Você está na página 1de 127

Radiestesia

Linhagens e Raios
Orivaldo A. Scaldelai

Radiestesia
Linhagens e Raios

São Paulo 2011


Copyright © 2011 by Editora Baraúna SE Ltda

Capa
Daniel de Oliveira Matoso

Projeto Gráfico
Tatyana Araujo

Revisão
Priscila Loiola

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE
SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ
________________________________________________________________
S293r

Scaldelai, Orival
Radiestesia : linhagens e raios / Orival Scaldelai. - São Paulo : Baraúna, 2011.

Inclui índice

ISBN 978-85-7923-356-2

1. Radiestesia. I. Título.

11-2964. CDD: 133.323


CDU: 133:615.849.1

24.05.11 26.05.11 026659


________________________________________________________________

Impresso no Brasil
Printed in Brazil

DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA


www.EditoraBarauna.com.br

Rua Januário Miraglia, 88


CEP 04547-020 Vila Nova Conceição São Paulo SP
Tel.: 11 3167.4261

www.editorabarauna.com.br
www.livrariabarauna.com.br
Sumário

Prefácio: Radiestesia, linhagens e raios . . . . . . . . . . . . . 9

Introdução: Linhagens e raios pela radiestesia. . . . . . . 11

Capítulo I: Radiestesia como ferramenta de pesquisas . . . . 19


Como trabalhar com pêndulos . . . . . . . . . . . . . . . 21
Posturas do radiestesista para pesquisas . . . . . . . . . 22
Gráfico para análise das linhagens e raios. . . . . . . . 24
As doenças sob o ponto de vista espiritualista. . . . . 26
Tipificando as linhagens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
Tipificando os raios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37
Como os raios influenciam a cada ser. . . . . . . . . . 43
Avaliação pessoal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47
Conhecendo o gráfico de linhagens e raios. . . . . . . 48
Início – como pesquisar. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
Avaliações pessoais. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53
Tratamento para dar suporte aos corpos e seus raios. 78
Os raios nos reinos da natureza. . . . . . . . . . . . . . . 79
Tabela dos raios com os sete temperamentos
humanos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 80
Capítulo II: Linhagem e raios. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87
Pesquisa – Como pesquisar com o ir . . . . . . . . . . . 90
Pêndulos hebraicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 93
O raio de cura e harmonia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
A pesquisa: pedra, essências, ervas ou alimentos
necessários . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 97

Capítulo III: Listagens dos itens para pesquisa dos raios.101


Os alimentos e os raios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 101
Essências florais de minas e os raios. . . . . . . . . . . 107
Ervas e os raios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 111
As semipreciosas e cristais . . . . . . . . . . . . . . . . . . 119

Conclusões. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 123
O radiestesista... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 126

Bibliografia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 127
Dedicatória

Aos netos...

Letícia e
Vinicius,

pela continuidade de vida e memórias.


Orivaldo A. Scaldelai

8
Radiestesia – Linhagens e Raios

Prefácio
Radiestesia, linhagens e raios

A partir do século vinte, a ciência começa a aceitar as


pesquisas de cunho ocultista ou abstrato, e parte de acadê-
micos intensificaram suas pesquisas nas diversas formas de
energias, nos efeitos dos fenômenos, nas radiações benéfi-
cas ou nocivas provenientes do ambiente ou das pessoas.
Neste século vinte e um, os profissionais Terapeutas
Naturistas, ou mesmo de outras áreas, estão atualizando
seus conhecimentos e buscando na pesquisa científica a
melhora da qualidade de vida, a promoção da saúde e a
prevenção das enfermidades do ser humano, como tam-
bém do ambiente em que vive, através do ajuste de ener-
gias, hábito alimentar e comportamentos.
Agora, o presente livro expõe uma forma de como
conhecer os Arquétipos Cósmicos, que influenciam o ser
humano, as ocorrências e desacordos de temperamentos,
e levar à frente uma maneira de se conhecer, através dos
Raios, elementos para construir uma vida saudável, tanto
nos aspectos materiais como espirituais.

9
Orivaldo A. Scaldelai

Nesta obra, o autor aborda, com uma visão ampla,


os fundamentos técnicos no campo radiestésico, expli-
cando, orientando e possibilitando um conhecimento
do uso da Radiestesia em prol do cliente, e como se
beneficiar de sua aplicação.
Este livro é recomendado a quem pratica a Radies-
tesia, a profissionais da área da Saúde ou a quem deseja
ter mais conhecimento, já que tem como princípio funda-
mental as Linhagens e Raios como arquétipos (modelos de
vida), o conhecimento e uso de pêndulos e análises rápidas
e seguras em pessoas ou animais. Com o tempo os seto-
res acadêmicos, um a um, reconhecerão a existencialidade
dessas energias aqui colocadas e outras tantas que alguns
cientistas já reconhecem como ramos da ciência oculta.

Milton Alves
Terapeuta Naturista
Presidente do SINATEN – Sindicato
Nacional dos Terapeutas Naturistas

10
Radiestesia – Linhagens e Raios

Introdução
Linhagens e raios pela radiestesia

Qualquer pessoa com o mínimo de bom senso há


de perceber que para existir na natureza, o meio onde
vivemos, as formas, mesmo manuseadas pelo homem,
e tudo mais o que seja possível, acima e abaixo, dentro
ou fora de nossa imaginação e de nossos sentidos exter-
nos, são substâncias específicas com qualidades próprias,
compondo universos e existências, tanto no plano etérico
físico como nos demais. São energias modeladas com po-
laridades e caráter existentes em vários planos de mani-
festações. Assim atuam os modelos: Linhagens e Raios.
As substâncias que modelam o ser humano em to-
dos seus aspectos, como caráter, tendências e tempera-
mentos, são amparadas por Arquétipos: as Linhagens e os
Raios de manifestações. O ser humano recebe por meio
de sua Mônada uma linhagem específica, um modelo
que juntamente com os raios que se manifestam dão ao
homem temperamentos no seguir de sua vida encarnada.
São substâncias manifestantes com caráter polarizado,

11
Orivaldo A. Scaldelai

que vão do bem ao mal, fraquezas e qualidades elevadas


que impulsionam tudo, buscando impelir no ser recep-
tor um modelo originado e imposto pelo Arquétipo. São
complexas concepções e manifestações que indicam o ca-
minho para a evolução do ser.
Os Raios e suas manifestações impulsionam, com suas
características próprias, nosso Sistema Solar. Tudo que há
nele inexoravelmente se relaciona: as partículas, os átomos,
as sementes, os componentes dos reinos, os minerais, os
vegetais, os animais e os humanos que se inter-relacionam
com tudo e todos, buscando a perfeição total.
Tudo que dito até aqui está totalmente inserido dentro
dos preceitos herméticos. São sete os principais, assim como
também são sete os raios e sete as linhagens: “tudo o que está
em baixo é análogo ao que está em cima.” O Caibalion.
Para cada raio há na sequência os demais, atuando como
sub-raios acima e abaixo, dando suporte para buscar qualida-
des intrínsecas no ser, ou seja, buscar a evolução constante. As
Leis Universais não se contradizem, se completam.
Já que exaltamos a existência de inter-relações entre
os Sete Raios e as Sete Linhagens, vamos expor a seguir
cada uma delas:

OS SETE RAIOS CÓSMICOS:


1 – Vontade e Poder
2 – Amor e Sabedoria
3 – Atividade Inteligente
4 – Harmonia
5 – Conhecimento e Ciência
6 – Devoção e Entrega
7 – Ordem e Cerimonial

12
Radiestesia – Linhagens e Raios

AS SETE LINHAGENS
HIERÁRQUICAS:
Dos Contemplativos
Dos Curadores
Dos Espelhos
Dos Governantes
Dos Guerreiros
Dos Sábios e Profetas
Dos Sacerdotes

HERMES: “Os princípios da verdade são sete;


aquele que os conhece perfeitamente possui a
Chave Mágica com a qual todas as Portas do
Templo podem ser abertas completamente.”
O Caibalion.

Podemos sentir em uma análise rápida, mas com


profundidade, que há uma relação próxima entre raios,
linhagens e preceitos Herméticos.
Dentro dos preceitos Herméticos, que merecem um
estudo à parte, encontram-se também as Leis Cósmicas,
que nos ajudam a entender toda essa sistemática, se é que
podemos chamar assim.
Vamos definir, superficialmente, esses preceitos:

• Primeiro, do Mentalismo – “Tudo é Mente”, es-


tabelecendo a natureza mental do Universo, explica to-
dos os fenômenos mentais e psíquicos;
• Segundo, da Correspondência – contém a ver-
dade que existe uma correspondência entre as leis e os
fenômenos dos diversos planos;

13
Orivaldo A. Scaldelai

• Terceiro, da Vibração – encerra a verdade que tudo


está em movimento, nada está parado, dinâmica da vida;
• Quarto, da Polaridade – demonstra que tudo é
duplo, tem dois lados, os paradoxos entre o bem e o mal,
amor e ódio, há extremos de uma mesma coisa;
• Quinto, do Ritmo – contém a verdade que tudo
se manifesta para diante e para trás, fluxo e refluxo,
atração e repulsão;
• Sexto, da Causa e Efeito – há uma causa para
todo efeito e um efeito para toda causa, o acaso é uma lei
não reconhecida.
• Sétimo, do Gênero – o gênero está em tudo, mas-
culino e feminino, todas as coisas e pessoas contêm em si
os dois elementos desse princípio.

Fica evidente que somos modelados por Leis Maio-


res, Arquétipos Cósmicos, somo impelidos a evoluir, mas
sempre dependentes de um processo de autoevolução,
somos efeitos de causas e causadores de efeitos, estamos
entre paralelas da Lei do Livre Arbítrio.
Para cada um de nossos corpos de manifestações no
plano físico temos como semente um raio principal apoia-
do nos demais raios, na condição de sub-raios. Somos cria-
dos como uma proposta para evoluir em direção ao Grande
Arquiteto Universal, mas sempre dentro de Leis Maiores,
inclusive a do Livre Arbítrio. Somos o que plantamos.
Sempre que contrariamos um princípio maior, ou
quando não evoluímos buscando nossos modelos desti-
nados a cada um de nossos corpos e que se inter-relacio-
nam, temos como respostas desconfortantes disfunções,

14
Radiestesia – Linhagens e Raios

aflições e doenças de várias ordens, dependendo da fra-


gilidade de cada pessoa, tanto física como psíquica, de
acordo com o modelo arquetípico que rege cada ser.
O arquetípico pessoal é o modelo que buscamos para
aperfeiçoar. Ele nos sinaliza por vezes com certa rigidez,
como lei de efeito, quando o caminho não está correto e
quando não estão sendo cumpridas etapas estabelecidas.
É preciso estar atento, buscar conhecimentos para fazer
correções de percurso.
A baixa vibração nos corpos é conseqüência por não
estarem coincidentes com o modelo arquetípico. Cada
corpo tem seu raio específico, podendo ressoar com vibra-
ções baixas ambientais presentes cristalizando então ener-
gias densas que inibem o discernimento do ser envolvido.
Há caminhos para reencontrar-se, conhecer-se na
vida presente, buscar entender as leis e modelos nos quais
estamos enquadrados para nos desenvolver na direção in-
dicada para evoluir. Aqui propomos um caminho para
reconhecer a Linhagem conjuntamente com os Raios,
respectivamente em cada corpo de manifestação.
Para cada um de nossos corpos de manifestações –
Etérico/Físico; Astral/Emocional; Mental Concreto/Abs-
trato – há conexões com os demais, avaliando se cum-
prem o “evoluir” dentro de seus respectivos modelos. Se
não executam a tarefa correta para evoluir, padecem de
males psíquicos e físicos.
Linhagens, segundo o Glossário Esotérico, Triguei-
rinho, Ed. Pensamento, são expressões de arquétipos
regedores da raça humana. São padrões irradiados pelo
Signo Cósmico e expressam conjunto de raios.

15
Orivaldo A. Scaldelai

Cada Mônada tem sua própria linhagem e um tipo de


energia específica a ser desenvolvida pelo ser humano a ela
ligado, conhecidas como As Sete Linhagens Hierárquicas,
todas expressas e ordenadas anteriormente nesse trabalho. À
medida que evolui, fica explícita a linhagem a que pertence.
As linhagens são manifestações necessárias ao desen-
volvimento e à aplicação nas tarefas inerentes, tornan-
do clara a missão monádica. A Mônada no decorrer dos
tempos passa por todas as sete linhagens.
Quando o homem desenvolve sua vida em conso-
nância com sua linhagem, seu trabalho e tarefas duran-
te sua vida no planeta são facilitados. Durante sua exis-
tência, o ser pode mudar de linhagem – ela não é fixa e
imutável. A formação plena de cada indivíduo passa por
todas as linhagens. Também, o indivíduo pode executar
tarefas de uma linhagem apoiado por outra, pois há per-
feita sintonia entre elas.
Exemplificando, simulamos um indivíduo perten-
cente a linhagens dos Sábios e Profetas ou Instrutores.
Ele tem características fortes para passar instruções e
conhecimentos, mas esse indivíduo atua em trabalhos
de governante, executivo. Ele não será um executivo
apurado com características de governo rígido, de che-
fiar se impondo, será um executivo com características
filosóficas; mas se esse indivíduo for um professor ou
instrutor na sua vida de trabalho, terá facilidades em
passar informações, pois tem mente flexível com boa
didática, e sabe interagir com sabedoria.
Fica bem claro que o indivíduo tem caminhos e mo-
delos a seguir, facilitando seu trabalho evolutivo.

16
Radiestesia – Linhagens e Raios

Através das Hierarquias, em momentos adequados,


é dada à humanidade esses Arquétipos, modelos e regras
que qualificam o ser em busca da evolução.
Aqui inserimos dois modelos (Linhagens e Raios) que
se inter-relacionam e são disponíveis, dando aos homens
oportunidades de rever momentos e posições em suas vi-
das, mas sempre respeitando o livre arbítrio de cada um.
Partindo desses conhecimentos disponíveis univer-
salmente, desenvolvemos um trabalho de abertura às pes-
soas que queiram se conhecer, se sintonizar com as Leis
Maiores, que procuram saber com a devida permissão do
Alto o modelo a ser seguido, a que Linhagem está vincu-
lado e a que Raios seus corpos pertencem.
Essa proposta de trabalho, buscando as pessoas para
facilitar seu desenvolvimento nesta vida, tem na Radies-
tesia uma ferramenta adequada, aliás, a única disponível
como meio de pesquisas onde a ciência e a Física aca-
dêmica não conseguem se articular. Fora da Radiestesia,
acreditamos que apenas pessoas sensitivas são capazes de
delinear Linhagens e Raio.
Uma das obras de David V. Tansley, DC, o livro
intitulado “Chakras, Raios e Radiônica”, avança com
profundidade nos aspectos dos Raios, como influen-
ciam a vida das pessoas, e esclarece processos de do-
enças geradas a partir das distorções e influências dos
Raios durante a vida.
Os conceitos dos Raios contidos nas instruções de
Alice A.Bailey e pesquisado por David Tansley, forne-
ce um rico material para pesquisas com diagramas es-
clarecedores, sempre fazendo uso da Radiestesia como

17
Orivaldo A. Scaldelai

instrumento fundamental para desvendar segredos pró-


prios do ocultismo. “Todo mal tem uma fonte em cujo
caráter está a solução.”
Linhagens e Raios são fontes.

18
Radiestesia – Linhagens e Raios

Capítulo I
Radiestesia como ferramenta de pesquisas

Um pouco da história e raízes da Radiestesia.

O uso da Radiestesia como ferramenta de pesquisas é


antigo. Há escritas e peças talhadas que comprovam muitos
procedimentos em épocas remotas, como um baixo relevo en-
contrado na província chinesa de Shandong, em que o impera-
dor King Yu aparece manuseando um instrumento, por volta
de 2.205 a.C., ação que indicava procurar água para seu povo.
A Bíblia faz menção a Moisés que de posse de seu ca-
jado encontrou água; e também menciona uso de varetas,
chamada “Vara de Jacó”.
No Egito, vários instrumentos radiestésicos foram
encontrados em sarcófagos, no Vale dos Reis. Os roma-
nos utilizavam a vareta radiestésica para encontrar águas,
a qual eles chamavam de “Vírgula Divina”.
As varetas de salgueiro eram muito utilizadas nas re-
giões da Rússia, Gália e Germânia. Houve uma época, por
volta do ano 1.500, em que a radiestesia era usada para

19
Orivaldo A. Scaldelai

prospectar metais e águas. A história relata que não apenas


cidadãos comuns, mas médicos e padres faziam uso da ra-
diestesia para buscar respostas ou localizar formas e fontes.
Logo, a igreja católica condenou essa prática, tudo
devido a incompreensão da técnica. Por volta de meados
de 1600 a radiestesia se espalhou por toda Europa, prin-
cipalmente na França.
O rabdomante (nome dado aos radiestesistas da épo-
ca) Jacques Aymar ficou famoso pela habilidade de desco-
brir coisas e resolver casos policiais. Assim, outros perso-
nagens foram surgindo, cada um com suas qualificações,
como Pierre Thouvenel, médico; e abade Pierre Le Lorrain.
Em 1798, o médico e professor de medicina Antoi-
ne Clement Gerboin de Strausbourg, da França, elabo-
rou teorias para explicar técnicas pendulares. Em 1846,
os alunos da Escola Politécnica de Paris, Desplaces e Che-
vert apresentaram um trabalho à Academia de Ciências
de Paris sobre Radiestesia à Medicina.
Em 1892, o abade Alexis Bouly criou o termo “Ra-
diestesia” (do latim radium = ondas, e do grego aisthesis =
sensações). Até então, não havia muitas regras ou enuncia-
dos, até 1919, quando o abade Mermet instituiu regras e
sistematizou os processos. Ele foi reconhecido e respeita-
do como radiestesista por trabalhos a distância. Em 1928,
Mermet publicou o livro “Le Pendule Révélateur”.
Os pioneiros da Radiestesia Médica são os abades Alexis
Bouly e o padre Louis Bourdoux. O padre Jean-Louis Bour-
doux passou dezesseis anos no Brasil, na cidade de Poconé, no
estado de Mato Grosso, desenvolvendo trabalhos com a flora
local e estudos terapêuticos, sempre com auxílio da Radiestesia.

20
Radiestesia – Linhagens e Raios

Como trabalhar com pêndulos

Neste tópico, iremos abordar a radiestesia como


uma ferramenta muito especial; ferramenta que pesquisa,
que avalia, compara e indica soluções e propostas viáveis
para cada busca. Detalhadamente, a radiestesia faz con-
tatos e conexões entre a mente do radiestesista com as
formas, modelos ou pessoas onde se manifestam energias
e comportamentos. Produz avaliações, mapeando, estra-
tificando e tipificando o pesquisado naquilo que se bus-
ca, como, por exemplo, o “arquetípico” de uma pessoa
pesquisada e da forma como o modelo Arquétipo está se
manifestando, suas características no momento.
Para executar esse trabalho o radiestesista precisa
de conhecimentos apropriados, acentuados e referentes
às influências de Linhagens e Raios no planeta, no ho-
mem e nos reinos dos minerais, vegetais e animais, caso
agora de nossos estudos.
Além dos conhecimentos citados, o radiestesista
deve estar consciente de que vai acessar energias e infor-
mações de pessoas que confiaram em sua idoneidade e
trabalho. Portanto, é preciso muita seriedade e cautela
para não ceder a desejos curiosos de bisbilhotar a vida
alheia. É preciso estar ciente de que suas colocações po-
dem alterar ou interferir na vida de pessoas submetidas
ao seu trabalho. É importante nunca ser presunçoso.
O radiestesista precisa estar bem treinado para for-
mular perguntas pertinentes; perguntas simples que es-
peram respostas também simples. É bom lembrar que as
respostas revelarão muito sobre a pessoa em pesquisa, e

21
Orivaldo A. Scaldelai

essas respostas deverão ser passadas ao pesquisado com


cautela e com riqueza nos detalhes para dar segurança
ao pesquisado. Deve também estar muito claro que não
se trata absolutamente de um “oráculo”, mas sim de um
estudo que projeta um sentido de vida.

Posturas do radiestesista para pesquisas

O radiestesista deve se preparar muito bem, no mo-


mento escolhido, para executar o trabalho de pesquisas.
Deve ser seguida uma ordem e posturas, conforme a seguir:

– Estar totalmente seguro do trabalho a executar;


– Antes do trabalho é preciso compenetrar-se, fazer
silêncio para reorganizar sua mente e acessar o conheci-
mento que vai precisar;
– Buscar vibração correspondente ao seu trabalho;
– Despir-se totalmente de vaidades, do conhecimen-
to, do “já sei”, “presunção jamais”;
– Estar em local apropriado para exercer o trabalho;
o silêncio é fundamental;
– No local de trabalho deve ter o mínimo de peças e
objetos que não dizem respeito ao trabalho;
– Ter apenas o que se relaciona com o trabalho:
mesa, pêndulo e gráficos pertinentes;
– Montar uma ficha e anotar informações forneci-
das pelo pêndulo, uma para cada pesquisado;
– No trabalho, atender apenas uma pessoa por vez;

22
Radiestesia – Linhagens e Raios

– O radiestesista deve ter segurança de quantas pes-


soas pode atender por dia, cada radiestesista tem uma for-
ça de trabalho disponível específica;
– O trabalho de pesquisas não requer a presença
obrigatória da pessoa em questão, tudo pode ser feito
através de testemunhos: fotos, cabelos ou mesmo teste-
munho lexical.

Como já colocado, a pesquisa pode ser presencial


ou a distância. Os testemunhos usados para avaliações à
distância, antes de ser pesquisados precisam estar limpos,
colocando-os em um gráfico específico de limpeza. O
pêndulo dirá quando o testemunho estiver limpo.
Para produzir um testemunho lexical é necessário o
nome completo da pessoa em questão e a data de nas-
cimento. Produzir o testemunho em uma tira de papel
simétrica: redondo, quadrado ou retangular. Em seguida,
colocar em um gráfico próprio para valorizar e potencia-
lizar. Também podem ser usadas com ótimos resultados
cópias xérox de documentos, também com os cuidados
de potencializar e limpar.

23
Gráfico para análise das linhagens e raios

24
Orivaldo A. Scaldelai
Radiestesia – Linhagens e Raios

a) Relacionadas às Linhagens na ordem e com res-


pectivos retângulos à frente de cada para a indicação a
ser pesquisada;
b) Abaixo das Linhagens estão locados os Raios na
ordem, com os respectivos símbolos e separados os de
Aspectos e os de Atributos;
c) Olhando o quadro maior à direita, um esquema
de procedimento para a pesquisa;
d) O T é a pessoa ou testemunho motivo das pesquisas;
e) O retângulo, linhagem, indica a linhagem a ser
indicada e anotada após indicação do pêndulo;
f ) A Alma tem ao lado um pequeno quadrado onde
se anotará o número correspondente ao raio da Alma
após indicação do pêndulo; também o mesmo critério
para anotar os Raios do Corpo Físico/Etérico, Corpo As-
tral e Corpo Mental.
Na parte inferior do gráfico, deverá ir o nome com-
pleto da pessoa em pesquisa para identificação – não é
válido como testemunho.
g) A Personalidade tem ao lado um pequeno espaço
para ser anotado o número do Raio correspondente.
Mais a frente na presente obra há indicações e exer-
cícios de como praticar pesquisas usando o esse gráfico.

25
Orivaldo A. Scaldelai

As doenças sob o ponto de vista espiritualista

O texto a seguir é esclarecedor e expõe Leis Maio-


res a respeito de como as doenças aparecem e quais são
suas origens. Fica claro no texto de Alice A. Bailey a
atuação da Alma, o que herdamos em vidas passadas e
mesmo na presente nos respectivos corpos pelos quais
nos manifestamos.
No caso de nossos estudos aqui, são os Raios que di-
recionam e acompanham os corpos, influenciando atra-
vés de modelos atuantes.

Leis básicas para cura ocultista


(do livro Cura Ocultista – Alice A. Bailey)

Lei I – A doença é o resultado da inibição da vida


da alma, isto é verdade para todas as formas em todos os
reinos. A arte da cura consiste em liberar a alma de modo
que sua vida possa fluir através do agregado de organis-
mos que constituem essa ou aquela forma.
Lei II – A doença é o produto de, está sujeita a,
três influências: primeira o passado do homem, no
qual paga o preço de seus antigos erros; segundo, sua
hereditariedade, pelo qual ele partilha com toda a hu-
manidade as correntes de energia contaminada de ori-
gem grupal; terceira; ele partilha com todas as formas
naturais aquilo que o Senhor da vida impõe ao Seu
corpo. Estas três influências são chamadas “A Antiga
Lei da Partilha do Mal”“. Essa dará lugar algum dia à
nova “Lei do Antigo Domínio do Bem“, que jaz por

26
Radiestesia – Linhagens e Raios

trás de tudo de tudo que Deus faz. Essa lei deve ser
posta em atividade pela vontade espiritual do homem.
Lei III – As doenças são o efeito da centralização
básica da energia vital do homem. Do plano no qual as
energias estão focalizadas provêm aquelas condições de-
terminantes que produzem a má saúde, e que, portanto,
resulta em doença ou em libertação da doença.
Lei IV – A doença, tanto física quanto psicológi-
ca, tem suas raízes no bem, no belo, e no verdadeiro.
Nada mais é do que reflexo distorcido das possibilida-
des divinas. A alma frustrada, procurando plena ex-
pressão de alguma característica divina, ou realidade
espiritual interna, produz dentro da substância de seus
invólucros um ponto de fricção.
Sobre esse ponto ficam focalizados os olhos da per-
sonalidade, e isto resulta em doença ou libertação dela.
A arte do curador está ligada à transferência dos olhos
focalizados para baixo, para a alma. O curador dentro da
forma. O olho espiritual, ou terceiro olho, então conduz
a força curativa, e tudo fica bem.
Lei V – Nada há a não ser energia, pois Deus é vida.
Duas energias se juntam no homem, mas outras cinco
estão presentes. Para cada uma haverá um ponto central
de contato. O conflito destas energias com as forças, e das
forças entre si, produzem os males corporais do homem.
O conflito das primeiras e das segundas persiste
durante idades até que seja alcançado o cume da mon-
tanha – o cume da primeira grande montanha. A luta
entre as forças produz todas as doenças, todos os males
e dores corporais, os quais buscam alívio na morte. As

27
Orivaldo A. Scaldelai

duas, as cinco, e pois, as setes, mais aquilo que elas


produzem, possuem o segredo. Essa é a quinta Lei da
Cura no mundo da forma.
Lei VI – Quando as energias construtoras da alma
estão ativas no corpo, então há saúde, livre interação e
correta atividade. Quando os construtores são os senho-
res lunares e aqueles que trabalham controlados pela lua e
sob a ordem do eu pessoal inferior, então temos doenças,
má saúde e morte.
Lei VII – Quando a vida ou energia flui sem im-
pedimentos e na correta direção de sua precipitação (a
glândula relacionada), a forma então responde e a má
saúde desaparece.
Lei VIII – A doença e a morte são o resultado de duas
forças ativas. Uma é a vontade da alma que diz ao seu ins-
trumento: “Eu retiro a essência” . A outra é o poder mag-
nético da Vida planetária que diz à vida no interior da es-
trutura atômica: “É chegada a hora da reabsorção. Retorna
a mim”. Assim agem todas as formas, sob a lei cíclica.
Lei IX – A perfeição traz a imperfeição à superfície. O
bem expulsa o mal da forma do homem, no tempo e no
espaço. O método usado pelo Uno Perfeito é a inofensivi-
dade. Isto não é negatividade, mas sim perfeita estabilida-
de, um ponto de vista completado e divina compreensão.

28
Radiestesia – Linhagens e Raios

Tipificando as linhagens

As sete Linhagens
Anteriormente, colocamos que Linhagens são ex-
pressões dos Arquétipos modeladores, incentivadores,
facilitadores e impulsionadores para a evolução humana.
Vamos descrever cada uma das linhagens, procurando
assimilar seus conteúdos básicos, pesquisar para desco-
brir por comparações fundamentadas a que linhagem
uma pessoa pertence, comparar com sua vida passada e
no momento presente em relação às linhagens modelos.
Então, tiraremos conclusões mais precisas possíveis para
que a pessoa se reconheça, e, ao achar semelhanças, en-
quadre-se no modelo pertinente, ou pelo menos busque
nas virtudes um modo que facilite sua evolução.
Fica esclarecido que uma Linhagem não é única,
rígida, definitiva, mas se relaciona com as demais. Há
assim uma espécie de flutuação de apoio entre todas. Va-
mos expor uma a uma das linhagens a seguir:

1 – Dos Contemplativos
Devemos entender que os impulsos recebidos pelo
homem de certa Linhagem não ficam restritos apenas
a ela, Linhagem influente, modelo. É preciso discerni-
mento e pesquisas para reconhecer outras Linhagens que
atuam conjuntamente como apoio ao modelo, sempre le-
vando em conta a vida vigente, meios envolvidos no mo-
mento. Cada ser tem uma característica e livre arbítrio.
O homem pertencente à Linhagem Dos Contem-
plativos tem características de visão unificada, com uma

29
Orivaldo A. Scaldelai

única meta, a de estar todo em um trabalho; única ação,


de ser um em cada situação que exige dele observações.
Tem a semente da não separatividade, uma roupagem
única integrando seus corpos, independente dos moti-
vos externos mantendo o propósito. Conversa com a
essência da vida, não com a aparência. Vai em direção
ao Todo sem atividades personalistas.
Quando o ser pertence aos Contemplativos e está
pouco desenvolvido se identifica com atividades exter-
nas nas mesmas direções das elevadas com certa faci-
lidade, colocando nelas as mesmas intensidades, como
se fossem internas. Ele, o Contemplativo, pode carrear
todas as energias inerentes para polos opostos ao propó-
sito da evolução e modelos. Podem dedicar essas forças
para exercitar apenas valores externos, contrariando a
indicação, que é evoluir dentro dos mundos internos.
Carmicamente, entra em processos de desgastes porque
está na polaridade inversa da proposta verdadeira. Esses
desgastes geram conflitos diversos levando à insatisfa-
ções, crises e até a doenças. Cabe apenas ao indivíduo
em questão rever seus passos, rever a partir de seu co-
nhecimento e noção de seu trabalho, tema de sua vida
no planeta. Ainda, os Raios a que estão ligados seus cor-
pos – mental, astral e físico/etérico – dão ênfase a todas
as manifestações. Assim entendemos que o Contempla-
tivo, ou de outras Linhagens, tem nos Raios instrumen-
tos de apoio para realizar os trabalhos evolutivos.
Sobre os Raios, que inflem nos temperamentos hu-
manos, falaremos em um capítulo específico.

30
Radiestesia – Linhagens e Raios

2 – Dos Curadores
Já foi colocado anteriormente como as Linhagens
são determinantes e influenciam a vida do homem no
planeta. Um curador na essência não tem ambições de
espécie alguma, tem formação sólida e gradual sedimen-
tada no amadurecimento da Alma. Para essa formação
não há escolas no plano físico.
O curador polariza-se em planos abstratos, se tor-
nando conduto das energias sublimes a que se destinam.
Mantêm-se vazios de expectativas, conceitos e rótulos.
Busca com a sabedoria inerente ajustar os corpos enfer-
mos, porque doenças são deformações de energias sedia-
das nos corpos, e são expurgos. A cura pode não aparecer
no físico, mas repercute nele.
O curador pode buscar curas amplas, coletivas. A saúde
depende, está envolvida e responde às leis naturais. Quando
a vontade busca a perfeição, preserva a saúde e dilui focos de
enfermidades. O curador projeta padrões de curas, compati-
biliza energias de cada plano ajustando os corpos. É preciso
pureza; se não estiver puro, interfere de forma danosa na exis-
tência das pessoas, causando distúrbios, caso queira que as
coisas aconteçam conforme apenas sua vontade e presunção.
O desejo do trabalho curativo deve apenas estar ajus-
tado com as Hierarquias de curas. O curador despreparado
pode interferir negativamente em centros energéticos do du-
plo etérico das pessoas submetidas e causar sérios danos aos
corpos energéticos. Quando o curador está sintonizado com
Hierarquias de curas pode promover curas a distância. O
curador precisa estar receptivo e ter fé, sem qualquer caráter
de orgulho, posse, presunção, mas, sim, muita compaixão.

31
Orivaldo A. Scaldelai

A cura está disponível a todos. Há aqueles que nas-


cem com prerrogativas de curas dentro da linhagem, mas
a cura não é exclusividade de alguns.
Os que estão sintonizados com a Linhagem dos
Curadores e fazem um trabalho amparado por Raios as-
semelhados, com certeza produzirão benefícios a sua evo-
lução e a evolução dos curados quando bem esclarecidos.
Faz parte importante da cura esclarecer ao doente a im-
portância de estar comprometido com o processo de sua
própria cura, e como aceitar a doença como uma limpeza
de sua Alma, não apenas como um mal sem causas.

3 – Dos Espelhos
Um sistema de comunicação Cósmica conecta tudo
que existe. Uma rede ordenada regida por Leis Das Hie-
rarquias Dos Espelhos. Ativa de alto a baixo e volta de
baixo para o alto. Espelhos podem ser grupos, pessoas in-
dividuais, entidades ou sistemas que envolvem uma socie-
dade com criatividades benéficas a evolução, atualmente
muita estimulada e mais receptiva nos corpos femininos
dados as qualidades inerentes.
Os modelos (Arquétipos) estimulam o homem a trans-
mitir à sua volta ou à distância impulsos que buscam resgatar
seres da inércia ou da obscuridade. Juntamente com as carac-
terísticas dos Raios, o homem conectado a Rede dos Espe-
lhos tem a facilidade de levar e trazer conteúdos que quando
elevados impulsionam ao crescimento espiritual, ao “conhe-
cer-se”. Também, dada a facilidade em transitar nos meios
obscuros, pode fazer desse caminho um núcleo nocivo, ainda
mais dependendo do Raio que impulsiona suas ações.

32
Radiestesia – Linhagens e Raios

É de grande responsabilidade durante a vida ser um


comunicador nato, um catalisador, ter essa facilidade e
fazer uso dela associada a energias asuricas. Daí pode se
desenvolver a astúcia, uma ferramenta perigosa que ca-
minha em sentido contrário ao da união saudável. Todo
processo comunicativo deve estar apoiado e fundamenta-
do em Leis Universais para a evolução.

4 – Dos Governantes
Aquele que traz para o mundo leis de governos, do
interno para o externo. Uma das linhagens que mais se
expressa na Terra, pôr em prática governar, dirigir, ocu-
par cargos de direção.
Uma linhagem fundamental que no passado se expres-
sou por verdadeiros governantes, tem a capacidade de avaliar,
de escolhas, de responder a demandas diante das necessida-
des surgidas, visão futurista. Evolui quando o núcleo da Alma
tem seus corpos externos dominados, não se deixando levar
pela tirania e arrogância, então expressa o governante justo.
Juntamente com a personalidade e as temperanças
dos Raios, desenvolve características de executar tarefas
com harmonia. É preciso não se distanciar da humildade
e fraternidade porque um jogo de forças nocivas pode
operar e fazer do governante um déspota.
Governantes são aqueles que de alguma forma co-
mandam, ordenam, chefiam. O homem ligado a Linha-
gem dos Governantes tem muitas afinidades e veicula o
Primeiro Raio, Vontade-Poder, com apoio dos demais de
números ímpares. Admite inconscientemente que tudo
está sob sua responsabilidade.

33
Orivaldo A. Scaldelai

5 – Dos Guerreiros
Linhagens que executam a tarefa de guardiões, usan-
do como escudo o desapego e a humildade.
Sempre que houver uma manifestação é preciso a
presença dos guerreiros para preservar de ataques o even-
to manifestado contra as forças caóticas. Há forças coleti-
vas que atuam sobre o campo planetário organizadas por
falanges involutivas, organizando forças contrárias.
Também há perturbações emanadas por pessoas obse-
dadas, de origens cármicas ou influenciadas por pensamen-
tos de outros. Os guerreiros organizam planos que protegem
outras linhagens, desviando forças antagônicas para seus lu-
gares. Os impulsos guerreiros chegam ao plano físico.
Há uma ligação com o primeiro e o sexto raio (Von-
tade-Poder e Devoção-Entrega) devido às persistências e
determinações. O guerreiro aprende a lidar com forças
nocivas. O guerreiro deve assumir seu papel de defensor.
Como tem características de liderar, é preciso observar
o caráter de cada ato que se envolve. Ter facilidades de
comando é, de certa forma, se permitir ser obsedado por
forças asuricas com objetivos obscuros e destruidores.

6 – Dos Sábios e Profetas ou Instrutores


Os impulsos impelidos pelas linhagens dos instrutores
chegam a nós para nos tirar da ignorância, para dar ao ho-
mem uma qualidade de vida elevada, dar sabedoria, dina-
mizar e absorver instruções necessárias para a vida evolutiva;
estimula o aprimoramento dos corpos, abre a consciência.
Há uma ligação direta com as energias de Hierar-
quias Crísticas, segundo raio, Amor-Sabedoria. Aqueles

34
Radiestesia – Linhagens e Raios

conectados linhagem dos instrutores conhecem a lingua-


gem apropriada aos aprendizes, sabem como conduzir e
revelar cada conhecimento, sempre preservando o ins-
truído com cuidados, procurando não interferir na sua
individualidade daqueles que instrui.
O instrutor deve ter uma linguagem fácil ao passar
mensagens, conhecimentos e instruções. Também, como
nas citações anteriores referentes a cada linhagem em suas
direções, é preciso estar aberto para Hierarquia dos Ins-
trutores, observar seus raios que dão suporte e não per-
mitir que forças contrárias à evolução façam uso desses
impulsos para promover e incitar o malévolo.

7 – Dos Sacerdotes
Aqueles pertencentes às Linhagens Dos Sacerdo-
tes têm uma perfeita observação das leis universais e
sabe como aplicá-las para colaborar no processo de
formação dos seres humanos, intermediando fluxos
de energias dos núcleos superiores para os inferiores.
Conta com os Espelhos para essa tarefa de canalizar
energias ao mundo concreto.
O sacerdote faz de suas atividades, em qualquer área,
uma cerimônia valorizando o momento, polarizando posi-
tivamente as fases de cada atividade. Faz de todo trabalho
do qual participa, mesmo o trivial, uma cerimônia com
certa ordem, colocando ali toda a energia em busca da
perfeição. Quando esses trabalhos são feitos com reta or-
ganização, atitudes centradas no fruto do trabalho, com
toda vontade e amor, o efeito causa bem-estar, alegrias e
harmonias a quem desfrute do evento.

35
Orivaldo A. Scaldelai

Se colocar amor e harmonia – em uma reunião, du-


rante um trabalho braçal, ao fazer alimentos, ao produzir
qualquer coisa de uso em geral – haverá frutificação e ele-
vação. Em qualquer cerimônia ou ritual organizado con-
forme preceitos colocados haverá um resultado, seja para
objetivos benéficos ou maléficos, dependendo do que se
tem como finalidade.

36
Radiestesia – Linhagens e Raios

Tipificando os raios

Os sete raios
Os Raios Cósmicos inicialmente como Arquétipos,
influenciam todo o sistema no qual estamos inseridos.

1 – O primeiro raio: vontade-poder


Governo e domínio de si mesmo, não espera acon-
tecer, tem seus impulsos. Emprega sua vida na busca de
objetivos, sem entregar-se a ociosidades. Se não estiver
evoluído em outros aspectos poderá ter desagradáveis
consequências. Como características da vontade, busca
chegar ao fim por todos os meios possíveis. Pode ser arro-
gante, unilateral e de ambição inconsequente.
Por causa de sua fortaleza interna goza na adversidade
e contempla destruições. Quando traça um novo projeto
move incômodo a qualquer preço. Sempre tem um plano
novo e está sempre estimulado a um projeto. Desfaz-se facil-
mente do velho e se desliga de formas ultrapassadas. Pode ser
um líder, estadista, governador, executivo, explorador, etc.
Também tem características de tirano, como orgu-
lho, sede de poder, individualismo e rigidez. Sofre com
derrotas. Quando evoluído e temperado por outros as-
pectos, como Amor-Sabedoria e/ou Inteligência-Adap-
tabilidade, faz uso unido dessas qualidades com a de
Vontade-Poder. Multiplicam-se com outras característi-
cas, apresentando união, reflexões, discernimentos, coo-
peração, sempre com senso de união, imparcialidade e
muita ideação criativa com benefícios comuns. Sempre
consegue, porque tem a frente Vontade-Poder.

37
Orivaldo A. Scaldelai

2 – O segundo raio: amor-sabedoria


Caracteriza-se pelo tom do amor e união; fomenta
a fraternidade. Conhecida também como energia Crísti-
ca, que é extremamente magnética. Os não pertencentes a
esse Raio podem sentir sua presença, mas não conseguem
compreendê-la facilmente. Discernir que união é um ato e
fraternidade é mais que cooperação, porque é um ato puro.
Um homem de segundo Raio não julgará os demais
por um único ponto de vista. Mantém o amor no coração
como solvente das doenças e injustiças. Esse é o Raio da
fraternidade, e os profissionais dotados deste Raio são os
melhores, porque colocam amor em tudo.
Os indivíduos de segundo Raio estão sujeitos a apresen-
tarem defeitos graves quando não têm apoio das qualidades
de outros Raios. Por exemplo, quando têm uma “vontade
fraca” para realização elevadas, tudo fica mais difícil, podem
ser dominados por vontades espúrias, fraquezas, ficando
mais otimizado o mal à todos que a ele se ligam.
Cada Raio está isento de defeitos, mas na conjuntura é
possível que indivíduos de segundo Raio apresentem defeitos
graves; fazer dos altruísmos extremos e facilitando a vida de
outros em detrimento da própria vida sem benefícios evolu-
tivos a ambos. Também, fazer do amor ódio e possessividade.
Cai bem o segundo Raio aos sábios, professores, mé-
dicos e reformadores. O ser de segundo Raio negocia sem
oferecer resistências. Tem em suas fraquezas a sensualida-
de, o sentimentalismo e sacrifícios insensatos. Sofre com
desgostos, solidão e autoexclusão. Como pacificadores,
são facilmente desviados de seus propósitos.

38
Radiestesia – Linhagens e Raios

3 – O terceiro raio: atividade inteligente


O terceiro Raio é o da criatividade, adaptabilidade.
Trabalha o espírito com o mundo das formas. Tem nas
formas a criatividade para servir sempre com inteligência,
buscando a evolução nas atividades de qualquer natureza.
O terceiro Raio tem a função nítida de impulsionar o
homem ao trabalho, servindo de instrumento para criar
e desenvolver a serviço da humanidade. Geralmente faz
sucessos nas atividades a que se dedica. Costuma deixar
as atividades físicas e buscar atividades intelectuais. Com
grande facilidade em discernir, torna-se seletivo e busca
valores ligados ao ocultismo, espiritualidade.
Juntamente com o primeiro Raio (Vontade) e se-
gundo Raio (Amor), conduz suas atividades. Está muito
ligado ao quinto Raio, conhecimento concreto, em que
desenvolve trabalhos ligados à ciência acadêmica com certa
competência. Por estar ligado as Raio ímpares, também é
influenciado pelo sétimo Raio, que dá qualidades discipli-
nares e sensibilidade para as artes e práticas intelectuais.
Tem facilidades em trabalhar com assuntos abstratos
pelo poder de concentração inerente. É preciso muito cui-
dado com a ilusão e sonhos, típicos de uma mente ativa
com desdobramentos à fascinação. Tem grande facilidade
de persuasão, um instrumento perigoso quando é feito
dele um meio de vida – iludir pessoas, promessas descabi-
das e que resultam em prejuízos de todas as ordens.
Os tipos típicos de terceiro Raio têm ideação criati-
va, tato, dignidade, poder mental penetrante. Facilidades
para a filosofia e o erudito. Têm bom entendimento, e,

39
Orivaldo A. Scaldelai

na contrapartida, a cegueira mental. Podem ser frios, in-


decisos por verem sempre dois lados; inescrupulosos com
astúcia. Sofrem com a incompetência e obscuridade.

4 – O quarto raio: harmonia dos opostos


O quarto Raio é um harmonizador, que busca conso-
nância através do conflito, raio do mediador. Não separa
o mundo interno do externo, e busca estreitar ambos com
harmonia. Inconformado, reage contra o comodismo,
cristalizações e inércias. Intuitivo, tem estreita ligação com
as artes, com capacidade de retratar a beleza. Vê beleza nas
coisas e imagina, com esforço, trazer para o mundo con-
creto. Há uma tendência para a ambivalência e instabili-
dade, que pode levar à frustrações, depressões e desânimo.
As pessoas do quarto Raio são impulsivas nos momen-
tos de tensão com resultados desastrosos pelos exageros. É
comum iniciarem uma atividade de certa maneira e termi-
nar de outra. As necessidades dos conflitos são muitas vezes
necessárias em um processo que permita ao envolvido uma
experiência completa para chegar a uma conclusão definitiva.
São do tipo artista, mediador e intérprete. Drama-
tizam e ilustram com rara beleza. Têm alternância entre
exaltação e depressão.

5 – Quinto raio: do conhecimento


concreto ou ciência
É o Raio que influenciou a educação e fez surgiu a
ciência. Relaciona-se com realidades internas, conheci-
mentos da Alma, amor e crença na verdade. As pessoas
influenciadas por esse Raio analisam, qualificam, quan-

40
Radiestesia – Linhagens e Raios

tificam e precisam ver tudo calculado, postulado, e não


toleram o vago, mente analítica e dedutiva com fortes
laços com as pesquisas ligadas às ciências exatas. Para elas,
as realidades espirituais são claras e definidas, grande fle-
xibilidade de raciocínio. Argutas e detalhistas. Têm fortes
ligações com o terceiro e o sétimo Raio.
Esse Raio é tido como revelador da verdade e distri-
buidor de conhecimentos. Tem as qualidades de mentalista
analítico e paciência. Matemático, cientista, alquimista, tem
sede de conhecimento. Possui facilidade em elucidar e expor
com diagramas. É preciso cuidar-se em relação ao egocen-
trismo, orgulho, avareza, falta de compaixão, ceticismo ás-
pero, destruir ideias e negligenciar-se na forma de vida.

6 – O sexto raio: devoção e entrega


É o Raio do idealismo, vontade, persistência. Por ter
posicionamento forte, influencia e pode ser influenciado
pelos místicos, religiosos e aqueles que tomam posições em
segmentos na vida. Para a pessoa desse Raio tudo é ou per-
feito ou intolerável, amar ou desprezar. Grande lealdade
por uma causa, seja um guru ou um assassino. Tem amor
ao passado, é preso a ele e é muito emotivo. Percebe-se de
modo evidente já na infância essa característica pelas po-
sições rígidas tomadas. Em geral, precisa de um líder, um
deus pessoal, um guru, uma referência para a vida.
Os estágios pelos quais passa o impulsionado pelas
energias da devoção são muito visíveis. Pode primeiro
venerar um mito, pessoas, coisas e depois transferir essa
veneração para um ideal decorrente. O efeito dessas ener-
gias podem levar à crises, ao desapego, assim como pode

41
Orivaldo A. Scaldelai

ocorrer uma abertura total. Grande risco para o fanatis-


mo. Quando ensina, inflama evocando o heroísmo, hipe-
remotividade, estreiteza e intolerância com os contrários.
Faz da intencionalidade um ato de amor e sacrifício.

7 – O setimo raio: da ordem, disciplina e


Cerimonial
É o Raio da ordem, da disciplina, da organização,
do ritmo, da síntese. Se expressa como energia construto-
ra de novas formas. Organiza forças com ritmo vigoroso.
Um produtor, um mestre de cerimônias, um sacerdote e
aqueles que executam seus trabalhos com competência
têm o sétimo Raio como fonte e arquétipo. Típico de um
escultor que tem no seu trabalho uma síntese da ordem e
da harmonia. Cuida de tudo com certo formalismo e me-
ticulosidade. O homem de sétimo Raio pode ficar preso
ao formalismo; apega-se.

42
Radiestesia – Linhagens e Raios

Como os raios influenciam a cada ser

Os Raios são energias que atuam em nossas vidas


com qualidades definidas, modelos que atuam no ho-
mem através dos corpos de manifestações. Os Raios estão
presentes e se manifestam em tudo que existe na nature-
za, substância real e oculta. Enfim, está presente em todas
as formas com ou sem vidas individualizadas.
São sete os raios que se manifestam diretamente com
os mundos pertencentes ao Sistema Solar. Ainda há ou-
tros que se manifestarão em tempos futuros, mais cinco
e posteriormente mais nove. Isso não sabemos quando.
Os sete raios se manifestam em grupos ou isolados, em
formas ordenadas dando certo sentido de ordem, tempe-
ramentos e características, principalmente na formação
dos minerais, vegetais e corpos animais.
Conhecer os Raios e aplicar esse conhecimento é
uma forma de avançar a evolução humana, pois são for-
mas modeladas por Signos Cósmicos* – não confundir
com Signos Zodiacais.
O ser humano é pura expressão dos Raios, seus re-
flexos e temperamentos, e, certamente, em futuro próxi-
mo, será fonte e referência para a nova psicologia: ciência
espiritualista que já busca explicações para as causas de
tantas doenças humanas até então inexplicáveis.
Para cada um dos núcleos e corpos do ser huma-
no há expressões acentuadas dos Raios, cada qual com
seus aspectos ou atributos, montando um jogo entre os
corpos sutis, cuja meta é a vitoria, a perfeição. Como
características gerais, os Raios impõem ao ser huma-

43
Orivaldo A. Scaldelai

no suas vibrações, buscando aperfeiçoar o ser. Essas


vibrações, pode-se dizer, são bipolares, vão do lado ne-
gativo ao positivo para se implantarem, até mesmo em
uma forma de atritos alinhando em direção ao bem, a
perfeição. Fica claro que seus polos existem dentro de
uma qualidade ou de um caráter e se buscam, para o
aperfeiçoamento do ser.
A busca da perfeição evolutiva do ser humano se ini-
cia na Mônada Regente*, com seu respectivo Raio que
desce para núcleos da Alma, seguindo para seus corpos
de manifestações no plano físico.
1. Cada corpo isoladamente tem seu Raio. São
eles: etérico/físico, astral/emocional e mental/
concreto. Formam a tríade mortal e projetam a
personalidade (eu inferior) que também tem seu
próprio Raio. Os três corpos, a personalidade e
Alma se manifestam em busca da evolução.

Esse conjunto de núcleos faz da vida do homem na


Terra evolução, geram conflitos e benefícios, porque sem-
pre há uma contrariedade com a Alma quando ela não é
atendida em suas metas para evoluir.
Das contrariedades surgem conflitos que refletem
nos estados psíquicos, levando à crises. Quando atendem
o plano evolutivo da Alma, agregam conhecimentos para
o futuro, beneficiando aquele ser.
Os Sete Raios se dividem em dois grupos:
1) Os Raios 1, 2 e 3 – são os Raios de Aspectos. Es-
ses determinam tempo, ritmo de vida e vontade;
2) Os Raios 4, 5, 6 e 7, são os Raios de Atributos,
onde predominam a matéria e ritmo de vida subordinada.

44
Radiestesia – Linhagens e Raios

Também se combinam com boas ligações os Raios


ímpares: 1, 3, 5 e 7, em que atua a energia da vontade,
suas estruturas nos planos mais densos e funcionamen-
tos da matéria; e os Raios pares: 2, 4 e 6, em que atua
a força da união e conecta-se com a vida interior são os
Raios dos motivos e aspirações.
Vamos considerar um homem que tenha em seu
corpo várias incidências de primeiro Raio: na Alma,
no corpo astral e no corpo etérico/físico. Ele será um
ser com determinações e independência isolada, devido
a Alma ter vontade própria, e o astral rígido e físico
com energias determinadas. Ele precisa das energias de
aspectos de segundo Raio ou mesmo de atributos para
compensar de alguma forma; caso contrário, se isolará
no poder sem aspirações maiores.
Na simulação exposta, dependendo do grau de con-
duta, ele poderá usar essas energias para evoluir, porque
não faltarão vontades, mas se caminhar voltado apenas
para o materialismo, o fará com muita rigorosidade, por-
que terá Alma, corpo de sentimentos e aspectos físicos
favoráveis à execução de planos.
Devemos entender que as energias dos Raios se apli-
cam sempre para o lado que o homem queira, dentro de
seu livre arbítrio; são forças inerentes àquele ser. Então as
características de um Raio em ação e força geram, depen-
dendo do grau de conduta de cada indivíduo, resultados
diferentes: ou agrega boas experiências e conhecimentos
à Alma ou vai com débitos para essa ou para a próxima
encarnação, conforme as leis kármicas.

45
Orivaldo A. Scaldelai

A lei do karma é uma espécie de coação, e não cas-


tigo absoluto, que impõe ao indivíduo a busca do equi-
líbrio e harmonia. Essas regras são iguais para todos os
Raios, mas nos de aspectos há uma imposição maior: os
Raios de atributos auxiliam os primeiros.
Para o segundo Raio, Amor-Sabedoria, as implica-
ções não são diferentes. Podemos concluir que amor e
ódio têm qualificações semelhantes, mas em polaridades
opostas. O ódio esta em oposição ao amor, mas com os
mesmos aspectos.
O terceiro Raio, Atividade-Inteligente, não foge às re-
gras dos anteriores. É a interação do homem com o mun-
do externo. Ele pode usar sua inteligência e criatividade
para atividades degradantes, insidiosas e até nefastas, mas
responderá por isso por vezes durante a mesma vida no
planeta, respondendo a tudo através de crises ou doenças.
A seguir, vamos expor características de cada um dos
Raios, entendendo que dos Raios surgem os tempera-
mentos humanos e que no bojo de cada Raio evidenciado
em cada corpo, personalidade e Alma haverá sempre os
demais influenciando como sub-raios.

Nota: No final do presente capítulo estão dispo-


níveis sete tabelas, uma de cada Raio, que facilitam a
avaliação e entendimento. A tabela foi extraída do livro
“Os 7 Temperamentos Humanos – Geoffrey Hodson –
ed 1960 – esgotado.”

46
Radiestesia – Linhagens e Raios

Avaliação pessoal

Analisar uma pessoa, identificar influências que fa-


cilitam ou dificultam, deduzir para compor um diagnós-
tico não é uma tarefa simples, mas possível, à medida que
desenvolvemos práticas e criamos métodos próprios.
Para avaliar uma composição de Raios nos corpos
sutis é necessário conhecer bem cada Raio, os corpos e
suas emanações, montando um conjunto para informa-
ções. Isso vale para uma simples analise dedutiva e com
riquezas de detalhes para aqueles que trabalham com
pêndulos, radiestesistas. É preciso um ponto de partida
para formar uma ideia inicial e em seguida fazer uma lei-
tura detalhada dos corpos, seus Raios, suas conexões.
Já vimos que cada corpo tem seu Raio maior, e que
a Alma e a personalidade atuam se exteriorizam usando
um dos corpos como veículo, que pode ser qualquer
um: etérico/físico, astral/emocional ou mental/concre-
to. Fica esclarecido que sempre dois corpos, além de
seus próprios Raios, ainda manifestam Alma e Perso-
nalidade. Nunca um corpo manifesta Raios de Alma e
personalidade juntos, apenas um deles.
O gráfico de análise específico indica muito bem
como montar esse quadro, mas sempre, nesse caso, com
uso de um pêndulo. Vamos expor novamente como iden-
tificar os pontos que compõem o gráfico de Análise Das
Linhagens e Raios, já exposto anteriormente:

47
Orivaldo A. Scaldelai

Conhecendo o gráfico de linhagens e raios

Olhando para o gráfico de avaliações temos à es-


querda, na parte superior:
a) Relacionadas às Linhagens, na ordem e com res-
pectivos retângulos à frente de cada, para a indicação a
ser pesquisada;
b) Abaixo das Linhagens estão locados os Raios na
ordem, com os respectivos símbolos e separados os de
Aspectos e os de Atributos;
c) Olhando o quadro maior a direita um esquema
de procedimento para a pesquisa;
d) O T, dentro do círculo, é a pessoa ou testemunho
motivo das pesquisas;
e) O retângulo acima indica a linhagem a ser indica-
da e anotada após indicação do pêndulo;
f ) A Alma tem ao lado um pequeno retângulo, onde
se anotará o número correspondente ao raio da Alma
após indicação do pêndulo;
g) A personalidade tem ao lado, também, um local
pequeno e quadrado para ser anotado o número do Raio
correspondente.
h) Também o mesmo critério, nos retângulos, para
anotar os Raios do Corpo Físico/Etérico, Corpo Astral e
Corpo Mental.
i) Abaixo, nome completo da pessoa em pesquisa
para identificação. Não é válido como testemunho.

48
Radiestesia – Linhagens e Raios

Conforme indicações acima, vamos à maneira e técni-


cas de se trabalhar nas pesquisas e as informações, ou seja,
preencher os campos que compõem o gráfico. O gráfico
é pessoal, com o nome do pesquisado escrito na parte in-
ferior da folha. O radiestesista pesquisador deve ter várias
cópias desse gráfico, e ter disponível para cada pesquisa.
Ter disponível no momento, além do gráfico, o tes-
temunho atualizado, o pêndulo e um ponteiro para indi-
car cada campo a ser pesquisado.

49
Orivaldo A. Scaldelai

Início – Como pesquisar

a) Coloque o testemunho, já potencializado, sobre o


campo com indicação T;
b) O primeiro espaço a ser conhecido é o da Linha-
gem a que pertence o pesquisado;
c) No quadro onde estão as Linhagens relacionadas
e após o nome de cada uma delas há um campo vazio,
no qual o pesquisador coloca o ponteiro com uma mão,
e com a outra segura o pêndulo, que vai respondendo
sim ou não às perguntas: “o fulano (nome do pesquisado)
pertence à essa linhagem, à primeira, Contemplativos?”.
E assim sucessivamente, uma a uma das Linhagens, até o
pêndulo afirmar “SIM”. Repetir a pergunta mais de uma
vez para confirmar a indicação;
d) Após a indicação da Linhagem, mantenha o teste-
munho no mesmo local T, e a seguir vá aos Raios, pesquisar;
e) Agora coloque o ponteiro sobre o primeiro Raio
e com o pêndulo sobre o campo ALMA pergunte se
a Alma daquela pessoa (diga o nome) tem o primei-
ro Raio, Vontade-Poder, como energia primeira; caso
o pêndulo gire indicando “não”, vá para segundo Raio,
Amor-Sabedoria, e faça a mesma pergunta, ou seja, se a
Alma tem no segundo Raio sua força de vibração maior;
caso o pêndulo indique “não”, vá para o Raio seguinte,
o terceiro, Atividade-Inteligente; e assim sucessivamen-
te, até o momento em que o pêndulo indicarga “sim”,
então a Alma estará ligada àquele Raio indicado. Em se-
guida anote o número do Raio indicado no quadrinho
vazio ao lado do campo Alma;

50
Radiestesia – Linhagens e Raios

f ) Repetir o procedimento para cada um dos corpos


indicados nos campos abaixo: C: F/E, C: A e C: M/C;
não se esquecer de anotar nos quadrinhos o número de
cada Raio de manifestação encontrado;
g) Agora é a vez de executar o mesmo processo para en-
contrar o Raio de manifestação da Personalidade, que como
o da Alma tem uma importância fundamental para análises;
h) Encontrado o Raio da Personalidade, devida-
mente anotado, deve-se, como importância fundamen-
tal, determinar através de qual corpo, individual, Alma e
Personalidade, se manifesta de forma predominante;
i) Coloca-se o ponteiro sobre o campo onde está
“Alma” sobre cada um dos corpos indicados nos campos
abaixo. Verificar por qual deles a “Alma” trabalha de forma
predominante. Aquele no qual o pêndulo girar configu-
rando o “sim” será com certeza o veículo usado pela “Alma”
para se manifestar. Importante lembrar que Alma e Perso-
nalidade sempre se manifestam por corpos diferentes;
j) Segue-se os mesmos procedimentos acima para
procurar o corpo de manifestação da “Personalidade”;
assim também com a “Personalidade e seu respectivo
corpo que predomina”.
Temos, portanto, um quadro pronto para ser anali-
sado: o perfil de temperamentos do pesquisado;
k) Encontrado o corpo de manifestações da “Alma”,
traça-se uma linha interligando ambos, Alma/Corpo.

De posse das informações obtidas através da radiestesia,


que deverão estar devidamente anotadas no gráfico apropria-
do, é possível partir para a análise. A primeira observação é

51
Orivaldo A. Scaldelai

apreciar a quantidade de Raios alinhados com Vontade-Po-


der (1 – 3 – 5 – 7) e os alinhados com Amor-Inclusão (2 – 4
– 6). Assim, já se tem a primeira noção de predominância, se
com as características de vontade ou de amor.
Na avaliação inicial observa-se se a prevalência de Von-
tade ou de Amor segundo quantidades de Raios pertencen-
tes a cada uma das posições. A seguir, vamos inserir nesse
trabalho uma avaliação (caso real) de uma pessoa a quem
chamaremos de “Vitoria M. R.”, por uma questão ética.
Feita a avaliação conforme sequência ordenada des-
crita, o gráfico de análise de Linhagem e Raios apresen-
tou o seguinte perfil da Sra. Vitoria M. R.

52
Radiestesia – Linhagens e Raios

Avaliações pessoais

• Relatório 1: Vitoria M. R.
Nasc.: em 1957 – Professora Universitária – Santos – SP.

A Sra. Vitoria pertence à Linhagem dos Curadores,


seguindo a forma de pesquisa indicada anteriormente;
ALMA: de Primeiro Raio, Vontade-Poder;
R:1 no campo à direita;
C:FE de Sétimo Raio, raio do Cerimonial, Ordem
e Disciplina;
R:7 no campo abaixo;
C:A de Terceiro Raio, raio da Inteligência Criativa – R3;
C:MC de Terceiro Raio, raio da Inteligência Cria-
tiva – R3;

53
Orivaldo A. Scaldelai

Personalidade: do Quarto Raio, Harmonia dos


Opostos – R4; A seguir, pesquisado através de que cor-
po a emanação da Alma e da Personalidade se irradiam,
obtivemos o relatório que segue na íntegra para aprecia-
ção da própria analisada:

A seguir, Avaliação e análise de Linhagem e Raios:


Vitoria M. R. pertence à Linhagem dos Curadores.
Uma curadora em essência sedimentada na Alma. Para atuar
com a linhagem de cura é preciso ajustar os corpos confor-
me seus respectivos Raios e estarem devidamente harmoni-
zados. Estando conectada às Hierarquias de curas, pode co-
laborar com pessoas próximas ou à distância, harmonizando
e trabalhando nos centros energéticos dos que precisam. É
preciso pureza e certeza sobre o que está fazendo, irradiando
melhorias às pessoas merecedoras. Também pode causar da-
nos quando não devidamente preparada e limpa de coração.
Qualquer pessoa pode ser um curador, sendo que o perten-
cente à linhagem de curas tem a essência.
Os Raios são energias que atuam em nossas vidas
com qualidades definidas, são modelos que trabalham
nos homens através de seus corpos. O caráter incorpora-
do aos Raios é que definirá os temperamentos.
No caso do presente relatório, Vitoria tem:
– Alma de primeiro Raio, ou seja, Vontade-Poder.
Atua através do corpo mental de terceiro Raio, que está
ligado conjuntamente à vontade – os Raios ímpares.
Logo, ela tem uma mente ativa, de raciocínio criativo,
mas sem força de flexibilidade para ver um outro lado;
torna-se inteligente e resistente.

54
Radiestesia – Linhagens e Raios

A personalidade de quarto Raio procura trabalhar


entre os opostos, altos e baixos (espírito-matéria) e o inte-
ligente e o grosseiro; utiliza o corpo etérico/físico de séti-
mo Raio para se expor ao mundo, então, é uma persona-
lidade que executa tarefas com perfeição, principalmente
trabalhos ligados à arte ou reproduções em formas físicas
O corpo astral, de terceiro Raio, tem na emotivi-
dade flexibilidades dúbias, indo de um ponto ao outro,
de dúvidas à certezas, mas sempre colocando a própria
vontade. Convém observar que a casa onde Vitoria resi-
de tem características de segundo Raio, provocando uma
união entre os que ali se abrigam. Local bom para linha-
gem dos curadores e harmonização dos Raios.
Também, observa-se que como há nos corpos o Ter-
ceiro e o Sétimo Raio (Mental, Astral e Físico-Etérico)
eles oferecem uma conjuntura de agilidades no que se
propõem, mas com rigidez de propósitos a executar im-
plícitos no sétimo Raio.
Há no Quarto e Sétimo Raio, quando trabalham
juntos, caso aqui da personalidade da Vitoria, fundamen-
tos para os princípios de curas por pertencer à Linhagem
dos Curadores e ter no Sétimo Raio uma organização ver-
ticalizada, em que busca sempre o elevado.
Enfatizando, grandes quantidades de Raios de
Vontade podem trazer instabilidade emocional; Alma
de primeiro Raio, mente de terceiro Raio e astral de ter-
ceiro Raio estimulam separações e isolamentos, apegos
cristalizados, centralizações, buscando conflitar com a
personalidade de quarto Raio, que busca harmonia, mas
sempre olhando os opostos.

55
Orivaldo A. Scaldelai

É preciso dizer sobre as vantagens de Vontade-Poder


quando é aproveitada essa energia para executar planos es-
tabelecidos, que usam essas ferramentas para pôr em prá-
tica, porque dá autoconfiança e liderança. Uma Alma com
Vontade-Poder tem a força da mudança e juntamente com
a mente, que também tem vontade com criatividade, pode
exercer o entendimento, tato e imparcialidade.
A Personalidade que tem o quarto Raio pode mu-
dar em apoio à Alma, ou seja, usa a energia que har-
moniza opostos direcionando para o Amor-Sabedoria
e artes, que têm a força do sétimo Raio com esplendor,
graça e precisão na execução.
O corpo astral tem vontade e está livre para exercer o
Terceiro Raio, colocando no sentimento entendimentos.
Saber usar as energias que os Raios impelem para o lado po-
sitivo faz com que se ganhe tempo para alcançar a evolução.
As doenças, em geral, menos aquelas geradas por agres-
sões externas, têm seu inicio nos atritos internos causados pe-
los Raios que buscam dar formas e conhecimentos. Quando
não aplicados esses modelos que mostram caminhos serenos
e evolutivos, certamente surgem as crises. Vitoria, aqui ava-
liada, tem a força, os Raios, que usados com sabedoria em
seu beneficio galgarão degraus na evolução.
Para se fazer uma avaliação é preciso antes de tudo
saber que a amplitude dos Raios é imensa e que nem
sempre será possível detalhar cada situação, mas será
possível uma compreensão bem próxima dos tempera-
mentos do envolvido na análise. É preciso ter em mente
que os Raios em maiores quantidades ligados à Vontade
ou ao Amor sempre prevalecem.

56
Radiestesia – Linhagens e Raios

No caso da Sra. Vitoria constatamos que ela tem


quatro Raios ligados à Vontade (1, 7, 3, 3), contra ape-
nas um da personalidade ligado ao Amor (4). Quando
ficam esclarecidos os corpos pelos quais a Alma e a Per-
sonalidade irradiam, devemos ter uma atenção especial,
pois, no caso exposto, a Alma flui pelo corpo mental,
que possui a qualidade da inteligência. e então, a vonta-
de pode atuar com muita inteligência, organizada para
o fim a que se destina a força da vontade que, pode ser
para fins pacíficos, beneméritos ou para criar dificulda-
des com certa astúcia ou mesmo de forma impensada
levada pelo primeiro ímpeto de poder.
A ferramenta Raio tem duas pontas, a do bem e a
do mal. No mesmo caso temos uma Personalidade do
quarto Raio, fluído pelo corpo etérico/físico de sétimo
Raio. Percebemos no primeiro olhar que a Personalida-
de está conectada entre o mundo físico e o espiritual,
porque esse Raio, o quarto, trabalha ligando os opostos,
mas atua com o sétimo Raio no corpo físico dando a
ordem e criação própria do sétimo Raio uma conexão
com o Alto quando executa um trabalho.
No caso da Sra. Vitoria, vimos que ela tem vocação
para o artesanato, reproduz as formas através das artes em
suas variações, uni seu trabalho à arte bem e mais organi-
zada, buscando o belo, próprio da Mãe Natureza.
O radiestesista analista, quando se propõe a esse
trabalho, tem que buscar informações a respeito das Li-
nhagens e Raios em suas extensões, buscar entender esses
mecanismos através de obras, textos e literaturas próprias.
Assim, entenderá o sentido, o espírito da informação, que

57
Orivaldo A. Scaldelai

o ajudará a compor uma análise e, com muita propriedade,


passar ao analisado informações de maneira clara e acei-
tável. Também deve ter o cuidado com a linguagem ao
passar as informações, de maneira a não confundir a quem
o procura. Deve ter sempre em mente que está tratando de
um assunto que pode ser desconhecido ao interessado, um
assunto novo que exige certa compreensão a um raciocínio
abstrato, porque trata com níveis acima do mundo concre-
to e acima das formas já conhecidas ao homem comum.
Em qualquer situação que o analista venha à procu-
ra de respostas é importante ter sempre em mente que a
Alma busca agregar para si conhecimentos conquistados
no plano físico e sempre voltados para a evolução do ser.
Quanto à personalidade, é uma espécie de estratificação
dos corpos etéreo/físico, astral e mental, por isso que a
personalidade passa por fases e mudanças ao longo da
vida, à medida que adquire experiências, conhecimentos
de todas espécies por meios de hábitos, vícios, cultura ge-
ral, experiências empíricas ou acadêmicas, intelectualida-
des, religiosidades, meio ambiente, relações e até atavis-
mo. Isso explica a complexidade do homem, ainda mais
considerando que cada corpo tem um Raio que o impele
em uma direção de temperamentos, e tudo isso trabalha
com o Raio da personalidade.
Para facilitar e trabalhar com síntese simplifica ob-
servar a convivência da Alma com a personalidade. Quan-
do a personalidade está madura e voltada para o amor há
uma convivência tranquila com a Alma, o contrário gera
uma área de atritos entre os dois núcleos, daí surgem as
crises, doenças, destemperamentos, e muitas patologias

58
Radiestesia – Linhagens e Raios

de ordens psíquicas, as quais a medicina convencional


tenta resolver com medicações alopáticas, sem sucesso.
A crise está entre Alma x Personalidade, e a cura
pode vir com mudanças de comportamentos, como acei-
tação, desapego, anulação de medos e ansiedades. Com
o apoio de certos cristais, essências e ervas que veremos
mais a frente, tudo pode ser facilitado, mas vai sempre
depender de uma tomada de atitude de quem precisa.

• Relatório 2: Sueli Escarlate Dos Santos – Linha-


gem e Raios.
Nasc: 02/ 5/1960 – Empresária – Guarulhos – SP.

59
Orivaldo A. Scaldelai

A Linhagem:
Sueli Escarlate Dos Santos pertence à Linhagem
Dos Espelhos.
Espelho aqui quer dizer receber e refletir em todas
as direções. Uma rede ordenada de comunicações. É um
foco que centraliza e distribui informações e energias e
deve ser entendido como um potencial. Faz parte desse
modelo na forma intrínseca de influências e facilidades
no trabalho e nas matérias a que se dispõe.
Espelhos são Arquétipos Cósmicos hoje mais comuns
nos corpos femininos pelas maiores facilidades inerentes.
Deve ficar claro que Sueli tem maior facilidade quando
conectada com essa Linhagem, mas não quer dizer que
não pode executar ações ligadas a outras, como, por exem-
plo, dos Curadores. Pode ser uma curadora fazendo uso da
comunicação, também distante ou mesmo presencial em
grupos. Seu forte será sempre passar informações.
Tem muita facilidade em transitar por meios obs-
curos. Pode ser induzida a trabalhar com fins nocivos.
Comunicar tem grande responsabilidade, porque é um
sistema catalisador, então pode unir pessoas e grupos para
um determinado fim. Pode desenvolver a astúcia, um pe-
rigoso meio de tirar proveito dos incautos.
Forças nocivas ocultas privilegiam seres ligados à
essa Linhagem pelo poder de persuasão que elas pos-
suem. Nessa avaliação, na qual incluímos os Raios que
manifestam nos corpos da Sueli, constata-se a presença
predominante do segundo Raio, uma energia ligada ao
Amor-Sabedoria. Estar ligada a essas energias quer dizer
que é uma direção, e não a única, a ser seguida.

60
Radiestesia – Linhagens e Raios

A energia do amor quando desenvolvida na polari-


dade invertida é perigosíssima. Ela se torna um sentimen-
to de ódio, rancor, egoísmo, tristeza, que são fontes se-
guras para a involução, além de se instalarem em regiões
corpóreas, se desenvolverem no corpo físico alimentando
células e tumores degenerativos. O Amor-Sabedoria ver-
dadeiro une, é universalista e desprovido de apegos.

Os Raios:
Os Raios são energias cósmicas, origem de todas
as formas existentes no Universo. Para simplificar, os
Raios dão ao ser humano temperamentos, os quais vão
de um polo a outro oposto porque são modelos. Podem
ser usados para o bem ou para o mal. Exemplo: o Pri-
meiro Raio Vontade-Poder dá ao homem a vontade e
energias força e poder, porém é preciso saber usá-las ao
longo da vida em busca do crescimento espiritual.
Avaliando a Sra. Sueli, obtivemos o seguinte
quadro dos Raios:
Observamos de início uma predominância dos
Raios ligados ao Amor-Sabedoria (2, 4, 6 ). Avaliados
cinco corpos, entre eles três ligados ao Amor-União e
dois ligados à Vontade-Poder. Alma, personalidade e cor-
po mental ligados aos Raios 2, 4 e 6 respectivamente.
Corpo físico e astral ligados ao terceiro Raio, Inteli-
gência-criatividade. Isso quer dizer uma tendência da pre-
dominância do Amor e em segundo plano Vontade-Poder,
uma tendência para magnetismo de união dos três corpos
da mesma linha. São Raios que prevalecem porque inci-
dem na Alma e personalidade, 2 e 4 respectivamente.

61
Orivaldo A. Scaldelai

O mental de sexto Raio tem a predominância da


Alma (segundo Raio) com muita força de Amor. Pode
ocorrer uma mente devota voltada para a aplicação do
amor universal, filantrópico, desapegado. Pode se tornar
unilateral se não entender essa aplicação de energia quan-
to às críticas em relação aos que contrariam.
Também tem tendências ao fanatismo. A inflexi-
bilidade de ação do sexto Raio no mental com a pre-
sença forte do segundo Raio busca uma racionalidade,
conhecer, buscar e aplicar assuntos de interesse liga-
dos a um objetivo de forma incisiva. Com a força dos
Espelhos, esses interesses irradiam às pessoas ou aos
grupos. É preciso cuidados para não se tornar um guru
com tendência ao fanatismo.
A ação da personalidade (quarto Raio), mas com
predomínio do corpo astral de terceiro Raio, atividade
inteligente, criatividade e vontade, dão uma caracterís-
tica de inteligência à personalidade, certa flexibilidade,
quando interessa. Busca sempre unir com interesses de
cima, espiritual, harmonizar.
O corpo físico de terceiro Raio age por si, é voltado
para a flexibilidade com interesse para habilidades e se
amolda com criatividade. Tem a vontade como alavanca
quando se determina em uma direção.
Características gerais dos Raios 2, 4 e 6:
Qualidades: amor universal, discernimento, intui-
ção, filantropia, simpatia espiritual, harmonia, beleza,
devoção, amor sacrificial, lealdade.
Defeitos: ódio, separatividade, individualismo,
deslealdade.

62
Radiestesia – Linhagens e Raios

Tipo: médico, professor, reformador, artista, media-


dor, intérprete.
Impulsos: saber, embelezar, ensinar, servir, venerar.

Características gerais do Raio 3:


Qualidades: ideação, criatividade, adaptabilidade,
tato, poder mental penetrativo.
Defeitos: cegueira mental, indecisão, frieza, astúcia,
crueldade.
Tipo: filósofo diplomata, organizador, erudito, juiz.

Um tópico importante refere-se à residência da Sra.


Sueli. Sua casa tem um padrão de sétimo Raio, propor-
cionando impulsos de ordem e organização para a perso-
nalidade do imóvel. É uma emanação que sintetiza im-
pulsos, que são decisivos para trabalhar com o Raio de
Amor-Sabedoria, já mencionado anteriormente.
A exposição acima é orientativa e a pessoa pesquisada,
no caso Sueli, deve estar ciente que tanto Linhagens como
Raios são Arquétipos que a impelem dentro de modelos
na busca evolutiva. Mesmo seguindo modelos, mas dando
rumos as suas polaridades nocivas, implicarão em débitos,
e nessa direção criará “karma”, que é uma forma de coação
ao implicado por não cumprir seu programa de vida.

Uma terceira avaliação para comparações interpreta-


tivas dos casos apresentados e as disposição das informa-
ções, sempre considerando que cada caso tem suas pecu-
liaridades, então vejamos mais uma avaliação:

63
Orivaldo A. Scaldelai

• Relatório 3: Luciane Maria Fiedler – Linhagem e Raios


Nasc: 29 /10/1962 – Numeróloga/terapeuta –
São Paulo.

64
Radiestesia – Linhagens e Raios

A Linhagem:
Luciane Maria Fiedler pertence à Linhagem dos Cura-
dores. O curador possui a essência da verdadeira cura das Al-
mas. O curador vem à Terra sedimentar seus conhecimentos
altruístas, não tem interesses egoístas e sabe que curar não é
apenas trabalhar no plano físico. O físico é decorrente.
O curador mantém-se vazio de expectativas grosseiras,
rótulos e conceitos, buscando ajustar corpo e formas pelo co-
nhecimento elevado. Deve passar ao semelhante que o pro-
cura uma maneira de se autoconhecer, além das formalidades
convencionais de curas. Sabe que a cura só é perfeita se for
completa. Ajustar corpos sutis com a Alma, formas de se ali-
mentar, relacionar-se onde se estabelece relações saudáveis.
O curador trabalha o individual, o coletivo, tanto perto
como à distância. A energia de cura é própria e exata para
quem precisa. Trabalhar com cura corretamente é estar co-
nectado às Hierarquias de Curas, à linhagem corresponden-
te. A responsabilidade de um curador é grande e se for al-
guém despreparado criará imensas dificuldades às pessoas e a
si próprio, então é preciso estar sempre vigilante para não ser
tomado por uma alegria falsa, se tornar egocêntrico, presun-
çoso. Há curadores falsos nos planos sutis que se utilizam de
pessoas despreparadas para enganar incautos e necessitados.
A cura está disponível a todos, mas com mais fa-
cilidades para aqueles que pertencem à Linhagens dos
Curadores. Há muitos meios de se aplicar a cura: mental,
verbal, orientações fundamentadas nos minerais e nos ve-
getais. Além de buscar e oferecer modelos que se identi-
fiquem com o necessitado de cura; modelos e formas que
alertam o necessitado. Assim age um curador.

65
Orivaldo A. Scaldelai

Os Raios:
São energias que atuam em nossas vidas, são Arquéti-
pos Cósmicos que acompanham as pessoas desde o nasci-
mento. Impelem as pessoas à temperamentos. Tornam-se
arquetípicos traçando uma espécie de destino. Quando a
pessoa segue na direção indicada pelos modelos, tornam
o percurso de vida facilitado.
Cada Raio emana uma energia específica para cada
corpo com certo caráter. Essas energias respeitam o livre
arbítrio, podem ser utilizadas com fins evolutivos ou em
sentido contrário, causando uma vida retrógrada.
As pessoas têm seus Raios específicos ligados a seus
sub-raios, portanto devem estar atentas. Os raios estão
presentes em cada um de seus corpos de manifestação:
Alma, astral, etérico-físico e personalidade, e se comuni-
cam entre si conforme explícito na avaliação da Luciane:
O esquemático da análise demonstra que prevalece
no caso uma quantidade maior de Raios da vontade (3 –
3 – 5 – 3); apenas um Raio do amor (2), emanado pela
personalidade. A quantidade de Raios da vontade dá a
Luciane um perfil de alguém com muita racionalidade
e habilidades de raciocinar, pois está envolvida em uma
rede de vontade e criatividade.
Ela está envolvida por quatro Raios. O terceiro Raio
é tudo de criatividade, habilidades, flexibilidades, e, ain-
da mais nos núcleos de Alma, corpo mental e físico.
O quinto Raio, também de vontade, atua pelo cor-
po astral, com características de trabalhos com a ciência
concreta atuante na linha emocional. Quanto à atuação,
os Raios de Alma e personalidade têm convivências du-

66
Radiestesia – Linhagens e Raios

rante toda a vida, responsáveis pela evolução, porque po-


larizam a vida presente.
O Raio da Alma trabalha através do corpo físico,
ambos de terceiro Raio; atuam muito bem no plano fí-
sico com aberturas para trabalhos que exijam raciocínio,
porque há sincronia, há vontade da Alma com a execução
pelo cérebro físico. Também há muita inquietação e pro-
cura de perfeição, habilidades, inflexibilidade com pesso-
as que destoam. É passível de instabilidades emocionais.
O Raio da personalidade, de Amor-Sabedoria que
atua pelo corpo mental, tem paciência para grande nú-
mero de detalhes, o natural desse raio de união, mas tem
um confronto interno muito grande, porque confron-
ta com demais Raios que são em sua maioria racionais.
Torna-se uma personalidade amorosa, flexibilizada pelo
mental de grande adaptabilidade, sempre tendo a lem-
brança do racional inteligente de terceiro Raio.

Características gerais dos Raios da Vontade 3 – 3 – 5 – 3:


Qualidades: ideação, criatividade, adaptabilidade,
tato, poder mental penetrativo.
Defeitos: cegueira mental, indecisão, frieza, astúcia,
crueldade.
Tipo: filósofo diplomata, organizador, erudito, juiz.

Qualidade gerais dos Raios da Vontade 3 – 3 – 5 –


3: Qualidades: criatividade, ideias ágeis, penetração men-
tal, dignidade, análise científica.
Tipo: filósofo, professor, cientista, alquimista, pes-
quisador e tudo que se relaciona com o mental racional.

67
Orivaldo A. Scaldelai

Defeitos: ceticismo, orgulho, avareza, destruir ideas,


falta de compaixão, negligência com a própria vida. Pode
usar a astúcia e se perder entre dois lados.
Qualidades do Raio do amor: amor universal, dis-
cernimento, intuição, senso de unidade, simpatia espiri-
tual, cooperação.

A casa de Luciane tem características de quarto Raio,


que significa harmonia entre opostos, ou seja, tem energia
para ir do material ao espiritual. Esse Raio pertence ao Amor-
-Sabedoria que provoca união entre opostos, abriga o amor.
Conclusão: A grande quantidade de Raios da von-
tade faz da analisada uma pessoa com características
bem técnicas com aparente frieza. Não quer dizer que
há algo de errado, mas corre o risco de se voltar para
dentro de si com isolamentos.
A vontade é uma energia demais necessária. Ela é
que dá estímulo para buscar metas, ditar ideias e não se
render a dificuldades. É preciso estar atenta usando esse
poder com ética, espiritualidade e compaixão.
Para quebrar certa rigidez, o uso de essências e
cristais facilitam o caminho, lembrando que na Linha-
gem dos Curadores a persistência do Raio da Vontade
é um ingrediente importante para a cura própria e das
pessoas. Um curador necessita do poder e da vontade
para executar a sua tarefa.

68
Radiestesia – Linhagens e Raios

• Relatório 4: Manoel Bias Sobrinho – Linhagem e


Raios
Nasc: 18/09/1949 – Empresário – São Paulo.

69
Orivaldo A. Scaldelai

Linhagem:
Dos Espelhos
Espelho aqui quer dizer refletor em todas as direções
. Uma rede ordenada de comunicações. É um foco que
centraliza e distribui informações e energias, devendo ser
entendido como um potencial. Faz parte desse modelo
na forma intrínseca de influências, facilidades no traba-
lho e nas matérias a que se dispõe.
Espelhos são Arquétipos Cósmicos hoje mais co-
muns nos corpos femininos pelas maiores facilidades ine-
rentes. Deve ficar claro que o Sr. Manoel, da presente
avaliação, tem maior facilidade em atividades quando co-
nectado com essa Linhagem, mas não quer dizer que não
possa executar ações ligadas a outras, como, por exemplo,
dos Curadores ou Governantes.
Pode ser um curador fazendo uso da comunicação
distante ou mesmo presencial, pessoal ou em grupos, ou
forte comunicador como um líder empresarial. Sua faci-
lidade será sempre passar informações.
Por ter muita facilidade em transitar por meios obscuros,
pode ser induzido a trabalhar com fins nocivos. Comunicar
tem grande responsabilidade porque é uma ação catalisadora,
então pode unir pessoas e grupos para um determinado fim.
Pode desenvolver a astúcia, um perigoso meio de tirar proveito
dos incautos. Forças nocivas ocultas privilegiam seres ligados
a essa Linhagem pelo poder de persuasão que elas possuem.
Na presente avaliação na qual incluímos os Raios
que manifestam no corpo do Sr. Manoel Bias, constata-se
a presença predominante do segundo Raio, uma energia
ligada ao Amor-Sabedoria.

70
Radiestesia – Linhagens e Raios

Estar ligada a essas energias quer dizer que é uma dire-


ção, e não única, a ser seguida. A energia do amor quando
desenvolvida na polaridade invertida é perigosíssima, conside-
rando que ela se torna um sentimento de ódio, rancor, egoís-
mo, tristezas, que são fontes seguras para a involução, além de
se instalarem em regiões do corpo físico, alimentando células
e tumores degenerativos. O Amor-Sabedoria verdadeiro une,
é universalista e desprovido de apegos. Como empresário, o
Sr. Manoel tem bom trânsito, contatos fáceis, porque sua Li-
nhagem é orientada por Raios de Amor-Sabedoria.

Os Raios:
Os Raios influentes nos corpos do Sr. Manoel são:
Alma – segundo Raio; Mental – sétimo Raio; Astral –
quinto Raio; físico/etérico – segundo Raio; Personali-
dade – segundo Raio. Aqui temos três Raios de Amor-
-Sabedoria e dois de Vontade-Poder.
São energias atuantes nos corpos sutis, dando a eles
características arquetípicas com temperamentos que in-
duzem e impelem o homem em direção ao que precisa e
em direção à evolução.
Como já visto em avaliações anteriores, os Raios
predominantes dão características gerais àquele que os
têm. O Sr. Manoel tem entre os cinco Raios principais
três, que são de características de união, Amor-Sabedoria,
nos corpos: Alma, Físico e Personalidade. Muita simpa-
tia, com comunicação fácil influenciada pela Linhagem
dos Espelhos, e os demais Raios, dois, influenciando
Vontade-Poder nos corpos Astral e Mental. Todas essas
influências dão ao pesquisado a essência de vida.

71
Orivaldo A. Scaldelai

Avaliando os corpos isoladamente, Alma de segun-


do Raio tem amor universal, uma facilidade em isola-
mento. Pode criar sofrimento advindo do apego, bem
como identificação rápida com outras pessoas e seus
problemas. A Alma se expõe atuando pelo corpo astral,
esse de quinto Raio (uma combinação de técnicas do
quinto Raio com incidências da Alma, cujo amor dá o
temperamento), aplicações de técnicas amorosas, dese-
jos de produzir o bem.
O corpo Astral, sede das emoções e desejos, trabalha
com conhecimentos concretos guiado pelas influências
da Alma, assim o pesquisado tem facilidades em passar
informações com lucidez e deduções acuradas dos fatos.
Nos trabalhos de Alma executados pelo corpo As-
tral, em tudo tem como maior bem o amor e como
maior mal o ódio, ambos com trânsitos fáceis pelo cor-
po Astral, que acolhe com facilidade aspectos emocio-
nais. Amor e ódio são temperamentos de um mesmo
seguimento, uma questão de polaridades.
Personalidade de segundo Raio atua com predomi-
nância sobre o corpo mental. O corpo mental que é de
sétimo Raio atua com graça, precisão, cavalheirismo e
cuidados nos detalhes. Logo, a personalidade influencia-
da e modelada por Amor-Sabedoria tem no corpo mental
em suas expressões as qualidades ditas acima.
O sétimo Raio pelo mental pode expressar aspectos
negativos, contrariando a ordem pela desordem, o ape-
go demais ao trabalho e cerimônias. É preciso observar
aspectos positivos e negativos próprios das emissões de
segundo e sétimo Raios expressos pela personalidade.

72
Radiestesia – Linhagens e Raios

O corpo etérico-físico tem toda movimentação e ca-


racterísticas de segundo Raio, isso facilita a materialização
do amor com dedicação, uma expressão física do cérebro
para desempenhar e praticar ações. Lembramos que o Sr.
Manoel tem como forma de se expor os Espelhos. Todos
os Raios têm aspectos positivos e negativos quando se ex-
pressam para prosseguir na linha evolutiva. Certos descon-
fortos surgem exatamente quando a Alma e Personalidade
se atritam, e aqui ambas de segundo Raio que emanam por
corpos diferentes, o que refletem certa complexidade, mas
que devem ser observadas para correções, buscando evoluir
para uma boa convivência entre Alma e Personalidade.
Em muitas ocasiões é preciso buscar ajuda e enten-
dimentos para saber das desarmonias e até doenças con-
sequentes dos Raios. Com ajuda da radiestesia, gráficos
específicos de avaliações, formas de tratamentos e auto-
conhecimento, mais à frente disponíveis, é possível uma
vida física, emocional e espiritual saudável.

Nota: Na pesquisa para tratamentos buscando or-


ganizar, harmonizar e conciliar corpos e seus Raios, foi
indicado ao Sr. Manoel buscar equilíbrios através do rei-
no mineral. No caso dele, a pesquisa indicou três pedras:
Lápis Lázuli, Turmalina Melancia e Lepidolita.
Há duas formas de tratamentos. Uma delas é man-
ter as pedras depois de bem limpas dentro de um jarro
com água, preferencialmente água mineral, e tomar vá-
rias vezes ao dia, principalmente pela manhã e ao deitar,
durante quatro meses. Vencido esse prazo, nada impede
continuar, apenas reforça.

73
Orivaldo A. Scaldelai

Outra forma de tratamento, que pode ser levado


juntamente com o anterior, é levar essas pedras junto
ao corpo pelo mesmo período já mencionado. Deve ter
o cuidado de limpar essas pedras. Aquelas mantidas na
água devem ser lavadas a cada dez ou quinze dias, e aque-
las levadas junto ao corpo devem ser lavadas diariamente.
Podem ser lavadas apenas na água corrente e postas ao Sol
pela manhã, entre sete e onze horas.

74
Radiestesia – Linhagens e Raios

• Relatório 5: Avaliação Sintética: Linhagens e Raios


Nome: Wagner Gomes Munhoz.
Nasc.: 20/12/1978 – Profissão: Analista – São Paulo

75
Orivaldo A. Scaldelai

Linhagem: Sábios e Profetas


Raio da Alma: Segundo Raio (Amor – Sabedoria)
Raio da Personalidade: Terceiro Raio (Atividade
Inteligente)
Raio do Corpo Mental: Quarto Raio (Harmonia
Pelos Opostos)
Raio do Corpo Astral: Terceiro Raio (Atividade
Inteligente)
Raio do Corpo Etérico/Físico: Sexto Raio (Devo-
ção e Entrega)
Alma Flui pelo Corpo: Astral
Personalidade Flui pelo Corpo: Mental

Predominância: Dos Raios de Amor – Sabedoria (se-


gundo – quarto – sexto). Podem trazer um certo isolamento:
Características de união, energia do amor prevalece
sobre a vontade poder.
Alma de segundo Raio e Personalidade de terceiro,
leva a tomar decisões com contrariedades e isolamentos; a
personalidade tem um predomínio criativo voltado para
atividades, habilidades e técnicas.
Aspectos positivos: predomínio de Segundo Raio:
sabedoria com amor, beleza interior, união, fidelidade,
lealdade, autossacrifício, harmonia, equilíbrio, discerni-
mento, percepção, intenção única.
Aspectos negativos: predomínio de Segundo Raio:
individualismo, ódio, fracasso, exposições, melancolia,
vida descuidada.
Aspectos da linhagem pertencente: uma tendência
natural, características de ser um instrutor, sempre com

76
Radiestesia – Linhagens e Raios

apoio dos raios como ferramentas de execução. Uma fa-


cilidade em passar informações, principalmente de aspec-
tos ligados aos Raios predominantes, e com forte apelo
do terceiro Raio, que é o de criatividade e adaptabilidade.
Nota: essa exposição foca de forma sintética as carac-
terísticas de Linhagem e Raio do pesquisado, Wagner. Em
páginas anteriores, esse trabalho dispõe todas as caracte-
rísticas de cada raio envolvido em todos aspectos de vida.
Os Raios são ferramentas que colocam uma ener-
gia à disposição. Suas aplicações de caráter vão depen-
der de cada envolvido. Servirá sempre de base para
percorrer um caminho buscando saúde, harmonia,
prosperidade e elevação evolutiva.

77
Orivaldo A. Scaldelai

Tratamento para dar suporte aos corpos e seus raios

– Pesquisando quais Raios para apoio: Primeiro e


Sétimo Raio.
– Elementos da natureza que irradiam os Raios ne-
cessários: Florais e Pedras.

FLORAIS: os pesquisados necessários que emanam


Primeiro e Sétimo Raio. São eles: Artemísia; Ícaro, Sinap-
ses e Calêndula Silvestre.

PEDRAS: após pesquisas na relação indicativa de


pedras e seus Raios, usando a Radiestesia, ficou indicado:
Lápis Lázuli, Topázio Dourado e Turmalina Melancia.

“Carregar junto ao corpo por um período de 120 dias,


depois disso apenas eventualmente ou em ocasiões especiais.
As pedras devem ser lavadas todos os dias em água corrente
comum, durante três minutos.’’

78
Radiestesia – Linhagens e Raios

Os raios nos reinos da natureza

Os Raios se fazem presentes em todas as manifesta-


ções da natureza, conotando certos temperamentos ins-
tintivos que impelem as direções, buscando a perfeição.
Apresentaremos a seguir um estudo do homem, seus
comportamentos e suas relações com outros reinos sobre
os quais tem dependências. Há interdependências entre
os elementos da natureza e buscas de equilíbrios entre to-
dos, os quais quando desarmonizam no homem, o levam
a estados psicológicos desequilibrados, causando doen-
ças, e não avançando por uma linha espiritual estrutura-
da como um caminho a vencer.
Quando feita a avaliação de uma pessoa, como as já
apresentadas anteriormente, não basta apenas indicar as
dificuldades relevantes existentes, mas é preciso apresentar
ao envolvido na pesquisa uma forma de buscar equilíbrio.
O próximo capítulo aborda técnicas de trabalhos
que indicam tratamentos através dos Raios presentes em
todas as formas nos reinos da natureza.

79
Orivaldo A. Scaldelai

Tabela dos raios com os sete


temperamentos humanos

80
Radiestesia – Linhagens e Raios

81
Orivaldo A. Scaldelai

82
Radiestesia – Linhagens e Raios

83
Orivaldo A. Scaldelai

84
Radiestesia – Linhagens e Raios

85
Orivaldo A. Scaldelai

86
Radiestesia – Linhagens e Raios

Capítulo II
Linhagem e raios

A busca da cura

Cura – “No homem pode ser definida como o


estado de harmonia que surge da integração da
vontade individual na vontade espiritual e cósmi-
ca presente no interior do seu ser. É a transforma-
ção da matéria segundo seu padrão arquetípico”
Glossário Esotérico – Trigueirinho –
Ed. Pensamento

Fica muito claro na mensagem acima que doenças


são desarmonias e transições geradas a partir de exigên-
cias evolutivas, que têm como modelo os Raios, os quais
por suas características próprias e na forma para cada ser
modelam formas arquetípicas a cada indivíduo. Na de-
formação das forças impelidas pelos Raios surgem as do-
enças, que nada mais são que alertas no ser afetado.
Max Heindel, no livro “Conceito Rosacruz do
Cosmos”, diz: “Todo mal é um bem em gestação”.

87
Orivaldo A. Scaldelai

Aí está dito em poucas palavras, não existe um mal


por si único e definitivo, mas um estado, tentando se
organizar buscando perfeição.
Aqui vamos propor formas de buscar equilíbrios co-
locando vontade e amor na síntese dos Raios. Os meios
que mostraremos a seguir são formas que trazem em seu
bojo energias dos Raios que, bem pesquisadas e acertada-
mente colocadas, atuam como forças de poderoso auxí-
lio às pessoas que buscam ajudas para curas. A natureza,
por meio dos reinos mineral e vegetal, dispõe ao homem
energias dos Raios, disponibilizando forças capazes de al-
terar rumos, beneficiando o homem; basta saber como
identificar nos reinos tais ajudas corretamente.
O planeta Terra entra em um ciclo importante e
muito favorável para curas. O Sétimo Raio está in-
fluenciando com muita ênfase a fusão, síntese e ma-
terializações. Há uma grande facilidade na unicidade
a propósitos elevados quando buscados com vontade,
amor e elevação. Temos um cenário montado para sín-
teses e meios de curas com influências diretas do Séti-
mo Raio – disciplina, vontade, organização –, modelos
que permitem facilidades nos trabalhos e sintetizam
uma direção e proposta oportuna.
O reino mineral é diretamente influenciado pelo Sé-
timo Raio. Sua organização e simetria na formação dos
cristais provam isso, demonstram materialmente a ordem e
disciplina nas formas. É com eles que vamos trabalhar, tam-
bém, buscando seus respectivos Raios de influências, que
nos ajudarão, com auxílio da radiestesia, a encontrar curas
para aqueles que procuram por esse meio harmonizarem-se.

88
Radiestesia – Linhagens e Raios

Pela Radiestesia é possível identificar o Raio, ou


mais de um, a que uma pedra emana e está ligada. Em
uma pedra podem ser encontrados dois ou mais Raios de
influência. Recebe influência mais forte de um Raio em
relação aos demais coligados, sub-Raios, que ajudarão na
correção de distorções existentes.
O que foi dito anteriormente relativo às pedras tam-
bém é válido para essências florais, ervas e alimentos.
Mostramos a seguir um modelo de gráfico que
chamamos de I.R. – Identificador de Raios – e como se
trabalha com ele buscando respostas, ou seja, com um
pêndulo convencional usado em radiestesia. Como iden-
tificar a que Raio uma determinada pedra, essência, erva,
alimento e outros está conectado e influenciado.
O gráfico IR: um círculo dividido em oito partes fa-
tiadas iguais, sendo sete fatias destinadas ao símbolo dos
Raios – do primeiro ao sétimo Raio – e uma ultima des-
tinada a colocar o testemunho ou objeto a ser pesquisa-
do para identificação do seus Raios, o principal e demais
sub-raios. Adiantamos que na posição do testemunho da
pessoa em pesquisa também pode ser colocada qualquer
forma natural, mineral, vegetal ou derivados, com o obje-
tivo de identificar os Raios. É conveniente esclarecer que
se pesquisa um objeto por vez. Produtos industrializados
não são passíveis de avaliações.

89
Orivaldo A. Scaldelai

Pesquisa

Como pesquisar com o ir

IR = Identificador de Raios

90
Radiestesia – Linhagens e Raios

Ter disponível, além do I.R., um pêndulo e um


ponteiro.
Coloque o objeto da pesquisa no ponto T (testemu-
nho). Nas demais fatias há, em sequência, os Sete Raios,
que, iniciando pelo primeiro Raio, à esquerda do radies-
tesista, inicia a pesquisa.
Operação pesquisa: Coloque o dedo indicador da mão
livre, ou com a mesma mão, usando um ponteiro, sobre o
primeiro Raio e faça a pergunta, identificando, reconhecen-
do o objeto colocado sobre o T, o objeto como uma pedra,
ou outros, pelo nome, como, por exemplo, ametista.
“Essa ametista pertence ao primeiro Raio?” Caso o
pêndulo gire indicando que não (muitos identificam giro
à esquerda na resposta negativa), vá ao segundo Raio com a
mesma pergunta: “Essa ametista pertence ao segundo Raio?”
O giro do pêndulo, a resposta, pode ser sobre o T ou mesmo
fora da área do gráfico, mas tendo o T sob atenção/obser-
vação. Assim sucessivamente, até o pêndulo indicar o sim.
Essa operação é válida para identificar qualquer for-
ma da natureza. Identificado, se deve catalogar o objeto.

91
Orivaldo A. Scaldelai

Outra forma de pesquisa, que considero menos segura,


é colocar o objeto de pesquisa no local correto (T) e lançar
o pêndulo sobre o gráfico, perguntando a qual Raio aquele
objeto pertence, como no exemplo anterior. O pêndulo in-
dicará a fatia com o respectivo Raio respondendo à pergunta.
É recomendável fazer a pesquisas nas duas formas
propostas, assim possíveis dúvidas ou confirmações serão
observadas, dando mais segurança ao radiestesista. Esse
trabalho é para quem tem certa prática em radiestesia e
busca pesquisar com total isenção nas respostas.
Também é possível identificar os Raios de uma pe-
dra, um ou mais, com o uso da prática de radiestesia por
ressonância. Essa técnica também exige certo conheci-
mento e prática, é a mesma técnica usada na Radiestesia
Cabalística, que é muito segura.
O pêndulo usado na radiestesia por ressonância é de
madeira, com formato cilíndrico, um furo passante de um
lado a outro nos polos achatados, e em um dos polos gra-
va-se dois traços paralelos com o furo no meio, por onde
passa um fio que manterá o pêndulo livre suspenso pelo
radiestesista. Esse pêndulo é totalmente neutro no sentido
de polarização. Na parte arredondada do pêndulo fixa-se o
que chamamos de camisa – um retângulo de papel –, nele
gravado o símbolo de cada Raio com seu respectivo nome
em hebraico, do primeiro ao sétimo. Assim temos um total
de sete pêndulos prontos para pesquisas.
Coloca-se o pêndulo, um por vez, sobre o elemento
pedra ou outros, e quando o pêndulo girar naturalmente
então estará identificado o Raio, ou mais de um, até três,
que influenciam o objeto em pesquisa.

92
Radiestesia – Linhagens e Raios

Pêndulos Hebraicos

Como pesquisar com pêndulos neutros usando


camisas com letras Hebraicas
Em local apropriado, sobre uma mesa ou superfície,
coloca-se o objeto – pedra, essência, alimento ou ervas – a
ser pesquisado. Se o Raio escrito em Hebraico na camisa do
pêndulo tem ligação por ressonância, no caso aqui exem-
plificado com uma pedra, então vibra e gira sobre o objeto.
No caso de uma pedra, coloca-se o pêndulo que te-
nha a identificação de um Raio sobre a pedra e espera um
tempo, uns vinte ou trinta segundos, pela movimentação
do pêndulo, em geral movimentos circulares. Se após um
tempo de espera o pêndulo permanecer imóvel, então
não houve identificação, isso quer dizer que o objeto da
pesquisa não pertence àquele Raio indicado.
É bom começar sempre pelo primeiro Raio para se-
guir uma ordem natural. Feita a primeira tentativa com
primeiro Raio e não conseguido resultado pelo movi-
mento pendular desejado, vá para o segundo, assim na
ordem até que o pêndulo gire no sentido horário. Feito
isso, haverá a identificação do Raio influente.
Na sequência, pesquise a possibilidade de mais de
um Raio estar presente no objeto. É possível dois ou mais
Raios presentes. Por exemplo, a turmalina preta tem três
Raios na seguinte ordem de influência: terceiro, sétimo e
quarto. O quartzo claro recebe influência do sétimo e do
segundo Raio, pela ordem. O olho de tigre é influencia-
do, pela ordem, pelos terceiro, primeiro e quarto Raios.
Para pesquisar qualquer elemento natural, aplicam-
-se essas sequências.

93
Orivaldo A. Scaldelai

1º Raio 2º Raio

3º Raio 4º Raio

5º Raio 6º Raio

7º Raio

94
Radiestesia – Linhagens e Raios

O raio de cura e harmonia

A cura harmonizadora de uma pessoa através dos


conhecimentos e aplicações dos Raios começa pela indi-
cação do veículo portador da manifestação do Raio bus-
cado para a questão. O veículo meio para a harmonização
e cura pode estar entre os minerais, nos vegetais ou ainda
com o uso de ambos. Por vezes, um completa o outro.
Propomos, através de um gráfico próprio, o IC (In-
dicador para Cura) buscar radiestesicamente uma res-
posta para a melhor indicação ou em uma sequência de
indicação pós outra:

Como pesquisar com o gráfico IC:


O gráfico tem quatro indicações, sendo uma do rei-
no mineral, pedras, e as demais pertencentes ao reino ve-
getal, essências florais, ervas e alimentos. Depois de feita
a seleção, uma ou mais indicações, na sequência do pre-
sente trabalho, encontram-se disponíveis relações das pe-

95
Orivaldo A. Scaldelai

dras com variações e indicações de seus respectivos Raios,


como também relações das essências florais, ervas e ali-
mentos, como é sabido, pertencentes ao reino vegetal.
A pesquisa dá-se na seguinte ordem: com o gráfico IC
disponível (veja figura), coloca-se na posição do T (testemu-
nho em questão), lança-se o pêndulo perguntando qual dos
itens do gráfico é o mais indicado para a “harmonização/
cura”, referindo-se a pedras, essências, ervas ou alimento. O
pêndulo indicará um. Também se pode usar outro método, já
explicitado anteriormente, colocando um dedo ou ponteiro
sobre cada um dos itens do IC, fazendo a pergunta pertinente.
Se indicado pedra, busca-se a indicação da pedra espe-
cífica, qual a apropriada que deverá ser escolhida por pesqui-
sa em uma relação constante do presente livro. Cada nome
identifica uma pedra juntamente com o Raio, nas colunas
e na sequência, ou mais de um, que influenciam e emanam
da pedra indicada O mesmo se dará com relação às essências
florais, ervas e alimentos, sendo que o processo de escolha
se faz conforme procedimentos vistos na escolha das pedras.
Alerta-se que o elenco de pedras relacionadas é uma
boa indicação, mas não definitiva, considerando o uni-
verso de pedras existentes e catalogadas. O mesmo se dá
com relação às essências florais. Colocamos no presente
trabalho uma relação das Essências Florais de Minas, que
é conhecida e pesquisada.
Também lembramos quanto à diversidade de pro-
dutores de essências florais, aqui apresentaremos apenas
uma delas, mas existem outras no mercado. Com relação
às ervas e alimentos, será dada também uma relação des-
ses produtos com seus respectivos Raios.

96
Radiestesia – Linhagens e Raios

A pesquisa: pedra, essências, ervas


ou alimentos necessários

As relações com produtos e seus respectivos Raios


inseridos neste livro dão ao leitor um pequeno univer-
so não definitivo. O leitor radiestesista pode pesquisar
sempre que precisar qualquer produto natural e fazer
uma leitura dos Raios dos quais os produtos em pesquisa
emanam. Lembramos que as pesquisas são válidas para
produtos naturais; os industrializados ou manufaturados
por estarem com sua natureza alterada perderam as carac-
terísticas em relação aos seus Raios, então a pesquisa não
acontece, o pêndulo não gira naturalmente. No caso dos
pêndulos hebraicos e com os pêndulos convencionais, ele
sempre dará uma resposta negativa.
De posse das listas, nas quais inserimos os elementos
para pesquisas, vamos encontrar a identificação de cada ele-
mento, dois ou três Raios nas respectivas ordens de emana-
ções, e uma última coluna da mesma linha, um espaço para
ser indicado por um ponteiro que conjuntamente com um
pêndulo convencional fará a pesquisa a que se propõe.
Para executar essa tarefa de pesquisas, propomos
uma sequência para facilitar os trabalhos:

A – Ter em mãos o IC (gráfico Indicador de Cura),


juntamente com o gráfico IR (Indicador de Raios).

B – Coloque o testemunho na base do IC, local in-


dicado T, lance o pêndulo e faça a pergunta: qual elemen-
to o fulano (repetir o nome indicado no T) necessita para

97
Orivaldo A. Scaldelai

se harmonizar? O pêndulo deverá indicar um entre os


quatro. Repetir a pergunta para confirmação.

C – Encontrada a primeira resposta, repetir a per-


gunta para um segundo elemento e na mesma forma do
anterior. Evidente que teremos três elementos, já que um
foi escolhido. O pêndulo pode negativar a resposta, então
só o primeiro elemento será considerado. Caso indique
mais um, teremos dois elementos para prosseguir nas pes-
quisas. É possível ter mais um, porém é raro.

D – Encontrados os elementos para trabalhar harmo-


nizações e de posse das respostas, será necessário pesquisar
no gráfico IR qual ou quais os Raios harmonizadores para
a pessoa do testemunho. O normal será dois ou três, tendo
em mente que os Raios surgirão na ordem das necessida-
des: o primeiro será sempre o mais necessário, e os demais
na ordem que surgem nas respostas, no máximo três.

E – Temos então os elementos e os Raios.

F – De posse das relações dos elementos pesquisados


no gráfico IC, vamos buscar por leitura quais os nomes
de produtos ali listados que possuem os três Raios, ou no
mínimo dois dos pesquisados, os quais serão selecionados
por radiestesia se atendem as necessidades.

G – Encontrados os produtos com os respectivos Raios


procurados, a seleção será feita radiestesicamente, na seguin-
te forma: na última coluna na linha dos nomes e Raios há

98
Radiestesia – Linhagens e Raios

um espaço no qual se colocará um ponteiro indicador e se


fará a pergunta se aquele produto atende a harmonização
que se procura. Se o pêndulo girar indicando que sim, ou
seja, no sentido horário, está confirmada a escolha, se apon-
tar que não, giro anti-horário, abandona-se aquela escolha.

H – Depois de escolhidos, tirados de cada rela-


ção, uma nova seleção pode ser feita, porque ali estão
todos, e alguns se assemelham, logo, alguns podem
ser eliminados simplesmente pelo mesmo processo
radiestésico: quais os que permanecem como escolhi-
dos e quais serão descartados, já que entre as primei-
ras escolhas há assemelhados.

Os escolhidos podem variar de sete a oito essências


florais, como também as pedras, ervas e alimentos.
Para saber a quantidade a ser ingerida, como gotas
de essências florais, doses de chás preparados pelas er-
vas, elixires de cristais e alimentos, é preciso pesquisar
com pêndulos. Serão dados, além da quantidade, os es-
paços de tempos entre uma dosagem e outra e quantos
dias ou meses serão necessários. Recomenda-se repetir
as pesquisas no final de cada tratamento, e reparar mais
necessidades ou reforços específicos.
As essências florais são normalmente manipuladas
em farmácias especializadas; as ervas são adquiridas
com garantia de qualidade com fornecedores idôneos,
os alimentos idem.
Após escolhidas as pedras, preparar o elixir confor-
me orientação a seguir:

99
Orivaldo A. Scaldelai

Escolhidas as pedras, lavar bem, se possível em so-


lução de água, pouco sal e vinagre; colocar as pedras
dentro de uma vasilha de vidro claro ou inox bem lim-
pa juntamente com um litro de água, se possível mi-
neral. Vedar bem e expor ao Sol da manhã pelo menos
por duas horas, entre as sete e onze horas. O elixir deve
ser estocado em uma garrafa azul, bem vedada, com
algumas gotas de álcool de cereais. Deve ser guardada
evitando luz. As pedras devem ser limpas e guardadas
para uma próxima produção.

100
Radiestesia – Linhagens e Raios

Capítulo III
Listagens dos itens para
pesquisa dos raios

1 – Alimentos
2 – Essências Florais
3 – Ervas
4 – Cristais

Os alimentos e os raios

Raios pela
ALIMENTOS * S/N
ordem
Abacate 1 7 4
Abacaxi 1 2 7
Abóbora Madura 4 2 3
Abóbora – Semente 3 5 1
Abobrinha 3 4 2
Acelga 2 5 1
Agrião 6 2 3
Água de Coco 1 4 6

101
Orivaldo A. Scaldelai

Aipo 7 4 5
Alcachofra 7 3 5
Alface 6 3 4
Alho 7 2 3
Alho Poró 2 5 4
Almeirão/Escarola 3 2 1
Ameixa Vermelha 7 4 6
Amêndoa 7 1 6
Amendoim c/ pele 3 5 7
Arroz Integral 6 4 3
Aspargo Fresco 6 5
Aveia – Flocos 7 5 4
Azeite Dendé Industrializado 2 6 3
Azeitona Preta 2 7 1
Azeitona Verde 5 4 7
Bambu – Broto 4 2 3
Banana Maçã 6 4 2
Banana Nanica 3 1 5
Banana Prata 4 2 5
Banana Terra 6 4 2
Batata Doce 6 2 7
Batata Inglesa 6 4 1
Beldroega 4 3 5
Berinjela 2 4 7
Bertalha 5 6 4
Beterraba (Folhas) 1 3 2
Brócolis 1 2 5
Café Grão 4 2 3

102
Radiestesia – Linhagens e Raios

Cajamanga 6 7 2
Caju 6 7 1
Caldo de Cana 6 1 3
Cambuquira 2 6 7
Cana de Açúcar 3 1 5
Canjica 3 6 4
Caqui 7 5 6
Carambola 6 2 3
Cará 3 6 1
Castanha de Caju 5 3 6
Castanha do Pará 7 5 2
Cacau 5 3 1
Cebola 5 4 6
Cenoura 3 1 5
Cereja 7 2 4
Cevada 4 6 5
Chá Preto 3 5 2
Chicória 1 4 7
Chuchu 3 6 4
Coco 2 7 4
Cogumelo 6 2 7
Couve Bruxelas 6 1 3
Couve-Flor 7 5 2
Couve Manteiga 5 2 6
Ervilha 6 7 5
Escarola 6 3 1
Espinafre 6 7 3
Farinha de Centeio 6 3 5

103
Orivaldo A. Scaldelai

Farinha de Trigo 3 1 4
Fava 3 5 2
Feijão Branco 4 6
Feijão – Broto 6 5 4
Feijão Carioca 5 3 7
Feijão Preto 4 6 7
Figo 5 3 2
Framboesa 5 6 2
Fruta do Conde 1 4 6
Fruta Pão 3 2
Gergelim Semente 4 6 2
Germe de Trigo 6 2 3
Goiaba 5 3 1
Grão de Bico 2 4 2
Guaraná Semente 1 2 4
Inhame 2 3 4
Jabuticaba 5 7 2
Jaca 4 2 1
Jambo Rosa 2 6 7
Jiló 6 4 2
Laranja 3 6 4
Leite de Cabra 5 4 3
Leite Vaca Integral 6 2 4
Lentilha 3 4 2
Levedo de Cerveja 5 6
Levedura 2 4 3
Lima da Pérsia 3 1 4
Limão 6 5 4

104
Radiestesia – Linhagens e Raios

Maçã 2 3 5
Mamão 2 4 1
Mandioca 5 2 6
Mandioquinha 1 3 7
Manga 4 2
Maracujá 7 3 5
Melancia 1 2 4
Melão 6 1 3
Milho Verde 3 5 7
Mexerica 6 1 2
Morango 6 2
Mostarda 6 2 3
Nêspera 6 1 3
Nabo 3 5 2
Noz 4 6 3
Palmito 2 6 4
Pepino 3 4 1
Pera 3 2 5
Pêssego 6 5 3
Pimenta Fresca 2 1 6
Pimentão 6 5 2
Quiabo 4 3 6
Rabanete 2 3 5
Repolho 2 1
Romã 4 6 7
Salsa 5 3 7
Semolina 2 1 6
Serralha 6 5

105
Orivaldo A. Scaldelai

Soja Broto 2 1 5
Soja em Grão Seco 2 4 3
Tamarindo 6 2 3
Tangerina 5 4 3
Tomate 5 2 3
Tremoço 2 1
Trigo Grão Inteiro 2 1
Uva 1 5 4
Vagem 5 3 2
*S = sim / N = não

106
Radiestesia – Linhagens e Raios

Essências florais de minas e os raios

Raios pela
ESSÊNCIAS *S/N
ordem
Agave (Agave americana) 5 6
Ageratum (Ageratum
5 7 2
conyzoides)
Aleluia (Oxalis corniculata) 2 4 7
Althaea (Althaea rósea) 5 4 3
Ambrosia
2 3 6
(Chenopodiumambrosioides)
Anil (Indigofera anil) 2 3 7
Aristolóquia (Aristoloquia
3 4
brasiliensis)
Arnica Campestre
2 1 6
(Chionolaena latifolia)
Artemísia (Artemisia vulgaris) 7 1 5
Basilicum (Ocymum basilicum) 4 3
Bipinatus (Cosmus Bipinatus) 5 7 6
Borragine (Borago officinalis) 4 6 7
Calêndula Silvestre (Calendula
3 7
arvensis)
Camelli (Camelia japonica) 4 2 6
Cassia (Cassia alata) 1 4 6
Cauliflora (Myciaria cauliflora) 2 6 3
Chicorium (Chicorium intybus) 7 6 4
Dianthus (Dianthus
3 7
caryophyllus)
Emilia (Plumbago capensis) 1 4 7
Eucalyptus (Eucalyptus
6 2 7
globulus)

107
Orivaldo A. Scaldelai

Ficus (Ficus carica) 6 2 7


Foeniculum (Foeniculum
6 5
vulgare)
Fortificata (Bauhinia fortificata) 6 3
Fuchsia (Fuchsia sp) 5 6 3
Helianthus (Helianthus annuus) 2 6
Heliotropium (Heliotropium
4 1
peruvianum)
Hibiscus (Hibiscus Rosa) 4 7 6
Icaro (Tagetes minuta) 1 7 5
Ignea (Pyrostegia ignea) 5 1 4
Impatiens (Impatiens
4 7
balsamina)
Ipomea (Ipomea cairica) 6 2 1
Jasminum (Jasminum officinale) 1 4 3
Lacrima (Hedychium
5 3 7
flavescens)
Lantana (Lantana camara) 4 1 3
Lavandula (Lavandula
7 4 5
officinalis)
Lilium (Lilium longiflorum) 2 4 6
Luceris (Euphorbia brasiliensis) 2 7 5
Madressilva (Lonicera
5 2 1
caprifolium)
Malus (Malus pumila) 5 6
Margarites (Chrysanthemum
1 4 3
maximum)
Matricaria (Matricaria
2 7 3
chamomilla)
Millefolium (Achilea
2 6 4
milefolium)

108
Radiestesia – Linhagens e Raios

Mimosa (Mimosa puddica) 6 5 3


Mirabilis (Mirabilis jalapa) 5 4
Momordica (Momordica
5 7 3
charanthia)
Myosotis (Myosotis sp) 7 6 2
Nicociana (Nicotiana tabacum) 5 3 1
Orellana (bixa orellana) 7 2 6
Origanum (Origanum
7 4 3
majorana)
Passiflora (Passiflora edulis) 1 4 2
Pastoris (Zeyheria montana) 4 3
Phyllanthus (Phyllanthus
6 1 5
niruri)
Pinus (Pinus elliottii) 5 7
Piperita (Mentha piperita) 2 3 1
Plantago (Plantago major) 5 3 7
Psidium (Psidium virescens) 6 7 1
Rosa Canina (Rosa Canina) 5 6 2
Rosmarinus (Rosmarinus
4 2 5
officinalis)
Ruta (Ruta graveolens) 7 6 2
Salvia (Salvia officinalis) 7 2 3
Sambucus (Sambucus australis) 6 7 1
Sempervivum (Helichrysum
3 1 6
bracteatum)
Silene (Silene armeria) 6 2 1
Sinapsis (Sinapsis arvensis) 5 7 1
Sonchus (Sonchus oleraceus) 2 4 7
Tabebuia (Tabebuia
6 7
chrysitricha)

109
Orivaldo A. Scaldelai

Tagetes (Tagetes pátula) 2 1 5


Taraxacum (Taraxacum
2 3 6
officinale)
Thumbergia (Thumbergia alata) 2 6 1
Trimera (Baccharis trimera) 1 6 3
Tropaeolum (Tropaeolum
3 4 1
majus)
Verbenacea (Cordia verbenácea) 1 7 2
Vernonia (Vernonia polyanthes) 7 3 6
Vervano (Stachytarpheta
3 2 6
dichotoma)
Viola (Viola odorata) 5 3 1
Zante (Zantedeschia aethiopica) 7 6
Zinnia (Zinnia elegans) 5 2
*S = sim / N = não

Nota: outras essências de produtores diferentes po-


derão ser também pesquisadas e agregadas ao trabalho.

110
Radiestesia – Linhagens e Raios

Raios pela
ERVAS *S/N
ordem
Abacateriro 5 4 6
Abatua-Coculos 6 3 4
Agoniada 4 2 5
Alcaçuz 4 5 2
Alcachofra 6 4 2
Alecrim 3 2 5
Alecrim do Campo 5 6 7
Alfafa 5 6 2
Alfavaca 3 2 6
Alfazema 5 2 7
Algodoeiro 5 4 6
Ameixa Folhas 5 7 6
Angélica 6 2 4
Angico 5 3 2
Anis Estrelado 5 3 4
Amor do Campo 2 1 5
Aquileia – Mil Folhas 4 5 1
Arnica 3 1 5
Arueira 5 6 7
Arruda 5 6 3
Artemísia 4 5 3
Assa Peixe 4 2 3
Avenca 5 6 3
Bálsamo 1 4 5
Barbatimão 2 4 5

111
Orivaldo A. Scaldelai

Bardana 3 4 1
Batata de Purga 2 5 4
Betula 4 2 6
Boldo do Chile 3 4 1
Buchinha do Norte 5 6
Bugre Congonha 2 4 5
Cabreuva 4 6 7
Cactus 2 4 3
Cajueiro 3 1 2
Calêndula Flor 3 4 6
Cambará 4 5 6
Cambuí 4 2 1
Camomila 2 1
Cana do Brejo 2 5 3
Canela 1 3 5
Capim-Cidrão (Erva Cidreira) 2 3 5
Capim Rosário 5 3
Carapia 5 6 3
Cardo Santo 2 1
Carqueja Doce 2 4 6
Carrapicho 1 4 6
Carobinha 1 5 4
Cáscara Sagrada 4 2 3
Casca D’Anta (Abóbora) 2 5 4
Casca de Iburana 3 5 2
Casca de Laranja 4 2
Castanha da Índia 2 3 5
Catinga de Mulata 5 4 1

112
Radiestesia – Linhagens e Raios

Catingueira 2 5 6
Catuaba 5 6 1
Cabalinha 3 6 7
Cedro 3 1 2
Centáurea (Fel da Terra) 5 4 1
Centella Asiática 4 3 5
Chá Preto 1 5 3
Chapéu de Couro 5 6 3
Chapéu de Napoleão (AGL) 2 3 2
Cinco Plantas 5 6 7
Cipestre 3 5 1
Cipó Azougle 2 1 3
Cipó Cabeludo 6 7 3
Cipó Caboclo 3 2 1
Cipó Cravo 3 2 1
Cipó Cruz Cainca 1 2 3
Cipó Cruzeiro 5 6 7
Cipó Prata 4 6 7
Cipó Suma 4 3 2
Coentro Grão 2 1
Coronha (Olho de Boi) 2 1
Curumã 2 5 7
Damiana 2 6 4
Dente de Leão 2 6 3
Douradinha 3
Endro Dill 5 4 1
Erva Baleeira 3 4 2
Erva de Bicho 2 1 5

113
Orivaldo A. Scaldelai

Erva Doce 2 3 1
Erva Passarinho 2 5 7
Erva Santa Maria 2 1 3
Erva São João (Mentras) 1 3 4
Erva Tostão (Pega-Pinto) 5 3 2
Espinheira Santa 2 5 7
Estigma de Milho 5 6 3
Eucalipto 2 1
Fava de Santo Inácio (GE) 2 1 6
Fedegoso 5 6 4
Feijão Guandu 2 4 6
Feno Vesiculosus 2 4 3
Funcho 4 2 3
Garra do Diabo 5 6 3
Genciana 5 6 7
Gervão 2 4 6
Gengibre 4 5 2
Goiabeira – Casca/Folha/Broto 4 6 7
Graviola 2 4 1
Guaco 1 2 5
Guaraná 2 4 3
Guassatonga 4 1 3
Hamamelis 6 7 3
Hortelã 5 3 1
Hissopo 4 6 2
Imburana Sementes 5 2 1
Ipecacuanha 2 3 1
Ipê Roxo; Pau D’Arco 2 3 5

114
Radiestesia – Linhagens e Raios

Jambo 1 5 4
Jambolão 2 3 6
Japecanga 2 1 5
Jasmim Flor 1 5 4
Jatobá 2 4 1
Jarrinha 3 5 4
João da Costa 2 4 5
Juá 4 5 2
Jurema Preta 2 1 7
Jurubeba 5 2 7
Kumell 4 5 3
Levante 4 2 6
Limão Bravo 3 6 2
Limão Galego 3 5 6
Limão Thaiti 3 6 4
Linhaça 5 7 4
Lobelia 3 5 6
Losna 5 3 4
Lótus 6 7 4
Louro 2 4 3
Lúpulo 4 6 2
Maçã 5 3 4
Macela 5 6 3
Malva Branca 6 7 4
Mamica de Cadela 2 4 1
Manjericão 1 2 3
Maracujá 6 7 5
Marapuama 3 5 1

115
Orivaldo A. Scaldelai

Maria Preta (Erva Mour) 6 4 2


Mate 3 1 7
Melão de São Caetano 1 6 7
Melissa (Erva Cidreira) 6 3 4
Mentruz (Mastruço) 1 4 5
Menta 2 5 1
Mil Homens 3 6 5
Mulungu 5 6 1
Mutamba 1 5 6
Nogueira 6 1 4
Noz Moscada 6 3 1
Nó de Cachorro 6 7 5
Oliveira 7 6 1
Pacova 6 7 5
Panaceia 6 1 3
Parietária 6 7 1
Pariparoba 4 1 6
Parreira Brava 4 5 2
Pau D’Alho 1 6 7
Pau Ferro 5 1 6
Pau Pereira 7 1 5
Pau Santo (Guaico) 6 7 1
Pau Tenente (Quassia) 6 7 1
Pata de Vaca 7 1 5
Peroba 1 6 5
Picão 4 5 2
Pimenta de Macaco 2 6 1
Pitanga 4 2 1

116
Radiestesia – Linhagens e Raios

Pixuri 5 6 2
Poejo 6 7 5
Pulmonária 6 2 4
Pulsatila 4 2 1
Quebra-Pedra 3 1 5
Quinaquina 2 6 4
Quixaba 2 6
Romã Casca 6 7 1
Rosa Branca 4 6 1
Rosa Rubra 1 2
Rosella (Hibiscus) 5 7 1
Rubi 1 3
Ruibarbo 4 6 2
Sabugueiro Flor 4 1 2
Saco Saco Araruama 5 6 2
Saião 1 5 6
Sálvia 1 2 7
Salsaparrilha 1 2 7
Samambaia 7 1 4
Sassafraz 5 1 6
Sene Folhas (Folículos) 6 1 2
Sete Sangrias 2 5 6
Stevia 3 1 6
Sucupira Semente 2 6 4
Tansagem 2 5 1
Taiuia 3 5 6
Tília 3 1 5
Tiririca 2 7 3

117
Orivaldo A. Scaldelai

Tomilho 5 4 1
Umbauba 3 5 7
Unha de Gato 1 5 7
Unha de Vaca 4 2
Urtiga 3 5 1
Urucum 5 1 4
Uva Ursi (Ursina) 1 5 7
Valeriana 3 6 1
Velame do Campo 1 2
Verbrasco 2 5
Verbena 4 1 5
Zedoaria 6 1 2
Zimbro 3 1 6
*S = sim / N = não

118
Radiestesia – Linhagens e Raios

As semipreciosas e cristais

Raios pela
PEDRAS *S/N
ordem
Ágata de Fogo 3 5
Ágata 3 5
Ágata Azul 3 4 1
Ágata Musgo 3 2 1
Ágata Negra (Projetiva) 3 5 4
Água Marinha 4 2 1
Alexandrita 4 2 3
Antimonita 2 1
Amazonita 1 5 3
Âmbar (Projetiva) 2 4 6
Ametista (Receptiva) 3 1
Apatita 2 1 6
Azurita 2 7 4
Berilo Amarelo 4 2
Berilo Verde 5 2 1
Calamita 3 5 6
Calcita (Azul) 2 4 3
Calcita (Clara) 1 2
Calcita (Laranja) Projetiva 2 4
Calcita (Rosa) 2 3
Calcita (Verde) Prospectiva 2 1
Calcita (Violeta) 2 1
Calcopirita 2 1 4
Cassiterita 2 1
Cianita 2 1

119
Orivaldo A. Scaldelai

Citrino (Projetiva) 6 3 5
Coral (Receptiva) 3 4 5
Cornalina (Projetiva) 2 5 6
Crisocola (Receptiva) 2 1 4
Crisoprásio (Receptiva) 2 5 6
Cristal Quartzo Azul 3 5
Cristal Quartzo com Rutilos 3 1
Cristal Quartzo com Turmalina 3 1 5
Cristal Quartzo Fumê 2 1 3
Cristal Quartzo Rosa 3 5 1
Cristal Quartzo Transparente 3 5
Cristal Quartzo Verde 3 1 2
Diamante (Projetiva) 1 3 2
Diamante Hekine 2 1
Enxofre 3 2 1
Esmeralda (Receptiva) 3 4
Fluorita (Projetiva) 2 1
Granada (Projetiva) 4 3 5
Heliotrópio ou Jaspe Sanguíneo
2 6 1
(Projetiva)
Hematita (Projetiva) 2 6 3
Hidenita 5 6 7
Jade (Receptiva) 2 1
Jaspes Marrom 6 2 3
Jaspes Verde 2 1
Jaspes Vermelho 2 1
Kunzita (Receptiva) 2 6
Labradorita 1 4 5

120
Radiestesia – Linhagens e Raios

Lápis Lazuli (Receptiva) 1 7 3


Lepidolita 2 1 7
Magnesita 6 4 7
Malaquita (Receptiva) 3 2
Obsidiana (Projetiva) 6 1 5
Obsidiana Marrom 3 6 4
Obsidiana Verde 2 6 4
Olho de Falcão 4 1 2
Olho de Tigre 1 3 5
Olivina ou Peridoto (Receptiva) 1 2 6
Ônix (Projetiva) 2 6 5
Opala (Receptiva e Projetiva) 5 1 4
Pedra da Lua (Receptiva) 3 2 5
Pedra do Sol 3 2 4
Pirita 2 5 3
Rodocrosita 3 5 1
Rodonita 2 1 5
Rubelita 6 1 2
Rubi (Projetiva) 5 3 2
Safira (Receptiva) 2 1
Sodalita (Receptiva) 4 5 2
Sugilita 2 5 1
Topázio Azul 5 1
Topázio Dourado 7 1 3
Turmalina Indicolita (Receptiva)
2 4 5
Azul
Turmalina Rubelita (Receptiva)
2 1 4
Rosa

121
Orivaldo A. Scaldelai

Turmalina Melancia (Receptiva e


1 7 3
Projetiva)
Turmalina Preta (Receptiva) 1 3 5
Turmalina Verde (Receptiva) 1 4 3
Turquesa (Receptiva) 4 1 6
*S = sim / N = não

122
Radiestesia – Linhagens e Raios

Conclusões

Todas as exposições aqui têm objetivos claros de


exaltar como os Raios como se manifestam no sistema
cósmico a qual pertencemos, juntamente com o que cha-
mamos com vida ou não. Sem os Raios atuantes não te-
mos a menor ideia de como seríamos junto com tudo
que convivemos. Onde há uma Alma há Raios em ma-
nifestações impelindo modelos para a vida em exercício.
Homens, animais, vegetais, minerais manifestam caracte-
rísticas de seus Raios em manifestações, atuando em seus
veículos manifestantes e de acordo com seu momento
evolutivo categorizados em reinos.
Nos minerais, atua nas formações atômicas mole-
culares, dando características definidas geométricas de
suas construções, tendo principalmente no sétimo Raio
o modelo organizador das configurações conforme as ca-
racterísticas de cada mineral.
Nos vegetais, os Raios promovem organização ca-
racterística para cada vegetação, e impelem os primeiros
tons de sentimentos, o que facilmente observamos em
certas plantas. Na medida da evolução específica de cada
vegetal, conjuntamente com a evolução planetária, certos

123
Orivaldo A. Scaldelai

Raios característicos emanam para dar padrões próprios


a cada espécie de todos os reinos. É muito organizado,
seguindo rígidos padrões do nosso plano físico cósmico.
Pela ordem evolucionária, a seguir aparecem os ani-
mais, com características bem diferenciadas, seguindo
uma organização e tipos para cada espécie/raça, e cada
uma delas ligadas a uma alma grupos. Sem dúvidas, com
fortes atuações do Raios próprios de cada espécie.
Observa-se, por exemplo, que cada raça de cães tem
características semelhantes, e é comum o ser humano
que se intitula ser “o dono do animal” querer alterá-la,
e não raramente de forma danosa. O ser humano tem
uma influência muito atuante sobre os animais domés-
ticos, logo entendemos que os Raios que influenciam a
pessoa responsável por cuidar dos animais exercem in-
fluências de temperamentos comportamentais sobre os
bichos. Por consequência, o animal, que está ai deage
de forma passiva, receptiva agregado a um ser humano
e seus temperamentos. A saúde do animal é dependente
de seu dono ou zelador.
Quanto ao ser humano, dispusemos no presente
livro como encontrar seus Raios e sua Linhagem. A Li-
nhagem atua no indivíduo como facilitadora para execu-
tar certas tarefas na vida, uma vocação muito explícita,
a profissão, a facilidade em entender e desenvolver de-
terminadas ciências e práticas da vida. É estar dentro de
uma profissão com amor, sabedoria e incansável.
As Linhagens entram na vida do homem como uma
espécie de tema, com uma obra a realizar, um roteiro a
seguir; os Raios são as ferramentas de execução. Quando

124
Radiestesia – Linhagens e Raios

as ferramentas são usadas indevidamente, a obra sofre na


configuração, retarda avanços, peca na aparência e pode
acabar desfigurada do projeto inicial.
O estudo das Linhagens e Raios em futuro breve
será referência para estudiosos na área de saúde e terá
grande repercussão na área de psicologia e psiquiatria.
Cabe ao terapeuta estudioso do assunto alertar
quem busca ajuda. É preciso cuidado, atenção e per-
severança ao passar informações, indicações, explica-
ções e remodelação de vida. É preciso entender que
esse assunto, Linhagens e Raios, não domina a cultura
comum. São conhecimentos avançados, às vezes colo-
cados de forma velada à sociedade ou são totalmente
ignorados por muitos. Cabe aos instrutores espiritua-
listas levar esses conhecimentos ao público.
Mas a vontade do homem e sua Alma sempre pre-
valecerá, a atitude final será sempre dele, independen-
temente de outros ou de qualquer aplicação orientativa
terapêutica, caso lhe proponham, porque somente ele
responderá perante o projeto evolutivo dele, partícipe
da humanidade.

125
Orivaldo A. Scaldelai

O radiestesista...

É leitor de movimentos e sinais de uma dança ca-


denciada pendular;
Sabe interpretar nos passos de um pêndulo uma in-
formação codificada;
Sabe decodificar a natureza da informação em forma
de movimentos e sinais;
Não altera um conteúdo, decifra-o simplesmente;
Faz do intrínseco contido no objeto leitura ao comum;
Vê tudo com pureza e retidão de pensamentos;
Não canaliza na busca de informações sentimentos
ou juízos de valores;
Não forma ideia de conteúdo árbitra, pesquisa;
Na serenidade adquire a habilidade de fidelidade
nas respostas;
Não julga, constata;
Não mistifica, é científico;
Não despreza nada, rebusca dentro da mais ínfima
informação;
Revelador do desconhecido, mas, prudente;
Não se comove nem se empolga com os resultados,
é comedido;
Incansável na busca da fidelidade de resultados;
Tem como companhia instrumentos fidedignos;
Faz da geometria instrumento para buscas e soluções;
Fazem dos reinos inferiores da natureza aliados: mi-
nerais, vegetais, animais; dos superiores, inspirações; dos
mestres, exemplos; e a continuidade;
Acredita no que faz;
Tem como objetivo buscar apenas a verdade procurada.

126
Radiestesia – Linhagens e Raios

Bibliografia

Chakras Raios e Radiônica – David V. Tansley DC


Ed. Pensamento

Glossário Teosófico – Trigueirinho


Ed. Pensamento

As Energias dos Raios em Nossas Vidas – Trigueirinho


Ed. Pensamento

Os 7 Temperamentos Humanos – Geoffrey Hodson


Esgostado

O Conceito Rosacruz dos Csmo – Max Heindel


Fraternidade Rosacruz

Os Sete Raios – Ernest Wood


Ed. Pensamento

O Caibalion – Três Iniciados.


Ed. Pensamento

Cura Ocultista – Alice A. Bailey

127