Você está na página 1de 3
CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE Publicada no DOE de 30/11/2007 PORTARIA NORMATIVA Nº 139

CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE

Publicada no DOE de 30/11/2007

PORTARIA NORMATIVA Nº

139 /2007

A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CENTRO DE ATENDIMENTO SÓCIO- EDUCATIVO AO ADOLESCENTE - FUNDAÇÃO CASA-SP, no uso de sua competência,

CONSIDERANDO as diretrizes da política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente, preconizadas no artigo 86 e seguintes do Estatuto da Criança e do Adolescente, instituído pela Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, assim como no Plano Estadual de Atendimento Sócio-Educativo ao Adolescente,

D E T E R M I N A:

Artigo 1º - Promover a celebração de convênios com entidades não- governamentais, com o objetivo de desenvolver e executar medida sócio-educativa de semiliberdade, prevista no artigo 120 do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Artigo 2º - O instrumento-padrão dos ajustes e o plano de trabalho obedecerão aos modelos constantes nos ANEXOS I e II.

Artigo 3º - Para a formalização do convênio, além do instrumento de ajuste e do plano de trabalho, devidamente preenchidos, nos termos dos modelos, a entidade deverá apresentar os seguintes documentos:

I-

ofício dirigido ao Presidente da Fundação, assinado pelo presidente da entidade, solicitando a celebração do convênio;

II-

comprovante de endereço da entidade;

III- cédula de identidade ou documento equivalente, do representante

legal da entidade (cópia autenticada);

IV-

cartão de identificação do contribuinte - CPF do representante legal da entidade (cópia autenticada);

V-

estatuto da entidade devidamente registrado (cópia autenticada);

CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE VI- ata de eleição e de posse da diretoria

CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE

VI- ata de eleição e de posse da diretoria devidamente registrada (cópia autenticada); VII- declaração de que a entidade não está impedida de receber recursos do Estado em decorrência de problemas junto ao egrégio Tribunal de Contas do Estado de São Paulo;

VIII-relatório da diretoria sobre as atividades desenvolvidas no exercício anterior;

IX- balanço patrimonial e financeiro (cópia autenticada);

X- parecer do Conselho Fiscal sobre o balanço (original ou cópia autenticada); XI- cadastro nacional de pessoa jurídica - CNPJ da entidade social (cópia autenticada ou extraído via internet); XII- certidão negativa de débito - CND junto ao INSS (cópia autenticada ou extraída via internet); XIII-certificado de regularidade de situação junto à Caixa Econômica Federal referente ao FGTS (cópia autenticada ou extraído via internet); XIV- certificado de inscrição da entidade na Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social - antigo COFRAS (cópia autenticada) ou inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social - COMAS (cópia autenticada) ou inscrição no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS (cópia autenticada); XV- documento de inscrição junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de acordo com o artigo 90 em seu parágrafo único do Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei nº 8069/90 de 13/06/90, na inexistência de conselho, conforme artigo 261 da mesma lei (cópia autenticada); XVI- comprovante de conta bancária junto ao Banco Nossa Caixa S/A específica para atender o convênio.

§

O

prazo

de validade das certidões deve ser rigorosamente

observado por ocasião da assinatura do instrumento e plano de trabalho.

§ 2º - A entidade deverá comunicar, imediatamente, qualquer alteração nos documentos elencados nos incisos do “caput”, encaminhando-se cópia.

CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE § 3º - Nas prorrogações dos ajustes devem ser

CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE

§ 3º - Nas prorrogações dos ajustes devem ser exigidos os documentos cujas datas de validade tenham expirado, original ou cópia autenticada.

Artigo 4º - O gestor responsável elaborará parecer técnico, no qual relatará a conveniência e oportunidade da formalização do ajuste, a inserção do objeto no campo de atuação da entidade e atestará o integral cumprimento desta portaria, declarando fiéis o instrumento e plano de trabalho e assegurando a juntada dos documentos exigidos no artigo 3º.

Parágrafo único – Após, o processo será encaminhado à Assessoria Jurídica da Fundação, para exame jurídico da matéria.

Artigo 5º - Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Dê-se ciência.

Cumpra-se.

Publique-se.

G.P, em 29 de novembro de 2007.

Berenice Maria Giannella Presidente