Você está na página 1de 2

A HISTÓRIA DE CELEBRIMBOR

Celebrimbor (lembrando que na pronúncia sindarin fica Quelebrimbor) foi um dos maiores
artífices entre os elfos, só não superando Fëanor, o forjador das Silmarills e ajudante nos
palantiri.
Sua história é incrível, pois é citado numa das decorrências mais importantes da Segunda-Era,
que é a forja dos Anéis de Poder.

Após haver uma separação no destino dos elfos quando Curufin, seu pai, e Celegorn, da casa de
Fëanor, armaram uma emboscada para matar Beren, pois esse, junto com Tinúviel, sua amada,
resgataram uma Silmarill na coroa de Morgoth em Angband, e outrora Fëanor rogou ódio a
qualquer um que possuísse a pedra se não sua família, até mesmo aos próprios Valar, a quem
desafiou em sua cega fúria; tanto que morreu ao ir até Angband resgatar suas pedras roubadas
por Melkor, e lá foi derrubado por Gothmag, senhor dos Balrogs. Assim, alguns seguiram
Curufin, mas outros seguiram direções diferentes criando outros reinos, inclusive Celebrimbor,
que foi para Eregion. Tinha quase a mesma obsessão dos anões pelo ofício, e teve uma relação
amigável com o povo de Moria, tanto que na porta oeste em que a comitiva do Anel parou antes
de entrar a Casa dos Anões, Gandalf lê as inscrições “Eu, Narvi, as fiz. Celebrimbor de Azevim
desenhou esses sinais”. (Aquela parte em que ele tem de dizer "amigo" para entrar). Narvi foi o
maior amigo dele em Khazad-dûm.

Então Sauron, cercado por todos os lados após a queda de Morgoth se viu encurralado e fugiu
para a então Mordor, e assim assumiu a mais bela forma que lhe foi possível e se infiltrou entre
os eldar, mas não foram todos que o aceitaram. Galadriel o rechaçou de Lórinand (Lórien), pois
de alguma forma conseguia enxergar mais profundo em sua alma, e Gil-Galad de Lindon. Foi em
Eregion que teve acolhimento, pois se passou por emissário dos Valar com o nome de Annatar,
O Senhor dos Presentes, em auxílio aos elfos. Foi com Celebrimbror que sua empatia maléfica
funcionou melhor, pois esse, em seu íntimo, queria ser comparado a Fëanor, e sofreu a
influência do Senhor do Escuro secretamente, pois consideravam, no momento, Galadriel e
Celeborn os senhores de Eregion, não tendo esses requisitados tal nomeação. A maquinação de
Sauron deu bastante lucro aos co-artífices e chegou a um ponto em que ficaram sob seu
domínio, revogando então a posição dos senhores dos noldor. Galadriel fugiu por Moria e
estabeleceu uma fortaleza contra o Escuro em Lórien, enquanto Celeborn ficou em Eregion sem
relevância. Nesse tempo, em 1350 e 1400 s.e, Sauron trabalhou no fabrico dos Anéis de Poder
com Celebrimbor, que aceitou esse não como Senhor do Escuro, mas como o que ele fingia ser,
e quando este descobriu os intentos de Sauron, já era tarde, pois ele já havia iniciado o Um.
Então o noldor foi até Lórien se aconselhar com Galadriel. Esta disse para ele não dispersar os
três anéis élficos, mas esconder, fazendo com que Sauron crê-se que ainda estivesse em Eregion.
Nesse momento Celebrimbor deu Nenya, o Anel Branco, para ela. Depois ele enviou o de Anel
do Ar e o do Fogo para Gil-Galad, em Lindon, e que este deu Narya, o Anel Vermelho, para
Círdan, Senhor dos Portos, e na chegada dos istari, este passou ao último caminhante dos cinco,
que era Gandalf, o Cinzento – mas isso ocorreu tempos depois -. Aí quando Sauron soube da
revolta de Celebrimbor, a parada ficou séria e uma guerra começou, pois este ficou irado e
assumiu sua forma real, mandando um exército através da antiga Rohan para atacar Eregion, e
aí Gil-Galad ficou sabendo e mandou um pessoal a comando de Elrond (o cara e o meio-elfo), e
lá eles lutaram e conseguiram rechaçar as forças do mal por um tempo, mas logo irromperam
Eregion e tomaram a Casa dos Mírdain, que era onde ficavam as forjas e tesouros, e ali mesmo
Celebrimbor lutou contra Sauron, o Maia. O noldor apanhou e foi torturado, pois Sauron queria
saber onde estavam os Três e os Sete, pois os Nove ele já havia pego, sem contar outros tesouros
da saqueada Eregion. Os Sete ele descobriu, pois não tinham tanta importância, já que os
mesmos foram forjados junto com Sauron, mas sobre os Três o noldor não contou nada, pois
esses ele havia feito sozinho, com poder e propósitos diferentes. A única informação que obteve
foi a de que os anéis foram confiados a guardiões élficos, ou seja, Galadriel e Gil-Galad. E aí esse
enfureceu-se e matou Celebrimbor, pondo seu corpo numa haste e mostrando-o ao exército de
Elrond. Nessa batalha o anão Durin enviou um agrupamento de anões e Gil-Galad pediu apoio
dos homens de Númenor. A batalha foi vencida após muito suor, pois Sauron dominara Eregion
por um período, mas depois foi rechaçado para Mordor sem mais voltar. Então Gil-Galad deu
Vilya, o Anel Azul para Elrond. A conclusão da história é que não foi propriamente Sauron que
forjou os anéis, e sim, na sua maior parte, Celebrimbor.

E essa é a história da forja dos Aneis de Poder.

Texto de nosso curtidor Gabriel Alexander Eru

Video de Shadow of Mordor