Você está na página 1de 2

A ética na computação

Introdução – O que é ética?

A evolução das técnicas computacionais e o crescimento da popularidade da informática na


sociedade tem causado o aumento das discussões sobre ética na computação. Mas o significado da
palavra ética tem confundido muitos ao ser comparado com o significado de moral. Moral é aplicada
quando se quer ditar regras de conduta a uma pessoa ou a um grupo. Ética é a ciência que estuda
as várias morais, comparando-as e verificando se são legítimas, se não são influenciadas, se
realmente são modelos de referência para a tomada de decisões.
A ética se baseia muito no bom senso pessoal para estabelecer se uma moral atende às
necessidades e desejos de um grupo/pessoa sem agredir os direitos da sociedade em volta. Essa
atitude subjetiva tem criado controvérsias, pois toda ciência baseada no senso comum é duvidosa,
porque cada pessoa pensa de um jeito e o que é “certo” para alguém pode ser “errado” para outrem.
E como é baseada nas morais, que são bem variadas, a ética não é imutável, variando com o lugar,
a época e fatores externos, deixando de ser uma ciência 100% confiável.
Para se ter uma idéia da variabilidade dos conceitos morais e éticos e para exemplificar a
diferença entre eles, analisemos o caso da pirataria de software. A moral que é oficializada pela
maioria das leis determina que este ato é anti-ético em todos os seus sentidos, enquanto em uma
comunidade que apóia o software livre, a idéia de copiar programas jamais é associada à
ilegalidade. Mas a moral que é adotada pela maior parte das pessoas é a que divide a pirataria em
duas modalidades: uma mais tênue, que envolve empréstimos inofensivos de cds a amigos e uso
remoto de programas em uma pequena rede e outra forma mais criminal, que visa o lucro à custa do
prejuízo do “proprietário intelectual” do programa.
A ética é quem define se cada uma das morais é valida no ambiente em que atuam,
determina se são boas fontes de aconselhamento na hora de fazer um escolha do tipo “copiar ou
não copiar?” e verifica se não está havendo alguma influência política ou social de alguma
organização ou grupo no estabelecimento destes conceitos. Num futuro próximo, talvez as opiniões
sejam outras e fatores tecnológicos, jurídicos, etc. podem mudar o ponto de vista ético da situação.

Ética na Informática

26/06/2009 por leopoldoberredo

“O papel do Bacharel em Ciência da Computação”. Neste painel serão focados “O Perfil do


Profissional de Informática”, “Leis e Responsabilidades”, “Regulamentação da Profissão” e é claro
“Ética na Informática”.
O Que é Ética? Ethos ética, em grego designa a morada humana. O ser humano separa uma parte
do mundo para, moldando-a ao seu jeito, construir um abrigo protetor e permanente. A ética, como
morada humana, não é algo pronto e construído de uma só vez. O ser humano está sempre
tornando habitável a casa que construiu para si. Ético significa, portanto, tudo aquilo que ajuda a
tornar melhor o ambiente para que seja uma moradia saudável: materialmente sustentável,
psicologicamente integrada e espiritualmente fecunda. Então a ética é necessária e importante? As
nações do mundo já entraram em acordo em torno de muitos desses princípios. A Declaração
Universal dos Direitos Humanos, pela ONU (1948), é uma demonstração de o quanto a ética é
necessária e importante. Mas a ética não basta como teoria, nem como princípios gerais acordados
pelas nações, povos, religiões etc. Nem basta que as Constituições dos países reproduzam esses
princípios (como a Constituição Brasileira o fez, em 1988). É preciso que cada cidadão e cidadã
incorpore esses princípios como uma atitude prática diante da vida cotidiana, de modo a pautar por
eles seu comportamento. Isso traz uma conseqüência inevitável: freqüentemente o exercício pleno
da cidadania (ética) entra em colisão frontal com a moral vigente… Até porque a moral vigente, sob
pressão dos interesses econômicos e de mercado, está sujeita a freqüentes e graves degenerações.
Ética Profissional
É consenso de muitos autores e estudiosos que ética profissional está intimamente ligada aos
princípios individuais que norteiam a conduta do ser humano diante dos fatos no seu dia-a-dia e nos
rumos que cada pessoa busca através de sua existência. Antônio Lopes, professor da USP,
apresenta o conceito bastante preciso para Ética Profissional em seu livro “Ética Profissional”. “Ética
profissional é um conjunto de normas de conduta que deverão ser postas em prática no exercício de
qualquer profissão.” Tal conduta muitas vezes torna-se algo bastante complicado pois os seres
humanos caem sobre decisões que põem em prova atitudes individualistas ou coletivistas… A todo
instante o homem está colocado em prova. Virtudes humanas são cobradas na Ética Profissional.
Honestidade, lealdade, sigilo, competência, prudência, coragem, compreensão, perseverança,
humildade, otimismo e outras qualidades são esperadas.

Ética na Informática
Mesmo sem a existência de um código de ética específico para os profissionais de informática
(chamados assim os analistas, programadores, engenheiros de software, analistas de suporte,
administradores de bancos de dados, entre outros envolvidos com a área), existem alguns aspectos
que devem incorporar aos sistemas desenvolvidos: o acesso dos usuários ao computador, com telas
de fácil manuseio e entendimento; o bem-estar nos locais de trabalho pelo adequado treinamento e
reciclagem dos funcionários; o controle e acesso de informações realizadas de forma adequada; o
envolvimento do fator humano no desenvolvimento de sistemas por computador; a noção de bem
comum com o uso do computador; a noção das modificações ocasionadas por novos sistemas e
novas tecnologias na sociedade. Não se pode deixar de colocar nesta discussão a questão da
regulamentação da profissão na área, que gera também muita controvérsia e coloca uma espécie de
camisa-de-força nos profissionais, implicando falta de piso salarial, não-determinação de jornada de
trabalho e entrada de profissionais que não realizaram cursos de computação ou processamento de
dados e estrutura sindical diferenciada para profissionais de informática, que são vinculados a
empresas prestadoras de serviços na área e a empresas de outros ramos de atividade que possuem
setores de informática. Nesta questão específica, os profissionais vinculados às empresas
prestadoras de serviços são organizados em sindicatos de processamento de dados e os demais
profissionais permanecem vinculados aos sindicatos do ramo de atividade da empresa. A área de
informática não está isenta das modificações pelas quais as organizações estão passando com
relação a processos como terceirização e reengenharia. Também, a área não está fora da “onda de
modernidade”. Estas modificações colocam novos desafios aos profissionais da área, dados os
deslocamentos físicos e de atividades, ocorridos com a implantação de redes e a conseqüente
descentralização de serviços. Inclusive, ocorre o surgimento de novos serviços e campos de atuação
profissional. Outro elemento relevante a ser considerado, que envolve a atividade profissional é a
questão da responsabilidade dos softwares desenvolvidos, que ocasionarem problemas a quem os
utiliza. Inúmeras profissões, que possuem código de ética, procuram estabelecer medidas de
proteção para os usuários, resguardando-os de possíveis problemas. Este é um elemento que tem
mobilizado uma série de pessoas ligadas à informática, tanto usuários como desenvolvedores de
software.

Fonte: Trabalho desenvolvido para o Curso de Ciência da Computação da Univerdidade Federal de


Santa Maria pelo aluno Daniel de Pellegrini Kratz.

http://espacoetico.wordpress.com/2009/06/26/etica-na-informatica/