Escola Judiciária Eleitoral – TRE/PI

Curso: Linguagem Jurídica e redação Prof. João Benvindo de Moura Flexão nominal e verbal (conteúdo para o dia 30.05.07) Flexão do substantivo O substantivo é a palavra variável que pode ser flexionada em gênero, número e grau. Flexão de gênero Todo substantivo, incluindo aqueles que designam objetos, pertence ou ao gênero masculino ou ao feminino. Essa é uma classificação puramente gramatical, que não tem, necessariamente, relação com o sexo. o lápis a caneta o caderno a vítima a borracha

Dependendo da forma que assumem, os substantivos podem ser classificados em biformes ou uniformes. Substantivos biformes São aqueles que apresentam uma forma para o masculino e outra para o feminino: Masculino feminino masculino feminino aluno aluna bode cabra menino menina carneiro ovelha Substantivos uniformes São os que apresentam uma única forma, tanto para masculino como para o feminino. Subdividemse em: • Epicenos – são os substantivos uniformes que designam alguns animais: onça, jacaré, tigre, borboleta, foca. Caso se queira especificar o sexo do animal devem-se acrescentar as palavras macho ou fêmea. a onça macho, a onça fêmea (o substantivo onça será sempre feminino) o jacaré macho, o jacaré fêmea (o substantivo jacaré será sempre masculino) • Comuns de dois gêneros – são os substantivos uniformes que designam pessoas. Neste caso, a diferenciação de gênero é feita pelo artigo ou outro determinante qualquer: o artista, a artista; o estudante, a estudante; jornalista recém-formado, jornalista recém-formada. Sobrecomums – são substantivos uniformes que designam pessoas. Neste caso, o gênero é fixo (sempre masculino ou sempre feminino) e os artigos e outros determinantes permanecem invariáveis: a criança, o cônjuge, a pessoa, a criatura.

1

mãe alunos. só o segundo elemento varia. o líder o dinheiro. no entanto. aguardente aguardentes passatempo passatempos vaivém vaivens 2. Veja alguns exemplos: substantivo masculino o cabeça o capital o rádio o lotação significado o chefe. relógios. relógio. uma vez que ocorre muitas oscilações. Plural dos substantivos compostos Não é fácil sistematizar o plural dos substantivos compostos. pão-de-ló Pães-de-ló mula-sem-cabeça mulas-sem-cabeça 2 . embora sejam idênticos na forma. porem de gêneros diferentes e significados diferentes. duas palavras distintas. os parabéns. Os substantivos compostos ligados sem hífen formam o plural como se fossem substantivos simples. Nos compostos formados de palavras repetidas (ou muito semelha nte). não ocorre a flexão de gênero. no entanto. as férias. os víveres. Os substantivos o grama/ a grama. as fezes. Nos compostos cujos elementos venham unidos por preposição. como: os afazeres. são duas palavras de origens diferentes. mães Há.Mudança de sentido com mudança de gênero Há substantivos idênticos na forma. por exemplo. Flexão de número Quanto ao número. observar as seguintes regras: 1. muitas vezes. alguns substantivos que só aparecem no plural. Singular Plural aluno. as núpcias. mesmo no padrão culto da língua. os pêsames. Cumpre. os óculos. o substantivo pode ser singular ou plural. só o primeiro elemento varia. teco-teco teco-tecos reco-reco reco-recos pingue-pongue pingue-pongues 3. os bens aparelho receptor veículo substantivo feminino significado a cabeça parte do corpo a capital cidade principal a rádio estação transmissora a lotação capacidade É importante observar que.

por isso mesmo. não mais dão idéia de aumento ou diminuição. A indicação do grau do substantivo pode ser feita de duas maneiras: • Analiticamente – determina-se o substantivo por um adjetivo que indica aumento ou diminuição. É o que ocorre em palavras como: cigarrilha. Nos compostos formados por dois substantivos. banana-maçã bananas-maçã salário-familia salários-família peixe-espada peixes-espada caneta-tinteiro canetas-tinteiro manga-rosa mangas-rosa Flexão de grau Além do grau normal. gentinha). originalmente aumentativos ou diminutivos.4. também. Flexões do verbo Flexão de pessoa O verbo flexiona-se em pessoa concordando com o seu sujeito. As horas de amor são encantadoras. • Segunda pessoa – com quem se fala: Tu aprecias a vida. indicando tipo ou finalidade. Meninão (aumentativo sintético) Menininho (diminutivo sintético) • É importante ressaltar que alguns substantivos. chamados de aumentativos e diminutivos formais. Nós apreciamos a natureza. caldeirão. cartão. amorzinho) ou pejorativo (livreco. • Terceira pessoa – de quem ou do que se fala: Ele aprecia a vida. Menino grande (aumentativo analítico) Menino pequeno (diminutivo analítico) Sinteticamente – anexam-se ao substantivo sufixos indicadores de grau. Elas apreciam a vida. Vós apreciastes a vida. folhinha (calendário). se o segundo elemento limita ou determina o primeiro. o substantivo pode apresentar-se no grau aumentativo e no grau diminutivo. São. portão. A vida é bela. São três as pessoas do verbo: • Primeira pessoa – a que fala: Eu aprecio a natureza. Há casos. em que os sufixos aumentativos e diminutivos são utilizados com valor afetivo (paizinho. 3 . a variação ocorre somente no primeiro elemento.

estiver implícito. Respeitamos a natureza. subjuntivo e imperativo. Podemos distinguir três situações básicas: presente. Joaquim aprecia a vida. temos o tempo pretérito. Respeitaremos a natureza. Aprecio a natureza. Passe-me o açúcar. • Se o processo ocorre no momento da fala. etc. temos o tempo presente. Isso ocorre mesmo quando o sujeito. primeira pessoa do singular) Nesses exemplos. Conforme o tipo dessa relação. Apreciarei a natureza. Se respeitarmos a natureza. temos o tempo futuro. • Voz ativa – quando o sujeito é o agente. o verbo sempre concorda em pessoa e número com o sujeito da oração. (sujeito implícito: nós. de ordem. o mundo ficaria melhor. • • Flexão de voz A flexão de voz indica a relação estabelecida entre o verbo e o seu sujeito. de dúvida. pretérito e futuro. na passiva ou na reflexiva. os verbos ressuscitar. Evite tomar sol depois das 10 horas da manhã. representado pelos pronomes pessoais retos. Já comi o f. Flexão de tempo Sabemos que o verbo indica um processo localizado no tempo. Respeitávamos a natureza. (Sujeito e verbo no plural) Como se pode observar.” (sujeito implícito: eu. • Se o processo já ocorreu. o verbo pode apresentar-se na voz ativa. • Se o processo ainda vai ocorrer. Se respeitássemos a natureza. um pedido ou um conselho. 4 . São três os modos verbais: indicativo. preciso. concordando com os sujeitos que estão implícitos. aquele que executa a ação expressa pelo verbo: O gorila comeu a banana. Apreciava a natureza. duvidoso. presente ou futuro.Flexão de número O verbo pode se apresentar no singular ou no plural. Ressuscitaremos a qualquer custo. primeira pessoa do plural) “Estou com ome. • Modo indicativo – apresenta o fato como certo. estar e comer flexionam-se em pessoa e número. seja ele pretérito. Respeite a natureza. o mundo ficará melhor. isto é. Modo imperativo – exprime uma ordem. Flexão de modo Entende-se por modo a atitude que o falante assume em relação ao processo verbal (de certeza. por favor.). concordando com o sujeito da oração. (Sujeito e verbo no singular) Joaquim e Pedro apreciam a vida. Modo subjuntivo – apresenta o fato como incerto.

ou seja. o receptor da ação expressa pelo verbo. sujeito Comeu-se a banana. José Luiz & PLATÃO F. embora o sujeito (o menino) tenha sofrido a ação. MESQUITA. sujeito A banana foi comida pelo gorila. sujeito O gorila cortou-se Verbo na voz ativa pronome reflexivo • Fonte: FIORIN. __________ . São Paulo: Ática. Gramática da língua portuguesa. • Voz passiva: quando o sujeito é o paciente.O conceito de voz ativa é um conceito gramatical. Na oração “O menino levou uma surra”. gramaticalmente temos o verbo na voz ativa. A voz reflexiva apresenta sempre a seguinte construção: sujeito + verbo na voz ativa + pronome oblíquo reflexivo. São Paulo. 8a ed. Ernani. verbo auxiliar verbo principal voz passiva sintética (ou pronominal) – formada por verbo na terceira pessoa mais a partícula apassivadora se. 2001. 2000. NICOLA. Gramática. 2003. 11 a ed. São Paulo: Saraiva. ou seja. Há dois tipos de voz passiva: Voz passiva analítica – formada por verbo auxiliar conjugado mais particípio do verbo principal. 2003. 4a ed. Lições de texto: leitura e redação. Scipione. 5 . São Paulo: Saraiva. Roberto Melo. José de & TERRA. Voz reflexiva: quando o sujeito é ao mesmo tempo agente e paciente. executor e receptor da ação expressa pelo verbo. literatura e produção de textos. 1001 dúvidas de português.

barcaça b) buraco . onça c) perdigão. Assinale a alternativa onde todos os substantivos são biformes: a) elefante. talvez mesmo previsível e piegas. parente.Nosso treinador vaticinou que. abade.. Uma palavrinha para a . a) está afixado.Aí. poeta 3. . elefante b) marechal. ator.pode. 6 . tiver c) está afixada. com um trabalho de contenção coordenada. no entanto.. algo banal. João Benvindo de Moura Exercício sobre flexão nominal e verbal 1. profeta. na zona de preparação. presidente. mamãe! . valendo-nos da desestruturação momentânea do sistema oposto. por acaso. .É pra dividir no meio e ir pra cima pra pegá eles sem calça.Alô. aumentam as probabilidades de. .festança d) perna . . frei. bebê.Estou vendo que você é um.Aí. cliente Escola Judiciária Eleitoral – TRE/PI e) algoz.pernona e) fogo – fogão 6. folião d) cadáver. . . Marque a alternativa onde o aumentativo está incorreto: a) barco .. A alternativa em que o plural dos substantivos compostos está correta é: a) pisca-pisca – piscas-piscas b) pé-de-moleque – pés-de-moleques c) navio-escola – navios-escolas d) bom-dia – bons-dias e) ultra-som – ultras-sons 5. um comum-de-dois e um epiceno: a) aluno. aqui presentes ou no recesso dos seus lares. duque 2. A nota dos alunos. tigre c) selvagem. . mestre b) conde. tiver 7. Por exemplo.Como é? . concatenarmos um contragolpe agudo com parcimônia de meios e extrema objetividade.Curso: Linguagem jurídica e redação – Prof. galera Jogadores de futebol podem ser vítimas de estereotipação. desde ontem. Você quer dizer mais alguma coisa? . Assinale a alternativa onde o plural do substantivo está correto: a) cristão – cristães b) o tórax – os tóraxes c) cidadão – cidadãos d) chapéu – chapéis e) pão. um. imigrante.Uma saudação para minha progenitora. indígena. membro. pãos 4. genéticas? . paciente.Ahn? . tiverem d) está afixada. e o professor atenderá pessoalmente só os estudantes que. hebreu. carrasco.. inclusive. paciente d) bacharel. por que não? galera. O verbo propor na primeira pessoa do singular do pretérito imperfeito do subjuntivo é: a) proponha b) propusesse c) propuser d) proposse e) propusera Leia o texto abaixo e responda às questões de 8 a 10 Aí. você pode imaginar um jogador de futebol dizendo “estereotipação”? E. . . monge.Certo.. galera. com energia otimizada. Assinale a alternativa que apresenta respectivamente: um substantivo biforme.posso dirigir uma mensagem de caráter sentimental. tiverem b) está afixado. príncipe. a uma pessoa à qual sou ligado por razões.Minha saudação aos aficionados do clube e aos demais esportistas. um sobrecomum.Quais são as instruções do técnico? . campeão. testemunha. recuperado o esférico. colega.. vítima. alguma dúvida. criança.Como é? . artista. rival e) herói. surpreendido pela reversão inesperada do fluxo da ação. tiver e) estão afixadas.buracão c) festa . no mural.

Um jogador que confunde o entrevistador. São elas: a) A saudação do jogador aos fãs do clube.” (Gazeta Mercantil.. da palavra “estereotipação”. 5 jan. perderam-se com o fechamento dos bancos. Leia um texto publicado no jornal Gazeta mercantil. inadequada à situação da entrevista. c) O uso da expressão “galera”. d) Relacionar os fatos passados e presentes. tipo caderneta de poupança. no início da entrevista. a quebra da bolsa de Nova Iorque em 1929. só vendedores. A construção civil caiu 90%. por parte do jogador. e um jogador que fala. num futuro próximo. b) Pegá-los desprevenidos. Eu gostaria de fazer uma observação” – alguém comenta em uma reunião de trabalho. Esse fenômeno tem a denominação de intertextualidade. e) O fato de os jogadores de futebol serem vítimas de estereotipação e o jogador entrevistado não corresponder ao estereótipo. e da expressão “progenitora”. O texto retrata duas situações relacionadas que fogem à expectativa do público.) Na sua opinião o objetivo do texto no contexto em que foi publicado é: a) Questionar a interpretação da crise. d) “Venho manifestar meu interesse em candidatar-me ao cargo de secretária executiva desta conceituada empresa” – alguém que escreve uma carta candidatando-se a um emprego. 10. e) “Porque se a gente não resolve as coisas como têm que ser. Seguiu-se uma crise incomparável: o produto Interno Bruto dos estados Unidos caiu de 104 bilhões de dólares em 1929. muito pouca comida nos lares brasileiros” – um professor universitário em um congresso internacional. 12. ô meu! Como vai essa força?” – um jovem que fala para um amigo. para 56 bilhões em 1933. e) Pegá-los momentaneamente.Estereoquê? .5 milhões de trabalhadores – cerca de 25% da população ativa – entre 1929 e 1933. coisa inimaginável em nossos dias. 8. Leia os seguintes textos: 7 . e a saudação final dirigida à sua mãe. por: a) pegá-los na mentira. c) Instruir o leitor sobre aplicações em bolsa de valores. Nove milhões de aplicações. por parte do entrevistador. Considerando as diferenças entre língua oral e língua escrita.Um chato? . praticamente não havia compradores no pregão de Nova Iorque. e a fala do jogador em “é pra dividir no meio e ir pra cima pra pegá eles sem calça”. Quem não passou pela experiência de estar lendo um texto e defrontar-se com passagens já lidas em outros? Os textos conversam entre si em um diálogo constante. por favor. Esse texto é parte de um artigo que analisa algumas situações de crise no mundo. O desemprego elevou-se de 1. mas num deu pra vê direito” – um pedestre que assistiu ao acidente comenta com o outro que vai passando. e) Analisar dados financeiros e americanos. b) Comunicar sobre o desemprego.Isso. de modo muito rebuscado. a gente corre o risco de termos. d) O desconhecimento.5 milhão para 12. a) “O carro bateu e capotô. b) “E aí. O valor do dólar caiu a quase metade. sem comprometimento de sentido. por parte do entrevistador. 11. 9. 1999. “Deu no que deu. entre elas. Oitenta e cinco mil firmas faliram. com desenvoltura. O texto mostra uma situação em que a linguagem usada é inadequada ao contexto. assinale a opção que representa também uma inadequação da linguagem usada ao contexto. pois não corresponde à expectativa de que o atleta seja um ser algo primitivo com dificuldade de expressão e assim sabota a estereotipação? . c) Pegá-los em flagrante. A expressão “pegá eles sem calça” poderia ser substituída. c) “Só um instante. d) Pegá-los rapidamente. b) A linguagem muito formal do jogador. em língua culta. e foi publicado na época de uma iminente crise financeira no Brasil. No dia 29 de outubro de 1929. Houve saques e norte-americanos que passaram fome. uma terça –feira. formal.

Gabarito 1 A 7 B 2 B 8 B 3 C 9 E 4 D 10 B 5 E 11 A 6 C 12 A III – Quando nasci um anjo esbelto Desses que tocam trombeta. Carga muito pesada pra mulher Esta espécie ainda envergonhada. 1989. um anjo torto Desses que vivem na sombra Disse: Vai Carlos! Ser “gauche” na vida (ANDRADE. São Paulo: Cia. c) Falta de criatividade d) Negação dos versos.) Adélia Prado e Chico Buarque estabelecem intertextualidade. Adélia. 1986.I – Quando nasci. Chico. em relação a Carlos Drummond de Andrade. b) Oposição de idéias. Letra e música. (BUARQUE. por: a) Reiteração de imagens. e) Ausência de recursos. (PRADO. Bagagem. anunciou: Vai carregar bandeira. Das Letras. Rio de Janeiro: Aguilar. 1964.) 8 .) II – Quando nasci veio um anjo safado O chato dum querubim E decretou que eu tava predestinado A ser errado assim Já de saída a minha estrada entortou Mas vou até o fim. Rio de Janeiro: Guanabara. Alguma poesia. Carlos Drummond de.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful