Você está na página 1de 40

CURSO PROFISSIONAL DE

TÉCNICO AUXILIAR DE
SAÚDE

Biologia
Módulo A5-Evolução e
Sistemática
18 H – 24 TEMPOS
Como é que a Ciência e a sociedade têm interpretado a grande diversidade de seres vivos?

Em que diferem os organismos procariontes dos Como podem os contextos socioeconómicos, religiosos ou
organismos eucariontes? políticos influenciar o avanço tecnológico e científico?

Que modelos explicativos existem para descrever a Que argumentos sustentam as perspetivas fixistas que
origem dos organismos eucariontes unicelulares? prevalecem para explicar a diversidade dos seres vivos?

Como se processou a transição de organismos Em que difere o pensamento de Lamarck do pensamento de


unicelulares para organismos multicelulares? Darwin na explicação da evolução dos seres vivos?
Essencial
Em que medida a organização de células em colónias para Que dados auxiliaram Darwin na elaboração da sua teoria
traduz um aumento de complexidade? compreender sobre a evolução dos seres vivos?

Que relação se pode estabelecer entre Que áreas do conhecimento auxiliam na fundamentação do
multicelularidade e diferenciação celular? conceito de evolução?

Que argumentos acrescentou o Neodarwinismo na


consolidação do conceito de evolução?

Unicelularidade e
Mecanismos
multicelularidade
de evolução
CONTEÚDOS
UNICELULARIDADE E MULTICELULARIDADE
01 Unicelulares
Pluricelulares

MECANISMOS DE EVOLUÇÃO
02 Origem das espécie – Fixismo e Evolucionismo.
Lamarckismo, Darwinismo e Neodarwinismo
Processos que contribuem para a evolução das espécies
.
SISTEMAS DE CLASSIFICAÇÃO
03 Critérios de classificação dos seres vivos – critérios
morfológicos, tipo de nutrição, nível de organização estrutural,,
critérios citológicos, critérios bioquímicos

TAXONOMIA E NOMENCLATURA
04 Categorias taxonómicas . Sistema de Whittaker modificado
01 UNICELULARIDADE E
MULTICELULARIDADE
01
Seres unicelulares e seres pluricelulares
Procariontes e eucariontes
Evolução Biológica
Unicelularidade e Multicelularidade

Situação Problemática
Conceito Como é que a Ciência e a Sociedade
estruturante têm interpretado a grande
A célula não pode aumentar diversidade dos seres vivos?
indefinidamente de tamanho.
As organizações coloniais e,
posteriormente, a
multicelularidade foram
soluções eficazes para
ultrapassar esta limitação.
CONCEITO
ESTRUTURANTE
A célula não pode aumentar
indefinidamente de tamanho. As
organizações coloniais e,
posteriormente, a
multicelularidade foram soluções
eficazes para ultrapassar esta
limitação.
AS DIFERENÇAS
ENTRE SERES
PROCARIONTES
E EUCARIONTES.

(A) (B)

Célula Procariótica (A) e Célula Eucariótica (B)


Modelos explicativos para a origem das
células eucarióticas

A transição de
procariontes
para eucariontes

e de

unicelularidade
para
multicelularidade
Modelo Endossimbiótico
Argumentos que o sustentam

Os cloroplastos e as mitocôndrias possuem


dimensões semelhantes aos procariontes
atuais, sendo capazes de se dividir
autonomamente;
São organitos com material genético
próprio que é semelhante ao bacteriano;
Os cloroplastos e mitocôndrias são capazes
de sintetizar as suas próprias proteínas;
Existem muitos genes de origem bacteriana
A hipótese endossimbiótica propõe que:
• as mitocôndrias são o resultado da endocitose de bactérias encontrados nos organismos eucariontes.
aeróbias;
• os cloroplastos são o resultado de endocitose de bactérias
fotossintéticas.
Da unicelularidade à multicelularidade

-Um aumento de tamanho da


célula determina que a superfície
em contacto com o meio exterior
diminua relativamente ao volume,
condicionando a obtenção de
alimentos, a eliminação de
dejetos e a comunicação interna.

- Estes problemas são resolvidos


com o agrupamento de células
para formar organismos de maior
tamanho: inicialmente as colónias
e, finalmente, os verdadeiros seres
pluricelulares.
Para ultrapassar as
adversidades do meio,
organismos da mesma espécie
estabelecem relações
funcionais entre si – as
colónias. Pensa-se que estas
relações e a formação de
colónias tenham estado na
origem da multicelularidade

Várias colónias de Volvox (A). Esquema representativo das células constituintes da colónia (B).

A especialização de A multicelularidade implica


células em organismos
coloniais traduz um
uma maior organização e
aumento de diferenciação celular.
complexidade.
MECANISMOS DE EVOLUÇÃO

Não há consenso sobre as causas da


diversidade dos seres vivos. As teorias
evolutivas explicam essa diversidade
pela seleção dos organismos mais
adaptados, razão pela qual as
populações se vão modificando.
(A) FIXISMO (B)

Teoria aceite como dogma até ao século XVIII e que defende que as
espécies uma vez formadas se mantêm inalteráveis ao longo do tempo.
Explicação fixista para a diversidade de organismos existentes na Terra
(A) e a criação dos animais: quadro de Rafaello (B)
EVOLUCIONISMO

(A)

Contributos para o Teoria surgida no século XIX que considera


evolucionismo (A) e que as espécies atuais resultam de
explicação para a diversidade transformações lentas e sucessivas sofridas
(B) de organismos existentes na pelas espécies ao longo do tempo.
Terra (B).
As diferenças O mecanismo de evolução de Lamarck baseou-se nas leis:
entre o • do uso e do desuso
pensamento • da herança dos caracteres adquiridos
de Lamarck e
Darwin.
A teoria Darwinista de evolução baseia-se na seleção natural
As
diferenças
entre o
pensamento
de Lamarck
e Darwin.

Vídeo “A
viagem de
Darwin”
Argumentos Argumentos Órgãos homólogos – evolução divergente.
Os contributos Paleontológicos Anatómicos Órgão análogos – evolução convergente.
de diferentes
áreas científicas
na
fundamentação
e consolidação
do conceito de
evolução.

Argumentos Argumentos
Embriológicos Bioquímicos
Para os Neodarwinistas existe uma variabilidade intraespecífica nas populações,
sobre as quais atua a seleção natural. Deste modo, as populações são consideradas
unidades evolutivas e existem diversos fatores responsáveis pela variabilidade.
As Exemplos:
populações
como
Selecção Natural
unidades
evolutivas.
Reprodução Sexuada
Migrações
(Meiose e Fecundação)

A meiose
como fonte de
variabilidade
e, por esse
motivo,
promotora da
evolução.

As
populações
Deriva genética
como
unidades Seleção artificial
evolutivas.
A seleção natural dos
organismos é um
processo complexo, UM CASO DE EVOLUÇÃO
demorado e difícil de
estudar.

Contudo, é possível
estudar alguns
exemplos de
evolução recente,
como
uma população de
ratos que habita uma
região vulcânica e que
tem mudado a cor do
pelo, em reposta a
pressões seletivas do
meio.
Documento de trabalho
Neste vídeo, o investigador
Michael Nachman apresenta
o seu trabalho de campo e de
laboratório, identificando os
genes associados à evolução
da cor do pelo das
populações de ratos
estudadas.
Fonte:
www.hhmi.org/biointeractive/making-fittest-natural-selection-and-adaptation

Visualização do vídeo:
Espanhol - https://www.youtube.com/watch?v=f98iDaryPj0
Inglês - https://www.youtube.com/watch?v=sjeSEngKGrg
Exploração do vídeo
1. Quais são as principais cores do dorso e do ventre dos ratinhos, quando o ambiente é
formado por rochas vulcânicas escuras? Explique as diferenças.
Nos ambientes com rochas vulcânicas, os ratinhos possuem um dorso com pelo escuro e uma região ventral com cores
brancas. A cor escura do dorso permite que os ratos fiquem camuflados, reduzindo o risco de serem predados por aves,
como, por exemplo, as corujas e as aves de rapina, que detetam facilmente as diferenças de cor, mesmo à noite. A
região ventral é branca, pois não existe pressão seletiva para ser escura, uma vez que esta região não está à vista das
aves predadoras.

2. Como surgem os ratinhos com pelo escuro a partir de populações com pelo claro?
Mutações nos ratinhos com pelo mais claro originaram ratinhos com pelo escuro (variabilidade intraespecífica). Estes
ratinhos escuros estavam mais camuflados no meio ambiente formado por rochas escuras, sendo menos predados
pelas aves (seleção natural). Como se encontravam mais bem adaptados, reproduziram-se mais e transmitiram as suas
características à descendência (reprodução diferencial). Ao longo do tempo, a população inicialmente formada por
ratinhos com pelo claro sofreu evolução e originou uma população com pelo mais escuro.

3. As mutações referidas no vídeo são prejudiciais aos ratinhos?


As mutações identificadas são benéficas para os ratinhos adquirirem uma cor mais escura.
Exploração do vídeo
4. Qual é a função do gene Mc1R?
A proteína codificada pelo gene Mc1R controla a deposição de pigmento escuro no pelo dos ratinhos.

5. Explique em que medida a evolução não é considerada um processo aleatório.

Embora o aparecimento de mutações seja aleatório, a seleção natural atua de forma específica, selecionando os
fenótipos mais favoráveis a um dado ambiente. Desta forma, a evolução não é aleatória.

6. O exemplo apresentado está de acordo com o lamarckismo, com o darwinismo ou


com o neodarwinismo? Justifique.

O exemplo apresentado está de acordo com o neodarwinismo, uma vez que inclui todos os pressupostos do
darwinismo e as causas associadas ao aparecimento da variabilidade genética, neste caso, o aparecimento de
mutações na população de ratinhos.
Análise
Como varia a cor dos ratinhos nos diferentes locais?
Camuflado Camuflado

Fonte: PNAS April 29, 2003 100 (9) 5268-5273


• Nas regiões com rocha claras, o pelo dos ratinhos é claro.
• Quando o ambiente das diferentes regiões estudadas é escuro, a maioria dos ratinhos tem pelo escuro no dorso.
Conclusões
Sistemas de classificação

Sistema de classificação de
Whittaker modificado
CONCEITOS
A Sistemática é o ramo da Biologia responsável pelo
estudo da diversidade, descrição dos organismos, incluindo
a sua filogenia. A Sistemática inclui dois domínios:

• a Taxonomia, responsável pela classificação e


denominação dos grupos taxonómicos, das normas e
regras;

• a Classificação, responsável pela ordenação dos seres


vivos em grupos taxonómicos, com base em parentesco,
semelhança morfológica, entre outros, e a sua
hierarquização.
Face à diversidade, que critérios usar para
sustentar um sistema de classificação?

De que modo o avanço da tecnologia e a evolução


Qual a necessidade de classificar os seres vivos? do conhecimento pode influenciar na forma como
se classificam os seres vivos?
Por que é que os sistemas de classificação têm
sofrido modificações ao longo dos tempos? Essencial para
Em que difere a classificação de Whittaker com as
compreender classificações já existentes?
Que critérios foram utilizados para sustentar os
Quais os critérios básicos que sustentam a
diferentes sistemas de classificação?
classificação de Whittaker?
Sistemas de
classificação
Sistema de classificação
de Whittaker
modificado
Face à diversidade,
que critérios usar
Sistemas de classificação
para sustentar um
sistema de
classificação dos
seres vivos?

Ao longo dos
tempos surgiram
diferentes propostas
de organização
taxonómica dos
organismos, de
modo a tornar
acessível o seu
estudo.
A evolução destes
sistemas depende
de dados científico-
tecnológicos.

Sistemas de
Classificação

Diversidade de
critérios

Taxonomia e
nomenclatura
Sistemas de classificação

Os critérios
subjacentes a
cada sistema de
classificação,
bem como
respetivas
vantagens e
limitações.
Principais sistemas de classificação
Árvore filogenética
Os sistemas de
classificação verticais
baseiam-se não só nas
semelhanças e
diferenças estruturais
mas, também, na sua
história evolutiva
considerando, por isso,
a dimensão tempo.

Na base da classificação
filogenética figuram os
agrupamentos
primitivos e a seguir os
mais avançados sob o
ponto de vista evolutivo.

As relações são
expressas sob a forma
de árvores
filogenéticas
Árvore filogenética
A presença de órgãos
análogos sugere que
organismos
filogeneticamente
muito afastados se
adaptaram a
condições ambientais
semelhantes, sendo o
resultado de uma
evolução
convergente.

A presença de órgãos
homólogos em
organismos diferentes
implica uma evolução
divergente.
A
universalidade
e a hierarquia
das categorias
taxonómicas.

- Espécies semelhantes são agrupadas no mesmo género.


- Géneros semelhantes são agrupados na mesma família.
- Famílias semelhantes são agrupadas na mesma ordem.
- Ordens semelhantes agrupam-se na mesma classe.
- Classes semelhantes agrupam-se no mesmo filo.
- Filos semelhantes agrupam-se no mesmo reino.
Níveis de organização taxonómica de plantas proposto por Lineu.

A
universalidade
e a hierarquia
das categorias
taxonómicas.

À medida que
progredimos do reino
para a espécie, o
número de indivíduos
por taxon diminui. O
sistema taxonómico é
universal, ou seja, em
qualquer local do mundo
os taxa têm a mesma
nomenclatura.
A nomenclatura científica assenta em dois pressupostos:
• representa sempre o mesmo ser vivo independentemente do local onde se
encontra;
A importância • é o único nome válido para esse ser vivo.
de regras de
nomenclatura
uniformes e
consensuais.
Face à Classificação dos seres vivos em dois Reinos: Animalia e
diversidade, que Plantae, por Aristóteles
critérios usar para
sustentar um
sistema de
classificação dos
seres vivos?

Tendo em conta
níveis de
organização,
modos de
nutrição e
interações nos
ecossistemas,
foi proposto um
sistema de
classificação em
cinco Reinos,
que ainda hoje
reúne consenso
na comunidade
científica.
Classificação em reinos segundo Aristóteles e Lineu (A); Haeckel (B);
Copeland (C) e Whittaker (D)
Classificação em cinco reinos proposta por Whittaker em 1969 (A),
Os critérios reformulada em 1979 (B)
subjacentes à
classificação
de Whittaker
(nível de
organização
celular, modos
de nutrição,
interações nos
ecossistemas).
Obrigada!

A
Dúvidas?
D B
E C