Você está na página 1de 12

12.

AULA 12

As tabelas nos auxiliam a mantermos os dados da base atualizados e facilitam na manutenção


das funções e fórmulas inseridas na planilha. Por exemplo, quando precisamos acrescentar
novos registros em nosso controle de clientes, fornecedores, colaboradores etc.

12.1. TRABALHANDO COM TABELA

Converter um intervalo em tabelas proporciona maior facilidade na hora de atualizar ou


incrementar com novos dados uma base. As tabelas poderão servir como referência em
funções da mesma forma quando damos um nome para uma célula ou intervalo.

12.1.1. CONVERTENDO UM INTERVADO EM UMA TABELA

Para converter um intervalo em tabela basta executarmos a ação na guia PÁGINA INICIAL,
grupo de comandos Estilos, comando Formatar como Tabela. É necessário escolher um estilo
para a tabela e informar qual o intervalo a ser convertido. (Fig. 12.1)

12.1.2. COMANDOS DA GUIA CONTEXTUAL DE TABELA


12.1.2.1. PROPRIEDADES DA TABELA

Por padrão o Excel irá nomear as tabelas em ordem (TABELA1, TABELA2 etc.), porém é possível
alterar o nome da tabela clicando na guia contextual de tabela, Nome da Tabela. Além disso, é
possível redimensionar a área da tabela caso ela não esteja cobrindo todo o intervalo
desejado. Podemos fazer isso por meio do comando Redimensionar Tabela. (Fig. 12.2)
12.1.2.2. FERRAMENTAS DA TABELA

Também podemos remover dados duplicados em tabelas, assim como fazemos em intervalos.
O processo é basicamente o mesmo. Vejamos:

Repare que para isso é necessário executar o comando Remover Duplicatas, na guia contextual
de tabela. (Fig. 12.3)

Caso não seja mais necessário desenvolver suas atividades em um formato de tabela, você
poderá então restaurar essa tabela em intervalo, como mostra a imagem a seguir: (Fig. 10.14)
Para facilitar ainda mais nosso trabalho no Excel 2013 foi incluída nos comando de tabela a
possibilidade de segmentarmos os dados nela contidos. Observe:

Primeiramente é necessário escolhermos quais os rótulos que deverão ser segmentados. (Fig.
12.5)

Após selecionarmos os rótulos a serem segmentados, observamos que para cada um deles o
Excel exibirá uma janela de segmentação para que os rótulos sejam trabalhos em conjunto.
Cada vez que escolhemos um seguimento, ele filtra na base de dados e anula dados não
condizentes com a segmentação. (Fig. 12.6 e 12.7)
Para limpar o filtro da segmentação, basta clicarmos no botão Limpar filtro do rótulo ativo.

12.1.2.3. OPÇÕES DE ESTILO DA TABELA

Podemos alterar o estilo da tabela conforme a necessidade, incluindo, por exemplo, uma linha
de totais ou uma maior ênfase na primeira ou última colunas. (Fig. 12.8)
12.1.2.4. ATUALIZANDO DADOS DA TABELA

Quando desejamos incluir um novo registro na tabela, ao inserirmos o primeiro dado em sua
coluna, ela automaticamente altera suas dimensões para cobrir o novo registro. Isso facilita,
por exemplo, na manutenção de funções de busca e de referência ou nas funções lógicas. (Fig.
12.9)
Vamos envolver nossos dados em uma função lógica simples para comprovar a veracidade
desse comando. (Fig. 12.11 e 12.12)

Primeiramente, vamos desenvolver uma função lógica com os dados existentes. Verifique:
Repare que, no argumento INTERVALO da função CONT. SE, quando selecionamos os dados ele
vincula o rótulo da tabela como argumento da função.

Repare que, para essa contagem com base em um critério, o valor retornou 2, pois existem
dois produtos que atendem ao mecanismo de busca. Agora vamos adicionar um produto com
o mesmo nome em nossa base de dados. (Fig. 12.13)
Percebemos aqui que a tabela se ajustou ao conteúdo, logo o intervalo de procura também foi
ajustado na função. Dessa forma, o resultado lógico foi atualizado utilizando os valores
inclusos posteriormente na tabela. (Fig. 12.13 e 12.14)

Para melhorarmos ainda mais a eficiência do campo de contagem é possível atribuir uma
validação de dados do tipo lista com base na tabela, para que a lista retorne o nome do
produto. (Fig. 12.15)
Essa lista também estará vinculada com a tabela em caso de atualizações. Obviamente,
quando escolhemos um nome na lista, será apresentado o resultado da contagem.

O QUE APRENDEMOS HOJE?

Hoje aprendemos a converter um intervalo em uma tabela, a nomear as tabelas criadas, a


editar dados, a incluir novos registros e a utilizar os nomes das tabelas em argumentos das
funções.

12.2. QUESTIONÁRIO
1. Defina Tabela.
2. Justifique a conversão de um intervalo em tabela.
3. Que benefícios obtemos ao converter um intervalo em uma tabela?
4. Quais as ferramentas comuns de manipulação de uma tabela?
5. É possível atribuir um nome a uma tabela? Esse nome pode ser utilizado nos
argumentos das funções? Justifique.
12.3. EXERCÍCIO
1. Para facilitar a inclusão de novos itens na base de dados de filmes, vamos converter o
intervalo da base de dados em uma tabela. Vamos nomear a tabela como
[BASEFILMES]. Solicite ajuda do educador caso necessário.
12.4. TDP ETAPA 12

Para facilitar a inclusão de dados nas planilhas de controle de nossa empresa, vamos converter
os intervalos em tabela. Antes, para facilitar, vamos mover todas as referências de todas as
bases para a planilha [REFERÊNCIAS]. Seu educador irá auxiliá-lo caso necessário.