Você está na página 1de 6

O que é um verbo: o verbo é a única palavra que Os verbos são conjugados de acordo com as

pode ser modificada para expressar mudanças pessoas do discurso. “Eu” é a primeira pessoa,
em relação ao tempo, indicando por meio de “tu” é a segunda pessoa e “ele” é a terceira
uma mesma palavra, passados, presente ou pessoa. Essas pessoas podem estar no singular
futuro. RESUMINDO, O VERBO É A ÚNICA (eu, tu, ele) ou então no plural (nós, vós, eles).
PALAVRA QUE PODE SER FLEXIONADA Portanto, temos: primeira pessoa do singular
EM TEMPO. (eu), primeira pessoa do plural (nós), segunda
pessoa do singular (tu), segunda pessoa do
O verbo nunca irá variar em gênero plural (vós), terceira pessoa do singular (ele),
terceira pessoa do plural (eles). 
Verbo simples: são aqueles que aparecem na
forma de uma só palavra. Desinência Verbal Número-Pessoal: como foi
dito antes, essa desinência indica somente o
Verbos em locução: São aqueles que se
número (singular ou plural) e a pessoa (eu, tu ou
apresentam na forma de duas palavras verbais
ele) da conjugação de algum verbo. Ela não
que funcionam como uma:
indica qual é o modo nem o tempo (pode ser
Eu vou cantar. futuro, presente ou pretérito).

Expressão verbal: subir a escada; ser que. Exemplo: A letra “o” ao final dos verbos indica
que o verbo está conjugado na primeira pessoa
Verbos regulares: seguem a regra das do singular (eu): eu canto, eu parto, eu viajo, eu
conjugações a que pertencem. compro, eu vendo, etc. Portanto, essa letra “o” é
uma desinência verbal número-pessoal (indica
Verbos irregulares: podem ter pequena o número e a pessoa).
irregularidade, ou muita irregularidade onde se
pode ter mudança no radical e até mesmo nao A letra “s” ao final dos verbos indica que o
ter todas as formas do verbo regular. verbo está conjugado na segunda pessoa do
singular (tu): tu cantas, tu partes, tu viajas, tu
Verbo transitivo: pode ser direto ou indireto compras, tu vendes, etc. Nesses casos, a letra
“s” é uma desinência verbal número-pessoal.
Transitivo direto: eles cortaram as arvores
( você pode perguntar “ o que”) A desinência “mos” indica a conjugação na
primeira pessoa do plural (nós): nós cantamos,
... indireto : sempre será ligado ao verbo por
nós partimos, nós viajamos, etc. A desinência
preposição ( pergunta com preposição )
“is” indica a conjugação na segunda pessoa do
Conversei com meus amigos ( conversou com plural (vós): vós cantais, vós partis, vós viajais,
quem?) etc. A desinência “m” indica a conjugação na
terceira pessoa do plural (eles): eles cantam,
Desinência Verbal: é o elemento que indica o eles vendem, etc.
número, a pessoa, o tempo e o modo da
conjugação do verbo. Portanto, para entender Observação: a desinência número-pessoal não
esse assunto, você precisa saber os conceitos indica o tempo nem o modo que o verbo está
básicos de conjugação verbal. conjugado.

A desinência verbal pode ser de dois Exemplo: vimos que a desinência “m” indica
tipos: número-pessoal (indica o número e a que o verbo está sendo conjugado na terceira
pessoa do verbo conjugado) e modo- pessoa do plural (eles cantam, eles viajam). Isso
temporal(indica o modo e o tempo do verbo pode acontecer no tempo presente do modo
conjugado). indicativo (eles cantam) ou no futuro do
pretérito do modo subjuntivo (eles cantariam).
Revisão de Verbos: número e pessoa (pule Ou seja: o “m” não indica o tempo nem o modo:
esse tópico se considerá-lo desnecessário) só indica que o verbo está sendo conjugado por
“eles”, indicando, assim, o número e a pessoa
(terceira pessoa do plural).
Revisão de Verbos: Tempo e Modo  antes dos radicais) ou sufixos (quando aparecem
depois dos radicais).
Os verbos, além do número (singular ou plural)
e da pessoa (eu, tu, ele), também podem variar A desinência nominal de gênero existe para
quanto ao tempo ou quanto ao modo. O tempo diferenciar uma palavra masculina da sua versão
pode determinar uma ação no futuro (cantarei), feminina (e vice-versa). Para tanto, a palavra
no presente (canto) ou no passado (cantei), precisa ter duas versões (“o cachorro” e “a
sendo que o passado é chamado de “pretérito”. cachorra”). Caso contrário (ex: “mesa” – não
Já o modo indica o modo em que a ação verbal existe “meso”), não confunda com vogal
está sendo executada: pode ser uma ordem ou temática (“mesa” – a letra “a” é vogal temática).
um pedido no modo imperativo (canta tu), pode
ser uma dúvida (se eu cantar) ou então uma A desinência nominal de número indica se
afirmação (eu canto). uma palavra está no plural ou no singular.
Exemplo: pássaros (o “s” é a desinência que
Desinência Verbal Modo-Temporal: é a indica que a palavra está no plural). Cuidado
desinência verbal que indica o modo e o tempo que algumas palavras terminam em “s” sem
da conjugação do verbo. estarem no plural (lápis, ônibus, pires). Nesses
casos, o  “s” não é desinência de número.
Exemplo1: o verbo CANTAVA está conjugado
no pretérito imperfeito do modo indicativo e A desinência verbal está presente nos verbos e
sabemos disso por causa do VA (desinência que indica o número e a pessoa que eles foram
existe nos verbos conjugados no pretérito conjugados (desinência número-pessoal) ou
imperfeito do modo indicativo). Portanto, o VA então o modo e o tempo da conjugação
é uma desinência verbal que indica que o verbo (desinência modo-temporal).
CANTAR está conjugado no modo indicativo
do pretérito imperfeito (CANTAVA). As vogais e consoantes de ligação são
Entretanto, não é possível saber o número e a elementos que apenas ligam os morfemas entre
pessoa: “ele cantava” ou “eu cantava”? si para facilitar a pronunciada palavra. 
Exemplo: gasômetro. 
Exemplo 2: “Se eu cantar” ou “se ele chegar”:
o “r” não indica o número e a pessoa (“eu” ou Os verbos, como outras classes, podem ser
“ele”?), mas ele indica a conjugação do verbo definidos de acordo com diferentes
no futuro do subjuntivo. Portanto, é uma perspetivas – e essas diferentes subclasses
desinência verbal modo-temporal. existem há longa data.

Vogais e Consoantes de Ligação: são As classificações de que fala são de dois tipos:
elementos que apenas ligam os morfemas entre
I – sintático-semântica
si para facilitar a pronunciada palavra. 
II – morfológica, relativa ao tipo de flexão
Exemplo: gasômetro, pontiagudo, cafezinho,
Do ponto de vista sintático, os verbos
REVISÃO (de tudo o que você viu até agora)
compreendem três subclasses, segundo
O radical é a parte da palavra responsável pelo o Dicionário Terminológico (DT), que,
seu significado.  atualmente em Portugal, se destina a apoiar o
estudo da gramática nos ensinos básico e
A vogal temática é aquela que aparece depois secundário:
do radical (quando a palavra não varia quanto
ao gênero masculino ou feminino). – verbo principal;

O tema é a união do radical com a vogal – verbo copulativo;


temática.
– verbo auxiliar.
Os afixos são elementos que se juntam aos
Os verbos principais subdividem-se, por sua
radicais e podem ser prefixos (quando aparecem
vez, em:
– intransitivo; a) verbos de significação definida e de
significação indefinida;
– transitivo direto;
b) verbos transitivos e intransitivos.
– transitivo indireto;
Alomorfia é a denominação dada ao fenômeno
– transitivo direto e indireto; linguístico que se caracteriza pela variação que
os morfemas podem sofrer em sua forma, sem
– transitivo-predicativo.
acarretar mudanças em seus significados. Tais
Quanto aos tipos flexionais apresentados pelos variações podem ocorrer no prefixo, na raiz, no
verbos, temos: sufixo, na vogal temática ou na desinência
verbal.
– verbo regular;
Derivação Prefixal: ocorre com o
– verbo irregular; acréscimo de prefixos à palavra. Exemplo:
injustiça (in + justiça), reescrever (re +
– verbo defetivo. escrever).

Os verbos defetivos subdividem-se ainda em Derivação Sufixal: ocorre com o acréscimo


verbos impessoais e verbos unipessoais. de sufixos à palavra. Exemplo: lealdade (leal +
dade), principalmente (principal + mente).
Este é o esquema que é possível distinguir
Derivação Prefixal e Sufixal: ocorre o
no DT e nas gramáticas escolares que o aplicam.
acréscimo de prefixo e de sufixo ao mesmo
No entanto, é natural que noutro tipo de tempo (e se um dos dois for retirado então uma
gramáticas a classificação não seja exatamente nova palavra será formada).
igual. Como, por enquanto, em Portugal, o DT é Exemplo: infelizmente (in + feliz + mente).
reconhecido pelo Ministério da Educação e Note que, se você tirar somente o prefixo ou
Ciência, será essa a terminologia que se deverá somente o sufixo a palavra se transformará em
ter em conta na descrição gramatical em outra palavra (felizmente, infeliz).
contexto escolar. Diga-se, porém, que, na
Derivação Parassintética: ocorre o
anterior terminologia escolar, a Nomenclatura acréscimo de prefixo e de sufixo ao mesmo
Gramatical Portuguesa de 1967, a classificação tempo e a palavra só existe com os dois ao
também era encarada sob as duas perspetivas, mesmo tempo.  Exemplo: empobrecer (em +
embora a distribuição das subclasses fosse um pobre + cer). Se tirarmos apenas o prefixo ou
pouco diferente: apenas o sufixo a palavra deixa de ter sentido
(não existe “empobre” nem “pobrecer”). Essa é
– do ponto de vista morfológico: a diferença entre a Derivação Parassintética e
a Derivação Prefixal e Sufixal.
a) Regulares. Tipo, a (prefixo) + dorm (radical) + ec (sufixo
derivacional) + e (VT) + r (desinência de
Irregulares. infinitivo) seria um caso de parassíntese

b) Defetivos: Modos verbais

Pessoais.
Os modos verbais indicam a posição da pessoa
falante face a ação verbal. Os verbos podem ser
Unipessoais.
utilizados de diferentes maneiras, conforme a
significação que se quer transmitir. 
Impessoais.
Existem três modos verbais: o indicativo, o
subjuntivo e o imperativo.
c) Principais.
Modo indicativo
O modo indicativo transmite uma ação certa e
Auxiliares.
real. A pessoa falante apresenta uma posição de
certeza e segurança, exprimindo a ação com
– do ponto de vista sintático:
precisão.
Frases no modo indicativo:
 Ontem eu comprei uma blusa nova.  Ele vai à festa.
 Nós estudaremos para a prova a partir  Nós compraremos um carro novo. 
de amanhã.
 Meu pai costumava almoçar neste O modo subjuntivo é usado para indicar
restaurante. possibilidade. Os verbos conjugados no
subjuntivo expressam ações de forma incerta e
Tempos verbais do modo indicativo duvidosa.
Presente 
Pretérito imperfeito  Tomara que ele vá à festa.
Pretérito perfeito  Seria melhor se nós comprássemos um
Pretérito perfeito composto  carro novo. 
Pretérito mais-que-perfeito 
Pretérito mais-que-perfeito composto
O modo imperativo é usado para indicar
Futuro do presente
ordem. Os verbos conjugados no imperativo
Futuro do presente composto
expressam ordens, pedidos, exortações,
Futuro do pretérito
conselhos.
Futuro do pretérito composto
Modo subjuntivo
O modo subjuntivo transmite uma ação  Vá à festa.
possível, porém incerta, que ainda não foi  Comprem um carro novo!.
realizada e que está dependente de outra. A
pessoa falante apresenta uma posição de dúvida, Flexão em tempo
exprimindo a ação com imprecisão, visto ser Existem tempos verbais que indicam ações que
apenas uma possibilidade.  ocorrem no presente, ações que ocorreram no
Frases no modo subjuntivo: passado ou ações que ocorrerão no futuro. 
Os diferentes tempos verbais estão estruturados
 Ela está esperando que eu vá primeiro. nos modos verbais. Podem ser simples
 Se você viesse agora, poderíamos (formados por apenas uma forma verbal) ou
resolver esse assunto rapidamente. compostos (formados por um verbo auxiliar e
 Vou ligar apenas quando eu quiser. um verbo principal).
Tempos verbais simples do modo indicativo
Presente;
Tempos verbais do modo subjuntivo Pretérito imperfeito;
Presente Pretérito perfeito;
Pretérito imperfeito Pretérito mais-que-perfeito; 
Pretérito perfeito composto Futuro do presente;
Pretérito mais-que-perfeito composto Futuro do pretérito.
Futuro Tempos verbais compostos do modo
Futuro composto indicativo
Pretérito perfeito composto; 
Pretérito mais-que-perfeito composto;
Flexões verbais Futuro do presente composto;
Futuro do pretérito composto.
Os verbos sofrem flexão em modo, tempo, Tempos verbais simples do modo subjuntivo
número, pessoa, voz e aspecto. Presente;
Devido a essa pluralidade de flexões que Pretérito imperfeito;
apresentam, os verbos são uma classe Futuro.
gramatical complexa e abrangente.  Tempos verbais compostos do modo
Flexão em modo subjuntivo
Existem três modos verbais: Pretérito perfeito composto;
Pretérito mais-que-perfeito composto;
Futuro composto.
 o modo indicativo;
Tempos verbais do modo imperativo
 o modo subjuntivo;
Imperativo afirmativo;
 o modo imperativo. Imperativo negativo.
Formas nominais simples
O modo indicativo é usado para indicar Infinitivo pessoal;
realidade. Os verbos conjugados no indicativo Infinitivo impessoal;
expressam ações de forma clara e precisa. Particípio;
Gerúndio.
Formas nominais compostas  Não se ouviu a campainha.
Infinitivo pessoal composto;
Infinitivo impessoal composto; Na voz reflexiva, o sujeito gramatical é ao
Gerúndio composto. mesmo tempo agente e paciente da ação
Veja também: Tempos verbais (presente, expressa pelo verbo.
pretérito e futuro).
Flexão em número e pessoa
 Eles abraçaram-se durante muito
Os verbos sofrem flexão em número, podendo
tempo.
ser conjugados no singular ou no plural:
 Ela penteou-se rapidamente e saiu.
 No singular indicam apenas um sujeito
Veja também: Vozes verbais.
verbal. 
Flexão em aspecto
 No plural indicam vários sujeitos
A flexão em aspecto permite indicar:
verbais.
Que a ação verbal… 

Os verbos sofrem flexão em pessoa, havendo


 está totalmente concluída (aspecto
três pessoas verbais:
perfectivo);
 não está totalmente concluída (aspecto
 A 1.ª pessoa verbal indica quem fala imperfectivo).
(eu e nós);
 A 2.ª pessoa verbal indica com quem
Que o foco da ação verbal está…
se fala (tu e vós);
 A 3.ª pessoa verbal indica de quem se
fala (ele e eles).  no início da ação (aspecto inceptivo);
 no desenvolvimento da ação (aspecto
cursivo);
Através da junção da flexão em pessoa e em
número, juntamente com os pronomes pessoais  no fim da ação (aspecto terminativo).
do caso reto, obtêm-se as pessoas do discurso,
que estruturam a conjugação verbal: Se a ação verbal é…

 Eu – 1.ª pessoa do singular;  momentânea (aspecto pontual);


 Tu – 2.ª pessoa do singular;  duradoura (aspecto durativo);
 Ele – 3.ª pessoa do singular;  contínua (aspecto contínuo);
 Nós – 1.ª pessoa do plural;  interrompida (aspecto descontínuo).
 Vós – 2.ª pessoa do plural;
 Eles – 3.ª pessoa do plural. Presente do indicativo

Flexão em voz Primeira pessoa DNP=O


Existem três vozes verbais:
Segunda pessoa: DNP = S
 A voz ativa;
 A voz passiva; Terceira pessoa: ( não tem DNP)
 A voz reflexiva.
Primeira pessoal do plural: DNP= MOS
Na voz ativa, o sujeito gramatical é o agente da
ação expressa pelo verbo. Segunda pessoa do plural: DNS= IS

 O Paulo comeu o brigadeiro. Terceira pessoa do plural: DNP = M


 A Joana não ouviu a campainha.
Pretérito perfeito do indicativo:
Na voz passiva, o sujeito gramatical é o
paciente da ação expressa pelo verbo. Primeira pessoa: DNP=I

 O brigadeiro foi comido pelo Paulo.  Segunda pessoa: DNP= STE


 A campainha não foi ouvida pela
Joana.  Terceira pessoa: DNP = U
 Comeu-se o brigadeiro.
Primeira pessoa do plural: DNP= MOS DMT DA PRIMEIRA PESSOA DO SINGULAR
E DO PLURAL E DA SEGUNDA PESSOA DO
Segunda pessoa do plural: DNP= STES PLURAL RE
Terceira pessoa do plural: DNP= M DMT= DMT DA SEGUNDA E TERCEIRA PESSOA
RA DO SINGULAR: RÁ
Pretérito imperfeito do indicativo: DMT DA TERCEIRA PESSOA DO PLURAL RÃ
Primeira pessoa: DMT = va para primeira
conjugação (ar) para segunda e terceira ia (
er-ir) DNP DA PRIMEIRA PESSOA DO SINGULAR:
I
Segunda pessoa: DMT: VA para primeira
conjugação (ar) para segunda e terceira ia ( DNP DA SEGUNDA PESSOA DO SINGULAR:
er-ir) DNP: S S

Terceira pessoa: DMT: VA para primeira DNP DA PRIMEIRA PESSOA DO PLURAL:


conjugação (ar) para segunda e terceira ia MOS

Primeira pessoa do plural: DMT: VA para DNP DA SEGUNDA PESSOA DO PLURAL: IS


primeira conjugação (ar) para segunda e
terceira ia DNP: MOS DNP DA TERCEIRA PESSOA DO PLURAL: O

Segunda pessoa do plural: DMT: VA para


primeira conjugação (ar) para segunda e Futuro do pretérito do indicativo
terceira Ie DNP: IS
DMT DA PRIMEIRA, SEGUNDA E TERCEIRA
Terceira pessoa do plural: VA para primeira PESSOA DO SINGULAR E DA PRIMEIRA E
conjugação (ar) para segunda e terceira ia TERCEIRA DO PLURAL: RIA
DNP: M DMT DA SEGUNDA PESSOA DO PLURAL:
RIE
Pretérito mais que perfeito do indicativo

PRIMEIRA E TERCEIRA PESSOA DMT: RA;


DNP: NÃO EXISTE DNP DA SEGUNDA PESSOA DO SINGULAR:
SEGUNDA PESSOA (SINGULAR): PESSOA S
DMT: RA; DNP: S PRIMEIRA PESSOA DO PLURA: MOS
PRIMEIRA PESSOA DO PLURAL: DMT:VA; SEGUNDA PESSOA DO PLURAL: IS
DNP:MOS
TERCEIRA PESSOA DO PLURAL: M
SEGUNDA PESSOA: DMT: RE; DNP: IS

TERCEIRA PESSOA: DMT: RA DNP: M

Futuro do presente do indicativo

Você também pode gostar