Você está na página 1de 2

Os Simpsons e a Filosofia/[Editores] William Irwin, Mark T. Conard, Aeon J.

Skoble; tradução Marcos Malvezzi Leal. – São Paulo: Madras, 2004

Homer e Aristóteles

Aristóteles nos deu uma categoria lógica de 4 tipos de caráter. Deixando de


lado só 2 extremos: o super-homem e o bestial:
- Virtuoso;
- Continente;
- Incontinente;
- Vicioso;

Usemos um exemplo: uma pessoa está andando na rua e encontra uma


carteira com uma considerável quantia em dinheiro:

Caráter Virtuoso: não só tomaria a decisão de entregar a carteira às


autoridades competentes, mas ainda se sentiria bem em fazer isso – desejo em
harmonia com a correta ação.
O individuo virtuoso não pode ser estúpido ou ingênuo. Deve ter habilidades
de raciocínio crítico para avaliar as situações.
- Deve saber que sua ação é virtuosa;
- Deve agir voluntariamente, e assim proceder porque a ação é virtuosa;
- Deve agir com virtude não só porque a ação é justa, mas também porque
ele é um indivíduo justo.

Caráter Continente: tomaria a decisão certa e seria capaz de cumprir a


decisão – mas estaria agindo de forma contraria ao seu desejo de não devolver –
luta contra os desejos para conseguir fazer a coisa certa.

Caráter Incontinente: é capaz de tomar a decisão certa, mas tem vontade


fraca, ele sucumbe ao desejo de ficar com a carteira e não agir corretamente,
embora saiba que é errado não entregá-la ao dono.
Caráter Vicioso: sua decisão é moralmente errada e seus desejos
cooperam plenamente com ela.

Há algo eticamente admirável em Homer Simpson?


Se o paradigma de eticamente admirável é ser virtuoso - Homer não é
virtuoso.
Homer tem como qualidade o amor e a paixão pela vida, em seus
elementos mais básicos. Ele quer desfrutar a vida – a sua versão dela – ao
máximo. Seu entusiasmo pela vida não é calculado, tampouco ele tem consciência
disso. Mas esse entusiasmo se manifesta em suas ações, atitudes, falta de
maldade e comportamento infantil.
- Esse amor pela vida não é regido pela razão;
- Gostar da vida não é o mesmo que ter uma via florescente.
Possuir uma característica admirável não o faz ser admirável.
Homer é, também, honesto quanto a seus desejos e necessidades.
Ele é egoísta, guloso, ganancioso e, às vezes, muito burro, mas raramente
tem inveja ou deseja algo ruim aos outros.
Homer não é uma pessoa viciosa, no sentido de governado pelo vício
(inclinação para o mal).