Você está na página 1de 60

1

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO VALE DO SÃO


LOURENÇO – EDUVALE

SIDINEI MATEUS FERNANDES

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA TOMADA DE DECISÕES,


VISUALIZANDO OS CUSTOS NO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DOS POLICIAIS
MILITARES NA 7ª COMPANHIA DE POLÍCIA MILITAR DE JACIARA-MT

JACIARA-MT
2010
SIDINEI MATEUS FERNANDES
2

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA TOMADA DE DECISÕES,


VISUALIZANDO OS CUSTOS NO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DOS POLICIAIS
MILITARES NA 7ª COMPANHIA DE POLÍCIA MILITAR DE JACIARA-MT

Monografia apresentada ao curso de


Ciências Contábeis da Faculdade de
Ciências Sociais Aplicadas do Vale do
São Lourenço – EDUVALE, como
requisito da obtenção do grau de Bacharel
em Ciências Contábeis.
Orientadora: Professora Esp. Ione Inverso
Pereira.

JACIARA-MT
2010

SIDINEI MATEUS FERNANDES


2

A UTILIZAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA TOMADA DE DECISÕES,


VISUALIZANDO OS CUSTOS NO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DOS POLICIAIS
MILITARES NA 7ª COMPANHIA DE POLÍCIA MILITAR DE JACIARA-MT

MONOGRAFIA APRESENTADA À COMISSÃO EXAMINADORA, COMO


REQUISITO DA OBTENÇÃO DO GRAU DE BACHAREL EM CIÊNCIAS
CONTÁBEIS.

_______________________________________________________
Prof. Esp. Gualter Guimarães Godinho
Coordenador do Trabalho de Conclusão de Curso

_______________________________________________________
Profª. Esp. Ione Inverso
Orientadora

_______________________________________________________
Contador Especialista Manoel de Deus
Convidado

Jaciara-MT, 12 de novembro de 2010.


2

Dedico este trabalho primeiramente a Deus, pois sem Ele, nada seria
possível e não estaríamos aqui reunidos, desfrutando, juntos, destes
momentos que nos são tão importantes e prazerosos.

À minha esposa Valdirlene, pelo esforço, dedicação, incentivo e,


principalmente incompreensão por não entender minha ausência em
momentos da elaboração deste trabalho, em que por diversas vezes,
muitos momentos foram sacrificados e deixados de lado, ao invés de
serem aproveitados em conjunto com nosso filho Mateus, o que torna
este trabalho mais valioso ainda.

À minha mãe Rosilda, pelo dom divino e graça de criar-me nos


caminhos cristãos, respaldados pela justiça e amor incondicional,
virtudes espelhadas em nosso salvador Jesus Cristo.

AGRADECIMENTOS
1

Agradeço a Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Vale do São


Lourenço – Eduvale, pela oferta do conhecimento científico por meio dos docentes
do Curso de Ciências Contábeis.
A Coordenação de curso, Professor Gualter, pelas políticas de incentivo a
produção acadêmica e inserção social.
Agradeço aos meus colegas da turma de Ciências Contábeis pela
amizade e companheirismo na lida acadêmica.
À minha esposa e filho, família esta que sempre estavam ao meu lado no
decorrer deste percurso.
Aos professores que sempre me incentivaram, em especial a Professora
Ione Inverso, minha orientadora, que com todo o respeito e admiração, auxiliou-me
nas mais variadas dificuldades e dúvidas, sempre estando disposta a esclarecer o
caminho correto a se seguir, comparada a uma bússola, contribuindo diretamente na
realização deste trabalho, bem como o Professor Carlos Câmara, auxiliador na
estrutura metodológica durante a elaboração deste projeto.
A todos incondicionalmente, digo-vos muito obrigado, não que seja o
suficiente para agradecê-los, então, peço e rogo a Deus que as suas infinitas
bênçãos e misericórdias recaiam sobre os vossos caminhos.
2

"O que eu ouço, esqueço. O que eu vejo,


lembro. O que eu faço, aprendo." (Confúcio).
RESUMO

A presente pesquisa trás uma discussão acerca do planejamento contábil, focado na


contabilidade gerencial, especificamente na análise de informações provenientes de
relatórios de custos. Aponta esses dados na perspectiva de que se possa observar
que toda pessoa ou instituição, que domine e saiba trabalhar a informação, tem em
2

seu poder, uma poderosa ferramenta gerencial capaz de autocapacitar na escolha


da melhor alternativa existente no processo de tomada de decisão, de forma racional
e eficaz. Posto que a informação seja algo que todos buscam o domínio e controle,
para o respaldo na tomada de decisão, o presente trabalho tem como tema: A
utilização da contabilidade gerencial na tomada de decisões, visualizando os custos
no sistema de alimentação dos policiais militares na 7ª companhia de Polícia Militar
de Jaciara-MT. Sendo que para o estudo, foi definido como problemática de
investigação: O sistema de alimentação da 7ª Companhia Independente de Polícia
Militar de Jaciara promove a correta aplicação dos recursos de maneira eficaz,
seguindo uma metodologia sistêmica de minimização de custo e maximização dos
recursos? Para tanto, como possibilidades hipotéticas, tem-se que se as atividades
financeiras da Polícia Militar de Jaciara fossemterceirizadas, diminuiriam
consideravelmente os custos e sobejariam recursos para outros investimentos.
Estas possibilidades hipotéticas fazem com que qualquer estudo tenha uma
obrigatoriedade gerencial, que deve definir objetivos e metas a serem contempladas
durante a investigação prática, assim, como objetivo geral teve: Demonstrar a
importância da Contabilidade Gerencial na identificação dos custos no sistema de
alimentação dos policiais militares, a fim de subsidiar informações ao gestor para
tomada de decisão sobre o melhor método de aplicação do recurso com o menor
custo e melhor qualidade. Neste sentido, pretende-se analisar, com auxílio da
Contabilidade Gerencial, as fontes destes recursos bem como a metodologia usada
para a correta aplicação destes em favor da instituição, promovendo assim uma
maximização das atividades desenvolvidas com o menor custo e, ao mesmo tempo,
promovendo o desenvolvimento e o investimento na matéria-prima principal da
instituição, os funcionários. Enfatiza ainda conceitos contábeis fundamentais para o
desenvolvimento de uma estrutura teórica importante para os estudo, assim discute-
se, contabilidade gerencial, contabilidade de custos e análise de custos. A
metodologia de pesquisa que embasou o estudo foi a pesquisa qualitativa, com o
uso do instrumento de coleta de dados, a análise documental, fazendo estudos e
análises sistêmicas dos relatórios técnicos de custos reais do Batalhão XX de
Jaciara/MT. Com os dados coletados, podemos concluir que: XXXX

Palavras chave: Contabilidade Gerencial. Domínio e Controle da


Informação.Tomada de decisão.Maximização de Recursos.Sistema de Alimentação.

ABSTRACT

Envisions that every person or institution that dominates the work and find
information in his possession, a powerful management tool capable of self-training in
2

choosing the best alternative in the existing process of decision making in a rational
and effective. Since the information is something we all seek dominance and control,
to support decision making, this work has the theme: The use of managerial
accounting in decision making, viewing costs in the supply system of the military
police in 7 th Military Police Company Jaciara-MT. Since the study was defined as a
problem of research: The power system of the 7th Independent Company Military
Police Jaciara promotes the proper use of resources effectively, following a systemic
methodology to minimize cost and maximize resources? For this, as hypothetical
possibilities, is that if the financial activities of the Military Police Jaciara be
outsourced, would reduce costs considerably and resources left over for other
investments. These hypothetical possibilities mean that any study has an obligation
management, which should set goals and targets to be met during the research
practice, as well as general objective was: to demonstrate the importance of
management accounting to identify costs in the supply system of the police military,
in order to support information to managers for decision making on the best method
of application resources with lower cost and better quality. And how specific: To
study the importance of management accounting to aid in the management of
entities; Conceptualize existing resources in the 7th CIPM; identify the expenses
existing in the institution demonstrate through graphics, comparing supply systems
already adopted, for better viewing costs; propose to publish this project on our
power system to other units of the Military Police of Mato Grosso, aiming to provide a
better quality diet with the lowest cost. Therefore, we intend to analyze with the aid of
management accounting, the sources of these resources and the methodology used
for the correct application of these in favor of the institution, thus promoting a
maximization of the activities performed at the lowest cost and at the same time,
promoting development and investment in the main raw material of the institution,
officials.

Keywords: Managerial Accounting, Domain Control and Information, Decision


making, Maximizing Resources, Power System.

LISTA DE QUADROS

Quadro 01 – Características da Contabilidade Gerencial p. 20


Quadro 02 – História da Polícia Militar de Mato Grosso p. 35
Quadro 03 – Peculiaridades, vantagens e desvantagens entre os
2

dois sistemas de alimentação existententes na 7ª CIPM p. 49


Figura 01 – A Tomada de decisão e a ajuda ao decisor p. 24

LISTA DE TABELAS

TABELA 01 – Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação


do Mês outubro 2010 da 7ª CIPM p. 38
TABELA 02 – Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação
2

do Mês outubro 2010 do 1º Pelotão de Dom Aquino p. 40


TABELA 03 – Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação
do Mês outubro 2010 do 2º Pelotão de Juscimeira p. 41
TABELA 04 – Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação
do Mês outubro 2010 do NPM de São Pedro da Cipa p. 42
TABELA 05 – Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação
do Mês outubro 2010 do NPM de Santa Elvira p. 42
TABELA 06 – Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação
do Mês outubro 2010 do NPM de Fátima de São Lourenço p. 43
TABELA 07 – Lista de Compras da 7ª CIPM p. 45
TABELA 08 – Relação nominal dos PM’S para alimentação diária do mês
outubro 2010 da 7ª CIPM – dia 01.10.2010 – sexta feira p. 46
TABELA 09 – Relação do Custo mensal referente ao mês outubro 2010
da 7ª CIPM baseada na relação nominal dos PM’S para
alimentação diária p. 55

SUMÁRIO

1INTRODUÇÃO..........................................................................................................12
2 CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA.......................................................................15
2.1 Contabilidade e a Pesquisa................................................................................17
2.2 Contabilidade e suas Especificações...............................................................18
2

3 CONTABILIDADE DE CUSTOS.............................................................................19
4 CONTABILIDADE GERENCIAL.............................................................................22
4.1 Contabilidade X Sistema de Informação Contábil...........................................27
5 METODOLOGIA DA PESQUISA............................................................................31
5.1 Método..................................................................................................................31
5.2 Técnica.................................................................................................................32
6 RESULTADO E ANÁLISES....................................................................................33
6.1 Missão..................................................................................................................34
6.2 Visão.....................................................................................................................34
6.3 Valores.................................................................................................................34
6.4 História da Polícia Militar de Mato Grosso.......................................................35
6.5 História da Polícia Militar de Jaciara.................................................................37
7 RELATÓRIOS GERENCIAIS..................................................................................50
7.1 1ª RELATÓRIO GERENCIAL DA 7ª CIPM..........................................................50
8 CONSIDERAÇÕES FINAIS.....................................................................................60
REFERÊNCIAS...........................................................................................................62
12

1 INTRODUÇÃO

Iniciar uma frente de pesquisa envolvendo a contabilidade e uma unidade da


sociedade de grande e de serviço público como é a Polícia Militar, se configura como
uma ação ousada e de grande relevância para a sociedade contábil.
A contabilidade sendo uma das ciências, ou a ciência que tem por finalidade
controlar e interpretar os fatos ocorridos no patrimônio das entidades, mediante o
registro, a demonstração expositiva e a revelação desses fatos, com o fim de oferecer
informações sobre a composição do patrimônio, suas variações e o resultado
econômico decorrente da gestão da riqueza patrimonial.
Dentre vários critérios existentes para analisar Patrimônios de Entidades, a
contabilidade gerencial é um importante componente de gestão, que se utilizada de
forma adequada, traz uma maior segurança na tomada de decisão, melhorando a
utilização dos recursos disponíveis na entidade, oferecendo uma opinião confiável e
baseada em modelos científicos, com um vasto conjunto de conhecimentos
sistematizados, com princípios e normas próprias, haja vista ser ela, na concepção
ampla do conceito de ciência, uma das ciências econômicas e administrativas.
Pretende-se nesse trabalho, através da Contabilidade Gerencial, demonstrar
as características da informação contábil no que diz respeito ao patrimônio, como
sendo uma ferramenta capaz de proporcionar benefícios aos usuários, garantindo uma
comunicação descomplicada, através de relatórios elaborados de fácil interpretação
como se fossem dirigidos a leigos, garantindo uma comunicação eficaz e confiável,
contribuindo assim para a mudança do paradigma da cultura de enxergar o Contador
apenas como o profissional responsável pela apuração dos impostos, formas e/ou
maneiras de pagar menos pela visão do profissional como fonte de gestão para o seu
empreendimento ou administração.
O objeto de estudo deste projeto constitui-se nas análises das operações
financeiras em referência ao sistema de alimentação dos Policiais Militares da 7ª
Companhia Independente de Polícia Militar de Jaciara, demonstrando a importância de
um projeto-modelo para padronização e correta aplicação dos recursos disponíveis,
buscando alternativas viáveis capazes de promover uma gestão eficaz com o menor
custo.
Desta forma, pesquisa-se uma estrutura importante da Polícia Militar do
Estado de Mato Grosso, especificamente a 7ª Companhia Independente de Polícia
Militar de Jaciara, nos faz definir como temática:A utilização da Contabilidade Gerencial
13

na tomada de decisões, visualizando os custos no sistema de alimentação dos Policiais


Militares na 7ª Companhia Independente de Polícia Militar (7ª CIPM) de Jaciara-MT.
Sendo que para o estudo, foi definido como Problemática de investigação: O sistema
de alimentação da 7ª Companhia Independente de Polícia Militar (7ª CIPM) de Jaciara
promove a correta aplicação dos recursos de maneira eficaz, seguindo uma
metodologia sistêmica de minimização de custo e maximização dos recursos? Para
tanto, como possibilidades hipotéticas, tem-se: A hipótese de pesquisa prende-se em
antever qual o caminho a ser seguido, como afirma Trujillo Ferrari citado por Beuren
(2006, p. 101) “é uma proposição antecipadora à comprovação da realidade existencial.
É uma espécie de pressuposição que antecede a constatação dos fatos”.
Diante disso, por hipótese tem que se as atividades financeiras da Polícia
Militar fossemterceirizadas, diminuiriam consideravelmente os custos e sobejariam
recursos para outros investimentos.
Outra alternativa seria o aproveitamento de um profissional contábil, efetivo
da instituição Polícia Militar, que remanejado de sua função operacional ostensiva,
auxiliaria e facilitaria as ações do gestor na tomada de decisões por possuir
conhecimento e técnica de todas as operações contábeis e financeiras, e,como forma
de melhor identificar dentre os sistemas de alimentação existentes, o que apresenta
melhor custo-benefício, pretende-se elaborar comparativos contábeis para nortear as
metas a serem alcançadas, possibilitando mensurar os dados atuais e confrontá-los
com os dados de exercícios anteriores.
Estas possibilidades hipotéticas fazem com que qualquer estudo
tenha uma obrigatoriedade gerencial, definir objetivos, metas que deverão ser
contempladas durante a investigação prática, assim, como objetivo geral teve:
Demonstrar a importância da Contabilidade Gerencial na identificação dos custos no
sistema de alimentação dos policiais militares, a fim de subsidiar informações ao gestor
para tomada de decisão sobre o melhor método de aplicação do recurso com o menor
custo e melhor qualidade, propondo a divulgação deste projeto sobre o sistema de
alimentação a outras Unidades de Polícia Militar1 do Estado de Mato Grosso,
objetivando proporcionar uma melhor qualidade na alimentação com o menor custo.
Esta pesquisa tem sua importância técnico-científica, pois a contabilidade
deve ser vista como um instrumento essencial para a gestão das organizações e não
somente um meio para atender às exigências legais. A contabilidade pode e deve se
transformar em gerencial, sendo um dos papéis do contador gerencial aproveitar as
1 UPM: Unidade Policial Militar.
13

informações fornecidas pela contabilidade financeira para gerar conhecimento ao


administrador.
Uma melhoria no processo de tomada de decisão pode representar uma
economia de tempo e dinheiro para a instituição, onde o profissional contábil pode
tornar-se um importante aliado, pois possui técnica e conhecimento para analisar os
dados que podem produzir informações pertinentes e relevantes de suporte às
decisões do dia a dia, além de controle e planejamento necessário para a sua
sobrevivência.
A escolha para entender melhor a importância da contabilidade gerencial
para uma entidade, como a Polícia Militar, surgiu através de pesquisas, estudos e
discussões em busca de um projeto-modelo viável e promissor que apresentasse
subsídios para uma gestão eficaz, capaz de otimizar os recursos do Batalhão de
Jaciara nas operações financeiras e contábeis, e que aproveitasse ao máximo a correta
utilização dos recursos.
Neste sentido, pretende-se analisar as fontes destes recursos bem como a
metodologia usada para a correta aplicação destes em favor da instituição,
promovendo assim uma maximização das atividades desenvolvidas com o menor custo
e, ao mesmo tempo, promovendo o desenvolvimento e o investimento na matéria prima
principal da instituição, os funcionários.

2 CONTABILIDADE COMO CIÊNCIA

O surgimento da Contabilidade teve início em épocas diversas, como


Ciência, teve sua manifestação no século XV, com a publicação da obra de Luca
13

Pacioli em 1494, intitulada Summa de Arithmetica, Geometria, Proportioni et


Proportionalita, derivada da necessidade que o homem tinha de controlar suas
riquezas, que após o século XVII, a contabilidade deixou de ser apenas uma técnica
para registrar e demonstrar a riqueza que se possuía para também, compreender a
evolução dessa riqueza, pra que serve, como servir ao homem com propósitos de
empreendimentos, assim:

A Contabilidade não fugiu a essa norma e iniciou-se há muitos milênios


partindo do simples registro de fatos, com o objetivo de guardar
memória sobre o acontecido com as utilidades. Somente alcançou o
estágio científico quando também a maioria das disciplinas fez a sua
passagem de uma milenar história empírica, para uma fase racional
superior, ou seja, a partir do século XVIII.
Entendeu-se que o registro contábil era apenas a expressão da
observação de fatos da riqueza, mas, não o próprio fato. Conscientizou-
se de que não basta escriturar, mas, é preciso saber o que fazer com as
informações obtidas, ou seja, necessário é entender o que significa o
que aconteceu com a riqueza patrimonial e o evidenciamento nas
demonstrações. (SÁ, 2005)2.

A partir daí despertou-se a atenção para evolução do comportamento da


riqueza aziendal3, tornando-se o objetivo científico da Contabilidade, da sua
capacidade proporcionar a mensuração da riqueza, onde a escrituração continuou
sendo o que sempre foi, ou seja, registrar os fatos patrimoniais ao passo de conseguir
posteriormente resgatar à lembrança tal registro, enquanto que como ciência, focou-se
cada vez mais ao esclarecimento das mutações e transformações da riqueza
patrimonial, originando-se então através de um conjunto de conceitos, várias teorias a
parte.

A Contabilidade somente enquadrou-se, como ciência, após atender a todos


os requisitos necessários para sua qualificação, dentre eles: ter objeto próprio, método
específico, finalidade determinada, teoremas, teorias, hipóteses, tradição, conforme se
percebe abaixo, atribuindo a Contabilidade a dignidade científica, porque possui:

• um objeto próprio e que é o patrimônio aziendal;

2 Documento eletrônico disponível em:


<http://www2.masterdirect.com.br/448892/index.asp?
opcao=7&cliente=448892&avulsa=4947>. Acesso em 26 setembro de 2010.
3 Palavra italiana cuja tradução literal é Fazenda. Define-se Azienda como a unidade
econômica que possui vida própria, compondo um patrimônio bem determinado e dispondo
de organização administrativa e trabalho como força dinâmica. Em Contabilidade, é o
patrimônio sofrendo constantes ações, de natureza econômica e do elemento humano.
12

• finalidade própria e que é o aspecto de observação específico,


ou seja, o da eficácia como satisfação da necessidade
aziendal;
• método próprio de observação e condução do raciocínio para
o desenvolvimento e pesquisa e que se estriba no indutivo
axiomático4 e no fenomenológico;
• tradição como conhecimento, milenar;
• utilidade, como fonte de conhecimento do comportamento da
riqueza aziendal, aplicável a um sem número de utilidades
(crédito, investimentos, controle etc.);
• teorias próprias como a das aziendas, do rédito5, do valor, das
funções sistemáticas do patrimônio aziendal e também uma
Teoria Geral do Conhecimento;
• doutrinas científicas próprias e que estabelecem correntes de
pensamentos como o patrimonialismo, neopatrimonialismo,
aziendalismo, personalismo;
• correlação com outras ciências como a do Direito,
Administração, Economia, Matemáticas, Sociologia;
• enuncia verdades universais e perenes sobre os fenômenos
de que trata seu objeto;
• permite previsões, através dos modelos que permitem os
orçamentos;
• permite levantamento de hipóteses, como as derivadas das
doutrinas das contingências;
• tem caráter analítico e enseja estudos de natureza nuclear
funcional da riqueza aziendal etc. (SÁ, 2005)6.

A Contabilidade incorpora o conjunto das ciências não formais, constituído


pelas ciências humanas ou sociais. No Brasil, o Conselho Federal de Contabilidade,
órgão normativo, publica em 1994 a sua Resolução CFC 774, que descreve
Contabilidade como ciência social, em seu item 1.1, a saber:

A Contabilidade possui objeto próprio – o Patrimônio das Entidades – e


consiste em conhecimentos obtidos por metodologia racional, com as
condições de generalidade, certeza e busca das causas, em nível
qualitativo semelhante às demais ciências sociais. A Resolução
alicerça-se na premissa de que a Contabilidade é uma ciência social
com plena fundamentação epistemológica. Por consequência, todas as
demais classificações – método, conjunto de procedimentos, técnica,
sistema, arte, para citarmos as mais correntes – referem-se a simples
facetas ou aspectos da Contabilidade, usualmente concernentes à sua
aplicação prática, na solução de questões concretas. (CFC, 1994,
Resolução 774)7.

4 Evidente, manifesto, inquestionável, incontestável.


5 Rendimento, Juro, Lucro.
6 Documento eletrônico disponível em:
<http://www2.masterdirect.com.br/448892/index.asp?
opcao=7&cliente=448892&avulsa=4947>. Acesso em 26 de setembro de 2010.
7 Documento eletrônico disponível em:
<http://www.wannydigiorgi.com.br/paginas/artigos/Cont.%20e%20a%20Resp.
13

Com base na citação acima, cabe lembrar que toda entidade está inter-
relacionada com o seu ambiente social, meio empresarial e meio ambiente. Neste
panorama, a responsabilidade de compatibilizar os diversos interesses entre parceiros,
grupos sociais na utilização de recursos naturais, é dos gestores, pois cabe a eles o elo
da dissolução de conflitos no meio social, afetados pela existência e atividade da
empresa, sempre buscando o bem comum, respeitando os limites e direitos de todos.

2.1 Contabilidade e a Pesquisa

A pesquisa voltada para a Contabilidade, tem seu conceito definido na


caracterização da ação dos autores envolvidos na busca de respostas, em que
reorganizam-se seus conhecimentos de forma dinâmica e permanente, traduzindo-se
num questionamento sistematizado, crítico e criativo, e ao mesmo tempo inovador,
capaz de solucionar ou buscar alternativas para solução de um problema voltado para
a sua realidade, contribuindo assim para a evolução de novos conhecimentos.
É notória a evolução da Contabilidade no processo de socialização do
homem, onde que o despertamento pela pesquisa científica em Contabilidade está
acontecendo em grande velocidade, e que para isso ocorra de maneira correta e
sustentável, deve ser orientada para quebrar obstáculos e apresentar soluções para a
sociedade, produzindo conhecimento científico com teor de confiabilidade
inquestionável, servindo para a ampliação do conhecimento de todos os usuários da
Contabilidade, podendo ser, quando internos: gerentes, administradores, funcionários,
diretores; e quando externos: bancos, governo, fornecedores, clientes e até os
concorrentes.
Importante é a definição de Sá (2005)8 no que tange a conceituação do
Contador atual, onde diz que “deixou de ser apenas um ‘informante’ para transformar-
se em um ‘orientador’, um autêntico médico da empresa e das instituições, orientando
e opinando sobre os destinos dos empreendimentos”, demonstrando ser hoje, o papel
que em todo o mundo compete àquele que pratica o conhecimento da Contabilidade.

%20Social.htm>. Acesso em 25 de setembro de 2010.


8 Documento eletrônico disponível em:
<http://www2.masterdirect.com.br/448892/index.asp?
opcao=7&cliente=448892&avulsa=4947>. Acesso em 26 de setembro de 2010.
13

2.2 Contabilidade e Suas Especificações

A Contabilidade tem como principal foco fornecer informações corretas e


sistemáticas dos fenômenos patrimoniais ocorridos nas entidades, desse entendimento
geral, deriva-se da Contabilidade várias outras ramificações, no intuito de aperfeiçoar e
aprofundar em cada segmento específico das informações contábeis por ela emitidas,
sendo cada qual bem distinta uma da outra, como a Contabilidade de Custos, Social,
Gerencial, Ambiental, Internacional, Tributária, Financeira, Fiscal, Doméstica,
Orçamentaria, Auditoria, etc.
Para o perfeito entendimento do processo de tomada de decisão, no capítulo
a seguir falaremos de um tópico de suma importância que é a Contabilidade de Custos,
onde iremos aprofundar para ressaltar sua grande importância para a sustentabilidade
e controles de custos para qualquer empresa e/ou entidade.

3 CONTABILIDADE DE CUSTOS

A Contabilidade de Custos é a parte da ciência contábil que se dedica ao estudo


racional dos gastos decorrentes para a geração e/ou criação de um bem de venda ou
de consumo, seja ele um produto, uma mercadoria ou um serviço, proporcionando a
mensuração qualitativa e quantitativa de toda sua estrutura.
Sendo uma ramificação da função financeira, a Contabilidade de Custos
provê informações gerenciais que se torna uma importante ferramenta para tomada de
decisão, com afirma Leoni (2005, p. 18)9 “... que acumula, organiza, analisa e interpreta

9 Documento eletrônico disponível em: <http://www.tomislav.com.br/livros.php?


&detalhe=&id=34>. Acesso em 26 de setembro de 2010.
13

os custos dos produtos, [...], dos serviços, dos componentes da organização, [...] para
determinar o lucro, para controlar as operações e para auxiliar o administrador no
processo de tomada de decisão.”.
Fica clara a evidência do escopo do planejamento, por fornecer informações
sobre condições de expandir-se, sobre necessidades de reduzir custos ou despesas,
necessidades de buscar recursos, entre outras. Nesse sentido, essas informações
constituem uma ferramenta administrativa do mais alto valor, transformando-se num
verdadeiro sistema de informações gerenciais, de vital importância para a
administração das organizações, pois constituem num subsídio básico para o processo
de tomada de decisões, bem como para o planejamento e controle das atividades,
como descreve abaixo MARTINS (2001, p. 22) sobre duas funções básicas e
fundamentais da Contabilidade de Custos, bem como sua principal missão, a saber:

A contabilidade de custos tem duas funções relevantes: no auxílio ao


Controle e na ajuda às tomadas de decisões. No que diz respeito a
controle, sua mais importante missão é fornecer dados para o
estabelecimento de padrões, orçamentos e outras formas de previsão e,
num estágio imediatamente seguinte, acompanhar o efetivo acontecido
para comparação com os valores anteriormente definidos. No que tange
a Decisão, seu papel reveste-se de suma importância, pois consiste na
alimentação de informações sobre valores relevantes que dizem
respeito às consequências de curto e longo prazo sobre medidas de
corte de produtos, fixação de preços de venda, opção de compra ou
fabricação (MARTINS, 2001, p.22).

Portanto, qualquer empresa ou instituição que tenha o domínio de forma


precisa e profunda e saiba absorver da Contabilidade de Custos, todas as informações
por ela gerada, será capaz de galgar sua estabilidade mercantil, controlar seus gastos,
diminuir seus custos, tornando-se cada vez mais competitiva no sistema capitalista que
vivenciamos nessa era tecnológica informatizada.
As informações coletadas da Contabilidade de Custos servem a três
finalidades principais: mensuração dos lucros, fonte de informações para o controle de
operações e atividades da empresa e o fornecimento de informações para
planejamento e tomada de decisão, que de forma mais específica e detalhada, Simões
Coelho (2002) descreve que essas informações proporcionam:

A determinação dos custos dos fatores de produção; A determinação


dos custos de qualquer natureza; A determinação dos custos dos
setores de uma organização; A redução dos custos dos fatores de
produção, de qualquer atividade da empresa; À Administração, quando
esta deseja tomar uma decisão, estabelecer planos ou solucionar
13

problemas especiais; O levantamento dos custos dos desperdícios, do


tempo ocioso dos operários, da capacidade ociosa do equipamento, dos
produtos danificados, do trabalho necessário para conserto, dos
serviços de garantia dos produtos; A determinação da época em que se
deve desfazer de um equipamento, isto é, quando as despesas de
manutenção e reparos ultrapassarem os benefícios advindos da
utilização do equipamento; A determinação dos custos dos inventários
com a finalidade de ajustar o cálculo dos estoques mínimos, do lote
econômico de compra e da época de compra; O estabelecimento dos
orçamentos; A determinação do preço de venda dos produtos ou
serviços. (COELHO, 2002)10.

Conforme as informações levantadas acima, percebe-se o grau de


importância que a Contabilidade de Custos representa para qualquer empresa ou
instituição, pois depende do estudo dessas informações para que se elabore qualquer
planejamento, controle e relatório, para que o processo de tomada de decisão seja
preciso, objetivo e eficaz.
Nostópicosseguintes,serãoconceituados:Gastos, Investimentos, Custos e
Despesas, termosnecessáriosparaoperfeitoentendimentodestetrabalho.
Podemexistirdúvidas,à
primeiravista,quantoaoentendimentodostermosGastos,Investimentos,Custos e
Despesas.Oesclarecimentodestestermospodeserapoiadonasdefiniçõesa seguir,
sobopontodevistadaContabilidadedeCustos:

a) Gastos-Sacrifíciofinanceirocomquea entidadearcaparaa
obtençãodeumprodutoouserviçoqualquer,
sacrifícioesserepresentadoporentregaoupromessadeentregadeativos(no
rmalmentedinheiro). Sóexiste gastonoatodapassagemparaa
propriedadedaempresadobemouserviço,ouseja, no momentoemque
existeoreconhecimentocontábildadívidaassumidaoudareduçãodoativo
dadoempagamento.
b) Investimento
-Gastoativadoemfunçãodesuavidaútiloudebenefíciosatribuíveisa
futuro(s) período(s).
Todosossacrifíciosdecorrentesdaaquisiçãodebensouserviços(gastos)qu
esão “estocados”
nosativosdaempresaparabaixaouamortizaçãoquandodesuavenda,deseu
consumo, de
seudesaparecimentooudesuadesvalorização,sãoespecificamentechama
dosdeinvestimentos.
c) Custos-Gastosrelativosà
bemouserviçoutilizadonaproduçãodeoutrosbensouserviços.Ocusto é
tambémumgasto,sóquereconhecidocomotal, istoé,comocusto,no
momentodautilização dosfatoresde produção(bense serviços),paraa
fabricaçãodeumprodutoouexecuçãode umserviço.
d) Despesas -Bensouserviçosconsumidosdiretaouindiretamenteparaa

10 Documento eletrônico disponível em: <http://www.feg.unesp.br/ceie/Monografias-


Texto/CEIE0505.pdf>. Acesso em 02 de outubro de 2010.
13

obtençãodereceitas.Asdespesas são
itensquereduzemoPatrimônioLíquidoe quetêmessacaracterística
derepresentarsacrifícios noprocessode
obtençãodereceitas.Todooprodutovendidoe
todoserviçoouutilidadetransferidos provocamdespesas.
e) Desembolso - Pagamento resultante da aquisição do bem ou
serviço. (MARTINS, 2001, p.25). Grifo do autor.

A seguir, um esquema Básico da Contabilidade de Custos relacionado aos


procedimentos da separação e apropriação dos custos, conforme descreve Martins
(2001, p. 57), que devem ser seguidos:

1º Passo - A separação entre custos e despesas;


2º Passo - A apropriação dos custos diretos;
3º Passo - A apropriação (rateio) dos custos indiretos;
4º Passo: Rateio dos CustosIndiretos comuns e dos da Administração
Geral;
5ºPasso: Escolha da sequência de rateio dos custos acumulados;
6º Passo: Atribuição dos CustosIndiretos que agora só estão nos
Departamentos de Produção aos produtos segundo critérios fixados.
(MARTINS, 2001, p.25). Grifo do autor.

Antes de começarmos a dissertar sobre a Contabilidade Gerencial, devemos


ressaltar que a Contabilidade de Custos é o alicerce, a fonte, a principal ferramenta de
coleta de informações para a elaboração de relatórios informacionais, em que a
Contabilidade Gerencial, lapidará essas informações, transformando-as em metas,
estratégias e orientações eficazes no auxílio de tomada de decisão.

4 CONTABILIDADE GERENCIAL

Antes de qualquer afirmação no sentido de conceituar e definir a


Contabilidade Gerencial, se é que existe resposta única, universal e concreta,
importante parece que se veja e análise algumas das posições defendidas por
renomados autores e estudiosos da contabilidade na definição da Contabilidade
Gerencial. Iudícibus (1998, p. 21), por exemplo, afirma ser a Contabilidade Gerencial:
“[...] todo procedimento, técnica, informação ou relatório contábil feito ‘sob medida’ para
que a administração os utilize na tomada de decisões entre alternativas conflitantes, ou
na avaliação de desempenho”.
Na descrição supracitada, entende-se que a Contabilidade Gerencial está
limitada a ações circunstanciais e esporádicas, ligadas a uma determinada situação e
13

momento da instituição, apesar de compor todo o universo de procedimentos, técnicas


e relatórios contábeis, como na afirmativa de Iudícibus (1998, p. 21) em que cita que os
mesmos são elaborados “sob medidapara que a administração os utilize na tomada de
decisões entre alternativas conflitantes”, caracterizando assim a existência da
Contabilidade Gerencial de carácter provisório e circunstancial.
Diante do exposto, resume-se no estudo de informações específicas que
servirão de subsídios, através da elaboração de relatórios gerenciais, para que se tome
a melhor decisão entre as alternativas existentes, mesmo que exista uma só, pois
mesmo assim, tem-se ainda a opção de toma-la ou não.
Nesse sentido, a Contabilidade Gerencial como sendo um processo, é vista
como um conjunto de procedimentos ordenados e contínuos para produção de
informações. Portanto, nessa linha de raciocínio, ela existe enquanto processo nos
momentos determinados em que está em andamento. Nessa lógica de pensamento,
ela existirá somente se houver uma ação prévia que a torne concreta, não sendo
apenas técnicas de contabilidade. Somente a partir desta ação que a Contabilidade
Gerencial toma corpo, não existindo por si só antes dela, considerada um estudo
integrador, uma ferramenta da administração.
Uma definição adversa é a de Crepaldi (1998, p. 18), que descreve a
Contabilidade Gerencial como sendo uma ramificação da Contabilidade, onde afirma
que:

Contabilidade Gerencial é o ramo da contabilidade que tem por objetivo


fornecer instrumentos aos administradores de empresas que os
auxiliem em suas funções gerenciais. É voltada para a melhor utilização
dos recursos econômicos da empresa, através de um adequado
controle dos insumos efetuado por um sistema de informação gerencial.
(CREPALDI, 1998, p. 18).

Entende-se, portanto na citação acima, que o autor defende a existência da


Contabilidade Gerencial como de igual teor de importância, justificada por si própria,
como a Contabilidade de Custos, Contabilidade Pública, Contabilidade Financeira,
onde a Contabilidade como ciência seria o eixo principal da qual derivam-se os
diversos ramos, bem como enfatiza o principal usuário da Contabilidade Gerencial, os
usuários internos, gestores, administradores, etc., que são os responsáveis pela
tomada de decisão.
Verificam-se várias opiniões sobre a conceituação e apresentação da
Contabilidade Gerencial, sendo divergente sua definição e caracterização. O fato é
13

que, de alguma forma ela está presente, tanto nas empresas, a partir do gerenciamento
das atividades e produção de informações à tomada de decisão.
No entanto, importante é ressaltar, o que a Contabilidade Gerencial
proporciona através do processo decisório, pois a decisão é uma das atividades na
qual todos nós estamos envolvidos diariamente e, muitas vezes, não nos damos conta
de sua importância e como devemos lidar com a informação, como diz Gates (1997):

Informação é algo que alguém deseja saber, e está disposto a pagar por
ela. A informação não é tangível e nem mensurável, mas é um produto
valioso no mundo contemporâneo porque proporciona poder. O controle
da informação é alvo de governos, empresas e pessoas. (GATES,
1997)11.

O nosso mundo mudou bastante com o passar do tempo e tornou-se mais


complexo, principalmente nos conceitos de administração e contabilidade. Com o
advento da globalização, da competitividade mais acirrada e das maiores exigências
por parte dos clientes, onde também o seu processo decisório se tornou muito mais
complexo, tornou-se necessário o desenvolvimento de ferramentas computacionais
para dar suporte ao processo de tomada de decisão, através de sistemas que
proporcionam o auxílio necessário aos gestores para que possam enfrentar os desafios
do nosso tempo.
Conforme Pereira & Foseca (1997)12, a palavra decisão é formada pelo
prefixo de (prefixo latino aqui com o significado de parar, extrair, interromper) que se
antepõe a palavra caedere (que significa cortar, cindir), ao pé da letra, a palavra
decisão significa “parar de cortar” ou “deixar fluir”.

11 Documento eletrônico disponível em:


<http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART094.pdf>. Acesso em 10 de outubro
de 2010.
12 Documento eletrônico disponível em:
<http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART094.pdf>. Acesso em 10 de outubro
de 2010.
12

Para uma melhor visualização do funcionamento do Processo de tomada de


decisão, abaixo uma demonstração simples do fluxo de como essas informações são
percorridas, até a ação final do decisor, a tomada de decisão:

Figura 01: A tomada de decisão e a ajuda ao decisor.


Fonte: (FREITAS, 1993, p. 94)13.

A Figura 01 identifica e demonstra todas as variáveis que engloba o


processo de tomada de decisão dentro das organizações, destacando as mais
importantes que possuem o poder de interferir neste processo. Observa-se que o
decisor se encontra no centro do processo, ou seja, a ele cabe absorver todas as

informações e despender esforços para a tomada de decisão.


Como já dito, os usuários dos relatórios gerenciais são internos, e
internamente toda organização tem estrutura hierárquica pré-definida, onde cada nível
tem objetivos distintos e específicos e, portanto, recorre às informações contábeis de

13 Documento eletrônico disponível em:


<http://www.ea.ufrgs.br/professores/hfreitas/files/artigos/1995/1995_028_rev_decidir.pdf>.
Acesso em 05 de outubro de 2010.
13

maneira diversa. A contabilidade gerencial deve atender distintamente a esse tipo de


usuário, que neste aspecto, divide-se em três grandes níveis:

a) Nível Estratégico: São geralmente Presidentes, Diretores, Acionistas


e Conselho de Administração. Ou seja, a alta administração. Interessa-
se por informações estratégicas que facilitem a tomada de decisão. Este
nível tem a finalidade de controlar e planejar a empresa sob uma visão
geral, obrigando que os relatórios apresentam-se de maneira sintética;
b) Nível Tático: São gerentes das mais variadas áreas. Ou seja, a
média administração. Interessa-se por informações que auxiliem o
planejamento. É neste nível que o contador gerencial terá a maior
receptividade para seus relatórios e análises. Apesar de não ter
autoridade para interferir nos departamentos, o contador pode penetrar
e colher informações necessárias para fazer retornar relatórios de
desempenho dos setores; para tanto, há necessidade de estar
informado das necessidades de cada setor e de cada gerente, assim
como das políticas da empresa;
c) Nível Operacional: São geralmente supervisores. Utilizam as
informações na execução das atividades, e para tanto a informação
deve ser detalhada e restrita quanto à amplitude, ou seja, a informação
é específica. (ANTHONY, 1965)14. Grifo do autor.

Esses níveis de hierarquização são importantes para a organização, pois


proporciona o domínio do controle da informação, que atribui a cada nível o seu limite
de ação e gerência.
Então, podemos perceber que a característica essencial do modelo de
informação gerencial é o usuário da informação, e a partir deste encontramos as
características secundárias do sistema15:

• O objetivo e a forma dos relatórios serão ligados ao nível


do usuário, ou seja, deverão atender aos objetivos
específicos do usuário;
• A frequência do relatório é conforme a necessidade do usuário;
• Os custos ou valores utilizados serão tanto os históricos (preço
de aquisição) quanto os esperados (preço de reposição), para
facilitar o planejamento da empresa;
• As bases utilizadas para quantificar os dados poderão ser
qualquer uma desde que atendam as especificidades da
informação que se deseja prestar;

14 Documento eletrônico disponível em:


<http://www.ea.ufrgs.br/professores/hfreitas/files/artigos/1995/1995_028_rev_decidir.pdf>.
Acesso em 05 de outubro de 2010.
15 Documento eletrônico disponível em:
<http://www.nead.unama.br/bibliotecavirtual/revista/adcontar/pdf/adcontar42art6.pdf>.
Acesso em 01 de outubro de 2010.
12

• Não existem restrições nas informações fornecidas, desde que


atendam ao que determinam as políticas da empresa;
• Como arcabouço teórico e técnico, a contabilidade gerencial
utiliza várias outras ciências;
• A informação deve ser relevante e a tempo. Para a contabilidade
gerencial, a informação precisa, porém atrasada não adianta.
Mais vale uma informação aproximada e a tempo para a tomada
de decisões;
• E os relatórios estão orientados para o planejamento e tomada
de decisões futuras, acompanhados da orientação histórica para
comparar e avaliar os resultados.

Podemos deduzir que não devemos conceber a Contabilidade Gerencial


como paradigma novo e certo, capaz de substituir os procedimentos da contabilidade
financeira ou de custos, mas incorporá-la às práticas contábeis para que seja a
contabilidade tratada pelos administradores como matéria e peça fundamental para o
bom desempenho das atividades da organização.
Como garantia de uma Contabilidade Gerencial eficiente, com resultados
eficazes, é preciso a implementação de alguns procedimentos, como a união e
consolidação de todas as informações relevantes para administrar a empresa e/ou
instituição, e principalmente ter o controle como prerrogativas de redução de custos e
maximização dos lucros, tornado assim elementos indispensáveis na gestão
econômica da instituição e no controle dos bens patrimoniais.
Ainda segundo Pereira &Foseca (1997)16 a racionalidade é a capacidade de
usar a razão para conhecer, julgar e elaborar pensamentos e explicações, e é ela que
habilita o homem a escolher entre alternativas, a julgar os riscos decorrentes das suas
consequências e efetuar uma escolha consciente da melhor alternativa.
O processo decisório engloba algumas etapas distintasque influenciam no
processo de tomada de decisão, a saber:

a) Análise e identificação da situação: A situação do ambiente onde


o problema está inserido deve ser claramente identificada, através
do levantamento de informações, para que se possa chegar a uma
decisão segura e precisa.
b) Desenvolvimento de alternativas: Em função do levantamento
das informações, ou seja, da coleta de dados, pode se chegar a
possíveis alternativas para a resolução do problema proposto.

16 Documento eletrônico disponível em: <


http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART094.pdf>. Acesso em 10 de outubro
de 2010.
12

c) Comparação entre as alternativas: Levantamento das vantagens


e desvantagens de cada alternativa.
d) Classificação dos riscos de cada alternativa: As decisões
sempre envolvem riscos, seja em um grau quase nulo, seja um alto
grau de risco, ou seja em um estágio intermediário de risco entre o
quase nulo e o alto grau. Temos sempre que levar em consideração
o grau de risco que temos em cada alternativa e escolher a
alternativa que apresente comprovadamente o menor grau de risco.
Porém, é necessário, muitas vezes, se combinar o grau de risco,
com os objetivos a serem alcançados. Às vezes, o grau de risco
que se corre é muito grande, porém, o objetivo a ser alcançado, se
alcançado, nos trará benefícios maiores em relação às alternativas
menos arriscadas.
e) Escolher a melhor alternativa: Tendo o conhecimento das
vantagens, desvantagens e riscos o decisor é capaz de identificar a
alternativa que melhor solucione seu problema.
f) Execução e avaliação: A alternativa escolhida fornecerá
resultados que deverão ser comparados e avaliados com as
previsões anteriores. (URIS, 1989)17. Grifo do autor.

4.1 Contabilidade X Sistema de Informação Contábil

Para um perfeito entendimento da Contabilidade e o Sistema de informação,


a Contabilidade é vista como um banco de dados que contempla todos os eventos
econômicos, financeiros e sociais, que por tal fato, caracteriza-se como um precioso
sistema de informação contábil, se aplicado de forma correta. Isto se deve
principalmente, ao fato da Contabilidade mostrar-se, desde as suas primeiras
manifestações, de uma forma metódica e sistemática, com objetivos bem definidos e
uma visão de conjunto.
Posto que a Contabilidade surgiu sob a arquitetura de sistema de
informação, é válido afirmar que a Contabilidade desempenha o papel de um eficiente
de informação, pois objetiva atender seus usuários com demonstrações financeiras,
econômicas e de produtividade com relação ao objeto da contabilização, devendo
necessariamente observar àquilo que este usuário considera como elementos
importantes para o seu processo decisório.
Administrar é tomar decisões, é mais que uma escolha entre alternativas,
pois obedece a critérios pré-estabelecidos. Iudícibus (2000, p. 28), afirma que “[...] o

17 Documento eletrônico disponível em:


<http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART094.pdf>. Acesso em 10 de outubro
de 2010.
13

objetivo principal da Contabilidade [...] é fornecer informação econômica relevante para


que cada usuário possa tomar suas decisões e realizar seus julgamentos com
segurança.”, desta forma conclui-se, que a Contabilidade tem por fim subsidiar todos os
usuários de sua informação, sejam eles internos ou externos, no sentido de alcançar o
fim a que a mesma se propõe, através da adequada mensuração dos eventos cabíveis
que venham impactar seu patrimônio.
Para a Contabilidade Gerencial, existem dois tipos de usuários: Os Internos
e os Externos. Aos usuários externos (Acionistas, Clientes, Fornecedores, Credores,
Estado, Sindicatos e etc.), interessam tão somente, as informações que são fornecidas
pela Contabilidade Financeira, expressas em relatórios denominados de
demonstrações contábeis.
O sistema de Informação gerencial possui algumas funções primordiais que
devem ser observadas em qualquer instituição, como elemento primordial de sua
sustentabilidade e existência, cuja responsabilidade cabe aos gestores, incorporadas
dentro do processo administrativo18, dentre elas: planejamento, organização, controle e
direção.

Planejamento: definição das metas a serem alcançadas e os meios


que serão empregados. É uma ação proativa, o ponto de arranque do
processo de tomada de decisão.
Organização: baseia-se na execução sistemática das metas
estabelecidas.
Controle: objetiva-se no acompanhamento dos resultados dos planos já
executados, confrontando se as metas foram atingidas dentro do tempo
previsto, permitindo verificar imprevisto, distorções que tenham
prejudicado a concretização dos objetivos preestabelecidos.
Direção: caracteriza-se pelo monitoramento do planejamento, da
organização e do controle, permitindo uma tomada de decisão segura,
propiciando a conversão de planos em resultados satisfatórios.

No Brasil, tem-se o Balanço Patrimonial, a Demonstração do Resultado do


Exercício, a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido, a Demonstração das
Origens e Aplicação de Recursos (substituída pela DFC – Demonstração do Fluxo de
Caixa), a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, quando da não utilização
da DMPL, a Demonstração do Valor Adicionado – DVA, além de outros relatórios que
fornecem dados subsidiários, como por exemplo, as Notas Explicativas.

18 Documento eletrônico disponível em:


<http://mcogomes.files.wordpress.com/2008/05/apostila-de-administracao.pdf>. Acesso em
01 de outubro de 2010.
12

Aos usuários internos (diretores, gerentes, associados, trabalhadores e etc.),


interessam as chamadas informações gerenciais, as quais fazem parte da
Contabilidade Gerencial e que se destinam à tomada de decisões especiais, como o
orçamento de capital, a maximização de lucro na combinação de produtos, ampliação
do investimento, entre outras.
A Contabilidade Gerencial apresenta um conjunto de características,
conforme quadro abaixo, o qual foi editado para ressaltar as peculiaridades da
Contabilidade Gerencial.

FATOR CONTABILIDADE GERENCIAL


Usuários dos relatórios Internos
Objetivo especial de facilitar o planejamento,
Objetivo dos relatórios controle, avaliação de desempenho e tomada de
decisão internamente.

Orçamentos, contabilidade por responsabilidade,


relatórios de desempenho, relatórios de custo, relatórios
Forma dos relatórios
especiais não rotineiros para facilitar a tomada de
decisão.

Frequência dos relatórios Quando necessário pela administração.

Custos ou valores utilizados Históricos e esperados (previstos).

Bases de mensuração usadas Várias bases (moeda corrente, moeda estrangeira –


para quantificar os dados moeda forte, medidas físicas, índices etc.).

Restrições nas informações Nenhuma restrição, exceto as determinadas pela


fornecidas administração.

Utilização pesada de outras disciplinas, como economia,


Arcabouço teórico e técnico finanças, estatísticas, pesquisa operacional e
comportamento organizacional.

Características da informação Deve ser relevante e a tempo, podendo ser subjetiva,


fornecida possuindo menos verificabilidade e menos precisão.
13

Orientada para o futuro para facilitar o planejamento,


controle e avaliação de desempenho antes do fato (para
Perspectiva dos relatórios. impor metas), acoplada com uma orientação histórica
para avaliar os resultados reais (para o controle posterior
do fato).

Quadro 01: Características da Contabilidade Gerencial.


Fonte:(PADOVEZE: 2000, p. 31-32)19.

5 METODOLOGIA DA PESQUISA

19 Documento eletrônico disponível em:


<http://www.ccet.unimontes.br/arquivos/dcc/patricia/1060.pdf>. Acesso em 12 de outubro
de 2010.
13

O pesquisar é uma das etapas importantes da investigação, é o momento


onde o pesquisador se apresenta a prática do que ele até o momento havia visto na
teoria. Outro aspecto relevante é a propositura de analisar os fenômenos no seu
espaço de origem ou guarda, seja com iniciativas de escolher sujeitos, seja pela
análise de documentos que trazem fatos ou dados reais que representam informações
reais de uma determinada empresa ou grupo de pessoas ou até mesmo de um bloco
social.

5.1 Método

Para fazer uma prévia caracterização do estudo pretendido serão


mencionados a seguir os aspectos metodológicos a serem idealizados neste estudo. O
método, segundo Fernandes (2004, p.4), “[...] é o caminho ordenado e sistemático, a
orientação básica para se chegar a um fim. Representa a maneira de atingir um
propósito bem definido.”, ou seja, trata de um conjunto de processos para desenvolver
certos procedimentos ou comportamentos, tornando possível conhecer uma
determinada realidade.
O método de pesquisa utilizado ora foi o Indutivo, por permitir “observações
dos fatos e dos fenômenos, e da realidade objetiva. [...] o ponto de chegada é o
estabelecimento de leis ou regularidades [...]” (FERNANDES, 2004, p. 5), ora será o
Dedutivo, por “transformar enunciados complexos, universais em particulares. [...] nas
quais o raciocínio simples pode chegar a enunciados complexos.” (FERNANDES,
2004, p. 5).
As afirmativas acima resumem-se na inserção de todos os conhecimentos
na área Contábil por parte do pesquisador, no intuito de aplicá-los no desenvolvimento
do projeto na empresa e/ou instituição, bem como ao final do trabalho, mesclar esses
conhecimentos peculiares da realização do projeto, e transformá-los em conhecimento
científico, colaborando para a propagação e aplicação, no desenvolvimento de outros
estudos.
5.2 Técnica
12

“A técnica é a forma da aplicação do método. [...] são os suportes físicos, os


instrumentos que auxiliam para que se possa chegar a um determinado resultado [...]”.
(FERNANDES, 2004, p.6).
A pesquisa iniciará com a técnica da observação, que é “todo procedimento
que permite acesso aos fenômenos estudados. É a etapa imprescindível em qualquer
tipo ou modalidade de pesquisa.” Severino (2007, p. 125), onde complementará com a
técnica da documentação, que segundo Severino (2007, p. 125) “é toda forma de
registro e sistematização de dados, informações, colocando-os em condições de
análise por parte do pesquisador.”.
A técnica adotada será a pesquisa bibliográfica e análise quantitativa de
demonstrações contábeis através de pesquisa documental. Sendo a pesquisa
bibliográfica, constituída de artigos científicos, jornais, boletins e livros relacionados
com o tema em estudo e a pesquisa documental viabilizando que se tenha acesso a
documentos tipo: documentos oficiais, registros, entre outros, com o objetivo de
“recolher, analisar e interpretar as contribuições teóricas já existentes sobre
determinado fato, assunto ou ideia.” Fernandes (2004, p.9).
O universo de Pesquisa se limitará a todos os procedimentos sistematizados
envolvendo a 7ª Companhia Independente de Polícia Militar de Jaciara, como forma de
estudo todas as fontes de recursos e destinação de despesas e investimentos.
Enfim, os dados quantitativos irão alicerçar a análise dos documentos
permitindo aproveitar as subjetividades das informações administrativas e analisar
qualitativamente os dados da mesma, tornando uma pesquisa com foco nos
fenômenos e nos quantum que o processo apresenta em seus documentos.

6 RESULTADOS E ANÁLISES
12

Após definidas todas as temáticas que englobam o processo da Tomada de


Decisão, demonstra-se a seguir, todas as experiências relacionadas às propostas
definidas como objetivo desta monografia, desenvolvidas no quartel da 7ª Companhia
Independente de Polícia Miltar de Jaciara.
A Instituição Polícia Militar, é organizada da seguinte forma, respeitando a
seguinte hierarquia de forma decrescente: Quartel do Comando Geral, com sede na
capital do Estado de Mato Grosso, onde fica lotado o Comandante Geral da Polícia
Miltar e Alto Escalão da Polícia Militar, que engloba todas as Diretorias Adjuntas para
administração da Instituição, subordinadas apenas ao Comandante Geral.
Logo, abaixo os Comandos Regionais (CR’s), divididos em todo o território
mato-grossense por subregiões, compreendendo o CR I ao CR IX. Cada CR possui
sob sua subordinação os Batalhões (BPM’S), e estes por sua vez, Companhias
Independentes (CIPM’S), que também tem sob sua subordinação Pelotões (PEL’s) e
Núcleos (NPM), esse último com efetivo inferior a dez policias e o CR com efetivo
acima de trezentos policiais.
A 7ª CIPM de Jaciara, que é subordinada ao CR IV em Rondonópolis, possui
sob sua subordinação, dois Pelotões e três Núcleos de Polícia Militar, conforme
exemplificado no organograma abaixo:
PESSOA
MARKETING
NPM
SUBCOMANDO
PEL.
NPM
COMANDO
15SANTA
FÁTIMA
3DOM
SÃO
2
DALP
DEPOEG
PEL.
ARI
PEDRO DOM
JUSCIMEIRA
SISTÊMICO
ELVIRA
L 7ª4SÃO
DE CIPM
DA
AQUINO
LORENÇO
CIPA

Figura 2: Organograma da 7ª Companhia Independente da Polícia Militar de Jaciara-MT.


Fonte:O autor.

Faz-se necessário o entendimento dessa hierarquia organizacional, para


demonstrar como os recursos são destinados para para cada subregião: CR, BPM e
CIPM. Vale ressaltar que os recursos oriundos que compete à CIPM’s administrar, é
somente referente à alimentação, objeto de estudo desta monografia, outras demandas
13

que envolvam recursos financeiros, deverá cada UPM20 confeccionar ofício justificando
a necessidade (solicitação) do recurso para determinado fim à sua UPM imediata, onde
está repassará até que chegue ao Órgão responsável pelo estudo e liberação do
recurso, no caso estudado, a DAPO (Diretoria de Planejamento, Orçamento e
Finanças).

6.1 Missão

Realizaçãodo Policiamento Ostensivo e a preservação da Ordem Pública do


Estado de Mato Grosso.

6.2Visão

Segurança Pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos.

6.3Valores

• Integração permanente com a sociedae;


• Preservação das tradições e cultura policiais e bombeiros militares;
• Educação integral;
• Assimilação e prática dos deveres, dos valores e das virtudes policiais e
bombeiros militares;
• Comportamento diferenciado dos reflexos e atitudes funcionais;
• Atualização científica e tecnológica.

6.4História da Polícia Militar de Mato Grosso

20 Unidade Policial Militar


12

A História da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso tem sua


fundamentação comum a toda formação do poder militar e investigativo do Brasil.
Reescrever esta história, lançar informações e incrementar dados seria redundante e
até incorreto, pois esse processo já existe e positivado no Portal da Polícia Militar de
Mato Grosso21.

A história da Polícia Militar se confunde com a própria história do Estado de Mato


Grosso. Entendemos que a cultura policial militar é apenas uma fração da cultura
Mato-grossense, esta sim, uma cultura completa. “A cultura de uma organização não
nasce com a sua fundação, ela é constituída ao longo do tempo, evolui com a história
da organização e para que as pessoas se identifiquem com esta cultura é necessário
a sua permanência na instituição por longo tempo”, conforme trabalho monográfico de
“Tavares”.

Alguns acontecimentos ao longo do tempo, esta a lapidar a cultura do


Estado de Mato Grosso e da Polícia Militar no caminhar da história dessa Instituição.

Com a fundação da cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade, em 1.753,


a segurança pública em Mato Grosso começou a se revelar. Daí para cá, a história da
Polícia Militar passou por três fases:

Fase Colonial (1.753 a 1.835)

Dom Antônio Rolim de Moura, 1º Governador, criou e organizou, em 1.753,


a segurança pública na capital de Vila Bela, com o nome de COMPANHIA DE
ORDENANÇAS. No governo do Capitão-General Luiz P. de Souza Coutinho. É
transformada em FORÇA PÚBLICA, com o efetivo de 620 (seiscentos e vinte)
homens.

21 Documento disponível em:<http://www.pm.mt.gov.br/index.php?view=historia>. Acesso


em Acesso em 09 de junho de 2010.
13

Fase Provincial (1.835 a 1.891)

O início desta fase é marcado pela criação da Polícia Militar que, por meio
da decretação da Lei n.º 30, de 05 de setembro de 1.835, cria o corpo policial com a
denominação de HOMENS DO MATO. Nesta fase, a função da polícia era
basicamente caçar escravos fugidos, daí o nome “homens do mato”, e atendia aos
interesses políticos do governo da época. Durante a Guerra do Paraguai passou a
denominar-se VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA e esta fase finda com a denominação pós
Guerra, ou seja, COMPANHIA POLICIAL.

Fase Republicana (a partir de 1.891)

Em 1.891 é promulgada a Constituição do Estado de Mato Grosso e, em


seu “Art. 62” é criada a POLÍCIA MILITAR e, em seguida, é promulgado o
Regulamento da Força Pública do Estado de Mato Grosso (Dec. n.º 32, de
24/12/1892).

A Polícia Militar do Estado de Mato Grosso ( PMMT ) tem por função


primordial o policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública do Estado. É
uma força auxiliar e reserva do Exército Brasileiro e integra o Sistema de Segurança
Pública e Defesa Social. Seus integrantes são denominados militares dos Estados.

Na Constituição da República Federativa do Brasil em seu Capítulo III, que


versa sobre “Segurança Pública”, está expressa a legitimidade das ações que
orientam a Instituição no seu: “Art. 144 A segurança pública, dever do Estado, direito e
responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da
incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:

I – Polícia Federal;
II – Polícia Rodoviária Federal;
III – Polícia Ferroviária Federal;
IV – Polícias Civis;
V - Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares.
12

§ 5º - às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da


ordem pública; ( ....)”.

Quadro 02 – História da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso


Fonte: Portal da Polícia Militar de Mato (2010)22

A Polícia Militar tem como Patrono o Mártir Joaquim José da Silva Xavier,
conhecido como Tiradentes. Um herói brasileiro que teve participação decisiva na
busca da Independência do Brasil desde os idos dos anos de 1788. Articulador do
Movimento conhecido como “Inconfidência Mineira”, teve como objetivo maior a
conquista de uma nação livre, moderna, integra, com qualidade de vida que
assegurasse a todos o direito pleno a cidadania, e trinta e quatro anos após, em 07 de
setembro de 1822, a conquista definitiva da Independência.

6.5 História da Polícia Militar de Jaciara

Em 20 de dezembro de 1958, foi dado a emancipação da Cidade Jaciara-


MT, na gestão do prefeito Antônio Bastos Pereira, onde foi fundada a primeira
Delegacia de Polícia de Jaciara-MT, na gestão do Prefeito Ramon Araújo Itacarambi.
Foi designado o 3o Sargento PM Sérgio de Morais, pelo Secretário de Segurança
Pública - Major Sotovia, Comandante Geral da época - Euro Barbosa de Barros,
comandante do 1ª BPM em Cuiabá - José Silvério da Silva, escrivão nomeado na
época - Senhor Raimundo Nelson Neves, os componentes do destacamento de
Jaciara: Sd Juraci Londrin da Silva e Sd Manoel Garcia da Silva, onde o primeiro oficial
a ser designado para Jaciara-MT foi o Aspirante PM Hagamenon Alcântara Moreno. Na
gestão do Prefeito Celso de Oliveira Lima, em 1997, o destacamento de Polícia Militar
de Jaciara passou a cateria de Companhia de Policia Militar, onde funciona até hoje no
prédio do antigo Hospital Cristo Redentor, situado na Av. António Ferreira Sobrinho,
1925 - centro da Cidade, na gestão do Capitão PM Willian Douglas.
Ex-comandantes da Polícia Militar em Jaciara: Sgt Ramos (até 1980); Sgt
Mota (1980 – 1988); Ten Gilson Farid da Cunha Barros (1988-1990); Cap Carlos

22 Documento disponível em:<http://www.pm.mt.gov.br/index.php?view=historia>. Acesso


em 09 de junho de 2010.
12

Estêvão (1990-1993); Cap Marlan (1993-1997); Cap Willian Douglas (1997-1998); Ten
Sovinscki (1998-2004); Cap Moura; Cap Cunha; Ten Cel Santos Silva; Ten Cel Celso;
Maj Vitório; Ten Cel Taborelli (2008-2009), Ten Cel Medeiros (2009 até julho de 2010),
e atualmente o Maj PM Vanilto.
A contribuição da Contabilidade Gerencial na tomada de decisões no
sistema de alimentação da 7ª CIPM é de relevância importância, pois determinará, de
maneira racional, a melhor alternativa para aplicabilidade do recurso, respeitando
princípios e eficácia da qualidade no que é aplicado.
O principal recurso do sistema de alimentação é baseado pelo valor
individual corresponde a cada policial, ou seja, R$ 80,00 vezes a quantidade total de
policiais por UPM, conforme ilustra na tabela abaixo:

TABELA 01: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 da 7ª CIPM
Nº POS/GRAD NOME R$
1. MAJ PM MAJOR A 80,00
2. 2º TEN PM TENENTE A 80,00
3. 2º SGT PM SARGENTO A 80,00
4. 2º SGT PM SARGENTO B 80,00
5. 2º SGT PM SARGENTO C 80,00
6. 3º SGT PM SARGENTO D 80,00
7. CB PM CABO A 80,00
8. CB PM CABO B 80,00
9. CB PM CABO C 80,00
10. CB PM CABO D 80,00
11. CB PM CABO E 80,00
12. CB PM CABO F 80,00
13. CB PM CABO G 80,00
14. CB PM CABO H 80,00
15. CB PM CABO I 80,00
16. CB PM CABO J 80,00
17. SD PM SOLDADO A 80,00
18. SD PM SOLDADO B 80,00
19. SD PM SOLDADO C 80,00
20. SD PM SOLDADO D 80,00
21. SD PM SOLDADO E 80,00
22. SD PM SOLDADO F 80,00
23. SD PM SOLDADO G 80,00
24. SD PM SOLDADO H 80,00
25. SD PM SOLDADO I 80,00
26. SD PM SOLDADO J 80,00
27. SD PM SOLDADO L 80,00
28. SD PM SOLDADO M 80,00
29. SD PM SOLDADO N 80,00
30. SD PM SOLDADO O 80,00
13

31. SD PM SOLDADO P 80,00


32. SD PM SOLDADO Q 80,00
33. SD PM SOLDADO R 80,00
SUB TOTAL R$ 2.640,00
FÉRIAS 02 PM (160,00)
LICENÇA PRÊMIO 0 PM 0
TOTAL GERAL R$ 2.480,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)23

Fica bem exemplificada na tabela acima, a demonstração que justifica o


valor a ser repassado pelo CR IV, correspondente ao número de policiais efetivamente
empregados em serviço, abatendo assim, aqueles que estão de férias, gozando licença
prêmio e os que estão afastados para tratamento de saúde.
A 7ª CIPM, juntamente com os Pelotões e Núcleos subordinados, é
composta ao todo, por 70 policiais, conforme distribuição nas tabelas abaixo, onde
serão discriminadas as características de cada UPM, porém, ficará limitada somente a
essas informações, pois o estudo deste trabalho baseia basicamente no efetivo da
sede da 7ª CIPM, onde nada impede que o reflexo deste trabalho seja espelhado para
as demais UPM’s, porém numa escala menor.
Estes setenta policiais são distribuídos da seguinte forma: sendo trinta e três
Policiais Militares na sede em Jaciara e trinta e sete Policiais Militares nos Núcleos 24 e
Pelotões25 subordinados, sendo o 1º Pelotão de Dom Aquino, 2º Pelotão de Juscimeira,
NPM de São Pedro da Cipa, NPM de Santa Elvira e NPM de Fátima de São Lourenço.
A classificação quanto ao posto e/ou graduação, é organizada da seguinte forma:

• Dois oficiais, sendo um o Comandante e outro, o Subcomandante da 7ª


CIPM26;
• Oito Sargentos, sendo quatro lotados na sede da 7ª CIPM atuando como
Comandantes de Policiamento Urbano e outros quatro Sargentos, atuando
como Comandantes de NPM’s e Pelotões;

23 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


24 Núcleos – Núcleos Militares semelhantes aos Pelotões, porém subordinados a este, por
estar localizados na mesma região, só que em regiões mais afastadas ou distantes.
25 Pelotões – Possuem no máximo 10 policiais, podendo ter NPM’s instalados sob
subordinação em regiões mais afastadas.
26 CIPM – Bases Militares que possuem mais de 30 policiais, bem como Pelotões e NPM’s
sob subordinação;
12

• Dezenove Cabos, sendo dez lotados na sede da 7ª CIPM, atuando como


Comandantes de Rádio Patrulha27, oito Cabos distribuídos entre os NPM’s e
Pelotões e um Cabo atuando como Comandante do NPM de Santa Elvira.
• Quarenta e um Soldados, sendo dezessete lotados na sede da 7ª CIPM e
vinte e quatro distribuídos entre os NPM’s e Pelotões.

TABELA 02: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 do 1º Pelotão de
Dom Aquino
Nº GRAD. NOME R$
1. 2º SGT PM
SARGENTO A 80,00
2. CB PM CABO A 80,00
3. CB PM CABO B 80,00
4. CB PM CABO C 80,00
5. SD PM SOLDADO A 80,00
6. SD PM SOLDADO B 80,00
7. SD PM SOLDADO C 80,00
8. SD PM SOLDADO D 80,00
9. SD PM SOLDADO E 80,00
SUB TOTAL R$ 720,00
FÉRIAS 00 PM 0
LICENÇA PRÊMIO 02 PM (160,00)
TOTAL GERAL R$ 560,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)28

É o maior pelotão subordinado à 7ª CIPM, com um total de nove policias,


enquanto que o Pelotão de Juscimeira possui sete policiais, como os demais NPM’s
existentes. O 1º Pelotão localiza-se na cidade de Dom Aquino e como acontece em
Jaciara, o sistema de alimentação também é realizado em um restaurante da cidade,
que aderiram após a aprovação e eficácia do sistema em Jaciara. Compete o
policiamento do atendimento de ocorrências do 1º Pelotão de Dom Aquino, vários
distritos, glebas e assentamentos circunvizinhos, os quais fazem divisão com Jaciara e
Campo Verde.

TABELA 03: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 do 2º Pelotão de
Juscimeira
GRAD. NOME R$
43 2º SGT PM SARGENTO A 80,00
44 CB PM CABO A 80,00
45 CB PM CABO B 80,00
46 SD PM SOLDADO A 80,00

27 Rádio Patrulha – Policias que trabalham diuturnamente nas viaturas, policiamento


ostensivo.
28 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.
12

47 SD PM SOLDADO B 80,00
48 SD PM SOLDADO C 80,00
49 SD PM SOLDADO D 80,00
SUB TOTAL R$ 560,00
FÉRIAS 02 PM (160,00)
LICENÇA PRÊMIO 00 PM 0
TOTAL GERAL R$ 400,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)29

O 2º pelotão de Juscimeira é formado por sete policiais, onde sob sua subordinação,
possui dois NPM’s, sendo o de Santa Elvira e de Fátima de São Lourenço, os quais
fazem parte da jurisdição da cidade de Juscimeira juntamente com o distrito de Placa
de Santo Antônio, o qual não possui nenhum destacamento Policial Militar. Os policiais
do 2º Pelotão de Juscimeira realizam sua alimentação no Restaurante do Posto Santa
Mônica, de igual forma os NPM’s de Santa Elvira e Fátima de São Lourenço, pois
nesses distritos, não conseguiram êxito na negociação de um preço que assegurasse
suas alimentações. A Média com alimentação deste pelotão fica em média, R$ 558,00.
No caso de gozo de férias, como no caso acima, encontra-se dois policiais de férias, os
policiais que virão substituir esses policiais da 7ª CIPM, serão repassadas suas cotas
para a UPM em que estiver trabalhando, evitando assim, a suspensão da alimentação
por falta de recursos.

TABELA 04: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 do NPM de
São Pedro da Cipa
Nº GRAD. NOME R$
50 SARGENTO A
2º SGT PM 80,00
51 CB PM CABO A 80,00
52 SD PM SOLDADO A 80,00
53 SD PM SOLDADO B 80,00
54 SD PM SOLDADO C 80,00
55 SD PM SOLDADO D 80,00
56 SD PM SOLDADO E 80,00
SUB TOTAL R$ 560,00
FÉRIAS 01 PM (80,00)
LICENÇA PRÊMIO 00 PM 0
TOTAL GERAL R$ 480,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)30

Este Núcleo Policial Militar é o único subordinado diretamente da 7ª CIPM,


isso devido à pequena distância da cidade de Jaciara, apenas 05 km. Também é

29 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


30 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.
12

formado por sete policiais, que atendem tanto em São Pedro da Cipa como em várias
glebas e assentamentos que fazem divisa com Jaciara, Dom Aquino e Juscimeira. Os
policiais deste NPM efetuam sua alimentação na Churrascaria Chaleira Preta, pois em
São Pedro da Cipa, não há restaurante inscrito legalmente na Junta Comercial para
fornecimento de Nota Fiscal.

TABELA 05: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 do NPM de
Santa Elvira
Nº GRAD. NOME R$
57 CB PM CABO A 80,00
58 CB PM CABO B 80,00
59 SD PM SOLDADO A 80,00
60 SD PM SOLDADO B 80,00
61 SD PM SOLDADO C 80,00
62 SD PM SOLDADO D 80,00
63 SD PM SOLDADO E 80,00
SUBTOTAL R$ 560,00
FÉRIAS 01 PM (80,00)
LICENÇA PRÊMIO 00 PM 0
TOTAL GERAL R$ 480,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)31

O NPM de Santa Elvira é subordinado diretamente ao 2º Pelotão de


Juscimeira, formado por sete policiais e possui uma peculiaridade, é o único NPM
comandado por um cabo, isto porque o número de sargentos no lotaciograma da 7ª
CIPM é insuficiente, necessitando assim de um policial de graduação menor, mas que
tenha responsabilidades e experiências inquestionáveis a esta à frente de outros
policiais. Este NPM executa sua alimentação no restaurante do Posto Santa Mônica em
Juscimeira, seguindo as mesmas prerrogativas quanto a férias de policiais, como citada
no 2º Pelotão de Juscimeira. O policiamento ostensivo no Distrito de Placa de Santo
Antônio cabe a este NPM, bem como as glebas e assentamentos que fazem divisa com
Juscimeira e o distrito de Boa Vista.

TABELA 06: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 do NPM de
Fátima de São Lourenço
Nº GRAD. NOME R$
64 3º SGT PM SARGENTO A 80,00
65 CB PM CABO A 80,00
66 SD PM SOLDADO A 80,00
67 SD PM SOLDADO B 80,00
68 SD PM SOLDADO C 80,00

31 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


13

69 SD PM SOLDADO D 80,00
70 SD PM SOLDADO E 80,00
SUBTOTAL R$ 560,00
FÉRIAS 00 PM 0
LICENÇA PRÊMIO 01 PM (80,00)
TOTAL GERAL R$ 480,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)32

Este NPM é o mais distante de sede da 7ª CIPM, aproximadamente 65 Km


de distância. Está subordinado ao 2º Pelotão de Juscimeira, sendo o mais recente de
todos, inaugurado no mês de agosto de 2010. Cabe a este NPM, a realização do
policiamento ostensivo em diversas regiões turísticas e de pesqueiros, onde há um
índice muito alto de turistas para esse fim, onde torna-se fundamental a existência
dessa UPM, que com tão pouco tempo, já desfruta de resultados brilhantes como:
apreensão de equipamentos para pesca predatória, apreensão de arma fogo e
regulação da fiscalização das normas pertinentes a trânsito que quase era nula
naquela região. Devido ao mesmo problema encontrado no NPM de São Pedro da
Cipa, os policiais do NPM de Fátima de São Lourenço, tem que deslocar até Juscimeria
para realizarem sua alimentação.
Conforme disponibilidades do sistema de Promoção Social dos municípios
de Dom Aquino, Juscimeira e São Pedro, são ofertadas cestas básicas, de forma
esporádica e aleatória, para esta UPM’s, o que torna favorável para a real efetividade
destas UPM’s, pois todas, ao contrário da 7ª CIPM, o plantao diário é de 24H de
serviço, enquanto que na 7ª CIPM é de 12H, e com o auxílio desta cestas básicas,
embora não seja contínua e obrigatória, contribui para que esses policiais se alimentem
no período noturno quando de serviço.
Voltando a análise da 7ª CIPM, após definidos os valores mensais a serem
recebidos, no início da segunda quinzena de cada mês, desloca-se até a sede do CR
em Rondonópolis, um policial responsável pelas finanças da 7ª CIPM para receber os
valores em cheque, correspondente a Notas Fiscais no valor de cada UPM, seja
restaurante ou supermercados.
Vale ressaltar que anterior à execução deste projeto, os valores a serem
recebidos eram definidos pelo CR IV, haja vista a única informação solicitada era
referente à quantidade de policiais que estavam de férias e licença prêmio ou de
licença para tratamento de saúde, que em decorrência do estágio realizado,
proporcionou uma análise minuciosa do valor recebido com o quantitativo de policiais

32 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


13

operacionais efetivamente empregados no policiamento, onde se observou que o valor


não correspondia, ficando constatado que há muito tempo, estavamos sendo lesados
em mais de R$ 240,00, onde a partir daí, começou-se a justificar o valor a receber
conforme as tabelas supracitadas.
Existem outros recursos de caráter provisório, transitório e informal,
decorrentes da prestação de serviços de escolta de valores ou a título de doação, mas
que não podem ser contabilizados justamente por serem efêmeros e condicionais.
Diante da autonomia do comandante da 7ª CIPM no processo decisório em
como escolher a melhor forma alternativa para o investimento desse recurso, seja no
restaurante através da terceirização ou na preparação da alimentação nas
dependências da 7ª CIPM, através da compra de produtos em supermercados, é o que
torna imprescindível o desenvolvimento desta monografia, pois através da
Contabilidade Gerencial, subsidiada pela Contabilidade de Custos, abordará todas as
particularidades dos custos bem como a qualidade e satisfação proporcionada por cada
sistema de alimentação, capacitando assim o gestor, de forma racional, na melhor
escolha das alternativas apresentadas.
Até 2008, o sistema de alimentação adotado era o da preparação nas
dependências da 7ª CIPM, que por muito tempo, era preparado por um policial antigo
com muitos anos de serviço, prestes a aposentar-se, que posteriormente, por falta de
inserção de novos policiais na Instituição e constantes baixas por aposentadoria
remunerada, tornou-se escasso o número mínimo de policiais para a prestação de
serviço à sociedade, onde se recorreu à contratação de uma cozinheira, em que todos
contribuíam com o valor de R$ 15,00 para pagá-la, haja vista o valor decorrente do
recurso da Etapa Alimentação mal dava para quitar a dívida no supermercado.
Vale ressaltar que no início desse novo sistema de alimentação terceirizada,
na Churrascaria Chaleira Preta, muitos apresentaram resistências, questionando que
não se deveria alimentar-se com outras pessoas, que não miltares, ainda mais em
público, pois a sua segurança seria ameaçada. Não demorou muito para que todos
acostumassem diante da variedade de produtos que agora poderiam escolher, na
quantidade que desejassem.
Para uma justa e perfeita comparação entre os sistemas de alimentação, foi
necessário realizar uma entrevista com a cozinheira para que pudesse descriminar e
mensurar os materiais que eram comprados no supermercado Fênix e a frequência que
ocorria, que através de uma média aritmética, resultou nos seguintes produtos abaixo
13

relacionados, que nos dias atuais, especificamente no mês de setembro de 2010,


corresponderia aos seguintes valores conforme tabela abaixo:

TABELA 07: Lista de Compras da 7ª CIPM


PRODUTOS QUANTIDADE PRECO UNIT. PREÇO TOTAL
ARROZ 100 KG 8,65 173,00
FEIJÃO 30 KG 4,25 127,50
AÇÚCAR 30 KG 3,59 53,85
TRIGO 5 KG 2,19 10,95
ÓLEO 30 LTS 2,59 77,70
CAFÉ 8 KG 2,49 79.68
MACARRÃO 15 KG 2,75 41,25
EXTRATO DE TOMATE 3 KG 12,00 12,00
FARINHA DE ROSCA 4 KG 2,50 10,00
FARINHA DE TRIGO 4 KG 2,50 10,00
TEMPERO COMPLETO (GRANDE) 4 KG 6,25 25,00
OVOS 6 DÚZIAS 2,50 15,00
MARGARINA 2 KG 5,50 11,00
CARNES 80 KG 16,99 1359,20
FRANGO 60 KG 3,75 225,00
VERDURAS E LEGUMES 31 PORÇÕES 1,25 38,75
SUBTOTAL 2266.88
GÁS DE COZINHA 3 BOTIJÕES 55,00 165,00
COZINHEIRA MENSAL 450,00 450,00
TOTAL GERAL 2881,88
Fonte: Sidnei Mateus Fernandes (2010)33

Um ponto a ser destacado, é que nesse sistema de preparo da alimentação


nas dependências da UPM, o número de visitantes era enorme, pois constantemente
chegavam outros policiais de outras UPM que estavam em trânsito, justamente próximo
do horário do almoço, e o que na verdade era para ser gasto com os policiais locais,
gastava-se até 40% a mais do valor total acima visto, sem falar da falta de variedade e
contínua repetição dos alimentos, acarretando numa dízima períodica à dívida a pagar
a cada mês que se passava.
No início do ano de 2009, no comando do Tenente Coronel PM Pery
Taborelli da Silva, ao discordar do sistema de alimentação sendo preparado na UPM,
procurou alternativas para uma alimentação melhor e mais saudável e que, ao mesmo
tempo não onerasse custos, onde através de conversas e bate papos informais,
sugerimos a busca pela viabilidade da terceirização do sistema de alimentação, que
através do levantamento de um orçamento em todos os restaurantes da cidade,
chegou-se ao consenso mútuo, que partir daquele momento, a realização da

33 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


12

alimentação dos policiais da 7ª CIPM seria no restaurante e churrascaria Chaleira


Preta, devido tal restaurante ofertar o menor preço, variedade e qualidade igualitária
com os demais concorrentes.
Os gastos com alimentação no restaurante, se comparada com os gastos na
preparação na see da 7ª CIPM, diminuíram consideravelmente, conforme se vê na nota
fiscal abaixo:

TABELA 08: Relação nominal dos PM’S para alimentação diária do mês outubro 2010 da 7ª CIPM –
dia 01.10.2010 – sexta feira
Nº POS/GRAD NOME R$
1. MAJ PM MAJOR A 06,00
2. 2º TEN PM TENENTE A 06,00
3. 2º SGT PM SARGENTO A 06,00
4. CB PM CABO A 06,00
5. SD PM SOLDADO A 06,00
6. SD PM SOLDADO B 06,00
7. SD PM SOLDADO C 06,00
SUB TOTAL R$ 42,00
Refrigerantes = 07 R$ 07,00
TOTAL GERAL R$ 49,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)34

Observando a tabela supracitada, ficam evidenciadas de forma clara e


concisa, as vantagens já à primeira vista da redução dos custos com a alimentação dos
policiais da 7ª CIPM, isso já incluído a disposição de cada policial, um refrigerante de
350 ml, onde, já de posse do valor unitário gasto com alimentação, basta
multiplicarmos por 31, valor correspondente aos dias do mês de outubro, daí teremos o
custo mensal com alimentação dos policiais da 7ª CIPM, correspondendo ao seguinte
valor: R$ 1519,00 (Um mil e quinhentos e dezenove reais).
Para uma melhor visualização e interpretação dos custos com alimentação,
mostraremos a seguir um gráfico comparativo dos custos entre os dois sistemas de
alimentação, quando da preparação na sede da 7ª CIPM e da tercerização, executada
na Churrascaria Chaleira Preta, como se fossem efetivadas no mês de outubro de
2010, ficando da seguinte forma, incluído no sistema de preparação na 7ª CIPM além
dos produtos, apenas o gasto fixo com gás de cozinha:

Grafico 01: Comparativo entre custo com alimentação no mês de outubro de 2010.

34 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


12

Fonte: Sidnei Mateus Fernandes (2010)35

Através da análise comparativa dos dois sistemas de alimentação,


realizados em referência ao mês de outubro de 2010, podemos deduzir uma média da
porcentagem de economia que sistema fornece em relação ao outro, onde
especificamente, no caso acima, o sistema de alimentação preparada na 7ª CIPM, é
60,10% mais cara que o sistema terceirizado, executado na Churrascaria Chaleira
Preto, podendo através deste índice, basear-se para os demais meses correntes do
ano.
Considerando que não haja disponibilidade de um Policial Militar para a
preparação desta alimentação na 7ª CIPM, deverá, portanto contratar uma cozinheira
para prestação de serviço desta natureza, que conforme a Tabela 07, esses valores
sofreriam um acréscimo de R$ 450,00, demonstrado no gráfico abaixo:

Grafico 02: Comparativo entre custo com alimentação no mês de outubro de 2010 adicionado gasto fixo
com Cozinheira.
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)36

Quando adicionamos o custo fixo, como a prestação de serviços por parte


da cozinheira, na integração do custo total da alimentação, este custo sobe para R$
2881,88, que evidencia um claro prejuízo mensal de aproximadamente R$ 241,88.
Neste novo custeio, a porcentagem de variação entre os sistemas distanciam em
grande escala, em que neste sistema torna-se 89,66% mais oneroso que o sistema de
alimentação terceirizado, efetuado na Churrascaria Chaleira Preta.
Total do custo:
Devemos ressaltar algumas peculiaridades, vantagens e desvantagens de
R$2881,88
cada sistema, os quais serão demonstrados no quadro abaixo:

Alimentação preparada na sede da 7ª Alimentação executada na Churrascaria


CIPM Chaleira Preta
Utiliza policial para elaboração da Não utiliza policiais em hipótese alguma.
alimentação ou onera custos para
contratação de cozinheira.
Há grandes probabilidades de Os riscos são menos, pois depende da
policiais de folga acabar por alimentar autorização do Comandante para ingresso
na UPM. na Relação Nominal Diária.

35 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


36 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.
12

Pouca variedade na alimentação. Grande diversidade de carnes, verduras,


sobremesas, etc.
É mais cara. É mais barata.
Não integra os policiais a sociedade. Favorece a integração Polícia X
Sociedade.
Não faz policiamento ostensivo Embora estejam se alimentando,
enquanto se alimenta. incondicionamente executam o
policiamento ostensivo somente pela
presença física no ambiente, dando
sensação de segurança.
Favorece gastos com outros produtos Proporciona planejemento para realizar
sem que seja para a alimentação. gastos com outros produtos essenciais,
por não suprir todo o recurso.
Quadro 03: Peculiaridades, vantagens e desvantagens entre os dois sistemas de alimentação
existententes na 7ª CIPM.
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)37

Diante de todas as infomações contidas neste trabalho, foi desenvolvido um


relatório gerencial, o que também atende a uma das exigências da Contabilidade
Gerencial, a confecção de Relatório Gerencial, subsidiando e suprindo assim os
gestores, com todas as informações para uma tomada de decisão eficaz, respaldada
pela caracterização da melhor alternativa existente, vejamos então:

7 RELATÓRIOS GERENCIAIS

37 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


13

7.1 1º Relatório Gerencial da 7ª CIPM

Período Avaliatório: 09.08.2010 à 22.10.2010.


Data de entrega do Relatório: 12.11.2010.

a) INTRODUÇÃO

Este Relatório Gerencial foi desenvolvido no período de 16.03.2010 à


05.11.2010, como forma de estabelecer de maneira clara e objetiva, todas as
informações relevantes que estejam relacionadas com o sistema de alimentação da 7ª
CIPM, especificamente do sistema em que o preparo é feito na própria UPM e do
sistema terceirizado, realizado no Restaurante Chaleira Preta, a fim demonstrar os
custos inerentes de cada sistema, bem como suas peculiaridades.
Assim, como objeto de estudo deste projeto, é posto a seguinte problemática
de investigação: O sistema de alimentação da 7ª Companhia Independente de Polícia
Militar (7ª CIPM) de Jaciara promove a correta aplicação dos recursos de maneira
eficaz, seguindo uma metodologia sistêmica de minimização de custo e maximização
dos recursos?
Diante disso, por hipótese tem que se as atividades financeiras da Polícia
Militar fossemterceirizadas, diminuiriam consideravelmente os custos e sobejariam
recursos para outros investimentos.
Estas possibilidades hipotéticas fazem com que qualquer estudo tenha uma
obrigatoriedade gerencial, definir objetivos, metas que deverão ser contempladas
durante a investigação prática, assim, como objetivo geral teve: Demonstrar a
importância da Contabilidade Gerencial na identificação dos custos no sistema de
alimentação dos policiais militares, a fim de subsidiar informações ao gestor para
tomada de decisão sobre o melhor método de aplicação do recurso com o menor custo
e melhor qualidade. E como específicos: Estudar a importância da Contabilidade
Gerencial para auxílio na gestão de entidades; Conceituar os recursos existentes na 7ª
CIPM; Identificar os gastos existentes na instituição; Demonstrar através de gráficos,
comparativos entre os sistemas de alimentação já adotados, para melhor visualização
12

dos custos; Propor a divulgação deste projeto sobre o sistema de alimentação a outras
Unidades de Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, objetivando proporcionar uma
melhor qualidade na alimentação com o menor custo.
A escolha para entender melhor a importância da contabilidade gerencial
para uma entidade, como a Polícia Militar, surgiu através de pesquisas, estudos e
discussões em busca de um projeto-modelo viável e promissor que apresentasse
subsídios para uma gestão eficaz, capaz de otimizar os recursos do Batalhão de
Jaciara nas operações financeiras e contábeis, e que aproveitasse ao máximo a correta
utilização dos recursos.
Neste sentido, pretende-se analisar as fontes destes recursos bem como a
metodologia usada para a correta aplicação destes em favor da instituição,
promovendo assim uma maximização das atividades desenvolvidas com o menor custo
e, ao mesmo tempo, promovendo o desenvolvimento e o investimento na matéria prima
principal da instituição, os funcionários.

b) Os Recursos

O principal recurso do sistema de alimentação é baseado pelo valor


individual corresponde a cada policial, ou seja, R$ 80,00 vezes a quantidade total de
policiais por UPM, conforme ilustra na tabela abaixo:

TABELA 01: Relação nominal dos PM’S para etapa alimentação do Mês outubro 2010 da 7ª CIPM
Nº POS/GRAD NOME R$
1. MAJ PM MAJOR A 80,00
2. 2º TEN PM TENENTE A 80,00
3. 2º SGT PM SARGENTO A 80,00
4. 2º SGT PM SARGENTO B 80,00
5. 2º SGT PM SARGENTO C 80,00
6. 3º SGT PM SARGENTO D 80,00
7. CB PM CABO A 80,00
8. CB PM CABO B 80,00
9. CB PM CABO C 80,00
10. CB PM CABO D 80,00
11. CB PM CABO E 80,00
12. CB PM CABO F 80,00
13. CB PM CABO G 80,00
14. CB PM CABO H 80,00
13

15. CB PM CABO I 80,00


16. CB PM CABO J 80,00
17. SD PM SOLDADO A 80,00
18. SD PM SOLDADO B 80,00
19. SD PM SOLDADO C 80,00
20. SD PM SOLDADO D 80,00
21. SD PM SOLDADO E 80,00
22. SD PM SOLDADO F 80,00
23. SD PM SOLDADO G 80,00
24. SD PM SOLDADO H 80,00
25. SD PM SOLDADO I 80,00
26. SD PM SOLDADO J 80,00
27. SD PM SOLDADO L 80,00
28. SD PM SOLDADO M 80,00
29. SD PM SOLDADO N 80,00
30. SD PM SOLDADO O 80,00
31. SD PM SOLDADO P 80,00
32. SD PM SOLDADO Q 80,00
33. SD PM SOLDADO R 80,00
SUBTOTAL R$ 2.640,00
FÉRIAS 02 PM (160,00)
LICENÇA PRÊMIO 0 PM 0
TOTAL GERAL R$ 2.480,00
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)38

Como base de avaliação deste projeto, consideremos o valor de R$ 2480,00


como o valor real de recurso disponível para aplicação na alimentação dos policiais
miltares da 7ª CIPM.

c) Custos com o Sistema de Alimentação Preparado na UPM

Para determinação dos custos com esse sistema, foi necessário realizar
uma entrevista com cozinheira que trabalhou até 2008, antes da terceirização do
sistema de alimentação, para que pudesse descriminar e mensurar os materiais que
eram comprados no supermercado Fênix e a frequência que ocorria, que através de
uma média aritmética, resultou nos seguintes produtos abaixo relacionados, que nos
dias atuais, especificamente no mês de setembro de 2010, corresponderia aos
seguintes valores conforme tabela abaixo:

38 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


13

TABELA 02: Lista de Compras da 7ª CIPM


PRODUTOS QUANTIDADE PRECO UNIT. PREÇO TOTAL
ARROZ 100 KG 8,65 173,00
FEIJÃO 30 KG 4,25 127,50
AÇÚCAR 30 KG 3,59 53,85
TRIGO 5 KG 2,19 10,95
ÓLEO 30 L 2,59 77,70
CAFÉ 8 KG 2,49 79.68
MACARRÃO 15 KG 2,75 41,25
EXTRATO DE TOMATE 3 KG 12,00 12,00
FARINHA DE ROSCA 4 KG 2,50 10,00
FARINHA DE TRIGO 4 KG 2,50 10,00
TEMPERO COMPLETO (GRANDE) 4 KG 6,25 25,00
OVOS 6 DÚZIAS 2,50 15,00
MARGARINA 2 KG 5,50 11,00
CARNES 80 KG 16,99 1359,20
FRANGO 60 KG 3,75 225,00
VERDURAS E LEGUMES 31 PORÇÕES 1,25 38,75
SUBTOTAL 2266.88
GÁS DE COZINHA 3 BOTIJÕES 55,00 165,00
COZINHEIRA MENSAL 450,00 450,00
TOTAL GERAL 2881,88
Fonte: Sidnei Mateus Fernandes (2010)39

Nem sempre nesse sistema de alimentação preparado na 7ª CIPM, havia a


prestação de serviço de uma cozinheira, geralmente era preparado por um policial, e
quando da impossibilidade deste, devido ao reduzido número de efetivo, não oferecia
condições de remanejar um policial para o preparo da alimentação, daí se recorria à
contratação da prestação de serviço por parte de uma cozinheira.
Os custos desse sistema, sem a prestação de serviço por parte da
cozinheira, ficam em torno de R$ 2431,88, valor esse que será considerado para
análise comparativa dos sistemas.

d) CUSTOS COM O SISTEMA ALIMENTAÇÃO TERCEIRIZADOS

Os custos com alimentação realizadas no restaurante, referente ao mês de


outubro de 2010, ficariam de acordo com a tabela abaixo:

39 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


12

TABELA 09: Relação do Custo mensal referente ao mês outubro 2010 da 7ª CIPM baseada na
relação nominal dos PM’S para alimentação diária
Nº POS/GRAD NOME R$
1. MAJ PM MAJOR A 06,00
2. 2º TEN PM TENENTE A 06,00
3. 2º SGT PM SARGENTO A 06,00
4. CB PM CABO A 06,00
5. SD PM SOLDADO A 06,00
6. SD PM SOLDADO B 06,00
7. SD PM SOLDADO C 06,00
SUBTOTAL R$ 42,00
Refrigerantes = 07 R$ 07,00
TOTAL GERAL DIÁRIO R$ 49,00
X 31 DIAS
TOTAL GERAL MENSAL R$ 1519,00
Fonte:Sidinei Mateus Fernandes (2010)40

Nessa tabela fica evidenciado o valor do custo mensal referente ao mês de


outubro de 2010, baseada na relação nominal dos PM’s para alimentação diária deste
sistema de alimentação terceirizado, o qual servirá como base de comparação entre os
sistemas, o valor de R$ 1519,00.

e) COMPARATIVOS DOS CUSTOS ENTRE OS SISTEMAS DE ALIMENTAÇÃO


ATRAVÉS DE GRÁFICOS

Para uma melhor visualização e interpretação dos custos com alimentação,


mostraremos a seguir um gráfico comparativo dos custos entre os dois sistemas de
alimentação, quando da preparação na sede da 7ª CIPM e da tercerização, executada
na Churrascaria Chaleira Preta, como se fossem efetivadas no mês de outubro de
2010, ficando da seguinte forma, incluído no sistema de preparação na 7ª CIPM além
dos produtos, apenas o gasto fixo com gás de cozinha:

Grafico 01: Comparativo entre custo com alimentação no mês de outubro de 2010.
Fonte: Sidnei Mateus Fernandes (2010)41

40 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


41 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.
12

Através da análise comparativa dos dois sistemas de alimentação,


realizados em referência ao mês de outubro de 2010, podemos deduzir uma média da
porcentagem de economia que sistema fornece em relação ao outro, onde
especificamente, no caso acima, o sistema de alimentação preparada na 7ª CIPM, é
60,10% mais cara que o sistema terceirizado, executado na Churrascaria Chaleira
Preta, podendo através deste índice, basear-se para os demais meses correntes do
ano.
Considerando que não haja disponibilidade de um Policial Militar para a
preparação desta alimentação na 7ª CIPM, deverá, portanto contratar uma cozinheira
para prestação de serviço desta natureza, que conforme a Tabela 07, esses valores
sofreriam um acréscimo de R$ 450,00, demonstrado no gráfico abaixo:

Grafico 02: Comparativo entre custo com alimentação no mês de outubro de 2010 adicionado gasto fixo
com Cozinheira.
Fonte:Sidnei Mateus Fernandes (2010)42

Quando adicionamos o custo fixo, como a prestação de serviços por parte


da cozinheira, na integração do custo total da alimentação, este custo sobe para R$
2881,88, que evidencia um claro prejuízo mensal de aproximadamente R$ 241,88.
Neste novo custeio, a porcentagem de variação entre os sistemas distanciam em
grande escala, em que neste sistema torna-se 89,66% mais oneroso que o sistema de
alimentação terceirizado, efetuado na Churrascaria Chaleira Preta.
Total do custo:
R$2881,88

f) CONCLUSÃO

Demonstrados os recursos existentes da 7ª CIPM, os custos com os


sistemas de alimentação preparado na UPM e o sistema terceirizado, realizado na
Churrascaria Chaleira Preta, cabe ainda ressaltar algumas peculiaridades desses
sistemas, os quais proporcionarão ao gestor, ao final deste trabalho, na escolha pela
melhor alternativa para tomada de decisão.
Sobre o sistema de alimentação preparado na sede da 7ª CIPM, podemos
ressaltar que: Geralmente utiliza um policial do policiamento ostensivo, para que

42 Resultados decorrentes de pesquisa de campo, com análise documental.


13

remanejado de sua função, sirva na preparação dos demais policiais, desfalcando


assim as equipes para o trabalho diurno no policiamento diário. Quando não há
possibilidade de remanejamento, esse sistema torna-se mais oneroso ainda, pois
acrescentará no seu custo o salário referente à prestação de serviço por parte de uma
cozinheira; Há grandes probabilidades de policiais de folga acabar por alimentar na
UPM; Há pouca variedade de alimentos; a alimentação é isolada da sociedade, ou
seja, não integra e aproxima a sociedade da Polícia, em desconformidade com a visão
de Polícia Comunitária; Não faz policiamento ostensivo enquanto se alimentam;
Favorece gastos com outros produtos que não sejam para a alimentação, isso quando
da aquisição no supermercado.
No sistema de alimentação terceirizado, realizado no restaurante Chaleira
Preta, podemos evidenciar que: Nunca utiliza policiais para emprego da alimentação;
Os riscos de outros policiais que não os de serviço, almoçarem no restaurante são
mínimos, pois depende de autorização do comandante para inclusão na relação diária
de alimentação; Possui grande diversificação de carnes, verduras, legumes,
sobremesas, propiciando várias alternativas de alimentação de acordo com cada
policial; Propicia enquanto se alimenta no restaurante, o policiamento ostensivo
somente pela presença física no estabelecimento, além de interagir com a sociedade,
aproximando-a cada vez mais da Polícia e por último, esse sistema permite criar
planejamentos para investimentos em outras áreas, pois não consome todo o recurso
disponível.
O presente estudo, baseado na Contabilidade Gerencial, através das
informações prestadas e como ferramenta para auxílio dos gestores na tomada de
decisão, confirma que o sistema de alimentação terceirizado, usado atualmente,
corresponde na melhor alternativa existente para a correta aplicabilidade do recurso
para alimentação desta 7ª CIPM, isso baseado na comparação posta entre os dois
sistemas, em que o sistema de alimentação, se preparado na UPM, tem custo superior
a 60% do atual sistema de alimentação, e se adicionado o salário pago a prestação de
serviço por parte de uma cozinheira, essa diferença aumenta para mais de 89%.
Porém, cabe ao gestor da entidade à decisão final no que tange o processo
de tomada de decisão, que demosntrada neste trabalho, o sistema de alimentação
terceirizada, realizada na Churrrascaria Chaleira Preta, é a melhor alternativa racional e
fundamentada a continuar sendo utilizada.
13

8 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Uma reflexão teórica sobre o processo decisório possui grande relevância,


visto que o controle das informações dentro das organizações determina a eficácia na
escolha das decisões no processo decisório, garantindo assim a sua sobrevivência e
de seus indivíduos. Uma decisão precisa ser tomada sempre que estamos diante de
13

um problema que possui mais que uma alternativa para a sua solução, mesmo que
quando para solucionar este problema, há uma única ação a tomar, temos a alternativa
de tomá-la ou não.
Fundamentado na problemática situação de eficiência do sistema de
alimentação da 7ª CIPM, é o que tornou essencial a execução deste trabalho, posto
que foram levantadas todas as informações pertinentes a realização da alimentação
dos Policiais Militares desta UPM, demonstrando e avaliando os custos entre os
sistemas de alimentação quando preparados na UPM e quando terceirizados,
visualizando peculiaridades, vantagens e desvantagens.
Um ponto a ser destacado positivamente, foi a contribuição para a
elaboração do organograma da 7ª CIPM e, principalmente, a correção do valor
mensalmente que era recebido, que providenciou uma inversão da maneira como
determinar esse valor a receber, onde ao invés de informar apenas os policiais de
férias e de licença prêmio, passamos também a descriminar também os policiais a que
correspondia o valor a ser recebido, onde percebemos que a muito tempo, estávamos
sendo lesados em R$ 240,00, correspondente a etapa de três policiais.
Outra justificativa de suma importância que originou a elaboração deste
trabalho, talvez a mais significativa, são as constantes trocas de gestores da 7ª CIPM,
em que ultimamente, não ultrapassa dezoito meses. Daí o risco de não existir um
estudo aprofundado que auxilie esse gestor no processo de tomada de decisão, pois o
gestor militar possui total autonomia para investir o recurso como bem quiser, mesmo
que não seja de consenso de todos os subordinados, e com a elaboração deste
projeto, com certeza propiciara subsídios suficientes para auxiliá-lo na melhor escolha
dentre os sistemas já adotados.
Portanto, através das análises comparativas dos sistemas de alimentação
dos Policiais Militares da 7ª CIPM, sendo o sistema de alimentação preparado na UPM
e o sistema de alimentação terceirizado, realizado na Churrascaria Chaleira Preta,
opresente estudo, baseado na Contabilidade Gerencial, através das informações
prestadas e como ferramenta de auxílio dos gestores no processo de tomada de
decisão, confirma que o sistema de alimentação terceirizado, usado atualmente,
satisfaz como a melhor alternativa existente para a correta aplicabilidade do recurso,
não só justificado pelo custo superior a 60% do atual sistema de alimentação, ou mais
de de 89%, se adicionado o salário pago a prestação de serviço por parte de uma
cozinheira, mas também pelos benefícios proporcionados por esse sistema como:
grande diversificação de carnes, verduras, legumes, sobremesas, propiciando várias
13

alternativas de alimentação de acordo com cada policial; Realização de policiamento


ostensivo somente pela presença física no estabelecimento enquanto se alimentam,
além de interagir com a sociedade, aproximando-a cada vez mais da Polícia e por
último, por permitir a criação de planejamentos para investimento em outras áreas,
devido não consomir todo o recurso disponível.
Porém, cabe ao gestor da entidade à decisão final no que tange o processo
de tomada de decisão, que demosntrada neste trabalho, o sistema de alimentação
terceirizada, realizada na Churrrascaria Chaleira Preta, é a melhor alternativa racional e
fundamentada a continuar sendo utilizada.

REFERÊNCIAS

ATKINSON, Anthony A / BANKER, Rajiv D. Contabilidade Gerencial.São Paulo: Atlas,


2000.

BEUREN, Ilse Maria. Como Elaborar Trabalhos Monográficos em


Contabilidade.São Paulo: Atlas, 2006.

CREPALDI, Silvio Aparecido. Contabilidade Gerencial: Teoria e Prática. São Paulo:


Atlas,1998.
14

FERNANDES, Joliza. Elaboração de Trabalhos Monográficos.1994. 41 p. Curso de


Biblioteconomia – Campus Universitário de Rondonópolis, Universidade Federal de
Mato Grosso, Rondonópolis, 1994.

FERRARI, Alfonso Trujillo. Metodologia da Pesquisa Científica. São Paulo: McGraw


Hill, 1982.

FRANCO, Hilário. Contabilidade geral. 23. Ed. São Paulo: Atlas, 1997.

IUDÍCIBUS, Sergio de. Contabilidade gerencial. 6. Ed. São Paulo: Atlas, 1998.

MARTINS, ELISEU, Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas; 2001.

PADOVEZE, Clovis Luis. Contabilidade gerencial: um enfoque em sistema de


informação contábil. São Paulo: Atlas, 1997.

PADOVEZE, Clovis Luis.Sistemas de informações contábeis: fundamentos e


análise. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

SÁ, Antônio Lopes de – Princípios Fundamentais de Contabilidade. 3. Ed. São


Paulo: Atlas, 2000.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. Ed. São Paulo:
Cortez, 2007.

FREITAS, H; KLADIS, C. M. O processo decisório: modelos e dificuldades. Rio de


Janeiro – RJ: Revista Decidir, ano II, n. 08, março 1995, p. 30-34. Disponível em:
<http://www.wannydigiorgi.com.br/paginas/artigos/Cont.%20e%20a%20Resp.
%20Social.htm>. Acesso em: XX

JUNQUEIRA, Paulo Henrique Ferraz. Um Sistema Web para Acompanhamento de


Custos para uma Empresa de Construção. (Dissertação de Mestrado).
Guaratinguetá: [s.n.], 2005. disponível em:< http://www.feg.unesp.br/ceie/Monografias-
Texto/CEIE0505.pdf>. Acesso em: XX

SILVA, Altafine et al. A Contabilidade como Ciência Social e sua Contribuição à


Responsabilidade Social Corporativa. Anais... Anais do 17º Congresso Brasileiro de
Contabilidade. Disponível em: <http://www.wannydigiorgi.com.br/paginas/artigos/Cont.
%20e%20a%20Resp.%20Social.htm>. Acesso em: XXX

ROCHA, Adilson. Administração: planejamento, organização, direção e controle.


Disponível em:<http://mcogomes.files.wordpress.com/2008/05/apostila-de-
administracao.pdf>. Acesso em: XX

MIGIYAMA, TatianiKimiho da Costa. Sistema de Informação Contábil: gerencial ou


financeira.Adcontar, Belém, v.4, n.2, p.73-76, nov. 2003. Disponível em:
<http://www.nead.unama.br/bibliotecavirtual/revista/adcontar/pdf/adcontar42art6.pdf>.
Acesso em: XX
15

FEMENICK, Tomislav R. (Coord.). Fundamentos, Métodos e Práticas do Orçamento


Empresarial. São Paulo: Ipep / Natal: Facen, 2006. Disponível em:
<http://www.tomislav.com.br/livros.php?&detalhe=&id=34>. Acesso em: XX.

SÁ, Antônio Lopes de. A Contabilidade como Ciência. Disponível em:


<http://www2.masterdirect.com.br/448892/index.asp?
opcao=7&cliente=448892&avulsa=4947>. Acesso em: XX