Você está na página 1de 39

DIAGRAMAS DE COMANDO

Prof. Anésio
OBJETIVO DA AULA

 APRESENTAR OS DISPOSITIVOS UTILIZADOS


EM COMANDOS ELÉTRICOS;

 DIAGRAMAS DE COMANDOS;

 PARTIDAS ELÉTRICAS;

 PARTIDAS ELETRONICAS.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS

OS DISPOSITIVOS ELÉTRICOS SÃO COMPONENTES DE UM


SISTEMA AUTOMATIZADO QUE RECEBEM OS COMANDO DO
CIRCUITO ELÉTRICO ACIONANDO AS MÁQUINAS ELÉTRICAS.

AS CHAVES AUXILIARES BOTOEIRAS SÃO COMANDADAS


MANUALMENTE E TEM A FINALIDADE DE INTENRROMPER OU
ESTABELCER MOMENTANEAMENTE, POR PULSO, UM CIRCUITO
DE COMANDO PARA INCIAR, INTENRROMPER OU COMANDAR UM
PROCESSO DE AUTOMAÇÃO.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS

 AS BOTOEIRAS POSSUEM CORES DEFINIDAS POR NORMAS DE


ACORDO COM A SUA FUNÇÃO;

 VERMELHO = PARAR, DESLIGAR OU BOTÃO DE EMERGÊNCIA;

 AMARELO = INICIAR UM RETORNO, ELIMINAR UMA CONDIÇÃO


PERIGOSA;

 VERDE OU PRETO = LIGAR, PARTIDA;

 BRANCO OU AZUL = QUALQUER FUNÇÃO DIFERENTE DAS


ANTERIORES.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS

DISPOSIVO DE COMANDO: ELEMENTOS DE COMUTAÇÃO QUE PERMITEM


OU NÃO A PASSAGEM DE CORRENTE ELÉTRICA ENTRE UM OU MAIS
PONTOS DO CICUITO.

CHAVE IMPULSO OU SEM RETENÇÃO: SÓ PERMANECE ACIONADA


MEDIANTE A ALPICAÇÃO DE UMA FORÇA EXTERNA. CESSADA ESSA
FORÇA, O DISPOSITIVO VOLTA A POSIÇÃO INICIAL. POSSUEM DOIS TIPOS
DE CONTATO: NORMAMENTE ABERTO E NOMALMENTE FECHADO.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
CONTATO NORMALMENTE ABERTO NA OU NO ( NORMALY
OPEN)
CONTATO NORMALMENTE FECHADO NF OU NC (NORMALY
CLOSED)
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
CHAVE COM RETENÇÃO (OU TRAVA): UMA VEZ ACIONADA,
SEU RETORNO A SITUAÇÃO ANTERIOR SOMENTE ACONTECE
COM UM NOVO ACIONAMENTO.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
CHAVE DE CONTATOS MULTIPLOS COM OU SEM RETENÇÃO: SÃO CHAVES
COM VÁRIOS CONTATOS NA E/OU NF AGREGADOS.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
CHAVE SELETORA: POSSUI DUAS OU MAIS POSIÇÕES E PERMITE
SELECIONAR UMA ENTRE VARIAS POSIÇÃOES EM UM DETERMINADO
PROCESSO COM (C) PONTO DE CONTATO COMUM.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
INTERRUPTORES FIM DE CURSO: SÃO DISPOSITIVOS AUXILIARES DE
COMANDO, DE ACIOANMENTO QUE ATUAM NUM CIRCUITO COM FUNÇÃO
BEM DIVERSIFICADA, COMO:
 COMANDO DE CONTATORES;
 COMANDO DE CIRCUITO DE SINALIZAÇÃO PARA INDICAR A POSIÇÃO DE
UM DETERMINADO ELEMENTO MÓVEL.

AS CHAVES AUXILIARES FIM DE CURSO SÃO BASICAMENTE CONSTITUIDAS


POR UMA ALAVANCA OU HASTE, COM OU SEM ROLDANAS NA
EXTREMIDADE, QUE TRANSMITEM OS MOVIMENTOS AOS CONTATOS QUE SE
ABREM OU SE FECHAM DE ACORDO COM A SUA FUNÇÃO, QUE PODE SER:
 CONTROLE: SINALISA OS PONTOS DE INCIO OU DE PARADA DE UM
DETERMINADO PROCESSO.
 SEGURANÇA: DESLIGA EQUIPAMENTOS QUANDO HÁ ABERTURA DE
PORTA OU EQUIPAMENTO E ALARME.
DISPOSITIVOS ELÉTRICOS
DISPOSITIVOS DE COMANDO
E DE PROTEÇÃO
 DISPOSITIVO DE BAIXA TENSÃO BT: EMPREGADOS EM CIRCUITOS CUJA
TENSÃO DA LINHA É ≤1000V;
 DISPOSITIVO DE ALTA TENSÃO AT: EMPREGADO EM CIRCUITOS CUJA
TENSÃO DA LINHA É >1000V;

DESSES DISPOSITIVOS DITINGUEM-SE TRÊS TIPOS DE CIRCUITO:


 CICUITO PRINCIPAL: CONSTITUI O CONJUNTO DE TODOS OS CIRCUITOS
ASSOCIADOS, EM QUE OS DISPOSIVOS DE COMANDO OU PROTEÇÃO TEM A
FUNÇÃO DE FECHAR OU ABRIR
 CIRCUITO DE COMANDO: COMANDA A OPERAÇÃO DE FECHAMENTO,
ABERTURA OU AMBAS;
 CIRCUITO AUXILIAR: DIFERENTE DOS DOIS PRIMEIROS, USADO TAMABÉM
PARA OUTRAS FINALIDADES, TAIS COMO SINALIZAÇÃO,
INTERTRAVAMENTO, ETC.
DISPOSITIVOS DE COMANDO
E DE PROTEÇÃO
 PÓLO: É UMA PARTE DO CIRCUITO PRINCIPAL DE UM DISPOSITIVO DE
MANOBRA ASSOCIADA APENAS A UMA FASE DO CIRCUITO;
 OPERAÇÃO: É O MOVIMENTO DOS CONTATOS MÓVEIS DO CIRCUITO
PRINCIPAL DO DISPOSITIVO DE MANOBRA, DE UMA POSIÇÃO PARA
OUTRA;
 OPERAÇÃO DO DISPOSITIVO – PONTO DE VISTA ELÉTRICO:
ESTABELECER OU INTERROMPER CORRENTE;
 OPERAÇÃO DO DISPOSITIVO – PONTO DE VISTA MECANICO: ABRIR OU
FECHAR OS CONTATOS;
 CICLO DE OPERAÇÃO: SUCEÇÃO DE OPERAÇÕES DE UMA POSIÇÃO A
OUTRA E A VOLTA A POSIÇÃO INICIAL.
 SEQUENCIA DE OPERAÇÕES: SUCESSÃO DE OPERAÇÕES
ESPECIFICADAS EM DETERMINADOS INTERVALS DE TEMPO.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

 SECCIONAMENTO;
 PROTEÇÃO CONTRA CURTO CIRCUITOS E CONTRA SOBRECARGA;
 COMUTAÇÃO.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

 ELEMENTOS DE COMANDO ELÉTRICO


TERMINOLOGIA
• Acionar: Fazer funcionar/pôr em ação/pôr em
movimento. Comandar os motores a efetuarem seus
trabalhos para os quais foram corretamente
projetados.
• Manobrar: Ligar/desligar. Ação que liga ou desliga o
funcionamento do motor de forma segura. Não
promove o contato do operador no circuito de
potência, onde circulam as maiores correntes.
• Proteger: Defender/resguardar. Ação que se
destina a preservação do operador, dos condutores
dos circuitos e de todos os demais elementos
presentes na instalação.
• Seccionar: Abrir/fechar. Ação que só pode ser
executada sem carga. Usada durante a manutenção
e verificações dos circuitos.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT
PROTEÇÃO

 FALHAS

• SOBRETENÇÃO, QUEDA DE TENSÃO, DESIQUILIBRIO OU FALTA DE FASE: CAUSAM UM AUMENTO


DA CORRENTE ABSORVIDA PELO CIRCUITO;

• CURTO-CIRCUITOS: PODEM SER DE INTENSIDADE MUITO ELEVADA E DEVEM SER CONTROLADAS A


TEMPO PARA EVITAR GRAVES AVARIAS AOS COMPONENTES DO CIRCUITO;

• ROTOR BLOQUEADO: SOBRECARGA MOMENTANEA OU PROLONADA DE ORIGEM MECÃNICA QUE


PROVOCA UM AUMENTO DA CORRENTE ANSORVIDA PELO MOTOR E UM AQUECIMENTO PERIGOSO
NOS ENROLAMENTOS.

 MEDIDAS DE PROTEÇÃO

• PROTEÇÃO CONTRA CURO-CIRCUITOS; PARA DETECTAR E INTERROMPER O MAIS RÁPISO POSSÍVEL


CORRENTES ANORMAIS INFERIORES A DEZ VEZES A CORRENTE NOMINAL (In);

• PROTEÇÃO CONTRA SOBRECARGAS: PARA DETECTAR AUMENTOS DA CORRENTE ATÉ 10 In E


INTERROMPER A PARTIDA ANTES QUE O AQUECIMENTO DO MOTOR E DOS CONDUTORES A
DETERIORAÇÃO DOS ISOLANTES.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT
COMUTAÇÃO

A COMUTAÇÃO CONSISTE EM ESTABELECER, INTERROMPER E, NO CASO DA VARIAÇÃO DE

VELOCIDADE, REGULAR O VALOR DA CORRENTE ABSORVIDA POR UM MOTOR.

ESTA FUNÇÃO É ASSEGURADA PELOS SEGUINTES COMPONENTES:

 ELETROMECÂNICOS: CONTATORES, DISJUNTORES MOTOR;

 ELETRÔNICOS: RELÉS E CONTATORES ETÁTICOS, PARTIDAS PROGRESSIVAS,

CONVERSORES DE FREQUÊNCIA.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

FUSÍVEIS
TEM COMO FUÇÃO A PROTEÇÃO CONTRA CURTO-CIRCUITOS
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT
FUSÍVEIS
FUSÍEVEL NH – RETARDADO, SÃO UTILIZADOS PARA PROTEGER AS
LINHAS ELÉTRICAS E OS DISPOSIVOS DE COMANDO CONTRA
CORRENTES DE CURTO-CIRCUITO. SÃO FABRICADOS PARA
CORRENTES DE 6A A 1250ª. I RUPTURA SUPERIOR 70kA A 500V
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT
FUSÍVEIS
FUSÍEVEL NH - RETARDADO
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT
FUSÍVEIS
FUSÍEVEL NH - RETARDADO
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

FUSÍVEIS
FUSÍEVEL NH - CONSTITUIÇÃO
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

FUSÍVEIS
FUSÍEVEL TIPO D (DIAZED): É UTILIZADO EM RESIDENCIAS OU
NA INDUSTRIA. É INDICADO PARA CORRENTES NOMINAIS DE 2
A 63 A . CAPACIDADE DE ROPTURA DE 50kA E Vmax DE 500V.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

FUSÍVEIS
FUSÍEVEL TIPO D (DIAZED): É UTILIZADO EM RESIDENCIAS OU
NA INDUSTRIA. É INDICADO PARA CORRENTES NOMINAIS DE 2
A 63 A . CAPACIDADE DE ROPTURA DE 50kA E Vmax DE 500V.
CLASSIFICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS
ELÉTRICOS UTILIZADOS EM BT

FUSÍVEIS
FUSÍEVEL TIPO D (DIAZED): É UTILIZADO EM RESIDENCIAS OU
NA INDUSTRIA. É INDICADO PARA CORRENTES NOMINAIS DE 2
A 63 A . CAPACIDADE DE ROPTURA DE 50kA E Vmax DE 500V.
Relé de Sobrecarga
O que é?

O relé de sobrecarga é um dispositivo que tem a


finalidade de proteger, controlar ou comandar um circuito
elétrico, atuando sempre pelo efeito térmico provocada pela
corrente elétrica e proteção contra falta de fase.

São utilizados principalmente na proteção de motores


elétricos constituindo uma proteção contra sobrecarga. Os relés
bimetálicos de sobrecarga são acoplados em série a
contatores eletromagnéticos
Relé de Sobrecarga
Tipos

Quanto ao princípio de funcionamento pode


ser: Térmico ou bimetálico e eletrônico.
Relé de Sobrecarga
Funcionamento

Funcionamento do relé de sobrecarga bimetálico

“O funcionamento do relé de sobrecarga bimetálico


baseia-se no princípio da dilatação linear de dois materiais
diferentes quando acoplados rigidamente.

O material de maior coeficiente de dilatação é


denominado componente ativo enquanto o de menor
coeficiente é denominado componente passivo.
Relé de Sobrecarga
Funcionamento
A curvatura de um bimetal numa dada temperatura
depende da diferença entre os dois coeficientes e tende sempre
para o lado do material de menor coeficiente.
Relé de Sobrecarga
Circuitos
O relé de sobrecarga bimetálico pode ser dividido em
dois circuitos fundamentais:

- Circuito principal ou de potência; e


- Circuito auxiliar ou de comando.
No circuito principal a corrente do motor circula através
de lâminas bimetálicas e de resistências auxiliares que
envolvem estes bimetais. Estas resistências variam de acordo
com a faixa de operação do relé.
A corrente nominal aquece os bimetais provocando uma
deformação não suficiente para desarmar o relé.
Quando ocorre uma sobrecarga, esta se reflete num
aumento de corrente fazendo com que os bimetais se desloquem
desarmando o relé.
Relé de Sobrecarga
Circuitos
A interligação dos dois circuitos é feita por uma alavanca
mecânica acionada pelos bimetais.
O Circuito auxiliar é composto de:

1. Contato do tipo reversor, por onde circula a corrente de


comando (alimentação da bobina do contator);

2. Botão de regulagem tipo “came” através do qual é feito o


ajuste de corrente;
Relé de Sobrecarga
Circuitos

O Circuito auxiliar é composto de:

3. Botão de rearme que tanto pode ser acionado manualmente


como pode ser fixado em posição de rearme automático através
de dispositivo de trava; e

4. Bimetal de compensação de temperatura que


proporciona ao relé operar, de -20 a 60ºC, sobre uma
mesma curva de desarme. Este bimetal desloca-se
conforme a temperatura ambiente de forma favorável ou
desfavorável à regulagem do came.
Relé de Sobrecarga
Constituição
Relé de
Sobrecarga

Constituição
Relé de Sobrecarga
Constituição
Relé de Sobrecarga
Esquema
Representação esquemática do relé de sobrecarga

Alerta:
Características técnicas tanto para os relés bimetálicos
como eletrônicos devem ser consultados catálogos dos
fabricantes.