Você está na página 1de 13

CURSO DE

LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO


PROJETO INTEGRADOR
7ª série - Pedagogia
MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO
PROJETO INTEGRADOR
7ª série - Pedagogia

Este Manual para Elaboração de Artigo tem por objetivo auxiliar alunos de
graduação em fase de conclusão de curso na preparação, organização,
desenvolvimento e apresentação de trabalhos autorais. Durante toda a graduação, os
estudantes são submetidos a uma série de trabalhos para distintas disciplinas e, de
acordo com Marconi e Lakatos (2010), via de regra, ao término do curso, eles são
incumbidos de elaborar um trabalho de caráter científico.
A elaboração do trabalho científico requer, dentre outras coisas, objetividade
na apresentação, para que a intencionalidade do autor fique clara, tanto na exposição
das suas ideias quanto na formatação do documento. O trabalho de investigação, seja
ele teórico, prático, bibliográfico ou de campo, oportuniza ao estudante explorar
determinado tema ou problema, desenvolve sua capacidade de coletar, organizar e
relatar informações obtidas e, mais, de analisar e até de interpretar os dados de
maneira lógica e apresentar conclusões.
Este manual foi construído para ajudar você a organizar sua pesquisa e
preparar seu artigo com caráter científico. Leia atentamente as orientações e bom
trabalho!

REGRAS GERAIS PARA A CONSTRUÇÃO DO ARTIGO

Os artigos devem conter, em sua estrutura, elementos pré-textuais, textuais, e


pós-textuais, apresentados de acordo com os padrões gráficos estabelecidos pela
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). No seu curso de graduação, os
elementos textuais que compõem o Artigo devem possuir entre 10 e 15 páginas
digitadas.
Para Marconi e Lakatos (2010), os trabalhos científicos, como o Artigo, devem
ser elaborados de acordo com normas preestabelecidas e com fins a que se destinam.
Geralmente, esse trabalho é baseado em fontes bibliográficas e não precisa ser
extenso, todavia, deve primar pelo ineditismo e originalidade contribuir não só para a

2
ampliação de conhecimentos ou a compreensão de certos problemas, mas também
servir de modelo ou oferecer subsídio para outros trabalhos. Os trabalhos científicos
podem ser desenvolvidos com base em fontes que permitam a construção de novos
temas ou abordagens.
A redação do artigo deve conter:

a) Clareza: linguagem objetiva, direta e concisa; não deixar margem a interpretações


diversas; não utilizar linguagem rebuscada, termos desnecessários ou ambíguos;
evitar a falta de ordem na apresentação das ideias.

b) Originalidade: apresentar temas ou abordagens originais, os quais podem ser


relatos de experiência de pesquisa, estudo de caso, etc.

c) Precisão: cada palavra traduz exatamente o que o autor transmite; abordagem


direta e simples dos assuntos; lógica e continuidade no desenvolvimento das ideias;
uso da norma culta da língua; uso criterioso da pontuação.

d) Revisão: resumir, analisar e discutir informações já publicadas.

TEMA DO TRABALHO

Uma vez que o trabalho requer tratamento científico, este deve ser
especializado e, não sendo possível dominar a totalidade de um conhecimento em
específico, é necessário selecionar um tema que possa ser tratado em profundidade.
O tema trata do assunto que se deseja provar ou desenvolver. Marconi e Lakatos
(2010) reiteram que o tema pode surgir de uma dificuldade prática enfrentada pelo
pesquisador, da sua curiosidade científica, de desafios encontrados na leitura de
outros trabalhos ou da própria teoria.
A escolha do tema deve ser acompanhada pelo orientador do trabalho (o tutor
a distância), que verificará se é possível e viável tratar o assunto e analisará a relação
entre o tema escolhido e os objetivos do curso de graduação. A escolha do tema
depende da iniciativa do aluno, que seleciona um assunto ou problema de trabalho,
de acordo com suas preferências, evidenciadas durante o curso de graduação. O
orientador pode sugerir temas a serem trabalhados, todavia, cabe ao aluno a escolha
3
e o desenvolvimento de pesquisas de seu interesse.
Em trabalhos desenvolvidos por equipes, é necessário que exista um consenso
entre os envolvidos na produção do tema a ser definido, bem como a anuência do
orientador em relação à temática apresentada. Para Marconi e Lakatos (2010), logo
que ocorrer essa escolha, é importante conhecer as produções científicas que tratam
do mesmo assunto, assim, evita-se apresentar como novo o que já é conhecido há
tempos, ou de demonstrar o óbvio e enfatizar detalhes sem importância. As autoras
advertem que os trabalhos solicitados ao final dos cursos de graduação não podem
ser considerados verdadeiros trabalhos de pesquisa, mas estudos iniciais de
pesquisa, que envolvem uma série de metodologias próprias da produção científica.
Por fim, o tema a ser desenvolvido deve ser claro no título do artigo.

ESTRUTURA DO ARTIGO

1) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

Precedem o texto e auxiliam na identificação do trabalho. Exemplos:

 Capa (obrigatório)
 Dedicatória (opcional)
 Agradecimentos (opcional)
 Lista de Tabelas, Gráficos, Ilustrações (opcional)
 Lista de Abreviaturas e Siglas (opcional)
 Resumo (obrigatório)
 Sumário (obrigatório)

Capa (obrigatório)

Os elementos que devem constar obrigatoriamente na capa do trabalho são:


nome da instituição, nome do curso, nome da disciplina, título e subtítulo (se houver),
nome do(s) autor(es), nome do(s) orientador(es), cidade, mês e ano. A capa deve ser
apresentada no formato A4 (21 cm x 29,7 cm), e o projeto gráfico é de
responsabilidade do(s) autor(es) (dentro dos padrões da ABNT).

4
Margem
superior 3 cm

UNIVERSIDADE ANHANGUERA –UNIDERP

NOME DO CURSO

Nome da disciplina

Margem Margem direita


esquerda 3 cm 2 cm
Título do Trabalho e Subtítulo
Sugestão: tamanho
da fonte 14 ou 16
Nome(s) do(s) autor(es)
Nome(s) do(s) orientador(es)

Entrelinhas 1,5

Cidade
ano

Margem
inferior 2 cm

Dedicatória (opcional)

Constitui-se em uma página em que o(s) autor(es) fazem uma dedicatória a


alguma pessoa, instituição ou órgão.

Agradecimentos (opcional)

Folha em que o autor demonstra os agradecimentos àqueles que colaboraram


com de forma pessoal, institucional e, até mesmo, moral e financeiro durante a
confecção do trabalho.

Resumo (obrigatório)

É a condensação do texto e possui uma quantidade predeterminada de


caracteres. A orientação é a de que os resumos possuam entre 500 e 1000 caracteres
(sem espaços).

5
Utiliza frases curtas, cada uma correspondendo a um elemento importante do
trabalho. Não é a simples enumeração do sumário ou índice do trabalho. Não dispensa
a leitura do texto completo, pois apenas descreve sua natureza, forma e propósito. O
resumo deve apresentar uma sequência de frases concisas e objetivas, e não uma
simples enumeração de tópicos. No resumo, devem ser apresentados: a ideia do
trabalho, o objetivo geral e objetivos específicos, metodologia, aporte teórico,
hipóteses e algumas considerações.
Na sequência de apresentação do resumo, devem ser destacadas as
palavras-chave (dois espaços abaixo do texto do resumo), com no mínimo três e no
máximo seis palavras.

Sumário (obrigatório)

O sumário consiste na relação das partes, capítulos, itens e subitens do


trabalho, com a respectiva indicação do número das páginas iniciais. O sumário deve
observar a sequência dos elementos apresentados na ordenação especificada no
corpo do trabalho.

Sumário

Introdução ................................................08

Desenvolvimento.........................................10

Considerações Finais ...................................16

Referências ................................................17

Apêndices ...................................................19

Anexos .......................................................20

2) ELEMENTOS TEXTUAIS

Os elementos textuais envolvem a dissertação sobre um determinado ponto da


6
ciência, da arte, da história, etc., ou trabalho sistemático e completo sobre um assunto
particular, usualmente pormenorizado no tratamento, mas não extenso em alcance
(MARCONI; LAKATOS, 2010). Portanto, os elementos textuais apresentam o estudo
sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que
obedece a uma determinada metodologia. Para Marconi e Lakatos (2010), a
característica de um trabalho como um artigo não é a extensão, mas o caráter do
trabalho (tratamento de um tema delimitado) e a qualidade da tarefa, isto é, o nível da
pesquisa, que está intimamente ligado aos objetivos propostos para a sua elaboração.
Compõem os elementos textuais: a introdução, o desenvolvimento e as
considerações finais do trabalho.

Introdução

Na introdução, deve ser apresentada a ideia central do trabalho, exposta de


modo claro, objetivo e preciso. Tanto nos trabalhos teóricos quanto nos que envolvem
atividades práticas, é necessário estabelecer limites no tempo e espaço, isso porque
todo assunto possui um limite de abordagem relacionado à extensão e ao prazo. Na
introdução, é importante que esses limites sejam apresentados.
Nos casos em que o tema é apresentado como problema ou indagação, é
possível apresentar, na introdução, questões que serão exploradas no
desenvolvimento do trabalho. Além da delimitação do tema, é importante apresentar
questões que envolvem a relevância do estudo, a contribuição da abordagem para a
solução de problemas, a originalidade, a importância, a viabilidade e a disponibilidade
do trabalho. Na introdução, é importante que sejam apresentados os objetivos gerais
e específicos do tratamento do tema, a abordagem metodológica, os procedimentos e
as técnicas. Neste espaço, é possível apresentar a estrutura do desenvolvimento do
texto, sem antecipar os resultados do trabalho.

Desenvolvimento

O desenvolvimento envolve a abordagem do tema específico ou particular, com


suficiente valor representativo trabalhado em distintos ângulos ou aspectos,
dependendo dos fins a que se destina. Esta é a parte mais extensa do trabalho, que

7
contém a apresentação ordenada e detalhada da pesquisa efetuada. A preocupação
em apresentar as informações com originalidade deve perpassar todo o trabalho,
embora seja relativa à total novidade de um trabalho, pois a ciência, sendo
acumulativa, está sujeita a contínuas revisões.
O desenvolvimento é a fundamentação lógica do trabalho de pesquisa, cuja
finalidade é expor e demonstrar. Pode ser dividida em seções e subseções, que
variam em função do tema e da abordagem de um método. De acordo com Marconi
e Lakatos (2010), o desenvolvimento leva em consideração três fases ou estágios:
explicação, discussão e demonstração.

 Explicação envolve a exposição e o sentido de uma noção; é analisar e


compreender, procurando suprimir o ambíguo ou obscuro.
 Discussão é o exame, a argumentação e a explicação da pesquisa: explica,
discute, fundamenta e enuncia as proposições.
 Demonstração é a dedução lógica do trabalho; implica o exercício do
raciocínio; demonstra que as proposições, para atingirem o objetivo formal
do trabalho e não se se afastarem do tema, devem obedecer a uma
sequência lógica.

O desenvolvimento pode ser subdividido em etapas, não é padronizado, porém,


deve apresentar alguns elementos:

a) Fundamentação Teórica: É por meio dela que o trabalho é situado dentro da


grande área de pesquisa. Também é por meio da revisão literária que se reportam
e avaliam os conhecimentos produzidos em pesquisas prévias, destacando
conceitos, procedimentos, resultados, discussões e conclusões relevantes para o
trabalho. A ordem cronológica dos fatos deve ser obedecida, permitindo uma visão
histórica do desenvolvimento do conhecimento do tema. Esta parte é obrigatória
em todos os trabalhos.

b) Material e Métodos: é a descrição das técnicas, métodos, sujeitos, etc., com a


maior clareza possível, de forma que outros autores possam contextualizar e
reaplicá-los em suas pesquisas, caso seja necessário. Esta parte é obrigatória em

8
todos os trabalhos.

c) Resultados e Discussão: o(s) autor(es) deve(m) apresentar os resultados da


pesquisa, textualmente ou expressos em quadros, gráficos, tabelas, imagens,
ou outro meio que demonstre o que o trabalho permitiu verificar. A apresentação
dos resultados deve ser acompanhada de uma discussão, trazendo ao leitor dados
adicionais encontrados na parte experimental, possibilitando o seu confronto com
os autores citados no corpo do texto.

Considerações finais

As considerações finais são apresentadas na parte final do texto. Neste espaço,


o pesquisador retoma os objetivos e verifica a quais conclusões pode chegar, a
abordagem teórica e metodológica desenvolvida no trabalho. Destaca a relevância da
pesquisa e os possíveis caminhos que podem ser tomados por outros pesquisadores
a partir dela. É importante utilizar este espaço para relatar os resultados obtidos na
realização da pesquisa, apontando críticas, recomendações e/ou sugestões para
pesquisas futuras.
As considerações finais devem finalizar a abordagem do tema tratado no artigo,
respondendo às hipóteses enunciadas e aos objetivos do estudo apresentados na
introdução. Este espaço não permite a inclusão de novos dados que não tenham sido
apresentados anteriormente no texto. Para Marconi e Lakatos (2010), a maneira de
redigir os elementos conclusivos do trabalho deve ser precisa e categórica. O
pesquisador não pode se perder em argumentações, pelo contrário, deve refletir a
relação entre os dados obtidos e as hipóteses estudadas. Em suma, as considerações
finais devem apresentar alguns elementos:

 evidenciar as conquistas alcançadas com o estudo;


 indicar as limitações e reconsiderações;
 apontar a relação entre os fatos verificados e a teoria;
 representar “a súmula em que os argumentos, conceitos, fatos, hipóteses,
teorias, modelos se unem e se complementam” (TRUJILLO, 1982 apud MARCONI;
LAKATOS, 2010, p. 215).

9
3) ELEMENTOS PÓS- TEXTUAIS

Esta seção compreende as informações que complementam o trabalho


acadêmico: as referências, o glossário, o apêndice e o anexo.

Referências (obrigatório)

As referências correspondem ao conjunto de elementos que permitem a


identificação, no todo ou em parte, das fontes pesquisadas para a composição do
trabalho. Nela, é apresentado o conjunto de publicações (livros, revistas, dissertações
e outras fontes) utilizadas na elaboração do texto.
É indispensável que sejam elaboradas de acordo com as normas da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Portanto, devem ser organizadas
em ordem alfabética, usando espaço simples entre linhas e espaço duplo para separar
as obras. A palavra “referências” deve aparecer em letras maiúsculas, negritadas,
centralizada na linha. As referências são alinhadas somente à margem esquerda do
texto e de forma a se identificar individualmente cada documento. As referências
devem apresentar somente obras citadas no texto.

Glossário (opcional)

A apresentação do glossário é opcional e, nele, deve constar o vocabulário


explicativo dos termos, conceitos, palavras e expressões utilizados no decorrer do
trabalho e que podem dar margem a interpretações errôneas ou que sejam
desconhecidas do público-alvo e não tenham sido explicados no texto. As palavras
que compõem o glossário podem ser apresentadas em seção específica ou
substituídas por notas explicativas de rodapé.

Apêndice (opcional)

A seção dos apêndices é composta por documentos elaborados pelo próprio


autor, anexados ao final do trabalho com a finalidade de documentar as informações
apresentadas no texto. São identificados por letras maiúsculas do alfabeto

10
consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Exemplos:
APÊNDICE A – Composição gráfica;
APENDICE B – Avaliação de estruturas...

Anexo (opcional)

Os anexos são elementos que auxiliam a compreensão do texto, mas que não
são elaborados pelo autor. O título deve ser centralizado e sem indicativo numérico.
Se houver mais de um anexo, a identificação deve ser feita por meio de letra maiúscula
do alfabeto. Exemplos:
ANEXO A – Ficha de entrevista;
ANEXO B – Tabela de Avaliação...

APRESENTAÇÃO GRÁFICA

O artigo precisa ser desenvolvido seguindo uma sequência padronizada para a


colocação dos elementos essenciais e complementares. Por exemplo:

 As referências devem ser alinhadas apenas à margem esquerda.


 Os recursos tipográficos (negrito, itálico ou grifo) deverão ser utilizados de forma
padronizada em todas as referências mencionadas.
 O texto deve ser apresentado em papel branco, formato A4 (21 cm x 29,7 cm), em
cor preta, exceto as ilustrações.
 O texto deve ser justificado, em fonte Times New Roman ou Arial, tamanho 12 para
texto; tamanho 11 para citações longas (quatro linhas ou mais), notas de rodapé,
legendas das ilustrações e tabelas.
 O espaçamento entre linhas do corpo do texto deve ser 1,5, com 0 antes e depois.
 Para citações longas (quatro linhas ou mais), referências e legendas, o
espaçamento entre linhas deve ser simples.
 Nas referências bibliográficas, o espaçamento é simples.
 Entre indicativos numéricos e títulos de seções e subseções, deve haver um espaço
de caractere.
 As margens devem ser ajustadas a 3 cm, para esquerda e superior, e a 2 cm, para

11
direita e inferior.
 O adentramento de parágrafo, a partir da margem esquerda, deve ser de 1,25 cm,
para o corpo do texto, e de 4 cm, para citações longas, em alinhamento justificado.
 A numeração das páginas deve aparecer em algarismos arábicos, no canto superior
direito, em fonte tamanho 10, registrados apenas a partir da primeira folha de
desenvolvimento textual (a introdução), incluindo-se, de forma contínua,
referências, apêndices e anexos, se houver.

NORMAS TÉCNICAS

As notas de rodapé servem para abordar pontos que não estão presentes no
texto, mas que são úteis para explicá-lo. As notas evitam que o texto fique
sobrecarregado com explicações longas, prejudiciais à argumentação. São muito úteis
para remeter a outras obras, esclarecer termos, apresentar comentários, traduções e
outros elementos que favoreçam uma melhor compreensão do texto. As notas de
rodapé devem ser indicadas sequencialmente, em ordem crescente, escritas em
algarismos arábicos ou romanos, em espaçamento simples e fonte tamanho 10.
As citações devem obedecer à Norma Brasileira Registrada/NBR 10520, da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). As citações em que ocorre a
transcrição literal de um texto, ou parte dele, precisam conservar a grafia, a pontuação,
o uso de maiúsculas e minúsculas e o idioma e podem ser curtas ou longas.
As citações curtas (de até três linhas) são transcritas entre aspas,
incorporadas ao texto, sem destaque tipográfico. As citações longas (com quatro
linhas ou mas) devem aparecer em parágrafo distinto, com 4 cm da margem do texto
à esquerda, grafadas em tamanho 11 e com espaçamento simples entre linhas.
A paráfrase consiste na expressão da ideia de outro autor, com palavras
próprias do autor do trabalho. Mesmo que, nesse caso, a transcrição seja livre, é
necessário indicar o autor e o ano de veiculação da obra.
O uso de gráficos favorece a observação dos resultados. A identificação do
gráfico deve ocorrer na sua parte superior, seguida do número da ordem de ocorrência
no texto, em algarismos arábicos (exemplo: Gráfico 1 – Resultados das provas).
Abaixo do gráfico, deve ser identificada a fonte.
Os quadros comportam dados explicativos que favorecem a observação das

12
informações pelo leitor. Seguem a mesma normatização das tabelas, quanto à
sequência de numeração.
As ilustrações são elementos demonstrativos de síntese que constituem
unidades autônomas que explicam ou complementam o texto. As ilustrações são
compostas por fotografias, organogramas, fluxogramas, desenhos, mapas, etc.
Devem ser apresentadas como figuras, seguidas do número de ordem em
organismos arábicos, bem como das fontes citadas na parte inferior (exemplo: Figura
1 – Mapa da Amazônia; Fonte: IBGE).

Atenção: Os trabalhos apresentados na disciplina Projeto Integrador


devem ser originais. Portanto, os materiais em que for constatado
plágio serão invalidados, sendo os alunos reprovados na disciplina.
Lembre-se de que a prática do plágio constitui crime, com pena
prevista em lei (Lei n.º 9.610/98), e deve ser evitada no âmbito
acadêmico.

REFERÊNCIAS

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023:


referências bibliográficas. Rio de Janeiro: ABNT, 2002a.

. NBR 10520: informação e documentação, citações em documentos,


apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2002b.

. NBR 14724: informação e documentação, trabalhos acadêmicos,


apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2002c.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da


metodologia científica. 7ª ed. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

MARTELLI, Lindolfo A. Manual para elaboração de artigo. [Online]. Valinhos, 2014,


p. 01-10. Disponível em: <www.anhanguera.edu.br/cead>. Acesso em: mar. 2014.

13