Você está na página 1de 20

ORDENAÇÃO

DE
DIÁCONOS

Domingo I do Advento
Igreja de Santa Maria de Belém – Mosteiro dos Jerónimos
1 de Dezembro de 2019
2
Ordenação
de
Diáconos

Artur Luís Delgado Farinha Alves


Eduardo Alfredo Abril López
Gonzalo Girón Palacios
Mendo Saraiva de Reffóios Paes de Ataíde
Tomás de Albuquerque Emiliano Castel-Branco

CELEBRAÇÃO PRESIDIDA
por
Dom Manuel Clemente,
Cardeal Patriarca de Lisboa

3
RITOS INICIAIS
Cânticos de Entrada

1.

2.

Chegada a procissão ao altar e feita a devida reverência, o Cardeal Patriarca beija-o, incen-
sa-o e depois dirige-se para a sua cátedra.

Saudação Inicial
Cardeal Patriarca: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
R/. Amen.
Cardeal Patriarca: A paz esteja convosco.
R/. Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo.

Leitura da Matrícula dos Candidatos às Ordens Sacras

Acto Penitencial
Cardeal Patriarca: Irmãos, para celebrarmos dignamente os santos mistérios,
reconheçamos que somos pecadores.
Guardam-se uns momentos de silêncio.
Cardeal Patriarca: Confessemos os nossos pecados.
Todos: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas
vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões, por minha cul-
pa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e
Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.
Cardeal Patriarca: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós,
perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
R/. Amen.

4
Kyrie
O coro canta e a assembleia repete cada uma das invocações:

Oração Colecta
Cardeal Patriarca:
Oremos.
Despertai, Senhor, nos vossos fiéis a vontade firme de se prepararem, pela prática das
boas obras, para ir ao encontro de Cristo, de modo que, chamados um dia à sua direita,
mereçam alcançar o reino dos Céus. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é
Deus convosco na unidade do Espírito Santo. R/. Amen.

LITURGIA DA PALAVRA
Leitura I Is 2, 1-5
Leitura do Livro de Isaías
Visão de Isaías, filho de Amós, acerca de Judá e de Jerusalém:
Sucederá, nos dias que hão-de vir, que o monte do templo do Senhor se há-de erguer no
cimo das montanhas e se elevará no alto da colinas. Ali afluirão todas as nações e muitos
povos acorrerão, dizendo: «Vinde, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de
Jacob. Ele nos ensinará os seus caminhos e nós andaremos pelas suas veredas. De Sião
há-de vir a lei e de Jerusalém a palavra do Senhor». Ele será juiz no meio das nações e
árbitro de povos sem número. Converterão as espadas em relhas de arado e as lanças em
foices. Não levantará a espada nação contra nação, nem mais se hão-de preparar para a
guerra. Vinde, ó casa de Jacob, caminhemos à luz do Senhor.
Palavra do Senhor.
R/. Graças a Deus.

5
Salmo Responsorial Salmo 121 (122), 1-2.4-9
M. Luís

Alegrei-me quando me disseram:


«Vamos para a casa do Senhor».
Detiveram-se os nossos passos
às tuas portas, Jerusalém.

Para lá sobem as tribos, as tribos do Senhor,


segundo o costume de Israel, para celebrar o nome do Senhor;
ali estão os tribunais da justiça,
os tribunais da casa de David.

Pedi a paz para Jerusalém:


«Vivam seguros quantos te amam.
Haja paz dentro dos teus muros,
tranquilidade em teus palácios».

Por amor de meus irmãos e amigos,


pedirei a paz para ti.
Por amor da casa do Senhor,
pedirei para ti todos os bens.

Leitura II Rm 13, 11-14


Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo Romanos
Irmãos: Vós sabeis em que tempo estamos: Chegou a hora de nos levantarmos do sono,
porque a salvação está agora mais perto de nós do que quando abraçámos a fé. A noite
vai adiantada e o dia está próximo. Abandonemos as obras das trevas e revistamo-nos
das armas da luz. Andemos dignamente como convém em pleno dia, evitando comezai-
nas e excessos de bebida, as devassidões e libertinagens, as discórdias e os ciúmes; não
vos preocupeis com a natureza carnal, para satisfazer os seus apetites, mas revesti-vos do
Senhor Jesus Cristo.
Palavra do Senhor.
R/. Graças a Deus.

6
Aclamação Antes do Evangelho
A. Cartageno

Mostrai-nos, Senhor, a vossa misericórdia


e dai-nos a vossa salvação. aleluia
Escutemos o que diz o Senhor:
Deus fala de paz ao seu povo e aos seus fiéis. aleluia

Evangelho Mt 24, 37-44


V/. O Senhor esteja convosco.
R/. Ele está no meio de nós.
V/. Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo São Mateus.
R/. Glória a Vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Como aconteceu nos dias de Noé, as-
sim sucederá na vinda do Filho do homem. Nos dias que precederam o dilúvio, comiam e
bebiam, casavam e davam em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca; e não
deram por nada, até que veio o dilúvio, que a todos levou. Assim será também na vinda
do Filho do homem. Então, de dois que estiverem no campo, um será tomado e outro
deixado; de duas mulheres que estiverem a moer com a mó, uma será tomada e outra
deixada. Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia virá o vosso Senhor. Compreen-
dei isto: se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, estaria vigilante e
não deixaria arrombar a sua casa. Por isso, estai vós também preparados, porque na hora
em que menos pensais, virá o Filho do homem.
Palavra da salvação.
R/. Glória a Vós, Senhor.

Depois da proclamação do Evangelho o Cardeal Patriarca abençoa a assembleia com o


Evangeliário.

7
LITURGIA DAS ORDENAÇÕES

Eleição dos Candidatos


O diácono assistente: Aproximem-se os que vão ser ordenados diáconos.
E chama cada um pelo seu nome.
A assembleia permanece de pé, pois é em seu nome que o Reitor do Seminário dos Olivais
faz ao Cardeal Patriarca o pedido de eleição.
Reitor: Eminentíssimo Padre: pede a Santa Mãe Igreja que ordeneis estes nossos irmãos
para o ministério do diaconado.
Cardeal Patriarca: Sabeis se eles são dignos?
Reitor: Segundo o testemunho do povo cristão e o parecer dos responsáveis que os apre-
sentam, atesto que foram considerados dignos.

Cardeal Patriarca: Com o auxílio de Deus e de Jesus Cristo nosso Salvador, escolhemos
estes nossos irmãos para a Ordem dos diáconos.

Todos:

Em seguida, o Cardeal Patriarca profere a homilia.

Promessa dos Eleitos


Cardeal Patriarca: Filhos caríssimos: antes de serdes admitidos à Ordem dos diáconos,
deveis manifestar diante do povo o propósito de receber este ministério.
Quereis consagrar-vos ao serviço da Igreja pela imposição das minhas mãos e pelo dom
do Espírito Santo?
Os eleitos: Sim, quero.
Cardeal Patriarca: Quereis exercer o ministério de diácono, com humilde caridade, para
auxílio da Ordem sacerdotal e para maior bem do povo cristão?
Os eleitos: Sim, quero.
Cardeal Patriarca: Quereis guardar o mistério da fé em consciência pura, como diz o
Apóstolo, e proclamar esta fé, por palavras e obras, conforme o Evangelho e a tradição
da Igreja?
Os eleitos: Sim, quero.
Cardeal Patriarca: Vós, que estais preparados para abraçar o celibato, quereis, como si-
nal do vosso coração consagrado a Cristo Senhor, guardar perpetuamente este propósito
por amor do Reino dos céus, ao serviço de Deus e dos homens?
Os eleitos: Sim, quero.

8
Cardeal Patriarca: Quereis guardar e aumentar o espírito de oração próprio do vosso mo-
do de viver, e, neste espírito, celebrar fielmente a Liturgia das Horas, segundo a vossa
condição, juntamente com o povo de Deus e por ele, e ainda por todo o mundo?
Os eleitos: Sim, quero.
Cardeal Patriarca: Quereis imitar sempre em vossa vida o exemplo de Cristo, a cujo Cor-
po e Sangue servireis no altar?
Os eleitos: Sim, quero, com a ajuda de Deus.

Seguidamente cada um dos eleitos aproxima-se do Cardeal Patriarca e, ajoelhado diante


dele, põe as mãos juntas entre as mãos do Cardeal Patriarca.
Cardeal Patriarca: Prometes-me a mim, e aos meus sucessores, reverência e obediência?
O eleito: Prometo.
Cardeal Patriarca: Queira Deus consumar o bem que em ti começou.

Súplica Litânica
Cardeal Patriarca: Oremos, irmãos caríssimos, a Deus Pai todo-poderoso, para que derra-
me a graça da sua bênção sobre estes seus servos que Se dignou escolher para a sagrada
Ordem do diaconado.
Os eleitos prostram-se e cantam-se as ladainhas.
Senhor, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.
Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós.
São Miguel, rogai por nós.
Santos Anjos de Deus, rogai por nós.
São João Baptista, rogai por nós.
São José, rogai por nós.
São Pedro e São Paulo, rogai por nós.
Santo André, rogai por nós.
São Judas [Tadeu], rogai por nós.
São João Evangelista, rogai por nós.
São Mateus, rogai por nós.
São Marcos, rogai por nós.
São Lucas, rogai por nós.
Santa Maria Madalena, rogai por nós.
Santo Estêvão, rogai por nós.
Santo Inácio de Antioquia, rogai por nós.
São Lourenço, rogai por nós.
São Vicente, rogai por nós.
São João de Brito, rogai por nós.
Santa Perpétua e Santa Felicidade, rogai por nós.
Santa Inês, rogai por nós.
Santa Teresa Benedita da Cruz, rogai por nós.
Santa Maria Goretti, rogai por nós.
São Gregório, rogai por nós.
9
Santo Agostinho, rogai por nós.
Santo Atanásio, rogai por nós.
São Basílio, rogai por nós.
Santo Efrém, rogai por nós.
São Nicolau, rogai por nós.
São Martinho, rogai por nós.
São Cirilo e São Metódio, rogai por nós.
São Bartolomeu dos Mártires, rogai por nós.
São João Paulo II, rogai por nós.
São Bento, rogai por nós.
São Teotónio, rogai por nós.
São Francisco, rogai por nós.
São Domingos, rogai por nós.
São Tomás de Aquino, rogai por nós.
Santo António de Lisboa, rogai por nós.
São Nuno de Santa Maria, rogai por nós.
São João de Deus, rogai por nós.
São Francisco Xavier, rogai por nós.
Santo Inácio de Loyola, rogai por nós.
São João Maria Vianney, rogai por nós.
São Pedro de São José Bettencourt [Santo Irmão Pedro], rogai por nós.
São João Bosco, rogai por nós.
São José Maria Escrivá, rogai por nós.
Santa Escolástica, rogai por nós.
Santa Isabel de Portugal, rogai por nós.
Santa Catarina de Sena, rogai por nós.
Santa Teresa de Jesus, rogai por nós.
Santa Teresa do Menino Jesus, rogai por nós.
São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto, rogai por nós.
Santa Ângela da Cruz, rogai por nós.
Beata Maria Clara do Menino Jesus, rogai por nós.
Todos os Santos e Santas de Deus, rogai por nós.
Sede-nos propício, livrai-nos, Senhor.
De todo o mal, livrai-nos, Senhor.
De todo o pecado, livrai-nos, Senhor.
Da morte eterna, livrai-nos, Senhor.
Pela vossa encarnação, livrai-nos, Senhor.
Pela vossa morte e ressurreição, livrai-nos, Senhor.
Pela efusão do Espírito Santo, livrai-nos, Senhor.
A nós pecadores, ouvi-nos, Senhor.
Governai e defendei a santa Igreja, ouvi-nos, Senhor.
Assisti o Santo Padre e todas as Ordens
sagradas no santo ministério, ouvi-nos, Senhor.
Dignai-Vos abençoar estes eleitos, ouvi-nos, Senhor.
Dignai-Vos abençoar e santificar estes eleitos, ouvi-nos, Senhor.
Dignai-Vos abençoar, santificar e consagrar estes eleitos, ouvi-nos, Senhor.
Concedei a paz e a concórdia a todos os povos, ouvi-nos, Senhor.
Dai a vossa misericórdia aos que se encontram em tribulação, ouvi-nos, Senhor.
Confortai-nos e conservai-nos no vosso santo serviço, ouvi-nos, Senhor.
Jesus, Filho de Deus vivo, ouvi-nos, Senhor.
10
Cristo, ouvi-nos. Cristo, ouvi-nos.
Cristo, atendei-nos. Cristo, atendei-nos

Cardeal Patriarca: Senhor nosso Deus, ouvi as nossas preces e acompanhai com a vos-
sa graça o que por nosso ministério se vai realizar. Dignai-Vos abençoar e santificar
estes vossos servos, que julgamos dever apresentar para exercerem as funções sagradas.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito
Santo. R/. Amen.

ORDENAÇÃO
Imposição das mãos
Cada um dos eleitos aproxima-se do Cardeal Patriarca que lhe impõe as mãos em silêncio.

Oração de Ordenação
Cardeal Patriarca:
Senhor, Pai Santo, Deus eterno e omnipotente, atendei e estai connosco. Sois Vós que
dais as graças, distribuís as ordens e organizais os ministérios. Deus imutável, renovais
todas as coisas e com providência eterna as ordenais, por Jesus Cristo, vosso Filho, nosso
Senhor, vossa palavra, vosso poder e sabedoria, e concedeis o que a cada tempo mais
convém. Vós fazeis crescer e dilatar-se o Corpo de Cristo, a vossa Igreja, na variedade
dos dons celestes e na diversidade dos seus membros, unida pelo Espírito Santo num
Corpo admirável. É o novo templo que se edifica quando estabeleceis os três graus dos
ministros sagrados para servirem ao vosso nome, como já na primeira Aliança escolhes-
tes os filhos de Levi para o serviço do templo antigo. De igual modo, nos primórdios da
Igreja, os Apóstolos do vosso Filho, guiados pelo Espírito Santo, escolheram sete ho-
mens de boa reputação, que os ajudassem no serviço quotidiano aos quais, pela oração e
imposição das mãos, confiaram o cuidado dos pobres, a fim de eles próprios se poderem
dedicar mais plenamente à oração e ao ministério da palavra. Olhai também agora, Se-
nhor, com igual benevolência para estes vossos servos, que humildemente dedicamos ao
ministério do diaconado para servirem ao vosso altar. Enviai sobre eles, Senhor, nós Vos
pedimos, o Espírito Santo, que os fortaleça com os sete dons da vossa graça, a fim de
exercerem com fidelidade o seu ministério. Brilhem neles as virtudes evangélicas: a cari-
dade verdadeira, a solicitude pelos doentes e pelos pobres, a autoridade modesta, a recti-
dão perfeita e a docilidade à disciplina espiritual. Resplandeçam em seus costumes os
vossos mandamentos, para que o exemplo da sua vida suscite a imitação do povo santo.
Animados pelo bom testemunho da consciência, permaneçam em Cristo, firmes e cons-
tantes, de modo que, imitando na terra o vosso Filho, que não veio para ser servido mas
para servir, com Ele mereçam reinar nos céus. Ele que é Deus convosco na unidade do
Espírito Santo.
R/. Amen.

Os novos diáconos são revestidos com as vestes diaconais: a estola pendida sobre o om-
bro esquerdo e a dalmática.
A assembleia senta-se. Entretanto canta-se:

11
F. Santos

Refrão

Entrega do Livro dos Evangelhos


O Cardeal Patriarca entrega o Evangeliário a cada um dos novos diáconos, dizendo:
Recebe o Evangelho de Cristo, que tens missão de proclamar. Crê o que lês, ensina o que
crês e vive o que ensinas.

cântico
F. Santos

Refrão

Ósculo da Paz
Por fim, o Cardeal Patriarca dá a cada um dos novos diáconos o ósculo da paz. O mes-
mo fazem todos os diáconos presentes como sinal de acolhimento na mesma ordem.
Entretanto canta-se:
M. Luís

Refrão

12
Profissão de Fé — Símbolo dos Apóstolos
Teodoro S.

13
LITURGIA EUCARÍSTICA
Durante a preparação do altar e apresentação dos dons canta-se:
M. Luís

Oração Sobre as Oblatas


Cardeal Patriarca: Oremos.
Aceitai, Senhor, estes dons que recebemos da vossa bondade e fazei que os sagrados mis-
térios que celebramos no tempo presente sejam para nós penhor de salvação eterna. Por
Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito
Santo.
R/. Amen.

Oração Eucarística
V/. O Senhor esteja convosco.
R/. Ele está no meio de nós.
V/. Corações ao alto.
R/. O nosso coração está em Deus.
V/. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus.
R/. É nosso dever, é nossa salvação.
Pai santo, Deus eterno e omnipotente, princípio e fim de todas as coisas, é verdadeira-
mente nosso dever dar-Vos graças e cantar-Vos um hino de bênção e de louvor. Vós nos
escondestes o dia e a hora, em que Jesus Cristo, vosso Filho, Senhor e juiz da história,
aparecerá sobre as nuvens do céu revestido de poder e majestade. Nesse dia tremendo e
glorioso, passará o mundo presente e aparecerão os novos céus e a nova terra. Agora Ele
vem ao nosso encontro, em cada homem e em cada tempo, para que O recebamos na fé e
na caridade e dêmos testemunho da gloriosa esperança do seu reino. Por isso, na esperan-
ça da sua vinda, com os Anjos e os Santos e todos os coros celestes, proclamamos a vos-
sa glória, cantando numa só voz:
Teodoro S.

14
Cardeal Patriarca:
Vós, Senhor, sois verdadeiramente Santo, sois a fonte de toda a santidade!
Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a Igreja, ao celebrarmos o primeiro
dia da semana, em que Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos, humildemente
Vos suplicamos:
Santificai estes dons derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo que se convertam,
para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Na hora em que Ele Se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e,
dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo:
Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.
De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípu-
los, dizendo:
Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança,
que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memó-
ria de Mim.
Mistério da fé!
R/. Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição.
Vinde, Senhor Jesus!

Cardeal Patriarca:
Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho, nós Vos
oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitis-
tes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios.
Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos
reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.
Lembrai-Vos Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na
caridade em comunhão com o Papa Francisco, o nosso Patriarca Manuel e os Bispos,
seus auxiliares; lembrai-Vos ainda destes vossos servos, que hoje quisestes dar como
diáconos à Igreja, e de todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo.
Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição,
e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo: admiti-os na luz da
vossa presença.

15
Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai-nos a graça de participar na vida eterna, com a
Virgem Maria, Mãe de Deus, São José, seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e
todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantar-
mos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.
Por Cristo, com Cristo, em Cristo,
a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo,
toda a honra e toda a glória
agora e para sempre.

R/.

RITOS DA COMUNHÃO

Cardeal Patriarca:
Fiéis aos ensinamentos do Salvador, ousamos dizer:
Todos:
Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso reino;
seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai
hoje; perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendi-
do; e não nos deixeis cair em tentação; mas livrai-nos do mal.

Cardeal Patriarca:
Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajuda-
dos pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação,
enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador.
R/. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

Cardeal Patriarca:
Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos: «Deixo-vos a paz, dou-vos a
minha paz»: não olheis aos nossos pecados mas à fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a
paz, segundo a vossa vontade, Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito San-
to.
R/. Amen.

Cardeal Patriarca: A paz do Senhor esteja sempre convosco.


Todos: O amor de Cristo nos uniu.
Diácono: Saudai-vos na paz de Cristo.

E todos se saúdam em sinal de paz e mútua caridade.

16
Durante a fracção do pão canta-se:
Teodoro S.
Coro

Assembleia

Coro

Assembleia

Cardeal Patriarca:
Felizes os convidados para a Ceia do Senhor.
Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
E, juntamente com a assembleia:
Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada,
mas dizei uma palavra e serei salvo.

Cânticos da Comunhão M. Luís

I.

II.

17
Cântico Depois da Comunhão J. Gelinaeu
Harm. Fr. José, O.P.

Oração Depois da Comunhão


Cardeal Patriarca:
Oremos. Fazei frutificar em nós, Senhor, os mistérios que celebramos, pelos quais, du-
rante a nossa vida na terra, nos ensinais a amar os bens do Céu e a viver para os valores
eternos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do
Espírito Santo.
R/. Amen.

RITOS DE CONCLUSÃO
Bênção e despedida
Cardeal Patriarca:
O Senhor esteja convosco.
R/. Ele está no meio de nós.
Os novos diáconos inclinam-se diante do Cardeal Patriarca para receberem a bênção.

Cardeal Patriarca:
Deus todo-poderoso, que vos chamou para o serviço dos homens na sua Igreja, vos dê
um grande cuidado por todos, particularmente pelos pobres e aflitos.
R/. Amen.

Cardeal Patriarca:
Ele que vos confiou o ministério de pregar o Evangelho de Cristo, vos ajude a viver se-
gundo a sua palavra e a ser suas testemunhas corajosas e sinceras.
R/. Amen.

Cardeal Patriarca:
Ele que vos fez dispensador dos seus mistérios, vos leve a imitar o seu Filho Jesus Cristo
e a ser, no mundo, ministros da unidade e da paz.
R/. Amen.

18
De seguida, toda a assembleia se inclina.
Cardeal Patriarca:
E a vós todos, aqui presentes,
abençoe-vos Deus todo poderoso, Pai , Filho  e Espírito  Santo.
R/. Amen.

Diácono:
Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
R/. Graças a Deus.

Cântico Final
A. Cartageno

19
PATRIARCADO DE LISBOA
Departamento de Liturgia

20