Você está na página 1de 21

Restituição / Pontos de Apoio

Fotogrametria e Fotointerpretação
Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia
Fotogrametria e Fotointerpretação

Restituição Fotogramétrica

Os processos aerofotogramétricos comportam


duas fases principais, bem distintas, que são:
a) cobertura aerofotogramétrica; e b)
restituição.

A restituição, por sua vez, consiste nas


operações de transferência de informações,
dos fotogramas, para a confecção de uma
carta ou planta topográfica de uma região ou
trecho dela.
Fotogrametria e Fotointerpretação

Restituição Fotogramétrica

Pontos de apoio: O primeiro passo


para se efetuar a restituição será o
levantamento planialtimétrico
(processos topográficos ou GPS) de
uma rede, suficientemente densa, de
pontos de controle (os chamados
pontos de apoio), que sejam
facilmente identificáveis nas
fotografias aéreas. Estes pontos
deverão estar, preferencialmente, ao
nível do solo ou não muito acima dele.
Fotogrametria e Fotointerpretação

Restituição Fotogramétrica
Fotogrametria e Fotointerpretação

Restituição Fotogramétrica
Fotogrametria e Fotointerpretação

Restituição Fotogramétrica
As operações necessárias para se confeccionar uma
mapa são:
1.eliminação dos deslocamentos da imagem devido ao
relevo;
2.compensação da escala geral de cada fotografia em
relação à escala do mapa. A escala não deverá ser muito
diferente da escala aproximada das fotografias aéreas;
3.correções dos deslocamentos das imagens devidos à
inclinação lateral e longitudinal;
4.determinação da orientação real das fotografias:
rotação azimutal;
5.ligação da área do mapa que será confeccionado a um
sistema de coordenadas.
Fotogrametria e Fotointerpretação

Restituição Fotogramétrica

Restituição Analógica: Tem como função criar um


modelo óptico, semelhante ao campo fotografado,
por observação estereoscópica, e transformar esse
modelo em desenho representativo (planta, carta
ou mapa).
O princípio utilizado é o de recriar condições
semelhantes à tomada dos fotogramas, de forma a
localizar por analogia, as posições reais (em planta
e elevação) dos detalhes existentes no terreno.
Restituidores ópticos; óptico-mecânicos; e
mecânicos.
Restituição Fotogramétrica Fotogrametria e Fotointerpretação
Restituição Fotogramétrica Fotogrametria e Fotointerpretação
Restituição Fotogramétrica Fotogrametria e Fotointerpretação
Fotogrametria e Fotointerpretação

Levantamento de Pontos de Apoio

1. Pontos de Controle em Fotogrametria


Objetivo: localizar pontos no campo que possam ser identificados
nas fotografias aéreas.

Ponto no terreno: coordenadas 3D (datum horizontal e vertical).

Pontos de apoio horizontal Pontos de apoio vertical

Os trabalhos de campo necessários para obtê-los são realizados em


duas fases: controle básico e controle da foto.
Fotogrametria e Fotointerpretação

1.1 Seleção e Localização de Pontos de Controle


nas Fotos
Feito geralmente após a tomada das fotografias, devendo satisfazer
dois requisitos:

1) Ser nítidos, bem definidos e identificáveis nas fotografias; e


2) Estar em locais favoráveis e bem distribuídos nas fotografias.
Fotogrametria e Fotointerpretação

A quantidade de pontos e sua localização nas fotografias depende da


finalidade do trabalho (quanto maior o n° de pontos maior a confiabilidade
e precisão).

Ex: Para a restituição de um estereopar são necessários 2 pontos


planimétricos e 3 altimétricos.

Vertical
Horizontal
Fotogrametria e Fotointerpretação

Orientação exterior: mínimo de 3 pontos de controle.

Mapeamento topográfico: mínimo de 2 pontos planimétricos (fixam a


escala) 3 altimétricos (estabelecem o datum a cima do qual as elevações
são medidas)
Fotogrametria e Fotointerpretação

1.2 Sistema de coordenadas de Terreno para


controle horizontal
Para estabelecer o controle horizontal geralmente trabalha-se com
estações da rede básica nacional.

Coordenadas plano-retangulares Coordenadas Geodésicas

1.3 Datum vertical


Superfície adotada: nível médio dos mares
Fotogrametria e Fotointerpretação

1.4 Controle Fotográfico

São pontos localizados no terreno que podem ser identificados nas


imagens.

Suas posições são determinadas através de operações de campo.

Controle horizontal: desenvolvimento de poligonais, triangulação,


trilateração, interseção...

Controle vertical: operações de nivelamento.


Fotogrametria e Fotointerpretação

Poligonação: consiste na medida dos ângulos e distâncias sucessivas


com origem em um ponto de coordenadas conhecidas.

Triangulação: consiste na medida de todos os ângulos entre estações


intervisíveis.

Trilateração: ao invés de medir os ângulos, todas as distâncias


horizontais é que são medidas
Fotogrametria e Fotointerpretação

Posicionamento por GPS: quase que a totalidade dos pontos de controle


são levantados com esta técnica.

Métodos de campo para estabelecer o controle fotográfico vertical:

Nivelamento Geométrico: baseia-se na diferença de leituras sobre miras


graduadas e utilizando níveis.

Nivelamento Trigonométrico: baseia-se na medida de ângulos verticais e


as distâncias inclinadas entre as estações.
Fotogrametria e Fotointerpretação

1.4.1 Pré e Pós- marcação dos pontos de controle


Fotográfico
Usualmente os pontos de controle fotogramétricos são escolhidos
após a tomada das fotografias.

Vantagem: melhor identificação, distribuição e localização destes


pontos.

Em certas circunstâncias é preciso marcar pontos no terreno antes da


tomada da fotografia, utilizando alvos.

Densos padrões de florestas com cobertura sólida, inviabilizam a escolha


de pontos na imagem.
Fotogrametria e Fotointerpretação

Pré-sinalização

1:2000 > alvo de 10cm no terreno

1:10.000 > alvo de 50cm no terreno


Fotogrametria e Fotointerpretação

Referências Bibliográficas
SANTOS, Daniel. Fotogrametria II - Curso de Engenharia Cartográfica – UFPR

DALMOLIN, Quintino. Projeto Fotogramétrico. Imprensa Universitária da UFPR.


Curitiba 1999.