Você está na página 1de 213

CURSO

AURICULOTERAPIA

Prof. Ms Antonio Vital Sampol


SITE: www.cefavs.com.br
E-MAIL: cursocefavs@yahoo.com.br
MSN: curso.cefavs@hotmail.com
ORKUT: drvitalcefavs@hotmail.com
TEL: 2269-5963
ANO 2011
CURSO DE AURICULOTERAPIA
O QUE É AURICULOTERAPIA

• Técnica utilizada para avaliação e tratamento das


disfunções emocionais e orgânicas como dores
generalizadas.
Ela se baseia em pontos auriculares que estão
relacionadas, com diversas partes do corpo dessa
forma, é representada como um mapa.
• Este sistema foi criado na década de 1950 pelo
médico francês Paul Nogier que catalogou todos os
pontos e codificou o mapa da terapia auricular.
• Objetivo desse tratamento é promover a harmonia e o
bem-estar do cliente.
A teoria do Yin-Yang
• É uma estrutura conceitual que foi usada
para observação e análise do mundo
material na China antiga. A antiga teoria do
Yin-Yang foi formada nas Dinastias Yin e
Zhou de (décimo sexto século – 221 a. C.).
O termo Yin-Yang apareceu primeiro no The
Book of Changes: “Yin e Yang refletem todas
as formas e características existentes no
universo”.
Conceituação Filosófica

• Podem representar dois fenômenos separados com


naturezas contrárias, bem como aspectos diferentes e
opostos dentro do mesmo fenômeno.
• Assim, o povo chinês antigo, no curso de sua vida
cotidiana e trabalho, chegaram ao entendimento que
todos os aspectos do mundo natural podiam ser
compreendidos como tendo um aspecto dual, por
exemplo, dia e noite, brilho e obscuridade, movimento
e quietude, direção ascendente e descendente, calor
e frio, etc.
Expressar Qualidades Opostas

• Adequadamente, dentro do campo de


medicina, diferentes funções e propriedades
do corpo são classificadas com Yin ou Yang.
Por exemplo, O Ch’i (Ki) do corpo que tem
funções de movimento e aquecimento é
Yang, enquanto O Ch’i (Ki) do corpo que tem
funções de nutrição e umedecimento é Yin.
Yin e Yang complementam um ao
outro
• São ao mesmo tempo opostos em natureza e,
todavia, mutuamente dependentes.
• Tanto se opõem como existe dentro de todo o
fenômeno natural.
• A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) aplica os
princípios do Yin-Yang de interconexão e
transformação contínua para o corpo humano
para explicar sua fisiologia e patologia e orientar
o diagnóstico clínico e o tratamento.
TENDÊNCIAS YIN YANG
escuro claro
expansão contração
ascendente descendente
passivo ativo
frio quente
negativo positivo
leve pesado
interior periferia
côncavo convexo
MANIFESTAÇÕES água fogo
elétron próton
vegetal animal
K,O,Ca,N,P... H,Na,Cl,Mn...
vitamina C vitamina D,K
verdura cereal
s. n. parassimpático s. n. simpático
fêmea macho
espaço tempo

DADOS SINTOMÁTICOS pressão baixa pressão alta


processos crônicos processos agudos
bradicardia taquicardia
sonolência insônia
pessimismo otimismo
flacidez espasmos
hipersensibilidade a tempo hipersensibilidade a tempo
úmido seco
falta de reação reação excessiva
medo raiva
Anatomia Auricular
Terminologia anatômica da
superfície auricular
• A aurícula é composta de uma
placa de cartilagem elástica, um
revestimento delgado de
gordura e tecido conjuntivo
provido por numerosos nervos.
Os nervos principais são o
grande auricular e o occipital
menor derivado do segundo,
terceiro e quarto nervos
espinhais cervicais, ramo
auriculo temporal do nervo
trigêmeo, ramificação mista do
nervo facial e nervos
glossofaríngeo e simpáticos.
ANATOMIA AURICULAR
• O pavilhão da orelha é
uma lâmina dobrada
sobre si mesma, em
diversos sentidos,
ovalada, com uma
extremidade superior
espessa.
• Em seu conjunto tem
forma de um pavilhão de
corneta de musica,
destinado a captar as
ondas sonoras.
LOCALIZAÇÃO
DOS
PONTOS TUBÉCULO DA HELICE

HÉLICE /HÉLIX

CRUZ DA HÉLICE ANTI-HÉLICE


LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS
• Hélice/Hélix: O rebordo
proeminente da aurícula
• Tubérculo da hélice (Tubérculo
de Darwin): é um pequeno TUBÉCULO
tubérculo no aspecto DA HELICE
pósterior-inferior da hélice
HÉLICE
• Cauda da hélice – A parte /HÉLIX
inferior da hélice, à junção da
Hélice e do lóbulo
• Cruz da hélice: um cume CRUZ DA ANTI-HÉLICE
transverso da hélice que HÉLICE
continua para trás na cavidade
auricular
• Anti- hélice: um cume elevado
anterior e paralelo à helice. Se
sua parte superior estende-se
na cruz superior e inferior da
anti-hélice. Inclui a parte
principal de anti-hélice
LOCALIZAÇÃO
DOS
PONTOS
CRUZ SUPERIOR DA ANTI-HÉLICE

FOSSA TRIANGULAR

FOSSA
CRUZ INFERIOR DA ANTI-HÉLICE ESCAFÓIDE
• A parte principal da anti-hélice: LOCALIZAÇÃO
a porção mais ou menos
vertical da anti-hélice DOS PONTOS
• Cruz superior da anti-hélice: o
ramo superior da bifurcação
da anti-hélice CRUZ SUPERIOR
DA ANTI-HÉLICE
• Cruz inferior da anti-hélice: o FOSSA
ramo anterior da bifurcação da TRIANGULAR
FOSSA
anti-hélice CRUZ ESCAFÓIDE
• Fossa triangular: depressão INFERIOR DA
ANTI-HÉLICE
triangular entre as duas
cruzes da anti-hélice
• Fossa escafóide: a depressão
encurvada e estreita entre a
hélice e anti-helice
LOCALIZAÇÃO
DOS
PONTOS

INCISURA DO SUPRATRAGO

INCISURA DA HÉLICE
TRAGO
ANTITRAGO
INCISURA INTERTRAGO

LÓBULO DA ORELHA
• Concha: o orifício LOCALIZAÇÃO
formado pelo DOS PONTOS
anti-trago, entre a
parte anterior da
hélice e a cruz inferior
da anti-hélice
• Concha cimba: a
concha superior à cruz
INCISURA
da hélice INCISURA DO DA HÉLICE
SUPRATRAGO
• Concha cava: a
TRAGO ANTITRAGO
inferior à cruz da
INCISURA
hélice INTERTRAGO

LÓBULO DA ORELHA
LOCALIZAÇÃO
DOS PONTOS Raiz Superior
Orifício do meato auditivo Fossa

cafa
Hélix
externo: a cobertura da Triangular

da Es
Anti-Helix
concha cava protegida Raiz inferior Hélix

Sulco
pelo trago Concha Cimba

Raiz auricular superior: a


área onde a borda
Concha Trago
superior da aurícula Cava
prende-se ao escalpo Hélix
Antitrago
Raiz auricular inferior: a
área onde o lóbulo da
Lóbulo
orelha prende-se à face
NOMENCLATURA ANATOMICA.
Cruz superior da
Hélix Anti-Hélix
• O pavilhão é dividido, para seu Fossa
estudo, em duas faces e uma Fossa Triangular
circunferência, na sua face Escafóide
anterior se observa uma série
de proeminência alternando Cruz inferior
Da Anti-Helix
com depressões que
circunscrevem uma escavação
profunda, a concha, no fundo Incisura
da qual se abre canal auditivo Supratrago
externo, as proeminências Anti-Hélix
presentes no pavilhão auricular
são; hélix, anti-hélix, trago e
antitrago. Além deste, o Trago
pavilhão da orelha é formado Antitrago
por lóbulo, hélix, tubérculo
auricular, fossa triangular, Incisura Anti-trago
fossa escafóide, incisura
supratrago, etc. Lóbulo da orelha
FACE ANTERIOR DO PAVILHÃO
AURICULAR
HÉLIX

• O hélix é a mais excêntrica


das proeminências do
pavilhão, começa na

Hélix
cavidade da concha por uma
crista obliqua para cima e
para frente, a raiz do hélix;
margeia em seguida a
metade superior da
circunferência do pavilhão,
primeiro para frente, depois
para cima e logo para trás, e
por fim, termina na parte
superior do lóbulo.
• RAIZ DO HÉLIX. Uma
proeminência horizontal
que divide as conchas e Tubérculo
Auricular
constitui o extremo
ínfero-anterior do hélix.

Raiz do
• TUBÉRCULO Hélix

AURICULAR:
Proeminência pequena,
na parte póstero-superior
do hélix.
• ANTI-HÉLIX.
O anti-hélix, concêntrico a
hélix, ascende paralelamente Fossa
Triangular
ao seguimento posterior
desta e se divide na parte
superior, em dois ramos que
limitam uma depressão
conhecida com o nome de
fosseta do anti-hélix, fosseta
navicular ou triangular.
• FOSSA-TRIANGULAR.
A depressão formada entre Anti-Hélix
os ramos superior e inferior
do anti-hélix.
• FOSSA ESCAFOIDE.
Entre o hélix e o anti-helix corre
um sulco curvilíneo, chamado Fossa
canal do hélix, goteira do hélix Escafóide

ou fossa escafóide.
• TRAGO.
O trago é uma proeminência
aplanada, triangular, colocada
antes da concha e debaixo do
hélix, que se projeta de maneira
de um opérculo, para diante e
por fora do orifício do conduto
auditivo externo. A base do Trago
trago está dirigida para diante e
para dentro; o vertex livre,
arredondado, olha para trás e
para fora.
• INCISURA SUPERIOR DO
TRAGO-SUPRATRAGO
Uma depressão formada pelo
hélix e o bordo superior do
trago. Hélice

• ANTITRAGO.
É igualmente uma pequena Incisura Supratrago
proeminência triangular, situada
Trago
abaixo do anti-hélix e por trás
do trago, do qual está separada
por uma profunda chanfradura,
a chanfradura da concha.
Antitrago
• INCISURA DO INTERTRAGO,
A depressão formada entre o Incisura intertrago
trago e o antítrago.
• FOSSA SUPERIOR DO
ANTITRAGO.
• Depressão pequena que se forma
entre o antítrago e o anti-helix.
• LÓBULO DA ORELHA.
Porção carnosa inferior do pavilhão Concha
da orelha. Cimba

• CONCHA. Anti-Helix
É uma profunda escavação limitada
para frente pelo trago e por trás pelo Fossa superior
anti-helix e o antítrago, a raiz do Do Antitrago
hélix divide a concha em duas Concha
partes; uma superior e estreita Cava
denominada concha cimba e a outra Trago
inferior muita mais larga,que é Antitrago
continua com o conduto auditivo
externo chamada concha cava.
Orifício do conduto auditivo externo.
Lóbulo da Orelha
Avaliação
• Diagnóstico oriental
• A medicina da China e de outros países do Extremo Oriente é
uma das mais antigas do mundo. Esta medicina comporta
muitos ensinamentos com aplicação prática nos nossos dias.
• A filosofia básica da Medicina Oriental é o oposto
complementar do tipo de medicina correntemente praticada no
Ocidente.
• A Medicina Ocidental, com a ênfase posto no tratamento dos
sintomas, por meio de drogas e da cirurgia, vê-se cada vez
mais impotente perante a maré de doenças degenerativas que,
atualmente, ameaça submergir o mundo industrializado.
• É incontestavelmente necessário suprir a nossa medicina, de
caráter predominantemente sintomático, com uma medicina de
orientação preventiva, humana e econômica na sua aplicação.
• A Medicina Oriental pode contribuir enormemente no
preenchimento desta necessidade.
Diagnóstico Na Medicina Oriental
• Identifica a doença pela observação dos respectivos
sintomas. tais como a dor.
• A premissa básica da fisiognomia oriental é que cada
indivíduo constitui e revela uma história em processo
de desenvolvimento.
• A nossa postura, a cor da nossa pele, o timbre da
nossa voz e outros traços característicos são
exteriorizações da condição do nosso sangue, órgãos,
sistema nervoso e esquelético, os quais, por seu lado,
são o resultado da nossa hereditariedade,
alimentação, meio ambiente e atividade.
A ordem de diagnóstico
• Compreende três fases:
• primeiro, a compreensão do meio ambiente
total do indivíduo.
• Segundo, a observação da condição física e
mental presentes na pessoa e o seu
relacionamento com a totalidade.
• Terceiro, a observação dos detalhes-sintomas.
A Medicina Ocidental tende a omitir as duas
primeiras fases e concentra-se na terceira.
O método de diagnóstico compreende
cinco momentos ou fases.

• Captação intuitiva da totalidade.


• Audição da história/caso da pessoa.
• Observação da caligrafia da pessoa ou da
expressão estética.
• Levantamento dos sintomas.
• Palpação, para confirmar aquilo que se viu.
• Obedeça a esta seqüência, não proceda à
palpação em primeiro lugar.
Anamnese

IDENTIFICAÇÃO
• Nome:_____________________________________________
• Endereço:_________________________________________
• Tel: residencial: _____________celular:__________Data de
nascimento: / /
• Idade:__________________Sexo:________________Estado
civil: _________
• Nacionalidade:_____________ Naturalidade: ___________
• Ocupação e Profissão:_________________
Email:_____________________
HISTÓRIA CLÍNICA
• QP: (o que incomoda ?)_________________
• HDA: (História da doença atual, como e
quando aconteceu)____________________
• _____________________________________
• Hipertensão ( ) sim ( ) não
• Diabetes Mellitus ( ) sim ( ) não
• Está grávida ( ) sim ( ) não
• Tem alguma inflamação no ouvido
• ( ) sim ( ) não
• Data do Retorno:
_______________________
Recomendações

• Durante o banho e a higiene capilar,


deve-se evitar molhar a fita adesiva para
que a umidade não provoque os
transtornos.
Reações

• À medida que se da à aplicação auricular,


é possível que o paciente experimente
certas sensações, como calor,
adormecimento e dor. Ao ocorrerem, será
preciso averiguá-las e concluir quanto ao
grau de sua anormalidade, pois este
traduz a eficiência ou não do tratamento.
Indicações

• A auriculoterapia é indicado para todos os


casos de enfermidades, seja ela aguda ou
crônica, atuando na prevenção de
enfermidades e no tratamento com o
intuito de eliminar também as mesmas.
Contra-Indicações

• As aplicações auriculares não são indicadas para


mulheres antes do quinto mês de gestação, ou naquelas
onde os abortos espontâneos são freqüentes. Do quinto
ao nono mês de gestação não devem ser empregados
os pontos do ovário, útero, secreção glandular, abdômen
e pélvis.
• Não devem ser efetuadas também em casos nos quais
o pavilhão se encontre inflamado, sendo necessário
esperar até que o mesmo se normalize completamente.
• No caso de pacientes em caso de esgotamento
excessivo, jejum prolongado ou anêmicos,
recomenda-se o tratamento dos mesmos deitados,
evitando-se estímulos muito fortes.
Sensações inerentes ao pavilhão:

• Calor:
• Ocorre em quase 80% dos pacientes (bom sintoma)
• Adormecimento
• Sinal de êxito no tratamento
• Dor:
• Quanto mais exato for o ponto, mais intensa será a dor.
Trata-se de uma dor que se diferencia de qualquer outra.
Experimenta-se uma sensação de ardor de dentro pra
fora, com fortes fisgadas que passam em poucos
minutos. O paciente começa a sentir-se pleno de
energia e num estado de bem estar geral.
Sensações próprias dos órgãos:

• Calor:
• Evidencia em quase todos os pacientes com enfermidades
crônicas.
• Repuxamento:
• Sensação que assegura o êxito nas enfermidades dos nervos,
diminuindo à medida que avança o tratamento.
• Adormecimento:
• Ocorre na maioria dos enfermos crônicos.
• Dor:
• Sente-se no órgão afetado nos primeiros minutos de aplicação,
aliviando gradualmente.
• Frio:
• É comum em tuberculose, artrite e etc.
Sensações próprias dos órgãos:
• Movimentos Ondulatórios dos Órgãos:
• Aparecem em doenças do aparelho digestivo.
• Formigamento:
• É normal em afecções da pele.
• Sensação de Vazio Total:
• Sensação comumente experimentada pelos hipertensos.
• Garganta Seca:
• Sensação produzida quando se empregam pontos de secreção
glandular, devido ao fato de interromper o funcionamento das
glândulas salivares.
• Peso:
• Aparece nos membros.
Material para
tratamento.

• O material utilizado na auriculoterapia consiste em:


• - Placa para esfera e semente
• - Micropore
• - Pinça
• - Esfera auricular e/ou semente de mostarda → esfera
de metal, ouro e cristal
• - Palpador (apalpador)
Aplicação

• A aplicação correta quanto a posição,


rapidez e a profundidade, faz com que o
paciente experimente no pavilhão, quase
de imediato, a sensação de ardor, calor,
frio e pressão, o que demonstra que o
tratamento está sendo encaminhado.
dando a certeza do tratamento ser bem
sucedido
• As formas de tratamento segue
os materiais no caso a semente
de mostarda. Formas de
• Faz-se a assepsia com álcool 70
do local a ser tratado e após
aplicação:
aplicar a semente fixar com
micropore.
• No caso da semente de
mostarda apenas tomar cuidado
para não mofar na orelha com a
água durante a higienização.
• A esfera de metal tem a
propriedade de sedar, a de ouro
de tonificar e a de cristal de
harmonizar.
SESSÃO DE
AURICULOTERAPIA

• Na primeira
consulta busca-se
estabelecer o tipo
de deficiência,
energética e
emocional do
cliente e selecionar
os ponto de acordo
com o diagnostico
após a sua
higienização
Tempo de aplicação:

• Não existe um tempo exato de aplicação no


tratamento, nas escolas atuais ensinam deixar
por um período de sete dias, porém esse tempo
pode variar de escola para escola, o importante
é saber que o pavilhão auricular compõe-se de
grandes quantidades de nervos, o que o torna
bastante sensível.
• Por este motivo, quase sempre as aplicações
são acompanhadas de sensações dolorosas.
Então quanto mais rapidez houver, maior será o
êxito.
As sementes são inseridas e deixada
no local, aproximadamente 5 a 7 dias,e
depois retiradas,e as sessão
posteriores são iguais.
COMO A AURICULO AGE.
• A auriculoterapia estimula os pontos, mantém
o equilíbrio energético do corpo estimula a
produção de substancias que tem ação sobre
os receptores do sistema nervoso.
• A auriculoterapia tem também ação
antiinflamatória estimula a produção de
corticóides pela glândula supra renal.
• A auriculoterapia é mais que um analgésico.
Combatendo a dor através da resolução do
processo inflamatório que a causa.
ORELHA DOMINANTE
• Mulher – Esquerda
• Homem - Direita
DISTRIBUIÇÃO DOS PONTOS
AURICULARES
• Na prática clinica, podemos observar diversidade de
pavilhões auriculares que variam quanto a tamanho e
forma, mas, em todos se encontram distribuídos os
pontos auriculares, seguindo os mesmo princípios.
Como fundamento para encontrar os pontos auriculares,
temos a localização de um, feto em posição cefálica,
como já mencionamos anteriormente. Este feto marcará
os princípios gerais para a representação de cada uma
das partes do corpo humano dentro do pavilhão
auricular.
• DISTRIBUINDO - SE DA SEGUITE FORMA:
• LÓBULO DA ORELHA. -região cefálica e facial.
• ANTITRAGO- cabeça e cérebro
• FOSSA SUPERIOR DO ANTITRAGO - tronco cerebral.
• TRAGO-laringe, faringe, nariz externo e interno, supra-renal,
nervo temporoauricular, etc.
• INCISURA DO SUPRATRAGO-ouvido externo.
• ANTI-HELIX-tronco, na cruz inferior do anti-helix se localiza a
região glútea, e na cruz superior os membros inferiores.
• FOSSA ESCAFÓIDE-membros superiores.
• RAIZ DO HÉLIX-diafragma e em torno do hélix se distribui o
aparelho digestivo.
• CONCHA CAVA-cavidade torácica.
• INCISURA DO INTERTRAGO-glândulas endócrinas.
• CONCHA CIMBA-pontos da cavidade abdominal.
Existem alguns pontos que em sua distribuição não
correspondem completamente a esta disposição, como,
supra-renal, útero, testículos, etc.
Pontos auriculares

• Pontos auriculares são pontos específicos de


estimulação na aurícula. Quando ocorrem distúrbios nos
órgãos internos ou outras partes do corpo, várias
reações podem aparecer nas áreas correspondentes da
aurícula, tais como sensibilidade, resistência elétrica
cutânea diminuída, mudanças morfológicas e de
coloração. Então, estes locais também são chamados
pontos sensíveis, pontos de condutividade ou pontos
reflexos. Assim, fazendo um diagnóstico, esses
fenômenos podem ser levados em consideração.
Estimular os locais sensíveis serve para prevenir e tratar
doenças.
Distribuição dos pontos
auriculares na
metodologia chinesa

• 1 – Ponto “0”
• Situado na raiz da
hélice ao meio da
orelha. Usado para
doenças
psico-somáticas.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 2 – Diafragma
• Situado no início da
raiz da hélice. Usado
para espasmo do
diafragma e estômago,
gastroenterite,
tabagismo.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 3 – Ânus (segmento
inferior reto)
• Usado para
constipação, leucorréia,
hemorróidas, prurido e
fissura anal.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 4 – Uretra
• Situado no segmento
anterior da hélice.
Usado para disúria,
cálculo em uretra,
infecção em vias
urinárias, prurido
vulvar.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 5 – Genitália externa
• Usado para impotência,
orquite, disúria,
ejaculação noturna,
erupções dos
testículos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 6 – Hemorróida
• Situado na hélice, na
borda da fossa
triangular. Usado para
hemorróida e fissura
anal.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 7 – Ponto da aurícula
• Situado no ponto mais
alto da orelha, a hélice,
na ruga formada quando
se dobra a orelha contra
o trago. Usado para
hipertensão
(sangramento de 3 a 5
gotas) e como
anti-inflamatório.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 8 – Amígdala 1
• Situado na hélice,
posteriormente ao
ponto da aurícula.
Usado para amigdalite
e faringite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 9 – Fígado 1
• Situado acima do
tubérculo auricular de
Darwin. Usado para
hepatite crônica.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 10 – Fígado 2
• Situado logo abaixo do
Tubérculo auricular de
Darwin. Usado para
hepatite Crônica.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 11 – Hélice 1
• Abaixo do tubérculo
auricular acima do Fígado
2, no meio da borda
inferior do lóbulo, linha
curva dividida em 5
segmentos iguais, os quais
são conhecidos como
hélice 1,2,3,4,5 e 6,
respectivamente. Usado
para amigdalite, faringite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 12 – Hélice 2
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 13 – Amígdala 2
• Situado na hélice
perto do ponto do
ombro. Usado para
amigdalite, faringite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 14 – Hélice 3
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 15 – Hélice 4
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 16 – Amígdala 3
• Situado no fim da
hélice, usado para
amigdalite, faringite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 17 – Timo
• Usado para disfunção
do timo.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 18 – Ouvido interno
• Usado para otites,
surdez, zumbidos,
perda do sentido de
equilíbrio, audição
deficiente.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 19 – Hélice 5
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 20 – Hélice 6
• Situado no meio da
borda inferior do lóbulo.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 21 – Amígdala 4
• Situado acima da Hélice
6.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 22 – Área específica
para tumor
• Linha curva
conectando: Hélice 4 e
Hélice 6. Usado para
efeito analgésico no
tratamento de tumores.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 23 – Área da face e malar
• Área estreita ovalada
entre o ponto do olho e o
do ouvido interno. Usado
para paralisia facial,
espasmo facial, nevralgia
do trigêmeo, paratidite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 24 – Olho
• Situado no centro do
lóbulo da orelha.
Usado para doenças
dos olhos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 25 – Língua
• Situado acima do
ponto do olho no
lóbulo. Usado para
glossite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 26 – Palato superior
• Situado no lóbulo posterior
e inferior do ponto língua.
Usado para dores de dente,
rigidez de articulação
temporo-mandibular,
linfadenite sub-mandibular,
anestesia para extração
dentária.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 27 – Palato inferior
• Situado no lóbulo
anterior e superior do
ponto da língua. Uso
descrito no Palato
superior.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 28 – Anestesia dentária
• Usado para extração de
dor de dente.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

29 – Neurastenia
Usado para neurastenia e
como ansiolítico.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

30 – Maxilar
Usado para anestesia,
dor dos dentes
superiores e nevralgia
do trigêmeo.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

31 – Mandíbula
Usado para nevralgia do
trigêmeo e dor de
dente.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

32 – Parietal
Situado abaixo do ponto
occipital. Usado para
cefaléia e vertigem.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

33 – Frontal
Situado anterior e
inferiormente ao antítrago.
Usado para as doenças
psico-somáticas e
neurogênicas, cefaléia
frontal, rinites.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

34 – Temporal
Situado entre frontal e
occipital. Usado para
enxaqueca, cefaléia,
temporal, vertigem.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
35 – Occipital
Situado abaixo da junção do
antítrago com a ante-hélice,
abaixo do ponto de cerebelo.
Usado para enfermidade do
sistema nervoso na sua face
aguda (convulsões, tremores,
rigidez na nuca), desmaios e
meningites. Previne as
tonturas, vômitos e alterações
que geralmente ocorrem nas
viagens, alturas, etc. É
anti-inflamatório, acalma dores
nervosas, tosse, asma e
pruridos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

36 – Dente e laringite
Situado posterior e
superiormente ao ponto
occipital. Usado para
dor de dente, gengivite,
amigdalite, laringite,
faringite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

37 – Dor de dente
Situado na parede interna
do antítrago na altura
do ponto occipital.
Usado para dor
dentária.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

38 – Hipófise
Situado no fundo da parede
interna do antítrago. Usado
para regulação da função
da hipófise, acromegalia,
diabete insípido, choque
emergente, distúrbios de
funções sexuais, distúrbios
do sistema endócrino.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

39 – Tronco cerebral
Situado na borda da porção
inferior do antítrago, perto
do pescoço. Usado para
lesão vascular de cérebro,
hemiplegia, convulsão.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

40 – Ponto cerebral
Situado entre o ponto de
asma e tronco cerebral.
Usado para regulação da
função do córtex cerebral,
doenças do sistema
nervoso, digestivos,
endócrino, genito-urinário,
tem ação hemostática para
as doenças hemorrágicas.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

41 – Parótida
Situado medialmente ao
ponto da asma. Usado
para parotidite,
obstrução do ducto
parotídeo, prurido.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

42 – Asma
Situado medialmente ao
ponto da asma. Usado
para tosse, asma,
prurido e controle da
função respiratória.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
43 – Subcórtex
Situado anteriormente à parede
interna do antítrago. Usado
para regulação de função do
córtex cerebral, insônia,
sonolência, distúrbios do
sistema psico-nervoso, tem
função anti-inflamatória,
analgésica, anti-alérgica.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

44 – Ovário
Situado anterior e
inferiormente à parede
interna do antítrago, ao
lado do subcórtex. Usado
para menstruações
anormais, dismenorréia,
esterilidade, disfunção
ovariana.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

45 – Testículo
Situado superiormente à
parede interna do
antítrago. Usado para
distúrbios das funções
sexuais, orquite,
eczema de escroto.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

46 – Olho 2
Situado na borda externa
posterior e inferior à
incisura intertrágica.
Usado para
astigmatismo e várias
doenças dos olhos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

47 – Olho 1
Situado na borda externa
anterior e inferiormente
à incisura intertrágica.
Usado para glaucoma e
atrofia de nervo óptico.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

48 – Ponto de levantar a
pressão arterial
Situado na face externa
da depressão
intertrágica entre o olho
1 e olho 2. Usado para
hipotensão e choque.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
49 – Endócrino (glândulas de
secreção interna)
Situado no fundo da depressão
intertrágica. Usado para
disfunções das glândulas
endócrinas, promoção de
absorção, excreção e
metabolismo, como
antialérgico, anti-reumático,
distúrbios digestivos,
circulatórios. Em ginecologia e
obstetrícia e em doenças da
pele.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

50 – Hipertensão
Situado abaixo do ponto
da fome. Usado para
hipertensão.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
51 – Adrenal
Situado no tubérculo inferior do
bordo do trago. Usado para
controle de secreção de
adrenalina e adreno
corticoesteróides,
anti-inflamatório, anti-alérgico,
anti-choque, anti-reumático,
circulação sanguínea, periferia,
febre, doenças da pele.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

52 – Ponto da fome
Situado abaixo do nariz
externo. Usado para
moderação de apetite e
sensação de fome
exagerada, diabete
mellitus.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

53 – Nariz externo
Situado no ponto meio
anterior à cartilagem do
trago. Usado para
doenças de nariz e
rinite.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

54 – Ponto da sede
Situado superiormente ao
nariz externo. Usado
para moderação da
sede, diabete mellitus e
diabete insípidas.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

55 – Laringe e faringe
Situado na face interna do
trago na porção superior.
Usado para faringite aguda
e crônica, amigdalite,
laringite e dor de garganta.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

56 – Trago
Situado no tubérculo
superior da borda do
trago. Usado para
intoxicação alimentar,
como anti-inflamatório e
analgésico.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

57 – Ponto cardíaco
Situado na borda
posterior e inferior do
ouvido externo. Usado
para taquicardia e
arritmias.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

58 – Ouvido externo
Situado na cavidade
anterior à incisura
supratrágica. Usado
para má-audição.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

59 – Boca
Situado entre o início da raiz
da hélice e a abertura do
meato externo. Usado para
úlcera de cavidade oral,
rigidez de junção
temporo-mandibular.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

60 – Esôfago
Situado abaixo do início
da raiz da hélice, na
linha vertical ao ponto
do diafragma. Usado
para obstrução
funcional do esôfago.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

61 – Cárdia
Situado na média da
cavidade da concha abaixo
da raiz da hélice. Usado
para espasmo do cárdia,
hérnia de hiato,
regurgitação.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

62 – Estômago
Situado anteriormente e no
início da raiz da hélice, no
local onde esta raiz ainda
não aparece. Usado para
distúrbios digestivos,
má-digestão, gastrite,
insônia, úlcera péptica,
distensão gástrica
funcional e dor de
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

63 – Duodeno
Situado acima da raiz da
hélice, ao lado da raiz da
hélice linha média da
cavidade da concha.
Usado para úlcera
duodenal, distúrbios
digestivos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

64 – Intestino delgado
Situado acima da raiz da
hélice, anteriormente ao
ponto do duodeno. Usado
para gastrite aguda,
enterite, distensão
intestinal, intoxicação
alimentar, colite intestinal,
distúrbios cardíacos,
palpitação e taquicardia.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

65 – Apêndice
Situado acima da raiz da
hélice, anteriormente
ao ponto do intestino
delgado. Usado para
apendicite aguda ou
crônica.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

66 – Intestino Grosso Situado


acima da raiz da hélice,
anteriormente do ponto
apêndice. Usado para
enterite, disenteria,
diarréia, constipação,
hemorróidas, distúrbios
respiratórios.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

67 – Próstata
Situado medial e
superiormente à bexiga.
Usado para prostatite,
infecção do trato urinário,
hematúria, ejaculação
precoce, espermatorréia.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

68 – Bexiga
Situado superiormente
ao intestino grosso.
Usado para cistite,
polaciúria, disúria, dor
na bacia, dor e rigidez
na coluna.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 69 – Ureter
• Situado entre o ponto
do rim e da bexiga.
Usado para cálculo
renal, cólica renal.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 70 – Rins
• Situado superiormente ao ponto
do intestino delgado. Usado
para cálculo renal, nefrite,
cistite, enurese, disúria, ciática,
lombalgia, distúrbios
genito-urinários, esterilidade,
Peri-odontite, anemia aplástica,
leucemia, edema, laringite e
faringite crônica, diarréia,
tonificação do córtex cerebral e
rim, perda de memória, cefaléia
crônica, fadiga crônica,
neurastenia.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 71 – Alcoólatra
• Situado abaixo do
ponto do rim. Usado
para alcoolismo.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 72 – Ascite (barriga d’
água)
• Situado acima do ponto
do intestino delgado.
Usado para ascite
cirrose, distúrbios de
eletrólitos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 73 – Pâncreas e vesícula
biliar
• Situado a meia distância
entre os pontos do rim e
fígado, abaixo da borda
inferior da parte superior
da ante-hélice. Usado para
gastrite aguda, pancreatite,
colecistite, cálculo
vesicular e má-digestão.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 75 – Fígado
• Situado logo acima do ponto do
estômago, em linha vertical e
acima do ponto do baço. Usado
para hepatite aguda ou crônica,
anemia ferropriva, nevralgia,
dores reumáticas, cefaléia,
vertigem, distensão
gastro-intestinal, espasmo
muscular, dor torácica ou
intercostal e várias doenças
dos olhos.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 76 – Hepatomegalia
(aumento do fígado)
• Situado ao lado do
ponto do estômago
entre o mesmo e a
anti-hélice. Usado para
hepatite e
hepatomegalia.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 77 – Músculo relaxante
Situado entre o ponto
do estômago e da
hepatomegalia. Usado
para relaxamento
muscular, anestesia de
acupuntura, hepatite,
cirrose.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 78 – Área de hepatite
• Situado
postero-inferiormente
ao ponto do estômago.
Usado para hepatite
aguda ou crônica.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 79 – Baço Situado
abaixo da área de
hepatomegalia.
• Usado para indigestão,
doença de sangue,
hipermenorréia,
prolapso retal, atrofia
muscular.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 80 – Traquéia
• Situado no mesmo
nível do coração, em
linha vertical e abaixo
do ponto da boca.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 81 – Brônquios
• Situado na face interna
da concha, próximo a
região do pulmão.
Usado para bronquite
aguda ou crônica,
asma.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 82 – Pulmão Ponto duplo,
situado em torno, acima e
abaixo do ponto do coração.
Usado para doenças
respiratórias, doenças de pele,
queda de cabelo, rinite, tosse,
dispnéia, asma, bronquite,
pneumonia, vício de drogas,
tabagismo e anestesia.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 83 – Coração
• Situado no meio da cavidade
da concha. Usado para
enfermidades do coração,
palpitação, anginas, diversos
tipos de neurastenia, insônia,
fadiga, taquicardia, hipertensão,
choque, sedativo, hipnótico,
histeria, esquizofrenia,
epilepsia, doença da garganta e
colite intestinal.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 84 – Lateral a pulmão
• Situado lateralmente ao
pulmão. Uso descrito
em 81.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 85 – Abdômen superior
e inferior
• Situado inferior e
superiormente ao
meato externo. Usado
para doenças de
abdômen.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 86 – Triplo aquecedor
• Situado abaixo da
traquéia. Usado para
hepatite, bronquite,
doenças do mesentério
e peritônio, edema.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 87 – Esteróide
• Situado medialmente ao
fundo da incisura
intertrágica. Usado como
anti-inflamatório,
anti-alérgico, antichoque,
anti-reumatismo.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa
• 88 – S.N.V. (Sistema Nervoso
Vegetativo)
• Situado no fim da raiz da anti-hélice
inferior, no ponto onde se acha a face
interna da hélice. Usado para
disfunção do sistema nervoso
autônomo. Efeito analgésico e
anti-espasmódico, espasmo gástrico,
úlcera péptica, cálculo em ureter.
Efeito de vaso dilatação,
tromboflebite, cardiopatia coronária,
sudorese noturna, anestesia através
da acupuntura.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 89 – Nervo ciático
• Situado na metade e
sobre a raiz da
anti-hélice inferior.
Usado para ciática.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 90 – Vértebras
sacro-cóccix
• Situado sobre a raiz da
anti-hélice inferior.
Usado para dor na
região sacro-cóccigea.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 91 – Glúteo
• Situado no começo da
raiz da anti-hélice
inferior, abaixo e na
vertical do ponto pélvis.
Usado para ciática, dor
na junção sacro-ilíaca.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 92 – Vértebras lombares
• Situado em seguimento ao
ponto vértebra
sacro-cóccix. Usado para
lombalgia, trauma lombar,
inflamação e degeneração
de vértebras lombares.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 93 – Ponto de
lombalgia
• Situado acima do ponto
meio das vértebras
lombares. Usado para
dor, inflamação, trauma
na região lombar.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 94 – Vértebras torácicas
Situado em seguimento ao
ponto vértebras lombares.
Usado para trauma, dor,
limitação do movimento
das vértebras
correspondentes.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 95 – Vértebras cervicais
• Situado no início da
anti-hélice bordo interior,
um pouco acima do
cerebelo. Usado para
trauma, dores e limitação
do movimento das
vértebras correspondentes.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 96 – Pescoço
• Situado em paralelo ao
ponto cerebelo, na junção
da anti-hélice com o
antítrago. Usado para
dores e limitação do
movimento do pescoço.
Distribuição dos
pontos auriculares
na metodologia
chinesa

• 97 – Glândula mamária
• São dois pontos
situados abaixo do
ponto do tórax.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 98 – Tórax
• Situado na anti-hélice, ao
nível da incisura
supratrágica. Usado para
nevralgia intercostal, dor
ou sensação de peso no
tórax.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 99 – Abdômen
• Situado na anti-hélice, na
linha horizontal que passa
pela ponta da raiz da
anti-hélice inferior. Usado
para várias causas de dor
abdominal, tais como
úlcera péptica, inflamação
do aparelho digestivo,
cólicas.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 100 – Ponto termo
gênico
• Situado na anti-hélice.
Usado para hipertermia
de origem funcional e
como analgésico.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 101 – Bacia
• Situado na raiz superior
da anti-hélice. Usado
para dores e disfunção
da bacia.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 102 – Joelho
• Situado no começo da raiz
superior da anti-hélice, em
sua parte mais baixa,
quase na função com a
fossa triangular. Usado
para dor e disfunção do
mesmo.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 103 – Tornozelo
Situado acima do ponto
do joelho na raiz
superior da anti-hélice.
Usado para dor e
disfunção do mesmo.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 104 – Calcanhar
Situado acima do ponto
do tornozelo.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa

• 105 – Dedos dos pés


• Situado ao lado do
calcanhar
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 106 – Pélvis
• Situado no início da fossa
triangular, perto da
bifurcação da raiz superior
e inferior da anti-hélice.
Usado para inflamação da
pélvis, dismenorréia.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 107 – Shen-men Situado na fossa
triangular, logo acima do ponto da pélvis.
Usado para controle da ação excitatória e
inibitória do córtex cerebral. Tem efeito
tranqüilizante, analgésico, anti-alérgico. É
um ponto assencial para anestesia
através da acupuntura. Usado também
para distúrbios do sistema nervoso,
epilepsia, histeria, neurastenia, insônia,
vertigem, tonturas, enxaqueca, cefaléia,
distúrbios do sistema digestivo, úlcera
péptica, gastrite, enterite, cólica intestinal,
distúrbios do sistema respiratório;
circulatório, tosse, dispnéia, bronquite,
asma, taquicardia, palpitação,
hipertensão.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 108 – Coxo femural
• Situado na fossa
triangular,
anteriormente ao ponto
da pélvis. Usado para
dor e disfunção do
mesmo.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 109 – Ponto da asma
• Situado entre o ponto
do útero e pélvis.
Usado para asma.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 110 – Ponto da hepatite
• Situado entre o ponto
de baixar a pressão
arterial e o Shen-men.
Usado para hepatite
aguda ou crônica.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 111 – Útero
• Situado no fundo e na
metade da linha mais
profunda da fossa
triangular. Usado para
dismenorréia, leucorréia,
endometrite, prolapso do
útero.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 112 – Ponto de baixar a
pressão arterial
• Situado no ângulo
superior, medialmente à
fossa triangular. Usado
para hipertensão, cefaléia
vascular.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 113 – Reto
• Situado no ângulo
interno inferior da fossa
triangular. Usado para
enterite, constipação,
hemorróidas, prolapso
retal.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 114 – Uretra (novo)
• Situado interna e
superiormente ao ponto do
útero. Usado para dor à
micção, infecção de uretra,
retenção urinária,
freqüência urinária
aumentada (polaciúria).
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa

• 115 – Constipação
Situado abaixo do
ponto do útero. Usado
para constipação,
hemorróidas.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 116 – Apêndice
• Situado no ponto médio
da linha entre dedos
dos pés (105) e dedos
das mãos (117). Usado
para apendicite.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 117 – Dedos das mãos
• Situado na fossa
escáfa, acima do
tubérculo auricular de
Darwin.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 118 – Urticária
• Situado abaixo do
ponto (117). Usado
para urticária,
manifestações
alérgicas.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 119 – Nervo occipital
menor
• Situado ao lado do
ponto (118). Usado
para cefaléia,
enxaqueca.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 120 – Punho
• Situado abaixo do
ponto (117). Usado
para dor e disfunção do
punho.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 121 – Cotovelo
• Situado no ponto médio
entre punho (120) e
ombro (122). Usado
para dor e limitação dos
movimentos de
cotovelo.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa

• 122 – Apêndice 2
• Situado entre cotovelo
(121) e ombro (123).
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 123 – Ombro
• Situado na fossa escáfa
ao nível da incisura
supratrágica. Usado
para dor e limitação do
movimento do ombro.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 124 – Axilar
• Situado entre ombro
(123) e articulação do
ombro (125). Usado
para dor e inchaço do
linfonódulo axilar.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 125 – Articulação do ombro
• Situado entre ombro (123)
e clavícula (126). Usado
para dor de ombro,
limitação do movimento do
ombro, periartrite.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 126 – Clavícula
• Situado na fossa escáfa
no mesmo nível do
pescoço (96). Usado
para dor ou fratura da
clavícula.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 127 – Tireóide 1
• Situado no ponto externo e
lateral ao ponto de
pescoço (96). Usado para
disfunção tireoideana,
hipertiroidismo,
hipotiroidismo.
Distribuição dos
pontos
auriculares na
metodologia
chinesa
• 128 – Apêndice
• Situado no ponto
inferior e medial ao da
clavícula (126). Usado
para apendicite.
Definição das Patologias Mais
Comuns
• Ansiedade
• Obesidade
• Dor na coluna
• Gastrite
• Menstruação
• Enjôo
• Constipação
• Próstata
• Tabagismo
• Diabetes
• Anemia
• Asma
• Hipertensão
Ansiedade

• Ansiedade, ânsia ou nervosismo é uma


característica biológica do ser humano,
que antecede momentos de perigo real ou
imaginário, marcada por sensações
corporais desagradáveis, tais como uma
sensação de vazio no estômago, coração
batendo rápido, medo intenso, aperto no
tórax, transpiração etc
Obesidade

• A obesidade define-se como um


desequilíbrio entre a ingestão e o gasto de
energia, em que o excesso de energia
consumido leva a um aumento de gordura
corporal.
Dor na coluna
• A popularmente chamada dor na coluna pode vir de
músculos, nervos, ossos, articulações ou outras
estruturas na coluna vertebral. A dor pode ser
constante ou intermitente, restrita a um local ou
irradiar para outras áreas. A dor pode ser sentida no
pescoço (podendo irradiar para os braços), coluna
superior, ou na região lombar (podendo irradiar para
as pernas).
• Dor na coluna é um dos incômodos mais comuns da
humanidade. Nos Estados Unidos a dor na região
lombar, também chamada de lombalgia, é quinta
causa mais comum de consultas médicas. Em torno
de 90% dos adultos experimentam dor na coluna em
algum ponto da vida, e 50% dos adultos que
trabalham têm dor de coluna todos os anos
Gastrite
• A gastrite é uma inflamação do epitélio
estomacal muitas vezes, tem diferente
significado para os leigos e para os
médicos
Menstruação
• Menstruação é o fenômeno fisiológico do
período fértil da mulher, que ocorre caso
não se dê a fecundação do ovócito II,
permitindo a eliminação periódica através
da vagina, do endométrio uterino (ou
mucosa uterina).
Enjôo

• Náusea ou enjôo é a sensação de


desconforto no estômago com uma
vontade urgente de vomitar
Constipação
• prisão de ventre; estado mórbido
caracterizado por defluxo, calafrios,
catarro, etc.
Próstata
• A próstata é uma glândula exócrina que
faz parte do sistema reprodutor dos
mamíferos machos
Tabagismo
• O tabagismo é uma toxicomania
caracterizada pela dependência física e
psicológica do consumo de nicotina,
substância presente no tabaco.
Diabetes
• Diabetes mellitus é uma doença
metabólica caracterizada por um aumento
anormal da glicose ou açúcar no sangue.
Diabetes Mellitus. ...
Anemia

• A anemia é a diminuição dos níveis de


hemoglobina na circulação. A principal
função da hemoglobina, uma proteína
presente nas hemácias, é o transporte de
oxigênio dos pulmões para os tecidos.
Asma

• Processo inflamatório crônico das vias


aéreas caracterizado por
hiperresponsividade a estímulos
broncoconstrictores com episódios de
limitação ao fluxo aéreo que revertem
espontâneamente ou com auxílio de
medicação.
Hipertensão
•A hipertensão arterial (HTA) ou
hipertensão arterial sistêmica (HAS) é
uma das doenças com maior prevalência
no mundo moderno e é caracterizada pelo
aumento da pressão arterial, medida com
esfigmomanômetro ("aparelho de
pressão"), tendo como causas a
hereditariedade, a obesidade, o
sedentarismo
Tratamento
Distribuição
auriculares na
metodologia
francesa dos pontos
Tratamentos Específicos de
Auriculoterapia
Tratamento
Auriculoterapia em
tratamento específico de
drogas

O tratamento através da auriculoterapia


visa sanar os sintomas de intoxicação
por drogas, à medida que vão surgindo,
tais como: lacrimejamento, rinite, dores
ósseas, dispnéia, espasmos
abdominais, diarréia e irritabilidade.
• Os pontos utilizados são:
• Ponto principal: ponto do pulmão (82).
• Ponto auxiliar: ponto asma (109).
• Interpretação das prescrições:
• O trato respiratório é o principal sistema
envolvido nas intoxicações por drogas.
Portanto, deve-se usar o ponto pulmão.
O ponto Shen-men é utilizado como
tranqüilizante, enquanto o ponto asma é
empregado para aliviar o paciente de
crises asmáticas, que ocorrem
geralmente nos apreensivos.
Auriculoterapia
em tratamento
específico do
fumo
• O princípio terapêutico se iguala ao
empregado no vício de drogas e, por esta
razão, o tratamento é realizado de modo
similar. Os pontos empregados no
entanto, sofrem algumas alterações:
• Ponto principal: ponto do pulmão (82),
ponto diafragma (2).
• Ponto auxiliar: ponto asma (109), ponto
Shen-men (107), ponto laringe e faringe
(55).
• Interpretação das prescrições
• O trato respiratório é o principal sistema
envolvido nas intoxicações por fumo.
Portanto, são empregados o ponto do
pulmão e o ponto diafragma. O ponto
Shen-men é usado para aliviar o paciente
de crises asmáticas. O ponto laringe e
faringe servem para casos de vícios que
datam de longo período.
Auriculoterapia em
tratamento específico
para o alcoolismo

• A auriculoterapia busca cuidar dos


sintomas dos distúrbios mentais
sistematicamente.
• Ponto principal: ponto pulmão
(82), ponto Shen-men (107),
ponto alcoólatra (71).
• Ponto auxiliar: ponto do estômago
(62), ponto occipital (35).
• Interpretação das prescrições
• Os pontos auxiliares devem ser
selecionados de acordo com o
tratamento dos complexos
sintomas que possam surgir nos
casos mencionados, uma vez que
os vícios por drogas fumo e álcool
trazem conseqüências para todo
o organismo.
Auriculoterapia em
tratamento
específico para a
obesidade
• O princípio terapêutico é o de reduzir a
fome, diminuindo a ingestão calórica.
• Ponto principal: ponto da fome (52).
• Ponto auxiliar: ponto estômago (62), ponto
pulmão (82), ponto Shen-men (107), ponto
S.N.V (88).
• Interpretação das prescrições
• O ponto da fome é usado tanto pra
diminuir quanto pra estimular o apetite.
Empregado em conjunto com o ponto
estômago e pulmão, é observado
decréscimo do apetite. O ponto Shen-men
é parassimpático, diminui os sintomas da
fome advindos do fundo nervoso. O
paciente é instruído massagear esse local
(para estimulá-lo) durante um minuto,
meia hora antes das refeições diárias.
Tratamento para
doenças comuns
Cefaléia
Utilizar os pontos
frontal, occipital e
cérebro, borda
média, ápice da
orelha.
Frontal 33
Occiptal 35
Cérebral 40
Enxaqueca
• Utilizar os pontos frontal
(33), temporal (34),
occipital (35), Shen-men e
auxiliares pescoço (96),
coração (83), fígado (75),
ápice da orelha (7) e
hélice 6 (20).
• Selecione 3 a 5 pontos
para cada tratamento.
Durante um ataque,
podem ser acrescentados
sangria no hélice 6 e ápice
da orelha para diminuir a
pressão exercida na
cabeça.
Rigidez do
pescoço
• Utilizar pontos mais
sensíveis na fronte e
vértebra cervical.
• Principais Vertebras
cervicais (95) e
Pescoco (96)
• Auxiliares Vertebras
torácicas (94),
vertebras lombares
(92), Vertebras
sacro/cocix (90)
Ciática
• Utiliza-se Ísquios.
Aplique na área
afetada
primeiramente, se
não houver melhora,
aplique o mesmo
ponto do lado sadio.
• Lombalgia 93 e
Nerno ciático (89)
Colecistite aguda
e cálculos na
vesícula

• Utilizar o Shen-men
da orelha direita em
direção ao abdome,
extremidade da cruz
inferior da hélice e
vesícula biliar (73)
Asma brônquica

• Utilizar os pontos pulmão


(82), traquéia (80), ápice
inferior do trago, ápice do
antítrago e Shen-men.
Auxiliares são raiz do
nervo vago, rim, intestino
grosso. Este tratamento
deve ser feito diariamente
durante um ataque.
• Pode acrescentar
brônquios (81) e pulmão
lateral (84)
Bronquite aguda

• Os pontos são
pulmão, traquéia e
Shen-men da orelha,
os auxiliares são
occipital, ápice
inferior do trago e
raiz do nervo vago.
Hipertensão

• Os pontos são ápice


inferior do trago, sulco
inferior da cruz da
anti-hélice, hélice e
Shen-men, os auxiliares
são intertrago, frontal,
temporal, fígado e rim.
Fazer um intervalo de
uma semana após dez
sessões.
Gastrite crônica

• Utilizar o
estômago,
extremidade da
cruz inferior da
anti-hélice e
pulmão os pontos
auxiliares são
fígado, baço, boca
e intertrago
Casos clínicos
Caso Clínico
Caso Clínico
Caso Clínico
ALGUMAS DICA
USO DE ESFERAS.
• SHEN MEN-usa-se mostarda ou cristal.
PONTO ZERO - usa-se esfera de ouro e
esfera de prata a 1 na orelha direita a 2 na
orelha esquerda sempre para obesidade.
OURO tonifica
PRATA seda
CRISTAL harmoniza.
Semente de mostarda seda, tonifica e
harmoniza.