Você está na página 1de 38

EXAME FÍSICO DO

APARELHO RESPIRATÓRIO

DAVYSON SAMPAIO
BRAGA
EXAME FÍSICO
• INSPEÇÃO: Estática e Dinâmica
PALPAÇÃO: Geral, Expansibilidade e Frêmito
tóraco-vocal
• PERCUSSÃO: som claro pulmonar,som
timpânico e som maciço
• AUSCULTA: Murmúrio vesicular (presente,
ausente, normal ou diminuído) e Ruídos
adventícios (sibilos, roncos, creptos e atrito
pleural)
Sistema Respiratório

Supraclavicular
Infraclavicular

Mamária

Inframamária

Prof. Camilo
Sistema Respiratório

Supra-escapular

Escapular

Infra-escapular

Interescapulovertebral

Prof. Camilo
INSPEÇÃO ESTÁTICA
• posição da traquéia, tipos de tórax, ângulo de
charpy (biotipo), abaulamentos, retrações e
alteração na pele (manchas, cicatrizes, nevus,
dreno, curativo e etc...
- POSIÇÃO DA TRAQUÉIA:
- centrada
- desviada (dizer para que lado)
INSPEÇÃO ESTÁTICA
• TIPOS DE TÓRAX:
1- chato: normal (Diâmetro látero lateral >
que o ântero posterior aproximadamente 2x)
2- tonel: enfisematoso (diâmetro ântero
posterior maior do que o látero lateral)
3- cariniforme: esterno proeminente (pode
ser de forma congênita ou raquitismo)
4- infundibiliforme: depressão da parte
inferior do esterno e região epigástrica (em geral
de natureza congênita e raquitismo) pode
comprometer a ventilação
5- sino ou piriforme: porção inferior muito alargada
causada por ascite, grávida e
hepatoesplenomegalia
6- cifótico: curvatura da coluna dorsal pode ser por
origem congênita, postura defeituos , tuberculose
óssea, osteomielite e neoplasias
7 – escoliótico: desvio lataral do segmento torácico
da coluna vertebral (tórax em S) causa congênita
8- cifoescoliótico: cifose + escoliose
9- lordótico: acentuação da coluna lombar
10- instável traumático: várias costela fraturadas e
movimentos torácicos paradoxais
TIPOS DE TÓRAX

Cifótico Infundibiliforme Cariniforme


Chato Tonel
Tipos de tórax
Tipos de tórax
Tipos de tórax

ESCOLIÓTICO Cifótico
INSPEÇÃO ESTÁTICA
• ÂNGULO DE CHARPY (BIOTIPO):
Observar o ângulo de charpy que é a junção dos
rebordos costais com o apêndice xifóide,
caracterizando o biotipo.
Â=90⁰ normolíneo
Â>90⁰ brevilíneo (pessoas + gordinhas)
Â<90⁰ longilíneo (magras e altas)
- A maioria é brevilíneo
BIOTIPO

LONGILÍNEO NORMOLÍNEO BREVILÍNEO


INSPEÇÃO ESTÁTICA
- Abaulamentos e retrações: podem localizar-
se em qualquer região do tórax. Pode ser um
aneurisma de aorta, tumor de timo ou
mediastino, derrame pleural, hipert. do VD,
atelectasia ou lesões fibróticas(depressão) e
fraturas de costelas
- Alterações de pele: manchas, pele
descamativa, cicatrizes, nevus, dreno,
curativo, cianose, edema, batimento de asa de
nariz, hipocratismo e baqueteamento digital...
INSPEÇÃO DINÂMICA
• VER FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA, TIPO
RESPIRATÓRIO (abdominal, torácico ou tóraco
abdominal), RITMO RESPIRATÓRIO,
AMPLITUDE E SE APRESENTA OU NÃO
TIRAGEM (supraclavicular e intercostal)
INSPEÇÃO DINÂMICA
• FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA: contar as
incursões respiratórias em 1 minuto
1- bradipnêico: < 12irpm, pode ser fisiológico
(no sono ou em atletas) e patológica (uso de
drogas e na hipertensão intracraniana,
depressão de centro respiratório
2- eupnêico: 12 a 20 irpm, frequência normal,
sem dificuldade respiratória
INSPEÇÃO DINÂMICA
3- taquipnêico: > 20irpm, frequência
respiratória aumentada, pode ou não vir
acompanhada de dispnéia se vinher diz-se
taquidispnéia
4- apnéia: parada respiratória
INSPEÇÃO DINÂMICA
• TIPO RESPIRATÓRIO: observa-se atentamente
a movimentação do tórax e abdome, com o
objetivo de reconhecer em que regiões os
movimentos são mais amplos.
- abdominal: principalmente em homens
- torácica: principalmente em mulheres
- toracoabdominal:
INSPEÇÃO DINÂMICA
• RITMO RESPIRATÓRIO: sucessão dos
movimentos respiratórios, é ≠ de frequência
respiratória, o ritmo normal é dado como
regular.
- cheyne-stokes:fase de apnéias seguida de
incusões respiratória até atingir o máximo, até nova
pausa causado por insuficiência respiratória, AVC que
lesa o centro respiratório ou lesões na caixa torácica
- biot: respiração de amplitude variável (anárquica),
períodos de apnéia, as causas são as mesmas da
cheyne-stokes

- kussmaul: inspirações profundas seguidas de


pausa e expirações curtas seguidas de pausa,
principal causa é a acidose metabólica causada pela
diabetes

- suspiroso:movimentos respiratórios seguidos por


suspiros, causada por ansiedade e emoção
Inspeção dinâmica
KUSSMAUL

SUSPIROSO

CHEYNE-
STOKES

BIOT
Cheyne-Stokes

Biot

Kussmaul
INSPEÇÃO DINÂMICA
• AMPLITUDE RESPIRATÓRIA: DIZER SE A
RESPIRAÇÃO DO PACIENTE É NORMAL,
SUPERFICIAL OU PROFUNDA
• TIRAGEM: dificuldade para respirar (insuficiência
respiratória) causada por uma atelectasia por ex.,
quando o paciente inspira os músculos
intercostais e os supraclaviculares entram no
momento da respiração
PALPAÇÃO
• FINALIDADE: caracterização de lesões da pele,
detectados na inspeção (estrutura da parede
torácica), avaliação da expansibilidade torácica
e pesquisa de frêmito toracovocal
• GERAL: Corre toda caixa torácica com os
dedos, verifica-se: dor, calor (sinais
flogísticos), tumoração, costelas quebradas, se
o paciente apresenta enfisema subcutâneo
(esponja)
PALPAÇÃO
• EXPANSIBILIDADE DA CAIXA TORÁCICA: serve
para ver a simetria da caixa torácica. Ver em
ápice e base.
- 1 na frente: no ângulo de charppi
- 2 nas costas: nos lobos superiores na escápula
e nos lobos posteriores abaixo da escápula
(+ 3cm)
EXPANSIBILIDADE DA CAIXA TORÁCICA
ANTERIOR
EXPANSIBILIDADE DA CAIXA TORÁCICA
POSTERIOR
PALPAÇÃO
• FRÊMITO TORACO VOCAL(FTV): É a palpação, na parede
torácica, das vibrações produzidas pelos sons vocais
transmitidos a parede, pode ser simétrico, aumentado ou
diminuído, pede-se para o paciente falar 33. pode-se fazer
com uma mão colocando de um lado e depois no lado
contrário correspondente ou com duas mãos em lados
contrários correspondentes, anterior e posterior
- FTV aumentado: consolidação dos espaços aéreos
- FTV abolido: atelectasia, derrame pelural ou penumotórax
P.S: transmissão dos sons se faz melhor em meios sólidos e
FTV no lobo superior direito é discretamente maior que no
esquerdo (ângulo do brônquio direito com a traquéia)
FRÊMITO TÓRACO VOCAL
PERCUSSÃO
• Realizar nos espaços intercostais. procura-se o
ângulo de lui e corre o dedo passando pela
segunda costela,a abaixo da costela fica o
segundo espaço intercostal que é onde iremos
percutir. Os sons encontrados podem ser:
- claro pulmonar: normal
- maciço ou submaciço: osso, tumoração,
pneumonia, atelectasia, consolidação, derrame
pelural
- timpânico: som mais forte do que o normal,
bolha timpânica, pneumotórax e enfisema
P.S: 6 pontos ant. e 7 pontos post. Pedis p/ o
paciente abraçar-se.
PERCUSSÃO
AUSCULTA
• MURMÚRIO VESICULAR: (som normal) são os
ruídos respiratórios ouvidos na maior parte do
tórax. São produzidos pela turbulência do ar
circulante ao chocar-se contra as saliências das
bifurcarções brônquicas ao passar por cavidades
de tamanhos diferentes. Pode estar ausente ou
diminuído mas nunca aumentado
• CAUSAS DE DO MV: Pneumotórax, hidrotórax,
enfisema pulmonar, obstrução das vias aéreas,
oclusão total ou parcial dos brônquicos
P.S: 6 pontos anteriores e 7 pontos posteriores
(pedir para o paciente abraçar-se)
PONTOS DE AUSCULTA POSTERIOR
AUSCULTA
• RUÍDOS ADVENTÍCIOS (ESTERTORES): anormais
- sibilos(prolongamentos): em geral são
múltiplos e disseminados por todo o tórax.,
quando ocorre um estreitamento das vias
aéreas ( causado por broncoespasmo,
pneumonia com catarro e asma)
- roncos: sons graves, ↓ freq, ocorrem na
asma brônquica, nas bronquiectasias e
obstruções localizadas
- creptações:são sons semelhantes ao atrito entre
um chumaço de cabelo ou radio fora da estação,
são pequenos estalidos e pode ser devido a
quadros de hiperinsuflação alveolar ou secreção
em vias aéreas inferiores. Quando a creptação
ocorre no final da inspiração, ou é dificuldade de
expanção ou é secreção. Para saber se é secreção
ou hiperventilação, pede-se para o paciente
respirar fundo, daí se for secreção vai melhorar.
- atrito pleural: ocorre na pleurite, os folhetos
parietais e viscerais não se deslizam e ocorre o
atrito, ruído irregular, descontínuo, mais intenso
na inspiração.
CONSOLIDA- DERRAME PNEUMOTÓ-
EXAME FÍSICO ÇÃO ATELECTASIA PLEURAL RAX
Inspeção estática Desvio da Desvio da Desvio da Desvio da
(traquéia) traquéia p/ lado traquéia para o traquéia traquéia
da lesão lado da lesão contralateral contralateral

Inspeção ↑ FR ↑ FR ↑ FR ↑ FR
dinâmica FR

1) Palpação 1) - 1) - 1) - 1)Enfisema
geral 2)↓ no lado da 2)↓ no lado da 2) Diminuída subcutâneo
2) Expansão consolidação lesão 2)↓ no lado da
3) FTV 3) aumentado 3) abolido 3) abolido lesão
3) abolido

Percussão
timpânico/ma- maciço maciço maciço timpânico
ciço

Ausculta Normal ou↓ e Não apresenta Abolido ou ↓ e ↓ ou abolido e


(murmúrio todos os ruídos nem MV nem não apresenta não apresenta
vesicular) podem estar ruídos ruídos ruídos
presentes adventícios adventícios adventícios
AUSCULTA DA VOZ
• Normal: ressonência vocal, percebe sons na
caixa torácica mas não distingui a voz
• Broncofonia: entende palavras
• Pecterilóquio: entende toda a frase
• Pecterilóquio fônico: consegue distinguir as
diferenças nos tons de voz
• Pecterilóquio afônico: não distigui deiferença
de som
• Ecofonia:som metalizado
OBRIGADO!!!