Você está na página 1de 23

P.P.R.A.

NR - 09
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

DAMIANI ESTRUTURAS METÁLICAS E


EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS LTDA

LAGUNA/SC, 30 de Julho de 2019.


ÍNDICE

INFORMAÇÕES DA EMPRESA 3

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES 3

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS 4

DIMENSIONAMENTO DO SESMT - NR 04 5

INTRODUÇÃO 5

NR 09 – PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA 6

LEVANTAMENTO TÉCNICO DAS ATIVIDADES ANÁLISE DOS RISCOS POR FUNÇÃO


AVALIAÇÕES QUANTITATIVAS RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA E HIGIENE DO
TRABALHO 11

NR 12 – SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EM EQUIPAMENTOS 23

NR 23 – SUGESTÃ O PARA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE EXTINTORES 26

NR 24 – CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO 27

ANEXO 28

CRONOGRAMA ANUAL DO PPRA - NR 09 29

CONSIDERAÇÕES FINAIS 31

TERMO DE RESPONSABILIDADE 31
INFORMAÇÕES DA EMPRESA
Empresa ..: DAMIANI ESTRUTURAS ME TALICAS E EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS LTDA
CNPJ........: 00.000.000/0001-00
Endereço .: RUA: MASCARENHAS, Nº 2216
Bairro ......: MAGALHÃES
Cidade .....: LAGUNA-SC
CEP ..........: 88790-000
Fone .........: (48)0000-0000
Jornada de Trabalho: Seg a Sex / 07:30 às 18:15

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES
Ramo de Atividade: Fabricação de estruturas metálicas
Atividade Principal: Fabricação de estruturas metálicas
CNAE P/ NR-4: 25.11-0-00
Código P/ NR-5: C - 13
Em conformidade com a NR 04 - Quadro I, alterado pela portaria nº 01,12//05/1996; Portaria nº
140, de 09/11/2005; Portaria nº 151, de 08/03/2006; Portaria nº 169, de 14/07/2006; Portaria nº 76, de
21/11/2008. A empresa se enquadra no Grau de Risco: 04 (Quatro)
CÓDIGO E DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS SECUNDÁRIAS

CNAE P/ NR-4: 28.61-5-00 - Fabricação de treliças para a indústria da construção civil


Em conformidade com a NR 04 - Quadro I, alterado pela portaria nº 01,12//05/1996; Portaria nº
140, de 09/11/2005; Portaria nº 151, de 08/03/2006; Portaria nº 169, de 14/07/2006; Portaria nº 76, de
21/11/2008. A empresa se enquadra no Grau de Risco: 03 (Três)

CNAE P/ NR-4: 25.43-8-00 - Fabricação de esquadrias específicas em metal


Em conformidade com a NR 04 - Quadro I, alterado pela portaria nº 01,12//05/1996; Portaria nº
140, de 09/11/2005; Portaria nº 151, de 08/03/2006; Portaria nº 169, de 14/07/2006; Portaria nº 76, de
21/11/2008. A empresa se enquadra no Grau de Risco: 03 (Três)

CNAE P/ NR-4: 33.14-7-10 - Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos para uso geral não
especificado anteriormente.
Em conformidade com a NR 04 - Quadro I, alterado pela portaria nº 01,12//05/1996; Portaria nº
140, de 09/11/2005; Portaria nº 151, de 08/03/2006; Portaria nº 169, de 14/07/2006; Portaria nº 76, de
21/11/2008. A empresa se enquadra no Grau de Risco: 03 (Três)

CNAE P/ NR-4: 28.29-1-99 – Manutenção de máquinas e equipamentos de uso geral não especifi- cado
anteriormente, peças e acessórios.
Em conformidade com a NR 04 - Quadro I, alterado pela portaria nº 01,12//05/1996; Portaria nº
140, de 09/11/2005; Portaria nº 151, de 08/03/2006; Portaria nº 169, de 14/07/2006; Portaria nº 76, de
21/11/2008. A empresa se enquadra no Grau de Risco: 03 (Três)
QUADRO DE FUNCIONÁRIOS
Número de Funcionários
Setor Função
Masculino Feminino
Analista Financeiro 00 01
Administrativo
Líder de Projetos 01 00
Encarregado de Produção 01 00
Produção
Operador de Prensa 02 00
Ferramentaria Ferramenteiro 01 00
Solda Soldador -- --
TOTAL GERAL 06 Funcionários

Dimensionamento dos Serviços em Medicina e Segurança do Trabalho


CIPA: Obrigatório a partir de 20 funcionários conforme NR- 05
SESMT: Obrigatório a partir de 50 funcionários conforme NR- 04
ASO: OK
Exames Complementares: OK
PCMSO: O Médico Devera Elaborar
Caixa de Primeiros Socorros: A Empresa Deverá Implantar conforme NR - 7.5.1
Ordem de Serviço: A Empresa Deverá Elaborar, conforme NR - 1.7
Membro / Designado Conforme NR-05: A empresa deverá indicar 01 funcionário conforme NR - 5.6.4
Treinamento para Membros da CIPA: A Empresa Deverá Realizar conforme NR - 5.32.2
Dimensionamento do SESMT - NR 04
NR 4 - QUADRO II ATUAL NECESSÁRIO
Engenheiro de Segurança do Trabalho -- Não obrigatório
Médico do Trabalho -- Não obrigatório
Enfermeiro do Trabalho -- Não obrigatório
Técnico de Segurança do Trabalho -- Não obrigatório
Auxiliar de Enfermagem do Trabalho -- Não obrigatório
Dimensionamento da comissão interna de prevenção de acidentes da Cipa - NR 05
Cipa NR 05 Empregador Empregados
Membros titulares -- --
Membros suplentes -- --

5.2 devem constituir CIPA, por estabelecimento, e mantê-la em regular funcionamento as empresas privadas, públicas, sociedades
de economia mista, órgãos da administração direta e indireta, instituições beneficentes, associações recreativas, cooperativas, bem
como outras instituições que admitam trabalhadores como empregados
Nota -5.6.4 da NR – 05: Quando o estabelecimento não se enquadrar no quadro I, a empresa designará um responsável pelo cumpri-
mento dos objetivos desta NR.
5.32.2 - As empresas que não se enquadrem no quadro I, promoverão anualmente treinamento para o designado responsável pelo
cumprimento do objetivo desta NR.
O treinamento deverá ser repetido quando o trabalhador novamente indica ou reeleito ou mesmo quando o indicado ou eleito já houver
feito o curso anteriormente, o curso deve ser realizado para cada mandato da CIPA ou para o designado.
5.34 - O treinamento terá carga horária de vinte horas, distribuídas em no máximo oito horas diárias e será realizado durante o expedi-
ente normal da empresa.

INTRODUÇÃO

Este documento-base define a estrutura, desenvolvimento, medidas de controle, responsabilidade, informações, dispo-
sições finais e cronograma de ação do programa de prevenção de riscos ambientais - PPRA, Norma Regulamentadora NR-
09, portaria nº. 25 de 19/12/1994, em atendimento à solicitação da empresa elaborou-se o PPRA – Programa de Prevenção
de Riscos Ambientais, em suas dependências.
Periodicidade e a forma de avaliação do desenvolvimento do PPRA

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais terá seu desenvolvimento avaliado anualmente de sua elaboração de
acordo com o item planejamento, metas, prioridades e cronograma, sendo de responsabilidade da Empresa. Com o objetivo
de conhecer a empresa sob o aspecto de Segurança do Trabalho e Higiene Industrial, o Programa visa a preservação da sa-
úde e da integridade dos trabalhadores no que diz respeito as suas atividades laborais, através da antecipação, reconheci-
mento, avaliação e controle dos riscos do ambiente e dos funcionários que estão expostos a estes riscos, levando em consi-
deração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais.
As ações do PPRA foram desenvolvidas na Empresa com a participação dos funcionários sob a responsabilidade desta,
sendo sua abrangência e profundidade dependentes dos riscos gerados no ciclo do trabalho.
Os Riscos Ambientais causados por Agentes Físicos - (quantitativo - ruído e iluminação); Agentes Químicos (qualita-
tivo); Agentes Biológicos - (qualitativo); Agentes Ergonômicos (análise do posto de trabalho); Riscos de Acidentes (análise
do posto de Trabalho), existentes no ambiente de trabalho foram analisados neste documento que também servirá de base
para a elaboração do Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PCMSO, Norma Regulamentadora NR - 7, onde
deverá através de avaliações qualitativas conforme necessidade de controle analisado pelo Médico Coordenador da Empre-
sa, controlar os funcionários expostos para melhor adequação das medidas preventivas e medidas de controle a eles, à fonte
e ao ambiente.Todas as alterações realizadas que modifiquem a exposição do funcionário à agentes de risco ou riscos gera-
dos no ambiente, a melhoria deste documento-base ou a introdução de medidas de controle necessárias para o bom funcio-
namento deste programa deverão constar em Anexos a este documento, como anexos de melhorias.

NR 09 – Programa de prevenção de riscos ambientais PPRA

Esta norma estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação por parte dos empregadores que admitam em-
pregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais -PPRA, visando a preservação e controle da ocorrência de ris-
cos ambientais, existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em mente a proteção do meio ambiente e
dos recursos naturais. O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo de preser-
vação da saúde e da integridade dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais Normas Regula-
mentadoras, em especial com o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO, previsto na NR-7. Consi-
deram-se Riscos Ambientais os agentes físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos/acidentes existentes no
ambiente de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de
causar danos à saúde do trabalhador ou lesão.

Define cada agente

Consideram-se agentes físicos diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como ruí-
do, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações não ionizantes, radiações ionizantes, bem como o infra-
som e ultra-som. Consideram-se agentes químicos as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organis-
mo pela via respiratória, nas formas de poeira, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que pela natureza da atividade
de exposição possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão. Consideram-se agentes
biológicos as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros. Consideram-se agentes ergonômicos es-
forço físico, levantamento de peso, postura inadequada, controle rígido de produtividade, situação de estresse, trabalhos em
período noturno, jornada de trabalho prolongada, monotonia e repetitividade, imposição de rotina intensa. Consideram-se
agentes mecânicos/acidentes condições físicas (do ambiente físico de trabalho) e tecnológicas impróprias, capazes de colo-
car em perigo a integridade física do trabalhador.

O PPRA deverá conter, no mínimo, a seguinte estrutura

A - Planejamento anual com estabelecimento de metas, prioridades e cronograma;


B - Estratégia e Metodologia de ação;
C - Forma de registro, manutenção de divulgação dos dados;
D - Periodicidade e forma de avaliação do desenvolvimento do PPRA.
* Análise Global para avaliação do seu desenvolvimento e ajustes necessários, deverão ser realizados sempre que necessá-
rio, ou pelo menos. (01) uma vez por ano;
* Deverá ser escrito um documento base, contendo todos os seus aspectos estruturais.
A antecipação deverá envolver análise de projetos de novas instalações, métodos ou processos de trabalho, ou de modi-
ficação dos já existentes, visando identificar os riscos potenciais e introduzir medidas de proteção para sua redução ou eli-
minação.
O reconhecimento dos riscos ambientais deverá conter:

 A sua identificação
 A determinação e localização de possíveis fontes geradoras;
 A identificação das possíveis trajetórias e dos meios de propagação dos agentes no ambiente de trabalho;
 A identificação da função e determinação do número de trabalhadores expostos;
 A caracterização das atividades e do tipo de exposição;
 A obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possível comprometimento da saúde decorrente do
Trabalho;
 Os possíveis danos à saúde identificados através de literatura técnica;
 Descrição de medidas de controle já existentes na empresa.

Desenvolvimento do PPRA

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais deve incluir as seguintes etapas


a) antecipação e reconhecimento dos riscos;
b) estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle;
c) avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores;
d) implantação de medidas de controle e avaliação da sua eficácia;
e) monitoramento da exposição aos riscos;
f) registro e divulgação dos dados.

A avaliação quantitativa deve ser realizada sempre que necessária para


a) comprovar o controle da exposição ou a inexistência dos riscos identificados na etapa de reconhecimento;
b) dimensionar a exposição dos trabalhadores;
c) subsidiar o equacionamento das medidas de controle.

Medidas de controle
Deverão ser adotadas as medidas necessárias e suficientes para a eliminação, a minimização ou o controle dos riscos
ambientais sempre que forem verificadas situações constantes nesta NR.

Avaliação dos riscos e exposição do trabalhador


Havendo necessidade deverá ser utilizada Análise Quantitativa, nos seguintes casos
 Comprovar o controle da exposição ou a inexistência dos riscos identificados na etapa de reconhecimento;
 Dimensionar a exposição dos trabalhadores aos riscos;
 Subsidiar o equacionamento das medidas de controle.
Implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia
Deverão ser implantadas medidas suficientes para a eliminação, a minimização ou o controle
dos riscos ambientais sempre que forem verificadas as seguintes situações
 Identificação, na fase de antecipação de risco potencial à saúde;
 Constatação, na fase de reconhecimento de risco evidente à saúde;
 Quando os resultados das avaliações quantitativas da exposição dos trabalhadores que excederem os valores dos limites
previstos na NR-15 ou, outros que venham a ser acordados em negociação coletiva de trabalho, desde que mais rigorosas
do que os créditos tecnológicos estabelecidos;
 Quando a critério Médico ficar caracterizado o nexo causal entre danos observados na saúde dos trabalhadores e a situ-
ação de trabalho a que ele estiver exposto.
O desenvolvimento e implantação de medidas de controle deverão seguir a seguinte hierar-
quia
a) Medidas que eliminam ou reduzem a utilização ou formação de agentes prejudiciais à saúde.
b) Medidas que previnam a liberação ou contaminação desses agentes no ambiente de trabalho.
c) Medidas que reduzam os níveis ou a concentração desses agentes no ambiente de trabalho.

“Todas as medidas de controle deverão vir acompanhadas de treinamento aos funcionários, que
utilizarão os equipamentos, seja de proteção coletiva ou individual”.
A utilização de EPI's no âmbito do programa deverá considerar as Normas Legais, (NR-6) e
administrativas em vigor e também o controle Médico dos riscos, conforme a NR-7; além de:
 Seleção do EPI adequado por profissional qualificado a cada função em conseqüência do tipo de exposição ao risco
e conforto do trabalhador;
 Programa de treinamento para sua correta utilização;
 Estabelecimento de normas para sua utilização, higienização e manutenção.
Deverá ser realizada uma avaliação sistemática e repetitiva, dos riscos levantados, visando mudança nas medidas de
controle, sempre que necessário.

Registro e divulgação dos dados

O empregador deverá manter um registro de dados, de forma a constituir um documento histórico técnico que deverá
ser mantido por um período de no mínimo 20 anos. Deverá estar sempre disponível aos trabalhadores e para as autoridades
competentes.
Informações
Os trabalhadores interessados terão o direito de apresentar propostas e receber informações e orientações a fim de as-
segurar a proteção aos riscos identificados na execução do PPRA.
Os empregadores deverão informar os trabalhadores de maneira apropriada e suficiente sobre os riscos ambientais que
possam originar-se nos locais de trabalho e sobre os meios disponíveis para prevenir ou limitar tais riscos e para proteger-se
dos mesmos.
Cabe ao empregador
Estabelecer, programar e assegurar o cumprimento do PPRA, como atividade permanente dentro da empresa, inclusive
de interromper de imediato, na ocorrência de risco no local de trabalho que implique em perigo iminente para os trabalha-
dores expostos aos riscos ambientais gerados.
Cabe aos Empregados
 Colaborar e participar na implantação do programa;
 Seguir as orientações do treinamento do programa;
 Informar ao seu superior qualquer risco que tenha conhecimento que possa implicar em risco à saúde do trabalhador. O
conteúdo deste documento base e seus anexos serão divulgados sempre que possível nas atividades de Segurança e Medici-
na do Trabalho, no Boletim Mensal da Empresa e sempre que o funcionário poderá ter acesso a ele.

Antecipar e reconhecer riscos

Para a antecipação dos riscos nos setores do Departamento Produtivo, utilizamos Avaliação Qualitativa, por setores,
segundo metodologia da Fundacentro, Avaliação Ambiental e Mapa de Risco da Empresa quando existente.
Nível de ação
Considera-se Nível de Ação, aquele valor acima do qual devem ser iniciadas ações preventivas de forma a minimizar a
probabilidade de que as exposições a agentes ambientais ultrapassem os limites de exposição. As ações devem incluir o
monitoramento periódico da exposição, a informação aos trabalhadores e o controle médico.
Agentes físicos
Ruído: Conforme critério estabelecido na NHO-01, Norma de Higiene Ocupacional, procedimento técnico para avaliação
da exposição ocupacional ao ruído, Ministério do Trabalho e Emprego / Fundacentro. Neste critério o limite de exposição
ocupacional diária ao ruído corresponde a NEN (Nível de Exposição Normalizado) igual a 85 dB(A), e o limite de exposi-
ção valor teto para ruído contínuo ou intermitente é de 115 dB(A).
Agentes químicos
Para os Agentes Químicos, a metade dos limites de Exposição Ocupacional considerados na NR-15, Anexos 11 e 13.
Monitoramento: O Monitoramento dos riscos a que estão expostos os funcionários será realizado com a confrontação de
dados do PPRA
 Estabelecer a relação, quando possível, entre a concentração de agentes contaminantes no ambiente e o estado de saúde
dos indivíduos expostos.
 Verificar as concentrações dos agentes físicos, químicos, biológicos e determinar em amostras ambientais se está de
acordo com os padrões de segurança estabelecidos legalmente como Limites de Tolerância, recomendados nas Normas Re-
gulamentadoras ou recomendados e aceitos por um grupo de especialistas de forma consensual.
 Verificar a eficiência de medidas de controle desses contaminantes.
 Determinar as principais fontes que veiculam substâncias tóxicas para os organismos.
 Avaliar a necessidade de controle de uma fonte específica de emissão.
 Determinar os problemas específicos de contaminação por substâncias físicas, químicas, biológicas e de acidentes no
ambiente de trabalho.
Disposições finais
Em todas as suas fases devem ser incluídos os dados consignados no Mapa de Risco, previsto na NR-5, para fins de
planejamento e execução do PPRA. O empregador deverá garantir que, na ocorrência de riscos ambientais nos locais de
trabalho que coloque em situação de grave e iminente perigo um ou mais trabalhadores, os mesmos possam interromper de
imediato suas atividades, comunicando o fato ao superior hierárquico direto para as devidas providências. A empresa deve
comunicar o acidente do trabalho, ocorrido com seu empregado, havendo ou no não afastamento do trabalho, até o primeiro
dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, de imediato à autoridade competente, sob pena de multa variável en-
tre o limite mínimo e o teto máximo do salário-de-contribuição, sucessivamente aumentada nas reincidências, aplicada e
cobrada na forma do artigo 109 do Decreto nº 2.173/97.
Disposição geral
“As Normas Regulamentadoras - NR, relativas à segurança e medicina do trabalho, são de observância obrigatória pe-
las empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos Po-
deres Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT”. As dis-
posições contidas nas Normas Regulamentadoras – NR aplicam-se, no que couber, aos trabalhadores avulsos, às entidades
ou empresas que lhes tomem o serviço e aos sindicatos representativos das respectivas categorias profissionais. Sempre que
uma ou mais empresas, tendo, embora, cada uma delas, personalidade jurídica própria, estiverem sob direção, controle ou
administração de outra, constituindo grupo industrial, comercial ou de qualquer outra atividade econômica, serão, para efei-
to de aplicação das Normas Regulamentadoras - NR, solidariamente responsáveis a empresa principal e cada uma das su-
bordinadas. Para efeito de aplicação das Normas Regulamentadoras - NR, a obra de engenharia, compreendendo ou não
canteiro de obra ou frentes de trabalho, será considerada como um estabelecimento, a menos que se disponha, de forma di-
ferente, em NR específica.
Cabe ao empregador
a) cumprir e fazer cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e medicina do trabalho.
b) elaborar ordens de serviço sobre segurança e saúde no trabalho, dando ciência aos empregados por comunicados, carta-
zes ou meios eletrônicos.
c) informar aos trabalhadores:
I. Os riscos profissionais que possam originar-se nos locais de trabalho.
II. Os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa.
III. Os resultados dos exames médicos e de exames complementares de diagnóstico aos quais os próprios trabalhadores fo-
rem submetidos.
IV. Os resultados das avaliações ambientais realizadas nos locais de trabalho.
d) permitir que representantes dos trabalhadores acompanhem a fiscalização dos preceitos legais e regulamentares sobre
segurança e medicina do trabalho.
e) determinar procedimentos que devem ser adotados em caso de acidente ou doença relacionada ao trabalho.
Cabe ao trabalhador
a) cumprir as disposições legais e regulamentares sobre segurança e saúde do trabalho, inclusive as ordens de serviço expe-
didas pelo empregador.
b) usar o EPI fornecido pelo empregador.
c) submeter-se aos exames médicos previstos nas Normas Regulamentadoras – NR.
d) colaborar com a empresa na aplicação das Normas Regulamentadoras – NR.
“Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao cumprimento das normas citadas”

LEVANTAMENTO TÉCNICO DAS ATIVIDADES ANÁLISE DOS


RISCOS POR FUNÇÃO AVALIAÇÕES QUANTITATIVAS
RECOMENDAÇÕES DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO
ADMINISTRATIVO
Função: Analista Financeiro/ Líder de Projetos
Descrição da Atividade: Analista Financeiro
Realizar atividades de atendimento ao cliente, vendas de produtos, compras de mercadorias, emissão de nota fiscal, emissão de cobrança bancária e controle do registro ponto.
Descrição da Atividade: Líder de Projetos
Supervisiona projetos, planeja sua execução e acompanha escopo estabelecido e o progresso das rotinas, a fim de cumprir metas, prazos e custos estabelecidos. Identifica os ris-
cos para estudar formas de minimizar impactos e corrigir ações.
Trajetórias e Tipo de Forma de Valores Consequências Meio de Controle Meio de Controle
Risco Ocupacional Agente de Risco Fonte Geradora
meio de Exposição Avaliação Encontrados Possíveis Existente Proposto
Propagação
Realização de suas Problema de coluna, Orientar funcionários sobre postura correta de
Habitual e
Risco Ergonômico Postura Inadequada atividades com uso do --- Qualitativo Não mensurado dores musculares, -- trabalho conforme NR-17 e modelo anexo.
Intermitente
microcomputador cansaço, irritação.
Risco de Acidente Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --
Risco Físico Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --
Risco Químico Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --
Risco Biológico Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --

Avaliação de Ruído dB (A) Previdenciário (NHO-01) Trabalhista (NR - 15) Avaliação de Iluminação (lux)
Tempo máximo Tempo máximo
Nível dB(A) Tempo efetivo de exposição Valores Mínimo Exigido
Equipamento/ Local Permissível em Valor da Dose Permissível em Valor da Dose Tipo de Iluminação
CN (minutos) encontrados NBR 5413
CN (minutos) CN (minutos)
Administrativo 52 -- -- -- -- -- LNA 328 300
Total: -- Total: --
PRODUÇÃO
Função: Encarregado de Produção/ Operador de Prensa.
Descrição da Atividade: Encarregado de Produção
Supervisionar, e orientar equipe de trabalho. Realiza inspeção de qualidade das peças acabadas. Realiza o transporte cargas e descargas dos matérias, realizar lavam das peças no
tamborador. Mantem o ambiente limpo e organizado
Descrição da Atividade: Operador de Prensa
Operar serra, furadeira, e dar acabamento nas peças. Realizar inspeção de qualidade das peças acabadas. Realizar o transporte dos materiais. Manter o ambiente de trabalho lim-
po e organizado.
Trajetórias e Tipo de Forma de Valores Consequências Meio de Controle Meio de Controle
Risco Ocupacional Agente de Risco Fonte Geradora
meio de Exposição Avaliação Encontrados Possíveis Existente Proposto
Propagação
Realização de suas Problema de colu- Orientar funcionários sobre postura correta de
Habitual e
Postura Inadequada atividades com uso --- Qualitativo Não na, dores muscula- -- trabalho conforme NR-17 e modelo anexo.
Intermitente
do microcomputador Mensurado res, cansaço,
irritação.
Risco Ergonômico Levantamento e Transpor- Manuseio e movi- Problema de colu- Orientação e treinamen-
Manter orientação e treinamento sobre levantamento
te manual de peso mentação de peças --- Habitual e Não na, dores muscula- to sobre levantamento e
Qualitativo e transporte manual de peso, conforme NR-17 e
dentro do processo de Intermitente Mensurável res, cansaço, transporte de peso
modelo anexo.
produção irritação e possíveis
problemas lomba-
res.
Não Óculos de proteção, Manter fornecimento de Óculos de Proteção incolor,
Projeção de corpos estra- Manuseio e movi- --- Habitual e Mensurável Calçado de Segurança. Calçado de Segurança com CA (Certificado de
Qualitativa Lesões corporais
nhos nos olhos, mentação de peças Intermitente Aprovação) valido, e fiscalizar conforme NR-06.
Óculos de proteção, Manter fornecimento de Óculos de Proteção incolor,
Corte nos membros Realização de suas Habitual e Não
--- Qualitativa Lesões corporais Calçado de Segurança. Calçado de Segurança com CA (Certificado de
superiores atividades Intermitente Mensurável
Aprovação) valido, e fiscalizar conforme NR-06.
Manter fornecimento de Calçado de Segurança e CA
Queda de obje- Transporte de materi- Habitual e Não
--- Lesões corporais Calçado de Segurança. (Certificado de Aprovação) e fiscalizar conforme
tos/materiais nos pés ais Intermitente Qualitativa Mensurável NR-06.
Risco de Acidente
Batidas contra, agarra- Cantos vivos, e partes Cortes, escoriações Faixas, placas de sinali- Não remover partes de proteção das máquinas,
mento, esmagamento e moveis das máquinas --- Habitual e Qualitativo Não mensurá- e possíveis esma- zações e EPC. manter a ações administrativas vigentes e a organi-
escoriações. intermitente vel gamentos e ampu- zação dos setores.
tações.
Lesões corporais Fornecer, treinar e documentar e tornar o uso obriga-
Queda de materiais em Manuseio e transpor- Calçado de
Habitual e Qualitativo Não diversas em mem- tório de calçado de segurança com CA certificado de
membros inferiores te de peças produzi- Segurança
--- Intermitente mensurável bros inferiores sem Aprovação conforme NR -06.
das
dimensionamento
de gravidade
Cansaço, irritação, Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o
Máquinas de corte e Habitual e
Ruído Ar ambiente Quantitativo Vide planilha dor de cabeça. Protetor auricular tipouso de: Protetor auricular tipo plug com abafador
Risco Físico equipamentos Intermitente
plug com abafador CA (Certificado de Aprovação) conforme NR – 06 e
fiscalizar o seu uso conforme NR-06.
Realização de suas Creme de proteção para Fornecer, treinar e documentar e tornar o uso obriga-
Hidrocarbonetos (Óleos e atividades em manu- Vias respirató- Habitual e Não Irritação das vias a pele, luvas de PVC, tório mascara respiratória PFF-1, luvas de pvc, e
Risco Químico Qualitativo
graxas); Thinner. tenção e reparo de rias, dérmica e Intermitente mensurado respiratórias. mascara PFF1 creme de proteção para a pele com CA certificado de
equipamentos cutânea. Irritação na pele. Aprovação conforme NR – 06.
Risco Biológico Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --

Avaliação de Ruído dB (A) Previdenciário (NHO-01) Trabalhista (NR - 15) Avaliação de Iluminação (lux)
Tempo máximo Tempo máximo
Nível dB(A) Tempo efetivo de exposição Valores Mínimo Exigido
Equipamento/ Local Permissível em Valor da Dose Permissível em Valor da Dose Tipo de Iluminação
CN (minutos) encontrados NBR 5413
CN (minutos) CN (minutos)
Prensa 86 80 381 0,21 420 0,19 LNA 1520 300
Guilhotina 79 80 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 308 300
Retifica 76 80 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 735 300
Torno 81 60 1215 0,05 835 0,10 LNA 744 300
Furadeira Industrial 78 30 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 2785 300
Lixadeira 79 30 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 1463 300
Esmeril 83 30 789 0,04 651 0,05 LNA 1257 300
Serra 64 30 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 1249 300
Tamborador 91 60 120 0,50 210 0,29 LNA 872 300
Total: 0,80 Total: 0,63
PRODUÇÃO
Função: Ferramenteiro
Descrição da Atividade: Ferramenteiro
Planejam e organizam o local de trabalho para execução de atividades de ajustagem mecânica. Fabricam, reparam, realizam manutenção e instalam peças e equipamentos, se-
gundo normas de qualidade e segurança do trabalho. Operar serra torno, furadeiras, fresadora, plaina e ferramentas manuais. Realizar a carga e descarga dos caminhões, receber e
estocar os materiais e peças prontas. Regular todas as máquinas, trocar as ferramentas das prensas e manter o ambiente de trabalho organizado.
Trajetórias e Tipo de Forma de Valores Consequências Meio de Controle Meio de Controle
Risco Ocupacional Agente de Risco Fonte Geradora
meio de Exposição Avaliação Encontrados Possíveis Existente Proposto
Propagação
Problema de coluna, Orientar funcionários sobre postura correta de trabalho
Habitual e
Postura Inadequada Atividades em --- Qualitativo Não dores musculares, -- conforme NR-17 e modelo anexo.
Intermitente
geral mensurável cansaço, irritação.
Risco Ergonômico
Levantamento e trans- Problema de coluna, Orientar funcionários sobre transporte manual de peso
Transporte de Habitual e
porte manual de peso --- Qualitativo Não mensura- dores musculares, -- conforme modelo e anexo.
materiais Intermitente
do cansaço, irritação.
Óculos de proteção, Manter fornecimento de Óculos de Proteção incolor,
Projeção de corpos Manuseio e movi- --- Habitual e Não Calçado de Segu- Calçado de Segurança com CA (Certificado de Apro-
Qualitativa Lesões corporais
estranhos nos olhos, mentação de peças Intermitente Mensurável rança. vação) valido, e fiscalizar conforme NR-06.
Óculos de proteção, Manter fornecimento de Óculos de Proteção incolor,
Corte nos membros Realização de suas Habitual e Não
--- Qualitativa Lesões corporais Calçado de Segu- Calçado de Segurança com CA (Certificado de Apro-
superiores atividades Intermitente Mensurável
rança. vação) valido, e fiscalizar conforme NR-06.
Manter fornecimento de Calçado de Segurança e CA
Queda de obje- Transporte de Habitual e Não
--- Lesões corporais Calçado de Segu- (Certificado de Aprovação) valido, e fiscalizar con-
Risco de Acidente tos/materiais nos pés materiais Intermitente Qualitativa Mensurável rança. forme NR-06.
Batidas contra, agarra- Cantos vivos, e Cortes, escoriações e Faixas, placas de Não remover partes de proteção das máquinas, manter
mento, esmagamento e partes moveis das --- Habitual e Qualitativo Não mensurá- possíveis esmagamen- sinalizações e EPC. a ações administrativas vigentes e a organização dos
escoriações. máquinas intermitente vel tos e amputações. setores.
Lesões corporais diver- Fornecer, treinar e documentar e tornar o uso obrigató-
Queda de materiais em Manuseio e trans-
Habitual e Qualitativo Não sas em membros inferi- rio de calçado de segurança com CA certificado de
membros inferiores porte de peças Calçado de
--- Intermitente mensurável ores sem dimensiona- Aprovação conforme NR -06.
produzidas Segurança
mento de gravidade
Maquinas ferra- Ar, ambiente Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o
mentas e equipa- canal do sistema Habitual e Dores de cabeça, irrita- Protetor auricular uso de: Protetor auricular tipo plug com abafador CA
Ruído Qualitativo
mentos da produ- auditivo. Intermitente Vide a planilha ção, cansaço. tipo plug com (Certificado de Aprovação) conforme NR – 06 e
Risco Físico ção abafador fiscalizar o seu uso conforme NR-06.
Radiações não ionizan- Processo de solda Queimaduras, lesões Óculos de seguran- Manter fornecimento de óculos de segurança, luvas e
tes Ar e Habitual e Não nos olhos e órgãos ça, luvas e vesti- vestimentas em raspa de couro e fiscalizar seu uso
Qualitativo
Ambiente Intermitente Mensurável internos. mentas em raspa. conforme NR – 06.
Febre de fumos, náu- Máscara respirató- Fornecer, treinar, documentar e tornar o uso obrigató-
Aerodispersoíides
Processo de solda Ar e Habitual e Não seas, irritação do nariz, ria contra fumos rio de máscara respiratória contra fumos metálicos
fibrogênico: Qualitativo
Risco Químico Ambiente Intermitente Mensurado garganta e olhos. metálicos PFF2 com CA Certificado de Aprovação e fiscalizar o
Fumos metálicos
PFF1/PFF2 uso conforme NR – 06.
Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o
Aerodispersoíides Processo de corte Ar ambiente e Habitual e Não Irritação das vias aéreas Máscara respirató- uso de Máscaras respiratórias tipo PFF1/PFF2 com
fibrogênico: acabamento e vias aéreas Intermitente Qualitativa Mensurado respiratórias superiores ria contra fumos C.A(Certificado de Aprovação) conforme NR-06.
poeiras metálicas lixamento de peças respiratórias metálicos Implantar e implementar PPR(Programa de Proteção
PFF1/PFF2 respiratória conforme IN (Instrução Normativa) Nº01
de 04 /94 da FUNDACENTRO
Realização de suas Creme de proteção Fornecer, treinar e documentar e tornar o uso obrigató-
Hidrocarbonetos (Óleos atividades em Vias respirató- Habitual e Não Irritação das vias respi- para a pele, luvas rio mascara respiratória PFF-1, luvas de pvc, e creme
Qualitativo
e graxas); Thinner. manutenção e rias, dérmica e Intermitente mensurado ratórias. Irritação na de PVC, mascara de proteção para a pele com CA certificado de Apro-
reparo de equipa- cutânea. pele. PFF1 vação conforme NR – 06.
mentos
Risco Químico Febre de fumos metáli- Máscara respirató- Manter fornecimento de máscara respiratória contra
Não
Ar ambiente Habitual e cos, náuseas, irritação ria contra fumos fumos metálicos, óculos de segurança, touca de solda-
Arame de Solda MIG Processo de solda Qualitativo Mensurado
Intermitente do nariz, garganta e metálicos, óculos dor, luvas, aventais, perneira e mangotes em raspa de
olhos, os raios podem de segurança e couro e mascara de solda. Adequar exaustor. Treinar e
danificar seriamente os vestimentas em documentar seu uso conforme NR-06.
olhos e pele. raspa de couro.
Risco Biológico Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --

Avaliação de Ruído dB (A) Previdenciário (NHO-01) Trabalhista (NR - 15) Avaliação de Iluminação (lux)
Tempo máximo Tempo máximo
Nível dB(A) Tempo efetivo de exposição Valores Mínimo Exigido
Equipamento/ Local Permissível em Valor da Dose Permissível em Valor da Dose Tipo de Iluminação
CN (minutos) CN (minutos) CN (minutos) encontrados NBR 5413

Prensa 86 80 381 0,21 420 0,19 LNA 1520 300


Guilhotina 79 80 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 308 300
Retifica 76 80 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 735 300
Torno 81 60 1215 0,05 835 0,10 LNA 744 300
Furadeira Industrial 78 30 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 2785 300
Lixadeira 79 30 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 1463 300
Esmeril 83 30 789 0,04 651 0,05 LNA 1257 300
Solda 83 30 789 0,04 651 0,05 LNA 1249 300
Tamborador 91 60 120 0,50 210 0,29 LNA 872 300
Total: 0,84 Total: 0,68
SOLDA
Função: Soldador
Descrição da Atividade: Soldador
Operar máquina de Solda Mig. Realizar atividades com esmerilhadora, furadeira, lixadeira. Realizar a carga e descarga dos caminhões, receber e estocar os materiais e peças
prontas. Manter o local de trabalho em ordem.
Trajetórias e Tipo de Forma de Valores Consequências Meio de Controle Meio de Controle
Risco Ocupacional Agente de Risco Fonte Geradora
meio de Exposição Avaliação Encontra- Possíveis Existente Proposto
Propagação dos
Problema de coluna, Orientar funcionários sobre postura correta de trabalho
Habitual e
Postura Inadequada Atividades em --- Qualitativo Não mensu- dores musculares, -- conforme NR-17 e modelo anexo.
Intermitente
geral rável cansaço, irritação.
Risco Ergonômico
Levantamento e trans- Problema de coluna, Orientar funcionários sobre transporte manual de peso
Transporte de Habitual e
porte manual de peso --- Qualitativo Não mensu- dores musculares, -- conforme modelo e anexo.
materiais Intermitente
rado cansaço, irritação.
Não Óculos de proteção, Manter fornecimento de Óculos de Proteção incolor,
Projeção de corpos Manuseio e --- Habitual e Mensurável Calçado de Segurança. Calçado de Segurança com CA (Certificado de Aprova-
Qualitativa Lesões corporais
estranhos nos olhos, movimentação de Intermitente ção) valido, e fiscalizar conforme NR-06.
peças
Óculos de proteção, Manter fornecimento de Óculos de Proteção incolor,
Corte nos membros Realização de Habitual e Não
--- Qualitativa Lesões corporais Calçado de Segurança. Calçado de Segurança com CA (Certificado de Aprova-
superiores suas atividades Intermitente Mensurável
ção) valido, e fiscalizar conforme NR-06.
Manter fornecimento de Calçado de Segurança e CA
Queda de obje- Transporte de Habitual e Não
Risco de Acidente --- Lesões corporais Calçado de Segurança. (Certificado de Aprovação) valido, e fiscalizar conforme
tos/materiais nos pés materiais Intermitente Qualitativa Mensurável NR-06.
Lesões corporais diver- Fornecer, treinar e documentar e tornar o uso obrigatório
Queda de materiais em Manuseio e Calçado de
Habitual e Qualitativo Não sas em membros inferi- de calçado de segurança com CA certificado de Aprova-
membros inferiores transporte de Segurança
--- Intermitente mensurável ores sem dimensiona- ção conforme NR -06.
peças produzidas
mento de gravidade
Batidas contra, agarra- Cantos vivos, e Cortes, escoriações e Faixas, placas de sinaliza- Não remover partes de proteção das máquinas, manter a
mento, esmagamento e partes moveis --- Habitual e Qualitativo Não mensu- possíveis esmagamen- ções e EPC. ações administrativas vigentes e a organização dos
escoriações. das máquinas intermitente rável tos e amputações. setores.
Maquinas ferra- Ar, ambiente Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso
mentas e equi- canal do Dores de cabeça, irrita- Protetor auricular tipo de: Protetor auricular tipo plug com abafador CA (Certi-
Ruído Habitual e Qualitativo Vide a
pamentos da sistema auditi- ção, cansaço. plug com abafador ficado de Aprovação) conforme NR – 06 e fiscalizar o
Intermitente planilha
Risco Físico produção vo. seu uso conforme NR-06.
Radiações não ionizan- Processo de Queimaduras, lesões Óculos de segurança, Manter fornecimento de óculos de segurança, luvas e
tes solda Ar e Habitual e Não nos olhos e órgãos luvas e vestimentas em vestimentas em raspa de couro e fiscalizar seu uso con-
Qualitativo
Ambiente Intermitente Mensurável internos. raspa. forme NR – 06.
Febre de fumos, náu- Máscara respiratória Fornecer, treinar, documentar e tornar o uso obrigatório
Aerodispersoíides
Processo de Ar e Habitual e Não seas, irritação do nariz, contra fumos metálicos de máscara respiratória contra fumos metálicos PFF2
fibrogênico: Qualitativo
solda Ambiente Intermitente Mensurado garganta e olhos. PFF1/PFF2 com CA Certificado de Aprovação e fiscalizar o uso
Fumos metálicos
conforme NR – 06.
Fornecer, treinar, documentar e tornar obrigatório o uso
Risco Químico
Aerodispersóides Processo de corte Ar ambiente e Habitual e Não Irritação das vias aéreas Máscara respiratória de Máscaras respiratórias tipo PFF1/PFF2 com
PNOC: poeiras metáli- acabamento e vias aéreas Intermitente Qualitativa Mensurado respiratórias superiores contra fumos metálicos C.A(Certificado de Aprovação) conforme NR-06. Im-
cas lixamento de respiratórias PFF1/PFF2 plantar e implementar PPR(Programa de Proteção respi-
peças ratória conforme IN (Instrução Normativa) Nº01 de 04
/94 da FUNDACENTRO
Realização de Creme de proteção para a Fornecer, treinar e documentar e tornar o uso obrigatório
Hidrocarbonetos (Óleos suas atividades Vias respirató- Habitual e Não Irritação das vias respi- pele, luvas de PVC, mascara respiratória PFF-1, luvas de pvc, e creme de
Qualitativo
e graxas); Thinner. em manutenção rias, dérmica e Intermitente mensurado ratórias. Irritação na mascara PFF1 proteção para a pele com CA certificado de Aprovação
e reparo de cutânea. pele. conforme NR – 06.
equipamentos
Febre de fumos metáli- Máscara respiratória Manter fornecimento de máscara respiratória contra
Não
Ar ambiente Habitual e cos, náuseas, irritação contra fumos metálicos, fumos metálicos, óculos de segurança, touca de soldador,
Arame de Solda MIG Processo de Qualitativo Mensurado
Intermitente do nariz, garganta e óculos de segurança e luvas, aventais, perneira e mangotes em raspa de couro e
solda
olhos, os raios podem vestimentas em raspa de mascara de solda. Adequar exaustor. Treinar e documen-
danificar seriamente os couro. tar seu uso conforme NR-06.
olhos e pele.
Risco Biológico Não Detectado -- -- -- -- -- -- -- --

Avaliação de Ruído dB (A) Previdenciário (NHO-01) Trabalhista (NR - 15) Avaliação de Iluminação (lux)
Tempo máximo Tempo máximo
Nível dB(A) Tempo efetivo de exposição Valores Mínimo Exigido
Equipamento/ Local Permissível em Valor da Dose Permissível em Valor da Dose Tipo de Iluminação
CN (minutos) encontrados NBR 5413
CN (minutos) CN (minutos)
Solda 83 330 789 0,42 651 0,51 LNA 347 300
Esmeril 83 60 789 0,08 651 0,09 LNA 402 300
Furadeira 74 60 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 2785 300
Lixadeira 79 30 S/Restrição 0,00 S/Restrição 0,00 LNA 1463 300
Total: 0,50 Total: 0,60
“Os resultados das medições encontram-se apresentados na tabela que se segue no bloco do levantamento técnico
das atividades e análise dos riscos por função e são representativos das condições de
exposição encontrados durante o período em que se realizou a inspeção”

a) Emprego de barreiras sonoras de um ou mais materiais de características primordialmente absorventes como divisão física
entre a fonte e os demais postos de trabalho.
b) Utilização de sistema de bloqueio a propagação do ruído pelo isolamento das fontes e/ou sua atenuação pelo uso de
eliminadores ou redutores das causas destes, sejam as mesmas de origem mecânica, hidráulica, pneum á- tica ou outra.
c) Rodízio de pessoal nos postos de trabalho, e quando possível obedecendo ao limite do máximo tempo de exposição
permissível para cada caso, de acordo com o expresso na tabulação dos dados.
d) Uso de protetor auricular onde os níveis de ruído contínuo ou intermitente excedam a 80 dB (A).
Salientamos que os protetores auriculares tipo inserção, quando utilizados pelos funcionários, deverão ser higieni- zados
periodicamente.
e) Encaminhamento de todos os funcionários envolvidos nas atividades e operações com níveis de ruído contínuo ou
intermitente que excedam 80 dB (A), o exame audiométrico, por ocasião dos exames admissionais, periódicos, e demissionais
em conformidade com o determinado e constante da NR-07 Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional. Esta prática
administrativa pode evitar possíveis prejuízos desnecessários em reclamações trabalhis- tas. Sugerimos ainda, que a empresa
desenvolva um adequado controle e acompanhamento sistemático da saúde dos funcionários envolvidos em atividades e
operações onde os níveis de ruído contínuo ou intermitente apresen- tam-se superior a 80 dB (A), de modo a prevenir os
problemas causados pelos níveis de ruído superiores ao limite estabelecido pela norma regulamentadora.
f) desenvolver um programa de treinamento envolvendo todos os funcionários expostos a níveis de ruído contínuo ou
intermitente superior a 80 dB (A), para que seja ressaltada a importância da prevenção, do uso da proteção auricular, e dos
males causados por este agente ambiental.

Recomendações
As recomendações a seguir são de caráter geral, na tentativa de minimizar, neutralizar ou eliminar os riscos detectados e
avaliados durante a perícia realizada na empresa. Uma série de medidas podem ser adotadas, que contribuem efetivamente
para redução dos riscos a que estão expostos os trabalhadores, medidas estas que em conjunto ou individualmente, que a
prática tem demonstrado sua efetividade. Medidas relativas ao ambiente: projetos adequados; manutenção; substituição de
produtos nocivo à saúde; enclausuramento da operação; venti- lação geral diluidora; ventilação local, etc.
Manutenção
Rigorosamente, não se pode considerar este como um método de prevenção no sentido estrito da palavra, mas constitui
parte e complemento especialmente importante de qualquer dos anteriores, não só quando se trata dos equipamentos de
controle de riscos ambientais, mas também de equipamentos e instalações em geral na empresa.
É freqüente, devido ao pouco conhecimento do empresário de seus problemas ambientais, que ao das medi- das adotadas
se esterilize com o tempo por falta de uma manutenção adequada. Programas e cronogramas de manutenção devem ser
seguidos à risca respeitando-se os prazos propostos pelos fabricantes e projetista de equipamentos e máquinas.
Ordem e limpeza
“Boas condições de ordem e limpeza e asseio geral ocupam posição chave num sistema ocupacional”
Basicamente, mais uma ferramenta a adicionar – se àquelas já listadas na prevenção de dispersão de con- taminantes
perigosos. No uso, manuseio e estocagem de agentes químicos o asseio deve incluir a limpeza ime- diata de respingos ou
vazamentos, por pessoal que use equipamentos de proteção pessoal, e o material empre- gado, como panos, trapos, papel
absorvente, deve ser disposto em recipientes herméticos, que serão removidos diariamente do local. Os ferimentos da pele
devem ser protegidos, pois favorecem os processos de intoxicações.
Educação e treinamento
As noções de educação e treinamento, principalmente aquelas dirigidas à Segurança e Higiene do Trabalho, devem ter
lugar sempre independente da utilização de outras medidas de controle, sendo na realidade importan- te complemento a
qualquer uma. Tais ações, que devem ser conduzidas e coordenadas pelo Serviço Especiali- zado em Segurança e Medicina
do Trabalho da empresa (onde houver), devem incluir, entre outros itens, a cons- cientização do trabalhador, quanto aos riscos
inerentes às operações, aos riscos ambientais e às formas opera- cionais adequadas que garantem a efetividade das medidas de
controle adotadas, além do treinamento em pro- cedimentos de emergência, noções de Primeiros Socorros e medidas de
urgência adequadas a cada ambiente de trabalho específico, que serão desenvolvidas com a participação do médico do
trabalho.

19
NR 12 – SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EM EQUIPAMENTOS
Esta Norma Regulamentadora e seus anexos definem referências técnicas, princípios fundamentais e medi- das de
proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece requisitos mínimos para a prevenção de
acidentes e doenças do trabalho.
“O empregador deve adotar medidas de proteção para o trabalho em máquinas e equi- pamentos, capazes de garantir a
saúde e a integridade física dos trabalhadores...”.
São consideradas medidas de proteção, a ser adotadas nessa ordem prioridade
a) medidas de proteção coletiva,
b) administrativas de organização do trabalho,
c) medidas de proteção individual.

Arranjos físicos e instalações

Nos locais de instalação de máquinas e equipamentos, as áreas de circulação devem ser devidamente de- marcadas e em
conformidade com as normas técnicas oficiais. As áreas de circulação devem ser mantidas per- manentemente desobstruídas.
A distância mínima entre máquinas, em conformidade com suas características e aplicações, deve garantir a segurança dos
trabalhadores durante sua operação, manutenção, ajuste, limpeza e inspeção, e permitir a movimentação dos segmentos
corporais, em face da natureza da tarefa.

Instalações e dispositivos elétricos


Os quadros de energia das máquinas e equipamentos devem atender aos seguintes requi- sitos mínimos de segurança:
a) possuir porta de acesso, mantida permanentemente fechada;
b) possuir sinalização quanto ao perigo de choque elétrico e restrição de acesso por pessoas não autorizadas;
c) ser mantidos em bom estado de conservação, limpos e livres de objetos e ferramentas;
d) possuir proteção e identificação dos circuitos.
e) atender ao grau de proteção adequado em função do ambiente de uso.
São proibidas nas máquinas e equipamentos
a) a utilização de chave geral como dispositivo de partida e parada;
b) a utilização de chaves tipo faca nos circuitos elétricos; e
c) a existência de partes energizadas expostas de circuitos que utilizam energia elétrica.

Dispositivos de partida, acionamento e parada

Dispositivos de partida, acionamento e parada das máquinas devem ser projetados, instalados de modo que:
a) não se localizem em suas zonas perigosas;
b) possam ser acionados ou desligados em caso de emergência por outra pessoa que não seja o operador;
c) impeçam acionamento ou desligamento involuntário pelo operador ou por qualquer outra forma acidental;
d) não acarretem riscos adicionais; e
e) não possam ser burlados.
“Os comandos de partida ou acionamento das máquinas devem possuir disposi- tivos que impeçam seu
funcionamento automático ao serem energizadas”.
Nas máquinas e equipamentos cuja operação requeira a participação de mais de uma pessoa, o número de dispositivos de
acionamento simultâneos deve corresponder ao número de operadores expostos aos perigos decorrentes de seu acionamento,
de modo que o nível de proteção seja o mesmo para cada trabalhador.
Os dispositivos de acionamento simultâneos, quando utilizados dois ou mais, devem possuir sinal luminoso que indique
seu funcionamento. O acionamento e o desligamento simultâneo por um único comando de um con- junto de máquinas e
equipamentos ou de máquinas e equipamentos de grande dimensão devem ser precedidos de sinal sonoro de alarme.
Sistemas de segurança
“As zonas de perigo das máquinas e equipamentos devem possuir sistemas de segurança, caracterizados por
proteções fixas, proteções móveis e dispositivos de se- gurança interligados, que garantam proteção à saúde e à
integridade física dos traba- lhadores”.
 Proteção fixa, que deve ser mantida em sua posição de maneira permanente ou por meio de elementos de fixação que só
permitam sua remoção ou abertura com o uso de ferramentas específicas;
 Proteção móvel, que pode ser aberta sem o uso de ferramentas, geralmente ligada por elementos me- cânicos à estrutura

20
da máquina ou a um elemento fixo próximo, e deve se associar a dispositivos de intertra- vamento.
 Dispositivos de segurança, componentes que, por si só ou interligados ou associados a proteções, reduzam os riscos de
acidentes e de outros agravos à saúde.
A proteção deve ser móvel quando o acesso a uma zona de perigo for requerido uma ou mais vezes por turno de trabalho,
observando-se que:
a) a proteção deve ser associada a um dispositivo de intertravamento quando sua abertura não possibilitar o acesso à zona de
perigo antes da eliminação do risco; e
b) a proteção deve ser associada a um dispositivo de intertravamento com bloqueio quando sua abertura possi- bilitar o acesso
à zona de perigo antes da eliminação do risco.

“As transmissões de força e os componentes móveis a elas interligados, acessí- veis ou expostos, devem possuir
proteções fixas, ou móveis com dispositivos de inter-
travamento, que impeçam o acesso por todos os lados”.
Quando utilizadas proteções móveis para o enclausuramento de transmissões de força que possuam inércia, devem ser
utilizados dispositivos de intertravamento com bloqueio.
As máquinas e equipamentos que ofereçam risco de ruptura de suas partes, projeção de materiais, partí- culas ou
substâncias, devem possuir proteções que garantam a saúde e a segurança dos trabalhadores.
Os sistemas de segurança, de acordo com a categoria de segurança requerida, devem exigir rearme, ou re- set manual,
após a correção da falha ou situação anormal de trabalho que provocou a paralisação da máquina.
Durante a utilização de proteções distantes da máquina ou equipamento com possibilidade de alguma pes- soa ficar na
zona de perigo, devem ser adotadas medidas adicionais de proteção coletiva para impedir a partida da máquina enquanto
houver pessoas nessa zona.
“As proteções, dispositivos e sistemas de segurança devem integrar as máquinas e equipamentos, e não podem ser
considerados itens opcionais para qualquer fim”.
A Norma Regulamentadora 12, em seu anexo I, apresenta distancias de segurança em proteções em máqui- nas e
equipamentos de modo a impedir o acesso a zonas de perigo.
Dispositivos de parada de emergência
“As máquinas devem ser equipadas com um ou mais dispositivos de parada de emergência, por meio dos quais possam
ser evitadas.

Os dispositivos de parada de emergência devem ser posicionados em locais de fácil acesso e visualização pelos
operadores em seus postos de trabalho e por outras pessoas, e mantidos permanentemente desobstruídos.

Meios de acesso permanentes

As máquinas e equipamentos devem possuir acessos permanentemente fixados e seguros a todos os seus pontos de
operação, abastecimento, inserção de matérias-primas e retirada de produtos trabalhados, preparação, manutenção e
intervenção constante. Nas máquinas e equipamentos, os meios de acesso permanentes devem ser localizados e instalados de
modo a prevenir riscos de acidente e facilitar o seu acesso e utilização pelos tra- balhadores. O emprego dos meios de acesso
deve considerar o ângulo de lance
Legenda:
Rampa, rampa com peças transversais para evitar o escorregamento, escada com espelho escada sem espelho, escada do tipo
marinheiro
Fonte: EN 14122 – Segurança de Máquinas – Meios de acesso permanentes às má- quinas.
Os locais ou postos de trabalho acima do nível do solo em que haja acesso de trabalhadores, para comando ou quaisquer
outras intervenções habituais nas máquinas e equipamentos, como operação, abastecimento, ma- nutenção, preparação e
inspeção, devem possuir plataformas de trabalho estáveis e seguras.

Transportadores de materiais

Os movimentos perigosos dos transportadores contínuos de materiais devem ser protegidos, especialmente nos pontos de
esmagamento, agarramento e aprisionamento formados pelas esteiras, correias, roletes, acopla- mentos, freios, roldanas,
amostradores, volantes, tambores, engrenagens, cremalheiras, correntes, guias, alinha- dores, região do esticamento e
contrapeso e outras partes móveis acessíveis durante a operação normal.

21
Sinalização

“Máquinas e equipamentos, bem como as instalações em que se encontram, devem possuir sinalização de segu- rança para
advertir os trabalhadores e terceiros sobre os riscos a que estão expostos, as instruções de operação e manutenção e outras
informações necessárias para garantir a integridade física e a saúde dos trabalhadores.”
A sinalização de segurança deve
a) Em destaque na máquina ou equipamento;
b) b) ficar em localização claramente visível;
c) c) ser de fácil compreensão.

As inscrições das máquinas e equipamentos devem

a) ser escritas na língua portuguesa


b) Brasil, e ser legíveis.
“As inscrições devem indicar claramente o risco e a parte da máquina ou equipamento a que se referem, e não deve
ser utilizada somente a inscrição de perigo”.
Exceto quando houver previsão em outras Normas Regulamentadoras, devem ser adotadas as seguintes cores para a
sinalização de segurança das máquinas e equipamentos:
Amarelo: Proteções fixas e móveis – exceto quando os movimentos perigosos estiverem enclausurados na pró- pria
carenagem ou estrutura da máquina ou equipamento, ou quando tecnicamente inviável; componentes mecâ- nicos de retenção,
dispositivos e outras partes destinadas à segurança; e gaiolas das escadas, corrimãos e sis- temas de guarda-corpo e rodapé.
Azul: comunicação de paralisação e bloqueio de segurança para manutenção.
MANUAIS
As máquinas e equipamentos devem possuir manual de instruções fornecido pelo fabricante ou importador, com
informações relativas à segurança em todas as fases de utilização.

NR 23 – SUGESTÃ O PARA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE EXTINTORES


Os extintores deverão ser colocados em locais de fácil visualização, acesso e onde haja menor probabilidade de o fogo
bloquear. Não devem ser instalados nas paredes de escadas. Deve estar a uma altura de 1,6 m, medi- da do piso acabado à
base da sinalização e imediatamente acima do equipamento sinalizado.

22
SÍMBOLO Quadrado (1,00m²)

FUNDO Vermelho

BORDA Amarela (largura 0,15m)

Pintura ou fita adesiva de 1 m² abaixo dos extintores, vermelho vivo com bordas amarelas de 0,15 cm de largura. A
sinalização de piso de extintores é necessária quando forem instaladas em garagem, áreas de fabricação,
depósitos, locais de movimentação de mercadorias e de grande varejo.
“Usado para indicar a localização dos equipamentos de combate a incêndio e evitar a sua obstrução. ”
(Sinalização de equipamentos de combate a incêndio Fonte: NBR 13.437/95).
.

NR 24 – CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO


Disciplina os preceitos de higiene e de conforto a serem observados nos locais de trabalho, especialmente no que se refere
a: banheiros, vestiários, refeitórios, cozinhas, alojamentos e água potável, visando a higiene dos locais de trabalho e a
proteção à saúde dos trabalhadores.
Instalações sanitárias
As instalações sanitárias deverão ser separadas por sexo
Os locais onde se encontrarem instalações sanitárias deverão ser submetidos a processo permanente de hi- gienização, a
fim que sejam mantidos limpos e desprovidos de quaisquer odores, durante toda a jornada de tra- balho. O lavatório deverá
ser provido de material para a limpeza, enxugo ou secagem das mãos, proibindo-se o uso de toalhas e sabonetes de uso
coletivo.
Os banheiros, dotados de chuveiros, deverão
a) Ser mantidos em estado de conservação, asseio e higiene;
b) Ser instalados em local adequado;
c) Dispor de água quente, a critério da autoridade competente em Segurança e Medicina do Trabalho;
d) Ter portas de acesso que impeçam o devassamento, de modo a manter o resguardo conveniente;
e) Ter piso e paredes revestidos de material resistente, liso, impermeável e lavável.
Será exigido 1 (um) chuveiro para cada 10 (dez) trabalhadores nas atividades ou operações insalubres, ou nos trabalhos
com exposição a substâncias tóxicas, irritantes, infectantes, alergizantes, poeiras ou substâncias que provoquem sujidade, e
nos casos em que estejam expostos a calor intenso.
Vestiários
Em todos os estabelecimentos industriais e naqueles em que a atividade exija troca de roupas, ou seja, im- posto o uso de
uniforme ou guarda-pó, haverá local apropriado para vestiário dotado de armários individuais, observada a separação de
sexos. Os armários, de aço, madeira, ou outro material de limpeza, deverão ser es- sencialmente individuais. Possuir aberturas
para ventilação ou portas teladas podendo também ser sobrepostos e deverão ser pintados com tintas laváveis, ou revestidos
com fórmica, se for o caso. Nas atividades e operações insalubres, bem como nas atividades incompatíveis com o asseio
corporal, que exponham os empregados a po- eiras e produtos graxos e oleosos, os armários serão de compartimentos duplos.
“Não é permitido, sob pena de autuação, que roupas e pertences dos empregados se encontrem fora dos
respectivos armários.”
As instalações deverão ser providas de telhas translúcidas para melhorar a iluminação na- tural e fiação protegida por
eletro dutos.

23
PLANO DE AÇÃO Realizado
ANTECIPAR E PREVENIR OS RISCOS
CRONOGRAMAJANUAL
A S O PPRA
DO N D - NR
J 09
F M A M J por quem e
qual a data
Promover INTEGRAÇÃO aos funcio-
nários recém-admitidos.
Elaborar ORDENS DE SERVIÇOS e NR 01
distribuir aos funcionários com assina-
turas de recebimento.
Promover o treinamento de prevenção
de acidentes do trabalho anual de 20
NR 05
horas. NR 05. Para membros/designado
da CIPA.
Revisar periodicamente o estado geral
de todos os EPI`s; conscientizar os
colaboradores, sobre troca e conserva-
ção.
Manter as fichas de recebimento de EPI
assinadas pelos funcionários quando na NR 06
entrega do EPI conforme modelo no
PPRA.
Manter exaustores em condições de
funcionamento, bem como exigir o uso
em trabalhos com solda.
Elaborar PPR (Programa de Proteção
I.N 01/94
Respiratória) e realizar testes de veda-
Fundacentro
ção de máscara.
Fornecer armário individual, com ca-
deados, a todos os funcionários que
necessitam de troca de roupas.
Os armários deverão possuir aberturas
de ventilação.
Em atividades insalubres, os armários
deverão ter compartimentos duplos,
separando EPIs de roupas.
Deve haver um chuveiro para cada 10 NR 24
(dez) funcionários em atividades ou
operações insalubres.
As refeições devem ser realizadas em
uma área isolada da produção.
Manter limpeza permanente dos sanitá-
rios, vestiários destinados aos funcio-
nários e outros em geral.
Manter os sanitários com sabonete e
toalhas, preferencialmente toalhas
descartáveis e sabonete líquido.
Manter máquinas e equipamentos com
suas devidas proteções em polias e
NR 12
partes móveis. Não permitir que funci-
onários.
Padronizar transporte de peças, manu-
seando peças em dois operadores, NR 11
quando não for o suficiente, utilizar
meios mecânicos.
Implantar guarda corpo na área de NR 09 e NR
carga e descarga de materiais. 18
Adequar posto de trabalho dos usuários
de computador conforme NR 17:
Alinhar os monitores aos
NR 17
olhos;
Apoio para os pés 45º;
Apoio para o punho (teclado).

24
Realizar manutenção da iluminação
onde a avaliação de iluminação na NBR 5413
planilha de riscos estiver vermelha.
Manter aterramento em máquinas e
equipamentos NR 10
Sinalizar tomadas e painéis elétricos.
Realizar limpeza periódica do ambiente
Fundacentro
de trabalho.
Manter extintores de incêndio devida-
mente OPERANTES e desobstruídos NPT 021
com sinalização de piso e parede.
Encaminhar PPRA ao médico coorde-
nador PCMSO para que o mesmo rea-
NR 07
lize os exames médicos indicados pela
NR–07.
Renovar o PPRA anualmente e/ou
sempre que houver mudanças significa-
NR 09
tivas no Layout, no processo, novas
tecnologias de produção etc.
Manter FISPQ no ambiente de trabalho
NR 26
no qual o mesmo esta sendo utilizado.
Manter faixas de circulação conjunta
de pessoas e máquinas de transporte de NBR 7195
cargas.

Acompanhar Mensalmente a Realização das Ações Corretivas


É responsabilidade da empresa o cumprimento e as metas fixadas bem como o ônus decorrente das ações
aplicadas

ANEXOS

As ilustrações mostram o dia a dia da empresa no qual é voltado para industria metal-mecânica.

25
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Em função da detecção de alguns pontos a serem melhorados em relação aos riscos ambientais avaliados, orientamos esta
Empresa para que tome as devidas providências com a utilização dos dados e recomendações do relatório, objetivando a
correção e solução dos mesmos.
É válido frisar a importância da continuidade do controle ambiental e de riscos ocupacionais em sua empresa, de modo a
contribuir para a constante melhoria e aperfeiçoamento das condições de segurança no trabalho, assim como maior
produtividade e a minimização de custos diretos e indiretos.
O presente possui caráter informativo e sua utilização é exclusiva da empresa até o momento que lhe prover cabendo-lhe todo
e qualquer ônus quanto a um encaminhamento indevido, em razão direta dos riscos avaliados e de suas inter-relações com as
Normas e Leis.
Os dados aqui apresentados, assim como as opiniões formuladas e os pareceres e conclusões da Avaliação são de
inteira e completa responsabilidade dos Responsáveis Técnicos que assinam o presente. O presente Relatório Técnico se
constitui em um documento técnico a ser interpretado de modo conjunto, complementar e interativo entre todos os elementos.

TERMO DE RESPONSABILIDADE
Contém o presente documento a elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais- PPRA, com páginas
timbradas e numeradas. Responsabilizam-se pelo presente trabalho, os profissionais abaixo, todavia as melhorias e
implementação das recomendações estão sob inteira responsabilidade da direção da DAMIANI ESTRUTURAS
METÁLICAS E EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS LTDA

LAGUNA/SC, 30 de Julho de 2017.

DAMIANI ESTRUTURAS METÁLICAS E EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS LTDA

João Paulo Rodrigues Dr. José da Siva


Acadêmico da Pós de Eng. De Médico do Trabalho
Segurança do Trabalho CRM N° 0000

26