Você está na página 1de 12

MENORIAL DESCRITIVO E

DIMENSIONAMENTO DE LINHA DE
VIDA VERTICAL

(SPQ – Sistema de Proteção contra Quedas)

RT nº 7971059

DOURADOS/MS
Fevereiro - 2019

1
1. IDENTIFICAÇÕES DA EMPRESA

RAZÃO SOCIAL: LUIZ YASUNAKA & CIA LTDA ME

FANTASIA CEREALISTA BOA SAFRA

CNPJ: 10.457.556/0001-65

ATIVIDADE Comércio atacadista de cereais e leguminosas beneficiados

CNAE 46.32-0-01

ENDEREÇO: ROD BR 163 KM 01

BAIRRO: CHACARA TREVO

CIDADE / ESTADO: DOURADOS/MS

CEP: 79.804-970

2
1. OBJETIVO

O presente documento tem por objetivo apresentar o memorial descritivo e dimensionamento


de linha de vida vertical para a realização de trabalho em altura nas escadas tipo marinheiro
instalada nos elevadores (arroz, milho e feijão), e caixas de armazenamento de arroz, feijão e
milho.

2. APLICAÇÃO

As linhas de vida verticais serão instaladas nas escadas tipo marinheiro dos elevadores e caixas
de armazenamento de grãos.

3. ESPECIFICAÇÃO DO CABO

Tipos de almas (parte interna do cabo) e suas características

Denominação Americana Resistência à Tração

AF / AFA (alma de fibra) Maior flexibilidade e menor resistência à tração

AA e AACI (alma de aço) Menor flexibilidade e maior resistência à tração

Fonte: CIMAF

Resistência dos fios componentes

Resistência à
Denominação
tração Características Técnicas
Americana
(Kg/mm2)

Resistência aproximada à tração de 140-160 kg/mm². Usado na fabricação de cabos onde,


PS (Plow Steel) 160 / 180
ao uso para o qual se destina, é mais importante a flexibilidade do que a resistência à tração.

Resistência à tração de 180-200kg/mm². Condições melhores que as do tipo anterior, sendo


IPS (Improved Plow
180/200 indicado para a fabricação de cabos onde se requer as características de tração, abrasão e
Steel)
torção, simultaneamente.

Resistência à tração aproximada de 200-230 kg/mm². São os arames mais resistentes


EIPS (Extra empregados na fabricação de cabos de aço, sem prejuízo das características de tração e
Improved Plow 200 / 220 flexão. Não é indicado para os cabos que destinam ao uso em elevadores, pontes rolantes e
Steel) perfuração por percussão, onde são mais apropriados os cabos de menor resistência à tração
e menos rígidos.

Fonte: CIMAF
3
Fator de segurança

Tipo de Serviço Fator de Segurança


Cabos guia estático 3-4
Tração no sentido horizontal 4-5
Guinchos 5
Máquinas de terraplenagem 5
Serviços gerais de levantamento de carga 5-6
Laços (Lingas) 5-6
Planos inclinados (montados sobre trilhos) 6
Pontes rolantes 6-8
Guindastes - Torres de perfuração (tipo Petróleo) 6-8
Talhas elétricas e pneumáticas 7
Pontes rolantes de fornos siderúrgicos 8
Elevadores de baixa velocidade (16 a 100 m/min) 7-8
Elevadores de alta velocidade (101 a 470 m/min) 9-11
Fonte: CIMAF

Tabela de pesos e cargas de ruptura.

Bitola Tabela de Peso Tabela I.P.S. Tabela E.I.P.S.


Cargas de Ruptura -
Cargas de Ruptura - Resistência Resistência
Diâmetro Peso em Kg por Metro Linear
180/200 Kg/mm² (I.P.S) em KGF 200/220 Kg/mm²
(E.I.P.S) em KGF
Polegada Milímetro 6x7 6x19 / 6x25 / 6x41 6x7 6x19 / 6x25 / 6x41 6x19 / 6x25 / 6x41
AF / AFA AA / AACI AF / AFA AA / AACI AF / AFA AA / AACI AF / AFA AA / AACI AF / AFA AA / AACI
1/16" 1,60 0,012 0,013 176 190
5/64" 2,00 0,014 0,015 240 259
3/32" 2,40 0,019 0,021 340 365
1/8" 3,20 0,034 0,037 0,039 0,043 600 646 620 660
5/32" 4,00 0,055 0,061 959 1040
3/16" 4,80 0,078 0,086 0,088 0,097 1347 1449 1398 1500
1/4" 6,40 0,140 0,154 0,156 0,172 2386 2569 2477 2661 2865 3079
5/16" 8,00 0,221 0,244 0,244 0,268 3834 4150 3864 4150 4445 4782
3/8" 9,50 0,310 0,341 0,350 0,390 5312 5710 5526 5944 6363 6842
7/16" 11,50 0,430 0,473 0,480 0,520 7188 7729 7505 8055 8606 9248
1/2" 13,00 0,570 0,627 0,630 0,680 9340 10044 9707 10401 10707 12032
9/16" 14,50 0,710 0,781 0,790 0,880 11828 12746 12236 13154 13460 15193
5/8" 16,00 0,880 0,968 0,980 1,070 14377 15499 15193 16213 16621 18660
3/4" 19,00 1,410 1,550 21617 23249 23759 26716
7/8" 22,00 1,919 2,110 29163 31407 32121 36097
1" 26,00 2,500 2,750 37933 40686 41706 46906
1.1/8" 29,00 3,170 3,480 47722 51291 52413 69136
1.1/4" 32,00 3,910 4,300 58633 62916 64446 72501
1.3/8" 35,00 4,730 5,210 70462 75764 77498 87083
Fonte: CIMAF

4
4. MEMORIAL DE CALCULO

O dimensionamento da linha de vida segue as seguintes premissas:

Reduzir a consequência de uma queda ou até mesmo eliminar o risco;


Possibilitar o deslocamento seguro dos trabalhadores.

Variáveis definidas para realização do cálculo de dimensionamento da linha de vida:

Cabo de Aço ABNT 6x7 AF, categoria 3778KN, Ø5/16” (8 mm);


P - Nº MÁX. DE PESSOAS - 1.0 até 110 kg
L – vão maior entre ancoras - 8m
Fq – fator de queda (segurança) - 5

2. CALCULO DE FORÇA NA ANCORA SUPERIOR DEVIDO AO PESO DO


CABO

Fc - força na reação horizontal devido ao peso do cabo - Ø 8mm

Cr – carga de ruptura mínima conforme NBR 6327 - 3,80 IPS (tf) – 3.800 kgf

m – peso por metro (conforme manual Cimaf) - 0.235 Kg/m

Fc = m.L ---- 1.84 kgf

3. CALCULO DE FORÇA NA ANCORA SUPERIOR DEVIDO AO PESO DO


COLABORADOR

Fp – força na ancora devido ao peso do colaborador

Fp = P.Fq -- 550 kgf

5
4. CALCULO TOTAL NA FORÇA VERTICAL

Ft – força total na ancora vertical

Ft = Fp+Fc -- 551,84 kgf

5. FATOR DE SEGURANÇA

Fs – fator de segurança

Fs = Cr/Ft -- 6.89

Fs ≥ 2, atende a norma OSHA 1926.502

6. ACESSÓRIOS

- GRAMPO
A “clipagem” do cabo de aço será realizada com a base do grampo colocada no trecho
mais comprido do cabo (aquele que vai em direção ao outro olhal), conforme ilustração abaixo:

 Utilizar no mínimo 3 grampos.


 O espaçamento entre os clipes deverá ser de 57 mm, não podendo em hipótese
alguma se inferior a esse valor.

6
- SAPATILHA ¼”

- ESTICADOR 3/8”

- OLHAL 3/8”

7. ESPECIFICAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL


(EPI) E COMPONENTES DO SISTEMA.

TRAVA QUEDAS

Equipamento que deverá ser afixados aos cabos de aço e deverão dar o movimento
vertical ao trabalhador.

 Quantidade: Para este projeto deverão ser adquiridas 01 peça para cada colaborador.

Recomendações e cuidados:

 Faça as inspeções periódicas e mantenha o equipamento limpo e em condições de uso.

7
CINTO DE SEGURANÇA TIPO PARAQUEDISTA

Possibilita ancoragem no peito e nas costas.


Deve ser usado pelo trabalhador onde deverá ser afixado o trava quedas na argola dorsal
do cinturão.
 Quantidade: Todo colaborador e terceiros de tiverem trabalhar nas linhas de vida deverá
ter seu cinto de segurança.

Recomendações e cuidados antes de cada uso, o usuário deve certificar-se de que (Check
list):
 Todas as fitas de nylon estejam perfeitas, sem cortes, furos, rupturas, partes queimadas,
desfiamentos, mesmo que parciais.
 Todos os pontos de costura estejam perfeitos, sem desfiamentos ou descosturados.
 Todos os componentes metálicos estejam sem ferrugem, amassados ou danificados.
 Não há suspeita de contaminação por produtos químicos.
 Importante: o cinturão deve ser aposentado quando houver constatação de qualquer
problema na inspeção.

8
8. CONCLUSÃO

Este memorial foi calculado levando em consideração 1 colaborador trabalhando na


linha de vida com no máximo 110kg, ou seja, torna-se proibido o trabalho com mais de 1
colaborador conectado à linha de vida simultaneamente. É importante que esta informação fique
clara para todos os colaboradores envolvidos na atividade.
O acesso ao local de instalação da linha de vida deve ser feito de maneira segura,
atendendo aos requisitos legais, especialmente a NR 35.
Em anexo segue projeto do sistema de instalação e RRT.

Dourados/MS, fevereiro de 2019.

______________________________________
LEONARDO DIAS MARITNS
Engenheiro de Segurança do Trabalho
CAU/BR – A51047-5

9
PROJETO E RECOMENDAÇÕES DE INSTALAÇÃO

SPQ – Sistema de Proteção contra Quedas


Cliente: LUIZ YASUNAKA & CIA LTDA – DOURADOS/MS
Conteúdo: Vistas e detalhes Ass. Engenheiro:
Nº 01/02

1
PLACA DE ANCORAGEM

SPQ – Sistema de Proteção contra Quedas


Cliente: LUIZ YASUNAKA & CIA LTDA – DOURADOS/MS
Conteúdo: Vistas e detalhes Ass. Engenheiro:
Nº 02/02

2
RRT – REGISTRO DE RESPINSABILIDADE TÉCNICA