Você está na página 1de 5

Exercicio Prático n.

01 - DFC

A NBCT 3.8 trata especificamente da Demonstração do Fluxo de Caixa.


Nesta página, apresentaremos apenas exercícios práticos. A teoria poderá ser verificada na pagina
denominada legislação, neste site. Bons estudos!
EXERCÍCIO.
Considerando que a DFC – Demonstração do Fluxo de Caixa, é elaborada a partir da analise do
Balanço Patrimonial e da Demonstração do Resultado do Exercício- DRE, é proposto o exercício
abaixo:

Elaborar a DFC pelo Metodo Direto


Elaborar a DFC pelo Método Indireto
Primeiro Passo: Calculando os recebimentos das vendas
Nota se que não temos a informação se as vendas brutas constante na DRE, de R$ 3.000,00 foram a
prazo ou a vista. Em situações como esta ( comum em concursos), temos que considerar que as
vendas foram a prazo, e analisar a conta Duplicatas a receber, para verificar o montante recebido,
que irá compor o fluxo de caixa.
Para sabermos exatamente o valor que foi recebido ( entrada de dinheiro no caixa/Disponivel,
usaremos a seguinte formula:
Saldo inicial + Vendas totais – saldo Final. O resultado será o valor efetivo que entrou no caixa,
como segue: ( veja o balanço Patrimonial)

Aplicando a formula, temos então o valor de recebimetos de R$ 2.700,00 que constitui uma entrada
de caixa, portanto será evidenciada na DFC. No Fluxo das Operações > Recebimentos de Vendas.
Segundo Passo: Calculando os pagamentos de fornecedores, ou de compras.
Para encontrar o valor pago aos fornecedores, é necessário calcular o total de compras efetuada no
periodo ( esta informação não aparece nas demonstrações financeiras). Para encontrarmos este valor
( das Compras) vamos aplicar a formula do Custo da Mercadoria Vendida – CMV, e posteriormente
fazer a analise na conta fornecedores, como segue.

Pela formula, temos que o valor das compras corresponde a R$ 1.750,00


Tendo identificado o valor total das compras, usaremos o mesmo critério ( formula) utilizado para
identificar o valor das vendas recebidas, mas neste caso, com a conta fornecedores e teremos o valor
efetivo que saiu do caixa. ( para compor a saída na DFC no fluxo das operações > pagamentos a
fornecedores)
Observem que a informação de saldo inicial e saldo final, da conta fornecedores, são encontradas no
Balanço Patrimonial.
O valor das Compras de R$ 1.750,00 foram calculados usando a formula, tendo como inicio o CMV
que e ncontra se na DRE. Em situações como esta, o valor das compras deve ser considerado a
prazo, e a saída de dinheiro do caixa/disponivel, é calculada analizando a conta fornecedores.
Terceiro Passo: Verificação dos valores das despesas Operacionais, que foram efetivamente pagas,
gerando saído do caixa.
Para identificar se as despesas Opercionais (DRE) foram pagas ou provisionadas, temos que
observar a variação no passivo circulante. Se houver aumento na contas de despesas a pagar, de um
ano para o outro, significa que aquele valor foi apenas provisionado.
Analisaremos a seguir, a variação das demais contas, com base no Balanço Patrimonial:

No patrimônio líquido, percebe se que não houve variações pois os saldos permanecem o mesmo,
exceto da conta Reservas de lucro, que recebeu incremento de R$ 300,00.
Quarto Passo: Elaboração da DFC
Conclusão:
Observa-se que o resultado econômico (DRE) foi R$ 300 de lucro, entretanto o resultado
financeiro foi de R$ -50,00
Notadamente, a redução das disponibilidades, esta evidenciada no consumo de caixa nas atividades
de financiamento e de investimento.
Demonstração da Empresa Vale do Rio Vermelho S/A em 31/12/2008.
Método indireto.