Você está na página 1de 17

Eu lhes trago

melhora e cura
Gerência geral: Adamir Ferreira
Capa: Márcio Mendes
Preparação e revisão: Ivete Batista dos Santos
Diagramação: Editora Canção Nova
Organização: Márcio Mendes
Imagem: iStock/ Cecilie_Arcurs

Este livro segue as regras da Nova Ortografia da Língua Portuguesa.

Editora Canção Nova


Rua João Paulo II, s/n – Alto da Bela Vista
12 630-000 Cachoeira Paulista – SP
Tel.: [55] (12) 3186-2600
E-mail: editora@cancaonova.com
loja.cancaonova.com
Instagram: @editoracancaonova

Todos os direitos reservados.

ISBN: 978-85-5339-152-3

© EDITORA CANÇÃO NOVA, Cachoeira Paulista, SP, Brasil, 2019


Pe. Rufus
Márcio Mendes (org.)

Eu lhes trago
melhora e cura
Sumário

Eu lhes trago melhora e cura.............................................. 7


Forte presença de Deus......................................................... 15
Vou curá-lo agora...................................................................... 19
A oração tem poder de cura................................................ 21
Cura e libertação: ministério de amor........................... 27
Os 6 segredos revelados......................................................... 33
A importância da palavra de ciência na oração de
libertação ..................................................................................... 39
Uma palavra aos que oram por libertação .................................. 44

Os ataques do Inimigo.......................................................... 47
A luta contra o poder das trevas.................................................. 49
De onde vêm esses ataques?........................................................ 57
Como o ataque acontece?........................................................... 61

Crê e serás salvo......................................................................... 65


Tudo se torna possível para quem tem fé.................................... 67
O homem que vivia como um porco............................ 71
Jesus quer que você tenha a vida eterna........................ 79
O processo de cura interior................................................. 83
Os 3 bloqueios que impedem a cura e a libertação 87
Ministério de Libertação: o ministério de Jesus....... 97
Diga qual é o seu problema................................................. 101
Autoridade para pregar e poder para fazer as obras do
Espírito ......................................................................................... 105
O obstáculo de dentro e o obstáculo de fora............. 109
Eficácia salvadora...................................................................... 113
Nascer de novo pela força do Espírito Santo............. 117
A Eucaristia tem poder de curar....................................... 123
Em nome de Jesus, levanta-te..................................................... 125
Cura da ferida na boca............................................................... 130
A Eucaristia liberta da opressão diabólica.................................... 130

Eu te ajudarei agora................................................................. 139


Eu lhes trago
melhora e cura

S empre que uma pessoa se aproxima de Jesus, ela ex-


perimenta melhora e cura. O Evangelho testemunha
continuamente essa verdade. O Senhor jamais despediu
de mãos vazias os necessitados que dele se aproximaram.
Mateus conta que Jesus tinha apenas uma palavra aos que
sofriam. Era sempre uma palavra de cura e libertação:
“Pela tarde, apresentaram-lhe muitos possessos de demônios.
Com uma palavra, expulsou ele os espíritos e curou todos os
enfermos.” (Mt 8,16)
Jesus veio socorrer, no mundo, a multidão de pessoas
oprimidas por Satanás e esmagadas sob o fardo de doen-
ças e tristezas. Veio com o objetivo de destruir as obras
do diabo e colocar fim ao jugo demoníaco que aprisiona
cada homem e mulher.

7
Eu lhes trago melhora e cura

Hoje, ainda existem muitas pessoas que ignoram a


existência e a ação do obstinado inimigo de Deus, cha-
mado Satanás. São Paulo afirma de modo inequívoco que
esse adversário infernal exerce um certo domínio sobre
este mundo. É preciso combatê-lo. É preciso ter visão
espiritual para compreender que nossa luta de todos os
dias não é contra homens de carne e sangue, e sim contra
o Maligno e seus espíritos diabólicos que nos rondam
incessantemente em busca de oportunidades para nos
destruir.
Pouco se ensina atualmente sobre esse mundo so-
brenatural, sobre as realidades invisíveis que nos cercam,
e sobre os ataques espirituais que sofremos — ataques
esses cuja origem em grande parte ignoramos. Mesmo
entre os cristãos, há pessoas que não creem na existên-
cia do Maligno. Em seus ensinamentos, o padre Rufus,
exorcista de grande experiência, conta vários relatos de
libertações, curas e exorcismos, com a intenção de nos
mostrar que Deus é infinitamente maior que todo o mal.
O Pai do Céu pode e quer nos livrar desse inimigo que,
apesar de não se apresentar de modo visível porque é um
ser puramente espiritual, age muito contra todos.
No Antigo Testamento, Eliseu passou por uma si-
tuação de grande perigo de morte. Estava sendo caçado

8
Pe. Rufus

como inimigo de guerra pela nação vizinha. E, certo dia,


ao amanhecer, seu empregado depara com um exército
ao sair da tenda. Estavam cercados. Nada havia a fazer.
O caso estava perdido aos olhos humanos, mas não aos
olhos de Deus.
Eliseu faz uma oração importantíssima em que pede
a Deus a visão espiritual para o seu criado, que estava
desesperado: “Senhor, abre-lhe os olhos para que veja!” (II
Rs 6,17). E, atendendo a esse pedido, Deus faz com que
o servo de Eliseu veja que à sua volta havia um número
incomparavelmente maior de combatentes em seus carros
de fogo. Era o socorro espiritual, invisível mas real.
Essa é a oração que precisamos fazer por nós mesmos
e também uns pelos outros, pois estamos rodeados por
forças que desconhecemos. A humanidade vive um mo-
mento dificílimo em que a descrença parece prevalecer
e o Demônio aparenta ser vitorioso. Por todos os lados,
vemos famílias destruídas, separações, abortos; deparamos
com jovens sem perspectiva de futuro e com vidas sem
sentido. É como se uma nuvem entorpecente de egoísmo,
de busca do prazer a qualquer custo, de vícios que cres-
cem e se multiplicam mais e mais pairasse sobre a nossa
sociedade a ponto de muitas pessoas desenvolverem um
certo ódio ao que é sagrado. Há aqueles que nem mesmo

9
Eu lhes trago melhora e cura

suportam ter diante dos olhos o crucifixo, uma vez que


tomaram aversão aos sinais da presença de Jesus Salvador,
vencedor do Inimigo.
O Espírito Santo quer nos libertar dos artifícios de
Satanás e fazer nossa reconciliação com Deus. Ele quer
abrir nossos olhos, para que possamos ver, não somente
o mal que nos ronda mas, sobretudo, a ajuda enviada
da parte de Deus para nos levar a superar qualquer difi-
culdade. Ele quer que nos libertemos, que a nossa vida
melhore e que recebamos a cura.
Quando os nossos olhos são abertos pelo Espírito
Santo, podemos ver, em tudo o que nos acontece, de
alegre ou triste, a mão de Deus a nos livrar, sustentar
e conduzir.
Enquanto pedia a Deus que abrisse os olhos de seu
servo para que visse que aqueles que estão em nosso favor
são muitos mais do que os que vêm contra nós, Eliseu
estava cercado por soldados inimigos. Eles avançavam
contra ele com cavalos e carros fortificados. Mas, em vez
de se deixar esmagar por aqueles carros de guerra, Eliseu
pede a intervenção de Deus, e convence seus inimigos a
lhe darem uma carona. Aquilo que veio para destruí-lo
agora serve para carregá-lo.

10
Pe. Rufus

Tudo o que acontece conosco pode se tornar um ins-


trumento para Deus nos levar aonde precisamos chegar,
desde que saibamos usar esses acontecimentos. Por outro
lado, a mais leve dificuldade pode ser um peso esmagador
se a tratamos apenas como um fardo.
Um casamento pode ser um fardo insuportável ou a
maior e mais feliz aventura da vida de uma pessoa. Um
namoro que terminou ou uma empresa que fechou as
portas pode ser motivo de depressão ou pode ser também
uma valiosa oportunidade para recomeçar. Tudo depende
do modo como enfrentamos essas coisas que nos atingem.
Uma pessoa que caminha para Deus mas não afasta
de si as preocupações exageradas ou não quer abrir mão
dos próprios erros, vícios e pecados porque continua
afeiçoada a eles, caminha como quem empurra um carro
montanha acima. Muito se esgota e pouco avança.
Cabe a nós escolhermos o que cada circunstância será
em nossa vida e como nos afetará. Tudo depende não
dos acontecimentos em si, mas de como os recebemos e
como reagimos a eles.
Se nos deixarmos abater diante dos problemas, difi-
culdades e sofrimentos e permitirmos que nos esmaguem,
eles se tornam um tanque de guerra que passa por cima
de nós e de tudo o que amamos. No entanto, se apro-

11
Eu lhes trago melhora e cura

veitarmos as tribulações em nosso favor e as tratarmos


como um vencedor que desfila em cima de um carro de
combate, se fizermos com que elas nos carreguem e nos
façam avançar para a frente e para o alto, elas serão, para
nós, instrumentos nas mãos de Deus.
Não desista por causa das dificuldades. Se você não
lutar, será impossível que vença em qualquer campo que
seja: material, emocional ou mesmo espiritual. Deus não
pode fazer muito com alguém que desiste e cai desanimado.
É por essa razão que o Inimigo de Deus procura sempre
levar o homem e a mulher ao desespero e ao sentimento
de que nada podem fazer para mudar as situações. O
Maligno sabe que um exército desanimado já chega na
batalha derrotado. Para os desanimados, o combate ainda
não começou e já foram vencidos.
Há enfermidades físicas que têm suas raízes no ínti-
mo da pessoa. Não é raro que pessoas adoeçam quando
perdem a esperança. A perda da esperança seria algo como
um “desmaio espiritual”. E, quando o espírito desmaia,
o corpo se ressente e desfalece também.
Precisamos entender melhor esses ataques espirituais
do Inimigo, para aprender como nos proteger e resistir
a eles. Frequentemente, se o Tentador não consegue nos
arrancar das coisas de Deus, se ele não consegue nos tirar

12
Pe. Rufus

do bem, então, ele faz de tudo para nos esgotar por meio
de uma tentação ou perseguição prolongadas, a fim de
que, pelo abatimento, desistamos de vencer e paremos
de lutar. Precisamos aprender com Jesus o que devemos
fazer em vista desse assédio.
Nas próximas páginas, você terá acesso a ensinamentos
muito simples e poderosos. Você compreenderá o que
são esses ataques do Inimigo, como eles acontecem, o
que devemos fazer para nos proteger deles e como nos
livrar de males que já nos atingiram. São ensinamentos
que funcionam. Eles são capazes de nos conduzir a uma
profunda libertação, bem como a uma experiência emo-
cionante do amor de Deus que nos cura. Trata-se de um
caminho simples e profundo que trará amor, alegria e
paz para sua vida.
Só precisamos de olhos abertos para ver que a vida
é mais forte que a morte e que há mais pessoas pelo
bem, ainda que discretas, do que pelo mal. Precisamos
de olhos abertos para ver que Deus não desiste de dar a
vitória a quem não desiste de lutar e que há um socorro
do céu à nossa espera para nos fazer vencer mesmo nos
momentos mais difíceis.
É uma graça e um privilégio mergulhar nos ensi-
namentos do padre Rufus presentes em suas pregações,

13
Eu lhes trago melhora e cura

testemunhos e orações. Pessoalmente, sou testemunha de


seu amor por Deus e da força do Espírito Santo que se
manifesta por meio de sua oração. Vi muitas libertações
acontecerem enquanto ele pregava com doçura e sim-
plicidade o Evangelho. Muitas pessoas descobriram que
são amadas por Deus e foram resgatadas de uma vida de
trevas por Jesus através do seu ministério de pregação e
exorcismo. É grande o bem que espera por você em cada
uma das próximas linhas.

Márcio Mendes

14
Forte presença de Deus

A primeira vez que eu estive na Canção Nova foi em


1999, final do segundo milênio. O que eu vi com
meus próprios olhos foi algo em que não consegui acre-
ditar. Disseram-me que o encontro seria em um estádio,
naquela época um lugar onde cabiam 10 mil pessoas. Eu
pensei: “como conseguem juntar tantas pessoas?” O encontro
começou e o rincão, como costumam chamar o local, ficou
cheio, e isso não é o final. Quando vim pela segunda vez,
me disseram que estavam construindo um estádio maior,
e me pediram para abençoar o terreno. Quando vi aquele
terreno enorme, pensei: “como eles vão conseguir encher isso
de gente?” Anos depois, quando fiz o primeiro encontro
nesse novo estádio, eu não consegui acreditar em como
estava tão cheio. No ano seguinte (eu me lembro muito
bem desse ano também, porque aconteceram lindos casos
de cura e libertação naquele período), chegaram a passar

15
Eu lhes trago melhora e cura

por ali 250 mil pessoas. Depois, me disseram que todo o


encontro foi transmitido pela TV para mais de 7 milhões
de pessoas. Eu já participei de encontros em mais de
70 países, já preguei em grandes conferências nacionais
e internacionais, mas eu nunca vi tanta gente reunida
como na Canção Nova. Deus nos aplaude por isso. Eu
sei que sim, porque eu e Deus somos bons amigos, nós
nos entendemos bem.
Então, não sei como expressar minha alegria e meu
prazer em ver tudo o que acontece na Canção Nova, por
ser a expressão de renovação carismática mais respeitada
e mais frequentada do mundo inteiro. Brasileiros devem
se orgulhar de serem brasileiros, o maior país católico do
mundo! Devem se orgulhar de ter em seu país a Canção
Nova, com um Centro de Evangelização enorme para
evangelizar o mundo inteiro.
Deus usa as pessoas para realizar o seu trabalho. As-
sim como Jesus escolheu Pedro para iniciar a sua Igreja,
o padre Jonas foi escolhido para iniciar a Canção Nova e,
junto com ele, outros padres. Deus também usa os leigos.
Jesus mandou os 12 apóstolos, mas também enviou os 72
discípulos. Padre Jonas não teria condições de fazer tudo
isso que fez, se não tivesse a ajuda dos leigos — como

16
Pe. Rufus

Eto e sua esposa Luzia e todos os leigos maravilhosos


dessa missão.
Sempre agradeço a Deus por ter colocado ao meu
lado pessoas dispostas a ajudar a evangelizar! Agradeço a
Deus por ter a oportunidade de me unir à Canção Nova,
a fim de levar a Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo
a inúmeras pessoas no Brasil pelos meios audiovisuais e
também por meio dos livros.

17