Você está na página 1de 22

Panorama do Antigo Testamento

Habacuque
Introdução

Habacuque é um desconhecido dentro da


Bíblia. Muito se especula acerca de sua
origem e profissão, entretanto, só duas
coisas podemos afirmar desse profeta:
seu nome significa “abraço” e sua
profissão é a fé.
Informações Básicas
● Data: Entre 610 e 605 a.C.
● Autor: Habacuque
● Local: Judá
● Alvo: Fortalecer a fé do povo de Judá
● Versículo-chave: Hc 2.4
● Palavra-chave: Fé
Informações Básicas
● Conteúdo: Habacuque dialoga com Deus quanto à
questão da injustiça (como podem as pessoas fazer o mal
impunimente sem que Deus faça nada?), e recebe razões
para confiar Nele.
● Ênfases: a indignação do profeta diante da aparente
tolerância de Deus com a injustiça; a confiança do profeta
na justiça e no poder de Deus; a atitude do justo é de
felicidade e confiança em Deus; a garantia de Deus de
que os maus serão punidos.
Esboço
Referência Tópicos
1a. Pergunta Hc 1.2-4 Por que o Senhor não toma providência a
respeito do pecado do povo?
1a. Resposta Hc 1.5-11 A providência está tomada. A disciplina chegará
com os babilônicos.
2a. Pergunta Hc 1.12-2.1 Por que usar a Babilônia?
2a. Resposta Hc 2.2-20 Porque Ele é soberano e disciplinará as nações.
Oração de Hc Hc 3.1-19 Confiarei em qualquer tempo e circunstância.
● Habacuque em uma sentença: O profeta conversa com Deus a
respeito do julgamento do povo de Judá e declara a confiança
plena que tem nos atos do Senhor.
Personagens Principais
● Habacuque
– O último profeta enviado a Judá antes de cair no
cativeiro babilônico (1.1-3.19).
● Os caldeus
– Babilônicos levantados por Deus para castigar Judá
(1.6-11; 2.2-20).
Destaques
● A dor de um profeta
– A característica marcante desse profeta é o formato
do seu livro. Ele faz perguntas a Deus, recebe
respostas e depois adora o Senhor, que nem
sempre revela Seus planos, mas que sempre é
digno de confiança.
Destaques
● O problema do mal
– Habacuque coloca duas perguntas diante de Deus
e recebe respostas que certamente são diferentes
do que o profeta imaginava. As duas perguntas
estão relacionadas ao problema do mal, sendo a
primeira decorrente da outra. Diante da situação do
seu povo, Habacuque não hesitou em levar suas
dúvidas a Deus.
Destaques
● O problema do mal
Dúvida Resposta

Por que não combate O mal de Judá seria aniquilado por um


o mal? (Hc 1.2-3) mal maior, vindo dos caldeus e do império
babilônico, que dominariam Judá em 598
a.C. (Hc 1.5-11).
Por que Deus tolera o Deus governa até mesmo acima do mal
mal? (Hc 1.13) e, no devido tempo, o julgará e
estabelecerá Sua glória sobre toda a terra
(Hc 2.1-20).
Destaques
● A condenação do mal
– As repostas de Deus a Habacuque mostram que
Deus não tolera o mal, mas também não o
combate como um humano. Deus não ignora o
mal. Habacuque apresenta cinco “ais” contra a
Babilônia, pecados que atraíram o juízo de Deus
contra aquela nação.
Destaques
● A condenação do mal
Texto “Ais” contra a Babilônia
Hc 2.6-8 1. Exploração
Hc 2.9-11 2. Desonestidade
Hc 2.12-14 3. Egoísmo
Hc 2.15-17 4. Orgulho
Hc 2.18-20 5. Idolatria
Destaques
● Oração
– A reação de Habacuque às respostas de Deus é assumir o seu lugar
como criatura no plano de Deus. Assim, ele se submete ao tempo de
Deus para julgar e libertar (Hc 3.2) e se lembra dos muitos feitos que o
Senhor realizou na história. Com linguagem poética, ele faz menção do
Sinai (Hc 3.3-4), à libertação do Egito (Hc 3.5), bem como à viagem do
Êxodo no deserto (Hc 3.6-7). Refere-se também à travessia do Jordão
(Hc 3.8), à conquista da terra prometida (Hc 3.11) e à proteção contra
as nações estrangeiras (Hc 3.12-15).
Destaques
● Oração
– A oração de Habacuque se encerra comprovando a
convicção que seu debate com Deus lhe gerou.
Apesar do lamento pelo julgamento que Deus traria
sobre Judá (Hc 3.16-17), o profeta reconhece o
Senhor como seu salvador e sua fortaleza (Hc
3.18-19).
Doutrinas
● A natureza do juízo de Deus
– A fé do profeta o leva a questionar a Deus, pois, a
seu ver, os acontecimentos de sua época eram
contrários ao caráter santo de Deus.
– Habacuque crê que Deus é santo (Hc 1.12). A
santidade de Deus, aos olhos do profeta,se
manifesta de duas formas: pela disciplina contra o
mal (Hc 1.12) e pela incorruptibilidade perante o
mal (Hc 1.13).
Doutrinas
● A natureza do juízo de Deus
– Essa doutrina sólida e verdadeira do profeta forma um
paradoxo com a aparente tolerância de Deus ao mal (Hc
1.13). A resposta de Deus concilia a ação do Santo num
mundo corrompido: Deus permanece soberano sobre todos,
subjugando o mal sem abandonar Sua santidade (Hc 1.20).
– Uma consequência disso, a qual podemos aprender, é que
Deus não deve ser adorado apenas por causa das bênçãos
temporais que concede, mas pelo simples fato de ser quem
Ele é.
Doutrinas
● Justificação pela fé
– A convicção adquirida por Habacuque ao fim de seu
livro exemplifica a aplicação da fé na vivência
cotidiana com Deus, de forma que o justo viva pela fé
(Hc 2.4). Apesar da ira de Deus contra o mal, Deus
também apresenta misericórdia (Hc 3.2), de forma que
Ele, o Santo, é a salvação e a fortaleza em meio ao
mundo corrompido pelo mal (Hc 3.18-19). Os seres
humanos são salvos por meio da fé em Deus
somente, e não por meio de obras.
O Caráter de Deus em Habacuque
● Deus é glorioso: 2.14
● Deus se ira: 3.2
Habacuque e o Novo Testamento
● O justo viverá pela fé
– Em Habacuque, encontramos a fonte de um dos
versículos essenciais para a Reforma Protestante.
Habacuque 2.4 foi citado por Paulo em Rm 1.17 e
Gl 3.11; também é citado em Hb 10.38 “O justo
viverá pela fé” - essa pequena frase se tornou o
lema da reforma iniciada por Lutero e serviu como
paradigma de centralidade da fé no movimento
cristão.
Habacuque e o Novo Testamento
● A glória do Senhor
– A referência messiânica no livro de Habacuque é sutil. Em
Habacuque 2.14, lemos sobre o conhecimento da glória de
Deus difundindo-se universalmente, o que se manifesta a
partir de Cristo, “o resplendor da glória e a expressão exata
do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do
seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados,
assentou-se à direita da Majestade, nas alturas” (Hb 1.3).
Jesus é a manifestação da glória e majestade de Deus
anunciada nas palavras de Habacuque.
Aplicação Prática
A lição para o leitor de Habacuque é que é admissível questionar o que Deus
está fazendo, embora isso deva ser feito com respeito e reverência. Às vezes
não é evidente para nós o que está acontecendo, especialmente quando
somos lançados em sofrimento por um período de tempo ou se parece que
nossos inimigos estão prosperando enquanto estamos apenas sobrevivendo.
O livro de Habacuque, entretanto, afirma que Deus é um Deus soberano e
onipotente, que tem todas as coisas sob controle. Precisamos apenas nos
aquietar e confiar que Ele está trabalhando. Ele é quem afirma ser e sempre
cumpre Suas promessas. Ele punirá os perversos. Mesmo quando não
podemos ver, Ele ainda está no trono do universo.
Aplicação Prática
Precisamos manter a seguinte realidade em foco: "O
SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés
como os da corça, e me faz andar altaneiramente"
(Habacuque 3:19). Permitir-nos andar altaneiramente é
levar-nos aos mais altos lugares com Ele, onde nos
distanciamos do mundo. Às vezes o caminho que
temos que percorrer para chegar lá é através do
sofrimento e da tristeza, mas se descansarmos e
confiarmos Nele, alcançaremos o Seu objetivo para
nós.
Conclusão

Habacuque dá prosseguimento à história


bíblica em grande estilo, dando a entender que
o Deus Criador e Redentor não deixará de
fazer algo em relação à iniquidade humana,
enquanto seu povo vive em esperança,
confiando fielmente Nele.