Você está na página 1de 30

NÍVEL III

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2017 Ensino Fundamental


3ª FASE - 07 DE OUTUBRO DE 2017 3ª e 4ª séries

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:

1. Esta prova destina-se exclusivamente aos alunos da 3ª e 4ª séries do nível


médio. Ela contém oito questões. Cada questão tem valor de 10 pontos e a
prova um total de 80 pontos.

2. O Caderno de Respostas possui instruções que devem ser lidas cuidadosa-


mente antes do início da prova.

3. A menos de instruções específicas contidas no enunciado de uma questão, todos


os resultados numéricos devem ser expressos em unidades do Sistema Interna-
cional (SI).

4. A duração da prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala


por no mínimo sessenta minutos.
√ √ √
5. Se necessário e salvo indicação em contrário, use: 2 = 1,4; 3 = 1,7; 5 = 2,2;
sen30◦ = 0,50; cos30◦ = 0,85; sin45◦ = 0,70; π = 3,0; densidade da água = 1,0
g/cm3 ; calor específico da água líquida = 4,2 J/g·K; calor específico do gelo = 2,1
J/g·K; calor latente de fusão do gelo = 0,34 kJ/g; calor latente de vaporização
da água = 2,3 kJ/g; aceleração da gravidade = 10 m/s2 .

Questão 1. A figura abaixo mostra um sistema em equilíbrio estático. A haste homogênea


AB de comprimento ` = 80,0 cm e massa desprezível está presa à parede vertical por um pino
em torno do qual poderia girar livremente. Na extremidade B da haste está presa uma pequena
esfera de massa m = 200 g. Fixada a essa esfera e ao ponto C do teto há um material elástico
de constante elástica k = 2,50 N/m e que quando relaxado tem comprimento desprezível.
Determine (a) o ângulo θ = θ0 de equilíbrio e (b) o período de oscilação deste sistema se a
posição angular θ for levemente deslocada de θ0 .

1
Questão 2. Um aluna de física está investigando condições de equilíbrio estático de objetos
encontrados em sua mesa de estudos. Inicialmente ela fixa uma lata cilíndrica de raio r = 5,00
cm em uma mesa horizontal e em seu topo apoia uma régua plástica homogênea de comprimento
L = 30,0 cm e massa m = 40,0 g na situação de equilíbrio estático ilustrada na figura A. Depois,
ela aplica uma força vertical F~ em uma das extremidades da régua e observa que o ponto de
apoio da mesma sobre o cilindro se desloca conforme ilustrado na figura B. Ela observa que a
régua pode assumir configurações de equilíbrio estático desde que θ ≤ 30◦ . Determine (a) o
valor do coeficiente de atrito estático entre a régua e a lata e (b) a intensidade da força externa
na situação em que θ = 30◦ .

Questão 3. Um fonte de luz laser está posicionada para que seu feixe de luz seja paralelo ao
eixo x e aponta para um espelho cilíndrico de raio R cuja superfície tangencia um anteparo
plano opaco conforme ilustrado na figura abaixo. Acima e à frente do espelho, marcados pelos
pontos A e B há uma abertura de largura R. Determine (a) uma equação para ymax , o maior
valor que y pode assumir de forma que o feixe refletido atravesse a abertura e (b) estime o valor
de ymax sabendo que esse se encontra próximo a R/2.

Questão 4. Em um laboratório é necessário aquecer uma amostra de gás a uma taxa constante
de P0 = 20,0 W. Com este objetivo foi construído o circuito ilustrado abaixo onde V0 = 6,0
V e as resistências R e r devem ser convenientemente escolhidas. A resistência r está inserida
dentro do compartimento do gás com o objetivo de aquecê-lo, logo estará sujeita à grandes
variações de temperatura. Na figura, a linha pontilhada, representa o subsistema na qual r
está inserida. O objetivo do circuito elétrico é fazer com que a potência P dissipada no resistor
r, P (r, R), varie o menos possível apesar da inevitável variação de r com a temperatura do
gás. Isto pode ser alcançado se, para um dado R, r for escolhido como um máximo de P (r, R).
Determine (a) P (r, R), (b) a relação entre r e R que maximiza P (r, R) e (c) os valores de R e
r que devem ser utilizados para que P = P0 .

2
Questão 5. Um anel de raio r e massa m rola sem escorregar em um plano horizontal, de
coeficientes de atrito estático e cinético iguais a µ, quando no instante t = 0 se choca contra
uma parede lisa. Antes do choque a velocidade do centro de massa do anel é V0 e o choque é
instantâneo e perfeitamente elástico de forma que resulta apenas na aplicação de um impulso
horizontal no anel. Determine (a) o instante a partir do qual a velocidade do centro do anel
é constante e (b) o valor desta velocidade. (c) Repita o problema mas com o anel sendo
substituído por um disco uniforme de mesma dimensão. (Dados: momento de inércia do anel
Ia = mr2 e do disco Id = mr2 /2.)
Questão 6. Um elétron (carga -e) se move com velocidade constante v0 em uma órbita circular
de raio R graças à ação de uma força central (a órbita circular, para todos os efeitos, pode
ser considerada uma espira). Durante o intervalo de tempo τ surge um campo magnético
perpendicular ao plano da órbida que varia de 0 a B. (a) Mostre que a variação na velocidade
do elétron é independente de τ . (b) Se o momento angular do elétron fosse quantizado pela
h
mesma regra adotada por Bohr para um elétron em átomo de hidrogênio, L = n 2π , onde h é
a constante de Planck e n é um inteiro, qual seria o menor valor de B capaz de induzir uma
mudança na velocidade do elétron?
Questão 7. Se um recipiente que contém um gás rarefeito apresenta uma pequena abertura
ocorre um fenômeno chamado efusão no qual o número de moléculas que sai do recipiente é
proporcional nv onde n é a densidade do gás e v é a velocidade escalar média das moléculas.
Considere um recipiente dividido em duas câmaras com uma pequena abertura entre elas e que
contém um gás rarefeito. As condições são tais que ocorre o fenômeno de efusão entre uma
câmara e outra. Se as câmaras 1 e 2 são mantidas, respectivamente, a temperaturas T1 e T2 e
a pressão da câmara 1 é P1 , qual o valor da pressão na câmara 2 na situação de equilíbrio?
Questão 8. A figura abaixo ilustra um tubo fino de extremidades abertas em forma de U ,
em repouso, e que contém água até o nível H = 10 cm. Acionando um motor é possível fazer
com que o tudo gire com velocidade angular constante ω em torno do eixo vertical y centrado
no ramo esquerdo do tubo. Para que valor de ω a água está no limite de escapar do tubo?
Use em suas considerações o fato de que, a pressão de equilíbrio de líquidos que estão dentro
de recipientes em rotação uniforme varia com a distância r ao eixo de rotação de acordo com
expressão p = pc + 12 ρω 2 r2 onde pc é a pressão do líquido sobre o eixo e ρ é a densidade do
líquido.

3
NÍVEL III
OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2016
Ensino Médio
3ª FASE – 08 DE OUTUBRO DE 2016 3ª série

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO


1 - Esta prova destina-se exclusivamente aos alunos da 3ª do Ensino Médio. Ela contém oito
questões. Cada questão tem valor de 10 pontos e a prova um total de 80 pontos.
2 - O Caderno de Respostas possui instruções que devem ser lidas cuidadosamente antes do início da
prova.
3 - Todos os resultados numéricos devem ser expressos em unidades no Sistema Internacional e
seguindo as instruções específicas da questão.
4 - A duração desta prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala por no mínimo
sessenta minutos.
Se necessário, e a menos que indicado ao contrário, use: velocidade da luz no vácuo = 3,0 x 10 8 m/s;
aceleração da gravidade g =10 m/s2; 1 atm = 105 Pa; densidade da água líquida = 1,00 g/cm3; calor
específico da água líquida = 4,2 J/gK; calor específico do gelo = 2,1 J/g.K; calor latente de fusão do
gelo = 33 J/g;  = 3; √2 = 1,4; √3 = 1,7; sen300 = 0,5; cos300 = 0,85.

Questão 1 – Um estudante em visita a um museu de ciências observou um sistema no qual há dois tubos
inclinados montados sobre uma plataforma que pode girar em torno de um eixo vertical. Os tubos estão
completamente preenchidos por um mesmo líquido e cada tubo contém uma esfera que está pintada com
cor diferente. A figura A representa o sistema quando está estacionário. Os visitantes do museu podem
girar o conjunto através de uma manivela (não mostrada na figura). A figura B mostra uma visão
instantânea do que se observa quando o conjunto gira com uma velocidade angular  suficientemente
alta. Descreva e justifique o fenômeno observado.

Questão 2 – Em um laboratório de ótica, uma fonte de laser F de comprimento de onda  está ajustada
para que seu feixe incida sobre a superfície curva de um prisma cilíndrico de raio R e índice de refração
n= √2 , conforme ilustrado na figura abaixo. Em que posição deve ser colocado um segundo prisma,
idêntico ao primeiro, de modo que o feixe laser, após atravessar os dois prismas, siga em uma direção
paralela ao eixo x?

1
Questão 3 – Uma certa porção de gás ideal está encerrada na câmara formada por um pistão acoplado a
um cilindro vertical. Inicialmente, a posição do pistão é mantida fixa através de um pino de forma que a
pressão inicial do gás é p0=1,00 atm e seu volume é 5,00 litros. A pressão externa ao pistão pext=10,0 atm
é dada pela soma da pressão atmosférica e da pressão exercida por uma massa m que está apoiada em sua
superfície externa. As paredes do cilindro são diatérmicas e o conjunto está parcialmente mergulhado em
uma mistura com água e gelo em equilíbrio entre si e com a atmosfera (todos os subsistemas estão à
temperatura de 0C). Em certo momento, o pino é removido e espera-se que o sistema atinja um novo
estado de equilíbrio. Qual a massa de gelo que se funde neste processo?

Questão 4 – O paramagnetismo de materiais pode ser explicado pelo comportamento do alinhamento ou


não dos momentos de dipolo magnético de seus átomos. Simplificadamente, em uma convenção na qual o
eixo cartesiano z aponta para cima, a componente z do momento de dipolo magnético pode assumir
apenas os valores  (para cima) ou  (para baixo), onde 0 é a intensidade do momento de dipolo
magnético de cada átomo. Na ausência de campo magnético externo, os momentos de dipolo magnético
dos átomos estão orientados ao acaso, de forma que a magnetização M do sistema, dada pela soma dos
momentos de dipolo magnéticos, é nula. Na presença de um campo magnético apontando na direção z, M
é diferente de zero, pois os dipolos magnéticos tendem a se alinhar com o campo externo. Entretanto, o
alinhamento não é total, pois além da interação com o campo, há interações térmicas que favorecem o
desordenamento. Em materiais paramagnéticos, a intensidade do campo externo B e a temperatura T
determinam a probabilidade de alinhamento de um dipolo magnético com o campo. Considere uma
determinada situação na qual a probabilidade de um dipolo magnético se orientar na direção do campo é
p=3/4. Qual a probabilidade de um grupo de 6 átomos apresentar a magnetização M=20 ?

Questão 5 – Um recipiente contendo água possui uma pequena abertura de área de seção transversal a
localizada a uma profundidade h e que está inicialmente bloqueada por um tampão T, conforme figura
abaixo. Movendo-se e segurando-se o tampão a uma pequena distância Δx para a direita, a água esguicha
pela abertura, atinge o tampão, colide inelasticamente e escorre verticalmente para baixo. Determine (a) a
velocidade com que a água sai pela abertura e (b) a força exercida pela água no tampão em termos de a, h,
g e densidade da água. Ao expressar seus resultados, além das grandezas dadas, use g para aceleração da
gravidade e para a densidade da água.

2
Questão 6 – No circuito ilustrado abaixo, os capacitores 1 e 2 possuem, respectivamente, capacitâncias
C1=F e C2=10,0 F e fontes de tensão iguais a V0=6,00 V (note que tem polarização invertida).
Inicialmente fecham-se apenas as chaves S1 e S3 e espera-se um tempo suficientemente longo para que o
sistema atinja o equilíbrio. Depois, em determinado instante, trocam-se simultaneamente as posições das
chaves: S1 e S3 são abertas e S2 e S4 são fechadas. Esboce em um mesmo gráfico as diferenças de potencial
V12=V1-V2 e V34=V3-V4 em função do tempo para o caso do elemento X ser (a) um resistor de R=300 e
(b) um indutor de L=2,40 H.

Questão 7 – A reação nuclear que ocorre em bombas de hidrogênio e nas estrelas envolve a fusão de um
dêuteron com um trítio que formam uma partícula alfa e um nêutron. Uma das dificuldades técnicas para
o uso desta reação como fonte de energia para produção de energia elétrica vem do fato que, após a
reação, a maior parte da energia fica com o nêutron que, por ser eletricamente neutro, não pode ser
facilmente direcionado. Usando os princípios da conservação de energia e momento, estime a razão Kn/K
entre as energias cinéticas do nêutron e da partícula alfa produzidas após a reação.

Questão 8 – Uma fita metálica longa de largura d desloca-se com velocidade v na direção de seu
comprimento em uma região de campo magnético uniforme perpendicular a seu plano, conforme
ilustrado na figura abaixo (assuma que o sentido do campo é saindo do papel). Os pontos A e B indicam
escovas condutoras que tocam a fita, estabelecendo contato elétrico com o circuito. Este possui um
resistor de resistência R, uma chave S que se encontra inicialmente aberta e sua linha tracejada indica uma
parte que passa por baixo da fita. Supondo que todos os condutores são ideais, explique o que ocorre
quando a chave S é fechada.

3
OLIMPÍADA BRASILEIRA DE FÍSICA 2015
2ª FASE – 10 DE OUTUBRO DE 2015 NÍVEL III
Ensino Médio – 3ª série
Ensino Técnico - 4ª série

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:

1 - Esta prova destina-se exclusivamente aos alunos da 3ª série do Ensino Médio e 4ª série
do Ensino Técnico. Ela contém oito questões.
2 - O Caderno de Respostas possui instruções que devem ser lidas cuidadosamente antes do
início da prova.
3 - Todos os resultados numéricos devem ser expressos em unidades no Sistema Internacional
ou seguindo as instruções específicas da questão.
4 - A duração desta prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala por
no mínimo sessenta minutos.
Se necessário, e a menos que indicado ao contrário, use: velocidade da luz no vácuo = 3,0 x 10 8 m/s;
aceleração da gravidade g = 10 m/s2; sen300 = 0,5; cos300 = 0,85; sen600 = 0,85; cos600 = 0,5; π = 3;
2 = 1,4; N
3 = 1,7; 5 = 2,2;  N ( N  1)(2 N  1) N 3
n2  
n 0 6 3

Questão 1 – Termistores são dispositivos cuja resistência varia com a temperatura. Suas aplicações
envolvem circutos de segurança em motores; proteção contra a dissipação ineficiente de calor ou curtos-
circuitos entre outras. Esses dispositivos precisam ser calibrados para determinar valores de temperatura
e resistência. Empregando a expressão:

R  R0 e B T

onde R é expresso em ohms (Ω), T em kelvin (K), R0 e B são constantes.

a) Qual o menor número de medidas necessárias para calibrar o termistor?


b) Supondo que essas medidas tenham sido realizadas, como seriam expressos os valores de R0 e B em
termos das medidas assumidas?

Questão 2 – Em 1973 o grupo inglês Pink Floyd lançava o album "The dark side of the Moon". A capa
desse album mostrava o fenômeno da dispersão da luz branca ao incidir em um prisma.

1
a) Explique esse fenômeno em termos das velocidades de propagação da luz branca.

b) Considerando que a luz branca incide formando um ângulo de 30o e tendo o prisma um ângulo de
abertura de 60o, determine o ângulo de saída da cor vermelha sabendo que o índice de refração do
prisma para essa cor é de 1,4 e que o mesmo está imerso no ar.

Questão 3 – Por volta de 1897, Joseph John Thomson estudou descargas elétricas em tubos de raios
catódicos (o mesmo tipo de tubo usado em monitores e televisores antigos), dentro dos quais, havia uma
mistura de gases em baixa pressão. A partir de seus experimentos,Thomson sugeriu que os elétrons
estariam mergulhados em uma massa homogênea (de carga positiva), como ameixas em um pudim.
Posteriormente, Thomson postulou que os elétrons, estavam situados em anéis, e se moviam em órbitas
ao redor da esfera positiva. (texto adaptado: https://pt.wikipedia.org/wiki/ModelodeThomson)

Aplicando o modelo de Thomson ao átomo de hidrogênio, e assumindo que o átomo era formado por
uma carga positiva distribuída de forma homogênea num volume esférico de raio R com os elétrons
orbitando ao seu redor, responda as seguintes perguntas:

a) Qual o campo elétrico a uma distância r quando r >R?

b) Considerando que o campo total gerado pelas cargas a uma distância r do centro seja

 e  r3 
E  1  rˆ
4 0r 2  R 3 

e que sobre o mesmo age uma força


 
F  eE .
Assuma que o elétron foi deslocado para uma distância r do centro e então solto. Demostre que nessa
situação o período de oscilação do elétron, em função das variáveis do problema, é dado por:

2R
T 4 0 Rme
e
Questão 4 – "Há mais de cem anos o físico dinamarquês Niels Bohr publicava um dos mais importantes
trabalhos da Física do século XX, On the Constitution of Atoms and Molecules, no qual pela primeira vez
um modelo do átomo construído a partir de fatos experimentais e da hipótese de quantização de energia
de Max Planck era apresentado". (Texto extraído da Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 35, n. 4, p.
4301, 2013). Considere um átomo de hidrogênio, no qual um elétron de massa m e carga e orbita em
torno de um próton em uma trajetória circular de raio R, sob a ação de uma força de natureza
eletrostática e com potencial de Coulomb dado por:

kZe 2
V 
R
onde k é a constante eletrostática e Ze representa a carga do núcleo atômico. Deduza a expressão para
a energia total do elétron.

2
Questão 5 – O Método de Ruchardt pode ser empregado para determinar o coeficiente de Poisson γ =
(cP/cV), isto é, a relação entre os coeficientes de calor específico com pressão e com volume constante,
envolvendo transformações adiabáticas. Utilizando um balão de vidro com ar em seu interior, ajusta-se
uma bolinha metálica de raio a e massa m, que veda a boca do balão. Na posição x = 0 a bolinha
encontra-se em equilíbrio e o balão de vidro tem um volume V0 . Ao ser deslocada na vertical de sua
posição de equilíbrio a bolinha move-se, executando oscilações em um movimento harmônico simples.
a

0 g
x m

Considerando o atrito desprezível, mostre que o período de oscilação em função das variáveis do
problema é dado por:

2 mV0
T
a2 P

Questão 6 – O canal da Mancha é um braço de mar pertencente ao oceano Atlântico que separa a ilha
da Grã-Bretanha do norte da França. Atualmente é uma das localidades de maior circulação de navios
do mundo. Quatro rebocadores são usados para trazer um transatlântico ao cais. Para isso é feita uma
manobra como ilustra a figura abaixo. Cada rebocador exerce uma força de 22500 N na direção
mostrada. Determine o momento resultante em relação ao ponto O.
Considere a força exercida pelo segundo rebocador na forma vetorial como sendo:

F2  (13,5iˆ  18 ˆj )kN

60° 1 2 3

15m 27m 30m 60m 30m 30m 21m


O
33m
45° 4

3
Questão 7 – Em 1883, o francês M. Leon Thevenin enunciou o seguinte teorema:

“Qualquer estrutura linear ativa pode ser substituída por uma única fonte de tensão Vth em série com
uma resistência Rth”

A Rth A

Circuito Rc Vth Rc
Linear
1 2
B B

Considerando Vth a tensão de Thevenin medida nos terminais A e B do circuito 2, e Rth a resistência
entre os terminais A e B com todas as fontes do circuito 2.

a) Com base no circuito acima determine a expressão para a potência (Pc) no resistor RC, em função das
variáveis do problema.

b) O gráfico a seguir representa PC x RC. Expresse analiticamente a condição para que ocorra o valor
máximo da potência no circuito.

Questão 8 – Uma espira de metal plana (com uma distância constante h entre as bobinas) e um número
 
total de bobinas N é colocada num campo magnético uniforme B  B0 cost , perpendicular ao plano da
espiral, como mostra a figura. Determine a força eletromotriz induzida na espiral (entre os pontos A e C).
Suponha N >> 1.

C A

4
OLIMPÍADA BRASILEIRA NÍVEL III
DE FÍSICA 2014 PROVA TEÓRICA
Ensino Médio - 3ª série
3ª FASE – 11 de outubro de 2014 Ensino Técnico - 4ª série

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:


a
01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos das 3 série do ensino médio e 4ª série do Ensino
Técnico. Ela contém oito questões. Cada questão tem valor de 10 pontos e a prova um total de 80 pontos.
02) O Caderno de Resoluções possui instruções que devem ser lidas cuidadosamente antes do início da
prova.
03) Todos os resultados numéricos devem ser expressos em unidades no Sistema Internacional caso não
seja indicado na questão.

noventa(90) minutos. Use caso necessário: = 3; constante universal gravitacional G=7x10 m /kg s ;
04) A duração desta prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala por no mínimo
-11 3 2
2 8
g=10 m/s ; c=3x10 m/s; cos45°=sen45°=0,7.
1. Um motorista esquece um pequeno pacote de 250 g no teto do seu carro de 2500 kg e, então,
parte com o carro com velocidade de acordo com o gráfico abaixo. Sabe-se que os coeficientes de
atrito cinético e estático entre o carro e o pacote são, respectivamente, 0,2 e 0,3. Quanto tempo leva,
aproximadamente, para o pacote cair do carro?

30
v(m/s)
25 2m
20
15
10
5
0
0 5 10 15
t(s)

2. O campo elétrico sobre o eixo (perpendicular e passando pelo centro) de um disco de raio R
uniformemente carregado com densidade de carga σ a uma distância x do disco é
se x>0
x
2πkσ 1-

2 2
x +R
se x<0,
Ex =
x
-2πkσ 1-
2 2
x +R
onde k é a constante de Coulomb.
(a) Usando a expressão do campo do disco dada acima, determine o campo elétrico de um plano de
carga. +
+
(b) A figura ao lado mostra uma pequena esfera não condutora de carga +Q e massa m +
suspensa por um fio isolante de comprimento L preso num ponto de um plano + θ L
uniformemente carregado. A esfera está em equilíbrio e faz um ângulo θ com um plano. +
Qual é a densidade superficial de carga do plano em função de Q, m e θ ? +
+ 1
+
3. Para aumentar a intensidade sonora, os fabricantes de pianos instalam duas ou mais cordas para
uma mesma tecla do piano. Quando a tecla é acionada um pequeno martelo as toca produzindo
exatamente a mesma frequência de vibração. Sendo assim, as cordas devem estar sujeitas à
mesma tensão. Suponha que a nota de 440Hz possua três cordas idênticas. Se a tensão de uma
dessas cordas diminui em 0,45% e de outra corda aumenta em 0,45%, qual é a frequência de
batimento quando a tecla correspondente é acionada? Desprezar a interação entre as cordas. Use a
aproximação (1±x)n≈1±nx para x<<1.

4. Eduard Rüchardt propôs um método simples para se medir a razão γ=CP/CV de um gás ideal, onde
CP é a capacidade calorífica a pressão constante e CV a capacidade calorífica a volume constante. A
figura ao lado mostra esquematicamente o arranjo usado. O recipiente
contém um gás, considerado ideal, inicialmente com volume V0, pressão P0
e está em equilíbrio térmico. O êmbolo cilíndrico tem massa m, área da y êmbolo
base A, altura L e é livre para se mover ao longo do recipiente. Na posição cilíndrico
de equilíbrio o peso do êmbolo equivale à força exercida pelo gás. O
êmbolo é tirado da posição de equilíbrio por uma pequeno deslocamento y
alterando o estado do gás. O gás exercerá sobre o êmbolo uma força
restauradora fazendo-o oscilar com uma frequência característica que
depende de γ. Supondo que a transformação seja adiabática e
desprezando-se o atrito entre o êmbolo e o recipiente,
(a) encontre a variação de pressão ∆P. Para isso use a aproximação
γ
(1±∆V/V) ≈1±γ∆V/V, já que a variação relativa do volume é pequena,
(b) encontre a força restauradora atuando no êmbolo mantendo apenas termos de ordem linear em
y,
(c) determine γ em função período de movimento do êmbolo e dos dados fornecidos no problema.

5. A primeira medida da velocidade da luz a partir de dados não astronômicos foi realizada pelo
físico francês Armand H. L. Fizeau em Espelho
1849. A figura mostra um diagrama
simplificado do aparato montado por O L
Fizeau. Uma fonte luminosa emite um raio
de luz que passa por um divisor de feixe –
espelho semitransparente. Parte da luz é
perdida e a outra parte passa entre os
dentes de um disco dentado sendo refletida Luz incidente e
num espelho plano posicionado a uma refletida no
distância L da engrenagem. O feixe espelho
refletido no espelho plano retorna pelo
mesmo caminho e é observado em O. O
disco, que tem N dentes é, então, posto a divisor de feixe
girar e o observador vê a imagem Fonte de luz
intermitente. A medida que a velocidade
angular aumenta as interrupções luz perdida
diminuem. Para certa velocidade angular ω
a luz refletida é completamente obstruída, ou seja, nenhuma luz chega ao observador.
(a) Determine a expressão para a velocidade da luz em termos das varáveis fornecidas no texto.
(b) No experimento realizado por Fizeau a engrenagem tinha 720 dentes, a distância L foi de 8600 m
e a velocidade angular em que o efeito foi observado era de 12,5 rotações por segundo. Neste caso,
determine a velocidade da luz encontrada por Fizeau.

2
6. Diferentemente de materiais não refletivos que espalham a
luz em todas as direções, materiais refletivos como fitas e raio incidente
películas refletivas são construídas para retornar a luz
diretamente de volta à sua fonte original. Esse tipo de material h
P
ajuda a aumentar a visibilidade em condições de pouca
luminosidade. No início da produção deste tipo de material, superfície
microesferas de vidro eram aplicadas sobre um fundo prateado. raio refletido refletora
Hoje em dia usa-se uma película refletiva prismática. A figura
mostra um raio de luz se propagando no ar e incidindo sobre uma esfera semi-espelhada com índice
de refração 3 . Qual deve ser a razão entre a distância h (h≠0) e o raio da esfera para que esse
raio de luz foque no ponto P e retorne paralelamente ao raio incidente?

7. Um pêndulo simples de comprimento L é posto a


oscilar com uma abertura angular de 60°. A massa
60°
pendular colide com uma parede onde perde 10,0% de L
sua energia. Quantas colisões o pêndulo realiza com a
parede?
Dados log (0,4) = - 0,40 e log (0,90) = - 0,046.

0,6L

8. O principal elemento presente no Sol é o hidrogênio. É sabido que quando a temperatura de um


gás de hidrogênio atinge 15.000.000 °C iniciam-se reações nucleares que convertem hidrogênio em
hélio ( 4H→He ) produzindo energia. Estima-se que apenas 10% da massa do sol estejam na parte
central do Sol onde a temperatura seja suficientemente alta para desencadear a reação acima.
Podemos aproximar o Sol por uma esfera de 2,0x1030 kg composta de hidrogênio. A Terra está a
uma distância de 1,5x108 km do Sol e a cada segundo sua atmosfera recebe 1400 J/m2 de energia
da radiação solar. Com base nesses dados estime o tempo de vida do Sol em segundos.
Dados:
massa atômica do H 1,008 u
massa atômica do He 4,003 u
1u (unidade de massa atômica) = 1,7x10-27 kg

3
ESPAÇO PARA RASCUNHO

4
OLIMPÍADA BRASILEIRA NÍVEL III
DE FÍSICA 2013 Prova Teórica
3ª FASE – 28 de setembro de 2013 Ensino Médio - 3ª série
Ensino Técnico - 4ª série

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:


a
01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos das 3 série do ensino médio e 4ª série do Ensino
Técnico. Ela contém oito questões. Cada questão tem valor de 10 pontos e a prova um total de 80 pontos.
02) O Caderno de Resoluções possui instruções que devem ser lidas cuidadosamente antes do início da
prova.
03) Todos os resultados numéricos devem ser expressos em unidades no Sistema Internacional caso não
seja indicado na questão.
04) A duração desta prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala por no mínimo
noventa(90) minutos.

QUESTÃO 1 - Uma pequena esfera com densidade relativa (razão entre a densidade de um corpo e
a densidade da água) ρ1 > 1 é solta na superfície livre de um recipiente contendo água. No mesmo
instante é solta outra esfera pequena com densidade relativa ρ2 < 1 do fundo do recipiente. Em que
ponto, a partir do fundo do recipiente, as esferas irão se encontrar? Desprezar os efeitos da
viscosidade do fluido e as dimensões da esfera.

QUESTÃO 2 - Um carro movendo-se com velocidade constante percorre uma pista circular com o
raio R e inclinada de um ângulo . Se o
coeficiente de atrito estático entre os pneus e a
pista é e, determine em que faixa de
θ
velocidades o condutor pode trafegar para que
o carro não deslize na pista.

QUESTÃO 3 - Considere uma região limitada por duas placas P1


paralelas P1 e P2 de comprimento 4s e separação 2s sujeita a um s
campo magnético B uniforme. Um elétron entra com velocidade v v
nesta região como mostra a figura. Qual deve ser o menor valor de v s
para que ele saia da região de campo sem colidir com as placas?
P2
Desconsiderar a massa do elétron. 4s

QUESTÃO 4 - Sabemos que um amperímetro convencional é ligado em série num ramo de um


circuito para medir a corrente elétrica. Num cabo, e sem interrompê-lo,
eletricistas podem, entretanto, medir correntes que variam com o tempo,
como a corrente alternada. Para isso usam um equipamento chamado
alicate-amperímetro, que mede a corrente induzida pelo campo magnético
gerado pela própria corrente. A alça do alicate é composta por uma bobina núcleo
de ferro
que envolve um núcleo de ferro cuja função é guiar o fluxo magnético de
modo que praticamente todo fluxo passe, aproximadamente, perpendicular à
bobina. A bobina é composta por N espiras circulares de raio R e está ligada
a um voltímetro de acordo com a figura. Sabendo-se que o núcleo de ferro bobina
tem uma eficiência de 80%, determine a variação da corrente elétrica no cabo V
voltímetro
1
durante um tempo Δt em que a tensão no voltímetro foi V. Dado: o campo magnético de um fio
condutor passando corrente i a uma distância R do fio é μ0 i/2πR.

QUESTÃO 5 - A figura mostra a seção de um elemento óptico de índice de refração n e com a forma
de um cilindro cuja base é um quarto de circunferência posicionado sobre uma bancada. Um feixe
de luz monocromática paralela à bancada incide sobre a face do elemento. Determinar a distância x,
próxima ao elemento, sobre a bancada que não receberá iluminação da fonte luminosa.

QUESTÃO 6 - Num experimento de laboratório dispomos do seguinte material:


 Lâmpada: tensão máxima 6V, potência 3W
 Multímetro
 Fonte de alimentação DC 10V
 Conjunto de resistores: 3, 20 e 30.
 Placa de montagem
A lâmpada não pode ser ligada diretamente na fonte - pois está a danificará. Projete, com os
resistores disponíveis, um circuito simples para que se possa ligar a lâmpada e obter a maior
potência possível. Qual é está potência? Suponha que a lâmpada tenha resposta ôhmica.

QUESTÃO 7 - A figura mostra uma haste homogênea de comprimento 2R e massa M que está
sobre uma superfície lisa. A haste está articulada no seu
centro e inicialmente em repouso. Pequenas esferas de v
massa m atingem uma das extremidades da haste. As disparador m
esferas são lançadas de um reservatório (disparador) e
liberadas de forma a atingirem esta extremidade com R
velocidade v toda vez que está completar uma revolução.
As colisões são elásticas e as esferas podem ser
consideradas puntiformes. Encontre a velocidade angular ω i+1 em termos de ωi, de v após a i-ésima
esfera colidir com a haste. Dado: o momento de inércia da haste é MR2/3.

QUESTÃO 8 - Em agosto de 1913, portanto há 100 anos, Robert Millikan publicou um artigo onde
descreve um método para, pela primeira vez na história, medir a unidade fundamental de carga
elétrica - a carga do elétron. O objetivo do experimento é a
comprovação do caráter discreto da carga elétrica. O método
utilizado baseia-se na ação de um campo elétrico em uma
gotícula de óleo, aproximadamente esférica, de densidade ρ,
raio R e eletrizada com carga q. A figura mostrada representa
o arranjo experimental usado. As gotículas de óleo são
borrifadas dentro da câmara e durante a pulverização
algumas ionizam-se por atrito. Eventualmente, algumas
penetram entre duas placas carregadas, separadas por uma
distância d, através de um pequeno orifício. Pode-se observar através do telescópio que, dentre
estas, algumas sobem, enquanto outras descem. Aplicando-se uma diferença de potencial V
apropriada entre as placas, pode-se selecionar uma gotícula e mantê-la em equilíbrio por certo
tempo. O experimento mostrou que qualquer carga q é um múltiplo inteiro positivo ou negativo de
uma carga elementar - a carga do elétron. Determine a carga de uma gotícula de óleo em equilíbrio
entre as placas em termos dos dados fornecidos no enunciado (ρ, R, d e V), use g como aceleração
gravitacional local e ρar como a densidade do ar.

2
ESPAÇO PARA RASCUNHO

3
ESPAÇO PARA RASCUNHO

4
3a fase – Prova Teórica

NÍVEL III (alunos da 3ª série)

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:

01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos da 3ª série do Ensino Médio. Ela contém oito questões.
Cada questão tem valor de 10 pontos e a prova um total de 80 pontos.
02) O Caderno de Resoluções possui instruções que devem ser lidas cuidadosamente antes do início da
prova.
03) Todos os resultados numéricos devem ser expressos em unidades no Sistema Internacional caso não
seja indicado na questão.
04) A duração desta prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala por no mínimo
noventa(90) minutos.
05) As questões têm inicio na página 2 – use os espaços em branco para rascunhos. . Use quando
2
necessário g=10m/s como aceleração gravitacional.

1
QUESTÕES NÍVEL III

1. Uma esfera de raio r e massa m rola sem escorregar sobre a superfície


mostrada na figura. Determine a velocidade mínima que a esfera deve ter R
para completar a curva rolando sem perder contato com a superfície.
Dado: momento de inércia de uma esfera = 2mr2/5.

2.O disco, de raio R, mostrado na figura é formado por


dois semicírculos com densidades de massa σ1 e σ2. O P

disco não pode escorregar, mas pode rolar. Para uma


determinada posição do disco e para certos valores do σ1
ângulo θ, é possível manter o disco em equilíbrio sobre o C C´
plano inclinado. Qual deve ser a razão entre as densidades σ2
(σ1/σ2) para que o disco fique em equilíbrio com o
segmento PQ posicionado na vertical? Nessa situação, Q
qual é o intervalo permitido para o ângulo θ? Dado θ
auxiliar: o centro de massa, C´, de um semicírculo de raio
R é tal que o segmento CC ´ é 4R/3π.

3. A figura mostra um recipiente cilíndrico de área A = 0,01m2 e altura H = 2,5m. O recipiente possui um
pistão leve e sem atrito que o separa em duas regiões. A região inferior contém um gás
ideal monoatômico e a região superior está cheia de água. O pistão está inicialmente
água
posicionado a uma altura h = 0,5m do fundo. Transfere-se calor para o gás através da H-h
parte inferior do recipiente provocando o deslocamento do pistão e, assim, fazendo com
que a água transborde. Qual é a quantidade de calor necessária para fazer com que toda
água transborde? Suponha que o pistão é feito de um isolante térmico e, portanto, a água
não troca calor com o ar. Usar: pressão atmosférica = 105 Pa, densidade da água = 103 ar h
3 2
kg/m , aceleração da gravidade = 10 m/s .

4. A figura mostra um raio de luz propagando no ar e incidindo sobre um bloco de material translúcido num
ângulo θ com a normal à face do material. Qual deve ser a condição sobre o índice de refração do material para
que tal situação seja possível para qualquer θ ?

ar

θ n

5. Luz com comprimento de onda λ ilumina duas fendas idênticas. O padrão de intensidade observado num
anteparo a uma distância de 3m das fendas é mostrado na figura abaixo como função de y, onde y é medido a
partir do eixo de simetria das fendas. O que a figura mostra é um padrão de interferência associado a um
padrão de difração. Observe a figura e responda: qual é a largura das fendas e qual é a distância entre os
centros das fendas em função do comprimento de onda da luz? Note que y << 3m.

2
6. Diodos são componentes elétricos que permitem que, de maneira aproximada, a corrente atravesse-o apenas
num determinado sentido. O tipo mais comum de diodo é o diodo semicondutor.

Simbologia
Lâmpada 6V/0,12W
Diodo ideal (seta indica o
sentido permitido da corrente)
Fonte de tensão ideal de 12V

Para o circuito mostrado na figura, qual é o estado das lâmpadas: ligada, desligada ou ligada com sobrecarga
de tensão?
L2

L1
L5 L4 L3

7. Neste ano comemora-se o centenário da descoberta dos raios cósmicos: em agosto de 1912 o físico austríaco
Victor Hess (Premio Nobel 1936) usando um balão meteorológico subiu a uma altitude de aproximadamente
5000 m e concluiu que grande parte da radiação medida na Terra vinha do espaço, não apenas do sol. Esta
radiação ficou conhecida como raios cósmicos e são, na verdade, partículas com alta energia que vem do
espaço. Essas partículas ao colidirem com a atmosfera terrestre produzem outras partículas, píons e múons,
também com altas energias. Há evidências de que as partículas com energias acima de 1020 eV (1eV=1,6x10-
19
J) sejam prótons. Ainda hoje não se sabe exatamente qual é a origem dessas partículas. Um múon gerado na
atmosfera tem, no seu próprio referencial, a vida-média de aproximadamente 2µs e velocidade 0,99c, onde c é
a velocidade da luz. Para um observador na terra que distância, aproximadamente, a partícula percorre antes de
se desintegrar? Usar: velocidade da luz 3x108 m/s.

8. Para formar uma espira, um fio condutor de comprimento L é dobrado na forma de um polígono regular de
N lados. Qual é o campo magnético no centro do polígono se na espira circula uma corrente elétrica I? Usando
a expressão encontrada, faça N → ∞ e encontre o campo magnético de uma espira circular.
Dados auxiliares: campo magnético de um fio retilíneo de comprimento L passando corrente I num ponto
/
sobre a mediatriz do fio é sin θ, onde d é a distância deste ponto ao fio e sin θ = . Campo
( / )
magnético no centro de uma espira de raio R passando corrente I é .

3
4
3a fase – Prova Teórica

Prova para alunos do 3º ano

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO:


01) Esta prova destina-se exclusivamente a alunos do 3º ano do ensino médio. Ela contém oito questões.
Cada questão tem valor de 10 pontos e a prova total 80 pontos.
02) O Caderno de Resoluções possui instruções que devem ser lidas cuidadosamente antes do início da
prova.
03) Todos os resultados numéricos devem ser expressos em unidades no Sistema Internacional caso não
seja indicado na questão.
04) A duração desta prova é de quatro horas, devendo o aluno permanecer na sala por no mínimo
noventa(90) minutos. Use quando necessário g=10 m/s2 como aceleração gravitacional.

Questão 1 - Considere um plano inclinado (uma cunha) de massa M e ângulo de inclinação que pode
deslizar sem atrito sobre o chão. Um pequeno bloco de massa m também pode deslizar sem atrito sobre a
superfície do plano inclinado. Além disso, o bloco está preso por uma corda, que passa por uma polia no
vértice superior da cunha, e que está amarrada a uma parede, conforme ilustra a seguinte figura.

O trecho de corda entre a polia e a parede é horizontal.


O bloco é então solto, a partir do repouso, de uma altura h em relação ao solo. Calcule a velocidade da cunha
quando o bloco chegar ao chão em função de m, M, h, e g (a gravidade local).

Questão 2 - Um pêndulo é formado por uma haste rígida (de massa desprezível e comprimento l) e uma
massa m presa em sua extremidade inferior. Ele pode oscilar livremente em torno do seu ponto de suspensão
e a gravidade local é g. Prende-se uma mola de constante elástica k a uma distancia h abaixo do ponto de
suspensão.

1
Suponha que a mola mantenha-se sempre horizontal (isto é, podemos imaginar que a mola seja muito longa)
e que ela se encontre relaxada quando o pendulo estiver vertical.
a) Calcule o período de pequenas oscilações do pendulo, em torno de sua posição de equilíbrio. Assuma
que o movimento esteja restrito ao plano da mola-haste.
b) E se a haste também tivesse uma massa m’ homogeneamente distribuída, como isso entraria na
expressão para o período?

Questão 3 - Um cilindro de paredes condutoras térmicas possui um embolo de massa m bem ajustado (mas
sem atritos), cuja secção de área transversal é S. O cilindro contem água e vapor à temperatura T = 100oC,
ou seja, estão na temperatura de condensação.

Observa-se que o embolo cai vagarosamente à velocidade constante v porque alguma quantidade de calor
flui através das paredes do cilindro, fazendo com que um pouco de vapor se condense continuamente. A
densidade de vapor no interior do recipiente é .
a) Calcule a taxa de condensação do vapor e a variação de massa de vapor por unidade de tempo, em
termos dos parâmetros dados no problema.
b) A que taxa o calor flui para fora do cilindro? Dê o resultado em função do calor de condensação L da
água e dos outros dados do problema.
c) Qual a taxa de variação da energia interna do vapor? O calor específico molar a volume constante da
água é Cv e sua massa molar é M.
d) Qual a taxa de variação da energia interna da água líquida?

Questão 4 – Há um copo de água em contato com o ambiente, e ambos se encontram a uma temperatura T0.
a) Mostre, usando o conceito de entropia (e a segunda lei da termodinâmica), que não é natural ver a
água do copo variar sua temperatura e resolver se manter em equilíbrio a uma temperatura diferente
de T0.
Dicas: A variação de entropia associada à variação de temperatura de uma massa m de um corpo com calor
específico c, que vai de uma temperatura T0 até T é
∆  
Onde ln é o logaritmo natural.
Voce pode usar também a desigualdade ln 1 , para todo 1 e diferente de 0.
b) Dois corpos em contato térmico se encontram isolados do resto do universo. Eles possuem massas e
calores específicos m1, c1 e m2, c2, com os índices (1, 2) se referindo a cada corpo. Se ambos estão na
mesma temperatura T0, mostre que não é esperado que eles troquem calor e se equilibrem
(termicamente) em temperaturas diferentes.
Dica: use que 1 1 , se x<<1

Questão 5 – Uma mesa, com sua superfície a uma altura H do chão, tem um orifício em seu centro. Uma
partícula de massa m é presa a um corpo suspenso de massa M por uma corda de comprimento l > H que
passa pelo orifício.

2
A partícula pode se mover sem atrito pela superfície da mesa (e também não há atritos entre a corda e o
orifício). É dada à partícula uma velocidade angular em torno do orifício (sem nenhuma componente radial
de velocidade).
a) Sendo r a distancia da partícula até o orifício, calcule o raio de equilíbrio r = r0 para o qual o corpo de
massa M fica parado. Expresse o r0 em termos M, m, e g, a gravidade local.
b) Calcule a freqüência de pequenas oscilações radiais da partícula em torno de r0. Imagine que
inicialmente a partícula se encontrava em movimento circular em r0 e com velocidade angular 0
quando uma pequena perturbação radial fez com que ela começasse a oscilar.
Você pode precisar usar que 1 1 se x<<1.
c) Considere que a partícula esteja inicialmente a uma distancia r do orifício, com uma velocidade
angular . O sistema é então solto de modo que o corpo M desça naturalmente até o chão, isto é,
suponha que . Qual será a nova velocidade angular ′ da partícula nessa nova situação?
Expresse o resultado em função dos parâmetros básicos do problema.

Questão 6 – Vamos determinar a posição da imagem formada por um espelho esférico (gaussiano) quando o
objeto não se encontra sobre seu eixo principal, isto é, a linha normal ao espelho em seu centro.

Sendo p a distancia do objeto ao centro do espelho e o ângulo com relação ao eixo principal, e este
suficientemente pequeno, para que as aproximações do espelho gaussiano continuem validas. Considerando
os raios ilustrados na figura acima vemos que se uma imagem bem definida se formar, ela deve estar no
plano da figura e seu ângulo com relação ao eixo principal deve ser o mesmo .
a) Sendo f a distancia focal do espelho, prove usando os dois raios ilustrados (um que passa pelo centro
e outro paralelo ao eixo principal) que p’, a distancia da imagem até o centro do espelho, deve
obedecer a relação:
1 1

b) Vamos considerar agora outros raios que saem do corpo, para verificar se a imagem será bem
definida, isto é, se todos os raios convergem para ela. No entanto, limitemo-nos ao plano da figura
acima, pois fica mais complicado mostrar isso para raios fora do plano. Há um raio que sai do corpo e
atinge o espelho, a uma distancia acima de seu centro, e se encontra com o raio que passava pelo
centro a uma distancia do centro do espelho, conforme a seguinte figura

3
Mostre que , isto é, todos os raios, independentemente de , convergem para o mesmo ponto.
c) Quando há um corpo extenso sobre o eixo principal, tal como uma vela, costuma-se considerar que a
imagem de um ponto superior forma-se justamente acima da imagem de um ponto na base, isto é,
uma vela posta verticalmente com a base sobre o eixo principal forma uma imagem também vertical.
Prove, a partir da relação obtida no item a, que esta consideração é verdadeira, isto é, a posição horizontal
(paralela ao eixo principal) da imagem pode ser tratada como se o objeto estivesse sobre o eixo.
Conseqüentemente ter-se-ia que a imagem de uma vela vertical seria, de fato, vertical.
d) Se um feixe de raios paralelos incide no espelho paralelamente ao eixo principal, então o feixe
converge para um ponto sobre o eixo, chamado foco. Caso o feixe forme um ângulo , suficientemente
pequeno, com o eixo, mostre que os raios convergem para um ponto contido no plano perpendicular ao
eixo e que passa pelo foco e calcule a distancia entre este ponto F’ e o foco F. Este plano é chamado
de plano focal. Dê o resultado em termos de e f.

Questão 7 – Considere uma carga puntiforme q separada de uma distancia d do centro de uma esfera
metálica de raio R, conforme a figura abaixo.

Para, por exemplo, encontrar os campos elétricos em cada ponto, gerados pela configuração acima, poder-
se-ia determinar a distribuição de cargas na superfície do condutor (devido à presença de q) e considerar que
o campo em cada ponto é a soma do campo de q com as contribuições de cada elemento de carga sobre a
superfície da esfera. Mas isso parece ser um tanto complicado! Um método muito poderoso, chamado
método das imagens, pode ser muito eficiente para resolver problemas como esse. De acordo com este
método, dado um objeto condutor carregado com uma carga Q, podemos remover essa carga de sua
superfície e deixar de considerar a existência do condutor, redistribuindo tal carga dentro do espaço contido
por sua superfície, desde que essa superfície continue equipotencial. Neste caso, o campo elétrico em
qualquer ponto externo ao condutor, gerado pela distribuição de cargas na sua superfície é idêntico ao gerado
por essa nova distribuição de cargas imagens. O caminho inverso também é válido, ou seja, tendo uma
distribuição de cargas dentro de uma superfície (imaginária) equipotencial, podemos dizer que, se no lugar
dessa superfície fosse colocado uma casca condutora (ou mesmo um condutor maciço) e essa carga interna
fosse “injetada” na casca, então os campos externos (à superfície) permaneceriam inalterados. Assuma que o
meio seja o vácuo (ɛ = ɛ0).
a) Suponha que a esfera condutora esteja aterrada, isto é, seu potencial seja nulo. Neste caso apenas
uma carga imagem será necessária e, pela simetria, pode-se ver que ela deve estar contida na reta
que liga a carga q com o centro da esfera.

4
Calcule então (o seu valor) e sua posição (distancia a até o centro da esfera). Expresse os resultados em
termos dos parâmetros básicos deste problema, isto é, q, R e d.
b) Considere agora que a esfera esteja neutra e isolada. Com que força a carga q atrai a esfera?
Expresse-a em termos dos mesmos parâmetros.

Questão 8 – Segundo a teoria da Relatividade de Einstein um elétron relativístico tem uma massa de repouso
m0 e uma massa inercial m definida pela seguinte equação:

.
1

onde v é a velocidade do elétron relativa a um referencial inercial e c a velocidade da luz no vácuo. Esta
equação implica que o elétron em movimento tem uma massa que depende da sua velocidade!

a) Escreva a energia cinética Newtoniana para o elétron usando o momento relativístico da teoria de
Einstein em função de m0, v e c.
b) Segundo a teoria da Relatividade de Einstein a energia total de um elétron é dada por:

onde é o momento relativístico da partícula. Qual a diferença entre a energia do elétron na teoria de Newton
e a relativística?
______________________________________________________________________________________
ESPAÇO RESERVADO PARA RASCUNHO

5
6
7
8