Você está na página 1de 3

VIOLÊNCIA

Etimologicamente, violência vem do latim vis, força, e significa:


1) tudo o que age usando a força para ir contra a natureza de algum ser (é desnaturar);
2) todo ato de força contra a espontaneidade, a vontade e a liberdade de alguém (é coagir,
constranger, torturar, brutalizar);
3) todo ato de violação da natureza de alguém ou de alguma coisa valorizada positivamente por
uma sociedade (é violar);
4) todo ato de transgressão contra aquelas coisas e ações que alguém ou uma sociedade define
como justas e como um direito;
5) conseqüentemente, violência é um ato de brutalidade, maus tratos e abuso físico e/ou
psíquico contra alguém e caracteriza relações intersubjetivas e sociais definidas pela opressão,
intimidação, pelo medo e pelo terror. A violência se opõe à ética porque trata seres racionais e
sensíveis, dotados de linguagem e de liberdade como se fossem coisas, isto é, irracionais,
insensíveis, mudos, inertes ou passivos. Na medida em que a ética é inseparável da figura do
sujeito racional, voluntário, livre e responsável, tratá-lo como se fosse desprovido de razão,
vontade, liberdade e responsabilidade é tratá-lo não como humano e sim como coisa, fazendo-
lhe violência nos cinco sentidos em que demos a esta palavra.

BULLYING É VIOLÊNCIA

Conceito de bullying
O bullying se caracteriza por agressões intencionais e repetitivas, físicas e/ou verbais, feitas por
um aluno ou um grupo de alunos sem motivo aparente, podendo causar danos físicos,
psicológicos e emocionais na vítima.
O termo ‘bullying’ vem de ‘bully’, uma palavra inglesa que significa “valentão”. E é dessa
forma que podemos imaginar a situação: algozes que, com atitudes e palavras ameaçadoras e
agressivas, causam angústia e dor em uma pessoa indefesa.
Até algum tempo atrás, o bullying nas escolas não tinha esse nome e era visto como fatos
isolados, brigas de crianças e piadas de mau gosto. Porém, atualmente, já é compreendido como
um problema crônico nas escolas e, também, como crime.
Conheça a seguir os principais tipos de bullying.
Físico
Esse tipo de bullying se manifesta por meio de agressões físicas, como socos, chutes, tapas,
bloqueios de passagem, empurrões e demais ações que envolvem toque de modo inadequado.
Apesar de ser um ato notório, em que facilmente se pode distinguir agressor e vítima, muitas
vezes, essas atitudes são encobertas como se fossem uma “brincadeira entre amigos”. É preciso
conscientizar os alunos para que a violência não seja confundida com descontração.
Psicológico
O bullying psicológico pode ser encontrado em perseguições, manipulações, chantagens,
discriminações e ameaças que muitas pessoas sofrem em razão da sua cor de pele, orientação
sexual, religião, aparência física ou outro motivo.
O bullying psicológico é tão sério que pode levar suas vítimas a desenvolverem quadros de
ansiedade, depressão e fobia social.
Verbal
O bullying verbal é o xingamento, a piada ou o rótulo humilhante. Nesse caso, o aluno recebe
um “título” por não se enquadrar em determinado padrão e não ser considerado “normal” ou
“pertencente” por seus colegas. A consequência disso são adultos doentes, inseguros,
dependentes e com problemas de interação social.
Material
O bullying material se caracteriza por esconder, sujar, estragar, rasgar, ou danificar de qualquer
outra maneira um objeto que pertença à vítima.
Isso acontece por que o “valentão” quer sempre se mostrar mais forte e corajoso (e até perigoso)
do que o outro aluno, e, para isso, destrói seus pertences como forma de intimidação.
Cyberbullying
Com a facilidade da tecnologia e encorajados pela falsa liberdade por estarem atrás de uma tela,
os agressores não medem esforços para atacarem suas vítimas com ameaças, fofocas, chacotas
e imagens ou vídeos comprometedores expostos em redes sociais e sites.
O cyberbullying representa uma invasão à privacidade de alguém, causando sofrimento,
constrangimento e temor. E, infelizmente, os casos de vítimas no Brasil surgem
constantemente.