Você está na página 1de 2

Goiânia, 06 de outubro de 2018.

Sermão sobre a viúva da Cidade de Naim


A multidão estava com ele, e vocês com quem está?

Texto: Lucas 7:11-17

INTRODUÇÃO

Jesus em suas viagens de evangelismo saindo da cidade de Cafarnaum, após ter


curado o querido servo do centurião romano, virou e disse à multidão que o seguia:
Que ficou admirado! E jamais viu fé como aquela em Israel! E ao se aproximar da
entrada da porta da cidade de Nain, se deparou com uma grande multidão que saia
para o enterro do filho único da uma viúva e então teve compaixão dela.

A COMPAIXÃO DE CRISTO

Deus não se alegra com nosso sofrimento. Deus quer nos salvar e consolar, trazendo
libertação do sofrimento. Foi por isso que ele enviou Jesus para perdoar nossos
pecados. Quem recebe a compaixão de Deus também pode ter compaixão de outras
pessoas. Todos precisam de compreensão e amor. Não podemos nos alegrar com a
dor dos outros. Onde há compaixão, há abundante amor e a ajuda ao próximo.

1. – ANDAR COM A MULTIDÃO

Voltando a pergunta que fiz no inicio, a multidão estava com ele, e vocês com quem
está? (Lucas 7:11)

Ou vocês estão com Barrabás? (Mateus 27:20)

A Palavra de Deus sempre fala para nós, hoje, sobre situações da nossa vida; fala
daquilo que vemos atualmente ao nosso redor. Vamos abrir o coração à ação do
Espírito de Deus, que tem algo a fazer dentro de nós, dentro daqueles que buscam
algo mais de Deus. A Palavra diz, em Hebreus 13:8, que Jesus Cristo é o mesmo
ontem, hoje e sempre. O que Ele pensava, falava e fazia, Ele continua pensando,
falando e fazendo hoje.

2. – TER COMPAIXÃO

A vontade do Pai pela salvação é tão “grande mais tão grande” que Jesus na cruz do
calvário depois de sofrer tanta humilhação, teve compaixão e “convida” o ladrão que
estava ao seu lado a entrar no paraíso. (Lucas 23:43)

- Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas,


como ovelhas sem pastor. (Mateus 9:36)

- Jesus teve compaixão deles e tocou nos olhos deles. Imediatamente eles
recuperaram a visão e o seguiram. (Mateus 20:34)

- Cheio de compaixão, Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Quero. Seja
purificado! (Marcos 1:41)
Goiânia, 06 de outubro de 2018.

3. – TEMER A DEUS

(pesquisa feita sobre o significado da palavra temor)

A palavra temor é comumente empregada no sentido de sentir medo de situações


desagradáveis inevitáveis, como o temor da miséria, da velhice ou o temor da morte. O
termo também pode estar relacionado com a obediência e demonstração de rigor e
pontualidade em relação a algo.

Muitos entendem de forma errada a expressão “temor do Senhor” ou “temor a Deus”.


Alguns dizem que seria ter medo de Deus. Apesar de um dos significados mais fortes
da palavra temor ser “medo”, temer a Deus não é ter medo Dele, pois o medo nos faria
fugir Dele e não aproximar-se Dele. Veja o que o apóstolo João diz a respeito do medo:
“No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo
produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.” (1 João 4:18).
Ou seja, o temor a Deus citado na Bíblia não pode significar um medo de Deus que nos
faça fugir Dele e nos traga tormento. Antes, é algo que nos aproxima ainda mais de
Deus.

Então, o que significa exatamente temer a Deus?

Temer a Deus é respeitá-lo como sendo quem é; é reverenciá-lo e obedecê-lo baseado


em toda a revelação de Sua santidade, justiça, grandeza, misericórdia, benignidade,
vontade, amor, justiça e outros milhares de ensinamentos que a bíblia trás até nós.

- Temer a Deus é adorá-lo como o único Deus. “Não terás outros deuses diante de
mim.” (Êxodo 20:3)

- Temer a Deus é tomarmos atitudes de santidade e pureza. “Tendo, pois, ó amados,


tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito,
aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (2 Corintios 7:1)

- Temer a Deus é ser fiel a Ele em qualquer situação, cultivando um coração santo.
“Deu-lhes ordem, dizendo: Assim, andai no temor do SENHOR, com fidelidade e
inteireza de coração” (2 Crônicas 19:9)

CONCLUSÃO

Concluindo, devemos andar como à multidão que seguia Jesus, absorvendo tudo que
ele ensinava, e não fazer como a multidão que seguiu Barrabás, e que o crucificou na
cruz. Devemos também ter compaixão uns pelos outros, assim como Jesus teve do
ladrão que estava ao seu lado na cruz e o convidou a entrar no paraíso. E também
devemos temer a Deus é respeitá-lo como sendo quem é; reverenciá-lo, obedecê-lo,
baseado em toda a revelação de sua santidade, justiça, grandeza e misericórdia.

Renato Teodoro de Morais