Você está na página 1de 45

COMISSÃO DE LOUVOR

NOÇÕES GERAIS
SOBRE O LOUVOR
DA IGREJA

ICMPES - Janeiro de 2000


NOÇÕES GERAIS SOBRE O
LOUVOR DA IGREJA

TEXTO BÁSICO: ÊXODO: 15: 1,20,21,22

OBJETIVOS:

“ APERFEIÇOAMENTO DO LOUVOR”

“CARÁTER DO LOUVOR”
A ORIGEM DO LOUVOR
Aperfeiçoar o louvor na obra, engloba, além
do aperfeiçoamento dos conheci- mentos
técnicos de música, resgatar o louvor na sua
origem.

O louvor original traz consigo uma série de


características que passam a ser o seu
cartão de identificação.

Só entra na eternidade o que vem da


eternidade.
A atuação do louvor na
sua origem
O louvor expressa uma experiência de um
servo, podendo ser pessoal ou para a igreja.
Não adianta cantarmos “Tudo ó Cristo a ti
entrego...” se tivermos reservas com um irmão
e com o Senhor.

Existem louvores que exprimem o momento


profético que a igreja vive:

O Cântico de Moisés, expressa a saída do povo


do Egito.
A atuação do louvor...
Castelo Forte, expressa o redescobrimento
do tesouro escondido, a palavra do Senhor.
Hino composto por Martin Lutero, em 1529,
quando este esteve abrigado em um castelo
na Alemanha, após a tradução da Bíblia.

A maior parte dos nossos louvores, falam da


eternidade e adoração pela volta de Jesus.
A duração do louvor
O louvor revelado tem a característica de
permanecer através dos tempos (será
levado para a eternidade). Cantamos
louvores de 1300, 1500 d.C., que
ultrapassam gerações com a mesma
intensidade de quando foram compostos.
Ex.: Castelo Forte, Ao Deus de Abraão
louvai...
Características dos louvores

RITMO

TOM ANDA-
MODO MENTO

LETRA
INTENS.
HARMO- DAS
NIA BATIDAS

MELODIA
Características dos louvores

Sl.118:1-4 (Cântico alternado) - “Louvai ao


Senhor, porque ele é bom, porque sua
benignidade dura para sempre. Diga agora
Israel que a sua benignidade dura para
sempre. Diga agora a casa de Arão que a
sua benignidade dura para sempre. Digam
agora os que temem ao Senhor que a sua
benignidade dura para sempre.”
Características dos louvores
Sl.24:3-5 (Cântico responsivo) - “Quem
subirá ao monte do Senhor, ou quem estará
no seu lugar santo? Aquele que é limpo de
mãos e puro de coração, que não entrega a
sua alma à vaidade, nem jura
enganosamente. Este receberá a bênção do
Senhor e a justiça do Deus da sua salvação.”
A MELODIA
É o que nós cantamos na igreja. A melodia
destaca-se dentre todas as características do
louvor por ser o veículo de identificação do
mesmo. Se estivermos em Portugal ou no
Japão e ouvirmos a melodia de “Cantarei,
cantarei hosana...”,(Viva o Rei), ainda que em
outra língua, saberemos qual louvor está
sendo cantado/tocado.
A MELODIA
Melodias graves - geralmente exprimem
súplica, respeito, como nos louvores de
invocação, ex.:”Quando buscamos..., Clamo
a ti..., O sangue de Jesus tem poder...’’ -
começam a ser cantados sempre numa
região média ou grave. Quando vão para a
região mais aguda tem o objetivo de ressaltar
alguma frase do louvor.
A MELODIA
Melodias agudas - transmitem, normalmente,
algo alegre ou celestial. Costumam expressar
a eternidade. Exemplo: ’’Cantarei, cantarei
hosana...” começa na região média e sobe
para o agudo, expressando o nosso louvor.
No coro, a expressão do louvor dos anjos na
eternidade é toda realizada com melodia
aguda.
A MELODIA
Diferença do coro para as estrofes - quando em
determinado momento do louvor, as melodias
agudas aparecem em contraposição em melodia
de caráter constante na região grave ou média,
tem a função de destacar aquela parte do louvor,
chamar a atenção para ela. Ocorre, normalmente,
no coro, onde se quer fazer um apelo, afirmar ou
ratificar a idéia central do louvor. Ex.: Por onde
quer que eu vá - a melodia aguda destaca o apelo
que existe no coro: “Queres ser feliz?”
A MELODIA
Isto acontecerá em todos os hinos por causa da
sua origem. Os hinos se originaram do canto
alternado descrito na Bíblia. Na saída do povo do
Egito, Moisés, junto aos filhos de Israel, entoa um
cântico ao Senhor - Ex. 15:1 - enquanto Miriã, com
as mulheres, lhes respondiam também cantando.
Foi o primeiro hino, com uma exposição da idéia
central e uma resposta em forma de apelo. Para
enfatizar esse apelo, usou-se, neste caso, a voz
das mulheres, que é diferente da voz masculina.
A MELODIA
Neemias também usa este canto alternado
quando da reconstrução dos muros de Jerusalém
utilizando cantores e cantoras (Nee. 7:67). O
salmo 118 fala do canto alternado das
congregações (Salmo 118: 2-4). Este canto é
trazido para nós hoje nas formas dos hinos, onde
ocorre uma diferença percebida das estrofes para
o coro, porque:
- a estrofe pode expressar uma pergunta enquanto
no coro uma resposta (O Senhor da ceifa está
chamando);
A MELODIA
- a estrofe pode expressar uma idéia ratificada
pelo coro (Fala Jesus querido)
- a estrofe pode expressar uma idéia e trazer no
coro um apelo (Por onde quer que eu vá; Cristo já
nos preparou)
- a estrofe pode expressar uma idéia e o coro algo
que a complete ou explique (Buscou-me com
ternura; Eu me lembro quando Jesus me tocou).
Por isso, normalmente os coros são cantados com
mais intensidade.
A MELODIA
O hino não precisa estar necessariamente na
forma estrofe/coro. Pode haver, por ex.:
pergunta e resposta em hinos com estrofes: Ex.
Castelo Forte (na própria estrofe traz a idéia e a
pergunta (apelo). Os que confiam no Senhor (a
1ª estrofe a idéia central e a 2ª o complemento
da primeira).
TONALIDADE
A nossa música é tonal, utilizando o tom
do louvor, (altura em que vamos cantá-lo:
Do, Re, Mi...), acompanha- do do modo
Maior ou Menor na sua composição.

Exemplo: “Obra de Davi” - Do M

Tom= Do

Modo= M
O MODO MAIOR
Expressa:

1- Solenidade-”Saudai o nome”
2- Alegria- “Cântico de Ana”
3- Vitória- “Castelo Forte”
4- Adoração- “Na expressão deste louvor”
O MODO MENOR

Expressa:
1- Súplica- “Clamo a ti”
2- Necessidade- “Os que confiam no
Senhor
3- Descrição do que Jesus sofreu por nós
- “Seu corpo cansado...”
4- Consolo- “Quem me dá água...”
HARMONIA
Harmonia - são dois ou mais sons diferentes
ouvidos ao mesmo tempo, produzindo um
acorde. Ex.: A base do violão ou as vozes
cantadas juntas em um grupo de louvor
(soprano, contralto, tenor e baixo). A
harmonia de um louvor obedece a tonalidade
da música. “Suba a minha oração perante a
tua face...” (do fa- mi- la-).
INTENSIDADE DAS BATIDAS
Intensidade das Batidas nas Cordas do Violão -
existem louvores suaves e outros mais incisivos
e a intensidade das batidas caracteriza também
os louvores. Exemplos:
“Cada Instante” - ritmo Valseado, de caráter
suave. A leveza traduz a sensação agradável
da presença do Senhor.
“Os guerreiros...”- Marcha, batidas incisivas e
precisas como acompanhando uma marcha de
soldados.
ANDAMENTO
É a velocidade da música. A música
obedece a uma velocidade determinada.
Assim são definidos os andamentos:
Lento;
Moderato e
Rápido.
ANDAMENTO
Exemplo de andamento no ritmo Básico:
a) Lento - ”Uma voz mansa e delicada...”(72)
b) Moderato - ”Lindo, lindo, lindo...” (552)
c) Rápido - ”Há um lindo país...” (551).
ANDAMENTO
Exemplo: “Abba Pai...” - é um louvor de
invocação ao Senhor para uma operação
em nossas vidas. É tocado no ritmo
Guarânia, que é um ritmo marcado. Torna-
se suave quando tocado em andamento
lento e com intensidade das batidas
amenas ou brandas.
RITMO
Pode-se tocar um louvor em vários ritmos.
Exemplo: “Saudai o nome...” pode ser
tocado em Valsa ou Valseado. Ocorre que
para cada ritmo existe um compasso
determinado.

Definimos o ritmo, principalmente, pelo


compasso da música.
RITMO
Os compassos são seqüências de pulsações
ordenadoras do louvor, que se iniciam com um
apoio preponderante.
São classificados pelo nº. de tempos.
A) Primitivos-binários (2tempos:2/4,2/2) -caráter
marcado, incisivo, ex.: Marcha
- ternários - ( 3tempos 3/4 ) - leve,
gracioso/Valsa.
B) Derivados - deriva de 2 compassos primitivos.
São mais suaves 4/4,6/8, 9/8.
O RITMO E SUAS
CARACTERÍSTICAS PRÓPRIAS
1 - Valsa - compasso 3/4, ritmo gracioso.
Originou-se na Alemanha e Áustria no final
do séc. XVII. Ex. ”Saudai o nome...” é
gracioso e marcado. Sugere uma
solenidade festiva. Se tocado em
Valseado, suaviza tanto o louvor que
perde o caráter majestoso.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
2 - Valseado - compasso 9/8, caráter
suave.

Exemplo: “Cada Instante” se tocar em


Valsa ou Guarânia, o ritmo fica mais
marcado, perdendo a suavidade e
comunhão do louvor.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
3 - Guarânia - compasso 3/4, ritmo
paraguaio, criado para execução por
bandas militares. Popularizou-se graças
às letras nostálgicas colocadas em sua
música. No Brasil passou a ser chamada
“música caipira e, mais tarde “música
sertaneja”. De caráter marcado.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
4 - Balada - compasso 6/8. Poema narrativo,
de caráter simples, melancólico ou
romântico. Caráter suave.

5 - Blue - compasso 6/8. Origem americano.


Ritmo lento e melancólico, tendo surgido nas
canções dos negros norte-americanos
enquanto trabalha- vam nas plantações.
Cantavam trechos bíblicos.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
6 - Country - compasso 2/4. Música de
origem folclórica e rural dos países anglo-
saxões. De caráter marcado e incisivo.
7 - Marcha - compasso 2/4. Ritmo marcado,
incisivo, masculino. Feito para acompanhar o
movimento dos passos dos soldados. De
movimentos precisos. Pode aparece no
compasso 4/4.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
8 - Marcha Marcial - compasso 4/4. Ritmo
solene, marcado, de movimentos precisos.
Próprio para a guerra.

9 - Básico - compasso 4/4. Origem nos


Estados Unidos. De caráter suave.

10- Repique - compasso 4/4. Ritmo animado.


Semelhante ao Básico, só que bem rápido.
Andamento: rápido.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
11- Toada - compasso 4/4. Cantiga de
melodia simples, sentimental ou brejeira.
Caráter suave, leve.

12- Canção - compasso 4/4. Ritmo


poético, de estilo simples. As primeiras
que se tem notícia eram gregas e
persistiram por muitos séculos,
manifestando-se através de diversos
compositores.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
13 - Fox - compasso 4/4. Ritmo animado,
com acentuação no 2º e 4º tempos
Popularizou-se nos EUA nas décadas de
1939 e 1940.

14 - Fox Abafado - compasso 4/4.


Mesmas características do Fox, porém
com abafamento.
RITMO/CARACTERÍSTICAS
15 - Swing - compasso 2/4 ou 4/4.
Popularizou-se na década de 1930, sendo
uma variação do Jazz.

16 - Novo - compasso 4/4. Ritmo


animado, originado no Brasil, no final dos
anos 50, também chamado de Bossa
Nova.
LETRA
É através da letra que teremos a
convicção da expressão do louvor, e
poderemos enquadrá-lo adequada-
mente nas suas características.

Analisa-se todo o conjunto de


características do louvor tendo por base a
Letra.
LETRA
1. O louvor “O meu amado desceu ao seu
jardim...” expressa a experiência de um
pastor que teve este louvor dias antes de
falecer. O amado (Senhor) desceu ao seu
jardim para colher os lírios, (colher a vida do
pastor).

Esse consolo é definido, principalmente pelo


tom menor e tocado mais devagar.
LETRA
2. O louvor “Eu tenho um amigo...” expressa
a experiência de uma criança de 8 anos que
redigiu uma Redação sobre seu melhor
amigo - Jesus. A sua professora da igreja
colocou a música. É definido pelo ritmo
alegre (Novo) e pelo tom maior (ReM).

O andamento deve ser moderato,


expressando a alegria de ter um Amigo
Perfeito.
LETRA
Me s m o s e m s a be r a e x p e riê nc ia d o lo uvo r,
p e la Le tra c o lo c a re m o s s ua s c a ra c te rís tic a s :

1.”Se a fé por vezes falta...” - expressa uma


imensa necessidade, uma aflição. Não deve
ser tocado num ritmo animado como o Fox e
sim, mais suave como o Básico (como é o
seu original). A sua característica de louvor
de consolo e encorajamento pelo ritmo certo.
LETRA
2. “Confio em Deus” - são as mesmas
observações anteriores.

3. “Deixou o esplendor de sua Glória” -


expressa a morte e ressurreição do Senhor
Jesus. Exprime respeito, formalidade,
reverência. Não deve ser tocado num ritmo
animado como Fox ou Swing, mas sim numa
Guarânia, (original), suavizado pelo
andamento lento e suave.
ALGUMAS EXPERIÊNCIAS DE
LOUVORES
1. Hoje o Senhor derramou - o irmão sonhou
com um anjo tocando o louvor e uma irmã
cantando.

2. Senhor meu Deus - em 1886 um pastor


sueco, após contemplar uma tempestade
seguida do reaparecimento do sol e arco-íris,
escreveu um poema que veio resultar neste
hino.
3. Tu és fiel - o autor da letra deste hino
composto em 1923, nasceu nos EUA e lutou
com dificuldades para obter um diploma e,
apesar disso, veio a ser professor, jornalista e
poeta. Viveu apenas 37 anos.

4. Meu pecado resgatado - composto entre 1840


a 1908. O seu autor cantava louvores na Igreja.
Ele ensinou que: “antes de cantar eu preciso
sentir; e o hino deve ser de tal qualidade que eu
saiba que posso comunicar a cada coração que
me ouve, todo o meu sentimento.”
5. Se paz a mais doce - composto entre 1828-1888,
este hino foi escrito depois que o seu autor, nascido
em Chicago, após sofrer um incêndio que destruiu
todos os seus bens, sofreu também um naufrágio
em que pereceram quatro filhas, salvando-se
apenas sua esposa. O navio chamava-se “Ville de
Havre”, nome dado ao hino (Sou feliz).

6. Eis mensagem do Senhor - composto entre 1841-


1897. O autor era um judeu que se converteu ao
Senhor, sofrendo toda a sorte de pressões e
humilhações por causa disto. Mesmo assim,
resolveu ser missionário, levando a palavra de
Deus.
COMISSÃO DE LOUVOR

Janeiro/2000
ICMPES

Informações:
E-mail: cm_louvor@mail.com

Direitos Reservados - ICMPES