Você está na página 1de 8

2020

PLANO DE FORMAÇÃO, AVALIAÇÃO


E SUPERVISÃO DE PROFESSORES
PLANO DE FORMAÇÃO, AVALIAÇÃO E
SUPERVISÃO DE PROFESSORES

Janeiro de 2020
Unidade de Formação/MED

Documento Sugestivo Para o Plano de Formação,


Avaliação e Supervisão de Professores Consolidado para 2020
INTRODUÇÃO

A qualidade de ensino é, em parte, uma função da qualidade do professor. Por outro lado, a qualidade
dos professores diz respeito ao conjunto de traços pessoais e destrezas que alguém traz para o ensino,
incluindo também, determinadas disposições em termos de comportamentos.

Ante o novo quadro constitucional e os novos desafios de desenvolvimento que se colocam, traduzidos
em diferentes Planos e Programas Estratégicos de Desenvolvimento com vista a garantir a inserção de
Angola no contexto regional e internacional, a Lei 17/16, de 7 de Outubro de 2016, defende a
necessidade de reafirmar, entre outros objectivos, a promoção do desenvolvimento humano, com base
numa educação e aprendizagem ao longo da vida para todos os indivíduos, que permita assegurar o
aumento dos níveis de qualidade de ensino.

A responsabilidade orgânica da formação contínua dos professores consta da Lei 17/16, de 7 de Outubro
de 2016. Este regulamento menciona no artigo 116º que a Supervisão Pedagógica consiste no controlo,
acompanhamento, apoio didáctico, pedagógico e técnico a todos os processos educativos e a avaliação
do processo de ensino e de aprendizagem, tendo em vista os objetivos para cada subsistema de ensino
estabelecidos no referido estatuto e não só, a legislação do sistema educativo angolano define, de igual
modo, a avaliação como elemento regulador da prática educativa e estabelece claramente que a
avaliação formativa, com as funções de melhoria das aprendizagens, deve predominar nas práticas
educativas dos docentes.

Assim sendo, os objetivos gerais do sistema de ensino nacional representam para o professor e para a
escola um grande desafio, por quanto a construção das duas componentes, nomeadamente, a cidadania
e competências são da sua responsabilidade. É neste sentido que o Sistema de Educação orienta o
Subsistema de Formação de Professores para:

• Formar professores com sólidos conhecimentos científicos-técnicos e uma profunda consciência


patriótica de modoa assumirem com responsabilidade a tarefa de educar as novas gerações.
• Formar professores com perfil necessário à materialização integral dos objectivos gerais da
educação.
• Desenvolver acções de permanente actualização e aperfeiçoamentos de professores e outros
agentes de educação.

A formação contínua dos professores constitui o objecto do presente documento, o Plano de Formação,
Avaliação e Supervisão de Professores para 2020.

Espera-se que através deste plano de formação se verifique um aumento de competências e dos níveis
de proficiência e eficiência individual e colectiva dos professores, e se associem aumentos da qualidade
e da inovação do ensino que permitem concretizar com sucesso os objectivos enunciados pelo governo
no âmbito educacional.

1. ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS

O Plano de Formação de professores para 2020, prevê a realização de nove (9) cursos de formação
contínua que poderão ser desdobrados em 216 acções distribuídas em todas províncias e pretende
visar os professores do Iº e IIº ciclos e outros agentes educativos, enquanto universo de destinatários
potenciais da formação.
Das nove (9) áreas consideradas para a formação, destacam-se pelo volume superior de 480 horas
efectivas de formação contínua:
• Ensino com Analogias;
• Ensino com recurso a CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade);
• Ensino com recurso a Aprendizagem Baseada na Resolução de Problemas (ABRP);
• Concepções Alternativas (CA);
• Ensino Orientado para Mudança Conceptual;

• Ensino baseado em Actividades Laboratoriais com recurso à materiais de baixo custo (ALs);
• Ensino Baseado em Actividades de Campo (AC);
• Avaliação das Aprendizagens;
• Avaliação em Supervisão Pedagógica.

Tabela explicativa
Cursos de Formação Dur. (hr) Nº Volume
acções (hr)
Ensino com Analogias 2 24 48
Ensino com recurso a CTS 2 24 48
Ensino com ABRP 2 24 48
Concepções Alternativas 2 24 48
Ensino Orientado para Mudança Conceptual 2 24 48
Ensino com ALs 2 24 48
Ensino baseado em AC 2 24 48
Avaliação das Aprendizagens 3 24 72
Avaliação em Supervisão Pedagógica 3 24 72
Total 20 216 480
Nº Total Cursos de Formação - 8
Por forma a reflectir sobre toda a realidade educativa de Angola, numa estratégia de consolidação da
formação de professores e outros agentes educativos, foi desenvolvido um inquérito, através de
entrevistas e questionários, que envolveu mais de 283 professores de ciências e 246 futuros professores
angolanos afetos nas distintas instituições de ensino do Iº e IIº ciclos de mais de oito províncias do país
e constatamos que a maioria dos professores no ativo possui pouca formação científica e/ou didática no
que respeita à utilização de novas ferramentas aplicadas no ensino das ciências para facilitar a
aprendizagem dos alunos o que deixa claro que o ensino tradicional ainda se faz presente em muitas
escolas do nosso país, uma vez que, hoje se fala em ensino construtivista.
A política de formação alargada ao contexto do país, constitui-se nos seguintes objectivos:

• Contribuir para a inovação da prática educativa em Angola no que respeita à utilização de novas
ferramentas aplicadas no ensino das ciências para facilitar a aprendizagem dos alunos;

• Disponibilizar um leque alargado de opções formativas que permita o alinhamento entre os


interesses e necessidades dos professores, possibilitando a cada docente a frequência de mais
do que um curso de formação contínua.
• Contribuir para a formação e actualização científica dos professores de forma a melhorarem as
suas práticas letivas;
• Promover uma aprendizagem de metodologias didacticamente actualizadas, potenciando a
elaboração de planificações inovadoras e a melhoria das práticas de sala de aulas;
• Contribuir para a alteração das aulas de Ciências, de modo a que sejam motivadoras para e
promovam espírito crítico nos alunos;
• Implementar workshops, cursos/seminários de formação de professores de ciências, em geral,
em vários pontos do país de modo a capacitar os professores para o desenvolvimento,
implementação e avaliação de estratégias de ensino que se baseiem na Ciência, Tecnologia e
Sociedade (CTS), Aprendizagem Baseada na Resolução de Problemas (ABRP), Mudança
Conceptual (MC), Atividades Laboratoriais com recurso à materiais de baixo custo (ALs), ensino
com recurso à Analogias e Concepções Alternativas dos alunos (CA);
• Oferecer opções formativas a todos os professores e outros agentes educativos,
independentemente da sua função ou habilitação literária;
• desenhar, implementar e avaliar o efeito de acções de formação que vise ajudar os professores
a utilizar metodologias de ensino mais eficazes em termos da sua capacidade de promover a
evolução conceptual dos alunos;
• actuar como supervisores e/ou formadores de supervisores para a planificação, monitorização
e avaliação de processos de desenvolvimento profissional de professores e outros agentes
educativos com vista a desenvolver os seus conhecimentos e competências necessárias para o
exercício da docência nas escolas;
• avaliar o desempenho docente voltado a uma óptica formadora, reflexiva e interativa;
• promover e apoiar o desenvolvimento profissional dos professores;

Em suma, o Plano de Formação para 2020 assume-se como um instrumento orientador e agregador
das políticas, práticas e processos relativos à formação contínua dos professores.

ORGANIZAÇÃO DO PLANO
O Presente Plano de Formação tem subjacente uma abordagem moderna ao trabalho docente que se
caracteriza por uma ênfase de competências em oposição à logica do trabalho complementar.
Destaca-se a competência do professor como conceito basilar desta formação e define-se como
capacidade demonstrada de mobilizar os conhecimentos, aptidões e atitudes com vista à resolução de
uma determinada situação-problema em contexto profissional. Cada curso de formação contínua traduz
aquilo que o professor deve ser capaz de realizar durante o seu exercício de profissão de forma
competente. Estas competências estão associadas ao desenvolvimento pessoal e profissional do
professor.
Uma preocupação subjacente à execução deste plano prende-se com a falta de recursos próprios e meios
técnicos para a sua implementação. Tentando minorar esta limitação, fez-se uma carta de apresentação
ao Ministério da Educação, solicitando a colaboração e apoio para a implementação deste plano.

MODELO DE FORMAÇÃO

Os princípios genéricos que regem a formação e qualificação promovidos pelo MED, assim como o
processo de aprendizagem da responsabilidade do professor, podem sintetizar-se nos seguintes pontos:
• A aprendizagem e desenvolvimento são processos contínuos ao longo da vida;
• Cada instituição de ensino, com a sua politica de formação e desenvolvimento, disponibilizará
aos seus colaboradores diversas oportunidades de formação e actualização profissional que
continuará a ser desenvolvida nomeadamente com acções extra-plano sempre que se justificar.
• Cada professor, através da disponibilidade e interesse na sua actualização e qualificação é
responsável pelo seu próprio desenvolvimento e manutenção do seu trabalho docente
desempenhado.
RESPONSABILIDADES ESPECÍFICAS DOS INTERVENIENTES NO CICLO DE

FORMAÇÃO

Um modelo de desenvolvimento e formação é operacionalizado por intervenientes com responsabilidades


bem demarcadas e integrados num ciclo que normalmente começa com diagnóstico/planeamento e
concepção, passando pela organização e desenvolvimento e é complementado com uma avaliação. As
responsabilidades específicas dos intervenientes no processo de formação e desenvolvimento de
competências são:

MED
• Aprovação do plano da formação e do plano anual da formação contínua dos professores;
• Assegurar recursos e meios técnicos necessários para a implementação do plano;
• Definição dos objetivos estratégicos que guiam o desenvolvimento de competências dos
professores.

FORMADORES
• Desenhar, executar e avaliar o plano de formação adequado ao contexto local;
• Elaborar os suportes de planeamento, desenvolvimento e avaliação da formação e da
aprendizagem legalmente previstos e acordados com o MED;
• Colaborarcom o MED em todos os processos referidos.

FORMANDOS
Manter-se actualizado da sua profissão docente e sobre as novas práticas de ensino empregues
actualmente construtivismo;
Desenvolver as tarefas e atividades de avaliação da aprendizagem ou do impacto da formação previstas:
Avaliar e propor melhorias a introduzir nos referenciais de formação;
Actuar como formador quando solicitado e desenvolver as competências inerentes à essa atividade.
QUADRO RESUMO DA FORMAÇÃO

Cursos de Formação Objectivos Dur. Nº Volume


(hr) acções (hr)
Ensino com Analogias Contribuir na capacitação e evolução das 2 24 48
concepções e crenças dos professores
sobre as a utilização de analogias no
ensino das ciências com vista a facilitar
aprendizagem de conceitos difíceis
Ensino com recurso a CTS Ressaltar a importância de aproximar o 2 24 48
aluno da interação com a ciência e a
tecnologia em todas as extensões da
sociedade
Ensino com ABRP Apresentar ABRP como um método de 2 24 48
aprendizagem, significativo e eficaz que
pode ser utilizado para solucionar um
problema real ou simulado a partir de um
contexto
Concepções Alternativas Contribuir na utilização de estratégias de 2 24 48
ensino e de aprendizagem que
estabelecem relações significativas entre
as concepções dos alunos e o
conhecimento científico
Ensino Orientado para Mudança Conceptual Ajudar os professores a promover a 2 24 48
consciencialização dos alunos sobre as
suas crenças baseadas em concepções
alternativas vinculadas a um assunto a ser
abordado na sala de aula
Ensino com ALs Ajudar os professores a promover aulas 2 24 48
baseadas em Actividades Laboratoriais
com recurso a materiais de baixo custo,
com vista a auxiliar os alunos na
compreensão de conceitos e fenómenos
científicos.
Ensino baseado em AC Ajudar os professores a promover nos 2 24 48
alunos a relação entre a escola e a
sociedade. Propor conhecimentos que
rompam com o saber limitado apenas ao
ambiente escolar.
Avaliação das Aprendizagens Desenvolver as perspectivas e práticas de 3 24 72
avaliação implementadas pelos professores
no exercício da sua actividade profissional.
Avaliação em Supervisão Pedagógica Avaliar o desempenho docente voltado a 3 24 72
uma óptica formadora, reflexiva e
interativa. Promover e apoiar o
desenvolvimento profissional dos
professores.
Total 20 216 480
Nº Total Cursos de Formação - 9