Você está na página 1de 13

ORIG.APROVAÇÃOCONF.COMENT. DESM.E. 0109.2008 REV.LIB.

AHE- SIMPLÍCIO – QUEDA ÚNICA USINA ANTAFOLHA:


PARADESCRIÇÃOFEITOVISTOPORÓRGÃOFEITOVISTOAPROVFURNASPROJETIS SERVIÇOS AUXILARES CA
TA
DIMENSIONAMENTO DO GRUPO DIESEL GERADOR DE
EMERGÊNCIA - MEMÓRIA DE CÁLCULO1/13VMS20/10/2008
PIF20/10/2008AUTOR/PROJETO8922/CF-5I-MC-0005-0CJAS
AUTOR/DESENHO

12.44220/10/2008VISTO/RESP/CREA
CONTROLE DE REVISÕES

REV. DATA DESCRIÇÃO ELAB. VERIF. APROV.

0A 26/03/08 EMISSÃO INICIAL VMS GJCM SLFC

0B 12/06/08 Conforme Comentários da Correspondência DESM.E.0032.2008 VMS PIF SLFC

0C 20/10/08 Conforme Comentários da Correspondência DESM.E.0109.2008 VMS PIF SLFC

AHE SIMPLÍCIO – QUEDA ÚNICA


FURNAS USINA DE ANTA

REV.
Error:
Error: Reference source not
FL. 2 Reference
found5-0C
source not
foundC
Error: Reference source not found5-Error: Reference source not foundC

ÍNDICE PÁG.

1 - OBJETIVO
.....................................................................................................................................
4

2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA
.....................................................................................................................................
4

3 - CONSIDERAÇÕES GERAIS
.....................................................................................................................................
4

4 - DIAGRAMA DE CARGAS
.....................................................................................................................................
4

5- TABELA RESUMO
9

6- TENSÕES DE EMERGÊNCIA COM O GRUPO DIESEL GERADOR DE


EMERGÊNCIA
10

6.1- Dados do Maior Motor (Bomba de Combate a Incêndio)


10

6.2- Tensões Durante a Partida do Maior Motor


11

6.3- Determinação da Reatância Transitória (x’d) Gerador


12

7- CONCLUSÃO
13

3
Error: Reference source not found5-Error: Reference source not foundC

1 - OBJETIVO

O objetivo deste documento é o de determinar, a potência do Grupo Diesel Gerador de


Emergência a ser instalado na Casa de Força da UHE ANTA.

2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

- 8922/US-5I-DE-0001 - UHE ANTA - Serviços Auxiliares C.A - Diagrama Unifilar


Simplificado.

- 8922/CF-5I-DE-0003-0A-FLS1,2 e 3 – UHE ANTA – Serviços Auxiliares de 460 Vca –


Centro de Cargas Gerais CCG – Diagrama Unifilar

- 0686-00-32-LD3000 R0C- Lista de Cargas de Corrente Alternada – Motores

- 8922/CF-4I-MC-0003-1 - Sistema de Água de Resfriamento - Memória de Cálculo

- 8922/CF-4I-MC-0005-0 - Sistema de Ar Comprimido de Serviço - Memória de Cálculo

- 8922/CF-4I-MC-0001-0 - Sistema de Esvaziamento e Enchimento - Memória de


Cálculo

- 8922/CF-4I-MC-0002-1 - Sistema de Drenagem - Memória de Cálculo

- 8922/CF-4I-MC-0006-0 – Sistema de Proteção Contra Incêndio - Água Nebulizada,


Hidrantes – Memória de Cálculo

- 8922/CF-4I-MC-009-0B – Sistema de Ar Condicionado – Memória de Cálculo

3 - CONSIDERAÇÕES GERAIS

O Grupo Diesel Gerador de Emergência será dimensionado para atender as cargas


essenciais da Casa de Força e Vertedouro e permitir, simultaneamente, a partida de uma
unidade.

O sistema será projetado para que o Grupo Diesel Gerador de Emergência parta e
energize automaticamente o barramento essencial do Centro de Cargas Gerais, Centro
de Controle de Motores de Drenagem (CCMDE), Centro de Cargas do Vertedouro (CCVT)
e Quadro de Distribuição da Subestação (QDSE).

Neste documento estão relacionadas todas as cargas essenciais da Casa de Força e


Vertedouro, bem como suas condições de operação.

4 - DIAGRAMA DE CARGAS
Para efeito do dimensionamento do Grupo Diesel Gerador de Emergência utilizaremos o
diagrama de cargas indicado na tabela a seguir, que considera:

4
Error: Reference source not found5-Error: Reference source not foundC

- Em caso de “black out”, o Grupo Diesel Gerador de Emergência partirá em


aproximadamente 5 segundos após a falta de energia, e estará pronto para assumir
carga após 10 segundos de funcionamento.

- O Grupo Diesel Gerador alimentará inicialmente as cargas essenciais incluindo a


operação de uma bomba anti-incêndio. Logo a seguir é ligado o ar condicionado da
Sala de Controle e acionada uma das comportas do Vertedouro. Após o desligamento
da bomba do sistema anti-incêndio e com as comportas do vertedouro em condições
normais é comandado o fechamento do disjuntor de interligação 52-I, procedendo-se o
comando de partida de uma unidade.

A seguir são indicadas tabelas com as cargas da Casa de Força e Vertedouro e


respectivas condições de operação:

TABELA 4-1
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DAS CARGAS DA UNIDADE 1 OU 2

POTÊNCIA CONSUMO EM REGIME CONSUMO NA PARTIDA


NOMINAL kVA kW kVA kW
Bomba Nº 1 de Drenagem da Tampa da Turbina 1,1 kW 1,9 1,6 13,0 3,9
Bomba Nº 2 de Drenagem da Tampa da Turbina 1,1 kW
Bomba Nº 1 de Circ. de Óleo do Mancal Guia da Turbina 1,5 kW 2,5 2,1 17,5 5,3
Bomba Nº 2 de Circ. de Óleo do Mancal Guia da Turbina 1,5 kW
Bomba Nº 1 do Regulador de Velocidade 22 kW 37 31,4 259 77,7
Bomba Nº 2 do Regulador de Velocidade 22 kW
Bomba Nº 3 do Regulador de Velocidade 2,5 kW
Bomba de Drenagem do Servomotor 5 kW 10,2 7,2 71,5 21,5
Bomba de Injeção de óleo do Gerador 5,5 kW 9,3 7,9 65 19,5
Resistor de Aquecimento do Gerador 6 kW
Cubículo de excitação 4,0 kW
Quadro de Frenagem e Levantamento do Gerador 2,2 kW
Bomba Nº 1 de Água de Resfriamento 25 cv 24,5 20,4 154,4 46,3
Bomba Nº 2 de Água de Resfriamento 25 cv
Filtro de Água de Resfriamento 0,25 kW
Bomba Nº 1 de Água de Selagem 1,1 kW 1,9 1,6 13 3,9
Bomba Nº 2 de Água de Selagem 1,1 kW
Válvula Motorizada 0,12 kW
Ventilador do Poço da Turbina 5,0 cv
Resistor de Aquecimento do Gerador 6 kW
Bomba Nº 1 Central Hid. Comporta do Tubo de Sucção 22 kW 37 31,4 259 77,7
Bomba Nº 2 Central Hid. Comporta do Tubo de Sucção 22 kW

TABELA 4-2
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DAS CARGAS GERAIS

5
Error: Reference source not found5-Error: Reference source not foundC

CONSUMO EM REGIME CONSUMO NA PARTIDA


POTÊNCIA
NOMINAL
kVA kW kVA kW

Ponte Rolante da Casa de Força 56 kVA


Monovia do Tubo de Sucção 15 kVA
Tomadas de Força Circuito 1 – 460 Vca 45 kVA
Tomadas de Força Circuito 2 – 460 Vca 45 kVA
Tomadas de Força Circuito 3 – 460 Vca 45 kVA
Transformador de Iluminação – TL-1 45 kVA
Transformador de Iluminação – TL-2 45 kVA
Transformador de Aquecimento – TA-1 20 kVA
Transformador de Aquecimento – TA-2 20 kVA
Compressor nº 1 de Ar Comprimido de Serviço 15 cv
Compressor nº 2 de Ar Comprimido de Serviço 15 cv
Ar Condicionado nº 1 da Sala de Comando 25 cv 24,5 20,4 154,4 46,3
Ar Condicionado nº 2 da Sala de Comando 25 cv
Bomba Nº 1 de Esgoto Sanitário 2,0 cv (*)
Bomba Nº 2 de Esgoto Sanitário 2,0 cv (*)
Bomba Dosadora de Esgoto Sanitário + Misturador 1,5 cv (*)
10,4 kVA
Sistema de Água Potável
(*)
11,3 kVA
Sistema do SAO (Portátil)
(*)
79,5 kVA
Sistema de Óleo Lubrificante
(*)
Quadro da Estação de Tratamento Dágua – ETA 10 kVA (*)
Ventilador Nº 1 da Casa de Força (VVT-01-CF) 15 cv
Ventilador Nº 2 da Casa de Força (VVT-02-CF) 15 cv
Ventilador Nº 3 da Casa de Força (VVT-03-CF) 15 cv
Ventilador Nº 4 da Casa de Força 0,75 cv
Ventilador Nº 5 da Casa de Força 1,5 cv
Válvula Motorizada do Decantador Nº 1 1,0 cv (*)
Válvula Motorizada do Decantador Nº 2 1,0 cv (*)
Ventilação Forçada do Transformador elevador 10 cv (*)

(*) CARGAS ESTIMADAS.

TABELA 4-3
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DAS CARGAS ESSENCIAIS

6
Error: Reference source not found5-Error: Reference source not foundC

POTÊNCIA CONSUMO EM REGIME CONSUMO NA PARTIDA


NOMINAL
kVA kW kVA kW
Carregador Nº 1 de Baterias 27 kVA 6 5,1
Carregador Nº 2 de Baterias 27 kVA 6 5,1
Quadro da UPS 7,5 kVA 7,5 6
Exaustor Nº 1 da Sala de Baterias 1,5 cv 1,9 1,6 13 3,9
Exaustor Nº 2 da Sala de Baterias 1,5 cv
Bomba Nº 1 de Combate a Incêncio 75 cv 66,4 58,4 484,7 155,1
Bomba Nº 2 de Combate a Incêncio 75 cv
Transformador de Cargas Essenciais 15 kVA 6,7 5,7
Auxiliares do Grupo Gerador Diesel de Emergência 1,0 kVA 1 0,8
Sistema de Telecomunicações 15 kVA 15 12,8
TABELA 4-4
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DAS CARGAS DE DRENAGEM

POTÊNCIA CONSUMO EM REGIME CONSUMO NA PARTIDA


DESCRIÇÃO
NOMINAL
kVA kW kVA kW
Bomba de Esgotamento Portátil 15 cv
Bomba Nº 1 de Drenagem 60 cv 55.6 48,4 400,3 120,1
Bomba Nº 2 de Drenagem 60 cv
Bomba Nº 3 de Drenagem (Futura) 60 cv
Bomba Nº 1 de Esvaziamento 30 cv
Bomba Nº 2 de Esvaziamento 30 cv

TABELA 4-5
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DAS CARGAS DO VERTEDOURO

CONSUMO EM REGIME CONSUMO NA PARTIDA


POTÊNCIA
NOMINAL
kVA kW kVA kW

Bomba Nº 1 da Central Hidráulica do Vertedouro 1 40 cv 50,5 42,9 353,3 106


Bomba Nº 2 da Central Hidráulica do Vertedouro 1 40 cv
Bomba Nº 1 da Central Hidráulica do Vertedouro 2 40 cv
Bomba Nº 2 da Central Hidráulica do Vertedouro 2 40 cv
Bomba Nº 1 da Central Hidráulica do Vertedouro 3 40 cv
Bomba Nº 2 da Central Hidráulica do Vertedouro 3 40 cv
Pórtico Rolante da Tomada Dágua e Vertedouro 36 kVA
Transformador de Iluminação e Aquecimento – TLVT 15 kVA
Ventilador Nº 1 do Vertedouro 2,0 cv
Ventilador Nº 2 do Vertedouro 2,0 cv
Tomadas de Força 460V 40 kVA

TABELA 4-5
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DAS CARGAS DA SUBESTAÇÃO

7
Error: Reference source not found5-Error: Reference source not foundC

POTÊNCIA CONSUMO EM REGIME CONSUMO NA PARTIDA


DESCRIÇÃO
NOMINAL
kVA kW kVA kW
Iluminação 1 kW 1,3 1,2 1,3 1,2
Tomada de força 460 V 20 kVA
Seccionadoras e Disjuntor 0,75 kW

8
5-C

5 - TABELA RESUMO

Para o dimensionamento do Grupo Diesel Gerador serão consideradas as cargas


indicadas na tabela abaixo.
TABELA 5-1
TABELA RESUMO PARA DIMENSIONAMENTO

CONSUMO
CONSUMO EM CONSUMO NA ACUMULADO MAIS CONSUMO
REGIME PARTIDA CONSUMO NA ACUMULADO
PARTIDA

kVA kW kVA kW kVA kW kVA kW

Carregador No 1 de Baterias 6 5,1 6 5,1


Carregador No 2 de Baterias 6 5,1 6 5,1
Quadro da UPS 7,5 6 7,5 6
Transformador de Cargas Essenciais 6,7 5,7 6,7 5,7
Auxiliares do Grupo Gerador Diesel de Emergência 1 0,8 1 0,8
Sistema de Telecomunicações 15 12,8 15 12,8
Subestação 1,3 1,2 1,3 1,2
Exaustor No 1 da Sala de Baterias 1,9 1,6 13 3,9
o
Bomba N 1 de Drenagem 55,6 48,4 400,3 120,1
Bomba Água de Selagem Unidade 1 1,9 1,6 13 3,9
Bomba Água de Selagem Unidade 2 1,9 1,6 13 3,9
Bomba Drenagem da Tampa Unidade 1 1,9 1,6 13 3,9
Bomba Sistema Anti Incêndio 66,4 58,4 484,7 155,1
173,1 149,9 980,5 327,5 980,5 327,5 173,1 149.9

Ar condicionado da Sala de Comando 24,5 20,4 154,4 46,3 327,5 196,2 197,6 170,3

Bomba Nº 1 da Central Hidráulica do Vertedouro 1 50,5 42,9 353,3 106 550,9 276,3 248,1 213,2

Desligamento Bomba Central Hidráulica do Vertedouro -50,5 -42,9 197,6 170,3

Desligamento Bomba Sistema Anti Incêndio -66,4 --58,4 131,2 111,9

Acionamento Comporta Tubo de Sucção 37 31,4 259 77,7 390,2 189,6 168,2 143,3

Bomba Circulação Óleo Mancal Guia Turbina 2,5 2,1 17,5 5,3
Bomba 1 Regulador Velocidade 37 31,4 259 77,7
Bomba Drenagem do Servomotor 10,2 7,2 71,5 21,5
Bomba Injeção Óleo Gerador 9,3 7,9 65 19,5
Bomba Água de Resfriamento 24,5 20,4 154,4 46,3
83,5 69 567,4 170,3 735,6 313,8 251,7 212,3

9
5-C

A tabela reproduz o seguinte seqüenciamento de cargas:


Após a partida do grupo gerador diesel de emergência e fechamento do disjuntor 52-E2
são energizadas simultâneamente as seguintes cargas ligadas ao barramento de cargas
essenciais: Carregador No 1 de Baterias; Carregador N o 2 de Baterias; Quadro da UPS;
Transformador de Cargas Essenciais; Auxiliares do Grupo Gerador Diesel de Emergência;
Sistema de Telecomunicações; Iluminação da SE (QDSE); Exaustor da Sala de Baterias;
Bomba No 1 de Drenagem (CCMDE); Bomba de Água de Selagem da U1; Bomba de
Água de Selagem U2; Bomba de Drenagem da Tampa U1 e Bomba do Sistema Anti
Incêndio.
Em seguida é ligado o Ar Condicionado da Sala de Controle e acionada a Comporta do
Vertedouro.
Com o normalização da situação e a Comporta do Vertedouro e Bomba so Sistema Anti
Incêndio desligadas é comandado o fechamento do disjuntor de interligação 52 I e
acionadas as cargas para a partida de uma unidade.
Logo, para o Grupo Gerador operando conforme sequenciamento acima, teremos:

- Potência requerida em regime stand-by  327,5 ÷ 0,8 = 409,4 kVA

- Potencia requerida em regime contínuo  409,4 ÷ 1,1 = 372 kVA

Entretanto para atender ao limite de sobrecarga máxima de 1,5 vezes a corrente nominal
do gerador durante 30 segundos a potência mínima requerida deve ser 980,5 ÷ 2 = 491
kVA.

6 - TENSÕES DE EMERGÊNCIA COM O GRUPO DIESEL GERADOR DE


EMERGÊNCIA

Para determinação das tensões do sistema com o Grupo Diesel Gerador de Emergência
operando, consideraremos as seguintes características dos equipamentos e componentes
das instalações:

6.1 - Dados do Maior Motor (Bomba de Combate a Incêndio)

10
5-C

Considerando os dados do motor trifásico da tabela acima, temos:

- Pot.= ..........................................................................................................75cv

- Vn=.............................................................................................................440V

- In = ............................................................................................................87A

- Ip = ............................................................................................................635A

- Cosn.........................................................................................................0,88

- CosP........................................................................................................0,32

6.2 - Tensões Durante a Partida do Maior Motor


Para verificação das tensões e determinação da reatância transitória do gerador
consideraremos que:

- Na partida dos motores não serão consideradas as impedâncias dos componentes


dos circuitos (cabos alimentadores e barramentos), já que estas impedâncias
implicariam na redução da corrente de partida, que conseqüentemente provocariam
uma menor queda de tensão nos terminais do gerador e barra do quadro geral de
corrente alternada. Em outras palavras, para efeito de queda de tensão nos terminais
do gerador e quadro, é mais conservativo desprezar a queda de tensão dos
componentes do circuito.

11
5-C

- O cálculo das quedas de tensão será feito considerando o ajuste de tensão do


gerador em 460V.

- Em função da falta de dados finais das cargas, e visando reduzir as quedas de tensão
durante a partida de motores, será considerada a utilização de gerador de 500 kVA.

Para o cálculo da reatância transitória será considerada a aplicação de uma carga inicial
de 980 kVA com o gerador em vazio, com uma queda de tensão máxima de 10% da
tensão nominal do motor, correspondendo a (1- 0,9 x 440 ÷ 460) x 100 = 14% da tensão
nominal do gerador.

6.3 - Determinação da Reatância Transitória (x’d) Gerador

A equação da queda de tensão nos terminais do gerador é dada de forma genérica, para
qualquer valor de Ip/In do gerador, pela fórmula:

U% 
 xd´.I / I   .100
p n

1   xd´.I / I  
p n

onde:
U%  Queda de Tensão (%)

xd´  Reatância Transitória (pu)

Ip  Corrente de Partida da carga aplicada (A)

In  Corrente Nominal do Gerador (A)

A corrente de partida da carga aplicada corrigida para a tensão de 396 V será:


980
I´p 
0,396  3
I´p  1429 A

A corrente nominal do gerador considerando a potência de 500kVA, na tensão nominal de


460V será:
500
In 
3  0,46
In  628 A

Considerando a equação inicial, a reatância transitória do gerador será:


U%.In
x' d%  x 100
100  U% Ip

A reatância transitória (x’d) do gerador será:


14 x 628
x' d%  x 100
100  14 x 1429
x' d%  7,1%

12
5-C

7 - CONCLUSÃO

Com base nos dados desta memória podemos concluir que para atender as condições de
carga definidas para a Usina, o Grupo Diesel Gerador de Emergência deverá ter as
seguintes características básicas:

- Potência Contínua (Prime):.......................................................................... 500kVA

- Fator de Potência:........................................................................................ 0,8

- Tensão Nominal:...........................................................................................460V  10%

- Reatância transitória referida a 500kVA (x’d):.............................................. 7,1%

- Freqüência:.................................................................................................. 60Hz

- Rotação Nominal:......................................................................................... 1800rpm

13