Você está na página 1de 8

Pets

Comportamento e
adestramento de cães

Andréa de Paula
C A P Í T U L O

1
Introdução

1.1 Pra que adestrar?

Antigamente, o adestramento era conhecido como uma forma de forçar o animal


a se submeter ao seu dono ou condutor. Hoje, esta ideia já mudou. Os métodos
que utilizamos estão cada vez mais positivos, motivando o animal a respeitar seu
dono por vontade própria e não por pressão. Um cão bem educado tem menos
restrições na convivência com a família, fica mais próximo das pessoas e outros
animais, pode acompanhar seu dono em diversos lugares, recebe mais atenção
e possui mais benefícios sociais.

1.2 Técnica utilizada

Não existe uma técnica ideal. Para cada cão e cada caso tem uma técnica que
melhor se encaixa, devemos ter “feeling” para não usar uma técnica muito
brusca em um animal, por exemplo, com medo, podendo assim traumatizar o
cão e piorar o comportamento. Neste curso iremos aprender a utilizar a técnica
do reforço positivo, baseado em recompensas e frustrações. Nós, seres humanos,
Comportamento e adestramento de cães
Andréa de Paula

nunca fazemos nada se não tivermos algo gratificante em troca, nem que seja
o prazer de estar realizando alguma atividade. Com os animais também é assim
que funciona, ele irá obedecer por saber que alguma coisa boa irá acontecer se
ele fizer o que queremos. Essa técnica tem sido muito utilizada no treinamento
de vários tipos de animais, pois com ela podemos condicionar o animal a apre-
sentar o comportamento que queremos mesmo a distância, com segurança e
minimizando os traumas.

1.3 Educação de pessoas

Não é porque um animal é adestrado que significa que ele irá obedecer a todas
as pessoas. O que mais influencia no comportamento final do cão é a postura
e clareza de quem está no comando. Se a pessoa não tem o controle suficiente
do animal e é muito permissiva, este não irá respeitá-la da mesma maneira que
respeitaria quem tivesse, cabe às pessoas conhecer o comportamento básico do
cão e saber como conseguir o comportamento para que ambos tenham uma
melhor comunicação. Além disso a pessoa precisa ser consistente e ter certeza do
que quer do animal, não adianta por exemplo, uma hora querer que o cachorro
não roube comida da mesa e em outro momento estimular este comportamento,
e ainda, a família toda deve estar de acordo com o treino.

1.4 Processo contínuo

O animal adestrado não é um robô que você programa as funções e estas serão
realizadas para sempre. Como nos seres humanos, quando o animal aprende
algo, se não tiver uma pratica contínua, o treino vai se perdendo aos poucos e o
animal vai deixando de executá-lo. É muito comum vermos animais que foram
muito bem treinados e depois que param o treinamento voltam a ser o que eram

8 IEPEC
Capítulo 1
Introdução

antes, pois o dono não deu continuidade ao treino feito.

1.5 Leitura da linguagem do cão

Um cão bem socializado possui uma grande variedade de sinais pelos quais se
comunicam de forma fluente. Ele sabe ler os outros de sua espécie, e ainda
mostrar os sinais necessários nas mais diversas situações. Esta linguagem inclui
sinais de medo, receio, euforia, insegurança, agressividade, calming signals, etc.

Os cães tem mais de 30 sinais de aquietamento, os calming signals.

Da mesma maneira que os cães usam essa linguagem com os demais cães, eles
também usam com os humanos pois é a única que conhecem.

E por isso é tão importante conhecermos a linguagem canina pois quando existe
esse conflito na comunicação, é gerado uma grande frustração que pode chegar
até a agressividade, causando muitos danos no relacionamento e, principalmen-
te, danos no comportamento do cão.

1.5.1 Alguns calming signs apresentados pelos cães

»» Bocejar: O cão boceja quando alguém se inclina sobre ele, quan-


do está na sala do veterinário, quando está entediado na aula de
adestramento.

»» Lamber: Este é um sinal muito usado em especial para cães ne-


gros e com muitos pêlos na região dos olhos. Eles lambem a ponta
do nariz.

O portal do agroconhecimento 9
Comportamento e adestramento de cães
Andréa de Paula

»» Afastando-se/olhando para os lados: Quando alguém chega


de frente para o cão é possível perceber este comportamento ou
quando você chega com raiva demonstrando sinais ameaçadores
também perceberá isso facilmente. Se você se curvar para acari-
ciar um cão ele virará rapidamente a cabeça para o lado. Quando
as sessões de adestramento estiverem muito longas ou com muita
dificuldade para ele, o cão também afastará a cabeça para longe
de você.

»» Playbow: Quando o cão abaixa as patas dianteiras e se curva, está


demonstrando sinais para acalmar alguém no grupo. Por exemplo,
um cão é introduzido em um grupo de cães e no começo fica com
medo dos demais. Após o grupo perceber o medo deste cão, o
respeitaram e o deixaram sozinho. E quando ele se encorajou um
pouco mais se atreveu a participar da brincadeira do grupo e se
curvou desta maneira. Ou quando cães se aproximam brutamente
de um cão ele pode se curvar rapidamente.

»» Farejar o chão: Farejar o chão é algo muito comum de ser ob-


servado principalmente em grupos de filhotes. Ou quando você
está caminhando com o seu cão e alguém chega em sua direção.
Também farejam para “ler o jornal” e se divertirem.

»» Caminhar devagar: Um cão inseguro irá se mover lentamente. Se


você deseja que o cão se sinta mais seguro então pode se mover
mais lentamente . Você já se encontrou em alguma situação em
que se encontrava irritado e o seu cão veio andando calmamente
na sua direção? Ele simplesmente estava tentando acalmá-lo.

»» Congelamento: Quando o cão está completamente parado seja

10 IEPEC
Capítulo 1
Introdução

sentado ou em pé ou deitado sem se mexer. Este é um com-


portamento relacionado à caça como por exemplo, quando estão
caçando gatos. Ficar congelado pode representar várias coisas.
Quando você está irritado ou zangado parecendo ameaçador ele
pode simplesmente ficar parado. Ou então pode andar devagar,
congelar e começar a se mover bem lentamente.

»» Sentado e levantando uma pata: Geralmente o cão se senta e


levanta uma pata para acalmar outro cão. Sentar tem um efeito
muito calmante até mesmo em situação mais amedrontadoras
quando o cão acaba se sentando de costas para o proprietário ou
outro cão. Este é um sinal bem observado nos shelties.

»» Andar em curva: Este é um sinal freqüentemente usado como um


sinal de apaziguamento.

»» Outros sinais:
−− Sorrir;
−− Lamber a boca;
−− Abanar ao rabo;
−− Urinar em si mesmo;
−− Deixar os ouvidos encostados na cabeça;
−− Deitar com a barriga contra o chão;
−− Bater os dentes.

Eles também aprendem a se comunicar conosco, cabe a nós conhecer esses sinais
para que tenhamos uma comunicação mais eficiente. Identificar a correta lin-
guagem corporal é fundamental para o treinamento e tratamento de problemas
de comportamento, pois muita gente confunde, começa tratando de um tipo de

O portal do agroconhecimento 11
Comportamento e adestramento de cães
Andréa de Paula

problema e depois percebe que é outro, ou nem percebe.

12 IEPEC
O Instituto de Estudos Pecuários é um portal que busca
difundir o agroconhecimento, realizando cursos e palestras
tanto presenciais quanto online. Mas este não é nosso único
foco. Com o objetivo principal de levar conhecimento à
comunidade do agronegócio, disponibilizamos conteúdos
gratuitos, como notícias, artigos, entrevistas entre outras
informações e ferramentas para o setor.

Através dos cursos on-line, o IEPEC oferece a oportunidade


de atualização constante aos participantes, fazendo com
que atualizem e adquiram novos conhecimentos sem
ter que gastar com deslocamento ou interromper suas
atividades profissionais.

w w w. i e p e c . c o m