Você está na página 1de 3

AULA I. HAVIA HISTÓRIA ANTES DA HISTÓRIA?

PROFESSOR: JOÃO PAULO LIMA BEZERRA TURMA: 6ºANO

ALUNO ( a)___________________________________________________________

Objetivos da Aula: Compreender e criticar o uso da expressão “Pré-História”.

Havia história antes da História?

A expressão “Pré-história” quer dizer anterior à História (pré = antes). Ela


indica o enorme período compreendido entre o aparecimento dos seres humanos sobre a
Terra (há mais de 5 milhões de anos) e o surgimento da escrita, que, em alguns lugares,
ocorreu no final do quarto milênio antes de Cristo. Isso significa que todo o período
anterior ao surgimento da escrita não seria considerado parte da História.

Mas por que a invenção da escrita foi escolhida como marco inicial da História?

Há cerca de 200 anos os historiadores se baseavam nos textos escritos pelos


antigos para entender seu passado. Assim, acreditavam que os povos do passado que
não possuíam escrita não poderiam ser estudados – e, portanto, não teriam uma história.
Daí criaram a expressão “Pré-História” para denominar o período em que viveram esses
povos que não dominavam a escrita.

Com o tempo, os historiadores descobriram que desenhos, moradias e


ferramentas deixados pelos povos pré-históricos também revelavam muito sobre seu
passado. Ou seja, entenderam que era possível contar sua história utilizando
documentos não escritos. Apesar disso, a expressão “Pré-História” continuou sendo
usada para definir o período anterior à invenção da escrita.

Fique ligado!

A divisão entre Pré-História e História deu origem a algumas ideias falsas. Uma
delas é a de que no período anterior à invenção da escrita a humanidade não tinha
história. A outra é a de que os povos que não desenvolveram a escrita são todos pré-
históricos – incluindo os que ainda hoje habitam diversas partes do planeta, como os
grupos indígenas brasileiros, certos povos africanos e australianos. Em consequência
disso, a expressão “Pré-História” algumas vezes é usada de forma errada, ou seja, para
qualificar povos ou pessoas como atrasados e inferiores por não terem desenvolvido a
mesma cultura e tecnologia que outros.

O Estudo da Pré-História

O conhecimento que temos do período pré-histórico se deve, em grande pare,


aos estudos feitos por alguns especialistas, como:

 Os paleontólogos que estudam o passado das sociedades humanas por meio de


vestígios deixados pelo ser humano. Além dos fósseis;
 E os arqueólogos, que estudam o passado das sociedades humanas por meio de
vestígios deixados pelo ser humano. Além dos fósseis, eles estudam objetos,
adornos, fósseis e outros documentos históricos oferecem informações valiosas
sobre a origem da humanidade, o modo de vida dos primeiros humanos e suas
realizações.

Os fósseis

A palavra fóssil quer dizer ‘tirado da terra’. Chama-se fóssil qualquer vestígio de
planta ou animal que foi preservado até os dias atuais, como ossos, dentes, contornos,
pegadas, etc.

E como se deu essa preservação? Ao morrer, a planta ou animal foi sendo


recoberto por várias camadas de sedimentos. Com o tempo, esses sedimentos se
petrificaram, permitindo a conservação de restos orgânicos e de contornos da planta ou
animal.

Há também fósseis que se conservaram no gelo e em outras matérias da


natureza, como resinas e solos. Para datar um fóssil (descobrir sua idade), os
arqueólogos e paleontólogos contam com diversos métodos.

Métodos de datação

Estratigrafia: estuda os estratos (camadas) do solo. Quando os pesquisadores


encontram um objeto durante uma escavação, eles registram o local, a posição e a
profundidade em que ele foi encontrado. Como as camadas de terra vão se sobrepondo
com o passar dos anos, é possível calcular há quanto tempo aproximadamente aquele
objeto estava ali. Quanto mais profunda a camada, mais antigos são os objetos nela
encontrados.

Carbono 14: é uma substância que está presente em todos os seres vivos. Quando uma
planta ou um animal morre, essa substância começa a se desprender lentamente. Quanto
mais antigo o fóssil, menos quantidade de carbono-14 encontrada em suas células.
Assim, basta calcular a quantidade dessa substância contida em um fóssil para saber sua
idade.

Graças à genética, é possível recuperar e analisar o DNA presente em ossos e em


ouros restos de seres vivos. A comparação entre o DNA de plantas e animais antigos e o
dos atuais ajuda a entender a evolução das espécies, incluindo a humana.

Genética: ciência que estuda os genes, partículas presentes no DNA dos seres vivos.

DNA: substância presente em cada uma das células dos seres vivos e que guarda
informações sobre eles. Cada ser vivo possui um DNA único, diferente do de todos os
outros seres vivos. A sigla surgiu da expressão deoxiribonucleic acid, em inglês;
também existe o equivalente ADN, de ácido desoxirribonucleico, em português, mas
essa sigla é menos utilizada.