Você está na página 1de 3

Curso Aprovação | Artigos Página 1 de 3

Contabilidade Geral
Mário Mendes de Barros (PR)
24/03/05 - Estrutura Patrimonial e Patrimônio Líquido - Casos ESAF

ESTRUTURA PATRIMONIAL e PATRIMÔNIO LÍQUIDO - casos ESAF


Olá!

Na aula passada, trabalhamos o assunto por meio de balanços sucessivos. Agora veremos como
ele foi apresentado na prova.

Na verdade eu já pretendia trazer as questões abaixo na seqüência do texto da aula passada,


mas a coisa ia ficar muito extensa. Por isso, desdobrei o assunto em duas partes.

As duas questões a seguir são da prova de AFTN em 98.

Vamos lá:

1.A Cia. Eira & Eira foi constituída com capital de R$ 750.000,00, por três sócios, que
integralizaram suas ações como segue:

Adão Macieira R$ 300.000,00


Bené Pereira R$ 150.000,00
Carlos Parreira R$ 300.000,00

Após determinado período, a empresa verificou que nas suas operações normais lograra obter
lucros de R$ 600.000,00, dos quais R$ 150.000,00 foram distribuídos e pagos aos sócios. Os
restantes R$ 450.000,00 foram reinvestidos na empresa na conta Reserva para Aumento de
Capital, nada mais havendo em seu Patrimônio Líquido.

Sabendo-se que esta empresa não tem resultados de exercícios futuros e que suas dívidas
representam 20% dos recursos aplicados atualmente no patrimônio, podemos afirmar que o
valor total de seus ativos é de

a. R$ 1.200.000,00
b. R$ 750.000,00
c. R$ 600.000,00
d. R$ 1.500.000,00
e. R$ 1.350.000,00
Gabarito oficial: d.

2.A Cia. Bira & Bira foi constituída com capital de R$ 750.000,00, por três sócias, que
integralizaram suas ações como segue:

Amélia Macambira R$ 300.000,00


Beatriz Itabira R$ 150.000,00
Creuza Mambira R$ 300.000,00

Após determinado período, a empresa verificou que nas suas operações normais lograra obter
lucros de R$ 600.000,00, dos quais R$ 150.000,00 foram distribuídos e pagos às sócias. Os
restantes R$ 450.000,00 foram reinvestidos na empresa na conta Reserva para Aumento de
Capital, nada mais havendo em seu Patrimônio Líquido.

Nessa oportunidade, Beatriz Itabira decide retirar-se da sociedade, vendendo sua participação às
duas outras sócias, com ágio de 20% sobre o valor patrimonial.

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=966 6/8/2008
Curso Aprovação | Artigos Página 2 de 3

Considerando as informações acima fornecidas, podemos afirmar que a Sra. Beatriz Itabira deve
receber pela venda de sua participação acionária o valor de

a. R$ 144.000,00
b. R$ 36.000,00
c. R$ 288.000,00
d. R$ 180.000,00
e. R$ 324.000,00
Gabarito oficial: c.

As duas questões trazem situações bastante parecidas. Sem medo de errar, sou capaz de
afirmar que o examinador tinha o seguinte propósito quando fez isso: Confundir o candidato
menos atento.

1.Bem vejamos o que aconteceu no primeiro caso:

No início, o PL de R$ 750.000,00, era composto unicamente pelo Capital R$ 750.000,00.

Ao final de determinado período, apurou-se lucro de R$ 600.000,00. Com isso, o PL passou a ser
de R$ 1.350.000,00.

Na ocasião os sócios decidiram lançar mão de (“sacar”) parte dos rendimentos auferidos. Aí, o
PL diminuiu em R$ 150.000,00. O reflexo da referida decisão foi ou um aumento do passivo
(dividendos a pagar) ou uma diminuição do ativo (disponível).

Como assim????

Bem... Imagine que, no decorrer de sua gestão, determinada empresa chega ao final de um
exercício com:

bens e direitos (ativo):R$ 1.650


obrigações (passivo): R$ 300
capital: R$ 750
receitas: R$ 3.550
despesas: R$ 2.950
Nesse caso, apura o resultado e chega ao lucro de R$ 600. Certo?

Tal resultado, num primeiro momento, seria é ao PL, fazendo com que este passe a somar R$
1.350 (750 + 600). Certo?

Digamos que na seqüência, os sócios decidem distribuir - em dinheiro – R$ 150,00 do lucro de


R$ 600.00.

Com isso, o Caixa seria reduzido em R$ 150,00 e, por conseqüência, de R$ 1.650, o ativo
passará a somar R$ 1.500. Aqui, como o passivo não sofre alteração, o reflexo da redução do
ativo será acusado pela redução do PL, onde o lucro acumulado passa de R$ 600 para R$ 450.
Certo?

Porém, na questão, não são fornecidos os valores do ativo, do passivo exigível, da receita e nem
das despesas. Mas, informa-se o capital, o valor e o destino do resultado obtido (parte para
pagar dividendos e o restante mantido no PL) e, por fim, o percentual (20%) do passivo exigível
no total do passivo no balanço (recursos aplicados).

Sendo assim, partindo da afirmação dos 20%, concluímos que o PL representa 80%. Este, no
caso da questão, é a soma do capital (R$ 750.000) com os lucros acumulados (R$ 450.000),
quando chegamos a R$ 1.200.000, que, dividido por 80%, resulta em R$ 1.500.000 (total do
passivo no balanço).

Por fim, como, por força das partidas dobradas e da própria estrutura prevista na Lei 6.404/76,

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=966 6/8/2008
Curso Aprovação | Artigos Página 3 de 3

o total do passivo no balanço será sempre igual ao total do ativo e vice-versa, se o total do
passivo é de R$ 1.500.000, também o total do ativo será de R$ 1.500.000.

2.E na segunda questão como se explica o resultado indicado pela banca?

Aqui, a estória em boa parte é parecida. Mas no desfecho ela é diferente.

Primeiramente faz-se conveniente esclarecer o que significa valor patrimonial de ação ou quota
de Capital Social. Na contabilidade, este termo é usado para fixar um provável valor de
realização do investimento do sócio ou acionista. Ele é obtido pela divisão do total do PL (capital,
reservas e lucros acumulados/ou prejuízos) pelo número de ações ou quotas de capital.

Ponderando sobre a segunda questão, notamos que a empresa aufere um resultado idêntico ao
da questão anterior. Porém, depois de dar a ele um destino, também, “idêntico” ao destino
daquela questão, uma das sócias resolve sair da sociedade. Aqui está a diferença entre as duas
histórias!

A saída da Beatriz poderia ter ocorrido de duas formas:

1ª ela sai e leva consigo sua parte em dinheiro. Nesse caso o Caixa é reduzido tendo como
reflexo a redução do PL. Concomitante à saída é confeccionada alteração contratual em que o
Capital é reduzido e a sociedade também.

2ª outro alguém adquire a sua parte na sociedade, passando a ocupar o seu lugar. Nesse caso
esta pessoa acerta (paga) com ela o valor conveniente às partes (que pode ser igual, maior ou
menor que o patrimonial) Sendo confeccionada uma alteração contratual em que sai a Beatriz e
entra a outra pessoa.

No exemplo da questão ocorreu a segunda situação. “Outro alguém” adquiriu (com ágio) a sua
participação. Na verdade: “Outras Alguéns” o fizeram. No caso as outras duas sócias. Para tanto,
elas terão sacado de suas contas pessoais em alguma instituição financeira e pagando à Beatriz
o valor acertado. O caixa da empresa nesse momento não foi movimentado. Conseqüentemente,
o patrimônio da empresa não se alterou. Apenas os patrimônios (pessoais) das três envolvidas é
que sofreu alteração.

Era isso, até a próxima.

Fique com Deus e bons estudos.

Mário

Os conceitos e opiniões veiculadas nos textos são de responsabilidade exclusiva do autor.

http://www.cursoaprovacao.com.br/cms/artigo.php?cod=966 6/8/2008