Você está na página 1de 4

REVISÃO PARA PROVA AV1

1) A massa específica de um solo foi obtida através de medida direta sobre um corpo de
prova de amostra indeformada e através do cilindro cortante. No primeiro caso obteve-
se 𝜌1 = 1,75 𝑔⁄𝑐𝑚³ e no segundo 𝜌2 = 1,83 𝑔⁄𝑐𝑚³. Sabendo-se que o teor de
umidade natural do solo é 43,5% e que a massa específica dos sólidos é 2,75 𝑔⁄𝑐𝑚³,
qual dos dois valores estará mais correto?

2) Um solo de uma área de empréstimo tem 𝑛 = 58% e 𝜌 = 2,70 𝑔⁄𝑐𝑚³. Deseja-se


utilizar esse solo para construção de um aterro com um volume de 100.000 m³. Que
volume deverá ser escavado se o aterro deverá ser construído com 𝜌𝑡 = 1,80 𝑔⁄𝑐𝑚³ e
𝑤 = 15%?

3) A uma amostra de solo que tinha um teor de umidade w =17,2% adicionou-se água
de tal forma que w passou a 25,6%. Qual foi o acréscimo de peso da amostra?

4) Se 150.000 m³ de solo são escavados de um empréstimo, no qual o índice de vazios


médio é de 1,22, qual será o volume correspondente de aterro se o índice de vazios
médio obtido no mesmo é de 0,70? Sabendo-se que o teor de umidade no empréstimo
é de 8% e que o aterro depois de pronto terá uma umidade de 12%, calcular o volume
de água que deverá ser adicionado ao material escavado. Estime os valores dos índices
físicos necessários. Adote a massa específica das partículas sólidas como 𝜌𝑠 =
2,67 𝑔⁄𝑐𝑚³.

5) O volume de uma amostra de argila siltosa, determinado por imersão em mercúrio,


foi de 14,98 cm³. O seu peso no estado natural foi 28,81g, enquanto o peso seco foi
24,83g. Sabendo que a massa das partículas sólidas seja 𝜌𝑠 = 2,70 𝑔⁄𝑐𝑚³, calcule o
índice de vazios e o grau de saturação da amostra.

6) Para a construção de uma barragem de terra foi prevista a utilização de um volume


de 300.000 m³ de terra, com um índice de vazios igual a 0,8. Dispõe-se de três jazidas
designadas por A, B e C. O índice de vazios do solo de cada uma delas, bem como a
estimativa do custo do movimento de terra até o local da barragem, são indicadas no
quadro abaixo. Qual a jazida explorável economicamente?
7) Determine as tensões totais, as poro-pressões e as tensões efetivas atuantes às cotas
-2m, -5m, -8m e -12m, mostradas na figura abaixo.

Cotas
0
t = 18 kN/m³
Areia grossa, medianamente NA
-2m
compacta, amarela
w = 20% 𝛾𝑠 = 26,5𝑘𝑁 𝑘𝑁⁄𝑚3

-5m
Argila marinha, muito mole, preta (sat = 15 kN/m³)

-8m
Silte arenoso, pouco compacto, variegado (sat = 17 kN/m³)

-12m
Rocha sã (Granito)

8) Calcule a tensão efetiva que atua na cota – 13,0m do perfil mostrado na figura a
seguir:
NA
+5m

Cotas
0
t=16kN/m³ NA
-2m
Areia fina, pouco compacta, cinza
sat=18kN/m³

-7m

Argila rija, vermelha, sat=19kN/m³

-13m
Areia Siltosa, variegada

-17m
Rocha sã (Gnaisse)

9) Calcular a tensão efetiva existente à cota –9m do perfil mostrado na figura abaixo.
Refazer os cálculos com o nível d’água na cota +25m e, em seguida, na cota –1m.

+1 N.A.
0 Água
Areia fina, compacta, cinza clara
n = 38%
Peso específico real = 26 kN/m3
−4
Argila siltosa, mole, cinza
w = 76%

−9
Rocha Sã

10) Calcular as variações de tensões efetivas às cotas − 7m e − 11m, mostradas na


figura a seguir, após a realização de um rebaixamento do NA para a cota − 3m,
concomitantemente com o lançamento de um aterro (d = 16 kN/m3 e w = 18,2%) até a
cota + 5m.
Cotas:
+3 N.A.
Água

−1
Argila orgânica, muito mole, preta.
w = 108%
s =22 kN/m3
S = 98%

−7
Areia fina, siltosa, fofa, cinza
e = 0,98
𝛾𝑠 = 26,5𝑘𝑁 𝑘𝑁⁄𝑚3
− 11