C] é falsa, o espaço amazônico sempre foi ocupado por povos da floresta que vivem em
pleno equilíbrio com a natureza regional.
4.
A concentração da produção eólica e fotovoltaica se dá nos países desenvolvidos, o que indica, com
mencionado na alternativa [D], o elevado grau de investimentos em tecnologia para a produção
de energia alternativa. Estão incorretas as alternativas: [A], porque a opção pela matriz limpa não
explica sua concentração nos países destacados no mapa; [B], porque as condições climáticas para
a produção das matrizes energéticas indicadas nos mapas encontram-se também em outras áreas
do planeta; [C], porque a densidade demográfica não é um fator que estabelece a matriz energéti-
ca, e os países destacados no mapa apresentam de forma geral, grande densidade demográfica.
5.
A alternativa [A] é correta porque, considerando que escala cartográfica é a proporção entre o
tamanho real do espaço e o desenho, para representar a extensão da Terra, o globo faz uma gran-
de redução da área diminuindo o número de detalhes apresentados, o que caracteriza então uma
escala pequena e faz Haroldo enxergar uma pequena distancia entre Yukon e os Estados Unidos.
São incorretas as alternativas: [B] e [D] porque projeção azimutal e equidistante refere-se à for-
ma como se transfere a esfericidade da Terra para um plano (mapa); [C], porque anamorfose é
a representação dos países ou regiões segundo a dimensão de um tema determinado ao invés de
representá-los segundo sua área.
6.
Como mencionado corretamente na alternativa [A], um dos problemas relativos à questão do lixo
é a poluição dos rios com o descarte irregular e impróprio, cuja solução viável seria a redução do
montante do descarte a partir da coleta seletiva (reciclagem) além da disseminação de conceitos
como pré-ciclagem. Estão incorretas as alternativas: [B], [C] e [D] porque o aumento da emissão
de gases, a destruição das reservas florestais e a diminuição dos reservatórios de água não estão
relacionados diretamente a questão do lixo.

Gabarito
1. D 2. A 3. D 4. D 5. A

6. A

77
Prática dos conhecimentos - E.O.
1. (UERJ)

Há 34 anos, os governos do Brasil e da Alemanha firmavam programa de cooperação que previa


a construção de oito centrais termonucleares, além de usinas de enriquecimento de urânio e de
reprocessamento do combustível nuclear.
Além das irregularidades apontadas na reportagem, o atual programa nuclear brasileiro tem como
principal problema:
a) risco de poluição ambiental
b) inviabilidade da tecnologia adotada
c) ausência de fontes de investimentos
d) indisponibilidade de mão de obra qualificada

2. (UERJ)

O uso da energia nuclear ainda é considerado uma opção polêmica. Pela análise do gráfico, pode-
-se identificar o período em que os investimentos nessa forma de gerar energia alcançaram o seu
auge.
As duas conjunturas que explicam os altos investimentos nesse período são:
a) política da Detente e crise ambiental
b) integração europeia e Guerra do Golfo
c) crise do petróleo e corrida armamentista
d) enfraquecimento da OPEP e Guerra Fria

78
3. (UERJ) No Brasil um grupo de técnicos e assessores do IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Am-
biente e dos Recursos Naturais Renováveis - vem propondo (...) a criação do salário-defeso.
O defeso é um instrumento de proteção de uma determinada espécie quando se estabelecem li-
mitações à pesca nos períodos de reprodução dos peixes. Com a instituição do salário-defeso os
pescadores passam a receber um salário mínimo durante todo o período do defeso. Nesse período
os pescadores desenvolvem o aprendizado de uma série de atividades visando diversificar suas
fontes de sustentação.
A proposta do salário-defeso é extremamente interessante porque supera a falsa dicotomia que
separa a natureza da sociedade, essa verdadeira armadilha ideológica do pensamento ocidental.
(GONÇALVES, Carlos W. P. In: "Território Territórios" / Programa de Pós-Graduação em Geografia. Niterói: UFF/AGB, 2002.)

O texto remete a uma nova concepção do Estado em relação ao uso dos recursos naturais.
Ao longo da história, a exploração dos recursos naturais em nosso país foi predominantemente
caracterizada como:
a) ambientalista, por criar leis de proteção do ambiente
b) predatória, por priorizar a exploração dos ecossistemas
c) excludente, por estatizar a extração das riquezas naturais
d) conservacionista, por propor o uso racional dos recursos naturais

4. (UERJ) A Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM) - assinada pelo Brasil em
1982 e ratificada em 1988 - introduz ou consagra os conceitos de mar territorial, zona econômica
exclusiva e plataforma continental.
Em 1993, o Governo brasileiro sancionou a lei que tornou os limites marítimos brasileiros coeren-
tes com os limites preconizados pela CNUDM. O mar territorial brasileiro de 200 milhas marítimas
- instituído em 1970 - passou a ser de 12 milhas marítimas, ao qual foram acrescidas 188 milhas
referentes à zona econômica exclusiva.
M. DE SOUZA. Adaptado de www.scielo.br

A alteração da legislação brasileira no que se refere aos limites marítimos reflete as mudanças na
diplomacia externa do país dos anos 1970 para os anos 1980/1990.
As duas diretrizes da política externa do Brasil, para cada um desses dois períodos, estão formu-
ladas, respectivamente, em:
a) gestão pública alicerçada nas principais demandas populares - adoção dos novos princípios mundiais
de domínio compartilhado dos recursos naturais
b) exercício da soberania baseado em decisões unilaterais de inspiração nacionalista - integração a siste-
mas multilaterais de decisão na esfera mundial
c) ação do Estado fundamentada na lógica de alianças da Guerra Fria - submissão às resoluções dos orga-
nismos internacionais manipuladas pelas potências hegemônicas
d) intervenção governamental em defesa dos interesses econômicos externos - implantação de uma es-
tratégia de consenso internacional em detrimento dos capitais nacionais

5. (UERJ) MUDANÇAS CLIMÁTICAS AFETARÃO MAIS OS PAÍSES MAIS POBRES

79
40%
É a elevação máxima estimada na vazão dos rios em regiões mais distantes do Equador
30%
É a queda máxima estimada na vazão dos rios nas regiões tropicais áridas
70%
É o declínio estimado na recarga dos aquíferos dos nordeste brasileiro
Adaptado de "Folha de São Paulo", 07/04/2007

O relatório elaborado pelo IPCC - Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática - alerta para
os perigos e alterações climáticas e suas consequências, como os descritos na reportagem.
De acordo com os prognósticos, essas consequências serão mais sentidas nos países pobres em
função do seguinte fator:
a) emissão de gases poluentes em níveis elevados
b) políticas de proteção ambiental de eficácia reduzida
c) escassez de água em regiões de baixa qualidade de vida
d) exploração dos recursos vegetais em áreas mais populosas

6. (UERJ) Foi do capitão do barco que ouvi dizer pela primeira vez que o mundo iria se acabar se
continuassem matando os animais do rio. Hoje, o rio Magdalena está morto, com suas águas apo-
drecidas e seus animais extintos. Os trabalhos de recuperação dos quais tanto falaram os sucessi-
vos governos que nada fizeram requereriam o plantio técnico de uns sessenta milhões de árvores
em noventa por cento de terras privadas, cujos donos teriam que renunciar, só por amor à pátria,
a noventa por cento de sua renda.
(Adaptado de MÁRQUEZ, Gabriel García. "Viver para contar". Rio de Janeiro: Record, 2003.)

Gabriel García Márquez, recordando sua vida na Colômbia, fornece um exemplo real do conflito
entre políticas de preservação ambiental e a exploração dos recursos naturais.
A alternativa que indica uma intervenção prioritária do Estado contra o processo de degradação
ambiental da bacia do rio Magdalena é:
a) desapropriação das terras
b) requalificação da mão de obra
c) regularização de reservas ecológicas
d) reordenação do processo produtivo

7. (UERJ) A Agência Nacional de Águas começou a criar mercados estaduais de água no Nordeste.
(...) Os produtores rurais da região do Baixo Jaguaribe vão pagar R$ 0,01 para assegurar o direito
a consumir cada mil litros (m3) de água. Os recursos arrecadados vão indenizar aqueles agriculto-
res que ficarão sem água para irrigar a produção, desde que estejam dispostos a partir para novos
tipos de cultura (...) de alto valor agregado, como a fruticultura, (...) mais rentável que arroz e
feijão, culturas que não são propícias à região seca (...). O volume de água armazenada na bacia do
rio Jaguaribe só será suficiente para atender à metade da demanda do setor agrícola neste ano. O
objetivo é preparar a região apenas para a produção de culturas que são de alto valor agregado e
que economizem água.
(Adaptado de LEAL, Gabriela. "Jornal do Brasil", 20/08/2001.)

No texto, as relações entre manejo adequado dos recursos ambientais e crescimento econômico são
apresentadas basicamente como instrumento de:
a) monopolização dos recursos hídricos
b) potencialização do processo produtivo
c) fomentação de serviços e produtos lucrativos
d) exclusão dos atores econômicos menos dinâmicos

80
8. (UERJ)

(Folha de São Paulo, 28/06/2003)

A charge representa o processo de desmatamento que vem sendo incrementado na área da Ama-
zônia Legal.
Esse processo de desmatamento tem como consequência:
a) aumento do assoreamento dos rios
b) intensificação da fertilidade dos solos
c) crescimento dos índices pluviométricos
d) elevação do volume d'água das nascentes

9. (UERJ)

A figura acima representa um fenômeno climático cada vez mais comum nas áreas centrais das
grandes cidades.
Esse fenômeno recebe a seguinte denominação:
a) friagem
b) estiagem
c) ilha de calor
d) inversão térmica

81
1
0. (UERJ) Na segunda metade do século XIX, devido a problemas de abastecimento de água na cidade
do Rio de Janeiro, promoveu-se o reflorestamento do Maciço da Tijuca.
Um exemplo da grande repercussão do tema na época está representado no seguinte texto de 1870:
"A utilidade das florestas nas cercanias das cidades é de toda evidência: o benefício que delas
provém é inestimável com relação ao fenômeno meteorológico das chuvas cuja frequência e regu-
laridade elas operam (...). Em nossa opinião, o belo exemplo da Floresta Nacional da Tijuca deve-
ria ser seguido e aplicado em outros pontos da montanha, que cercam nossa capital, e que se vão
escalvando com a derrubada do arvoredo para fabricar carvão (...)"
(Instituto lmperial Fluminense apud HEYNEMANN, C. "Floresta da Tijuca: natureza
e civilização". Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade, 1995.)

Hoje, a questão da preservação e da recuperação da cobertura florestal, numa área urbana como a
do Rio de Janeiro, é justificada não apenas pelo aspecto meteorológico, mas também pela possibi-
lidade de contribuir para:
a) transformar a fauna e a flora e sua diversidade
b) explorar os produtos florestais economicamente
c) regularizar a infiltração e o escoamento das águas pluviais
d) impedir a ocupação das encostas pelos segmentos desfavorecidos

1
1. (UERJ) A exploração das Florestas Nacionais pelo setor privado é, para o Secretário de Biodiversida-
de e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, João Paulo Capobianco, a única saída possível para
inibir o desmatamento e a grilagem. Para o secretário, desde o Brasil Colônia, doam-se florestas pú-
blicas para terceiros, que a partir daí passam a utilizar essas áreas sem nenhum tipo de remuneração
para a sociedade. No sistema de gestão, as florestas continuarão públicas, e os interessados terão de
identificar áreas prioritárias para conservação e explorar de forma sustentável as demais.
(Adaptado de "Carta Capital", 02/02/2005)

Esse modelo de gestão florestal, já adotado em outros países, é apresentado à sociedade brasileira
como uma alternativa técnica e política para a exploração da Floresta Amazônica, frente à expan-
são do desmatamento. Na prática, para a sociedade brasileira, um aspecto positivo e outro negativo
desse modelo estão explicitados, respectivamente, em:
a) manejo da biodiversidade e fiscalização precária
b) controle do acesso à terra e minimização dos lucros
c) preservação da biomassa e redução da produtividade
d) manutenção dos recursos hídricos e estatização dos recursos

12. (UERJ)

(NOVA) GUERRA FRIA SOBRE O ÁRTICO


Mesmo divergindo sobre as causas do fenômeno, a comunidade científica é unânime: o Ártico está
derretendo. Segundo um estudo da Arctic Climate Impact Assessment (ACIA), publicado em 2004,
4.998.000 km2 de geleiras desapareceram ao longo dos últimos 30 anos.
Adaptado de http://diplo.uol.com.br

82
No mapa e na reportagem, apresentam-se informações que remetem a possíveis alterações na
economia e na política da Região Ártica, fruto da combinação de eventos como a mundialização do
capitalismo e o aquecimento global.
Dois significativos interesses estratégicos que podem produzir uma redefinição da geopolítica do
Ártico são:
a) instalação de bases militares e monitoramento do tráfego aéreo
b) aproveitamento da biodiversidade e expansão do mar territorial
c) exploração de recursos minerais e controle de novas rotas marítimas
d) utilização de reservas de água potável e aproveitamento da energia hidroelétrica

Gabarito
1. A 2. C 3. B 4. B 5. C

6. D 7. B 8. A 9. C 10. C

11. A 12. C

83
CN
BIOLOGIA
UERJ - Biologia
Fisiologia Animal e Humana, 29%
Citologia, 19%
Genética, 16%
Ecologia, 15%
Reino Vegetal / Fungos, 7%
Reino Animal / Protoctistas, 5%
Evolução Biológica, 4%
Parasitologia, 2%
Outros, 3%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULA 1

PRESCRIÇÃO: O tema de biologia mais aportado dentro da UERJ é fisiologia animal e huma-
na, sendo assim é de suma importância ter conhecimento sobre as principais características de
cada grupo de metazoários e ter a capacidade de compará-las. Na fisiologia humana, merece
destaque temas como respiração, endócrino, digestório e circulatório.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) No processo evolutivo de algumas espécies de primatas, destacam-se diferentes for-
mas de movimentação e de distribuição da musculatura, conforme se observa a seguir.

Em relação aos demais primatas, a diferença na distribuição da musculatura da espécie humana


favoreceu a seguinte atividade:
a) ocupação das árvores
b) alimentação herbívora
c) locomoção quadrúpede
d) manipulação de objetos

2. (UERJ 2017) As células musculares presentes nas asas das aves migratórias possuem maior con-
centração de determinada organela, se comparadas às células musculares do restante do corpo.
Esse fato favorece a utilização intensa de tais membros por esses animais.
Essa organela é denominada:
a) núcleo
b) centríolo
c) lisossoma
d) mitocôndria

3. (UERJ 2017) Os primeiros artrópodes eram animais marinhos. Ao longo do processo evolutivo,
alguns membros desse grupo sofreram transformações que possibilitaram a eles a conquista do
meio terrestre.

87
Uma transformação que contribuiu para a permanência destes artrópodes nesse ambiente seco foi:
a) circulação aberta
b) respiração traqueal
c) fecundação externa
d) digestão extracorpórea

4. (UERJ 2017) Em avaliações físicas, é comum a análise conjunta de duas variáveis:


1. débito cardíaco – volume de sangue que o coração é capaz de bombear em determinado período
de tempo;
2. frequência cardíaca – número de batimentos do coração nesse mesmo período de tempo.

Em geral, atletas apresentam elevado débito cardíaco, ou seja, o coração bombeia um volume maior
de sangue com menos batimentos, se comparado a um indivíduo sedentário.
Admita que quatro homens não fumantes, sem diagnóstico de patologia cardíaca, com mesmo peso
corporal e idade, foram submetidos à corrida em uma mesma esteira. Durante esse processo, foi
registrado o débito cardíaco de cada um, obtendo-se os resultados indicados no gráfico.

De acordo com os resultados apresentados, a curva que representa o indivíduo com maior frequência
cardíaca é:
a) I
b) II
c) III
d) IV

5. (UERJ 2016) A temperatura e a pressão afetam a solubilidade do oxigênio no sangue dos orga-
nismos. Alguns animais marinhos sem pigmentos respiratórios realizam o transporte de oxigênio
por meio da dissolução desse gás diretamente no plasma sanguíneo. Observe a variação da solubi-
lidade do oxigênio no plasma, em função da temperatura e da profundidade a que o animal esteja
submetido, representada nos gráficos abaixo.

88
Um estudo realizado sob quatro diferentes condições experimentais, para avaliar a dissolução de
oxigênio no plasma desses animais, apresentou os seguintes resultados:

Parâmetros Condições experimentais


avaliados W X Y Z
Temperatura Baixa Baixa Alta Alta
Profundidade Alta Baixa Baixa Alta
O transporte de oxigênio dissolvido no plasma sanguíneo foi mais favorecido na condição experi-
mental representada pela seguinte letra:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

6. (UERJ 2016) Um morador de uma cidade situada no nível do mar decidiu passar um período de
férias em uma cidade com altitude de 2500 m. Antes da viagem, os resultados de seu exame de
sangue eram compatíveis com a normalidade em todos os parâmetros medidos. No entanto, logo
nos primeiros dias da viagem, sentiu fortes tonturas e dores de cabeça, apesar de não ter entrado
em contato com agentes infecciosos ou com substâncias químicas nocivas ao organismo.
As condições ambientais responsáveis pelo surgimento desses sintomas são também responsáveis
por estimular o organismo dessa pessoa a produzir um maior número de células denominadas:
a) linfócitos
b) hemácias
c) plaquetas
d) megacariócitos

Raio X
1.
A postura bípede da espécie humana favoreceu, evolutivamente, a utilização das mãos para a ma-
nipulação de objetos.
2.
As células musculares presentes nas asas das aves migratórias possuem maior concentração de
mitocôndrias. Essas organelas são responsáveis pela produção de ATP pela respiração celular aeró-
bica. A migração exige esforço muscular rítmico e sustentável.
3.
A respiração traqueal permite a captação direta do oxigênio (O2) presente no ar atmosférico, faci-
litando a adaptação dos artrópodes ao meio terrestre.
4.
De acordo com o enunciado, pessoas sedentárias, apresentam o menor débito cardíaco e a maior
frequência cardíaca quando correm em uma esteira de teste ergométrico.
5.
Os gráficos mostram que para avaliar a dissolução de oxigênio no plasma dos animais desprovidos
de pigmentos respiratórios, a temperatura da água deve ser baixa e a profundidade alta.
6.
A altitude é um fator ecológico abiótico que provoca o aumento do número de hemácias.

Gabarito
1. D 2. D 3. B 4. D 5. A

6. B

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2015) As principais reservas de energia dos mamíferos são, em primeiro lugar, as gorduras
e, em segundo lugar, um tipo de açúcar, o glicogênio. O glicogênio, porém, tem uma vantagem,
para o organismo, em relação às gorduras.
Essa vantagem está associada ao fato de o glicogênio apresentar, no organismo, maior capacidade de:
a) sofrer hidrólise
b) ser compactado
c) produzir energia
d) solubilizar-se em água

89
2. (UERJ 2016) Um dos fatores determinantes da perda de cálcio dos ossos é o envelhecimento,
sobretudo em mulheres. O esquema abaixo representa a regulação do cálcio no sangue humano,
realizada pelas glândulas X e Y responsáveis diretas pela produção dos hormônios A e B respecti-
vamente.

Esse processo de perda de cálcio resulta, principalmente, da atuação intensa do hormônio e da


glândula indicados em:
a) calcitonina – tireoide
b) adrenalina – suprarrenal
c) somatotrófico – hipófise
d) paratormônio – paratireoide

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

O suco gástrico contém um ácido, produzido pelas células da parede do estômago, que desempenha
papel fundamental para a eficiência do processo digestório no ser humano.

3. (UERJ 2016) O consumo excessivo de antiácidos pode interferir na atuação do suco gástrico, pre-
judicando o funcionamento normal do estômago.
As duas principais funções do estômago prejudicadas por esse uso excessivo são:
a) emulsificação de gorduras – absorção de aminoácidos
b) quebra de moléculas de carboidratos – produção de muco
c) transformação de pepsinogênio em pepsina – eliminação de micro-organismos
d) digestão de compostos carboxílicos – manutenção de pH adequado à absorção

4. (UERJ 2015) Para a realização de um exame, os indivíduos A e B ingeriram uma solução contendo
glicose.
Após a ingestão, foram registradas as alterações da concentração plasmática da glicose e dos hor-
mônios X e Y em ambos os indivíduos. Observe os resultados das medições nos gráficos:

90
Com base na análise dos gráficos, é possível identificar que um dos indivíduos apresenta diabetes
tipo II e que um dos hormônios testados é o glucagon.
O indivíduo diabético e o hormônio glucagon estão representados, respectivamente, pelas seguin-
tes letras:
a) A − X
b) A − Y
c) B − X
d) B − Y

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

A salinidade da água é um fator fundamental para a sobrevivência dos peixes. A maioria deles vive
em condições restritas de salinidade, embora existam espécies como o salmão, que consegue viver
em ambientes que vão da água doce à água do mar. Há peixes que sobrevivem em concentrações
salinas adversas, desde que estas não se afastem muito das originais.
Considere um rio que tenha passado por um processo de salinização. Observe na tabela suas faixas
de concentração de cloreto de sódio.

Trecho do rio Concentração de NaCℓ (mol·L-1)


W < 0,01
X 0,1 − 0,2
Y 0,4 − 0,5
Z ≥ 0,6*
*isotônica à água do mar

5. (UERJ 2015) Considere um peixe em estresse osmótico que consegue sobreviver eliminando mais
urina e reabsorvendo mais sais do que em seu habitat original.
Esse peixe é encontrado no trecho do rio identificado pela seguinte letra:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

6. (UERJ) Laudos confirmam que todas as mortes na Kiss ocorreram pela inalação da fumaça Necrop-
sia das 234 vítimas daquela noite revela que todas as mortes ocorreram devido à inalação de gás
cianídrico e de monóxido de carbono gerados pela queima do revestimento acústico da boate.
Adaptado de ultimosegundo.ig.com.br, 15/03/2013.

Os dois agentes químicos citados no texto, quando absorvidos, provocam o mesmo resultado: para-
lisação dos músculos e asfixia, culminando na morte do indivíduo.
Com base nessas informações, pode-se afirmar que tanto o gás cianídrico quanto o monóxido de
carbono interferem no processo denominado:
a) síntese de DNA
b) transporte de íons
c) eliminação de excretas
d) metabolismo energético

91
7. (UERJ) Lipases são enzimas relacionadas à digestão dos lipídios, nutrientes que, em excesso, le-
vam ao aumento da massa corporal. Certos medicamentos para combate à obesidade agem inibindo
essas enzimas. Assim, como não há digestão de parte da gordura ingerida, há menor absorção
desses nutrientes, contribuindo para o controle do peso.
Com base nessas informações, conclui-se que tais medicamentos agem principalmente sobre as
enzimas produzidas pelo seguinte órgão:
a) fígado
b) jejuno
c) pâncreas
d) estômago

8. (UERJ) A pílula anticoncepcional contém os hormônios estrogênio e progesterona, que agem


sobre a hipófise alterando os níveis de liberação dos seguintes hormônios: folículo estimulante
(FSH) e luteinizante (LH).
No gráfico abaixo, são mostradas as variações das concentrações de FSH e de LH durante um ciclo
menstrual de 28 dias de uma mulher que não usa anticoncepcionais.

Considere agora uma mulher que utilize esse método anticoncepcional na prescrição usual: uma
pílula por dia ao longo de 28 dias.
Os valores sanguíneos dos hormônios FSH e LH, durante o ciclo menstrual dessa mulher, estão
apresentados em:
a)


b)


c)


d)


92
9. (UERJ) O hormônio aldosterona, produzido pela região cortical das glândulas suprarrenais, au-
menta a absorção do íon Na+ pelos túbulos renais. Quanto menor a concentração desse íon nos
líquidos extracelulares, maior é a produção de aldosterona.
Em um experimento para analisar o funcionamento dos túbulos renais, alguns pacientes foram
submetidos a quatro diferentes dietas alimentares. Os resultados obtidos estão indicados no grá-
fico abaixo, no qual a barra I corresponde à taxa de absorção de água em um paciente com valor
normal de concentração extracelular de Na+.

A barra que indica o resultado correspondente a um paciente submetido a uma rígida dieta de
restrição de NaCℓ é a de número:
a) II
b) III
c) IV
d) V

1
0. (UERJ) A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do pH do meio.
Observe o gráfico:

A curva que representa a variação da atividade da quimiotripsina, enzima proteolítica encontrada


no suco duodenal, é a identificada pela seguinte letra:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

1
1. (UERJ) Um dos equipamentos de segurança de uma cápsula espacial tripulada efetua a remoção
do gás carbônico desse ambiente. Admita que, após um acidente, esse equipamento tenha deixado
de funcionar. Observe as curvas do gráfico abaixo:

93
A curva que representa a tendência do que deve ter ocorrido, após o acidente, com o pH sanguíneo
dos tripulantes está identificada por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

1
2. (UERJ) Durante o ciclo menstrual, as concentrações sanguíneas de hormônios hipofisários e ova-
rianos sofrem notáveis variações. Os gráficos abaixo ilustram essas variações, ocorridas durante
um ciclo de 28 dias.

O gráfico que representa o hormônio progesterona, em um ciclo menstrual normal, está indicado
pela seguinte letra:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Uma das consequências do acidente nuclear ocorrido no Japão em março de 2011 foi o vazamento
de isótopos radioativos que podem aumentar a incidência de certos tumores glandulares. Para
minimizar essa probabilidade, foram prescritas pastilhas de iodeto de potássio à população mais
atingida pela radiação.

1
3. (UERJ) O consumo dessas pastilhas de iodeto de potássio pode diminuir a incidência de tumores
na seguinte glândula:
a) tireoide
b) hipófise
c) pâncreas
d) suprarrenal

94
1
4. (UERJ) As proteínas alimentares são digeridas em etapas, até que seus produtos finais, os ami-
noácidos, possam ser absorvidos. O gráfico abaixo mostra a relação entre a quantidade de amino-
ácidos formados em três compartimentos do tubo digestório algum tempo após a ingestão de uma
refeição rica em proteínas.

Os compartimentos estômago, duodeno e jejuno-íleo estão representados no gráfico pelas barras


identificadas, respectivamente, por:
a) Y, X e Z
b) X, Y e Z
c) Z, X e Y
d) Y, Z e X

1
5. (UERJ) Os hormônios exercem papel fundamental na integração do controle metabólico do orga-
nismo humano.
Algumas das etapas do metabolismo estimuladas por hormônios estão resumidas a seguir:
1. gliconeogênese hepática;
2. síntese de glicogênio;
3. mobilização do Ca++ do osso.
Os hormônios insulina, paratormônio e epinefrina estimulam, respectivamente, as seguintes eta-
pas:
a) 2, 3, 1
b) 1, 2, 3
c) 3, 2, 1
d) 1, 3, 2

1
6. (UERJ) Uricotélicos são animais que excretam nitrogênio através de sua incorporação em ácido
úrico, substância pouco solúvel em água. Já os mamíferos excretam o nitrogênio sob a forma de
ureia, composto muito solúvel em água.
Considere a hipótese de que, em algum momento do futuro da Terra, a água se torne progressiva-
mente escassa. No gráfico abaixo, as curvas representam as taxas de crescimento populacional de
diversos grupos animais em função da crescente dificuldade de obtenção de água.

Com base no conceito de seleção natural, a curva que poderia representar os animais uricotélicos
é a identificada por:
a) P
b) Q
c) R
d) S

95
1
7. (UERJ) Isótopos radioativos de diversos elementos têm grande importância na medicina, já que
podem ser usados no diagnóstico ou no tratamento de algumas doenças. O uso do radioisótopo
131I é adequado para o diagnóstico de tumores no seguinte tecido:
a) hepático
b) ovariano
c) tireoidiano
d) pancreático

1
8. (UERJ) O metabolismo energético do organismo varia em função dos níveis de hormônios na cir-
culação sanguínea. Por sua vez, a produção hormonal está relacionada com fatores como existência
de doenças, escolhas alimentares e estado de atividade ou de inatividade física.
O esquema a seguir mostra transformações metabólicas predominantes em determinada condição
do organismo, envolvendo algumas substâncias em diferentes tecidos.

A condição representada pelo esquema é:


a) repouso
b) diabetes melito
c) hiperinsulinismo
d) dieta hiperglicídica

1
9. (UERJ) Três diferentes tipos de células, X, Y e Z, foram cultivados em meios de cultura apropria-
dos, em ambientes fechados e sob iluminação constante, na presença de ar atmosférico para as
células dos tipos X e Y e de N2 para as células do tipo Z.
A tabela a seguir mostra a variação das concentrações de três parâmetros, medidas ao fim de algum
tempo de cultivo.

Tipo de célula O2 CO2 CH3 ‒ CH2 ‒ OH


X aumentou diminuiu ausente
Y diminuiu aumentou ausente
Z ausente aumentou presente

Amebas, dinoflagelados e leveduras podem ter um comportamento similar ao apresentado, respec-


tivamente, pelas células do tipo:
a) X, Y e Z
b) Z, Y e X
c) Y, X e Z
d) X, Z e Y

96
2
0. (UERJ 2008) Os gráficos a seguir indicam as alterações, para mais (+) ou para menos (-), de três
parâmetros medidos em animais submetidos, previamente, a tratamentos com diversas drogas. Os
eixos horizontais dos gráficos representam a taxa média desses parâmetros em animais que não
foram submetidos a tratamento algum.

Sabe-se que a aloxana é uma substância tóxica, cuja ação conhecida é a de provocar a destruição
das células â das ilhotas de Langerhans do pâncreas.
Os resultados que podem corresponder aos parâmetros medidos em animais previamente submeti-
dos a tratamento com aloxana estão mostrados no seguinte gráfico:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

Gabarito
1. A 2. D 3. C 4. B 5. C

6. D 7. C 8. C 9. B 10. B

11. D 12. A 13. A 14. D 15. A

16. D 17. C 18. B 19. C 20. C

97
AULA 2

PRESCRIÇÃO: A área de citologia, que envolve bioquímica básica celular e fisiologia do


metabolismo energético, também é uma área que aparece com frequência na prova da
UERJ. Além desses conhecimentos, o aluno deve compreender sobre conceito de muta-
ção e ser capaz de aplicar as leis mendelianas.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Os diferentes tipos de transplantes representam um grande avanço da medicina.
Entretanto, a compatibilidade entre doador e receptor nem sempre ocorre, resultando em rejeição
do órgão transplantado.
O componente da membrana plasmática envolvido no processo de rejeição é:
a) colesterol
b) fosfolipídeo
c) citoesqueleto
d) glicoproteína

2. (UERJ 2017) Considere um animal que possui oito cromossomos em suas células diploides. Nos
esquemas A e B, estão representadas duas células desse animal em processo de divisão celular.

Com base nos esquemas, são identificados os seguintes tipos de divisão celular em A e B, respec-
tivamente:
a) meiose e mitose
b) mitose e meiose
c) mitose e mitose
d) meiose e meiose

3. (UERJ 2016) A reprodução em animais do sexo masculino envolve uma série de divisões celulares,
que produzem espermatócitos primários e secundários como etapas intermediárias para a produ-
ção dos gametas masculinos.
Considere um macho adulto diploide que apresenta 28 cromossomos em suas células somáticas.
Nesse caso, seus espermatócitos primários e seus espermatócitos secundários devem conter, res-
pectivamente, os seguintes números de cromossomos:
a) 28 - 14
b) 14 - 28
c) 28 - 28
d) 14 - 14

98
4. (UERJ 2016) Em algumas raças de gado bovino, o cruzamento de indivíduos de pelagem totalmen-
te vermelha com outros de pelagem totalmente branca produz sempre indivíduos malhados, com
pelagem de manchas vermelhas e brancas.
Admita um grupo de indivíduos malhados, cruzados apenas entre si, que gerou uma prole de
20 indivíduos de coloração totalmente vermelha, 40 indivíduos com pelagem malhada e 20 indi-
víduos com coloração inteiramente branca.
O resultado desse cruzamento é exemplo do seguinte fenômeno genético:
a) epistasia
b) pleiotropia
c) dominância
d) codominância

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Utilize as informações a seguir para responder à(s) questão(ões)

O ciclo de Krebs, que ocorre no interior das mitocôndrias, é um conjunto de reações químicas
aeróbias fundamental no processo de produção de energia para a célula eucarionte. Ele pode ser
representado pelo seguinte esquema:

5. (UERJ 2016) Admita um ciclo de Krebs que, após a entrada de uma única molécula de acetil-CoA,
ocorra normalmente até a etapa de produção do fumarato.
Ao final da passagem dos produtos desse ciclo pela cadeia respiratória, a quantidade total de ener-
gia produzida, expressa em adenosinas trifosfato (ATP), será igual a:
a) 3
b) 4
c) 9
d) 12

6. (UERJ 2015) Em embriões de alguns vertebrados, conforme ilustra a imagem, pode-se observar a
presença de uma membrana interdigital que não estará presente em filhotes de desenvolvimento
normal por ocasião do nascimento.

99
A perda desse tecido ocorre a partir de determinada fase do desenvolvimento, quando as células
da membrana liberam em seu citoplasma enzimas que digerem a si próprias.
A principal organela participante desse processo de destruição celular é denominada:
a) lisossomo
b) peroxissomo
c) complexo de Golgi
d) retículo endoplasmático rugoso

Raio X
1.
Os componentes do glicocálix (ou glicocálice), presentes na face externa da membrana plasmática
das células animais, que permitem o reconhecimento intercelular são os glicolipídios e glicoprote-
ínas.
2.
O esquema A representa a disjunção dos cromossomos homólogos durante a meiose I e o esquema
B, a disfunção de cromátides, observada na meiose II.
3.
Os espermatócitos primários são células diploides contendo 28 cromossomos em seus núcleos.
Após a divisão reducional (meiose I), os espermatócitos secundários do macho são haploides e
apresentarão 14 cromossomos em seus núcleos.
4.
Alelos: V (vermelho) e B (branco)

fenótipos genótipos
vermelho VV
branco BB
Malhado VB

Pais: VB × VB
Filhos: 25% VV(vermelhos) : 50% VB (malhados) : 25% BB(brancos)
Conclusão: Os resultados revelam que os alelos determinantes das colorações vermelha e branca
são codominantes.
5.
Na cadeia respiratória, os rendimentos energéticos do NADH e do FADH são, respectivamente, 3 e 2
ATPs. Dessa forma, o rendimento total será de 2NADH = 6 ATP + 1FADH = 2 ATP + 1GTP (1 ATP) = 9 ATPs
6.
As enzimas lisossômicas causam a morte celular programada (autólise), contribuindo decisiva-
mente na formação dos contornos corretos dos dedos das patas da maioria dos vertebrados tetrá-
podes.

Gabarito
1. D 2. D 3. A 4. D 5. C

6. A

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2015) Diversos mecanismos importantes para a manutenção da vida na Terra estão relacio-
nados com interações químicas.
A interação química envolvida tanto no pareamento correto de bases nitrogenadas no DNA quanto
no controle de variações extremas de temperatura na água é uma ligação do seguinte tipo:
a) iônica
b) covalente
c) de hidrogênio
d) de van der Waals

100
2. (UERJ) Na presença de certos solventes, as proteínas sofrem alterações tanto em sua estrutura
espacial quanto em suas propriedades biológicas. No entanto, com a remoção do solvente, voltam
a assumir sua conformação e propriedades originais.
Essas características mostram que a conformação espacial das proteínas depende do seguinte tipo
de estrutura de suas moléculas:
a) primária
b) secundária
c) terciária
d) quaternária

3. (UERJ) Existem dois tipos principais de inibidores da atividade de uma enzima: os competitivos
e os não competitivos. Os primeiros são aqueles que concorrem com o substrato pelo centro ativo
da enzima.
Considere um experimento em que se mediu a velocidade de reação de uma enzima em função da
concentração de seu substrato em três condições:
§§ ausência de inibidores;
§§ presença de concentrações constantes de um inibidor competitivo;
§§ presença de concentrações constantes de um inibidor não competitivo.

Os resultados estão representados no gráfico abaixo:

A curva I corresponde aos resultados obtidos na ausência de inibidores.


As curvas que representam a resposta obtida na presença de um inibidor competitivo e na presença
de um não competitivo estão indicadas, respectivamente, pelos seguintes números:
a) II e IV
b) II e III
c) III e II
d) IV e III

4. (UERJ) Laudos confirmam que todas as mortes na Kiss ocorreram pela inalação da fumaça
Necropsia das 234 vítimas daquela noite revela que todas as mortes ocorreram devido à inalação de
gás cianídrico e de monóxido de carbono gerados pela queima do revestimento acústico da boate.
Adaptado de ultimosegundo.ig.com.br, 15/03/2013.

Os dois agentes químicos citados no texto, quando absorvidos, provocam o mesmo resultado: para-
lisação dos músculos e asfixia, culminando na morte do indivíduo.
Com base nessas informações, pode-se afirmar que tanto o gás cianídrico quanto o monóxido de
carbono interferem no processo denominado:
a) síntese de DNA
b) transporte de íons
c) eliminação de excretas
d) metabolismo energético

101
5. (UERJ) Analisando-se a genealogia das famílias Alfa e Beta, observa-se que na família Alfa apenas
a mãe tem cabelos azuis, enquanto na família Beta todos têm cabelos dessa cor.

Admita que a característica cabelo azul siga os princípios descritos por Mendel para transmissão
dos genes.
Com base nas genealogias apresentadas, a herança genética para cor azul do cabelo é classificada
como:
a) holândrica
b) pleiotrópica
c) mitocondrial
d) autossômica

6. (UERJ) As características abaixo são referentes aos processos de replicação, transcrição e tradu-
ção, que ocorrem em seres vivos.
I. A síntese de proteínas tem início antes mesmo do término da transcrição.
II. A grande maioria dos genes contém íntrons, retirados antes da tradução.
III. A síntese de proteínas sempre ocorre em ribossomos livres no citoplasma.
IV. O processo de replicação possui uma única origem.
As características I, II, III e IV estão associadas, respectivamente, aos organismos indicados em:
a) eucariotos – eucariotos – procariotos – eucariotos
b) eucariotos – procariotos – eucariotos – procariotos
c) procariotos – eucariotos – procariotos – procariotos
d) procariotos – procariotos – eucariotos – procariotos

7. (UERJ) Células-tronco são células não especializadas que têm potencial de diferenciação, ou seja,
em condições favoráveis, são capazes de gerar células especializadas e de diferentes tecidos.
Para que essa diferenciação ocorra, as células-tronco têm de alterar necessariamente o seguinte
padrão do seu metabolismo:
a) expressão gênica
b) número de cromossomos
c) quantidade de mitocôndrias
d) atividade dos fosfolipídios da membrana

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

As bases nitrogenadas, quando oxidadas, podem causar emparelhamento errôneo durante a repli-
cação do DNA. Por exemplo, uma guanina oxidada (G*) pode passar a se emparelhar, durante a
divisão celular, com timina (T) e não com citosina (C). Esse erro gera células mutadas, com uma
adenina (A) onde deveria haver uma guanina (G) normal.

8. (UERJ) Considere uma célula bacteriana com quatro guaninas oxidadas em um trecho do gene que
codifica determinada proteína, conforme mostra a sequência:

G*CG* - CCC - TG*T - ACG* - ATA

102
Ao final de certo tempo, essa célula, ao dividir-se, dá origem a uma população de bactérias mutantes.
O número máximo de aminoácidos diferentes que poderão ser substituídos na proteína sintetizada
por essas bactérias, a partir da sequência de DNA apresentada, é igual a:
a) 0
b) 1
c) 2
d) 3

9. (UERJ) Em um laboratório, inoculou-se em um rato, previamente mantido em jejum prolongado,


o aminoácido alanina marcado com 14C Após algum tempo, a incorporação de 14C foi medida em
quatro substâncias extraídas de diferentes órgãos desse animal:
— glicose, do fígado;
— histidina, do tecido muscular;
— acetilcolina, do cérebro;
— ácido oleico, do tecido adiposo.
Sabendo-se que a alanina, após ser desaminada, produz ácido pirúvico, a eficiência de marcação
pelo isótopo radioativo deverá ter sido maior na seguinte substância:
a) glicose
b) histidina
c) acetilcolina
d) ácido oleico

1
0. (UERJ) A hemofilia A, uma doença hereditária recessiva que afeta o cromossoma sexual X, é ca-
racterizada pela deficiência do fator VIII da coagulação.
Considere a primeira geração de filhos do casamento de um homem hemofílico com uma mulher
que não possui o gene da hemofilia.
As chances de que sejam gerados, desse casamento, filhos hemofílicos e filhas portadoras dessa
doença, correspondem, respectivamente, aos seguintes percentuais:
a) 0% – 100%
b) 50% – 50%
c) 50% – 100%
d) 100% – 100%

1
1. (UERJ) A mutação no DNA de uma célula eucariota acarretou a substituição, no RNA mensageiro
de uma proteína, da 15ª base nitrogenada por uma base C.
A disposição de bases da porção inicial do RNA mensageiro da célula, antes de sua mutação, é
apresentada a seguir:
início da tradução

AUGCUUCUCAUCUUUUUAGCU...

Observe os códons correspondentes a alguns aminoácidos:

Aminoácido codificado Códon


fenilalanina UUU
fenilalanina UUC
leucina UUA
leucina UUG
leucina CUC
metionina AUG
valina GUU
valina GUA

Sabe-se que o códon de iniciação de leitura é AUG.


A probabilidade de que a proteína a ser traduzida pelo RNA mensageiro da célula que sofreu mu-
tação não apresente alterações na disposição de seus aminoácidos é de:
a) 0
b) 0,25
c) 0,50
d) 1,00

103
1
2. (UERJ) Qualquer célula de um organismo pode sofrer mutações. Há um tipo de célula, porém, de
grande importância evolutiva, que é capaz de transmitir a mutação diretamente à descendência.
As células com essa característica são denominadas:
a) diploides
b) somáticas
c) germinativas
d) embrionárias

1
3. (UERJ) Durante o processo evolutivo, algumas organelas de células eucariotas se formaram por
endossimbiose com procariotos. Tais organelas mantiveram o mesmo mecanismo de síntese pro-
teica encontrado nesses procariotos.
Considere as seguintes organelas celulares, existentes em eucariotos:
1. mitocôndrias
2. aparelho golgiense
3. lisossomas
4. cloroplastos
5. vesículas secretoras
6. peroxissomas

Nas células das plantas, as organelas que apresentam o mecanismo de síntese proteica igual ao dos
procariotos correspondem às de números:
a) 1 e 4
b) 2 e 3
c) 3 e 6
d) 4 e 5

1
4. (UERJ) Observe a sequência de bases nitrogenadas que compõem a porção inicial de um RNA men-
sageiro transcrito em uma determinada proteína de uma célula eucariota:

AUGGCUAAAUUAGAC..........

Nessa proteína, o aminoácido introduzido pelo códon iniciador foi removido durante o processo de
síntese. Admita que uma mutação tenha atingido o códon correspondente ao aminoácido número
3 da estrutura primária desse polipeptídeo, acarretando a troca de uma base A, na célula original,
pela base U, na célula mutante. A tabela abaixo permite a identificação dos códons dos aminoáci-
dos encontrados tanto na proteína original como na mutante, codificados pelo trecho inicial desse
RNA mensageiro:

Aminoácido Códons
alanina GCU, GCC, GCA, GCG
arginina CGU, CGC, CGA, CGG, AGA, AGG
aspártico GAU, GAC
fenilalanina UUU, UUC
leucina UUA, UUG, CUU, CUC, CUA, CUG
lisina AAA, AAG
metionina e códon de iniciação AUG
serina UCU, UCC, UCA, UCG, AGU, AGC
tirosina UAU, UAC
triptofano UGG

Agora, a estrutura primária da proteína mutante tem como terceiro aminoácido:


a) tirosina
b) leucina
c) triptofano
d) fenilalanina

104
1
5. (UERJ) A doença de von Willebrand, que atinge cerca de 3% da população mundial, tem causa
hereditária, de natureza autossômica dominante. Essa doença se caracteriza pela diminuição ou
disfunção da proteína conhecida como fator von Willebrand, o que provoca quadros de hemorragia.
O esquema abaixo mostra o heredograma de uma família que registra alguns casos dessa doença.

Admita que os indivíduos 3 e 4 casem com pessoas que não apresentam a doença de Von Wille-
brand.
As probabilidades percentuais de que seus filhos apresentem a doença são, respectivamente, de:
a) 50 e 0
b) 25 e 25
c) 70 e 30
d) 100 e 50

1
6. (UERJ 2011) Algumas células da pele de uma mesma rã foram retiradas em sua fase girino e,
depois, em sua fase adulta.
Observe a tabela abaixo, na qual são mostradas as combinações possíveis das macromoléculas DNA
e RNA mensageiro.

Comparação entre as macromoléculas


DNA RNAm
1) mesma molécula 3) mesmos tipos
2) moléculas diferentes 4) tipos diferentes

Os resultados referentes à comparação das macromoléculas das células da rã nas fases girino e
adulta estão indicados pelos seguintes números:
a) 1 e 3
b) 1 e 4
c) 2 e 3
d) 2 e 4

1
7. (UERJ) No fígado, o transporte de glicose é realizado por difusão passiva mediada por proteínas
transportadoras da membrana plasmática.
Em um experimento, cuja base consistiu em cultivar células hepáticas em um meio adequado, fo-
ram seguidos os seguintes passos:
§§ adicionar ao meio de cultivo uma concentração de glicose suficiente para manter, já no primei-
ro minuto, seu transportador saturado;
§§ medir, a partir do primeiro minuto de incubação, a velocidade V do transporte de glicose para
o interior dos hepatócitos;
§§ bloquear, após três minutos de incubação, o metabolismo da glicose já absorvida, por meio da
adição de um inibidor da enzima glicoquinase.
Nos gráficos a seguir, os valores de V são medidos em função do tempo de incubação:

105
O resultado do experimento descrito está representado na curva do gráfico indicado por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

1
8. (UERJ) A taxa de síntese e a taxa de degradação de uma proteína determinam sua concentração
no interior de uma célula.
Considere o seguinte experimento:
§§ o aminoácido glicina marcado com 14C é adicionado, no momento inicial do experimento, a uma
cultura de células;
§§ a intervalos regulares de tempo, são retiradas amostras das células, sendo purificadas as prote-
ínas W, X, Y e Z de cada amostra;
§§ a quantidade de radioatividade incorporada por miligrama de cada uma dessas proteínas – suas
radioatividades específicas – é medida ao longo do experimento.
Observe o resultado dessa medição na tabela a seguir:

Radioatividade específica
Tempo (unidades)
(minutos)
W X Y Z
0 0 0 0 0
2 12 10 11 8
4 22 20 22 17
6 29 27 27 24
8 28 25 24 20
10 27 23 21 16
12 26 21 18 11

A meia-vida de uma proteína na célula corresponde ao tempo necessário para que, desconsideran-
do o processo de síntese, a quantidade de suas moléculas se reduza à metade.
A proteína de menor meia-vida do experimento é identificada por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

1
9. (UERJ) Na espécie humana, a calvície - uma herança influenciada pelo sexo - é determinada por
um alelo dominante nos homens (C), mas recessivo nas mulheres (c).
Considere um casal, ambos heterozigotos para a calvície, que tenha um filho e uma filha.
Com base apenas nos genótipos do casal, a probabilidade de que seus dois filhos sejam calvos é de:
​  3  ​ 
a) ___
16
b) __ ​ 3 ​ 
4
c) ​ 1 ​ 
__
8
d) __ ​  1  ​ 
 2

Gabarito
1. C 2. A 3. B 4. D 5. D

6. C 7. A 8. C 9. A 10. A

11. D 12. C 13. A 14. D 15. A

16. B 17. A 18. D 19. A

106
AULA 3

PRESCRIÇÃO: A área de ecologia, uma área de destaque nas provas, exige que o aluno seja capaz
de compreender conceitos de poluição e aplicá-los em contextos do dia a dia. Vinculado a esse tema,
temos os ciclos biogeoquímicos, que exige a compreensão sobre a reciclagem de nutrientes no meio
ambiente e suas consequências. Dentro do tema Reinos, é necessário que o aluno saiba as principais
características anatômicas e fisiológicas dos grupos, e assim consiga compará-las.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Esponjas e mexilhões podem ser considerados bioindicadores, uma vez que a análise
de seus tecidos revela a concentração de poluentes na água.
Isso ocorre porque, no meio aquático, esses animais são caracterizados, em sua maioria, como:
a) filtradores
b) raspadores
c) predadores
d) decompositores

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

O rompimento da barragem de contenção de uma mineradora em Mariana (MG) acarretou o der-


ramamento de lama contendo resíduos poluentes no rio Doce. Esses resíduos foram gerados na
obtenção de um minério composto pelo metal de menor raio atômico do grupo 8 da tabela de
classificação periódica. A lama levou 16 dias para atingir o mar, situado a 600 km do local do aci-
dente, deixando um rastro de destruição nesse percurso. Caso alcance o arquipélago de Abrolhos,
os recifes de coral dessa região ficarão ameaçados.

2. (UERJ 2017) A água do mar em Abrolhos se tornaria turva, se a lama atingisse o arquipélago.
A turbidez da água interfere diretamente no seguinte processo biológico realizado nos recifes de
coral:
a) fotossíntese
b) eutrofização
c) bioacumulação
d) tamponamento

3. (UERJ 2016)

No gráfico, está indicada a concentração de um metal pesado no corpo de vários habitantes de


um lago, bem como a concentração do isótopo de nitrogênio 15N cujos valores mais elevados estão
associados a níveis crescentes na cadeia alimentar.

107
A curva de concentração de metal, nesses seres vivos, pode ser explicada pelo processo de:
a) magnificação trófica
b) eutrofização do lago
c) interrupção do fluxo de energia
d) retenção de matéria orgânica em consumidores maiores

4. (UERJ 2016) Em plantas carnívoras, a folha não é utilizada apenas para realização de fotossín-
tese, mas também para alimentação, através da captura de insetos. Como as plantas com muitas
adaptações para o carnivorismo apresentam um gasto energético extra em estruturas como glân-
dulas e pelos, suas folhas são, em geral, menos eficientes fotossinteticamente.
Considere três tipos de plantas:
§§ não carnívoras;
§§ carnívoras pouco modificadas para tal função;
§§ carnívoras altamente modificadas para tal função.
Com o objetivo de estudar a adaptação para esse modo de alimentação, os três tipos foram coloca-
dos em quatro meios experimentais diferentes. Observe a tabela:

Meio Experimental Quantidade de sais minerais Condição de iluminação


W Alta Baixa
X Baixa Baixa
Y Alta Alta
Z Baixa Alta
As plantas carnívoras altamente modificadas tiveram melhor adaptação, sobretudo, no seguinte
meio experimental:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

5. (UERJ 2015) Considere dois ecossistemas, um terrestre e outro marinho. Em cada um deles, é pos-
sível identificar o nível trófico em que se encontra a maior quantidade de biomassa por unidade
de área, em um determinado período.
Para o ecossistema terrestre e para o marinho, esses níveis tróficos correspondem, respectivamen-
te, a:
a) produtores − produtores
b) consumidores primários − produtores
c) produtores − consumidores primários
d) consumidores primários − consumidores primários

6. (UERJ 2015) No cladograma, está representado o grau de parentesco entre diferentes grupos de
vegetais.

108
As letras A, B e C indicam, respectivamente, o momento em que surgem, ao longo do processo
evolutivo, as seguintes características dos vegetais:
a) cutícula, sementes, tecidos vasculares
b) embriões multicelulares, esporófito dominante, frutos
c) esporófito dominante, embriões multicelulares, frutos
d) gametângios multicelulares, tecidos vasculares, sementes

Raio X
1.
Esponjas e mexilhões são animais aquáticos que obtém alimento pela filtração da água. Por esse
motivo, são bons bioindicadores, uma vez que acumulam poluentes em suas células.
2.
Os corais são cnidários coloniais que vivem em simbiose mutualística com algas fotossintetizantes
do grupo das zooxantelas. A turbidez da água prejudica a passagem da luz necessária para que
ocorra a fotossíntese realizada pelas algas.
3.
O efeito cumulativo de metais pesados nos níveis tróficos mais elevados das cadeias alimentares é
conhecido como magnificação trófica.
4.
As plantas carnívoras altamente modificadas deverão apresentar maior adaptação em um meio
experimental pobre em sais minerais, pois podem obtê-los do solo e de suas presas. Outrossim,
conseguem eficiência fotossintética com iluminação baixa sendo, geralmente, plantas de sombra
(umbrófilas).
5.
Em ecossistemas terrestres a maior biomassa encontra-se nos vegetais que ocupam o nível trófico
dos produtores. Em ecossistemas marinhos a maior biomassa encontra-se no nível trófico ocupado
pelos consumidores primários (zooplâncton), porém a capacidade reprodutiva das algas do fito-
plâncton é maior do que a dos organismos do zooplâncton.
6.
Os eventos evolutivos relacionados em A, B e C são respectivamente:
A. aparecimento de gametângios (anterídio e arquegônio) multicelulares;
B. desenvolvimento de tecidos condutores (xilema e floema), fato determinante no aumento do
tamanho das plantas; e
C. formação das sementes, as quais determinaram a conquista definitiva do ambiente terrestre
pela maioria das gimnospermas e angiospermas.

Gabarito
1. A 2. A 3. A 4. B 5. C

6. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) Desde o início da colonização do ambiente terrestre, houve grande diversificação das
plantas, graças ao surgimento de características vantajosas à adaptação, que permitiram a sobre-
vivência e a reprodução em terra firme.
As estruturas correspondentes a adaptações evolutivas exclusivas das plantas, que contribuíram
para seu desenvolvimento e diversificação no habitat terrestre, estão indicadas em:
a) fruto, semente e mitocôndria
b) vaso condutor, cutícula e estômato
c) membrana celular, cloroplasto e raiz
d) meristema apical, parede celular e flor

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Com as chuvas intensas que caíram na cidade do Rio de Janeiro em março de 2013, grande quan-
tidade de matéria orgânica se depositou na lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico desse
material contribuiu para a redução a zero do nível de gás oxigênio dissolvido na água, provocando
a mortandade dos peixes.

109
2. (UERJ) Os dois principais grupos de seres vivos envolvidos no processo de diminuição da taxa de
oxigênio disponível são:
a) algas e bactérias
b) plantas e bactérias
c) algas e microcrustáceos
d) plantas e microcrustáceos

3. (UERJ) O processo de eutrofização ocorrido em um determinado lago acarretou alterações em


diversos parâmetros medidos na água, dentre eles, as concentrações de nutrientes, de oxigênio
dissolvido, de organismos aeróbicos e de organismos anaeróbicos.
Observe os gráficos abaixo, que relacionam as concentrações desses parâmetros e o tempo no pro-
cesso citado.

O gráfico que representa o processo de eutrofização ocorrido na água desse lago está indicado pela
seguinte letra:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

4. (UERJ) Em algumas plantas transgênicas, é possível bloquear a produção de um determinado fito-


-hormônio capaz de acelerar a maturação dos frutos. Com o objetivo de transportar frutos transgê-
nicos por longas distâncias, sem grandes danos, o fito-hormônio cuja produção deve ser bloqueada
é denominado:
a) etileno
b) giberelina
c) ácido abscísico
d) ácido indolacético

110
5. (UERJ) O aumento da poluição atmosférica, especialmente pelo acúmulo de gases do efeito estu-
fa, como o CO2, tem acarretado a elevação da temperatura global. Alguns seres vivos, no entanto,
apresentam um metabolismo capaz de fixar esse gás em matéria orgânica.
Em condições ideais, o grupo de organismos com maior capacidade de fixar CO2 é:
a) levedo
b) bactéria
c) zooplâncton
d) fitoplâncton

6. (UERJ 2012) Em um ecossistema lacustre habitado por vários peixes de pequeno porte, foi intro-
duzido um determinado peixe carnívoro. A presença desse predador provocou variação das popu-
lações de seres vivos ali existentes, conforme mostra o gráfico a seguir.

A curva que indica a tendência da variação da população de fitoplâncton nesse lago, após a intro-
dução do peixe carnívoro, é a identificada por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

7. (UERJ) O nitrogênio é um dos principais gases que compõem o ar atmosférico. No esquema abai-
xo, estão resumidas algumas etapas do ciclo biogeoquímico desse gás na natureza.

O processo de nitrificação, composto de duas etapas, e o de desnitrificação, ambos executados por


microrganismos, estão identificados, respectivamente, pelos seguintes números:
a) 2 e 3; 4
b) 1 e 5; 7
c) 4 e 6; 8
d) 2 e 5; 1

111
8. (UERJ) A biomassa de quatro tipos de seres vivos existentes em uma pequena lagoa foi medida
uma vez por mês, durante o período de um ano.
No gráfico abaixo estão mostrados os valores obtidos.

A curva pontilhada representa a variação da biomassa do fitoplâncton.


A variação da biomassa do zooplâncton está representada pela curva identificada por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

9. (UERJ) A influência de fatores ambientais, como a disponibilidade de alimentos, sobre o cresci-


mento dos seres vivos pode ser avaliada experimentalmente. Considere, por exemplo, um inóculo
da bactéria E. coli que foi introduzido em um meio nutritivo adequado. O tempo de geração, ou
seja, o intervalo de tempo necessário para que uma célula se duplique, foi medido durante a fase
de crescimento exponencial e durante a fase estacionária. Observe os gráficos abaixo:

O resultado desse experimento, em relação à influência de fatores ambientais no crescimento bac-


teriano, está representado pelo gráfico de número:
a) I
b) II
c) III
d) IV

1
0. (UERJ) Na natureza, são frequentes os exemplos de relações benéficas entre indivíduos, mesmo
de espécies diferentes, como é o caso do caranguejo paguro e da anêmona. O caranguejo aumenta
sua proteção vivendo em conchas abandonadas e permitindo que anêmonas – produtoras de subs-
tância urticante contra predadores – se depositem nelas. As anêmonas, por sua vez, ganhando
mobilidade, capturam melhor os alimentos.
O tipo de interação descrito é denominado:
a) colônia
b) sociedade
c) amensalismo
d) protocooperação

112
1
1. (UERJ) Análise da Feema revela: peixes das lagoas da Barra estão contaminados.

Tilápias, vendidas na Ceasa, têm toxina acima do recomendado para consumo.


"O Globo", 06/02/2007

O lançamento de poluentes em rios e lagoas pode proporcionar, quando as condições ambientais


são favoráveis, um rápido crescimento de organismos fitoplanctônicos na água. Recentemente, o
complexo lagunar da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, apresentou uma dessas florações, com a
presença de grandes quantidades de cianobactérias. Dentre as espécies encontradas, algumas eram
produtoras de potente toxina, o que trouxe riscos à saúde da população.

O conjunto de substâncias presentes na água, cujo aumento de concentração favorece o rápido


crescimento de cianobactérias, é:
a) sais minerais
b) metais pesados
c) matéria orgânica
d) óxidos de enxofre

12. (UERJ) Sabe-se que cerca de 10% da energia e da matéria disponíveis em organismos perten-
centes a um determinado nível trófico são transferidos para os seres que ocupam o nível trófico
imediatamente superior.
Admita que uma área eficientemente cultivada produza cereais em quantidade suficiente para
alimentar cem pessoas durante um ano.
O número de pessoas alimentadas pela carne de todo o gado que pudesse ser criado nessa área,
também em condições ideais e no mesmo período, seria aproximadamente de:
a) 100
b) 101
c) 102
d) 103

1
3. (UERJ) Nos ecossistemas, o fluxo de energia dos organismos produtores para os consumidores
pode ser representado por um diagrama.

Dentre os diagramas anteriores, o que melhor representa esse fluxo na cadeia alimentar é o de
número:
a) I
b) II
c) III
d) IV

1
4. (UERJ) Na fotografia a seguir, podemos identificar organismos produtores e consumidores, parti-
cipantes da cadeia alimentar.
Observe, agora, o esquema a seguir, que apresenta uma síntese das etapas, numeradas de 1 a 8,
associadas ao consumo e à produção de carboidratos nesses organismos, incluindo as que se pas-
sam no tubo digestivo.

113
As etapas encontradas nos organismos consumidores primários mostrados na fotografia são as
identificadas, no esquema, pelos seguintes números:
a) 1, 2, 5, 7 e 8
b) 1, 3, 4, 5 e 6
c) 2, 3, 6, 7 e 8
d) 4, 5, 6, 7 e 8

1
5. (UERJ) - Uma área agrícola, próxima a um lago, precisa ser adubada antes do início do plantio de
hortaliças.
§§ O esquema a seguir (fig. 1) indica as medidas do terreno a ser plantado. Os dois lados paralelos
distam 10 km e os três ângulos obtusos indicados são congruentes.
§§ Para corrigir a elevada acidez do solo, o produto recomendado foi o calcário (CaCO3), na dosa-
gem de 5 g/m2 de solo.
§§ Para a adubação do terreno, emprega-se um pulverizador com 40 m de comprimento, abaste-
cido por um reservatório de volume igual a 2,16 m3, que libera o adubo à vazão constante de
1.200 cm3/s. Esse conjunto, rebocado por um trator que se desloca à velocidade constante de 1
m/s, está representado na figura 2.
§§ A partir do início da adubação, a qualidade da água do lago passou a ser avaliada com regula-
ridade.
Os resultados das avaliações da qualidade da água do lago indicaram alterações na concentração de
alguns de seus componentes, condizentes com o aumento da poluição orgânica, conforme mostra
o gráfico a seguir (figura 3).

As curvas que correspondem às variações na concentração de microorganismos aeróbios e anaeró-


bios, respectivamente, são:
a) I - II
b) I - III
c) II - I
d) II - III

1
6. (UERJ) Bactérias de duas espécies foram cultivadas separadamente e em conjunto, nas mesmas
condições experimentais e com suprimento constante do mesmo tipo de alimento.
No gráfico a seguir, as curvas mostram a variação da densidade populacional das bactérias estuda-
das em função do tempo de cultivo. As curvas 1 e 2 representam os resultados encontrados para as
duas espécies quando cultivadas separadamente e as curvas 3 e 4, quando cultivadas em conjunto.

114
A relação ecológica estabelecida entre as bactérias que melhor explica os resultados encontrados
é classificada como:
a) predação
b) parasitismo
c) competição
d) comensalismo

1
7. (UERJ) O gráfico a seguir é uma pirâmide ecológica e demonstra as relações tróficas em uma co-
munidade.

A alternativa que indica, respectivamente, o tipo de pirâmide e o aumento que ela representa, é:
a) de biomassa - do peso seco em função do tamanho dos organismos
b) de energia - do teor de calorias, pela maior velocidade de ciclagem
c) de energia - das populações de consumidores primários e secundários
d) de números - da quantidade de organismos, sem considerar a biomassa

1
8. (UERJ) Na região de um rio próxima a um garimpo de ouro, em atividade há mais de dez anos,
foram coletados quatro tipos de amostras: sedimento, água, peixes carnívoros e pequenos crustá-
ceos.
As amostras foram numeradas aleatoriamente de 1 a 4 e o somatório de suas concentrações de
mercúrio foi considerado igual a 100.
A distribuição desse somatório, por amostra, está mostrada no gráfico a seguir:

As amostras de peixes carnívoros e de água são, respectivamente, as de número:


a) 1 e 4
b) 2 e 3
c) 3 e 2
d) 4 e 1

1
9. (UERJ) Ervas-de-passarinho são plantas que retiram de outras plantas água e sais minerais. Seus
frutos atraem aves que, por sua vez, irão dispersar as suas sementes.
Os tipos de interações entre seres vivos exemplificadas acima também são desenvolvidas, respec-
tivamente, pelas seguintes duplas:
a) carrapato e cachorro; boi e anu
b) boi e anu; tamanduá e formiga
c) orquídea e árvore; tamanduá e formiga
d) orquídea e árvore; carrapato e cachorro

2
0. (UERJ) Algas e musgos possuem diversas características em comum.
Uma característica comum a todos os tipos de algas e musgos é a inexistência de:
a) nutrição autotrófica
b) estruturas pluricelulares
c) vasos condutores de seiva
d) reprodução do tipo sexuado

115
Gabarito
1. B 2. A 3. D 4. A 5. D

6. A 7. A 8. C 9. D 10. D

11. A 12. B 13. C 14. C 15. A

16. C 17. D 18. D 19. A 20. C

116
AULA 4

PRESCRIÇÃO: Dentro das zoonoses, o destaque é para as viroses. Além de o aluno com-
preender as principais viroses, é necessário que ele saiba sobre o contágio e a profilaxia de
doenças bacterianas e de protozoários. Para resolver questões sobre evolução, o aluno deve ter
conhecimento sobre as teorias biológicas e quais são os autores dessas teorias.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2016) A população de uma espécie de roedores, com pelagem de diferentes colorações, foi
observada em dois momentos: antes e depois da ocorrência de uma profunda transformação no
meio em que vivem. As curvas abaixo representam esses dois momentos.

A alteração ocorrida na frequência do fenótipo da população de roedores, após a mudança do meio,


é um exemplo de seleção denominada:
a) direcional
b) disruptiva
c) estabilizadora
d) não adaptativa

2. (UERJ 2015) Com a implantação de atividades agropecuárias, populações muito reduzidas de uma
mesma espécie podem ficar isoladas umas das outras em fragmentos florestais separados. Caso
permaneçam em isolamento, tais populações podem tender à extinção.
Na fotografia, observa-se um corredor florestal, construído para interligar ambientes expostos a
esse tipo de impacto ecológico.

117
Sem a construção de corredores florestais, essas populações isoladas estariam sujeitas ao processo
de extinção cuja causa é denominada:
a) panmixia
b) deriva gênica
c) seleção natural
d) migração diferencial

3. (UERJ) Os indivíduos de uma determinada espécie de peixe, bem adaptada a seu ambiente, podem
ser classificados, quanto ao tamanho, em três grupos: pequenos, médios e grandes. O grupo mais
numeroso corresponde ao que apresenta fenótipo médio.
Considere a introdução de um predador desses peixes no ambiente. Ao longo do tempo, os indi-
víduos do grupo médio passam a ser os menos numerosos, pois os peixes de tamanho menor con-
seguem defender-se do predador escondendo-se nas tocas, enquanto os de maior tamanho, mais
fortes, não são atacados pela espécie predadora.
As alterações descritas exemplificam o tipo de seleção denominado:
a) direcional
b) disruptiva
c) qualitativa
d) estabilizadora

4. (UERJ) Algumas doenças infecciosas, como a dengue, são causadas por um arbovírus da família
Flaviridae.
São conhecidos quatro tipos de vírus da dengue, denominados DEN 1, DEN 2, DEN 3 e DEN 4; os
três primeiros já produziram epidemias no Brasil.
A doença, transmitida ao homem pela picada da fêmea infectada do mosquito Aedes aegypti, não
tem tratamento específico, mas os medicamentos frequentemente usados contra febre e dor devem
ser prescritos com cautela. Na tabela a seguir são apresentadas informações sobre dois medica-
mentos:

Medicamento Fórmula estrutural Massa molar (G - mol-1)

paracetamol 151

ácido acetilsalicílico 180

Outra doença encontrada no Brasil causada por um arbovírus da mesma família do vírus da den-
gue, que também pode ter como vetor o Aedes aegypti, é a febre denominada:
a) terçã
b) palustre
c) amarela
d) maculosa

118
Raio X
1.
A mudança ambiental provocou a seleção natural diferencial (disruptiva) na população de roedo-
res. Após a modificação nas condições em que vivem os roedores, os fenótipos extremos passaram
a ser favorecidos.
2.
A deriva gênica pode mudar bruscamente as frequências gênicas e genotípicas em populações
pequenas, devido ao acaso. Essa pode ser a causa da extinção de populações isoladas em pequenos
fragmentos de florestas.
3.
A seleção natural disruptiva favorece os fenótipos extremos em determinado ambiente. Esse fenô-
meno pode determinar a formação de raças ou variedades de uma espécie e dar início ao processo
de especiação simpátrica.
4.
O vírus da febre amarela também é transmitido ao homem pela picada de fêmeas do mosquito
Aedes aegypti.

Gabarito
1. B 2. B 3. B 4. C

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) Pandemias graves de gripe por vírus influenza repetem-se, no mundo, a determinados
intervalos de tempo, causando milhões de mortes. Cientistas da OMS alertam para o fato de que a
gripe aviária, surgida no sudeste asiático, pode provocar uma nova pandemia.
O controle do alastramento deste vírus é problemático, não só devido às facilidades de transporte
no mundo, mas, também, porque as vacinas produzidas para combatê-lo podem perder a sua efi-
cácia com o tempo.
Essa perda de eficácia está associada à seguinte característica dos vírus influenza:
a) sofrer alterações em seu genoma com certa frequência
b) inibir com eficiência a produção de anticorpos pelo hospedeiro
c) destruir um grande número de células responsáveis pela imunidade
d) possuir cápsula protetora contra a maioria das defesas do hospedeiro

2. (UERJ) Considere a hipótese de que o ambiente marinho primitivo, sem oxigênio molecular, onde
viveram os primeiros organismos, contivesse moléculas orgânicas produzidas por síntese abiótica.
Admita, ainda, que essas moléculas eram por eles decompostas para obtenção de energia.
O tipo de nutrição e a forma de obtenção de energia desses organismos deveriam ser, respectiva-
mente:
a) homeotrófica - oxidação
b) autotrófica - fotossíntese
c) isotrófica - quimiossíntese
d) heterotrófica - fermentação

3. (UERJ) Dentre as doenças infecciosas, algumas são há muito conhecidas, como a leptospirose e a
malária.
Outras, como a doença da vaca louca e a síndrome respiratória aguda grave, só há pouco tempo
foram identificadas.
Os agentes causadores das quatro doenças citadas são, respectivamente:
a) protozoário, vírus, vírus e príon
b) protozoário, bactéria, vírus e príon
c) bactéria, protozoário, príon e vírus
d) bactéria, bactéria, protozoário e príon

119
4. (UERJ) Darwin afirmou que "a teoria da seleção natural baseia-se na convicção de que cada nova
variedade e, posteriormente, cada nova espécie, é produzida e mantida por ter determinada van-
tagem em relação àquelas com que entra em competição".
Considere agora as seguintes afirmativas:
I. Como nascem mais indivíduos que os que podem viver, deve existir, em cada caso, luta pela
existência, quer entre indivíduos da mesma espécie, quer entre os de espécies diferentes.
II. A luta pela existência resulta inevitavelmente da rapidez com que todos os seres organizados
tendem a multiplicar-se.
III. A seleção natural produz modificações em qualquer espécie para benefício exclusivo de outra
espécie.
IV. A seleção natural tende a tornar cada ser organizado tão adaptado, ou um pouco mais adaptado,
que os outros habitantes da mesma região com os quais estão em concorrência.
Dentre essas afirmativas, aquela que, se comprovada, poria fim à teoria de Darwin, é a de número:
a) I
b) II
c) III
d) IV

5. (UERJ) A tabela a seguir resume alguns processos celulares de oxirredução realizados pelos orga-
nismos para atender a suas necessidades energéticas.

HIDROGÊNIO
PROCESSO PRODUTOS FINAIS
Fonte Aceptor
I ácido groxo oxigênio gás carbônico e água
II glicose ácido pirúvico ácido lático
II água gás carbônico glicose
IV glicose oxigênio gás carbônico e água

A evolução desses processos está relacionada à evolução das condições ambientais da terra. Assim,
dos processos celulares acima, aquele que surgiu primeiro é o de número:
a) I
b) II
c) III
d) IV

6. (UERJ) A doença de Chagas foi descrita em 1909 pelo médico brasileiro Carlos Chagas, na região
norte de Minas Gerais. Lá verificou a existência de um inseto chamado popularmente de barbeiro,
que, à noite, picava os habitantes da região.
Quando Chagas examinou o barbeiro viu, em seu intestino, microorganismos que ele batizou de
'Tripanossoma cruzi', em homenagem a Oswaldo Cruz.
Chagas pôde concluir que este inseto era o responsável pela doença quando encontrou o tripanos-
soma em amostras humanas de:
a) fezes
b) urina
c) saliva
d) sangue

7. (UERJ) Durante o processo evolutivo, a sobrevivência dos indivíduos de uma determinada espécie
depende da estabilidade genética. Entretanto, pode ocorrer uma alteração permanente numa se-
quência de DNA, capaz de destruir um organismo.
Essa alteração na sequência de DNA e a eliminação do indivíduo são fenômenos que podem ser
explicados pela ocorrência, respectivamente, de:
a) especiação e ortogênese
b) mutação e seleção natural
c) oscilação genética e epigênese
d) variação hereditária e isolamento ecológico

120
8. (UERJ) Muitos aspectos do desenvolvimento embrionário e das estruturas dos indivíduos adultos
mostram a existência de semelhanças que evidenciam o processo evolutivo. A presença de fendas
branquias e de múltiplos arcos aórticos nos embriões de vários grupos animais são exemplos desse
fato. O registro fóssil indica que os vertebrados de respiração branquial precederam os de respira-
ção terrestre aérea.
Dessa maneira, podemos dizer que a sequência do aparecimento dos animais foi:
a) peixes - anfíbios - répteis - aves
b) anfíbios - peixes - aves - répteis
c) répteis - aves - peixes - anfíbios
d) aves - répteis - anfíbios - peixes

9. (UERJ) Atualmente, no Brasil, órgãos do Ministério da Saúde consideram como doenças emergen-
tes ou reemergentes diversas infecções produzidas por microorganismos. Muitas delas são trans-
mitidas ao homem por vetores animais bem definidos.
Uma enfermidade de natureza viral cujo vetor é um inseto, uma infecção bacteriana cujo vetor é
um roedor e uma doença causada por protozoário, mas transmitida por inseto, estão relacionadas,
respectivamente, na seguinte alternativa:
a) dengue - leptospirose - malária
b) toxoplasmose - hanseníase - amebíase
c) cólera - febre amarela - doença de Chagas
d) tuberculose - histoplasmose - leishmaniose

1
0. (UERJ) Alterações climáticas, como as provocadas pelo "El Niño", mudam as condições de vida,
antecipando floradas, estimulando a reprodução de diferentes espécies etc.
Segundo a Teoria Sintética, o conceito que explica a interferência dessas alterações no processo
evolutivo é:
a) mutação
b) uso e desuso
c) seleção natural
d) caráter adquirido

1
1. (UERJ) A neurocisticercose, uma doença cerebral fácil de ser erradicada, mas praticamente incu-
rável em sua fase crônica, está crescendo no Brasil.
O parasita que provoca a neurocisticercose infesta o organismo através da:
a) penetração ativa da cercária na pele exposta aos focos
b) ingestão de ovos vivos de tênia encontrados em verduras
c) infecção de microfilárias provenientes da picada do mosquito
d) invasão de larvas rabditoides presentes em alimentos contaminados

Gabarito
1. A 2. D 3. C 4. C 5. B

6. D 7. B 8. A 9. A 10. C

11. B

121
CN
UERJ - Física

Eletricidade 19%
Termologia 15%
Magnetismo 4%
moderna 1%
Mecânica 60%

Cinemática, 32%
Dinâmica, 21%
Trabalho e Energia, 15%
Hidrostática, 15%
Estática, 11%
Impulso e Quantidade de Movimento, 6%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULA 1

PRESCRIÇÃO: É grande a incidência de questões de cinemática no vestibular UERJ. É neces-


sária uma boa capacidade de interpretação e análise de gráficos, assim como um domínio das
relações matemáticas em lançamentos.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

O rompimento da barragem de contenção de uma mineradora em Mariana (MG) acarretou o der-


ramamento de lama contendo resíduos poluentes no rio Doce. Esses resíduos foram gerados na
obtenção de um minério composto pelo metal de menor raio atômico do grupo 8 da tabela de
classificação periódica. A lama levou 16 dias para atingir o mar, situado a 600 km do local do aci-
dente, deixando um rastro de destruição nesse percurso. Caso alcance o arquipélago de Abrolhos,
os recifes de coral dessa região ficarão ameaçados.

1. (UERJ 2017) Com base nas informações apresentadas no texto, a velocidade média de deslocamen-
to da lama, do local onde ocorreu o rompimento da barragem até atingir o mar, em km/h corres-
ponde a:
a) 1,6
b) 2,1
c) 3,8
d) 4,6

2. (UERJ 2016) O número de bactérias em uma cultura cresce de modo análogo ao deslocamento de
uma partícula em movimento uniformemente acelerado com velocidade inicial nula. Assim, pode-
-se afirmar que a taxa de crescimento de bactérias comporta-se da mesma maneira que a velocida-
de de uma partícula.
Admita um experimento no qual foi medido o crescimento do número de bactérias em um meio
adequado de cultura, durante um determinado período de tempo. Ao fim das primeiras quatro
horas do experimento, o número de bactérias era igual a 8 × 105.
Após a primeira hora, a taxa de crescimento dessa amostra, em número de bactérias por hora, foi
igual a:
a) 1,0 × 105
b) 2,0 × 105
c) 4,0 × 105
d) 8,0 × 105

3. (UERJ 2016) Quatro bolas são lançadas horizontalmente no espaço, a partir da borda de uma mesa
que está sobre o solo. Veja na tabela abaixo algumas características dessas bolas.

Bolas Material Velocidade inicial (m·s-1) Tempo de queda (s)


1 chumbo 4,0 t1
2 vidro 4,0 t2
3 madeira 2,0 t3
4 plástico 2,0 t4

A relação entre os tempos de queda de cada bola pode ser expressa como:
a) t1 = t2 < t3 = t4
b) t1 = t2 > t3 = t4
c) t1 < t2 < t3 = t4
d) t1 = t2 = t3 = t4

125
4. (UERJ) Em uma pista de competição, quatro carrinhos elétricos, numerados de I a IV, são movi-
mentados de acordo com o gráfico v × t a seguir.

O carrinho que percorreu a maior distância em 4 segundos tem a seguinte numeração:


a) I
b) II
c) III
d) IV

5. (UERJ) Uma ave marinha costuma mergulhar de uma altura de 20 m para buscar alimento no mar.
Suponha que um desses mergulhos tenha sido feito em sentido vertical, a partir do repouso e ex-
clusivamente sob ação da força da gravidade.
Desprezando-se as forças de atrito e de resistência do ar, a ave chegará à superfície do mar a uma
velocidade, em m/s, aproximadamente igual a:
a) 20
b) 40
c) 60
d) 80

Raio X
1. ​  600  ​=
vm = DS/Dt = ________   1,56 ⇒ vm = 1,6 km/h
24 × 16
2.
O deslocamento DS de uma partícula em movimento uniformemente variado a partir do repouso e
a velocidade v são:

sendo a, a aceleração escalar e t o tempo de movimento.


Fazendo a analogia que sugere o enunciado e aplicando para os instantes t = 4 h e t = 1 h, temos:

3.
No enunciado é dito que se trata de um lançamento horizontal. Como neste tipo de lançamento a
componente vertical da velocidade inicial é nula e o tempo de queda é dado por:

2 ⋅h
tq =
g
Podemos dizer que o tempo de queda não depende da velocidade inicial. Desta forma, os tempos
de queda das quatro bolas são iguais.
t1 = t2 = t3 = t4

126
4.
No gráfico v x t a distância percorrida é obtida pela ”área" entre a linha do gráfico e o eixo dos
tempos. Calculando cada uma delas:
 2 × 0,5 ( 2 + 0,5 )1
DI
= + +=1× 2 3,75 m.
 2 2


D 1× 1 (1,5 + 1) 2
= + + 1,5 =
× 1 4,5 m.
 II 2 2



 2 ×1
D=
III + 2= × 1 3 m.
 2

 3 × 0,5 ( 0,5 + 1)1
DIV = + =1,5 m.
 2 2
5.
Usando a equação de Torricelli com a = g = 10 m/s2 e ΔS = h = 20 m:
2
v= v 02 + 2g h
v 2 = 0 + 2 ⋅ 10 ⋅ 20 = 400

v = 20 m/s.

Gabarito
1. C 2. A 3. D 4. B 5. A

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) Em um longo trecho retilíneo de uma estrada, um automóvel se desloca a 80 km/h e um
caminhão a 60 km/h, ambos no mesmo sentido e em movimento uniforme. Em determinado ins-
tante, o automóvel encontra-se 60 km atrás do caminhão.
O intervalo de tempo, em horas, necessário para que o automóvel alcance o caminhão é cerca de:
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

2. (UERJ) Três pequenas esferas, E1, E2 e E3, são lançadas em um mesmo instante, de uma mesma
altura, verticalmente para o solo. Observe as informações da tabela:

Esfera Material Velocidade inicial


E1 chumbo v1
E2 alumínio v2
E3 vidro v3

A esfera de alumínio é a primeira a alcançar o solo; a de chumbo e a de vidro chegam ao solo si-
multaneamente.
A relação entre v1, v2 e v3 está indicada em:
a) v1 < v3 < v2
b) v1 = v3 < v2
c) v1 = v3 > v2
d) v1 < v3 = v2

3. (UERJ) Três blocos de mesmo volume, mas de materiais e de massas diferentes, são lançados obli-
quamente para o alto, de um mesmo ponto do solo, na mesma direção e sentido e com a mesma
velocidade.

127
Observe as informações da tabela:

Material do bloco Alcance do lançamento


chumbo A1
ferro A2
granito A3

A relação entre os alcances A1, A2 e A3 está apresentada em:


a) A1 > A2 > A3
b) A1 < A2 < A3
c) A1 = A2 > A3
d) A1 = A2 = A3

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.


Três bolas − X, Y e Z − são lançadas da borda de uma mesa, com velocidades iniciais paralelas ao
solo e mesma direção e sentido. A tabela abaixo mostra as magnitudes das massas e das velocida-
des iniciais das bolas.
Bolas Massa (g) Velocidade inicial (m/s)
X 5 20
Y 5 10
Z 10 8

4. (UERJ) As relações entre os respectivos alcances horizontais Ax, Ay e Az das bolas X, Y e Z, com
relação à borda da mesa, estão apresentadas em:
a) Ax < Ay < Az
b) Ay = Ax = Az
c) Az < Ay < Ax
d) Ay < Az < Ax

5. (UERJ) As relações entre os respectivos tempos de queda tx, ty e tz das bolas X, Y e Z estão apresen-
tadas em:
a) tx < ty < tz
b) ty < tz < tx
c) tz < ty < tx
d) ty = tx = tx

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

Um trem em alta velocidade desloca-se ao longo de um trecho retilíneo a uma velocidade constante
de 108 km/h. Um passageiro em repouso arremessa horizontalmente ao piso do vagão, de uma
altura de 1 m, na mesma direção e sentido do deslocamento do trem, uma bola de borracha que
atinge esse piso a uma distância de 5 m do ponto de arremesso.

6. (UERJ) Se a bola fosse arremessada na mesma direção, mas em sentido oposto ao do deslocamento
do trem, a distância, em metros, entre o ponto em que a bola atinge o piso e o ponto de arremesso
seria igual a:
a) 0
b) 5
c) 10
d) 15

7. (UERJ) O intervalo de tempo, em segundos, que a bola leva para atingir o piso é cerca de:
a) 0,05
b) 0,20
c) 0,45
d) 1,00

128
8. (UERJ) A figura a seguir representa uma piscina completamente cheia de água, cuja forma é um
prisma hexagonal regular.

Admita que:
§§ A, B, C e D representam vértices desse prisma;__

​ AB​  ​ = ​  ​ 3 ​ ​  
X​ XX  ___
§§ o volume da piscina é igual a 450 m3 e ___ ;
​ XX  10
XCD​
§§ um atleta nada, em linha reta, do ponto A até o ponto médio da aresta ​CD​, utilizando apenas
XXX 
glicose como fonte de energia para seus músculos.
A velocidade média do atleta no percurso definido foi igual a 1,0 m/s.
O intervalo de tempo, em segundos, gasto nesse percurso equivale a cerca de:
a) 12,2
b) 14,4
c) 16,2
d) 18,1

9. (UERJ) Um foguete persegue um avião, ambos com velocidades constantes e mesma direção. En-
quanto o foguete percorre 4,0 km, o avião percorre apenas 1,0 km. Admita que, em um instante t1,
a distância entre eles é de 4,0 km e que, no instante t2, o foguete alcança o avião.
No intervalo de tempo t2 – t1, a distância percorrida pelo foguete, em quilômetros, corresponde
aproximadamente a:
a) 4,7
b) 5,3
c) 6,2
d) 8,6

1
0. (UERJ) Dois automóveis, M e N, inicialmente a 50 km de distância um do outro, deslocam-se com
velocidades constantes na mesma direção e em sentidos opostos. O valor da velocidade de M, em
relação a um ponto fixo da estrada, é igual a 60 km/h. Após 30 minutos, os automóveis cruzam
uma mesma linha da estrada.
Em relação a um ponto fixo da estrada, a velocidade de N tem o seguinte valor, em quilômetros
por hora:
a) 40
b) 50
c) 60
d) 70

1
1. (UERJ) Um piso plano é revestido de hexágonos regulares congruentes, cujos lados medem 10 cm.
Na ilustração de parte desse piso, T, M e F são vértices comuns a três hexágonos e representam os
pontos nos quais se encontram, respectivamente, um torrão de açúcar, uma mosca e uma formiga.

Ao perceber o açúcar, os dois insetos partem no mesmo instante, com velocidades constantes, para
alcançá-lo. Admita que a mosca leve 10 segundos para atingir o ponto T. Despreze o espaçamento
entre os hexágonos e as dimensões dos animais.

129
A menor velocidade, em centímetros por segundo, necessária para que a formiga chegue ao ponto
T no mesmo instante que a mosca, é igual a:
a) 3,5
b) 5,0
c) 5,5
d) 7,0

1
2. (UERJ) Ao se deslocar do Rio de Janeiro a Porto Alegre, um avião percorre essa distância com ve-
locidade média v no primeiro 1/9 do trajeto e 2v no trecho restante.
A velocidade média do avião no percurso total foi igual a:
a) __​ 9  ​ v
5
__8
b) ​    ​ v
5
c) __ 5
​    ​ v
3
5
__
d) ​    ​ v
4

1
3. (UERJ) Uma pequena planta é colocada no centro P de um círculo, em um ambiente cuja única
iluminação é feita por uma lâmpada L. A lâmpada é mantida sempre acesa e percorre o perímetro
desse círculo, no sentido horário, em velocidade constante, retornando a um mesmo ponto a cada
período de 12 horas. Observe o esquema.
No interior desse círculo, em um ponto O, há um obstáculo que projeta sua sombra sobre a planta
nos momentos em que P, O e L estão alinhados, e o ponto O está entre P e L.
Nessas condições, mediu-se, continuamente, o quociente entre as taxas de emissão de O2 e de CO2
da planta. Os resultados do experimento são mostrados no gráfico, no qual a hora zero corresponde
ao momento em que a lâmpada passa por um ponto A.

As medidas, em graus, dos ângulos formados entre as retas AP e PO são, aproximadamente, iguais a:
a) 20 e 160
b) 30 e 150
c) 60 e 120
d) 90 e 90

1
4. (UERJ) Segundo o modelo simplificado de Bohr, o elétron do átomo de hidrogênio executa um
movimento circular uniforme, de raio igual a 5,0 × 10-11 m, em torno do próton, com período igual
a 2 × 10-15 s.
Com o mesmo valor da velocidade orbital no átomo, a distância, em quilômetros, que esse elétron
percorreria no espaço livre, em linha reta, durante 10 minutos, seria da ordem de:
a) 102
b) 103
c) 104
d) 105

130
1
5. (UERJ) Os gráficos 1 e 2 representam a posição S de dois corpos em função do tempo t.

​ 1  ​ t.
No gráfico 1, a função horária é definida pela equação S = 2 + __
2
Assim, a equação que define o movimento representado pelo gráfico 2 corresponde a:
a) S = 2 + t
b) S = 2 + 2t
​ 4 ​ t
c) S = 2 + __
3
​ 6 ​ t
d) S = 2 + __
3

16. (UERJ) Um avião sobrevoa, com velocidade constante, uma área devastada, no sentido sul-norte,
em relação a um determinado observador.
A figura a seguir ilustra como esse observador, em repouso, no solo, vê o avião.
Quatro pequenas caixas idênticas de remédios são largadas de um compartimento da base do avião,
uma a uma, a pequenos intervalos regulares. Nessas circunstâncias, os efeitos do ar praticamente
não interferem no movimento das caixas.
O observador tira uma fotografia, logo após o início da queda da quarta caixa e antes de a primeira
atingir o solo.
A ilustração mais adequada dessa fotografia é apresentada em:

a) d)

b)

c)

131
1
7. (UERJ) Um feixe de raios paralelos de luz é interrompido pelo movimento das três pás de um ven-
tilador. Essa interrupção gera uma série de pulsos luminosos.
Admita que as pás e as aberturas entre elas tenham a forma de trapézios circulares de mesma área,
como ilustrados a seguir.

Se as pás executam 3 voltas completas por segundo, o intervalo de tempo entre o início e o fim de
cada pulso de luz é igual, em segundos, ao inverso de:
a) 3
b) 6
c) 12
d) 18

1
8. (UERJ) Duas partículas, X e Y, em movimento retilíneo uniforme, têm velocidades respectivamente
iguais a 0,2 km/s e 0,1 km/s.
Em um certo instante t1, X está na posição A e Y na posição B, sendo a distância entre ambas de
10 km.
As direções e os sentidos dos movimentos das partículas são indicados pelos segmentos orientados
AB e BC, e o ângulo A C mede 60°, conforme o esquema.

Sabendo-se que a distância mínima entre X e Y vai ocorrer em um instante t2, o valor inteiro mais
próximo de t2 - t1, em segundos, equivale a:
a) 24
b) 36
c) 50
d) 72

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.


Em um jogo de voleibol, denomina-se tempo de voo o intervalo de tempo durante o qual um atleta
que salta para cortar uma bola está com ambos os pés fora do chão, como ilustra a fotografia.

Considere um atleta que consegue elevar o seu centro de gravidade a 0,45 m do chão e a aceleração
da gravidade igual a 10 m/s2.

132
1
9. (UERJ) A velocidade inicial do centro de gravidade desse atleta ao saltar, em metros por segundo,
foi da ordem de:
a) 1
b) 3
c) 6
d) 9

2
0. (UERJ) O tempo de voo desse atleta, em segundos, corresponde aproximadamente a:
a) 0,1
b) 0,3
c) 0,6
d) 0,9

Gabarito
1. C 2. B 3. D 4. C 5. D

6. B 7. C 8. D 9. B 10. A

11. D 12. A 13. C 14. D 15. C

16. A 17. D 18. B 19. B 20. C

133
AULA 2

PRESCRIÇÃO: Os conteúdos de dinâmica e energia têm aparecido constantemente no vesti-


bular UERJ. É necessária boa compreensão das leis de Newton, assim como das transformações
energéticas envolvidas em um sistema mecânico.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2016) No solo da floresta amazônica, são encontradas partículas ricas em fósforo, trazidas
pelos ventos, com velocidade constante de 0,1 m × s-1, desde o deserto do Saara.
Admita que uma das partículas contenha 2,0% em massa de fósforo, o que equivale a 1,2 × 1015
átomos desse elemento químico.
A energia cinética de uma dessas partículas, em joules, ao ser trazida pelos ventos, equivale a:
(Dado: MP = 31g)
a) 0,75 × 10-10
b) 1,55 × 10-11
c) 2,30 × 10-12
d) 3,10 × 10-13

2. (UERJ 2017) Duas carretas idênticas, A e B trafegam com velocidade de 50 km/h e 70 km/h res-
pectivamente.
Admita que as massas dos motoristas e dos combustíveis são desprezíveis e que EA é a energia
cinética da carreta A e EB a da carreta B.
E
A razão __ ​  A ​ equivale a:
EB
​ 5 ​ 
a) __
7
​  8  ​ 
b) ___
14
c) ​ 25 ​ 
___
49
d) ​ 30 ​ 
___
28
3. (UERJ) Em uma área onde ocorreu uma catástrofe natural, um helicóptero em movimento retilí-
neo, a uma altura fixa do chão, deixa cair pacotes contendo alimentos. Cada pacote lançado atinge
o solo em um ponto exatamente embaixo do helicóptero.
Desprezando forças de atrito e de resistência, pode-se afirmar que as grandezas velocidade e ace-
leração dessa aeronave são classificadas, respectivamente, como:
a) variável − nula
b) nula − constante
c) constante − nula
d) variável − variável

4. (UERJ) Um carro, em um trecho retilíneo da estrada na qual trafegava, colidiu frontalmente com
um poste. O motorista informou um determinado valor para a velocidade de seu veículo no mo-
mento do acidente. O perito de uma seguradora apurou, no entanto, que a velocidade correspondia
a exatamente o dobro do valor informado pelo motorista.
Considere EC1 a energia cinética do veículo calculada com a velocidade informada pelo motorista e
EC2 aquela calculada com o valor apurado pelo perito.
E
A razão ___ ​  C1 
 ​corresponde a:
EC2
​ 1 ​ 
a) __
2
​ 1 ​ 
b) __
4
c) 1
d) 2

134
5. (UERJ) O corpo de um aspirador de pó tem massa igual a 2,0 kg. Ao utilizá-lo, durante um dado
intervalo de tempo, uma pessoa faz um esforço sobre o tubo 1 que resulta em uma força de inten-
sidade constante igual a 4,0 N aplicada ao corpo do aspirador. A direção dessa força é paralela ao
tubo 2, cuja inclinação em relação ao solo é igual a 60º, e puxa o corpo do aspirador para perto da
pessoa.

Considere sen 60° = 0,87, cos 60° = 0,5 e também que o corpo do aspirador se move sem atrito.
Durante esse intervalo de tempo, a aceleração do corpo do aspirador, em m/s2, equivale a:
a) 0,5
b) 1,0
c) 1,5
d) 2,0

Raio X
1.
Calculando a massa da partícula, considerando que a massa de fósforo corresponde a 2% dessa
massa.
6 × 1023 átomos → 31 g

 15 2
1,2 × 10 átomos → m
 100
31⋅ 1,2 × 1015 ⋅ 100
m
= = 3,1× 10−6 g
2 ⋅ 6 × 1023
= 3,1× 10−9 kg
m

Calculando a energia cinética:

( )
2
−9 −1
m v 2 3,1× 10 10
Ec
= =
2 2

Ec 1,55 × 10−11 J.
=

2.
m v 2A 2 2
EA
= 2 = m vA × 2 =  vA 
 
EB m vB2 2 m vB2  vB 
2
2
EA  50 
==  
EB  70 
EA 25
= .
EB 49

3.
Depois de lançado, a componente horizontal da velocidade vetorial do pacote não mais se alte-
ra, pois não há forças aplicadas no pacote nessa direção. Ou seja, nessa direção o movimento é
retilíneo e uniforme. Se cada pacote lançado atinge o solo em um ponto exatamente embaixo do
helicóptero, então a aeronave também está em MRU, sendo, então, constante a velocidade e nula
e aceleração.

135
4.
 m v2
Ec 1 =
 2
 2
 m (2 v ) m v2
Ec 2
= ⇒=Ec 2 4
 2 2
Ec 1 1
= .
Ec 2 4
__
​›
5.
A resultante das forças sobre o corpo do aspirador é a componente horizontal da força (​F ​  x) aplica-
da no cabo.

Aplicando o Princípio Fundamental da Dinâmica:


Fx m a ⇒ Fcos=
= 60° m a
 1
4  = 2 a
2
a = 1 m / s2

Gabarito
1. B 2. C 3. C 4. B 5. B

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) A imagem abaixo ilustra uma bola de ferro após ser disparada por um canhão antigo.

Desprezando-se a resistência do ar, o esquema que melhor representa as forças que atuam sobre
a bola de ferro é:
a)

b)

136
c)

d)

2. (UERJ) Um bloco de madeira encontra-se em equilíbrio sobre um plano inclinado de 45º em re-
lação ao solo. A intensidade da força que o bloco exerce perpendicularmente ao plano inclinado é
igual a 2,0 N. Entre o bloco e o plano inclinado, a intensidade da força de atrito, em newtons, é
igual a:
a) 0,7
b) 1,0
c) 1,4
d) 2,0

3. (UERJ) Uma pessoa empurrou um carro por uma distância de 26 m, aplicando uma força F de
mesma direção e sentido do deslocamento desse carro. O gráfico abaixo representa a variação da
intensidade de F, em newtons, em função do deslocamento d, em metros.

Desprezando o atrito, o trabalho total, em joules, realizado por F, equivale a:


a) 117
b) 130
c) 143
d) 156

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.


Considere as leis de Newton e as informações a seguir.
Uma pessoa empurra uma caixa sobre o piso de uma sala. As forças aplicadas sobre a caixa na di-
reção do movimento são:
§§ Fp: força paralela ao solo exercida pela pessoa;
§§ Fa : força de atrito exercida pelo piso.
A caixa se desloca na mesma direção e sentido de Fp.
A força que a caixa exerce sobre a pessoa é FC.

4. (UERJ) Se o deslocamento da caixa ocorre com velocidade constante, as magnitudes das forças
citadas apresentam a seguinte relação:
a) Fp = FC = Fa
b) Fp > FC = Fa
c) Fp = FC > Fa
d) Fp = FC < Fa

137
5. (UERJ) Se o deslocamento da caixa ocorre com aceleração constante, na mesma direção e sentido
de Fp, as magnitudes das forças citadas apresentam a seguinte relação:
a) Fp = FC = Fa
b) Fp > FC = Fa
c) Fp = FC > Fa
d) Fp = FC < Fa

6. (UERJ) No interior de um avião que se desloca horizontalmente em relação ao solo, com velocidade
constante de 1000 km/h, um passageiro deixa cair um copo. Observe a ilustração abaixo, na qual
estão indicados quatro pontos no piso do corredor do avião e a posição desse passageiro.

O copo, ao cair, atinge o piso do avião próximo ao ponto indicado pela seguinte letra:
a) P
b) Q
c) R
d) S

7. (UERJ) Um homem arrasta uma cadeira sobre um piso plano, percorrendo em linha reta uma dis-
tância de 1 m. Durante todo o percurso, a força que ele exerce sobre a cadeira possui intensidade
igual a 4 N e direção de 60° em relação ao piso.
O gráfico que melhor representa o trabalho T, realizado por essa força ao longo de todo o desloca-
mento d, está indicado em:
a) c)

b) d)

8. (UERJ) As unidades joule, kelvin, pascal e newton pertencem ao SI - Sistema Internacional de


Unidades.
Dentre elas, aquela que expressa a magnitude do calor transferido de um corpo a outro é denomi-
nada:
a) joule
b) kelvin
c) pascal
d) newton

138
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.
A figura abaixo representa o plano inclinado ABFE, inserido em um paralelepípedo retângulo ABC-
DEFGH de base horizontal, com 6 m de altura ​CF​
XXX , 8 m de comprimento ​BC​
XXX e 15 m de largura ​AB​,
XXX 
em repouso, apoiado no solo.

9. (UERJ) Considere o deslocamento em movimento retilíneo de um corpo P1 de M até N e de um


corpo P2 de A até F.
Admita as seguintes informações:
§§ P1 e P2 são corpos idênticos;
§§ F1 e F2 são, respectivamente, as componentes dos pesos de P1 e P2 ao longo das respectivas tra-
jetórias;
§§ M e N são, respectivamente, os pontos médios das arestas AB e EF.
Admita um outro corpo de massa igual a 20 kg que desliza com atrito, em movimento retilíneo, do
ponto F ao ponto B, com velocidade constante.
A força de atrito, em newtons, entre a superfície deste corpo e o plano inclinado é cerca de:
a) 50
b) 100
c) 120
d) 200

1
0. (UERJ) Considere o deslocamento em movimento retilíneo de um corpo P1 de M até N e de um
corpo P2 de A até F.
Admita as seguintes informações:
§§ P1 e P2 são corpos idênticos;
§§ F1 e F2 são, respectivamente, as componentes dos pesos de P1 e P2 ao longo das respectivas tra-
jetórias;
§§ M e N são, respectivamente, os pontos médios das arestas AB e EF.
F
Considerando esses dados, a razão __​  1 ​ equivale a:
F2
​  17 ​ 
a) ___
6
b) __ ​  4 ​ 
3___
√  
c) ​  ​ 15 ​
____  ​ 

3
___
√  
d) ____ ​  ​ 13 ​
 ​ 

2

1
1. (UERJ) Um objeto é deslocado em um plano sob a ação de uma força de intensidade igual a 5 N,
percorrendo em linha reta uma distância igual a 2 m.
Considere a medida do ângulo entre a força e o deslocamento do objeto igual a 15º, e T o trabalho
realizado por essa força. Uma expressão que pode ser utilizada para o cálculo desse trabalho, em
joules, é T = 5 x 2 x senθ.
Nessa expressão, θ equivale, em graus, a:
a) 15
b) 30
c) 45
d) 75

139
1
2. (UERJ) Os esquemas a seguir mostram quatro rampas AB, de mesma altura ​AC​
XXX e perfis distintos,
fixadas em mesas idênticas, nas quais uma pequena pedra é abandonada, do ponto A, a partir do
repouso.

Após deslizar sem atrito pelas rampas I, II, III e IV, a pedra toca o solo, pela primeira vez, a uma
distância do ponto B respectivamente igual a dI, dII, dIII e dIV.
A relação entre essas distâncias está indicada na seguinte alternativa:
a) dI > dII = dIII > dIV
b) dIII > dII > dIV > dI
c) dII > dIV = dI > dIII
d) dI = dII = dIII = dIV

1
3. (UERJ) Uma pequena caixa é lançada sobre um plano inclinado e, depois de um intervalo de tem-
po, desliza com velocidade constante.
Observe a figura, na qual o segmento orientado indica a direção e o sentido do movimento da caixa.
Entre as representações a seguir, a que melhor indica as forças que atuam sobre a caixa é:

140
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.
Uma pessoa de massa igual a 80 kg encontra-se em repouso, em pé sobre o solo, pressionando
perpendicularmente uma parede, com uma força de magnitude igual a 120 N, como mostra a ilus-
tração a seguir.

1
4. (UERJ) A melhor representação gráfica para as distintas forças externas que atuam sobre a pessoa
está indicada em:
a)

b)

c)

d)

1
5. (UERJ) Considerando a aceleração da gravidade igual a 10 m·s-2 o coeficiente de atrito entre a
superfície do solo e a sola do calçado da pessoa é da ordem de:
a) 0,15
b) 0,36
c) 0,67
d) 1,28

1
6. (UERJ) A figura a seguir representa um sistema composto por uma roldana com eixo fixo e três
roldanas móveis, no qual um corpo R é mantido em equilíbrio pela aplicação de uma força F, de
uma determinada intensidade.

Considere um sistema análogo, com maior número de roldanas móveis e intensidade de F inferior
a 0,1% do peso de R.

141
O menor número possível de roldanas móveis para manter esse novo sistema em equilíbrio deverá
ser igual a:
a) 8
b) 9
c) 10
d) 11

1
7. (UERJ) Um estudante, ao observar o movimento de uma partícula, inicialmente em repouso, cons-
tatou que a força resultante que atuou sobre a partícula era não nula e manteve módulo, direção e
sentido inalterados durante todo o intervalo de tempo da observação.
Desse modo, ele pôde classificar as variações temporais da quantidade de movimento e da energia
cinética dessa partícula, ao longo do tempo de observação, respectivamente, como:
a) linear - linear
b) constante - linear
c) linear - quadrática
d) constante - quadrática

1
8. (UERJ) A técnica de centrifugação é usada para separar os componentes de algumas misturas. Pode
ser utilizada, por exemplo, na preparação de frações celulares, após o adequado rompimento das
membranas das células a serem centrifugadas.
Em um tubo apropriado, uma camada de homogeneizado de células eucariotas rompidas foi cuida-
dosamente depositada sobre uma solução isotônica de NaCℓ. Esse tubo foi colocado em um rotor de
centrífuga, equilibrado por um outro tubo.
O esquema a seguir mostra o rotor em repouso e em rotação.

Considere as seguintes massas médias para algumas organelas de uma célula eucariota:
§§ mitocôndria: 2 × 10-8 g;
§§ lisossoma: 4 × 10-10 g;
§§ núcleo: 4 × 10-6 g.
Durante a centrifugação do homogeneizado, em um determinado instante, uma força centrípeta
de 5 × 10-4 N atua sobre um dos núcleos, que se desloca com velocidade de módulo constante de
150 m/s.
Nesse instante, a distância desse núcleo ao centro do rotor da centrífuga equivale, em metros, a:
a) 0,12
b) 0,18
c) 0,36
d) 0,60

1
9. (UERJ) Observe as situações a seguir, nas quais um homem desloca uma caixa ao longo de um
trajeto AB de 2,5 m.

As forças F1 e F2, exercidas pelo homem nas duas situações, têm o mesmo módulo igual a 0,4 N e
os ângulos entre suas direções e os respectivos deslocamentos medem θ e 2θ.
Se k é o trabalho realizado, em joules, por F1, o trabalho realizado por F2 corresponde a:
a) 2 k
b) k/2
c) (k2 + 1)/2
d) 2 k2 – 1

142
2
0. (UERJ) Uma mola, que apresenta uma determinada constante elástica, está fixada verticalmente
por uma de suas extremidades, conforme figura 1.
Ao acloparmos a extremidade livre a um corpo de massa M, o comprimento da mola foi acrescido
de um valor X, e ela passou a armazenar uma energia elástica E, conforme figura 2.
Em função de X2, o gráfico que melhor representa E está indicado em:

Gabarito
1. A 2. D 3. D 4. A 5. C

6. C 7. D 8. A 9. C 10. D

11. D 12. D 13. D 14. D 15. A

16. C 17. C 18. B 19. D 20. A

143
AULA 3

PRESCRIÇÃO: Para solucionar as questões de impulso e quantidade de movimento é


necessário compreender e aplicar a 3ª lei de Newton, assim como ter domínio sobre os tipos de
choques. Já em estática é necessário sobre as condições de equilíbrio estático de um sistema.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES.
Um peixe ósseo com bexiga natatória, órgão responsável por seu deslocamento vertical, encontra-
-se a 20 m de profundidade no tanque de um oceanário. Para buscar alimento, esse peixe se deslo-
ca em direção à superfície; ao atingi-la, sua bexiga natatória encontra-se preenchida por 112 mL
de oxigênio molecular.

1. (UERJ 2017) O deslocamento vertical do peixe, para cima, ocorre por conta da variação do seguinte
fator:
a) densidade
b) viscosidade
c) resistividade
d) osmolaridade

2. (UERJ 2017) Um sistema é constituído por seis moedas idênticas fixadas sobre uma régua de mas-
sa desprezível que está apoiada na superfície horizontal de uma mesa, conforme ilustrado abaixo.
Observe que, na régua, estão marcados pontos equidistantes, numerados de 0 a 6.

Ao se deslocar a régua da esquerda para a direita, o sistema permanecerá em equilíbrio na hori-


zontal até que determinado ponto da régua atinja a extremidade da mesa.
De acordo com a ilustração, esse ponto está representado pelo seguinte número:
a) 4
b) 3
c) 2
d) 1

3. (UERJ 2017) A variação de pressão sobre o peixe, durante seu deslocamento até a superfície, cor-
responde, em atmosferas, a:
Dados:
§§ g = 10 m/s2
§§ ρ = 105 N/s3
§§ 1 atm = 105 N/s2
a) 2,5
b) 2,0
c) 1,5
d) 1,0

144
4. (UERJ 2016) Considere um patinador X que colide elasticamente com a parede P de uma sala. Os
diagramas abaixo mostram segmentos orientados indicando as possíveis forças que agem no pati-
nador e na parede, durante e após a colisão. Note que segmento nulo indica força nula.

Supondo desprezível qualquer atrito, o diagrama que melhor representa essas forças é designado
por:
a) I
b) II
c) III
d) IV

5. (UERJ 2016) Uma barca para transportar automóveis entre as margens de um rio, quando vazia,
tem volume igual a 100 m3 e massa igual a 4,0 × 104 kg. Considere que todos os automóveis trans-
portados tenham a mesma massa de 1,5 × 103 kg e que a densidade da água seja de 1000 kg × m-3.
O número máximo de automóveis que podem ser simultaneamente transportados pela barca cor-
responde a:
a) 10
b) 40
c) 80
d) 120

Raio X
A fórmula da densidade é definida como: d = __
1. ​ m ​ 
V
Para um peixe atingir a superfície, ele varia a quantidade de ar dentro de sua bexiga natatória.
Se ele varia a quantidade de ar, então varia o volume; e, pela equação, percebemos que irá variar
também a densidade.
Em outras palavras, o peixe flutuará na superfície se ele pesar menos que o fluido no qual se des-
loca, ou seja, se sua densidade média for menor do que a densidade do fluido.
2.
A figura representa a situação quando a régua está na iminência de tombar.

No equilíbrio:
M P =M5P ⇒ 5 P d =P ( 6 − d )
5 d =6 − d ⇒ d =1

x = 1.

3.
Dados:
h = 20 m; g = 10 m/s2
r = 105 N/m3; 1 atm = 105 N/m2
P = P0 + r ∙g ∙ h
P – P0 = r ∙g ∙ h
DP = r ∙g ∙ h
DP = 103 ∙ 10 · 20
DP = 2 ∙ 105 N/m2
DP = 2 atm

145
4.
Conforme descrito no enunciado, o patinador colide elasticamente com a parede. Disto, podemos
dizer que o patinador estará exercendo uma força na parede durante um certo intervalo de tempo
(ou um Impulso). Devido a isto, pelo Princípio da Ação e Reação, a parede irá exercer uma força
sobre o patinador de mesma intensidade, mesma direção e com o sentido contrário.
Vale salientar que as duas forças só estarão atuando no patinador e na parede durante a colisão.
Desta forma, analisando as alternativas,
I. CORRETA.
II. INCORRETA. As intensidades das forças são iguais durante a colisão e após não existe forças
atuando nos corpos.
III. INCORRETA. Vai contra o Princípio da Ação e Reação.
IV. INCORRETA. Alternativa contraria a situação que de fato ocorre. Ver explicação.
5.
O empuxo máximo (barca na iminência de afundar) deve equilibrar o peso da barca mais o peso
dos N automóveis.
N Pauto + Pbarca =
E
Nmg +M g =
dág V g

dág V − M 103 × 100 − 4 × 104


=N =
m 1,5 × 103

n = 40

Gabarito
1. A 2. D 3. B 4. A 5. B

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2016) Em um pêndulo, um fio de massa desprezível sustenta uma pequena esfera mag-
netizada de massa igual a 0,01 kg. O sistema encontra-se em estado de equilíbrio, com o fio de
sustentação em uma direção perpendicular ao solo.
Um ímã, ao ser aproximado do sistema, exerce uma força horizontal sobre a esfera, e o pêndulo
alcança um novo estado de equilíbrio, com o fio de sustentação formando um ângulo de 45º com
a direção inicial.
Admitindo a aceleração da gravidade igual a 10 m×s-2, a magnitude dessa força, em newtons, é
igual a:
a) 0,1
b) 0,2
c) 1,0
d) 2,0

2. (UERJ) Considere um corpo sólido de volume V. Ao flutuar em água, o volume de sua parte sub-
​ V ​ ; quando colocado em óleo, esse volume passa a valer __
mersa é igual a __ ​ V ​ .
8 6
Com base nessas informações, conclui-se que a razão entre a densidade do óleo e a da água cor-
responde a:
a) 0,15
b) 0,35
c) 0,55
d) 0,75

3. (UERJ) Admita uma colisão frontal totalmente inelástica entre um objeto que se move com veloci-
dade inicial v0 e outro objeto inicialmente em repouso, ambos com mesma massa.

146
Nessa situação, a velocidade com a qual os dois objetos se movem após a colisão equivale a:
v
a) __​  0 ​ 
2
v0
__
b) ​   ​ 
4
c) 2v0
d) 4v0

4. (UERJ) A figura abaixo ilustra uma ferramenta utilizada para apertar ou desapertar determinadas
peças metálicas.

Para apertar uma peça, aplicando-se a menor intensidade de força possível, essa ferramenta deve
ser segurada de acordo com o esquema indicado em:
a)

b)

c)

d)

5. (UERJ) Observe, na figura a seguir, a representação de uma prensa hidráulica, na qual as forças F1
e F2 atuam, respectivamente, sobre os êmbolos dos cilindros I e II.

147
Admita que os cilindros estejam totalmente preenchidos por um líquido.
O volume do cilindro II é igual a quatro vezes o volume do cilindro I, cuja altura é o triplo da altura
do cilindro II.
F
A razão __
​  1 ​ entre as intensidades das forças, quando o sistema está em equilíbrio, corresponde a:
F2
a) 12
b) 6
c) 3
d) 2

6. (UERJ) Um homem de massa igual a 80 kg está em repouso e em equilíbrio sobre uma prancha
rígida de 2,0 m de comprimento, cuja massa é muito menor que a do homem.
A prancha está posicionada horizontalmente sobre dois apoios, A e B, em suas extremidades, e o
homem está a 0,2 m da extremidade apoiada em A.
A intensidade da força, em newtons, que a prancha exerce sobre o apoio A equivale a:
a) 200
b) 360
c) 400
d) 720

7. (UERJ) Um cilindro sólido e homogêneo encontra-se, inicialmente, apoiado sobre sua base no in-
terior de um recipiente. Após a entrada de água nesse recipiente até um nível máximo de altura H,
que faz o cilindro ficar totalmente submerso, verifica-se que a base do cilindro está presa a um fio
inextensível de comprimento L. Esse fio está fixado no fundo do recipiente e totalmente esticado.
Observe a figura:

Em função da altura do nível da água, o gráfico que melhor representa a intensidade da força F
que o fio exerce sobre o cilindro é:
a) d)

b)

c)

148
8. (UERJ) Observe a tabela abaixo, que apresenta as massas de alguns corpos em movimento uniforme.

Corpos Massa (kg) Velocidade (km/h)


leopardo 120 60
automóvel 1100 70
caminhão 3600 20

Admita que um cofre de massa igual a 300 kg cai, a partir do repouso e em queda livre de uma al-
tura de 5 m. Considere Q1,Q2, Q3 e Q4, respectivamente, as quantidades de movimento do leopardo,
do automóvel, do caminhão e do cofre ao atingir o solo. As magnitudes dessas grandezas obedecem
relação indicada em:
a) Q1 < Q4 < Q2 < Q3
b) Q4 < Q1 < Q2 < Q3
c) Q1 < Q4 < Q3 < Q2
d) Q4 < Q1 < Q3 < Q2

9. (UERJ) Uma balança romana consiste em uma haste horizontal sustentada por um gancho em um
ponto de articulação fixo. A partir desse ponto, um pequeno corpo P pode ser deslocado na dire-
ção de uma das extremidades, a fim de equilibrar um corpo colocado em um prato pendurado na
extremidade oposta. Observe a ilustração:

Quando P equilibra um corpo de massa igual a 5 kg, a distância d de P até o ponto de articulação
é igual a 15 cm.
Para equilibrar um outro corpo de massa igual a 8 kg, a distância, em centímetros, de P até o ponto
de articulação deve ser igual a:
a) 28
b) 25
c) 24
d) 20

1
0. (UERJ) Um bloco maciço está inteiramente submerso em um tanque cheio de água, deslocando-se
verticalmente para o fundo em movimento uniformente acelerado. A razão entre o peso do bloco
e o empuxo sobre ele é igual a 12,5.
A aceleração do bloco, em m/s2, é aproximadamente de:
a) 2,5
b) 9,2
c) 10,0
d) 12,0

1
1. (UERJ) A figura a seguir representa um fio AB de comprimento igual a 100 cm, formado de duas
partes homogêneas sucessivas: uma de alumínio e outra, mais densa, de cobre.
Uma argola P que envolve o fio é deslocada de A para B.

149
Durante esse deslocamento, a massa de cada pedaço de comprimento AP é medida. Os resultados
estão representados no gráfico a seguir:

A razão entre a densidade do alumínio e a densidade do cobre é aproximadamente igual a:


a) 0,1
b) 0,2
c) 0,3
d) 0,4

1
2. (UERJ) Uma pessoa totalmente imersa em uma piscina sustenta, com uma das mãos, uma esfera
maciça de diâmetro igual a 10 cm, também totalmente imersa. Observe a ilustração:

A massa específica do material da esfera é igual a 5,0 g/cm3 e a da água da piscina é igual a 1,0 g/cm3.
A razão entre a força que a pessoa aplica na esfera para sustentá-la e o peso da esfera é igual a:
a) 0,2
b) 0,4
c) 0,8
d) 1,0

1
3. (UERJ) Nas ilustrações a seguir, estão representados três sólidos de bases circulares, todos com
raios iguais e mesma altura. Considere as medidas dos raios iguais às medidas das alturas, em
centímetros.
As massas específicas de quatro substâncias, três das quais foram empregadas na construção des-
ses sólidos, estão indicadas na tabela:

Substâncias Massa específica (g ∙ cm-3)


w 2
x 3
y 4
z 6

150
Admita que os sólidos tenham a mesma massa e que cada um tenha sido construído com apenas
uma dessas substâncias.
De acordo com esses dados, o cone circular reto foi construído com a seguinte substância:
a) w
b) x
c) y
d) z

1
4. (UERJ) Duas boias de isopor, B1 e B2, esféricas e homogêneas, flutuam em uma piscina. Seus
volumes submersos correspondem, respectivamente, a V1 e V2, e seus raios obedecem à relação
R1 = 2R2.
A razão V1/V2 entre os volumes submersos é dada por:
a) 2
b) 3
c) 4
d) 8

1
5. (UERJ) Um recipiente cilíndrico de base circular, com raio R, contém uma certa quantidade de
líquido até um nível h0. Uma estatueta de massa m e densidade d, depois de completamente sub-
mersa nesse líquido, permanece em equilíbrio no fundo do recipiente. Em tal situação, o líquido
alcança um novo nível h.
A variação (h - h0) dos níveis do líquido, quando todas as grandezas estão expressas no Sistema
Internacional de Unidades, corresponde a:
a) md/(πR2)
b) m2/(d2πR3)
c) m/(dπR2)
d) dπR4/m

1
6. (UERJ) Uma balsa, cuja forma é um paralelepípedo retângulo, flutua em um lago de água doce.
A base de seu casco, cujas dimensões são iguais a 20 m de comprimento e 5 m de largura, está
paralela à superfície livre da água e submersa a uma distância d0 dessa superfície. Admita que
a balsa é carregada com 10 automóveis, cada um pesando 1 200 kg, de modo que a base do casco
permaneça paralela à superfície livre da água, mas submersa a uma distância d dessa superfície.
Se a densidade da água é 1,0 × 103 kg/m3, a variação (d – d0), em centímetros, é de:
a) 2
b) 6
c) 12
d) 24

1
7. (UERJ) O núcleo de uma célula eucariota, por ser 20% mais denso que o meio intracelular, tende
a se deslocar nesse meio. No entanto, é mantido em sua posição normal pelo citoesqueleto, um
conjunto de estruturas elásticas responsáveis pelo suporte das estruturas celulares.
Em viagens espaciais, em condições de gravidade menor que a da Terra, o esforço do citoesqueleto
para manter esse equilíbrio diminui, o que pode causar alterações no metabolismo celular.
Considere a massa do núcleo de uma célula eucariota igual a 4,0 × 10-9 kg e a densidade do meio
intracelular 1,0 × 103 kg /m3.
Em uma situação de campo gravitacional 10-5 vezes menor que o da Terra, o esforço despendido
pelo citoesqueleto para manter o núcleo em sua posição normal, seria, em newtons, igual a:
a) 1,7 × 10-11
b) 3,3 × 10-12
c) 4,8 × 10-13
d) 6,7 × 10-14

1
8. (UERJ) Como mostram os esquemas adiante, uma barra fixa em uma parede e articulada em um
ponto C pode ser mantida em equilíbrio pela aplicação das forças de intensidades Fa, Fb, Fg.

151
​ π  ​rad, a relação entre essas forças corresponde a:
Sabendo-se que π < __
4
a) Fa = Fb = Fg
b) Fg < Fa < Fb
c) Fb < Fg < Fa
d) Fb < Fa < Fg

1
9. (UERJ) Duas esferas, A e B, deslocam-se sobre uma mesa conforme mostra a figura 1.
Quando as esferas A e B atingem velocidades de 8 m/s e 1 m/s, respectivamente, ocorre uma coli-
são perfeitamente inelástica entre ambas.
O gráfico na figura 2 relaciona o momento linear Q, em kg × m/s, e a velocidade, em m/s, de cada
esfera antes da colisão.

Após a colisão, as esferas adquirem a velocidade, em m/s, equivalente a:


a) 8,8
b) 6,2
c) 3,0
d) 2,1

Gabarito
1. A 2. D 3. A 4. D 5. A

6. D 7. D 8. C 9. C 10. B

11. C 12. C 13. D 14. D 15. C

16. C 17. D 18. D 19. C

152
AULA 4

PRESCRIÇÃO: O tema termologia tem uma incidência alta no vestibular da UERJ. O conteúdo
de óptica tem um histórico de incidência muito baixa. É necessária a capacidade de interpretar,
descrever e equacionar situações que envolvem processos de trocas de calor (variações de
temperatura, mudanças de estado e alterações nas dimensões) e propagação da luz.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Analise o gráfico a seguir, que indica a variação da capacidade térmica de um corpo
(C) em função da temperatura (θ).

A quantidade de calor absorvida pelo material até a temperatura de 50ºC, em calorias, é igual a:
a) 500
b) 1500
c) 2000
d) 2200

2. (UERJ 2017) O gráfico abaixo indica o comportamento térmico de 10 g de uma substância que, ao
receber calor de uma fonte, passa integralmente da fase sólida para a fase líquida.

O calor latente de fusão dessa substância, em cal/g, é igual a:


a) 70
b) 80
c) 90
d) 100

3. (UERJ 2016) Admita duas amostras de substâncias distintas com a mesma capacidade térmica, ou
seja, que sofrem a mesma variação de temperatura ao receberem a mesma quantidade de calor.
​ 6  ​.
A diferença entre suas massas é igual a 100 g e a razão entre seus calores específicos é igual a __
5
A massa da amostra mais leve, em gramas, corresponde a:
a) 250
b) 300
c) 500
d) 600

153
4. (UERJ) Um mergulhador precisa encher seu tanque de mergulho, cuja capacidade é de 1,42 × 10-2 m3
a uma pressão de 140 atm e sob temperatura constante.
O volume de ar, em m3, necessário para essa operação, à pressão atmosférica de 1 atm, é aproxi-
madamente igual a:
a) __​  1 ​ 
4
b) ​  1 ​ 
__
2
c) 2
d) 4

5. (UERJ) Observe na tabela os valores das temperaturas dos pontos críticos de fusão e de ebulição,
respectivamente, do gelo e da água, à pressão de 1 atm, nas escalas Celsius e Kelvin.

Temperatura
Pontos críticos
°C K
Fusão 0 273
Ebulição 100 373

Considere que, no intervalo de temperatura entre os pontos críticos do gelo e da água, o mercúrio
em um termômetro apresenta uma dilatação linear.
Nesse termômetro, o valor na escala Celsius correspondente à temperatura de 313 K é igual a:
a) 20
b) 30
c) 40
d) 60

Raio X
1.

2.
Q
Q = m ⋅L ⇒ L =
m
1.000 − 300
L=
10
L = 70 cal g

3.
Do enunciado, temos que:
CA = CB
cB 6
=
cA 5
m=
A mB + 100

154
Sabendo que a Capacidade térmica e o calor específico estão relacionados pela seguinte equação,
C = m · c.
Podemos então dizer que:
CA = CB
mA ⋅ c A = mB ⋅ cB
c A mB
=
cB m A
5 mB
=
6 mB + 100
5 ⋅ mB + 500 =6 ⋅ mB
mB = 500 g
Sabendo que,
m=A mB + 100
mA = 600 g

Como é pedido a amostra mais leve, logo a resposta é 500 g.


4.
Considerando o processo isotérmico e comportamento de gás perfeito para o ar, da equação geral
dos gases:
p V p0 V0
=
T T0
140 ⋅ 1,42 × 10−2 =
1⋅ V2
V2 198 × 10−2 m3
=

V2 ≅ 2 m3 .
5.
Da relação entre essas duas escalas:
TC =TK − 273 =313 − 273
T=
C 40 °C.

Gabarito
1. B 2. A 3. C 4. C 5. C

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em
um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser
inteiramente submersa na água.

Partes do sistema Temperatura inicial (°C) Capacidade térmica (cal/°C)


esfera metálica 50 2
água do reservatório 30 2000

A temperatura final da esfera, em graus Celsius, após o equilíbrio térmico com a água do reserva-
tório, é cerca de:
a) 20
b) 30
c) 40
d) 50

2. (UERJ) Em um laboratório, as amostras X e Y, compostas do mesmo material, foram aquecidas a


partir da mesma temperatura inicial até determinada temperatura final.

155
Durante o processo de aquecimento, a amostra X absorveu uma quantidade de calor maior que a
amostra Y.
Considerando essas amostras, as relações entre os calores específicos cX e cY, as capacidades térmi-
cas CX e CY e as massas mX e mY são descritas por:
a) cX = cY CX > CY mX > mY
b) cX > cY CX = CY mX = mY
c) cX = cY CX > CY mX = mY
d) cX > cY CX = CY mX > mY

3. (UERJ) Considere duas amostras, X e Y, de materiais distintos, sendo a massa de X igual a quatro
vezes a massa de Y.
As amostras foram colocadas em um calorímetro e, após o sistema atingir o equilíbrio térmico,
determinou-se que a capacidade térmica de X corresponde ao dobro da capacidade térmica de Y.
Admita que cX e cY sejam os calores específicos, respectivamente, de X e Y.
cX
A razão ​ __ cY  ​é dada por:
a) __​  1 ​ 
4
b) ​  1 ​ 
__
2
c) 1
d) 2

4. (UERJ) Em um reator nuclear, a energia liberada na fissão de 1 g de urânio é utilizada para evapo-
rar a quantidade de 3,6 · 104 kg de água a 227ºC e sob 30 atm, necessária para movimentar uma
turbina geradora de energia elétrica. Admita que o vapor d’água apresenta comportamento de gás
ideal. O volume de vapor d’água, em litros, gerado a partir da fissão de 1 g de urânio, corresponde a:
a) 1,32 · 105
b) 2,67 · 106
c) 3,24 · 107
d) 7,42 · 108

5. (UERJ) A bola utilizada em uma partida de futebol é uma esfera de diâmetro interno igual a
20 cm. Quando cheia, a bola apresenta, em seu interior, ar sob pressão de 1,0 atm e temperatura
de 27ºC.
Considere π = 3, R = 0,080 atm.L.mol-1·k-1 e, para o ar, comportamento de gás ideal e massa molar
igual a 30 g·mol-1.
No interior da bola cheia, a massa de ar, em gramas, corresponde a:
a) 2,5
b) 5,0
c) 7,5
d) 10,0

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.


A tabela abaixo mostra a quantidade de alguns dispositivos elétricos de uma casa, a potência con-
sumida por cada um deles e o tempo efetivo de uso diário no verão.

Dispositivo Quantidade Potência (kW) Tempo efetivo de uso diário (h)


ar-condicionado 2 1,5 8
geladeira 1 0,35 12
lâmpada 10 0,10 6

Considere os seguintes valores:


§§ densidade absoluta da água: 1,0 g/cm3
§§ calor específico da água: 1,0 cal·g-1 0C-1
§§ 1 cal = 4,2 J
§§ custo de 1 kWh = R$ 0,50

156
6. (UERJ) No inverno, diariamente, um aquecedor elétrico é utilizado para elevar a temperatura de
120 litros de água em 30ºC.
Durante 30 dias do inverno, o gasto total com este dispositivo, em reais, é cerca de:
a) 48
b) 63
c) 96
d) 126

7. (UERJ) Um adulto, ao respirar durante um minuto, inspira, em média, 8,0 litros de ar a 20°C,
expelindo-os a 37°C. Admita que o calor específico e a densidade do ar sejam, respectivamente,
iguais a 0,24 cal·g-1·°C-1 e 1,2 g·L-1.
Nessas condições, a energia mínima, em quilocalorias, gasta pelo organismo apenas no aquecimen-
to do ar, durante 24 horas, é aproximadamente igual a:
a) 15,4
b) 35,6
c) 56,4
d) 75,5

8. (UERJ) O calor específico da água é da ordem de 1,0 cal·g-1 · °C-1 e seu calor latente de fusão é
igual a 80 cal·g-1.
Para transformar 200 g de gelo a 0°C em água a 30°C, a quantidade de energia necessária, em
quilocalorias, equivale a:
a) 8
b) 11
c) 22
d) 28

9. (UERJ) As mudanças de pressão que o ar atmosférico sofre, ao entrar nos pulmões ou ao sair deles,
podem ser consideradas como uma transformação isotérmica. Ao inspirar, uma pessoa sofre uma
diminuição em sua pressão intrapulmonar de 0,75%, no máximo.
Considere 0,60 L de ar à pressão atmosférica de 740 mmHg.
A variação máxima de volume, em litros, sofrida por essa quantidade de ar ao ser inspirado é
aproximadamente de:
a) 4,5 × 100
b) 4,5 × 10-1
c) 4,5 × 10-2
d) 4,5 × 10-3

1
0. (UERJ) Quatro esferas metálicas e maciças, E1, E2, E3 e E4, todas com a mesma massa, são colocadas
simultaneamente no interior de um recipiente contendo água em ebulição.
A tabela a seguir indica o calor específico e a massa específica do metal que constitui cada esfera.

Metal
Esfera
tipo calor específico (cal/gºC) massa específica (g/cm3)
E1 alumínio 0,215 2,7
E2 ferro 0,113 7,8
E3 níquel 0,056 10,5
E4 cobre 0,093 8,9

Atingido o equilíbrio térmico, essas esferas são retiradas da água e colocadas imediatamente na
superfície de um grande bloco de gelo que se encontra na temperatura de fusão.
A esfera que fundiu a maior quantidade de gelo e a esfera que produziu a cavidade de menor diâ-
metro no bloco de gelo são, respectivamente:
a) E3; E4
b) E2; E4
c) E1; E3
d) E1; E2

157
1
1. (UERJ) Observe o ciclo mostrado no gráfico P × V a seguir.

Considerando este ciclo completo, o trabalho realizado, em joules, vale:


a) 1.500
b) 900
c) 800
d) 600

12. (UERJ) Considere um gás ideal, cujas transformações I, II e III são mostradas no diagrama P × V
a seguir.

Essas transformações, I a III, são denominadas, respectivamente, de:


a) adiabática, isobárica, isométrica
b) isométrica, isotérmica, isobárica
c) isobárica, isométrica, adiabática
d) isométrica, adiabática, isotérmica

13. (UERJ) Um mergulhador dispõe de um tanque de ar para mergulho com capacidade de 14 L, no


qual o ar é mantido sob pressão de 1,45 × 107 Pa.
O volume de ar à pressão atmosférica, em litros, necessário para encher o tanque nessas condições,
é, aproximadamente, igual a:
a) 1,0 × 104
b) 2,0 × 103
c) 3,0 × 102
d) 4,0 × 101

14. (UERJ) Em uma casa emprega-se um cano de cobre de 4 m a 20°C para a instalação de água quente.
O aumento do comprimento do cano, quando a água que passa por ele estiver a uma temperatura
de 60°C, corresponderá, em milímetros, a:
a) 1,02
b) 1,52
c) 2,72
d) 4,00

158
15. (UERJ) Observe o diagrama adiante, que mostra a quantidade de calor Q fornecida a um corpo.

O valor de Q1 indicado no diagrama, em calorias, é:


a) 200
b) 180
c) 128
d) 116

16. (UERJ) Para resfriar uma jarra de água a 22°C, acrescenta-se 50 g de gelo a 0°C. O equilíbrio
térmico estabelece-se a 20°C.
A massa total da mistura, em quilogramas, equivale, aproximadamente, a:
a) 1,4
b) 2,1
c) 2,6
d) 3,2

17. (UERJ) Uma partida de futebol, jogada com uma bola de 30 cm de diâmetro, é observada por um
torcedor.
A distância da íris à retina deste torcedor é aproximadamente igual a 2 cm.
O tamanho da imagem da bola, em microns, que se forma na retina do torcedor, quando a bola está
a 150 m de distância, vale, aproximadamente:
a) 1
b) 40
c) 300
d) 800

1
8. (UERJ) Um banhista deixa os óculos de mergulho caírem no fundo de uma piscina, na qual a
profundidade da água é de 2,6 m. O banhista, de fora d'água, vê os óculos segundo uma direção
perpendicular ao fundo da piscina. Considere o índice de refração da água igual à 4/3.
A profundidade aparente em que os óculos se encontram, em metros, é:
a) 0,65
b) 1,30
c) 1,95
d) 2,60

1
9. (UERJ) Em uma alusão ao episódio em que Arquimedes teria usado uma lente para queimar as
velas de navios utilizando a luz solar, o cartunista Mauricio de Sousa fez a seguinte tirinha:

(RAMALHO Jr., F. et alii. Os Fundamentos da Física. São Paulo: Moderna, 1979.)

159
Sabendo que essa lente está imersa no ar, pode-se afirmar que ela é do tipo:
a) plana
b) côncava
c) biconvexa
d) convexo-côncava

Gabarito
1. B 2. A 3. B 4. B 5. B

6. B 7. C 8. C 9. D 10. C

11. A 12. B 13. B 14. C 15. A

16. C 17. B 18. C 19. C

160
AULA 5

PRESCRIÇÃO: A incidência de fenômenos elétricos no vestibular da UERJ é alta. Para resolver as


questões de elétrica, o aluno deve ter conhecimento sobre as leis e equações que descrevem fenôme-
nos eletrostáticos e eletrodinâmicos. É necessário interpretar, compreender, descrever e equacionar
situações que envolvam movimento ou equilíbrio de cargas elétricas. A prova utiliza esquemas de
circuitos e tabelas.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Pela seção de um condutor metálico submetido a uma tensão elétrica, atravessam
4,0 × 1018 elétrons em 20 segundos.
A intensidade média da corrente elétrica, em ampere, que se estabelece no condutor corresponde a:
Dado: carga elementar = 1,6 × 10-19C.
a) 1,0 × 10-2
b) 3,2 × 10-2
c) 2,4 × 10-3
d) 4,1 × 10-3

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

A aplicação de campo elétrico entre dois eletrodos é um recurso eficaz para separação de compos-
tos iônicos. Sob o efeito do campo elétrico, os íons são atraídos para os eletrodos de carga oposta.

2. (UERJ 2017) Admita que a distância entre os eletrodos de um campo elétrico é de 20 cm e que a
diferença de potencial efetiva aplicada ao circuito é de 6 V.
Nesse caso, a intensidade do campo elétrico, em V/m equivale a:
a) 40
b) 30
c) 20
d) 10

3. (UERJ 2016) Aceleradores de partículas são ambientes onde partículas eletricamente carregadas
são mantidas em movimento, como as cargas elétricas em um condutor. No Laboratório Europeu
de Física de Partículas – CERN, está localizado o mais potente acelerador em operação no mundo.
Considere as seguintes informações para compreender seu funcionamento:
§§ os prótons são acelerados em grupos de cerca de 3000 pacotes, que constituem o feixe do acelerador;
§§ esses pacotes são mantidos em movimento no interior e ao longo de um anel de cerca de 30 km de
comprimento;
§§ cada pacote contém, aproximadamente, 1011 prótons que se deslocam com velocidades próximas à
da luz no vácuo;
§§ a carga do próton é igual a 1,6 × 10-19 C e a velocidade da luz no vácuo é igual a 3 × 108 m × s-1 .
Nessas condições, o feixe do CERN equivale a uma corrente elétrica, em ampères, da ordem de
grandeza de:
a) 100
b) 102
c) 104
d) 106

4. (UERJ 2016) Uma rede elétrica fornece tensão eficaz de 100 V a uma sala com três lâmpadas, L1,
L2 e L3.
Considere as informações da tabela a seguir:

características elétricas
Lâmpada Tipo
nominais
L1 incandescente 200 V - 120W
L2 incandescente 100 V - 60W
L3 fluorescente 100 V - 20W

161
As três lâmpadas, associadas em paralelo, permanecem acesas durante dez horas, sendo E1, E2 e E3
as energias consumidas, respectivamente, por L1, L2 e L3
A relação entre essas energias pode ser expressa como:
a) E1 > E2 > E3
b) E1 = E2 > E3
c) E2 > E1 > E3
d) E2 > E3 > E1

Raio X
1.

2.
U 6
E d =U ⇒ E = =
d 0,2

E = 30 V .
m
3.

4.
As lâmpadas L2 e L3 estão ligadas corretamente, consumindo a potência nominal. Porém, L1 não
está ligada de acordo com as suas especificações consumindo potência diferente da nominal.
Calculemos essa nova potência supondo que sua resistência permaneça constante.
 2002
120 =
U2  R
P
= ⇒
R  ' 1002
P1 = R

2
P1'  100 
=
120  200 

120
P1'
= = 30 W.
4
A energia consumida é diretamente proporcional ao tempo de operação:
Assim, consome mais energia a lâmpada que dissipa maior potência.
DE = PDt
Assim, consome mais energia a lâmpada que dissipa maior potência.
P2 > P1 >P3 ⇒ E2 > E1 > E3

Gabarito
1. B 2. B 3. A 4. C

162
Prática dos conhecimentos - E.O.
1. (UERJ 2014) Cinco resistores de mesma resistência R estão conectados à bateria ideal E de um
automóvel, conforme mostra o esquema:

Inicialmente, a bateria fornece ao circuito uma potência PI. Ao estabelecer um curto-circuito entre
os pontos M e N, a potência fornecida é igual a PF.
P
A razão __ ​  F ​ é dada por:
PI
__ 7
a) ​   ​ 
9
b) ​  14 ​ 
___
15
c) 1
d) __​  7 ​ 
6

2. (UERJ 2014) No circuito, uma bateria B está conectada a três resistores de resistências R1, R2 e R3:

Sabe-se que R2 = R3 = 2R1.


A relação entre as potências P1, P2 e P3, respectivamente associadas a R1, R2 e R3, pode ser expressa
como:
a) P1 = P2 = P3
b) 2P1 = P2 = P3
c) 4P1 = P2 = P3
d) P1 = 2P2 = 2P3

3. (UERJ 2013) Em uma experiência, três lâmpadas idênticas {L1, L2, L3} foram inicialmente associa-
das em série e conectadas a uma bateria E de resistência interna nula. Cada uma dessas lâmpadas
pode ser individualmente ligada à bateria E sem se queimar.
Observe o esquema desse circuito, quando as três lâmpadas encontram-se acesas:

Em seguida, os extremos não comuns de L1 e L2 foram conectados por um fio metálico, conforme
ilustrado abaixo:

163
A afirmativa que descreve o estado de funcionamento das lâmpadas nessa nova condição é:
a) As três lâmpadas se apagam.
b) As três lâmpadas permanecem acesas.
c) L1 e L2 se apagam e L3 permanece acesa.
d) L3 se apaga e L1 e L2 permanecem acesas.

4. (UERJ 2013) Duas lâmpadas, L1 e L2, estão conectadas em paralelo a uma bateria de automóvel. A
corrente em L1 é igual a __ ​ 1 ​ da corrente em L2.
3
Admita que P1 e P2 sejam as potências dissipadas, respectivamente, por L1 e L2.
P
A razão __ ​  1 ​ corresponde a:
P2
​ 1 ​ 
a) __
9
​ 1  ​
b) __
3
c) 1
d) 3

5. (UERJ) Um chuveiro elétrico, alimentado por uma tensão eficaz de 120 V, pode funcionar em dois
modos: verão e inverno. Considere os seguintes dados da tabela:
Modos Potência (W) Resistência(Ω)
Verão 1000 RV
Inverno 2000 RI
R
A relação __
​  I  ​corresponde a:
Rv
a) 0,5
b) 1,0
c) 1,5
d) 2,0
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

Uma sala é iluminada por um circuito de lâmpadas incandescentes em paralelo.


Considere os dados abaixo:
§§ a corrente elétrica eficaz limite do fusível que protege esse circuito é igual a 10 A;
§§ a tensão eficaz disponível é de 120 V;
§§ sob essa tensão, cada lâmpada consome uma potência de 60 W.

6. (UERJ 2012) O número máximo de lâmpadas que podem ser mantidas acesas corresponde a:
a) 10
b) 15
c) 20
d) 30

7. (UERJ 2012) A resistência equivalente, em ohms, de apenas 8 lâmpadas acesas é cerca de:
a) 30
b) 60
c) 120
d) 240

8. (UERJ 2011) Observe a representação do trecho de um circuito elétrico entre os pontos X e Y,


contendo três resistores cujas resistências medem, em ohms, a, b e c.

164
1 ​ e que a resistência equi-
Admita que a sequência (a, b, c) é uma progressão geométrica de razão ​ __
2
valente entre X e Y mede 2,0 Ω . O valor, em ohms, de (a + b + c) é igual a:
a) 21,0
b) 22,5
c) 24,0
d) 24,5

9. (UERJ 2011) Para dar a partida em um caminhão, é necessário que sua bateria de 12 V estabeleça
uma corrente de 100 A durante um minuto.
A energia, em joules, fornecida pela bateria, corresponde a:
a) 2,0 x 101
b) 1,2 x 102
c) 3,6 x 103
d) 7,2 x 104

1
0. (UERJ 2010) Três lâmpadas, L1 , L2 e L3 , com as mesmas características, são ligadas a uma fonte
ideal de tensão, dispostas em três diferentes arranjos:

A alternativa que indica a ordenação adequada das potências consumidas pelos arranjos é:
a) PI > PIII > PII
b) PI > PII > PIII
c) PIII > PII > PI
d) PIII > PI > PII

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

A tabela abaixo mostra a quantidade de alguns dispositivos elétricos de uma casa, a potência con-
sumida por cada um deles e o tempo efetivo de uso diário no verão.

Tempo efetivo de
Dispositivo Quantidade Potência (kW)
uso diário (h)
ar-condicionado 2 1,5 8
geladeira 1 0,35 12
lâmpada 10 0,10 6

Considere os seguintes valores:


§§ densidade absoluta da água: 1,0 g/cm3
§§ calor específico da água: 1,0 cal.g-1 0C-1
§§ 1 cal = 4,2 J
§§ custo de 1 kWh = R$ 0,50

165
1
1. (UERJ 2010) Durante 30 dias do verão, o gasto total com esses dispositivos, em reais, é cerca de:
a) 234
b) 513
c) 666
d) 1026

12. (UERJ 2009) Alguns animais, como o peixe elétrico, conseguem gerar corrente elétrica pela sim-
ples migração de íons de metais alcalinos através de uma membrana. O órgão elétrico desse peixe
é formado por células chamadas de eletroplacas, que são similares às musculares, mas não se
contraem. Essas células são discos achatados, nos quais uma das superfícies é inervada por termi-
nações nervosas colinérgicas. Quando estimuladas, apenas a superfície inervada é despolarizada.
Milhares de eletroplacas empilham-se em série formando conjuntos que, por sua vez, se dispõem
em paralelo.
O esquema a seguir, representando esses conjuntos, detalha também a estrutura básica da eletro-
placa e mostra os potenciais de repouso da membrana e a sua inversão na face inervada, quando
o nervo é estimulado.

Admita as seguintes condições:


§§ cada conjunto de eletroplacas em série é formado por 5000 células e existem 5 desses conjuntos
em paralelo;
§§ esses 5 conjuntos em paralelo podem gerar uma intensidade total de corrente elétrica igual a
0,5 A.
Nesse caso, a potência máxima, em watts, que cada conjunto pode fornecer é igual a:
a) 50
b) 75
c) 150
d) 750

13. (UERJ 2009) Um circuito empregado em laboratórios para estudar a condutividade elétrica de
soluções aquosas é representado por este esquema:

166
Ao se acrescentar um determinado soluto ao líquido contido no copo, a lâmpada acende, consu-
mindo a potência elétrica de 60 W.
Nessas circunstâncias, a resistência da solução, em ohms, corresponde a cerca de:
a) 14
b) 28
c) 42
d) 56

14. (UERJ 2008) Em uma aula prática foram apresentados quatro conjuntos experimentais compos-
tos, cada um, por um circuito elétrico para acender uma lâmpada. Esses circuitos são fechados por
meio de eletrodos imersos em soluções aquosas saturadas de diferentes compostos, conforme os
esquemas a seguir:

O conjunto cuja lâmpada se acenderá após o fechamento do circuito é o de número:


a) I
b) II
c) III
d) IV

1
5. (UERJ 2008) Uma torradeira elétrica consome uma potência de 1200 W, quando a tensão eficaz
da rede elétrica é igual a 120 V.
Se a tensão eficaz da rede é reduzida para 96 V, a potência elétrica consumida por essa torradeira,
em watts, é igual a:
a) 572
b) 768
c) 960
d) 1028

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

Em residências conectadas à rede elétrica de tensão eficaz igual a 120 V, uma lâmpada comumente
utilizada é a de filamento incandescente de 60 W.

16. (UERJ 2008) A corrente elétrica eficaz, em amperes, em uma lâmpada desse tipo quando acesa, é
igual a:
a) 0,5
b) 1,0
c) 2,0
d) 3,0

17. (UERJ 2008) A resistência do filamento, em ohms, em uma lâmpada desse tipo quando acesa, é
da ordem de:
a) 30
b) 60
c) 120
d) 240

167
1
8. (UERJ 2007) A maioria dos relógios digitais é formada por um conjunto de quatro displays, com-
postos por sete filetes luminosos. Para acender cada filete, é necessária uma corrente elétrica de
10 miliamperes.
O primeiro e o segundo displays do relógio ilustrado a seguir indicam as horas, e o terceiro e o
quarto indicam os minutos.

Admita que esse relógio apresente um defeito, passando a indicar, permanentemente, 19 horas
e 06 minutos. A pilha que o alimenta está totalmente carregada e é capaz de fornecer uma carga
elétrica total de 720 coulombs, consumida apenas pelos displays. O tempo, em horas, para a pilha
descarregar totalmente é igual a:
a) 0,2
b) 0,5
c) 1,0
d) 2,0

1
9. (UERJ 2007) Considere a associação de três resistores: A, B, e C. Suas respectivas resistências são
RA, RB, e RC, e RA > RB > RC.
O esquema que apresenta a maior resistência entre os pontos P e M está indicado em:

2
0. (UERJ 2007) Um chuveiro elétrico pode funcionar sob várias combinações de tensão eficaz e po-
tência média. A combinação em que o chuveiro apresenta a maior resistência elétrica está indicada
em:
a) 120 V – 1250 W
b) 220 V – 2500 W
c) 360 V – 3000 W
d) 400 V – 5000 W

Gabarito
1. D 2. D 3. C 4. B 5. A

6. C 7. A 8. D 9. D 10. A

11. B 12. B 13. A 14. A 15. B

16. A 17. D 18. C 19. D 20. C

168
AULA 6

PRESCRIÇÃO: A incidência do conteúdo de eletromagnetismo, ondulatória e física moderna é baixo.


É necessário domínio das regras da mão direita e da mão esquerda em eletromagnetismo. Em ondu-
latória é necessário saber identificar as propriedades de uma onda, assim como utilizar a equação
fundamental.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) A força magnética que atua em uma partícula elétrica é expressa pela seguinte fór-
mula:

F = q × v × B sen u

q – carga elétrica da partícula


v – velocidade da partícula
B – campo magnético
u – ângulo entre a velocidade da partícula e o campo magnético

Admita quatro partículas elétricas idênticas,​___›P1, P2, P3 e P4 penetrando com velocidades de mesmo
módulo em um campo magnético uniforme B ​ ​   , conforme ilustra o esquema.

Nesse caso, a partícula em que a força magnética atua com maior intensidade é:
a) P1
b) P2
c) P3
d) P4

2. (UERJ 2016) Em uma loja, a potência média máxima absorvida pelo enrolamento primário de um
transformador ideal é igual a 100 W. O enrolamento secundário desse transformador, cuja tensão
eficaz é igual a 5,0 V, fornece energia a um conjunto de aparelhos eletrônicos ligados em paralelo.
Nesse conjunto, a corrente em cada aparelho corresponde a 0,1 A.
O número máximo de aparelhos que podem ser alimentados nessas condições é de:
a) 50
b) 100
c) 200
d) 400

3. (UERJ 2015) O princípio físico do funcionamento de alternadores e transformadores, comprová-


vel de modo experimental, refere-se à produção de corrente elétrica por meio da variação de um
campo magnético aplicado a um circuito elétrico.
Esse princípio se fundamenta na denominada Lei de:
a) Newton
b) Ampère
c) Faraday
d) Coulomb

169
4. (UERJ 2013) A partícula káon, eletricamente neutra, é constituída por duas partículas eletrica-
mente carregadas: um quark d e um antiquark s.
​ 1 ​  do módulo da carga do elétron, e a carga do quark s tem mesmo
A carga do quark d é igual a – __
3
módulo e sinal contrário ao da carga de um antiquark —s​ ​  .
Ao quark s é atribuída uma propriedade denominada estranheza, a qual pode ser calculada pela
seguinte fórmula:
​ 1  ​
S = 2Q – __
3

S – estranheza
Q – razão entre a carga do quark s e o módulo da carga do elétron

Assim, o valor da estranheza de um quark s é igual a:


​ 1  ​
a) __
3
b) 1
c) – __ ​ 1  ​
3
d) –1

Raio X
1.
No enunciado é pedido o caso em que a força magnética atua com a maior intensidade, pela fór-
mula de força magnética:
F = q × v × B sen u
A força será máxima, quanto o sen u = 1 e isso acontece quando u = 90˚. Olhando para a figura, o
único caso em que a força e o campo magnético fazem 90 graus é o P3.
2.
Em um transformador, a potência no primário é igual a potência no secundário. Logo,
P1 = P2
100
= V2 ⋅ i2
100
i2 =
5
i2 = 20 A

Como os aparelhos estão ligados em paralelo e todos requerem uma corrente de iap = 0,1, pela Lei
de Kirchhoff, sabemos que a corrente irá se dividir igualmente para cada um dos aparelhos. Desta
forma, podemos calcular o número de aparelhos (n) que podem ser alimentados conforme cálculo
a seguir:
i2 20
n
= =
iap 0,1
n = 200 aparelhos
3.
A lei de Neumann Faraday afirma que a força eletromotriz induzida (ε) numa bobina é à variação
do fluxo magnético (DΦ) relativamente ao tempo (Dt).
4.
Dados: e (módulo da carga do elétron);
1
qd = − e; q = −q .
3 s s
Se a partícula káon é eletricamene neutra, sua carga total é nula. Então a carga do quark d(qd)
somada à carga do antiquark —s​​   (q​s—​)  é nula.
qd + qs =0
1
− e + qs = 0
3
1 1
qs = e ⇒ qs = − e.
3 3

170
Então a estranheza é:
1
=S 2Q −
3
q 1
= S 2 s−
e 3
−1 e
1 3
S= 2 3 − = −
e 3 3
S = −1.

Gabarito
1. C 2. C 3. C 4. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2004) Considere a situação em que um menino enrola várias espiras de um fio condutor de
eletricidade ao redor de uma barra de ferro.
Leia, agora, as afirmações abaixo:
I. Se a barra for de material isolante, ela se comportará como um condutor.
II. Se a barra de ferro for um magneto, uma corrente elétrica circulará pelas espiras.
III. Se uma corrente elétrica circular pelas espiras, a barra de ferro se comportará como um isolan-
te.
IV. Se uma corrente elétrica circular pelas espiras, a barra de ferro se comportará como um magne-
to.
A afirmativa que se aplica à situação descrita é a de número:
a) I
b) II
c) III
d) IV

2. (UERJ 2004) Uma campainha emite som com frequência de 1 kHz.


O comprimento de onda dessa onda sonora é, em centímetros, igual a:
a) 1
b) 7
c) 21
d) 34

3. (UERJ 2004) Considere uma corda de violão, esticada e fixada nos pontos A e a, na qual são colo-
cados pedacinhos de papel sobre os pontos D, E, F, G e H, conforme a figura a seguir. Observe que
as distâncias entre cada ponto e seus vizinhos são todas iguais.

(Adaptado de EPSTEIN, Lewis C. Thinking physics. São Francisco: Insight Press, 1995.)

Com dois dedos de uma das mãos, comprime-se o ponto C e com um dedo da outra mão levanta-se
a corda pelo ponto B, soltando-a em seguida.
Nessa situação, os pedacinhos de papel que serão jogados para cima correspondem aos seguintes
pontos da corda:

171
a) D, E, G
b) D, F, H
c) E, F, G
d) F, G, H

4. (UERJ 2004) Suponha que todas as dimensões lineares de uma pessoa dobrem de tamanho e sua
massa específica fique constante.
Quando ela estiver em pé, o fator de aumento da razão entre o peso e a força de resistência dos
ossos das pernas corresponderá a:
a) 1
b) 2
c) 4
d) 8

5. (UERJ 2002) O acelerador de íons pesados relativísticos de Brookhaven (Estados Unidos) foi
inaugurado com a colisão entre dois núcleos de ouro, liberando uma energia de 10 trilhões de
elétrons-volt. Os cientistas esperam, em breve, elevar a energia a 40 trilhões de elétrons-volt, para
simular as condições do Universo durante os primeiros microssegundos após o "Big Bang".
("Ciência Hoje", setembro de 2000)

Sabendo que 1 elétron-volt é igual a 1,6 × 10-19 joules, a ordem de grandeza da energia, em joules,
que se espera atingir em breve, com o acelerador de Brookhaven, é:
a) 10-8
b) 10-7
c) 10-6
d) 10-5

6. (UERJ 2001)

Com base neste conhecimento, Galileu, antes mesmo de realizar seu famoso experimento da torre
de Pisa, afirmou que uma pedra leve e outra pesada, quando abandonadas livremente de uma mes-
ma altura, deveriam levar o mesmo tempo para chegar ao solo.

Tal afirmação é um exemplo de:


a) lei
b) teoria
c) modelo
d) hipótese

7. (UERJ 2000) Um feixe de laser, propagando-se no ar com velocidade v(ar), penetra numa lâmina
de vidro e sua velocidade é reduzida para v(vidro) = 2v(ar)/3.
Sabendo que, no caso descrito, a frequência da radiação não se altera ao passar de um meio para
outro, a razão entre os comprimentos de onda, l(vidro)/l(ar), dessa radiação no vidro e no ar, é
dado por:
a) 1/3
b) 2/3
c) 1
d) 3/2

172
8. (UERJ 2000) Uma das fórmulas mais famosas deste século é:

E = mc2

Se E tem dimensão de energia e m de massa, c representa a seguinte grandeza:


a) força
b) torque
c) aceleração
d) velocidade

9. (UERJ) A figura mostra a trajetória de uma partícula entre dois pontos R e T, num campo mag-
nético perpendicular ao plano do papel e "entrando" nele. Essa partícula, ao passar pela placa de
chumbo colocada sobre o diâmetro YW, perde energia e sua velocidade diminui.

A curvatura da trajetória da partícula é tanto maior quanto menor é a sua velocidade. Conclui-se
que a carga elétrica dessa partícula e o sentido do seu movimento são, respectivamente:
a) negativa; T → R
b) negativa; R → T
c) positiva; R → T
d) positiva; T → R

1
0. (UERJ)

Os diagramas anteriores são as opções para as trajetórias de três feixes: de nêutrons (n), múons
negativos (μ-) e elétrons (e). Estes, a princípio, compunham um único feixe que penetrou em dada
​___›
região, perpendicularmente a um campo elétrico constante (​E ​  ). A massa do múon é cerca de 207
vezes maior que o do elétron e a carga de ambos é a mesma.

Nessas circunstâncias, o diagrama que melhor representa as trajetórias dos feixes é o de número:
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

1
1. (UERJ) Uma onda eletromagnética passa de um meio para outro, cada qual com índice de refração
distinto.
Nesse caso, ocorre, necessariamente, alteração da seguinte característica da onda:
a) período de oscilação
b) direção de propagação
c) frequência de oscilação
d) velocidade de propagação

173
12. (UERJ) Um alto-falante (S), ligado a um gerador de tensão senoidal (G), é utilizado como um
vibrador que faz oscilar, com frequência constante, uma das extremidades de uma corda (C). Esta
tem comprimento de 180cm e sua outra extremidade é fixa, segundo a figura I.
Num dado instante, o perfil da corda vibrante apresenta-se como mostra a figura II.

Nesse caso, a onda estabelecida na corda possui amplitude e comprimento de onda, em centíme-
tros, iguais a, respectivamente:
a) 2,0 e 90
b) 1,0 e 90
c) 2,0 e 180
d) 1,0 e 180

1
3. (UERJ) A velocidade de propagação de uma onda ou radiação eletromagnética, no ar, é cerca de
3,0 × 105 km/s. A tabela a seguir mostra, em metros, a ordem de grandeza do comprimento de onda
(l), associado a algumas radiações eletromagnéticas.

Radiação l(m)
raios x 10-10
luz visível 10-6
micro-onda 10-1
onda de rádio 102

Uma onda eletromagnética de frequência 2,5 × 109Hz, que se propaga na atmosfera, corresponderá
à radiação classificada como:
a) raios X
b) luz visível
c) micro-onda
d) onda de rádio

14. (UERJ 1997) Um raio luminoso monocromático, ao cruzar a superfície de separação entre duas
camadas da atmosfera, sofre um desvio, segundo a figura a seguir.

Os índices de refração n1 e n2, respectivamente, das camadas 1 e 2 e os comprimentos de onda l1


e l2 da luz, nas mesmas camadas, satisfazem às seguintes relações:
a) n1 > n2 e l1 > l2
b) n1 > n2 e l1 < l2
c) n1 < n2 e l1 > l2
d) n1 < n2 e l1 < l2

174
Gabarito
1. D 2. D 3. B 4. B 5. D

6. D 7. B 8. D 9. D 10. A

11. D 12. D 13. C 14. C

175
CN
QUÍMICA
UERJ - Química
Funções Orgânicas, 16%
Soluções, 13%
Equilíbrios Químicos, 8%
Termoquímica, 7%
Funções Inorgânicas, 4%
Gases, 4%
Cálculos Químicos, 11%
Ligações Químicas, 15%
Estrutura Atômica, 8%
Isomeria, 10%
Outros, 4%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULA 1

PRESCRIÇÃO: Estequiometria é um assunto recorrente em todos os vestibulares, e principalmente


na UERJ. É muito importante seu estudo, pois os exercícios cobrados não são triviais, sempre apresen-
tando questões muito bem desenvolvidas e de dificuldade elevada. Muitas vezes também é cobrado o
conhecimento de gases, como volume molar nas CNTP e nas condições ambientes, para a resolução
das questões de estequiometria.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Durante a Segunda Guerra Mundial, um cientista dissolveu duas medalhas de ouro
para evitar que fossem confiscadas pelo exército nazista. Posteriormente, o ouro foi recuperado e
as medalhas novamente confeccionadas.
As equações balanceadas a seguir representam os processos de dissolução e de recuperação das
medalhas.
DISSOLUÇÃO:

Au(s) + 3 HNO3(aq) + 4 HCℓ(aq) → HAuCℓ4(aq) + 3 H2O(ℓ) + 3 NO2(g)


RECUPERAÇÃO:
3 NaHSO3(aq) + 2 HAuCℓ4(aq) + 3 H2O(ℓ) → 3 NaHSO4(aq) + 8 HCℓ(aq) + 2 Au(S)
Admita que foram consumidos 252 g de HNO3 para a completa dissolução das medalhas.
Nesse caso, a massa, de NaHSO3, em gramas, necessária para a recuperação de todo o ouro corres-
ponde a:
Dados: H = 1; N = 14; O = 16; Na = 23; S = 32.
a) 104
b) 126
c) 208
d) 252

2. (UERJ 2015) A proporção de moléculas de água presentes na forma hidratada de um sal pode ser re-
presentada da seguinte forma, na qual X corresponde ao número de mols de água por mol desse sal:
CuSO4 · X H2O
Uma amostra de 4,99 g desse sal hidratado foi aquecida até que toda a água nela contida evaporou,
obtendo-se uma massa de 3,19 g de sulfato de cobre II.
O número de mols de água por mol de sulfato de cobre II na composição do sal hidratado equivale a:
a) 2
b) 5
c) 10
d) 20

3. (UERJ 2014) Uma das técnicas empregadas para separar uma mistura gasosa de CO2 e CH4 consiste
em fazê-la passar por uma solução aquosa de Ba(OH)2.
Uma amostra dessa mistura gasosa, com volume total de 30 L, sob temperatura de 27°C e pressão
de 1 atm, ao reagir com a solução aquosa de Ba(OH)2, produz a precipitação de 98,5 g de BaCO3. A
fração gasosa remanescente, nas mesmas condições de temperatura e pressão, contém apenas CH4.
O volume, em litros, de CH4 remanescente é igual a:
Dado: R = 0,082 atm·L·mol-1·K-1.
a) 10
b) 12
c) 15
d) 18

179
4. (UERJ 2012) No interior do casco dos navios, existem tanques que podem ter seu volume preen-
chido parcial ou totalmente com água do mar em função das necessidades de flutuabilidade. Como
os tanques são constituídos de materiais metálicos, eles sofrem, ao longo do tempo, corrosão pelo
contato com a água do mar, conforme a equação:
4 Fe(s) + 3 O2(g) → 2 Fe2O3(s)
Um processo corrosivo no interior de um tanque fechado apresenta as seguintes características:

{ 10.00030.000
m de  água do mar
}​
3
§§ volume interno ​   

m de ar
3  

§§ concentração de gás oxigênio no ar, em volume ​ antes { 


da corrosão:
   20,9%
após a corrosão: 19,3%

   }
Admita que, durante todo o processo de corrosão, o ar no interior do tanque esteve submetido às
CNTP, com comportamento ideal, e que apenas o oxigênio presente no ar foi consumido.
A massa de ferro, em quilogramas, consumida após o processo corrosivo foi igual a:
a) 1300
b) 1600
c) 2100
d) 2800

5. (UERJ) Para evitar a ingestão de quantidades excessivas de sódio, foi desenvolvido o sal light, no
qual parte do cloreto de sódio é substituído por cloreto de potássio.
Os quadros abaixo comparam as informações nutricionais para porções iguais de dois tipos de sal:

Sal tradicional Sal light


Constituinte Quantidade por porção Constituinte Quantidade por porção
sódio 368,0 mg sódio 184,0 mg
potássio - potássio 249,6 mg

Além desses cloretos, não há outros compostos de cloro, sódio ou potássio nos sais.
A redução percentual do íon cloro no sal light em relação ao sal tradicional é igual a:
Dados: Na = 23; K = 39.
a) 10%
b) 20%
c) 40%
d) 50%

6. (UERJ 2016) Para diferenciar os hidrocarbonetos etano e eteno em uma mistura gasosa, utiliza-se
uma reação com bromo molecular: o etano não reage com esse composto, enquanto o eteno reage
de acordo com a seguinte equação química:

Considere um cilindro de capacidade igual a 10 ℓ contendo apenas esses hidrocarbonetos em uma


mistura com massa igual a 200 g. Ao se adicionar bromo em excesso à mistura, todo o eteno reagiu,
formando 940 g de 1,2 - dibromoetano.
A concentração inicial de etano, em mol·ℓ-1, no interior do cilindro, corresponde a:
a) 0,1
b) 0,2
c) 0,3
d) 0,4

180
Raio X
1.
A partir das equações fornecidas no texto, vem:
Au(s) + 3 HNO3(aq) + 4 HC (aq) → HAuC 4(aq) + 3 H2O(  ) + 3 NO2(g) (×2)
3 NaHSO3(aq) + 2 HAuC 4(aq) + 3 H2O(  ) → 3 NaHSO4(aq) + 8 HC (aq) + 2 Au(s) (×1)

2 Au(s) + 6 HNO3(aq) + 8 HC (aq) → 2 HAuC 4(aq) + 6 3 H2O(  ) + 6 NO2(g)

3 NaHSO3(aq) + 2 HAuC 4(aq) + 3 H2O(  ) → 3 NaHSO4(aq) + 8 HC (aq) + 2 Au(s)


Global
6 HNO3(aq) + 3 NaHSO3(aq) 
→ 3H2O(  ) + 6 NO2(g) + 3 NaHSO4(aq)

HNO3 63;
= = NaHSO3 104.
Global
6 HNO3(aq) + 3 NaHSO3(aq) 
→ 3H2O(  ) + 6 NO2(g) + 3 NaHSO4(aq)
6 × 63 g 3 × 104 g
252 g mNaHSO3
mNaHSO3 = 208 g
2.
CuSO4 ⋅ xH2O → CuSO4 + H2O
4,99g 3,19g 1,8g
(4,99 − 3,19 =1,8g)
1 mol de H2O 18g
x 1,8g
x = 0,1 mol

1 mol CuSO4 159,5g


x 3,19g
x = 0,02mol

0,02 mol de CuSO4 0,1mol de H2O


1 mol y
y = 5 mol
3.
Teremos:
CO2 + Ba(OH)2 → H2O + BaCO3
44 g 197 g
mCO2 98,5 g
mCO2 = 22 g
22
nCO= = 0,5 mol
2 44
P× V = n×R× T
1× VCO2 = 0,5 × 0,082 × (27 + 273)
VCO2 = 12,3 L
=V VCO2 + VCH4
30 12,3 + VCH4
=
VCH4 17,7
= = L 18 L

181
4.
Teremos:
30.000 m3 de ar 100 %
VO2 1,6 %
VO2 = 480 L

4 Fe ( s ) + 3 O2 ( g ) → 2 Fe2O3 ( s )
4 × 56 g 3 × 22,4 L
mFe 480 L
mFe = 1600 g

5.
No sal tradicional:
368 × 10 −3
n(sódio) = 16 10 −3 mol ⇒ n(cloro) =×
=× 16 10 −3 mol
23
No sal light:
184 × 10 −3
n(sódio) = = 8 × 10 −3 mol ⇒ n(cloro) =
8 × 10 −3 mol
23
249,6 × 10 −3
n(potássio) = = 6,4 × 10 −3 mol ⇒ n(cloro) =6,4 × 10 −3 mol
39
n(cloro) = 8 × 10 −3 + 6,4 × 10 −3 =14,4 × 10 −3 mol
Re dução =16 × 10 −3 − 14,4 × 10 −3 =1,6 × 10 −3 mol de cloro
16 × 10 −3 100%
−3
1,6 × 10 r
=r 0,10
= 10 %

6.
C2H4 + Br2 → C2H4Br2
1 mol 188 g
n 940 g
neteno = 5 mol
meteno =5 × 28 =140 g
m
=inicial meteno + me tano
200
= 140 + me tano
me tano = 60 g
60
ne tano
= = 2 mol
30
2 mol
[e =
tano] = 0,2 mol / L
10 L

Gabarito
1. C 2. B 3. D 4. B 5. A

6. B

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) A combustão completa do álcool comum está representada pela seguinte equação química:

C2H6O(ℓ) + 3 O2(g) ⇒ 2 CO2(g) + 3 H2O(v)

182
Considerando que a massa molar do C2H6O é igual a 46 g.mol-1, a massa de álcool que possivelmente
foi queimada para produzir 448 L de gás carbônico a 0°C e 1atm, equivale a:
a) 460 g
b) 690 g
c) 1560 g
d) 1810 g

2. (UERJ) Em nosso organismo, parte da energia liberada pela oxidação completa da glicose é captada
na reação ADP + Fosfato → ATP
Considere que:
§§ em pessoas sadias, parte da energia liberada pela oxidação completa de 1 mol de glicose acu-
mula-se sob a forma de 38 mols de ATP, sendo a energia restante dissipada sob forma de calor;
§§ em um determinado paciente com hipertireoidismo, o rendimento de produção de ATP foi 15%
abaixo do normal;
§§ a reação de hidrólise ATP → ADP + Fosfato libera 7.000cal/mol.
A quantidade de calor que o paciente com hipertireoidismo libera a mais que uma pessoa sadia,
nas mesmas condições, quando oxida completamente 1,0 mol de glicose, é, em kcal, aproximada-
mente igual a:
a) 40
b) 61
c) 226
d) 266

3. (UERJ) A combustão completa do gás metano, feita em presença de ar, a temperatura e pressão
constantes, pode ser representada pela seguinte equação química não balanceada:

CH4(g) + O2(g) → CO2(g) + H2O(ℓ)

Admita que:
§§ 60,0 L deste combustível foram queimados por um veículo;
§§ o oxigênio reagente represente 20% do volume total do ar;
§§ o rendimento do processo seja de 90%.
Nestas condições, o volume de ar, em litros, necessário à combustão equivale a:
a) 810
b) 540
c) 480
d) 270

4. (UERJ) Uma indústria solicitou a um laboratório determinada quantidade da substância trifluo-


reto de fósforo puro, que será utilizada na obtenção de um produto de grande importância. Para
atender ao pedido, os técnicos do laboratório realizaram quatro experiências, utilizando fósforo e
flúor puros, que, combinados em condições adequadas, formaram o trifluoreto de fósforo, em um
sistema fechado.
Observe a tabela a seguir.

Massa dos reagentes em gramas


Experiência
fósforo flúor
I 31,0 19,0
II 15,5 28,5
III 9,3 19,0
IV 10,0 30,0

Considerando 100% de rendimento, a experiência que atende à especificação solicitada pela in-
dústria é a de número:
a) I
b) II
c) III
d) IV

183
5. (UERJ) Em breve, os veículos automotivos poderão utilizar o combustível diesel S-500, menos po-
luente que o metropolitano por conter menor teor de enxofre.
Observe a tabela a seguir.

Teor de enxofre Densidade


Diesel
(mg/kg) (g/cm3)
metropolitano 2.000 0,8
S - 500 500 0,8

A poluição da atmosfera se dá após a transformação do enxofre em dióxido de enxofre, ocorrida


na queima de óleo diesel.
A equação química a seguir indica essa transformação.
S(s) + O2(g) → SO2(g)
Dois caminhões, um utilizando diesel S-500 e outro, diesel metropolitano, deslocam-se com ve-
locidade média de 50 km/h, durante 20 h, consumindo, cada um, 1L de combustível a cada 4 km
percorridos.
Considerando as condições acima descritas e a conversão total do enxofre em dióxido de enxofre, a
redução da poluição proporcionada pelo caminhão que usa diesel S-500, em relação àquele que usa
diesel metropolitano, expressa em gramas de SO2 lançado na atmosfera, corresponde a:
a) 800
b) 600
c) 500
d) 300

6. (UERJ) Sódio metálico, Na0, e cátion sódio, Na+, são exemplos de espécies que apresentam proprie-
dades químicas diferentes. Quando são utilizados 3 g de sal de cozinha (NaCℓ) na dieta alimentar,
o organismo absorve sódio na forma iônica. No entanto, a ingestão de quantidade equivalente de
sódio metálico, por sua violenta reação com a água do organismo e pelo efeito corrosivo do hidró-
xido de sódio formado, causaria sérios danos à saúde. A equação a seguir mostra essa reação.

Na(s) + H2O(ℓ) → NaOH(aq) + 1/2 H2(g) + energia

Considerando rendimento de 100%, a ingestão de 3 g de sódio metálico produziria, aproximada-


mente, uma massa de hidróxido de sódio, em gramas, igual a:
a) 5,2
b) 8,3
c) 12,1
d) 23,0

7. (UERJ) A figura a seguir representa uma piscina completamente cheia de água, cuja forma é um
prisma hexagonal regular.

Admita que:
§§ A, B, C e D representam vértices desse prisma;__

​ AB​ ​ = ​  ​ 3 ​ ​  
X​ XX  ___
§§ o volume da piscina é igual a 450 m3 e ___ ;
​XXX  10
CD​
§§ um atleta nada, em linha reta, do ponto A até o ponto médio da aresta , utilizando apenas gli-
cose como fonte de energia para seus músculos.
A quantidade total de glicose consumida pelo atleta foi de 0,5 moℓ. Dessa quantidade, 80% pro-
duziram somente ácido lático, e o restante foi completamente oxidado no ciclo dos ácidos tricar-
boxílicos.

184
O volume de CO2, em litros, nas CNTP, produzido pelas mitocôndrias dos músculos do atleta, cor-
responde a:
a) 0,10
b) 2,24
c) 6,72
d) 13,44

8. (UERJ) Muitas joias são constituídas por ligas feitas de uma mistura de ouro puro com outros metais.
Uma joia é considerada de ouro n quilates se n/24 de sua massa for de ouro, sendo n um número
inteiro, maior ou igual a 1 e menor ou igual a 24.
Uma aliança de ouro 15 quilates tem massa igual a 4 g.
Para transformar essa aliança em outra, de ouro 18 quilates, mantendo a quantidade dos outros me-
tais, é necessário acrescentar, em sua liga, uma quantidade de gramas de ouro puro equivalente a:
a) 1,0
b) 1,5
c) 2,0
d) 3,0

9. (UERJ)
§§ Uma área agrícola, próxima a um lago, precisa ser adubada antes do início do plantio de hor-
taliças.
§§ O esquema da figura 1 indica as medidas do terreno a ser plantado. Os dois lados paralelos
distam 10 km e os três ângulos obtusos indicados são congruentes.
§§ Para corrigir a elevada acidez do solo, o produto recomendado foi o calcário (CaCO3), na dosa-
gem de 5 g/m2 de solo.
§§ Para a adubação do terreno, emprega-se um pulverizador com 40 m de comprimento, abaste-
cido por um reservatório de volume igual a 2,16 m3, que libera o adubo à vazão constante de
1.200 cm3/s. Esse conjunto, rebocado por um trator que se desloca à velocidade constante de 1 m/s,
está representado na figura 2.
§§ A partir do início da adubação, a qualidade da água do lago passou a ser avaliada com regula-
ridade.

Para corrigir a acidez do solo, a quantidade de matéria necessária, em mol de CaCO3, por km2 de
área a ser plantada, corresponde a:
a) 4,0 × 106
b) 5,0 × 104
c) 1,5 × 103
d) 2,5 × 102

1
0. (UERJ 2015) Um processo petroquímico gerou a mistura, em partes iguais, dos alcinos com fór-
mula molecular C6H10. Por meio de um procedimento de análise, determinou-se que essa mistura
continha 24 gramas de moléculas de alcinos que possuem átomo de hidrogênio ligado a átomo de
carbono insaturado.
A massa da mistura, em gramas, corresponde a:
a) 30
b) 36
c) 42
d) 48

185
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Um peixe ósseo com bexiga natatória, órgão responsável por seu deslocamento vertical, encontra-
-se a 20 m de profundidade no tanque de um oceanário. Para buscar alimento, esse peixe se deslo-
ca em direção à superfície; ao atingi-la, sua bexiga natatória encontra-se preenchida por 112 mL
de oxigênio molecular.

1
1. (UERJ 2017) Considere que o oxigênio molecular se comporta como gás ideal, em condições nor-
mais de temperatura e pressão.
Quando o peixe atinge a superfície, a massa de oxigênio molecular na bexiga natatória, em mili-
gramas, é igual a:
Dados: O = 16; VCNTP = 22,4 L/mol.
a) 80
b) 120
c) 160
d) 240

1
2. (UERJ 2016) Para descrever o comportamento dos gases ideais em função do volume V, da pressão
P e da temperatura T, podem ser utilizadas as seguintes equações:

Equação de Clapeyron Equação de Boltzmann


P×V=x×R×T P×V=N×k×T
n - número de mols N - número de moléculas
R - constante dos gases k - constante de Boltzmann

​ R ​  é aproximadamente igual a:


De acordo com essas equações, a razão __
k
​ 1  ​ × 10-23
a) __
6
​ 1  ​ × 1023
b) __
6
c) 6 × 10-23
d) 6 × 1023

1
3. (UERJ 2013) Dois balões idênticos são confeccionados com o mesmo material e apresentam volu-
mes iguais. As massas de seus respectivos conteúdos, gás hélio e gás metano, também são iguais.
Quando os balões são soltos, eles alcançam, com temperaturas internas idênticas, a mesma altura
na atmosfera.
Admitindo-se comportamento ideal para os dois gases, a razão entre a pressão no interior do balão
contendo hélio e a do balão contendo metano é igual a:
a) 1
b) 2
c) 4
d) 8

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Estudos mostram que as moléculas de dois gases, a uma mesma temperatura, possuem igual ener-
gia cinética média. Para ilustrar esta teoria, um professor montou o experimento abaixo esque-
matizado, no qual, em cada extremidade de um tubo de vidro com 1 m de comprimento, foram
colocados dois chumaços de algodão embebidos, respectivamente, em uma solução de amônia e em
uma solução de ácido clorídrico, ambas com a mesma concentração. Após determinado período de
tempo, observou-se a formação do cloreto de amônio na região do tubo mais próxima à extremi-
dade que contém o ácido.
Considere que os vapores formados no experimento se comportam como gases.

186
1
4. (UERJ) Quanto mais rápido for o congelamento da água, menores e mais numerosos serão os cris-
tais de gelo formados.
Para congelar amostras em laboratórios utilizam-se, geralmente, gases liquefeitos, nas temperatu-
ras (T) mostradas na tabela a seguir:
Gás T
He 4K
N2 - 200 ºC
Ar 80 K
CO2 - 80 ºC
Pretende-se congelar suspensões aquosas de células, de modo a preservar suas estruturas e manter
suas propriedades vitais após o congelamento.
Sabendo-se que cristais maiores provocam mais lesões nas células, o gás liquefeito mais adequado
para esse congelamento é o:
a) He
b) N2
c) Ar
d) CO2

1
5. (UERJ) O gás natural proveniente da bacia petrolífera de Campos é constituído basicamente por
gás metano (CH4). Se o volume consumido por uma residência for de 30 m3 de CH4(g), à tempera-
tura de 27°C e pressão de 1 atmosfera, a massa de consumida de gás, em kg, será de:
Dado: Massa molar do CH4 = 16 g/mol
a) 13,60
b) 15,82
c) 19,51
d) 22,40

Gabarito
1. A 2. A 3. B 4. B 5. B

6. A 7. D 8. C 9. B 10. C

11. C 12. D 13. C 14. A 15. C

187
AULA 2

PRESCRIÇÃO: Concentração e diluição são os assuntos mais cobrados do vestibular da UERJ, sem-
pre utilizando de perguntas muito conceituais e com bastante cálculo. Muitas vezes, observa-se o uso
de estequiometria para a resolução de um exercício em que se pede a concentração de uma solução.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Na análise de uma amostra da água de um reservatório, verificou-se a presença de
dois contaminantes, nas seguintes concentrações:

Contaminante Concentração (mg/L)


benzeno 0,39
metanal 0,40
Em análises químicas, o carbono orgânico total é uma grandeza que expressa a concentração de
carbono de origem orgânica em uma amostra.
Assim, com base nos dados da tabela, a concentração de carbono orgânico total na amostra de água
examinada, em mg/l é igual a:
a) 0,16
b) 0,36
c) 0,52
d) 0,72

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

A salinidade da água é um fator fundamental para a sobrevivência dos peixes. A maioria deles vive
em condições restritas de salinidade, embora existam espécies como o salmão, que consegue viver
em ambientes que vão da água doce à água do mar. Há peixes que sobrevivem em concentrações
salinas adversas, desde que estas não se afastem muito das originais.
Considere um rio que tenha passado por um processo de salinização. Observe na tabela suas faixas
de concentração de cloreto de sódio.

Trecho do rio Concentração de NaCℓ (mol L-1)


W < 0,01
X 0,1 − 0,2
Y 0,4 − 0,5
Z ≥ 0,6*
*isotônica à água do mar

2. (UERJ 2015) Um aquário com 100 L de solução aquosa de NaCℓ com concentração igual a 2,1 g ∙ L-1,
será utilizado para criar peixes que vivem no trecho Z do rio. A fim de atingir a concentração mínima
para a sobrevivência dos peixes, deverá ser acrescentado NaCℓ à solução, sem alteração de seu volume.
A massa de cloreto de sódio a ser adicionada, em quilogramas, é igual a:
a) 2,40
b) 3,30
c) 3,51
d) 3,72

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Com as chuvas intensas que caíram na cidade do Rio de Janeiro em março de 2013, grande quan-
tidade de matéria orgânica se depositou na lagoa Rodrigo de Freitas. O consumo biológico desse
material contribuiu para a redução a zero do nível de gás oxigênio dissolvido na água, provocando
a mortandade dos peixes.

188
3. (UERJ) O volume médio de água na lagoa é igual a 6,2 × 106 L. Imediatamente antes de ocor-
rer a mortandade dos peixes, a concentração de gás oxigênio dissolvido na água correspondia
a 2,5 × 10-4 mol ∙ L -1 .
Ao final da mortandade, a quantidade consumida, em quilogramas, de gás oxigênio dissolvido foi
igual a:
Dado: O = 16.
a) 24,8
b) 49,6
c) 74,4
d) 99,2

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Em um laboratório, duas torneiras enchem dois recipientes, de mesmo volume V, com diferentes
soluções aquosas. Observe os dados da tabela:

Recipiente Solução Tempo de enchimento (s)


R1 ácido clorídrico 40
R2 hidróxido de sódio 60

O gráfico abaixo mostra a variação do volume do conteúdo em cada recipiente em função do tempo.

4. (UERJ) Admita que as soluções depositadas em R1 e R2 até o instante t = 40 s tenham sido mistu-
radas em um novo recipiente, formando uma solução neutra. Sabendo que a concentração inicial
da solução ácida é igual a 0,10 mol∙L-1, a concentração inicial da solução básica, em mol9L-1, cor-
responde a:
a) 0,10
b) 0,15
c) 0,20
d) 0,25

5. (UERJ) Uma amostra de 5 L de benzeno líquido, armazenada em um galpão fechado de 1500 m3


contendo ar atmosférico, evaporou completamente. Todo o vapor permaneceu no interior do gal-
pão. Técnicos realizaram uma inspeção no local, obedecendo às normas de segurança que indicam
o tempo máximo de contato com os vapores tóxicos do benzeno.
Observe a tabela:

Tempo máximo Concentração de benzeno


de permanência na atmosfera
(h) (mg ∙ L-1)
2 4
4 3
6 2
8 1

Considerando as normas de segurança, e que a densidade do benzeno líquido é igual a 0,9 g9mL-1 ,
o tempo máximo, em horas, que os técnicos podem permanecer no interior do galpão, corresponde
a:
a) 2
b) 4
c) 6
d) 8

189
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Uma das consequências do acidente nuclear ocorrido no Japão em março de 2011 foi o vazamento
de isótopos radioativos que podem aumentar a incidência de certos tumores glandulares. Para
minimizar essa probabilidade, foram prescritas pastilhas de iodeto de potássio à população mais
atingida pela radiação.

6. (UERJ) Suponha que, em alguns dos locais atingidos pela radiação, as pastilhas disponíveis con-
tinham, cada uma, 5910-4 mol de iodeto de potássio, sendo a dose prescrita por pessoa de 33,2 mg
por dia. Em razão disso, cada pastilha teve de ser dissolvida em água, formando 1L de solução.
O volume da solução preparada que cada pessoa deve beber para ingerir a dose diária prescrita de
iodeto de potássio corresponde, em mililitros, a:
Dados: K = 39; I = 127.
a) 200
b) 400
c) 600
d) 800

Raio X
1.
Benzeno (C6H6 = 78). Em 1 L :
78 g de benzeno 6 × 12 g de carbono
0,39 mg de benzeno mcarbono
mcarbono = 0,36 mg

Me tanal (CH2O = 30). Em 1 L :


30 g de me tanal 12 g de carbono
0,40 mg de me tanal m'carbono
m'carbono = 0,16 mg
mtotal = 0,36 mg + 0,16 mg = 0,52 mg
C = 0,52 mg L
2.
A massa de cloreto de sódio presente na água do rio será:
​  m   ​ 
M = _______
MM ∙ V
m = 0,6 ∙ 58,5 ∙ 100
m = 3510 g ou 3,51 kg
A massa de cloreto de sódio presente no aquário será:
​ m ​ 
C = __
V
m = 2,1 ∙ 100 = 210g
A massa a ser adicionada será a diferença entre elas:
madicionada = 3510 – 210 = 3300g ou 3,3 kg
3.
O consumo biológico desse material contribuiu para a redução a zero do nível de gás oxigênio dis-
solvido na água, então:
2,5 × 10−4 mol ⋅ L−1
[O2 ] =
1L 2,5 × 10−4 mol
6,2 × 106 L noxigênio

= 15,5 × 102 mol


noxigênio

moxigênio = 15,5 × 102 × 32 g = 496 × 102 g


moxigênio = 49,6 kg

190
4.
De acordo com o gráfico em 60 s o volume corresponde a V.
Então:
60 s VHC
40 s VNaOH
40 2
VNaOH
= = VHC VHC
60 3
HC + NaOH → H2O + NaC
1 mol 1 mol
Sabendo que a concentração inicial da solução ácida é igual a 0,10 mol.L-1, vem:
n
Concentração molar =
V
=n Concentração molar × V
n=
HC [HC] × VHC
n
=NaOH [NaOH] × VNaOH
nHC = nNaOH
[HC] × VHC= [NaOH] × VNaOH
2
0,10 mol.L−1 ×=
VHC [NaOH] × VHC
3
[NaOH] = 0,15 mol.L−1
5.
Teremos:
10−3 L (benzeno) 0,9 g
5 L (benzeno) m(Benzeno)
m(Benzeno) = 4500 g

4500 g
C= 3 × 10−3 gL−1 =
= 3 g.mL−1
1500 × 103 L (benzeno)
6.
Teremos:
5 × 10−4 mol (KI) =0,5 mol × 10−3 =0,5 × 166 mg =83 mg de KI.
1 pastilha:
83 mg 1000 mL
33,2 mg V
V = 400 mL

Gabarito
1. C 2. B 3. B 4. B 5. B

6. B

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2007) Para evitar a proliferação do mosquito causador da dengue, recomenda-se colocar,
nos pratos das plantas, uma pequena quantidade de água sanitária de uso doméstico. Esse produto
consiste em uma solução aquosa diluída de hipoclorito de sódio, cuja concentração adequada, para
essa finalidade, é igual a 0,1 mol/L.
Para o preparo de 500 mL da solução a ser colocada nos pratos, a massa de hipoclorito de sódio
necessária é, em gramas, aproximadamente igual a:
a) 3,7
b) 4,5
c) 5,3
d) 6,1

191
2. (UERJ 2003) Quatro frascos – A, B, C e D – são utilizados para a preparação de quatro soluções
aquosas, cujos solutos são, respectivamente, HBr, NaCℓ, Ba(OH)2 e Kl. Tais soluções apresentam 1
grama de soluto por litro de solução.
Com relação a esses solutos, sabe-se que:
§§ a solução do frasco B possui a menor concentração em mol × L-1;
§§ a solução do frasco C possui a maior concentração em mol × L-1;
§§ as soluções dos frascos A e B neutralizam-se quando misturadas em volumes adequados.
Pode-se concluir que os frascos que correspondem às soluções de HBr, NaCℓ, Ba(OH)2 e Kl são,
respectivamente:
a) A, B, C, D
b) A, C, B, D
c) D, B, C, A
d) D, C, B, A

3. (UERJ) No rótulo de uma garrafa de água mineral, lê-se:

Conteúdo – 1 litro
Sais minerais Composição
Bicarbonato de magnésio 15,30 mg
Bicarbonato de potássio 10,20 mg
Bicarbonato de bário 0,04 mg
Fluoreto de sódio 0,80 mg
Cloreto de sódio 7,60 mg
Nitrato de sódio 17,00 mg

Nessa água mineral, a concentração de nitrato de sódio – NaNO3 – em mol∙L-1, corresponde a:


a) 1,0 × 10-4
b) 2,0 × 10-4
c) 4,0 × 10-2
d) 8,5 × 10-2

4. (UERJ) Para limpeza de lentes de contato, é comum a utilização de solução fisiológica de cloreto
de sódio a 0,9% (massa por volume). Um frasco contendo 0,5 litro desta solução terá uma massa
de NaCℓ, em gramas, igual a:
a) 1,8
b) 2,7
c) 4,5
d) 5,4

5. (UERJ) Algumas soluções aquosas vendidas no comércio com nomes especiais são mostradas a se-
guir:

Considerando que a densidade das soluções é de 1,0 g/mL e que as soluções são formadas exclusi-
vamente pelo soluto predominante e pela água, o produto que apresenta a maior concentração em
quantidade de matéria, mol ∙ L-1, é:
a) soro
b) vinagre
c) água sanitária
d) água oxigenada

192
6. (UERJ) O ácido ascórbico (vitamina C) reduz o iodo, conforme a reação química representada a
seguir.

Em uma análise do ácido ascórbico contido em 10,0 mL de suco de laranja, são consumidos 5,0 mL
de uma solução de iodo molecular de concentração igual a 0,010 mol × L-1.
Admita que todo o ácido ascórbico presente no suco tenha reagido.
A massa deste ácido, presente em 1,0 L do suco de laranja é, em gramas, igual a:
(Dados: C = 12; H = 1; O = 16)
a) 0,80
b) 0,84
c) 0,88
d) 0,92

7. (UERJ 2017) Em um exame clínico, monitorou-se a concentração de um hormônio no sangue de


um paciente, das 14 h de um dia às 10 h do dia seguinte. Os resultados do monitoramento, orga-
nizados em períodos de quatro horas, estão apresentados no gráfico abaixo.

A maior taxa de produção do hormônio, em mol ∙ mL-1 ∙ h-1, verificada em um dos cinco períodos
do exame, corresponde a:
a) 1,0 x 10-10
b) 2,0 x 10-10
c) 4,0 x 10-10
d) 5,0 x 10-10

8. (UERJ) Observe, a seguir, a fórmula estrutural do ácido ascórbico, também conhecido como vita-
mina C:

193
Para uma dieta saudável, recomenda-se a ingestão diária de 2,5 x 10-4 mol dessa vitamina, prefe-
rencialmente obtida de fontes naturais, como as frutas.
Considere as seguintes concentrações de vitamina C:
§§ polpa de morango: 704 mg∙L-1;
§§ polpa de laranja: 528 mg∙L-1.
Um suco foi preparado com 100 ml de polpa de morango, 200 ml de polpa de laranja e 700 ml de
água.
A quantidade desse suco, em mililitros, que fornece a dose diária recomendada de vitamina C é:
a) 250
b) 300
c) 500
d) 700

9. (UERJ) Em processos de gravação de letras e figuras em peças de vidro, o ácido fluorídrico reage
com o dióxido de silício, principal constituinte do vidro, de acordo com a seguinte equação:

SiO2(s) + 4HF(aq) → SiF4(g) + 2 H2O(ℓ)

Na gravação de letras em uma determinada peça de vidro, foi empregada uma solução aquosa de HF
com concentração de 2,0 moℓ.L-1, verificando-se a formação de 1,12 L de SiF4 , medidos nas CNTP.
O volume, em mililitros, de solução ácida utilizado correspondeu a:
a) 50
b) 100
c) 150
d) 200

1
0. (UERJ) O sulfato de alumínio é utilizado como clarificante no tratamento de água, pela ação dos
íons alumínio que agregam o material em suspensão. No tratamento de 450 L de água, adiciona-
ram-se 3,078 kg de sulfato de alumínio, sem que houvesse variação de volume.
Admitindo-se a completa dissociação do sal, a concentração de íons alumínio, em moℓ∙L-1, é igual a:
a) 0,02
b) 0,03
c) 0,04
d) 0,05

1
1. (UERJ) A composição do leite colocado à venda para consumo humano pode ser, eventualmente,
adulterada. Um dos processos de adulteração consiste na adição de hidróxido de sódio para reduzir
a acidez causada pelo ácido láctico formado pela ação de microrganismos.
A equação química a seguir representa o processo de neutralização desse ácido pelo hidróxido de
sódio.

Considere uma concentração de 1,8 g.L-1 de ácido láctico em um lote de 500 L de leite.
Para neutralizar completamente todo o ácido contido nesse lote, utiliza-se um volume, em litros,
de solução aquosa de hidróxido de sódio de concentração 0,5 mol.L-1, correspondente a:
a) 20
b) 40
c) 60
d) 80

1
2. (UERJ) Certos medicamentos são preparados por meio de uma série de diluições. Assim, utilizan-
do-se uma quantidade de água muito grande, os medicamentos obtidos apresentam concentrações
muito pequenas.
A unidade mais adequada para medir tais concentrações é denominada ppm:
1 ppm corresponde a 1 parte de soluto em 1 milhão de partes de solução.

194
Considere um medicamento preparado com a mistura de 1 g de um extrato vegetal e 100 kg de
água pura.
A concentração aproximada desse extrato vegetal no medicamento, em ppm, está indicada na se-
guinte alternativa:
a) 0,01
b) 0,10
c) 1,00
d) 10,00

1
3. (UERJ) As concentrações de alguns gases vêm crescendo na atmosfera em função da atividade
humana e poderão acarretar consequências ecológicas graves.
Cada um dos gráficos a seguir mostra, em diferentes escalas, a variação temporal das concentrações
dos seguintes gases: carbônico, óxido nitroso, metano e clorofluorcarbonos (CFC).

Em 2000, essas concentrações encontravam-se na seguinte ordem:

CO2 > CH4 > N2O > CFC

Os gráficos correspondentes à variação da concentração atmosférica dos dois gases mais importan-
tes, em termos de responsabilidade pelo incremento do aquecimento global, são:
a) Y e W
b) Z e X
c) Y e Z
d) X e W

1
4. (UERJ) Em uma estação de tratamento de efluentes, um operador necessita preparar uma solução
de sulfato de alumínio de concentração igual a 0,1 mol/L, para encher um recipiente cilíndrico,
cujas medidas internas, altura e diâmetro da base, estão indicadas na figura a seguir.

Considerando π = 3, a quantidade mínima de massa de sulfato de alumínio necessária para o ope-


rador realizar sua tarefa e, em gramas, aproximadamente igual a:
a) 3321
b) 4050
c) 8505
d) 9234

1
5. (UERJ) Um medicamento, para ser administrado a um paciente, deve ser preparado como uma
solução aquosa de concentração igual a 5%, em massa, de soluto. Dispondo-se do mesmo medica-
mento em uma solução duas vezes mais concentrada, esta deve ser diluída com água, até atingir o
percentual desejado.
As massas de água na solução mais concentrada, e naquela obtida após a diluição, apresentam a
seguinte razão:
a) 5/7
b) 5/9
c) 9/19
d) 7/15

195
1
6. (UERJ) Para estudar os processos de diluição e mistura foram utilizados, inicialmente, três frascos
contendo diferentes líquidos.
A caracterização desses líquidos é apresentada na ilustração seguinte.

A seguir, todo o conteúdo de cada um dos frascos foi transferido para um único recipiente.
Considerando a aditividade de volumes e a ionização total dos ácidos, a mistura final apresentou
uma concentração de íons H+, em mol × L-1, igual a:
a) 0,60
b) 0,36
c) 0,24
d) 0,12

1
7. (UERJ) O organoclorado conhecido como DDT, mesmo não sendo mais usado como inseticida, ain-
da pode ser encontrado na natureza, em consequência de sua grande estabilidade. Ele se acumula
em seres vivos pelo processo denominado de biomagnificação ou magnificação trófica.
Foram medidas, em partes por milhão, as concentrações desse composto obtidas em tecidos de in-
divíduos de três espécies de um mesmo ecossistema, mas pertencentes a diferentes níveis tróficos,
com resultados iguais a 15, 0, 1, 0 e 0,01.
As concentrações de DDT nos tecidos dos indivíduos da espécie situada mais próxima da base da
cadeia alimentar e da situada mais próxima do topo dessa cadeia, em gramas de DDT por 100 gra-
mas de tecido, foram, respectivamente, iguais a:
a) 1,0 × 10-3 e 1,0 × 10-5
b) 1,5 × 10-4 e 1,0 × 10-4
c) 1,0 × 10-4 e 1,5 × 10-4
d) 1,0 × 10-6 e 1,5 × 10-3

1
8. (UERJ) Os intervalos de tempo entre as doses dos medicamentos são calculados para garantir que
a concentração plasmática do princípio ativo seja mantida entre um valor mínimo eficaz e um valor
máximo seguro.
Para um certo medicamento, o princípio ativo apresenta massa molar de 200 g e sua concentração
plasmática reduz-se à metade a cada 8 horas.
O valor mínimo eficaz da concentração plasmática é igual a 1 × 10-5 mol × L-1 e seu valor máximo
seguro é de 9,5 × 10-5 mol × L-1.
A concentração plasmática máxima atingida imediatamente após a ingestão da primeira dose é
igual a 16 mg × L-1.
Nessas condições, o intervalo de tempo ideal, em horas, entre a ingestão da primeira e da segunda
doses é de:
a) 24
b) 12
c) 6
d) 3

1
9. (UERJ) A espuma branca das ondas do mar é composta por pequenas bolhas de ar, que se
formam devido à elevada concentração de sais - cerca de 0,50 mol × L-1. Considere duas so-
luções salinas, uma com concentração igual a 0,20 mol × L-1, outra com concentração igual a
0,60 mol × L-1, que devem ser misturadas para o preparo de 1,0 L de solução que possua concentração igual a
0,50 mol × L-1.
Nesta preparação, o volume utilizado da solução mais diluída vale, em mL:
a) 200
b) 250
c) 300
d) 350

196
2
0. (UERJ) Numa certa região oceânica, os níveis de mercúrio na água e nos peixes são, respectiva-
mente, de 0,05 e 200 ppb. Sabe-se que 1 ppb corresponde a 1 mg por tonelada.
Comparando-se pesos iguais de peixes e de água, o fator que expressa a relação entre as massas de
mercúrio nos peixes e na água, é:
a) 4,0 × 103
b) 2,5 × 10-4
c) 2,5 × 103
d) 4,0 × 10-4

2
1. (UERJ) A hidroponia é uma técnica de cultivo de vegetais fora do solo. Os nutrientes são forneci-
dos através de uma solução contendo vários sais de fácil assimilação pelo vegetal.
Para o preparo de 100 L de solução nutritiva, contendo 0,007mol.L-1 de nitrato de cálcio, a massa
necessária deste sal, em gramas, é aproximadamente de:
(Dados: N = 14, O = 16, Ca = 40)
a) 72
b) 102
c) 115
d) 164

2
2. (UERJ) Os medicamentos atualmente conhecidos como genéricos apresentam, em sua composição,
substâncias equivalentes às das marcas tradicionais, com preços mais baixos.
Para estimular o crescimento das crianças, recomenda-se a ingestão de comprimidos que contêm
2,43×10-2g de ZnO, por comprimido.
O medicamento genérico utilizado em substituição ao comprimido tradicional apresenta a seguin-
te composição:
Solução aquosa de ZnSO4 de concentração igual a 0,10mol ∙ L-1
Para a ingestão da mesma massa de Zn+2 contida em um comprimido, o volume necessário da solu-
ção de ZnSO4, em mL, corresponde a:
Dado: Massa molar (g/mol): Zn = 65,4
a) 1,5
b) 3,0
c) 15,0
d) 30,0

2
3. (UERJ) Um fertilizante de larga utilização é o nitrato de amônio, de fórmula NH4NO3.
Para uma determinada cultura, o fabricante recomenda a aplicação de 1L de solução de nitrato de
amônio de concentração 0,5 mol∙L-1 por m2 de plantação.
A figura a seguir indica as dimensões do terreno que o agricultor utilizará para o plantio.

A massa de nitrato de amônio, em quilogramas, que o agricultor deverá empregar para fertilizar
sua cultura, de acordo com a recomendação do fabricante, é igual a:
a) 120
b) 150
c) 180
d) 200

197
Gabarito
1. A 2. B 3. B 4. C 5. D

6. C 7. D 8. A 9. B 10. C

11. A 12. D 13. A 14. D 15. C

16. C 17. D 18. A 19. B 20. A

21. C 22. B 23. A

198
AULA 3

PRESCRIÇÃO: Termoquímica é sempre cobrado nos principais vestibulares. É importante frisar a


diferença entre as diferentes formas de se calcular a entalpia de uma reação, como com entalpia de
formação, lei de Hess e energia de ligação. Essas diferentes formas de se calcular a entalpia de uma
reação é o que causa maior taxa de erro durante a resolução dos exercícios.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2015) A decomposição térmica do carbonato de cálcio tem como produtos o óxido de cálcio
e o dióxido de carbono. Na tabela a seguir, estão relacionados os períodos de quatro elementos
químicos do grupo 2 da tabela de classificação periódica e a entalpia-padrão de decomposição do
carbonato correspondente a cada um desses elementos.

Período Entalpia-padrão (kJ - mol-1)


3º 100
4º 180
5º 220
6º 260

A energia, em quilojoules, necessária para a obtenção de 280g de óxido de cálcio a partir de seu
respectivo carbonato é igual a:
a) 500
b) 900
c) 1100
d) 1300

2. (UERJ) Denomina-se beta-oxidação a fase inicial de oxidação mitocondrial de ácidos graxos satu-
rados. Quando esses ácidos têm número par de átomos de carbono, a beta-oxidação produz apenas
acetil-CoA, que pode ser oxidado no ciclo de Krebs.

Considere as seguintes informações:


§§ cada mol de acetil-CoA oxidado produz 10 mols de ATP;
§§ cada mol de ATP produzido armazena 7 kcal.

Sabe-se que a beta-oxidação de 1 mol de ácido palmítico, que possui 16 átomos de carbono, gera 8
mols de acetil-CoA e 26 mols de ATP.
A oxidação total de 1 mol de ácido palmítico, produzindo CO2 e H2O, permite armazenar sob a forma
de ATP a seguinte quantidade de energia, em quilocalorias:
a) 36
b) 252
c) 742
d) 1008

3. (UERJ) Substâncias com calor de dissolução endotérmico são empregadas na fabricação de balas e
chicletes, por causarem sensação de frescor. Um exemplo é o xilitol, que possui as seguintes pro-
priedades:

Propriedade Valor
massa molar 152g/mol
entalpia de dissolução +5,5kcal/mol
solubilidade 60,8g/100g de água a 25 C

199
Considere M a massa de xilitol necessária para a formação de 8,04 g de solução aquosa saturada de
xilitol, a 25°C. A energia, em quilocalorias, absorvida na dissolução de M corresponde a:
a) 0,02
b) 0,11
c) 0,27
d) 0,48

4. (UERJ) Cada mol de glicose metabolizado no organismo humano gera o equivalente a 3 000 kJ de
energia. A atividade da célula nervosa, em condições normais, depende do fornecimento constante
dessa fonte energética.
A equação química a seguir representa a obtenção de glicose a partir do glicogênio.

(C6H10 O5 )n + n H2O → n C6H12O6


glicogênio glicose

Considere uma molécula de glicogênio de massa molar igual a 4,86 – 106 g ∙ mol-1 .
A metabolização da glicose originada da hidrólise dessa molécula de glicogênio proporciona o ga-
nho de energia, em quilojoules, equivalente a:
a) 1,50 ∙ 10-16
b) 2,70 ∙ 10-14
c) 3,20 ∙ 10-12
d) 6,50 ∙ 10-10

5. (UERJ) O hidrogênio vem sendo considerado um possível substituto dos combustíveis altamente
poluentes de origem fóssil, como o dodecano, utilizado na aviação.
Sabe-se que, sob condições-padrão, as entalpias de combustão do dodecano e do hidrogênio mole-
cular são respectivamente iguais a −7500 e −280 kJ.mol-1.
A massa de hidrogênio, em gramas, necessária para gerar a mesma quantidade de energia que a
gerada por 1 g de dodecano equivale a:
a) 0,157
b) 0,315
c) 0,471
d) 0,630

6. (UERJ) A tabela a seguir mostra apenas alguns valores, omitindo outros, para três grandezas as-
sociadas a cinco diferentes objetos sólidos:
§§ massa;
§§ calor específico;
§§ energia recebida ao sofrer um aumento de temperatura de 10º C.

Objetos m (g) c (cal∙g-1∙ºC-1) Q (cal)


I 0,3 300
II 0,2 400
III 150 450
IV 150 0,4
V 100 0,5

A alternativa que indica, respectivamente, o objeto de maior massa, o de maior calor específico e
o que recebeu maior quantidade de calor é:
a) I, III e IV
b) I, II e IV
c) II, IV e V
d) II, V e IV

200
Raio X
1.
Teremos:
O cálcio está no quarto período da classificação periódica.
Entalpia − padrão : 180 kJ ⋅ mol−1
calor
ÄH 180 kJ ⋅ mol−1
CaCO3 → CaO + CO2=
56 g 180 kJ
280 g E
E = 900 kJ
2.
Cada mol de acetil-CoA produz 10 mols de ATP (ciclo de Krebs).
Teremos:
8 mols de acetil-CoA ao serem oxidados formarão 8 x 10 mols de ATP (80 mols de ATP).

Sabe-se que a beta-oxidação de 1 mol de ácido palmítico, que possui 16 átomos de carbono, gera 8
mols de acetil-CoA e 26 mols de ATP.

Quantidade total de mols de ATP:


26 + 80 = 106 mols de ATP

Cada mol de ATP produzido armazena 7 kcal, então:


1 mol 7 kcal
106 mol E
E = 742 kcal

3.
Teremos em 100 g de água:
mxilitol = 60,8 g
msolução = 100,0 g + 60,8 g = 160,8 g
160,8 g (solução) 60,8 g (xilitol)
8,04 g (solução) mxilitol
mxilitol = 3,04 g
m 3,04
nxilitol = xilitol ⇒ nxilitol = =0,02 mol
Mxilitol 152
A entalpia de dissolução do xilitol é de 5,5 kcal/mol, então:
1 mol 5,5 kcal

0,02 mol E
E = 0,11 kcal
4.
Teremos:
A questão se refere a uma molécula, mas fornece a massa molar.
6 × 1023 moléculas (glicogênio) 4,86 ⋅ 106 g
1 molécula (glicogênio) m
−17
m 0,81× 10
= g
(C6H10 O5 )n + n H2O → n C6H12O6
162 × n g ________ n × 180 g

0,81× 10−17 g ________ m'


= 0,9 × 10−17 g
m'
180 g (glicos e) 3000 kJ
0,9 × 10−17 g (glicos e) E
−17
E=
15 × 10 1,5 × 10−16 kJ
kJ =

201
5.
Teremos:
1C12H26 + 18O2 → 12CO2 + 12H2O DH = −7500 kJ/mol
170 g  7500 kJ
1 g  x kJ
x = 44,12 kJ

H2 + ½ O2 → H2O DH = −280 kJ/mol


2 g  280 kJ
m  44,12 kJ
m = 0,315 g
6.
Como Q = m∙c∙DT, teremos:
I. 300 = mI × 0,3 × 10 ⇒ mI = 100 g
II. 400 = mII × 0,2 × 10 ⇒ mII = 200 g
III. 450 = 150 × cIII × 10 ⇒ cIII = 0,3 cal∙g-1∙ºC-1
IV. Q = 150 × 0,4 × 10 ⇒ QIV = 600 cal
V. Q = 100 × 0,5 × 10 ⇒ QV = 500 cal
Preenchendo a tabela, vem:

Objetos m (g) c (cal∙g-1∙ºC-1) Q (cal)


I 100 g 0,3 300
II 200 g 0,2 400
III 150 0,3 450
IV 150 0,4 600
V 100 0,5 500

Objeto de maior massa: II.


Objeto de maior calor específico: V.
Objeto que recebeu maior quantidade de calor (Q): IV.

Gabarito
1. B 2. C 3. B 4. A 5. B

6. D

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) Explosivos, em geral, são formados por substâncias que, ao reagirem, liberam grande
quantidade de energia. O nitrato de amônio, um explosivo muito empregado em atividades de
mineração, se decompõe segundo a equação química:

2NH4NO3(s) → 2N2(g) + O2(g) + H4O2(g)

Em um teste, essa decomposição liberou 592,5 kJ de energia e produziu uma mistura de nitrogênio
e oxigênio com volume de 168 L, medido nas CNTP.
Nas mesmas condições, o teste com 1 mol de nitrato de amônio libera, em quilojoules, a seguinte
quantidade de energia:
a) 39,5
b) 59,3
c) 118,5
d) 158,0

2. (UERJ) As equações químicas a seguir representam reações de síntese, realizadas em diferentes


condições, para a obtenção de uma substância hipotética XY.
I. X2(g) + Y2(g) → 2 XY(ℓ) + Q1
II. X2(g) + Y2(g) → 2 XY(s) + Q2
III. X2(g) + Y2(g) → 2 XY(g) + Q3

202
Considere Q1 , Q2 e Q3 as quantidades de calor liberadas, respectivamente, nas reações I, II e III. A
relação entre essas quantidades está expressa na seguinte alternativa:
a) Q1 > Q2 > Q3
b) Q2 > Q1 > Q3
c) Q3 > Q1 > Q2
d) Q3 > Q2 > Q1

3. (UERJ) O alumínio metálico, devido a sua baixa massa molar, apresenta um calor específico de 900
J × kg-1 × °C-1, um dos mais elevados dentre os metais.
A energia necessária para elevar a temperatura de 25 kg de alumínio de 25°C até 35°C pode ser
fornecida, em condições-padrão, pela seguinte reação química:
a) S(s) + O2(g) → SO2(g) + 297 kJ
b) 2 C(s) + H2(g) + 227 kJ → C2H2(g)
c) N2(g) + O2(g) → 2NO(g) ∆H = +180,8 kJ
d) H2(g) + Cℓ2(g) → 2 HCℓ(g) ∆H = -185,0 kJ

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

Nos motores de combustão interna, o sulfeto de hidrogênio, presente em combustíveis, é conver-


tido no poluente atmosférico óxido de enxofre IV, como mostra sua equação de combustão abaixo.

H2S(g) + 3/2O2(g) → SO2(g) + H2O(ℓ)

O sulfeto de hidrogênio é extraído dos combustíveis por um solvente que possui baixa polaridade
molecular e natureza ácido-básica oposta à sua.

4. (UERJ) As entalpias-padrão de formação de substâncias participantes na combustão do sulfeto de


hidrogênio são fornecidas adiante.

Substância D0formação (kJ × mol-1)


H2S(g) - 20
SO2(g) - 296
H2O(ℓ) - 286

O valor da entalpia-padrão de combustão do sulfeto de hidrogênio em kJ × mol-1 é igual a:


a) - 562
b) - 602
c) - 1124
d) - 1204

5. (UERJ)

COMBUSTÍVEL
Calor liberado em kcal
Nome na queima de 1 mol
no estado gasoso
etano 372
eteno 337
etino 310
metano 212

O poder calorífico de um combustível pode ser definido como o calor produzido na queima por
unidade de massa.
Dentre os combustíveis apresentados, aquele que possui o maior poder calorífico é:
a) etino
b) etano
c) eteno
d) metano

203
6. (UERJ) O processo de aquecimento baseado em energia solar consiste na utilização de um produto
denominado sal de Glauber, representado por Na2SO4.10H2O, que se transforma segundo as equa-
ções a seguir:

Dia:
Na2SO4 ∙ 10H2O(s) + energia solar → Na2SO4(s) +10H2O(ℓ)

Noite:
Na2SO4(s) + 10H2O(v) → Na2SO4 ∙ 10H2O(s) + calor liberado

Considere, na equação relativa à noite, que o calor liberado seja de 20kcal/mol de Na2SO4 ∙ 10H2O,
para um rendimento hipotético de 100% da reação.
Para aquecer uma casa cujo consumo é de 10.000 kcal durante uma noite, a massa de sal de Glau-
ber que deverá ser utilizada, em kg, corresponde a:
Dados:
Massa molar (g/mol): Na = 23,0; S = 32,0; O = 16,0; H = 1,0
a) 161
b) 101
c) 71
d) 51

7. (UERJ) As denominações combustível "limpo" e combustível "verde" são empregadas em relação


ao hidrogênio, pelo fato de sua queima provocar baixo impacto ambiental.
Observe a reação química da combustão do hidrogênio, representada abaixo:

2H2(g) + O2(g) → 2H2O (v) ∆H= - 116,24 kcal

Utilizando os dados acima e supondo suficiente a quantidade de oxigênio, é possível estabelecer o


valor da massa de hidrogênio que, ao ser queimada, produzirá energia equivalente a 232,48 kcal.
Esse valor, em gramas, é igual a:
Dado: Massa molar (g/mol): H2 = 2,0
a) 2,0
b) 4,0
c) 6,0
d) 8,0

Gabarito
1. C 2. B 3. A 4. A 5. D

6. A 7. D

204
AULA 4

PRESCRIÇÃO: Propriedades periódicas aborda as características dos elementos dispostos em


grupos e em períodos e avalia do candidato o domínio das informações que podem ser obtidas. Re-
quer que seja conhecida a maioria das propriedades e que seja possível correlacionar algumas delas,
como, por exemplo, eletronegatividade e raio atômico, pergunta muito frequente nos vestibulares.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Recentemente, quatro novos elementos químicos foram incorporados à tabela de
classificação periódica, sendo representados pelos símbolos Uut, Uup, Uus, e Uuo.
Dentre esses elementos, aquele que apresenta maior energia de ionização é:
Dado: sétimo período da tabela periódica.

a) Uut
b) Uup
c) Uus
d) Uuo

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

O rompimento da barragem de contenção de uma mineradora em Mariana (MG) acarretou o der-


ramamento de lama contendo resíduos poluentes no rio Doce. Esses resíduos foram gerados na
obtenção de um minério composto pelo metal de menor raio atômico do grupo 8 da tabela de
classificação periódica. A lama levou 16 dias para atingir o mar, situado a do local do acidente,
deixando um rastro de destruição nesse percurso. Caso alcance o arquipélago de Abrolhos, os reci-
fes de coral dessa região ficarão ameaçados.

2. (UERJ 2017)

O metal que apresenta as características químicas descritas no texto é denominado:


a) ferro
b) zinco
c) sódio
d) níquel

205
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

O suco gástrico contém um ácido, produzido pelas células da parede do estômago, que desempenha
papel fundamental para a eficiência do processo digestório no ser humano.

3. (UERJ 2016) O ânion do ácido produzido no estômago corresponde ao elemento químico perten-
cente ao grupo 17 e ao terceiro período da tabela de classificação periódica.
Esse ácido é denominado:
a) nítrico
b) sulfúrico
c) clorídrico
d) fluorídrico

4. (UERJ) O conjunto de elementos químicos englobados no grupo 3 e no bloco f da tabela de classi-


ficação periódica dos elementos, com exceção dos actinídeos, é denominado “metais terras raras”.
Esses metais são encontrados comumente na forma de óxidos, sendo o caráter iônico dos óxidos
diretamente proporcional ao raio atômico do metal.
O metal terra rara componente do óxido de maior caráter iônico possui o seguinte símbolo:
a) Ac
b) La
c) Lu
d) Sc

5. (UERJ) Em uma das primeiras classificações periódicas, os elementos químicos eram organizados
em grupos de três, denominados tríades. Os elementos de cada tríade apresentam propriedades
químicas semelhantes, e a massa atômica do elemento central equivale aproximadamente à média
aritmética das massas atômicas dos outros dois. Observe as tríades a seguir:
Li Cℓ S
Na Br X
k I Te
Com base nos critérios desta classificação, a letra X corresponde ao seguinte elemento químico:
a) O
b) As
c) Se
d) Po

Raio X
1.
De acordo com a tabela periódica:
Uut (Z = 113)
Uup (Z = 115)
Uus (Z = 117)
Uuo (Z = 118)
Quanto mais à direita num mesmo período, menor o raio atômico e maior a e energia de ionização.
Conclusão: o Uuo apresenta maior energia de ionização.
2.
O metal que apresenta as características químicas descritas no texto é denominado ferro (menor
raio atômico do grupo 8, pois está localizado mais acima).
De acordo com a IUPAC os grupos da classificação periódica são numerados de 1 a 18 da seguinte
maneira:
IA − 1; IIA − 2; IIIB − 3; IVB − 4; VB − 5; VIB − 6; VIIB − 7; 
VIIIB − 8; 
VIIIB − 9; 
VIIIB − 10;
Pr imeiro Segundo Terceiro
grupo grupo grupo
VIIIB VIIIB VIIIB
IB − 11; IIB − 12; IIIA − 13; IVA − 14; VA − 15; VIA − 16; VIIA − 17; VIIIA − 18.

206
3.
H O
2 → H+ + C −
HC
   
ácido ânion
clorídrico cloreto

4.
O metal terra rara (transição interna) componente do óxido de maior caráter iônico possui o se-
guinte símbolo La (lantânio).
Observação: As terras raras ou metais de terras raras de acordo com a classificação da IUPAC: 17
elementos químicos, dos quais 15 pertencem ao grupo dos lantanídeos (elementos com número
atômico entre Z = 57 (lantânio) e Z = 71 (lutécio)).
5.
Nas tríades a média aritmética das massas dos elementos laterais se aproxima da massa do ele-
mento central.
mLi + mK 7 + 39
≈ mNa ⇒ ≈ mNa ⇒ 23 ≈ mNa
2 2
mC + mI 35,5 + 127
≈ mBr ⇒ ≈ mBr ⇒ 81,25 ≈ 80 ≈ mBr
2 2
mS + mTe 32 + 127,6
≈ mX ⇒ ≈ m X ⇒ 79,8 ≈ m X
2 2
X é o selênio.

Gabarito
1. D 2. A 3. C 4. B 5. C

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) Os metais formam um grupo de elementos químicos que apresentam algumas proprieda-
des diferentes, dentre elas o raio atômico. Essa diferença está associada à configuração eletrônica
de cada um.
A ordenação crescente dos metais pertencentes ao terceiro período da tabela periódica, em relação
a seus respectivos raios atômicos, está apontada em:
a) alumínio, magnésio e sódio.
b) sódio, magnésio e alumínio.
c) magnésio, sódio e alumínio.
d) alumínio, sódio e magnésio.

2. (UERJ) Um estudante observou algumas propriedades de um determinado metal Me:


§§ reagir facilmente com os halogênios;
§§ formar peróxido do tipo Me2O2;
§§ apresentar elevada eletropositividade.
Esse elemento, na Tabela de Classificação Periódica, está localizado na seguinte coluna:
a) 1
b) 2
c) 6
d) 8

3. (UERJ) Um átomo do elemento químico x, usado como corante para vidros, possui número de mas-
sa igual a 79 e número de nêutrons igual a 45. Considere um elemento y, que possua propriedades
químicas semelhantes ao elemento x.
Na Tabela de Classificação Periódica, o elemento y estará localizado no seguinte grupo:
a) 7
b) 9
c) 15
d) 16

207
4. (UERJ 2006) Na Tabela de Classificação Periódica, as fileiras horizontais correspondem aos perí-
odos, e as colunas verticais, aos grupos ou famílias. Nos períodos, os elementos são dispostos em
ordem crescente de seus números atômicos.
Considere três elementos químicos cujos números atômicos são consecutivos, representados por
x, y e t.
Na equação 2x + 2y + 2t = 7 x 164, y é o número atômico de um elemento químico da família deno-
minada:
a) alcalinos
b) halogênios
c) calcogênios
d) gases nobres

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO.

A tabela de Mendeleiev, ao ser apresentada à Sociedade Russa de Química, possuía espaços em


branco, reservados para elementos ainda não descobertos.
A tabela foi assim organizada a partir da crença de Mendeleiev na existência de relações periódicas
entre as propriedades físico-químicas dos elementos.

5. (UERJ) Dois dos elementos, então representados pelos espaços em branco, hoje são conhecidos
como gálio (Ga) e germânio (Ge).
Mendeleiev havia previsto, em seu trabalho original, que tais elementos teriam propriedades quí-
micas semelhantes, respectivamente, a:
a) estanho (Sn) e índio (In)
b) alumínio (Aℓ) e silício (Si)
c) cobre (Cu) e selênio (Se)
d) zinco (Zn) e arsênio (As)

6. (UERJ) Um dos elementos químicos que tem se mostrado muito eficiente no combate ao câncer de
próstata é o Selênio (Se).
Com base na Tabela de Classificação Periódica dos Elementos, os símbolos de elementos com pro-
priedades químicas semelhantes ao Selênio são:
a) Cℓ, Br, I
b) Te, S, Po
c) P, As, Sb
d) As, Br, Kr

7. (UERJ) Sou o átomo (Y) de maior raio atômico do 3° período da classificação periódica e formo
com os halogênios (X) sais do tipo YX. Eu sou representado pelo seguinte símbolo:
a) Aℓ
b) Cℓ
c) Mg
d) Na

Gabarito
1. A 2. A 3. D 4. B 5. B

6. B 7. D

208
MAT
MATEMÁTICA

MATEMÁTICA
e suas tecnologias
UERJ - Matemática
Grandezas Proporcionais, 12%
Geometria Espacial, 12%
Análise Combinatória, 10%
Geometria Plana, 9%
Probabilidade, 9%
Aritmética, 7%
Funções, 6%
Progressão Aritmética, 6%
Logarítmos, 5%
Outros, 24%

*Em função do curto período de aplicação dos vestibulares UERJ, não existem dados quantitativos para uma análise estatística precisa.
AULAS 1 E 2

PRESCRIÇÃO: Nos últimos exames de qualificação da UERJ, logaritmos, progressões arit-


méticas e funções são temas recorrentes. As questões sempre estão atreladas a uma boa
interpretação de texto para captar os dados do enunciado, análise de gráficos e bom domínio
das fórmulas e aplicações destas.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) No plano cartesiano a seguir, estão representados o gráfico da função definida por
f(x) = x2+2, com x ∈ , e os vértices dos quadrados adjacentes.

Observe que B e P são pontos do gráfico da função f e que A, B, D e M são pontos dos eixos coor-
denados.
Desse modo, a área do polígono ABCPNM formado pela união dos dois quadrados, é:
a) 20
b) 28
c) 36
d) 40

2. (UERJ 2017) Uma calculadora tem duas teclas especiais, A e B. Quando a tecla A é digitada, o
número que está no visor é substituído pelo logaritmo decimal desse número. Quando a tecla B é
digitada, o número do visor é multiplicado por 5.
Considere que uma pessoa digitou as teclas BAB nesta ordem, e obteve no visor o número 10.
Nesse caso, o visor da calculadora mostrava inicialmente o seguinte número:
a) 20
b) 30
c) 40
d) 50

3. (UERJ 2016) Observe a função f definida por: f(x)=x2 – 2kx +29, para x ∈ .
Se f(x)≥4, para todo número real x, o valor mínimo da função f é 4.
Assim, o valor positivo do parâmetro k é:
a) 5
b) 6
c) 10
d) 15

211
4. (UERJ 2017) Um fisioterapeuta elaborou o seguinte plano de treinos diários para o condiciona-
mento de um maratonista que se recupera de uma contusão:
§§ primeiro dia – corrida de 6 km
§§ dias subsequentes - acréscimo de 2 km à corrida de cada dia imediatamente anterior.
O último dia de treino será aquele em que o atleta correr 42 km.
O total percorrido pelo atleta nesse treinamento, do primeiro ao último dia, em quilômetros, cor-
responde a:
a) 414
b) 438
c) 456
d) 484

5. (UERJ 2016) Admita a seguinte sequência numérica para o número natural n:


a1 = __ ​ 1  ​e an = an-1+ 3
3
Sendo 2 ≤ n ≤ 10 os dez elementos dessa sequência, em que a1 = __ ​ 82 ​ são:
​ 1 ​  e a10 = ___
3 3
1
__ 10
___
(
​  ​   ​ ,​   ​,  19
___ 28
___ 37
___ 82
___
  ​   ​,  ​   ​,  ​   ​,  a , a , a , a , ​   ​  ​
3 3 3 3 3 6 7 8 9 3 )
A média aritmética dos quatro últimos elementos da sequência é igual a:
​ 238 ​ 
a) ____
12
____
b) ​   ​  137  
6
​​ 219
c) ____  ​ 

4
d) ____ ​ 657 ​ 
9

6. (UERJ) Um feirante vende ovos brancos e vermelhos. Em janeiro de um determinado ano, do total
de vendas realizadas, 50% foram de ovos brancos e os outros 50% de ovos vermelhos. Nos meses
seguintes, o feirante constatou que, a cada mês, as vendas de ovos brancos reduziram-se 10% e as
de ovos vermelhos aumentaram 20% sempre em relação ao mês anterior.
Ao final do mês de março desse mesmo ano, o percentual de vendas de ovos vermelhos, em relação
ao número total de ovos vendidos em março, foi igual a:
a) 64%
b) 68%
c) 72%
d) 75%

Raio X
1.
Sendo f(0) = 2, vem B = (0, 2). Ademais, como ABCD é um quadrado, temos D = (2,0). Finalmente,
como f(2) = 6, vem P = (6, 2) e, portanto, o resultado é 22 + 62 = 40.
2.
Número inicial no visor = x
Tecla B = 5x
Tecla A = log10 ( 5x )
100
Tecla B = 5 ⋅ ( log10 ( 5x ) ) = 10 → log10 ( 5x ) = 2 → 5x = 102 → x = = 20
5
3.
O valor da ordenada do vértice da parábola será dado por:
– ___
​  D  ​=
 4
4a
– _____
​  D   ​ 
=4
4·1
D = – 16
4k2 – 4 ∙ 29 = – 16
4k2 = 100
k2 = 25
k=65
Assim, o valor positivo do parâmetro k é 5.

212
4.
Sendo a quilometragem percorrida uma PA, pode-se escrever:
a1 = 6
an = 42
n = número de dias
r=2
42 = 6 + (n − 1) ⋅ 2 → 18 = n − 1 → n = 19
(6 + 42) ⋅ 19 48 ⋅ 19
S
= = →= S 456 km
2 2
5.
82 9 73
a9 = − =
3 3 3
73 9 64
a8 = − =
3 3 3
64 9 55
a7 = − =
3 3 3
Portanto, a média aritmética dos 4 últimos termos será dada por:
82 73 64 55
+ + +
274 137
M 3
= 3 3 = 3 =
4 12 6
6.
Seja 2q a quantidade total de ovos vendidos em janeiro. Assim, o resultado pedido é dado por
(1,2)2 ⋅ q 1,44
⋅ 100% = ⋅ 100%
2 2 2,25
(1,2) ⋅ q + (0,9) ⋅ q
= 64%.

Gabarito
1. D 2. A 3. A 4. C 5. B

6. A

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) Um evento está sendo realizado em uma praia cuja faixa de areia tem cerca de 3 km de
extensão e 100 m de largura.
A ordem de grandeza do maior número possível de adultos que podem assistir a esse evento sen-
tados na areia é de:
a) 104
b) 105
c) 106
d) 107

2. (UERJ 2015)

213
De acordo com os dados do quadrinho, a personagem gastou R$ 67,00 na compra de x lotes de
maçã, y melões e quatro dúzias de bananas, em um total de 89 unidades de frutas.
Desse total, o número de unidades de maçãs comprado foi igual a:
a) 24
b) 30
c) 36
d) 42

3. (UERJ) Uma bola de beisebol é lançada de um ponto 0 e, em seguida, toca o solo nos pontos A e
B, conforme representado no sistema de eixos ortogonais:

Durante sua trajetória, a bola descreve duas parábolas com vértices C e D.


​ x  ​ + ___
​ 2x ​ 
2
A equação de uma dessas parábolas é y = – ___
75 5
Se a abscissa de D é 35 m, a distância do ponto 0 ao ponto B, em metros, é igual a:
a) 38
b) 40
c) 45
d) 50

4. (UERJ 2015) Um triângulo equilátero possui perímetro P, em metros, e área A, em metros quadra-
dos. Os valores de P e A variam de acordo com a medida do lado do triângulo.
Desconsiderando as unidades de medida, a expressão Y = P - A indica o valor da diferença entre
os números P e A.
O maior __ valor de Y é igual a:
a) 2​√__
3 ​ 
b) 3​√__
3 ​ 
c) 4​√__
3 ​ 

d) 6​  3 ​

5. (UERJ) O gráfico abaixo mostra o segmento de reta AB, sobre o qual um ponto C (p, q) se desloca
de A até B (3, 0).

O produto das distâncias do ponto C aos eixos coordenados é variável e tem valor máximo igual a 4,5.
O comprimento do segmento AB corresponde a:
a) 5
b) 6 __
c) 3​√__
5 ​ 
d) 6​√2 ​ 

214
6. (UERJ 2016) Admita que a ordem de grandeza de uma medida x é uma potência de base 10 com
1
__ 1
__
expoente n inteiro, para 10n - ​ 2  ​ ≤ x ≤ 10n + ​ 2  ​

Considere que um terremoto tenha liberado uma energia, E em joules, cujo valor numérico é tal
que log10 E = 15,3.
A ordem de grandeza de E em joules, equivale a:
a) 1014
b) 1015
c) 1016
d) 1017

7. (UERJ 2015) Observe no gráfico a função logaritmo decimal definida por y = log(x).

Admita que, no eixo x, 10 unidades correspondem a 1 cm e que, no eixo y, a ordenada log(1000)


corresponde a 15 cm.
A escala x:y na qual os eixos foram construídos equivale a:
a) 5:1
b) 15:1
c) 50:1
d) 100:1

8. (UERJ) Um lago usado para abastecer uma cidade foi contaminado após um acidente industrial,
atingindo o nível de toxidez T0, correspondente a dez vezes o nível inicial. Leia as informações a
seguir.
§§ A vazão natural do lago permite que 50% de seu volume sejam renovados a cada dez dias.
§§ O nível de toxidez T(x), após x dias do acidente, pode ser calculado por meio da seguinte equa-
ção:
T(x) = T0 . (0,5)0,1x
Considere D o menor número de dias de suspensão do abastecimento de água, necessário para que
a toxidez retorne ao nível inicial.
Sendo log 2 = 0,3, o valor de D é igual a:
a) 30
b) 32
c) 34
d) 36

9. (UERJ) Para melhor estudar o Sol, os astrônomos utilizam filtros de luz em seus instrumentos de
observação.
​ 4 ​  da intensidade da luz que nele incide. Para reduzir essa in-
Admita um filtro que deixe passar __
5
tensidade a menos de 10% da original, foi necessário utilizar n filtros.
Considerando log 2 = 0,301, o menor valor de n é igual a:
a) 9
b) 10
c) 11
d) 12

215
1
0. (UERJ) Admita a realização de um campeonato de futebol no qual as advertências recebidas pelos
atletas são representadas apenas por cartões amarelos. Esses cartões são convertidos em multas,
de acordo com os seguintes critérios:
§§ os dois primeiros cartões recebidos não geram multas;
§§ o terceiro cartão gera multa de R$ 500,00;
§§ os cartões seguintes geram multas cujos valores são sempre acrescidos de R$ 500,00 em relação
ao valor da multa anterior.
Na tabela, indicam-se as multas relacionadas aos cinco primeiros cartões aplicados a um atleta.

Cartão amarelo recebido Valor da multa (R$)


1º –
2º –
3º 500
4º 1.000
5º 1.500

Considere um atleta que tenha recebido 13 cartões amarelos durante o campeonato.


O valor total, em reais, das multas geradas por todos esses cartões equivale a:
a) 30.000
b) 33.000
c) 36.000
d) 39.000

1
1. (UERJ) O petróleo de base parafínica é uma mistura cujos principais componentes são os alcanos.
A ordenação crescente da massa molar dos alcanos de cadeia normal gera uma progressão aritmé-
tica de razão igual a:
a) 10
b) 12
c) 14
d) 16

1
2. (UERJ) Um cliente, ao chegar a uma agência bancária, retirou a última senha de atendimento do
dia, com o número 49. Verificou que havia 12 pessoas à sua frente na fila, cujas senhas represen-
tavam uma progressão aritmética de números naturais consecutivos, começando em 37.
Algum tempo depois, mais de 4 pessoas desistiram do atendimento e saíram do banco. Com isso,
os números das senhas daquelas que permaneceram na fila passaram a formar uma nova progres-
são aritmética. Se os clientes com as senhas de números 37 e 49 não saíram do banco, o número
máximo de pessoas que pode ter permanecido na fila é:
a) 6
b) 7
c) 9
d) 12

1
3. (UERJ 2015)

216
Na situação apresentada nos quadrinhos, as distâncias, em quilômetros, dAB, dBC e dCD formam,
nesta ordem, uma progressão aritmética.
O vigésimo termo dessa progressão corresponde a:
a) −50
b) −40
c) −30
d) −20

1
4. (UERJ) As tabelas abaixo mostram os palpites de três comentaristas esportivos sobre os resultados
de cinco diferentes times de futebol, em cinco partidas a serem realizadas.

Comentarista A
Time Empate Vitória Derrota
1 x
2 x
3 x
4 x
5 x

Comentarista B
Time Empate Vitória Derrota
1 x
2 x
3 x
4 x
5 x

Comentarista C
Time Empate Vitória Derrota
1 x
2 x
3 x
4 x
5 x

O resultado de cada time foi acertado por pelo menos dois comentaristas.
Se Na, Nb, Nc e são os números de palpites certos dos comentaristas A, B e C, a relação entre eles
pode ser expressa por:
a) Na > Nb > Nc
b) Na > Nb = Nc
c) Na = Nb > Nc
d) Na = Nb = Nc

1
5. (UERJ) Em um recipiente com a forma de um paralelepípedo retângulo com 40 cm de comprimen-
to, 25 cm de largura e 20 cm de altura, foram depositadas, em etapas, pequenas esferas, cada uma
com volume igual a 0,5 cm3. Na primeira etapa, depositou-se uma esfera; na segunda, duas; na
terceira, quatro; e assim sucessivamente, dobrando-se o número de esferas a cada etapa.
Admita que, quando o recipiente está cheio, o espaço vazio entre as esferas é desprezível.
Considerando 210≅ 1000, o menor número de etapas necessárias para que o volume total de esferas
seja maior do que o volume do recipiente é:
a) 15
b) 16
c) 17
d) 18

217
1
6. (UERJ) Um soldado fez n séries de flexões de braço, cada uma delas com 20 repetições. No entan-
to, como consequência das alterações da contração muscular devidas ao acúmulo de ácido lático, o
tempo de duração de cada série, a partir da segunda, foi sempre 28% maior do que o tempo gasto
para fazer a série imediatamente anterior. A primeira série foi realizada em 25 segundos e a últi-
ma em 1 minuto e 40 segundos.
Considerando log 2 = 0,3, a soma do número de repetições realizadas nas n séries é igual a:
a) 100
b) 120
c) 140
d) 160

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

Para analisar o crescimento de uma bactéria, foram inoculadas 1 × 103 células a um determinado
volume de meio de cultura apropriado. Em seguida, durante 10 horas, em intervalos de 1 hora,
era medido o número total de bactérias nessa cultura. Os resultados da pesquisa estão mostrados
no gráfico a seguir.
No gráfico da figura 1, o tempo 0 corresponde ao momento do inóculo bacteriano.
Observe que a quantidade de bactérias presentes no meio, medida a cada hora, segue uma progres-
são geométrica até 5 horas, inclusive.

1
7. (UERJ)

Após 10 horas de crescimento, 1 × 103 bactérias vivas foram imediatamente transferidas para um
novo meio de cultura, de composição e volume idênticos aos do experimento inicial.
No gráfico da figura 2, uma das curvas representa o crescimento bacteriano nesse novo meio du-
rante um período de 5 horas.
A curva compatível com o resultado do novo experimento é a identificada por:
a) W
b) X
c) Y
d) Z

1
8. (UERJ)

218
O número de bactérias encontrado no meio de cultura 3 horas após o inóculo, expresso em milha-
res, é igual a:
a) 16
b) 27
c) 64
d) 105

1
9. (UERJ) Uma bola de boliche de 2 kg foi arremessada em uma pista plana. A tabela abaixo registra
a velocidade e a energia cinética da bola ao passar por três pontos dessa pista: A, B e C.

Pontos Velocidade (m/s) Energia cinética (J)


A V1 E1
B V2 E2
C V3 E3

​ 1  ​, a razão da progressão geométrica (V1, V2,


Se (E1, E2, E3) é uma progressão geométrica de razão __
2
V3) está indicada em:
a) 1__
b) √ ​ 2 ​ 
__
√ 2 ​ 

___
c) ​   ​  
2
1
__
d) ​   ​ 
2

2
0. (UERJ) A figura 1 mostra um molusco 'Triton tritonis' sobre uma estrela do mar.
Um corte transversal nesse molusco permite visualizar, geometricamente, uma sequência de semi-
círculos. O esquema na figura 2 indica quatro desses semicírculos.

Admita que as medidas dos raios (AB, BC, CD, DE, EF, FG, ...) formem uma progressão tal que
BC  ​ = ___
​ AB ​ = ​ ___
___ ​  CD  ​ = ___
​ DE ​ = ...
BC CD DE EF
Assim, considerando
__
AB = 2, a soma AB + BC + CD + DE + ... será equivalente a:
a) 2 + √ ​ __
3 ​ 
b) 2 + √ ​ __
5 ​ 
c) 3 + √ ​ __
3 ​ 
d) 3 + √ ​ 5 ​ 

Gabarito
1. C 2. C 3. B 4. B 5. C

6. B 7. C 8. C 9. C 10. B

11. C 12. B 13. A 14. C 15. B

16. C 17. B 18. B 19. C 20. D

219
AULAS 3 E 4

PRESCRIÇÃO: Seguindo a tendência dos exames de qualificação da UERJ, porcentagem, razões e


grandezas proporcionais, análise combinatória e probabilidades são temas recorrentes. Tal como no
ENEM, a banca da UERJ privilegia o candidato que tem a aptidão para analisar medidas e grandezas e
aplicá-las no modelo proposto das questões. Já em análise combinatória e probabilidades, o domínio
técnico da teoria é fundamental para um bom desempenho no vestibular.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ 2017) Um anel contém 15 gramas de ouro 16 quilates. Isso significa que o anel contém 10
g de ouro puro e 5 g de uma liga metálica. Sabe-se que o ouro é considerado 18 quilates se há a
proporção de 3 g de ouro puro para 1 g de liga metálica.
Para transformar esse anel de ouro 16 quilates em outro de 18 quilates, é preciso acrescentar a
seguinte quantidade, em gramas, de ouro puro:
a) 6
b) 5
c) 4
d) 3

2. (UERJ 2016) Na compra de um fogão, os clientes podem optar por uma das seguintes formas de
pagamento:
§§ à vista, no valor de R$ 860,00
§§ em duas parcelas fixas de R$ 460,00 sendo a primeira paga no ato da compra e a segunda 30
dias depois.
A taxa de juros mensal para pagamentos não efetuados no ato da compra é de:
a) 10%
b) 12%
c) 15%
d) 18%

3. (UERJ 2015) Uma criança ganhou seis picolés de três sabores diferentes: baunilha, morango e
chocolate, representados, respectivamente, pelas letras B, M e C. De segunda a sábado, a criança
consome um único picolé por dia, formando uma sequência de consumo dos sabores. Observe estas
sequências, que correspondem a diferentes modos de consumo:
(B, B, M, C, M, C) ou (B, M, M, C, B, C) ou (C, M, M, B, B, C)
O número total de modos distintos de consumir os picolés equivale a:
a) 6
b) 90
c) 180
d) 720

4. (UERJ 2016) Um painel de iluminação possui nove seções distintas, e cada uma delas acende uma
luz de cor vermelha ou azul. A cada segundo, são acesas, ao acaso, duas seções de uma mesma cor
e uma terceira de outra cor, enquanto as seis demais permanecem apagadas.
Observe quatro diferentes possibilidades de iluminação do painel:

O tempo mínimo necessário para a ocorrência de todas as possibilidades distintas de iluminação


do painel, após seu acionamento, é igual a x minutos e y segundos, sendo y < 60.

220
Os valores respectivos de x e y são:
a) 4 e 12
b) 8 e 24
c) 25 e 12
d) 50 e 24

5. (UERJ 2017) Considere o conjunto de números naturais abaixo e os procedimentos subsequentes:

A = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9)

1. Cada número primo de A foi multiplicado por 3. Sabe-se que um número natural P é primo se
P>1 e tem apenas dois divisores naturais distintos.
2. A cada um dos demais elementos de A, foi somado o número 1.
3. Cada um dos números distintos obtidos foi escrito em apenas um pequeno cartão.
4. Dentre todos os cartões, foram sorteados exatamente dois cartões com números distintos ao
acaso.

A probabilidade de em pelo menos um cartão sorteado estar escrito um número par é:


​  5  ​ 
a) ___
12
​  7  ​ 
b) ___
12
c) ___ ​  13 ​ 
24
d) ___ ​  17 ​ 
24

6. (UERJ 2017) Observe a matriz:


3 + t −4 
 t − 4 
 3

Para que o determinante dessa matriz seja nulo, o maior valor real de t deve ser igual a:
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

Raio X
1.
Seja x a quantidade de ouro puro desejada. Tem-se que
10 + x 3
= ⇔ 4x + 40 = 45 + 3x ⇔ x = 5 g.
15 + x 4
2.
A primeira parcela de R$ 460,00 será paga à vista, portanto não há incidência de juros. A segunda
parcela, caso não houvesse incidência de juros, seria de R$ 400,00 pois o preço do fogão à vista é
de R$ 860,00 (860 – 460 = 400). No entanto, há um acréscimo de R$ 60,00 na segunda parcela, os
quais representam os juros após 30 dias. Logo, os juros são:
60
= 0,15 → 15%
400
3.
Sabendo que a criança ganhou dois picolés de cada sabor, tem-se que o resultado pedido é dado por
6!
P6(2, 2, 2)
= = 90.
2! ⋅ 2! ⋅ 2!
4.
Duas vermelhas e uma azul: C9,2 ∙ 7 = 36 ∙ 7 = 252
Duas azuis e uma vermelha: C9,2 ∙ 7 = 36 ∙ 7 = 252
Portanto, o tempo total será de 252 + 252 = 504 segundos.
Como, 504 = 8 ∙ 60 + 24, temos: x = 8 e u = 24.
5.
A probabilidade de nenhum dos dois cartões ter número par será igual a:
6 5 30 5
P(x ') = ⋅ = =
9 8 72 12

221
Assim a probabilidade complementar, ou seja, a probabilidade de pelo menos um cartão ter núme-
ro par será de:
5 7
1 − P(x ') =−
1 → P(x) =
12 12
6.
Tem-se que:
3 + t −4
= 0 ⇔ (t + 3)(t − 4) + 12 = 0
3 t−4
⇔ t(t − 1) =
0

= t 0 ou =t 1.

Gabarito
1. B 2. C 3. B 4. B 5. B

6. A

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ 2015) Na imagem da etiqueta, informa-se o valor a ser pago por 0,256 kg de peito de peru.

O valor, em reais, de um quilograma desse produto é igual a:


a) 25,60
b) 32,76
c) 40,00
d) 50,00

2. (UERJ 2017) Para combater a subnutrição infantil, foi desenvolvida uma mistura alimentícia
composta por três tipos de suplementos alimentares: I, II e III. Esses suplementos, por sua vez,
contêm diferentes concentrações de três nutrientes: A, B e C. Observe as tabelas a seguir, que in-
dicam a concentração de nutrientes nos suplementos e a porcentagem de suplementos na mistura,
respectivamente.

Concentração dos Suplementos Alimentares (g/kg)


Nutriente
I II III
A 0,2 0,5 0,4
B 0,3 0,4 0,1
C 0,1 0,4 0,5

Suplemento Alimentar Quantidade na Mistura (%)


I 45
II 25
III 30

222
A quantidade do nutriente C, em g/kg encontrada na mistura alimentícia é igual a:
a) 0.235
b) 0,265
c) 0,275
d) 0,295

3. (UERJ 2016) No Brasil, o imposto de renda deve ser pago de acordo com o ganho mensal dos con-
tribuintes, com base em uma tabela de descontos percentuais. Esses descontos incidem, progressi-
vamente, sobre cada parcela do valor total do ganho, denominadas base de cálculo, de acordo com
a tabela a seguir.

Base de cálculo aproximada (R$) Desconto(%)


Até 1.900,00 Isento
de 1.900,01 até 2.800,00 7,5
de 2.800,01 até 3.750,00 15,0
de 3,750,01 até 4.665,00 22,5
acima de 4.665,00 27,5

Segundo a tabela, um ganho mensal de R$ 2.100,00 corresponde a R$ 15,00 de imposto.


Admita um contribuinte cujo ganho total, em determinado mês, tenha sido de R$ 3.000,00.
Para efeito do cálculo progressivo do imposto, deve-se considerar esse valor formado por três par-
celas: R$ 1.900,00, R$ 900,00 e R$ 200,00.
O imposto de renda, em reais, que deve ser pago nesse mês sobre o ganho total é aproximadamente
igual a:
a) 55
b) 98
c) 128
d) 180

4. (UERJ) Na figura a seguir, estão representados o triângulo retângulo ABC e os retângulos seme-
—— —— ——
lhantes I, II e III, de alturas h1, h2 e h3 respectivamente proporcionais às bases BC​
​  , AC​
​  e AB​
​ . 

—— —— 4h +3h3
Se AC​ ​  = 3m, a razão ________
​  = 4m e AB​ ​  2  ​  

é igual a:
h1
a) 5
b) 4
c) 3
d) 2

5. (UERJ 2016) Um índice de inflação de 25% em um determinado período de tempo indica que, em
média, os preços aumentaram 25% nesse período. Um trabalhador que antes podia comprar uma
quantidade x de produtos, com a inflação e sem aumento salarial, só poderá comprar agora uma
quantidade y dos mesmos produtos, sendo y < x.
Com a inflação de 25% a perda do poder de compra desse trabalhador é de:
a) 20%
b) 30%
c) 50%
d) 80%

223
6. (UERJ) Observe no gráfico o número de médicos ativos registrados no Conselho Federal de Me-
dicina (CFM) e o número de médicos atuantes no Sistema Único de Saúde (SUS), para cada mil
habitantes, nas cinco regiões do Brasil.

O SUS oferece 1,0 médico para cada grupo de x habitantes.


Na região Norte, o valor de x é aproximadamente igual a:
a) 660
b) 1000
c) 1334
d) 1515

7. (UERJ 2015) Considere uma mercadoria que teve seu preço elevado de x reais para y reais. Para
saber o percentual de aumento, um cliente dividiu y por x obtendo quociente igual a 2,08 e resto
igual a zero.
Em relação ao valor de x o aumento percentual é equivalente a:
a) 10,8 %
b) 20,8 %
c) 108,0 %
d) 208,0 %

8. (UERJ 2017) No esquema abaixo, estão representados um quadrado ABCD e um círculo de centro
p e raio r, tangente às retas AB e BC. O lado do quadrado mede 3r.

A medida θ do ângulo CÂP pode ser determinada a partir da seguinte identidade trigonométrica:
tg(α) - tg(β)
tg(α – β) = ​ _______________
  
  
1 + tg(α) x tg(β)
 ​O valor da tangente de θ é igual a:
a) 0,65
b) 0,60
c) 0,55
d) 0,50

—— ——
9. (UERJ 2016) O raio de uma roda gigante de centro C mede ​CA​ = ​CB​ = 10m. Do centro C ao plano
horizontal do chão, há uma distância de 11m. Os pontos A e B, situados no mesmo plano vertical,
ACB, pertencem à circunferência dessa roda e distam, respectivamente, 16m e 3,95m do plano do
chão. Observe o esquema e a tabela:

224
u (Graus) sen u
15º 0,259
30º 0,500
45º 0,707
60º 0,866

A medida, em graus, mais próxima do menor ângulo ABC corresponde a:


a) 45
b) 60
c) 75
d) 105

1
0. (UERJ) Um esqueitista treina em três rampas planas de mesmo comprimento a, mas com inclina-
ções diferentes. As figuras abaixo representam as trajetórias retilíneas AB= CD = EF, contidas nas
retas de maior declive de cada rampa.

Sabendo que as alturas, em metros, dos pontos de partida A, C e E são, respectivamente, h1, h2 e
h3, conclui-se
__ que h1 + h2 é igual a:

a) h3 ​ __
3 ​ 
b) h3 √
​ 2 ​ 
c) 2h3
d) h3

1
1. (UERJ 2016) O ano bissexto possui 366 dias e sempre é múltiplo de 4. O ano de 2012 foi o último
bissexto. Porém, há casos especiais de anos que, apesar de múltiplos de 4 não são bissextos: são
aqueles que também são múltiplos de 100 e não são múltiplos de 400. O ano de 1900 foi o último
caso especial.
A soma dos algarismos do próximo ano que será um caso especial é:
a) 3
b) 4
c) 5
d) 6

1
2. (UERJ 2015) Observe a matriz A, quadrada e de ordem três.

 0,3 0,47 0,6 


 
A =  0,47 0,6 x 
 0,6 x 0,77 

225
Considere que cada elemento aij dessa matriz é o valor do logaritmo decimal de (i + j)
O valor de x é igual a:
a) 0,50
b) 0,70
c) 0,77
d) 0,87

1
3. (UERJ 2015) O segmento XY indicado na reta numérica abaixo, está dividido em dez segmentos
congruentes pelos pontos A, B, C, D, E, F, G, H e I.

​ 3 ​ .
​ 1  ​ e __
Admita que X e Y representem, respectivamente, os números __
6 2
O ponto D representa o seguinte número:
a) __​ 1 ​ 
5
b) ​  8  ​ 
___
15
c) ​ 17 ​ 
___
30
d) ​  7  ​ 
___
10

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES.

Uma loja identifica seus produtos com um código que utiliza 16 barras, finas ou grossas. Nesse
sistema de codificação, a barra fina representa o zero e a grossa o 1. A conversão do código em
algarismos do número correspondente a cada produto deve ser feita de acordo com esta tabela:

Código Algarismo
0000 0
0001 1
0010 2
0011 3
0100 4

Código Algarismo
0101 5
0110 6
0111 7
1000 8
1001 9

Observe um exemplo de código e de seu número correspondente:

1
4. (UERJ 2015) Existe um conjunto de todas as sequências de 16 barras finas ou grossas que podem
ser representadas.
Escolhendo-se ao acaso uma dessas sequências, a probabilidade de ela configurar um código do
sistema descrito é:
​  515  ​ 
a) ___
2
b) ​  25
___   ​
214
c) ____​ 125  ​ 
213
d) ____ ​ 625  ​ 
212
226
1
5. (UERJ 2015) Considere o código abaixo, que identifica determinado produto.

Esse código corresponde ao seguinte número:


a) 6835
b) 5724
c) 8645
d) 9768

1
6. (UERJ 2015) Na tabela abaixo, estão indicadas três possibilidades de arrumar n cadernos em pa-
cotes:

Nº de pacotes Nº de cadernos por pacotes Nº de cadernos que sobram


X 12 11
Y 20 19
Z 18 17

Se n é menor do que 1200, a soma dos algarismos do maior valor de n é:


a) 12
b) 17
c) 21
d) 26

1
7. (UERJ) Em um escritório, há dois porta-lápis: o porta-lápis A, com 10 lápis, dentre os quais 3
estão apontados, e o porta-lápis B, com 9 lápis, dentre os quais 4 estão apontados.

Um funcionário retira um lápis qualquer ao acaso do porta-lápis A e o coloca no porta-lápis B.


Novamente ao acaso, ele retira um lápis qualquer do porta-lápis B.
A probabilidade de que este último lápis retirado não tenha ponta é igual a:
a) 0,64
b) 0,57
c) 0,52
d) 0,42

1
8. (UERJ 2017) Uma urna contém uma bola branca, quatro bolas pretas e x bolas vermelhas, sendo
x > 2. Uma bola é retirada ao acaso dessa urna, é observada e recolocada na urna. Em seguida,
retira-se novamente, ao acaso, uma bola dessa urna.
​ 1 ​  é a probabilidade de que as duas bolas retiradas sejam da mesma cor, o valor de x é:
Se __
2
a) 9
b) 8
c) 7
d) 6

227
1
9. (UERJ) Uma família comprou água mineral em embalagens de 20 L, de 10 L e de 2 L. Ao todo,
foram comprados 94 L de água, com o custo total de R$ 65,00. Veja na tabela os preços da água por
embalagem:
Volume da embalagem (L) Preço R$
20 10,00
10 6,00
2 3,00

Nessa compra, o número de embalagens de 10 L corresponde ao dobro do número de embalagens


de 20 L, e a quantidade de embalagens de 2 L corresponde a n.
O valor de n é um divisor de:
a) 32
b) 65
c) 77
d) 81

2
0. (UERJ) Um conjunto de 100 copos descartáveis, dispostos em um suporte, será usado em uma
festa.

Considere, agora, as seguintes informações:


§§ sempre se tenta retirar apenas 1 copo de cada vez desse suporte;
§§ quando se tenta retirar 1 copo, e exatamente 2 saem juntos, 1 deles é desperdiçado;
§§ quando se tenta retirar 1 copo, e exatamente 3 saem juntos, 2 deles são desperdiçados;
§§ quando se tenta retirar 1 copo, nunca saem 4 ou mais de 4 juntos;
§§ foram retirados todos os copos desse suporte, havendo desperdício de 35% deles.
§§ a razão entre o número de vezes em que foram retirados exatamente 2 copos juntos e o número
​ 3  ​.
de vezes em que foram retirados exatamente 3 juntos foi de __
2
O número de vezes em que apenas 1 copo foi retirado do suporte é igual a:
a) 30
b) 35
c) 40
d) 45

Gabarito
1. D 2. D 3. B 4. A 5. A

6. D 7. C 8. B 9. C 10. D

11. A 12. B 13. D 14. D 15. A

16. B 17. B 18. A 19. C 20. C

228
AULAS 5 E 6

PRESCRIÇÃO: Quando se trata de geometria, a tendência da banca da UERJ é de priorizar ques-


tões de geometria espacial, sempre com cálculos tortuosos e números “feios” para atemorizar os
candidatos. Geometria plana é atrelada às questões algébricas com poucos desenhos ilustrativos
para avaliar se o candidato possui abstração necessária para resolução dos problemas.

Aplicação dos conhecimentos - Sala


1. (UERJ) Considere uma placa retangular ABCD de acrílico, cuja diagonal AC mede 40 cm. Um estu-
dante, para construir um par de esquadros, fez dois cortes retos nessa placa nas direções AE e AC
de modo que DÂE = 45° e BÂC = 30°, conforme ilustrado a seguir:

Após isso, o estudante descartou a parte triangular CAE, restando


__ os dois esquadros.
Admitindo que a espessura do acrílico seja desprezível e que √
​ 3 ​ = 1,7, a área, em cm², do triângulo
CAE equivale a:
a) 80
b) 100
c) 140
d) 180

2. (UERJ 2015) Uma chapa de aço com a forma de um setor circular possui raio R e perímetro 3R,
conforme ilustra a imagem.

A área do setor equivale a:


a) R2
​  R  ​ 
2
b) __
4
R
__
c) ​   ​ 
2

2
d) ​ ___3R ​ 2


2

3. (UERJ 2017) Dois cubos cujas arestas medem 2 cm são colados de modo a formar o paralelepípedo
ABCDA'B'C'D'. Esse paralelepípedo é seccionado pelos planos ADEF e BCEF, que passam pelos pontos
médios F e E das arestas A'B' e C'D', respectivamente.

229
A parte desse paralelepípedo compreendida entre esses planos define o sólido ABCDEF conforme
indica a figura a seguir.

O volume do sólido ABCDEF, em cm3, é igual a:


a) 4
b) 6
c) 8
d) 12

4. (UERJ 2017) Uma pirâmide com exatamente seis arestas congruentes é denominada tetraedro
regular. Admita que a aresta do tetraedro regular ilustrado a seguir, de vértices ABCD, mede 6 cm
e que o ponto médio da aresta BC é M.

​^​
O cosseno do ângulo A​M​ D equivale a:
a) __ ​ 1 ​ 
2
​  1 ​ 
b) __
3
c) __​  2 ​ 
3
d) __ ​  2 ​ 
5

5. (UERJ 2010) A figura abaixo representa um recipiente cônico com solução aquosa de hipoclorito
de sódio a 27%. O nível desse líquido tem 12 cm de altura.

230
Para o preparo de um desinfetante, diluiu-se a solução inicial com água, até completar o recipien-
te, obtendo-se a solução aquosa do hipoclorito de sódio a 8%.
Esse recipiente tem altura H, em centímetros, equivalente a
a) 16
b) 18
c) 20
d) 22

6. (UERJ 2017) Considere o gráfico a seguir, em que a área S é limitada pelos eixos coordenados, pela
reta r, que passa por A(0,4) e B(2,0), e pela reta perpendicular ao eixo x no ponto P(x0, 0), sendo
0 ≤ x0 ≤ 2.

Para que a área S seja a metade da área do triângulo de vértices C(0,0), A e B o valor de x0 deve
ser igual__a:
a) 2 – √
​ __
2 ​ 

b) 3 – ​ __
2 ​ 
c) 4 – √
​ __
2 ​ 
d) 5 – √
​ 2 ​ 

Raio X
1.
Do triângulo ABC, obtemos
 =BC ⇔ BC =1 ⋅ 40 =20cm
senBAC
AC 2
e
 = AB ⇔ AB =
cosBAC
3
⋅ 40 ≅ 34cm.
AC 2

Além disso, como DÂE = 45º, segue que AD = DE = BC


= 20cm.
Portanto, a área do triângulo ACE é dada por:
(ACE)
= (ADC) − (ADE)
34 ⋅ 20 20 ⋅ 20
= −
2 2
= 140cm2 .
2.
A área do setor é dada por:
 R ⋅ R R2
R ⋅ AB
= = .
2 2 2
3.
O sólido ABCDEF é um prisma triangular de bases ABF e DCE. Portanto, a resposta é dada por:
1 1
⋅ AB ⋅ AA ′ ⋅ AD = ⋅ 2 ⋅ 4 ⋅ 2 = 8cm3 .
2 2
4.
Seja ℓ a medida da aresta do tetraedro. __ Desde que as faces do tetraedro são triângulos equiláteros
—— —— √ 3 ​ 
ℓ​
____
congruentes, vem ​DM​ = ​AM​ = ​   ​   . Por conseguinte, aplicando a Lei dos Cossenos no triângulo
2
AMD, temos:

231
2 2 2  ⇔
AD= AM + DM − 2 ⋅ AM ⋅ DM ⋅ cos AMD
2 2
 3 
2  3   3  3  ⇔
=   +  − 2⋅ ⋅ ⋅ cos AMD
 2   2  2 2
3 2  = 2
⋅ cos AMD ⇔
2 2
cos AMD = 1.
3

1 2
5.
A solução inicial ocupa um volume igual a πr ⋅ 12 cm3 , em que r é o raio do cone menor defi-
3
1
nido pelo nível do líquido. O recipiente tem volume igual a πR2 ⋅ H cm3 , em que R é o raio do
3
recipiente e H é a sua altura.
Como os cones são semelhantes, segue que:
r 12 12R
= ⇔ r= .
R H H
Por outro lado, do enunciado vem:
2
1 1  12R 
27% ⋅ πr 2 ⋅ 12 = 8% ⋅ πR2 ⋅ H ⇒ 27 ⋅  2
 ⋅ 12 = 8 ⋅ R ⋅ H
3 3  H 
33 ⋅ 123
⇒ H3 = 3
2
3 ⋅ 12
⇒H=
2
⇒H= 18cm.
6.
4⋅2
S
= = 4 → Metade de S será 2
2
0−4
Re ta r → a = =−2 → y =−2x + 4
2−0
Ponto D = ( x0 ,y ) → y =−2x0 + 4 com x0 < 2
( 4 − 2x0 + 4 ) ⋅ x0 =
Strapézio = 2 → −2x02 + 8x0 − 4= 0 → x02 − 4x0 + 2= 0
2
∆= ( −4 )2 − 4 ⋅ 1⋅ 2 → ∆ = 8
− ( −4 ) ± 8 4 ± 2 2 x0 = 2 + 2 → 2 + 2 > 2 (não convém)
=x0 = →
2 2 x0= 2 − 2

Gabarito
1. C 2. C 3. C 4. B 5. B

6. A

Prática dos conhecimentos - E.O.


1. (UERJ) A ilustração da figura 1 mostra um instrumento, em forma de V, usado para medir o diâ-
metro de fios elétricos.
Para efetuar a medida, basta inserir um fio na parte interna do V e observar o ponto da escala
que indica a tangência entre esse fio e o instrumento. Nesse ponto, lê-se o diâmetro do fio, em
milímetros.

232
Considere, agora, a ilustração da figura 2, que mostra a seção reta de um fio de 4 mm de diâmetro
inserido no instrumento.

Se o ângulo BÂC do instrumento mede 12°, a distância d, em milímetros, do ponto A ao ponto de


tangência P é igual a:
2   ​ 
a) ​ ______
cos12°
​  6   ​ 
b) ______
sen12°
​  6   ​ 
c) _____
cos6°
​  2   ​ 
d) ____
tg6°

2. (UERJ) Um modelo de macaco, ferramenta utilizada para levantar carros, consiste em uma estru-
tura composta por dois triângulos isósceles congruentes, AMN e BMN, e por um parafuso acionado
por uma manivela, de modo que o comprimento da base MN possa ser alterado pelo acionamento
desse parafuso. Observe a figura:

Considere as seguintes medidas: AM = AN = BM = BN = 4dm; MN = x dm; AB = y dm.


O valor, em decímetros, de y em função de x corresponde a:
________
a) ​√16 - 4x2 ​ 
_______
b) √
​ 64 - x2 ​ 
_______

​  ​ 16 - ​
c) ________ 4x2 ​ 


2
________

​  ​ 64 -  ​
d) _________ 2 x2 ​ 
  
2

233
3. (UERJ) A figura abaixo representa um círculo de centro O e uma régua retangular, graduada em
milímetros. Os pontos A, E e O pertencem à régua e os pontos B, C e D pertencem, simultaneamen-
te, à régua e à circunferência.

Considere os seguintes dados

Segmentos Medida (cm)


——
​  
AB​ 1,6
——
​  
ED​ 2,0

​  
EC​ 4,5

O diâmetro do círculo é, em centímetros, igual a:


a) 3,1
b) 3,3
c) 3,5
d) 3,6

4. (UERJ) Um ciclista pedala uma bicicleta em trajetória circular de modo que as direções dos deslo-
camentos das rodas mantêm sempre um ângulo de 60º. O diâmetro da roda traseira dessa bicicleta
é igual à metade do diâmetro de sua roda dianteira.
O esquema a seguir mostra a bicicleta vista de cima em um dado instante do percurso.

Admita que, para uma volta completa da bicicleta, N1 é o número de voltas dadas pela roda traseira
e N2 o número de voltas dadas pela roda dianteira em torno de seus respectivos eixos de rotação.
N
A razão ___
​  1 ​ é igual a:
N2
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4

234
5. (UERJ 2016) Dois dados, com doze faces pentagonais cada um, têm a forma de dodecaedros re-
gulares. Se os dodecaedros estão justapostos por uma de suas faces, que coincidem perfeitamente,
formam um poliedro côncavo, conforme ilustra a figura

Considere o número de vértices V, de faces F e de arestas A desse poliedro côncavo.


A soma V + F + A é igual a:
a) 102
b) 106
c) 110
d) 112

6. (UERJ) Um quadrado ABCD de centro O está situado sobre um plano á. Esse plano contém o seg-
mento OV, perpendicular a BC, conforme ilustra a imagem:

Admita a rotação de centro O do segmento OV em um plano perpendicular ao plano a, como se


observa nas imagens:

Considere as seguintes informações:

§§ o lado do quadrado ABCD e o segmento OV medem 1 metro;


§§ a rotação do segmento OV é de x radianos, sendo 0 < x ≤ ​ π__  ​; 
2
§§ x corresponde ao ângulo formado pelo segmento OV e o plano α;
§§ o volume da pirâmide ABCDV, em metros cúbicos, é igual a y.

O gráfico que melhor representa o volume y da pirâmide, em m3, em função do ângulo x, em ra-
dianos, é:
a) b)

235
c)

d)

7. (UERJ) Para confeccionar uma bandeirinha de festa junina, utilizou-se um pedaço de papel com
10 cm de largura e 15 cm de comprimento, obedecendo-se às instruções abaixo.
1. Dobrar o papel ao meio, para marcar o segmento MN, e abri-lo novamente:

2. Dobrar a ponta do vértice B no segmento AB’, de modo que B coincida com o ponto P do seg-
mento MN:

3. Desfazer a dobra e recortar o triângulo ABP.

A área construída
__ da bandeirinha APBCD, em cm2, é igual a:
a) 25 (4 - √
​ __
3 ​) 
b) 25 (6 - √
​ __
3 ​) 
c) 50 (2 - √
​ __
3 ​) 
d) 50 (3 - √
​ 3 ​) 

236
8. (UERJ) A embalagem de papelão de um determinado chocolate, representada na figura abaixo,
tem a forma de um prisma pentagonal reto de altura igual a 5 cm.

Em relação ao prisma, considere:


​^​ ​^​ ​^​
§§ cada um dos ângulos Â, B ​​  , ​ C ​ e D ​
​  da base superior mede 120º;
—— —— ——
§§ as arestas AB​
​  , BC​
​  e CD​
​  medem 10 cm cada.

Considere,
__ ainda, que o papelão do qual é feita a embalagem custa R$10,00 por m2 e que

​ 3 ​ = 1,73.

Na confecção de uma dessas embalagens, o valor, em reais, gasto somente com o papelão é apro-
ximadamente igual a:
a) 0,50
b) 0,95
c) 1,50
d) 1,85

9. (UERJ) As figuras a seguir mostram dois pacotes de café em pó que têm a forma de paralelepípe-
dos retângulos semelhantes.

Se o volume do pacote maior é o dobro do volume do menor, a razão entre a medida da área total
do maior
__ pacote e a do menor é igual a:
3
a) ​√ __
3 ​ 
3
b) ​√ __
4 ​ 
c) √
​ __
6 ​ 
d) √
​ 8 ​ 

1
0. (UERJ) Uma embalagem em forma de prisma octogonal regular contém uma pizza circular que
tangencia as faces do prisma.

237
Desprezando a espessura da pizza e do material usado na embalagem, a razão entre a medida do
raio da __
pizza e a medida da aresta da base do prisma é igual a:
a) 2​√2 ​ 
__
√  
​ 3​ 2 ​
b) ____  ​  
4
__

​ ​ 2 ​ + ​
c) ______ 1 

2__
d) 2(​√2 ​ - 1)

1
1. (UERJ 2017) Um cilindro circular reto possui diâmetro AB de 4 cm e altura AA' de 10 cm O plano
α, perpendicular à seção meridiana ABB'A' que passa pelos pontos B e A' das bases, divide o cilin-
dro em duas partes, conforme ilustra a imagem.

O volume da parte do cilindro compreendida entre o plano α e a base inferior, em cm3, é igual a:
a) 8π
b) 12π
c) 16π
d) 20π

1
2. (UERJ) Considere o icosaedro a seguir (Fig.1), construído em plástico inflável, cujos vértices e
pontos médios de todas as arestas estão marcados.
A partir dos pontos médios, quatro triângulos equiláteros congruentes foram formados em cada
face do icosaedro.
Admita que o icosaedro é inflado até que todos os pontos marcados fiquem sobre a superfície de
uma esfera, e os lados dos triângulos tornem-se arcos de circunferências, como ilustrado na figura 2.
Observe agora que, substituindo-se esses arcos por segmentos de reta, obtém-se uma nova estru-
tura poliédrica de faces triangulares, denominada geodésica. (Fig. 3)

238
O número de arestas dessa estrutura é igual a:
a) 90
b) 120
c) 150
d) 180

1
3. (UERJ 2015) Um recipiente com a forma de um cone circular reto de eixo vertical recebe água na
razão constante de 1cm3/s. A altura do cone mede 24 cm, e o raio de sua base mede 3 cm.
Conforme ilustra a imagem, a altura h do nível da água no recipiente varia em função do tempo t
em que a torneira fica aberta. A medida de h corresponde à distância entre o vértice do cone e a
superfície livre do líquido.

Admitindo π ≅ 3, a equação que relaciona a altura h, em centímetros, e o tempo t, em segundos,


é representada
__ por:
3
a) h = 4​√ __t ​ 
3
b) h = 2​√ _t ​ 
c) h = 2​√_t ​ 
d) h = 4​√ t ​ 

4. (UERJ) Uma esfera de centro A e raio igual a 3 dm é tangente ao plano α de uma mesa em um
1
ponto T. Uma fonte de luz encontra-se em um ponto F de modo que F, A e T são colineares. Observe
a ilustração:

Considere o cone de vértice F cuja base é o círculo de centro T definido pela sombra da esfera pro-
jetada sobre a mesa.
——
Se esse círculo tem área igual à da superfície esférica, então a distância FT​
​ ,  em decímetros, cor-
responde a:
a) 10
b) 9
c) 8
d) 7

1
5. (UERJ 2015) Um funil, com a forma de cone circular reto, é utilizado na passagem de óleo para
um recipiente com a forma de cilindro circular reto. O funil e o recipiente possuem a mesma capa-
cidade.

239
De acordo com o esquema, os eixos dos recipientes estão contidos no segmento TQ, perpendicular
ao plano horizontal b.

Admita que o funil esteja completamente cheio do óleo a ser escoado para o recipiente cilíndrico
vazio. Durante o escoamento, quando o nível do óleo estiver exatamente na metade da altura do
​ H ​ o nível do óleo no recipiente cilíndrico corresponderá ao ponto K na geratriz AB.
funil, __
2
A posição de K, nessa geratriz, é melhor representada por:
a)

b)

c)

d)

1
6. (UERJ) Um sólido com a forma de um cone circular reto, constituído de material homogêneo,
flutua em um líquido, conforme a ilustração abaixo.

Se todas as geratrizes desse sólido forem divididas ao meio pelo nível do líquido, a razão entre o
volume submerso e o volume do sólido será igual a:

240
​  1 ​ 
a) __
2
b) __​  3 ​ 
4
c) __ ​  5 ​ 
6
d) __ ​  7 ​ 
8

1
7. (UERJ) Na fotografia abaixo, observam-se duas bolhas de sabão unidas.

Quando duas bolhas unidas possuem o mesmo tamanho, a parede de contato entre elas é plana,
conforme ilustra o esquema:

Considere duas bolhas de sabão esféricas, de mesmo raio R, unidas de tal modo que a distância
entre seus centros A e B é igual ao raio R. A parede de contato dessas bolhas é um círculo cuja área
tem a seguinte medida:
​  πR ​ 
2
a) ___  
2
​  3πR ​ 
2
b) ____  
2
​  3πR ​ 
2
c) ____  
4
​  4πR ​ 
2
d) ____  
3

1
8. (UERJ) Observe o dado ilustrado a seguir, formado a partir de um cubo, com suas seis faces nu-
meradas de 1 a 6.

Esses números são representados por buracos deixados por semiesferas idênticas retiradas de cada
uma das faces. Todo o material retirado equivale a 4,2% do volume total do cubo.
Considerando π = 3, a razão entre a medida da aresta do cubo e a do raio de uma das semiesferas,
expressas na mesma unidade, é igual a:
a) 6
b) 8
c) 9
d) 10

241
1
9. (UERJ 2016) Na figura abaixo, estão representados dois círculos congruentes, de centros C1 e C2 ,
——
pertencentes ao mesmo plano α. O segmento C ​ 1C2​ mede 6 cm.

A área da região limitada pelos círculos, em cm2, possui valor aproximado de:
a) 108
b) 162
c) 182
d) 216

2
0. (UERJ) Uma máquina possui duas engrenagens circulares, sendo a distância entre seus centros A
e B igual a 11 cm, como mostra o esquema:

Sabe-se que a engrenagem menor dá 1000 voltas no mesmo tempo em que a maior dá 375 voltas,
e que os comprimentos dos dentes de ambas têm valores desprezíveis.
A medida, em centímetros, do raio da engrenagem menor equivale a:
a) 2,5
b) 3,0
c) 3,5
d) 4,0

Gabarito
1. D 2. B 3. B 4. A 5. D

6. A 7. B 8. B 9. B 10. C

11. D 12. B 13. A 14. C 15. A

16. D 17. C 18. D 19. C 20. B

242